Arquivo da tag: Botafogo

Após ordem judicial, Globo transmitirá duelo entre Fluminense e Botafogo

A TV Globo informou neste sábado (4) que vai exibir a partida entre Fluminense e Botafogo, pela semifinal da Taça da Rio, neste domingo (5), às 16h. Em nota, a emissora diz que cumprirá uma decisão judicial que a obriga a exibir o duelo mesmo após ter rescindido o contrato de transmissão do Estadual do Rio na última quinta (2), alegando quebra de exclusividade.

A Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) obteve na noite de sexta-feira (3) uma liminar na 24ª Vara Cível do Rio de Janeiro contra a rescisão unilateral do contrato pela Globo. A juíza Eunice Bittencourt Haddad, responsável pela decisão, também determinou que a emissora exiba as semifinais e final da Taça Rio e a final do Estadual e estabeleceu multa de R$ 5 milhões em caso de descumprimento da decisão judicial.

“A Globo vai recorrer da decisão, mas, em respeito à Justiça e aos clubes, dos quais é parceira histórica, vai transmitir a partida”, diz o comunicado da emissora. “A Globo esclarece que os clubes são livres para transmitir seus jogos ou autorizar que terceiros os transmitam, uma vez que o contrato foi rescindido.”

Além da exibição da partida em TV aberta para as praças do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Juiz de Fora (MG), Distrito Federal, Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Pará, Amapá, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas e Sergip, o SporTV e o Premiere também exibem Fluminense x Botafogo.

Na quinta, a emissora carioca decidiu rescindir o contrato firmado com a federação (Ferj) e os outros 11 times da competição um dia após o Flamengo exibir o jogo diante do Boavista em seu canal oficial no YouTube.

“No entendimento da Globo, o contrato foi violado ontem [quarta, dia 1º], quando a FlaTV exibiu ao vivo a partida entre Flamengo e Boavista”, afirmou a emissora.

Apesar de ter decidido romper o contrato e encerrar suas transmissões do campeonato deste ano, a Globo afirma que, “por liberalidade”, manterá os pagamentos devidos aos times com quem acertou.

Para exibir a partida na FlaTV, o clube rubro-negro se diz amparado pela Medida Provisória 984, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e publicada no Diário Oficial do último dia 18.

A medida dá ao clube mandante a prerrogativa de comercializar seus direitos de transmissão. Até então, o texto da Lei Pelé previa que esse direito pertencia às duas partes envolvidas na partida.

A MP poderá ser aprovada ou rejeita pelo Congresso em até 60 dias, renováveis pelo mesmo período, e enquanto isso vigora com poder de lei.

“A Globo entende que a Medida Provisória não poderia alterar um contrato celebrado antes de sua edição e protegido pela Constituição”, diz a emissora em seu comunicado.

A Folha de S.Paulo teve acesso à carta da Globo enviada para os clubes e a Ferj. Ela diz que a federação não fez cumprir o artigo 136 do regulamento geral da competição (“somente a entidade pode autorizar a transmissão de partidas”) e que “falhou no dever contratual, o que por si só justifica a rescisão”.

A equipe rubro-negra sinalizou que continuará transmitindo em seu canal as próximas partidas do estadual em que for mandante. Mas é possível que isso ocorra apenas mais uma vez, na semifinal da Taça Rio. O mando da decisão do turno será definido por sorteio.

A Ferj disse que o caso será entregue ao departamento jurídico da entidade e pediu aos times que, mesmo como mandantes, não transmitam suas partidas até que haja uma decisão posterior.

 

FOLHAPRESS

 

 

Morre Valdir Espinosa, campeão carioca pelo Botafogo e mundial pelo Grêmio

O técnico campeão da Libertadores da América e Mundial pelo Grêmio em 1983 e carioca pelo Botafogo-RJ em 1989, Valdir Espinosa, morreu nesta quinta-feira (27) aos 72 anos de idade. Ele foi submetido a uma cirurgia na região do abdômen no dia 17, e internado novamente no dia 20, mas não se recuperou.

Atualmente, Espinosa ocupava o cargo de gerente de futebol do Botafogo, clube com o qual tinha grande identificação pela conquista do Campeonato Carioca de 1989.

Valdir Espinosa em sua volta ao Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo
Valdir Espinosa em sua volta ao Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

História

Nascido em Porto Alegre, Espinosa começou sua carreira no futebol como jogador do Grêmio. Atuou por oito anos como profissional, passando por CSA, Esportivo e Caxias. Parou em 1978 e no ano seguinte já iniciou no cargo de treinador do Esportivo.

Desde então, construiu uma carreira sólida, com o auge em 1983, quando comandou o Grêmio campeão da Libertadores e do Mundial. Na época, o time contava com jogadores como Renato Gaúcho, De León, Paulo César Caju e Mário Sérgio.

Em 1989, Espinosa aceitou o convite do Botafogo, que não conquistava o Campeonato Carioca havia 20 anos. Com um gol de Maurício na final contra o Flamengo, o time celebrou o título invicto da competição e criou mais um momento histórico para a carreira do treinador.

Espinosa rodou o Brasil como treinador e teve experiências internacionais. Ele trabalhou no Cerro Porteño, do Paraguai, no Al-Hilal, da Arábia Saudita, e no Tokyo Verdy, do Japão. Também teve uma rápida passagem pelo Las Vegas City.

Globo Esporte

 

 

Em noite de assistência e gol pelo Botafogo, solanense Luis Henrique vive “dia mais feliz como profissional”

A estreia de Luis Henrique na primeira temporada como jogador profissional não cabia nem nos sonhos mais otimistas do jogador que completou 18 anos há um mês. Com uma assistência e um gol, a joia alvinegra comprova ser uma das gratas surpresas do 2019 que não foi bom para o Botafogo.

Depois de duas oportunidades na equipe principal nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro, Luis Henrique não deixou mais o grupo comandado por Valentim. Além de ganhar a vaga no elenco, conquistou a titularidade e a valorização: seu contrato, que terminava em janeiro, foi renovado até 2022.

– A felicidade é imensa por marcar meu primeiro gol como profissional, ainda mais na nossa estreia depois da pré-temporada lá no Espírito Santo. Espero que seja o primeiro de muitos. A bola acabou escapando um pouco ali, mas deu para consertar da melhor forma possível. Esse gol é para toda a minha família e para quem me apoia. No outro jogo eu dei o passe para o Pedro Raul, ele tinha que devolver (risos) – afirmou Luis Henrique.

“Como profissional é sim o dia mais feliz da minha vida”.

Gol do Botafogo! Pedro Raul deu um lindo passe para Luis Henrique ampliar, aos 23' do 2º tempo

Gol do Botafogo! Pedro Raul deu um lindo passe para Luis Henrique ampliar, aos 23′ do 2º tempo

O sorriso no rosto no momento da entrevista depois de uma noite cheia das melhores sensações é o mesmo que Luis tenta levar pra vida. De origem humilde, o garoto tem ambições, mas respeita seu tempo e tenta fazer valer a pena os últimos quatro anos longe de casa. Até o ano passado, ele vivia no alojamento de General Severiano com o irmão Pedro Augusto, de 15 anos e que também joga no Botafogo.

Os 18 anos e a inexperiência o fazem ter atenção especial da comissão técnica e da diretoria alvinegra. Alberto Valentim, responsável por integrá-lo ao profissional, acompanha de perto seu desenvolvimento e, além das qualidades que pudemos ver em campo, o técnico destaca a “cabeça boa” de Luis Henrique.

– O Luis Henrique é muito atento ao que a gente passa. É mais novo que meu filho. Totalmente profissional, focado. Vai errar em algumas tomadas de decisão, mas temos que entender até pela idade. Vai melhorar muito. Tenho certeza que terá uma excelente carreira, não só pelos dotes físicos e técnicos, mas pela cabeça. Um jogador que sabe ouvir e trabalha muito forte – disse o treinador.

Luis Henrique comemora primeiro gol como profissional do Botafogo  — Foto: Botafogo F.R.

Luis Henrique comemora primeiro gol como profissional do Botafogo — Foto: Botafogo F.R.

Luis Henrique voltou para Solânea – cidade onde foi criado no interior da Paraíba – nas férias de fim de ano como personalidade do município. Foi parado para fotos e autógrafos. Não podia nem sair na porta de casa sem ser abordado. Havia feito apenas dois jogos no profissional… Agora terá que lidar com o sucesso, que promete ser maior caso o atacante repita a atuação da gloriosa estreia em 2020.

GE

 

Joia do Botafogo, solanense Luis Henrique chama atenção aos 17 anos e entra no radar do Bayern de Munique

O atacante Luis Henrique fez sua estreia no time principal do Botafogo aos 17 anos. Pode até parecer um pouco precoce. Mas a joia do Fogão já despertou o interesse do Bayern de Munique no ano passado e chegou a passar por duas semanas de testes ao lado do grupo no CT do clube alemão. Foi aprovado, mas não ficou por causa da idade.

Luis Henrique está no radar do Bayern de Munique — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Luis Henrique está no radar do Bayern de Munique — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Em junho do ano passado, o paraibano participou de uma excursão na Alemanha com o Três Passos Atlético Clube, o TAC, do Rio Grande do Sul. No último jogo, os garotos do time sub-19 do time gaúcho enfrentaram o sub-17 do Bayern de Munique. A mãe de Luis Henrique, Alcione, relembra o momento cheia de orgulho do filho.

– Ele teve esse amistoso contra o Bayern de Munique e fez gol e ainda deu um passe (a partida terminou 2 a 0 para o TAC). O Bayern de Munique entrou em contato, ele passou 15 dias fazendo testes e depois, quando voltou, já foi direto para o Botafogo – relembrou a mãe Alcione.

Atacante no CT do Bayern de Munique no ano passado durante período de teste — Foto: Arquivo Pessoal

Atacante no CT do Bayern de Munique no ano passado durante período de teste — Foto: Arquivo Pessoal

O empresário do jogador, Sandro Becker, revela que Luis Henrique continua no radar do Bayern de Munique. Mas tudo pode mudar quando o atacante completar 18 anos no dia 14 de dezembro.

– Ela tinha só 16 anos. Então deixaram a porta aberta e vão permanecer observando. Pelo fato de eu ter um contato direto com o Bayern de Munique devido ao Lúcio (zagueiro pentacampeão mundial), que fez muito sucesso lá, eles olham com outros olhos quando a gente fala em outro jogador. Luis está nessa mira – disse Sandro Becker.

O TAC é um projeto do próprio Sandro Becker. Luis Henrique foi visto por ele durante uma peneira feita em Rio Tinto, no litoral norte da Paraíba.

– Tinha aproximadamente 220 meninos naquele dia. Foi tudo muito rápido. Fui escolhendo de manhã e à tarde o Luis Henrique também ficou no grupo de 30 garotos. Na parte da manhã Luis foi muito normal, mas na parte da tarde, quando selecionou mais os meninos, logo nos primeiros cinco minutos ele, como joga de atacante de beirada, arrebentou. Dribla em velocidade e com o passar do tempo adquiriu muita força física. Na parte física ele é acima do normal. Isso agora vai começar a aparecer – explicou.

Paraibano participou de amistosos pelo Bayern de Munique na Alemanha — Foto: Arquivo Pessoal

Paraibano participou de amistosos pelo Bayern de Munique na Alemanha — Foto: Arquivo Pessoal

Antes de acertar com o TAC, Luis Henrique foi lapidado pelo próprio pai, Ronaldo, na escolinha “Livro na mão, bola no pé”, na cidade natal Solânea – distante 130km de João Pessoa.

– Tive uma infância tranquila. Sempre fui ligado demais ao futebol. Meu pai é um ex-atleta e também era o sonho dele que eu fosse jogador. Foi lá onde treinei muito até chegar ao TAC – comentou Luis Henrique.

Jogador em desfile pela escolinha do pai "Livro na mão, bola no pé" em Solânea — Foto: Arquivo Pessoal

Jogador em desfile pela escolinha do pai “Livro na mão, bola no pé” em Solânea — Foto: Arquivo Pessoal

O DNA da bola está no sangue de Luis Henrique. Ronaldo, de 51 anos, é ex-jogador e comanda tudo no projeto. Ele tem passagens por clubes paraibanos tradicionais: Botafogo-PB, Santos de Tereré, Auto Esporte e Santa Cruz de Santa Rita. Não demorou muito para o pai ver o filho começar a trilhar uma trajetória promissora.

– É uma emoção muito grande. É bem diferente estar de fora torcendo pelo filho. Foi um dia muito diferente. Fica como se quisesse entrar na televisão para ajudar de alguma forma. Foi muito emocionante assistir. Outra realidade ficar de fora e torcer pelo filho. Vi um grande potencial. A gente vê que ele entrou com uma personalidade muito grande. Não se abateu pela estreia e pelo tempo que o Botafogo está passando. O Botafogo não está passando por um bom momento, mas ele chamou a responsabilidade no meio de tanta gente experiente – analisou o pai.

Luis Henrique fez sua estreia no profissional na última quarta-feira, na derrota do Botafogo para o Atlético-MG, por 2 a 0, no Mineirão. Ele entrou no segundo tempo, mas foi o jogador de melhor atuação do Glorioso, apresentando objetividade na busca pelo gol.

Luis Henrique foi o melhor jogador do Botafogo na derrota para o Atlético-MG — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Luis Henrique foi o melhor jogador do Botafogo na derrota para o Atlético-MG — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Nesta temporada, o jogador se destacou também no time sub-20 do Botafogo. Participou de 34 jogos, sendo 19 partidas no Brasileiro da categoria, e marcou cinco gols.

– Foi uma sensação de muita alegria e felicidade. Tudo junto. E uma mistura de ansiedade com nervosismo. Foi um dos momentos mais esperados da minha vida. Sou muito grato ao Botafogo por essa oportunidade e confiança. Tenho que agradecer muito a Deus também e a minha família, que sempre me apoiou – afirmou.

O atacante já havia sido relacionado anteriormente para as partidas contra Corinthians e Chapecoense no Campeonato Brasileiro. Deve agora receber uma nova chance na última rodada, diante do Ceará, no próximo domingo, no Engenhão.

GE

 

Treze empata, escapa do rebaixamento da Série C e acaba sonho de acesso de Botafogo (PB)

Em uma arrancada impressionante, o Treze escapou do rebaixamento da Série C do Campeonato Brasileiro. Numa rodada emocionante e cheia de expectativas, o Galo só precisou empatar em 2 x 2 com o Bota para fugir da “degola”. É que o ABC venceu o Globo por 2 x 0, e também afundou o time do Rio Grande do Norte.

Foi um jogo eletrizante, com dois pênaltis e muitos gols, pela última rodada da fase de grupos da Terceirona. Com o resultado, o Treze ainda acabou com o sonho de classificação do Botafogo, e consequentemente, de continuar a luta pelo sonhado acesso para a Série B 2020.

Eduardo, de pênalti, depois de desperdiçar uma cobrança minutos antes, abriu o marcador para o Treze aos 14 da etapa inicial. Júlio Pacato fez o segundo do time do bairro de São José. Nando e Clayton marcaram os gols do Botafogo.

As combinações que o Botafogo-PB precisava para passar de fase aconteceram, mas o time da Capital não fez a sua parte. O Bota ficou a um gol da classificação.
O Galo terminou a Série C em oitavo lugar com 19 pontos, enquanto o Belo encerrou a sua participação na competição nacional em sexto lugar com 25 pontos.

Náutico, Sampaio Correia, , Imperatriz e Confiança obtiveram a classificação no Grupo A e seguem firmes no sonho do acesso para a Série B.

Severino Lopes
PB Agora

 

 

Botafogo perde de virada para Sampaio Correia e despenca na tabela da Série C

O Botafogo (PB), voltou a decepcionar a sua torcida, e perdeu a segunda partida seguida na Série C do Brasileiro. O Belo perdeu de virada para o Sampaio Corrêa em pleno estádio O Almeidão. Roney e Rodrigo Andrade marcaram os gols do Sampaio. Neuton fez o gol do Belo.

O jogo começou com o Botafogo melhor e dominando a partida. Aos 16 minutos, Marcos Aurélio cobrou e levantou a bola na área, para a cabeçada certeira de Neuton para o gol. A impressão era que o Belo conquistaria mais uma vitória fácil.

À frente no placar, o Belo passou a dominar as ações do jogo brevemente, mas logo o Sampaio voltou a pressionar, tanto que aos 40 minutos conseguiu furar a defesa do time da casa. Roney aproveitou o bate rebate na área e empurrou a bola pro fundo do gol.

No segundo tempo, o Belo tentou a custo ficar a frente do placar, principalmente nas bolas paradas de Marcos Aurélio. Só que foi o Sampaio que furou as redes. Em uma das boas trocas de passe, aos 20 minutos, Welder encontrou Rodrigo Andrade na área e o camisa 10 fez um lindo gol, de cavadinha na saída do goleiro Saulo. Após a virada, o Belo pressionou, mas não conseguiu chegar ao empate.

O Sampaio chega aos 18 pontos, entra no G-4 e assume a terceira posição do Grupo A. O Botafogo-PB, por sua vez, cai para a quarta posição, com 16 pontos, podendo ser ultrapassado pelo Náutico que ainda joga na segunda-feira contra o Imperatriz.
Na próxima rodada o Botafogo-PB vai até o Recife, onde encara o Santa Cruz, no Estádio do Arruda, no próximo domingo, às 18h. Já o Sampaio Corrêa, recebe o Globo no Castelão, também no próximo domingo, mas às 17h.

PB Agora

 

 

 

Náutico e Botafogo duelam para seguir em cima na tabela

Pela oitava rodada da Série C do Campeonato Brasileiro, penúltima do primeiro turno da competição nacional, o Botafogo-PB vai neste domingo (16) até o Recife, onde enfrenta o Náutico-PE, às 18h, no Estádio dos Aflitos. Para o Belo, um bom resultado fora de casa é de suma importância para a equipe permanecer no G-4 do Grupo A da Terceirona. Em caso de derrota, o time da Maravilha do Contorno será ultrapassado pelo Timbu na tabela da competição.

Com ambas as equipes vindo de vitória na competição, o jogo promete ser muito disputado, ainda mais pelo fato de ambas estarem muito próximas na tabela de classificação, tornando o jogo em uma ‘partida de seis pontos’, visto que o Belo tem 12 pontos e o Timbu 11. Ou seja, em caso de sair vitorioso de campo, o Alvinegro da Estrela Vermelha abre quatro pontos dos pernambucanos.

Retrospecto recente

Desde que voltou ao cenário nacional, em 2013, o Botafogo-PB enfrentou o Náutico em sete oportunidades, conseguindo quatro vitórias, além de ter empatado em uma ocasião. O Náutico venceu em duas oportunidades. Pela Série C, as equipes se enfrentaram ano passado. O Belo venceu no Almeidão em uma goleada por 4 a 0, e o Náutico descontou na Arena Pernambuco, vencendo a partida por 2 a 0.

No palco da partida de hoje, o Belo não tem boas recordações. A última vez em que o Botafogo-PB jogou no Estádio dos Aflitos, o Náutico aplicou a maior goleada do confronto: 8 a 2, pela primeira fase da Copa do Nordeste de 2002. Hoje será o reencontro das equipes na praça esportiva, local onde o Timbu é muito forte, jogando com apoio total de sua torcida.

Equipes se conhecem

As equipes se enfrentaram recentemente pela Semifinal da Copa do Nordeste, em partida única, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Na ocasião, o Botafogo-PB superou a equipe pernambucana por 2 a 1, com gols de Nando e Juninho.

O Belo ainda desperdiçou um pênalti, cobrado pelo lateral-esquerdo Fábio Alves. O gol dos alvirrubros foi marcado em um chute do atacante Tarcísio, o goleiro do Belo defendeu, mas a bola foi entrando e o lateral-esquerdo do Belo, ao tentar espanar a bola, colocou para dentro do próprio gol.

A partida de hoje pode marcar também o retorno do meia Marcos Aurélio ao Botafogo-PB, um dos artilheiros da equipe na temporada. O camisa 10 do Belo estava se recuperando de uma lesão na coxa direita, que foi agravada justamente na partida contra o Timbu na Copa do Nordeste, onde, ao bater um escanteio, que quase resultou em um gol olímpico do Belo, o meia sentiu a lesão e deixou o campo de jogo.

 

portalcorreio

(Foto: Nalva Figueiredo)

 

 

Botafogo joga atrás e perde para Fortaleza no jogo de ida da final

Com uma postura defensiva, o Botafogo-PB não ofereceu perigo ao Fortaleza na noite desta quinta-feira (23), na Arena Castelão, e perdeu o jogo de ida da decisão da Copa do Nordeste 2019 por 1 a 0.

O centroavante Wellington Paulista fez o único do gol do jogo, que garante aos cearenses a vantagem de jogar pelo empate no jogo de volta, marcado para a próxima quarta-feira (29), no estádio Almeidão, em João Pessoa.

Para a grande finalíssima, o técnico Evaristo Piza, do Botafogo-PB, deve contar com o retorno do meia Marcos Aurélio, que cumpriu suspensão automática em Fortaleza.

Maispb 

 

 

Em jogo eletrizante, Botafogo da Paraíba bate o Náutico por 2 x 1 e vai à final da Copa Nordeste

A noite desta quinta-feira (09) foi histórica no estádio Almeidão, em João Pessoa.

O Botafogo-PB bateu o Náutico por 2 a 1, em um grande jogo pela semifinal da Copa do Nordeste, e com o gol da vitória marcado de cabeça pelo baixinho Juninho, aos 44 minutos do segundo tempo.

Pela primeira vez o Belo vai disputar a final do Nordestão, feito que apenas o Campinense, em 2013 e 2016, havia conseguido representando a Paraíba.

Na primeira chegada do Belo, antes de completar um minuto de jogo, Fábio Alves cruzou para Nando, que bateu de direita e a bola explodiu na trave, mas o árbitro Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro marcou falta do atacante do Belo. O lance serviu para levantar a torcida na arquibancada do Almeidão.

Aos 5, mais uma chance. Clayton lançou Nando, que caiu pela esquerda. O goleiro saiu e o camisa 9 achou Clayton, que rolou para Juninho, que chutou da marca do pênalti, mas Camutanga estava em cima da linha para salvar o time pernambucano.

Na volta de Marcos Aurélio ao time titular após ficar afastado por lesão, o Botafogo-PB ficou mais forte na bola parada. E em uma cobrança de falta da entrada da área, aos 12 minutos, o camisa 10 mandou a bola no travessão de Bruno e quase abriu o placar.

Mas a chance mais clara no início da partida foi do Náutico. Aos 14, Marcos Vinicius errou na saída de bola e Lucas Paraíba invadiu a área livre, e tocou por cima de Saulo. Wallace Pernambucano estava sozinho na pequena área, mas furou, e jogou fora a oportunidade do Timbu.

Três minutos mais tarde, Lucas Paraíba cruzou da esquerda e Wallace Pernambucano subiu mais que todo mundo para cabecear como manda o manual, para o chão, mas ele não contava com um milagre operado por Saulo, lembrando Gordon Banks diante de Pelé, para salvar o Botafogo-PB.

O ritmo, que era muito intenso, caiu um pouco depois da metade do primeiro tempo. O jogo ficou mais truncado no meio campo, algumas faltas eram marcadas, e os goleiros pouco trabalhavam.

Mas aos 40 minutos, Israel fez grande jogada pela direita, passando com a bola por entre as pernas de Assis, e tocou para o meio da área, onde Nando bateu de primeira, mas a bola subiu demais e foi para fora.

Perto do apito final, aos 45, Marcos Vinicius recebeu lançamento de Israel na esquerda e cruzou para Nando, que estava na linha da pequena área, sozinho, mas ele tocou mal na bola e acabou desperdiçando a chance do Botafogo-PB ir para o intervalo com a vantagem.

Segundo tempo

Em contra-ataque de muita velocidade, aos 4 minutos, Marcos Aurélio acionou Clayton na esquerda, que passou para Juninho no meio. O camisa 21 abriu para Israel, que avançou pela direita e chutou cruzado da entrada da área, mas Bruno resvalou com a ponta dos dedos e mandou para escanteio. Na cobrança, Marcos Aurélio mandou fechado e quase fez olímpico, mas o arqueiro do Timbu evitou o gol botafoguense.

Aos 10, finalmente saiu o gol no jogaço. Nando invadiu a área pela direita e dividiu com o goleiro alvirrubro. Na sobra, ele mesmo brigou com a zaga, ganhou de Camutanga e tocou de pé esquerdo para balançar as redes e explodir a torcida do Belo no Almeidão.

Mas a comemoração não durou muito tempo. Aos 15, Tarcísio invadiu a área pela esquerda e chutou cruzado de canhota, Saulo fez a defesa parcialmente, a bola percorreu toda linha do gol, antes de entrar, e deixar tudo igual.

Dois minutos depois, Marcos Aurélio cobrou escanteio da esquerda e quase marcou olímpico, e Bruno novamente fez grande defesa para evitar o gol. Na hora da batida, o camisa 10 voltou a sentir a lesão na coxa que o deixou de fora das últimas duas semanas, e foi substituído por Enercino.

E aos 22, Enercino participou pela primeira vez, e de forma decisiva. O camisa 20 recebeu na área e foi atropelado por Rafael Ribeiro. O árbitro assinalou pênalti. Fábio Alves foi para a cobrança e mandou forte no canto esquerdo, mas Bruno foi buscar e evitou o gol do Belo.

O Náutico tentava controlar o jogo e evitar a pressão botafoguense, que buscava fazer uma blitz no seu campo ofensivo após as entradas de Dico e Paulo Renê nas vagas de Marcos Vinicius e Nando. E aos 36, Israel avançou pela direita e cruzou para a área, onde Paulo Renê deu de bicicleta e mandou a bola por cima da meta.

Aos 42, por muito pouco não sai o segundo gol do Botafogo-PB. Dico avançou pela direita até a linha de fundo e cruzou para Paulo Renê, que raspou de cabeça quase na pequena área e a bola passou muito, muito perto do poste direito do alvirrubro pernambucano.

E já perto do fim, aos 44, Clayton cobrou falta na área e o pequenino Juninho, de cabeça, encobriu todo mundo e balançou as redes, para fazer tremer o Almeidão e levar o Belo para a final da Copa do Nordeste.

Ficha técnica

Botafogo-PB 2 x 1 Náutico

Copa do Nordeste de 2019 (semifinal – jogo único)
Estádio: Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN); Jean Márcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)

Cartões amarelos: Fábio Alves, Rogério, Marcos Aurélio, Nando, Enercino (B); Jimenez, Bruno, Luiz Henrique (N)
Gols: Nando (B); Tarcísio (N)

Botafogo-PB: Saulo, Israel, Lula, Donato, Fábio Alves; Rogério, Marcos Vinicius (Dico), Juninho, Clayton, Marcos Aurélio (Enercino); Nando (Paulo Renê). Técnico: Evaristo Piza.

Náutico: Bruno, Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga, Assis (Krobel); Jimenez, Luiz Henrique, Wagninho, Lucas Paraíba (Tarcísio), Odilávio (Rafael Oliveira); Wallace Pernambucano. Técnico: Márcio Goiano.

 

Paraibaonline

Foto: Ascom/Botafogo-PB

 

 

 

Botafogo e Campinense decidem Paraibano 2019; Belo tem a vantagem

João Pessoa e Campina Grande estão mais uma vez na final do Campeonato Paraibano, representadas pelo Botafogo e Campinense. O time da Capital tem a vantagem, já que venceu a Raposa, no Amigão, pelo placar de 1 a 0 no último domingo. Para sair com o título, o Campinense precisa de uma vitória por dois ou mais gols de diferença.

Além de ter vencido a primeira partida, o Belo joga em casa neste sábado, o que fortalece ainda mais o alvo e negro pessoense, no entanto, o time evita a tese do ‘já ganhou’ e prefere trabalhar sem subestimar o talento e a garra do time do Agreste.

De acordo com o técnico Evaristo Piza, do Botafogo, o time precisa repetir a boa atuação e, acima de tudo, ter cautela diante do campinense. “Estudar bem o adversário para poder sair de campo com mais um resultado positivo e com o título da competição”, avaliou Piza.

O belo busca o tricampeonato e para isso basta que a partida termina empatada. No entanto, caso o Campinense consiga a vitória por um gol de diferença, o título será disputado nos pênaltis.

O Campinense precisa ampliar o resultado se quiser sair com a título de 2019 do Almeidão. Para isso, precisa vencer o belo por dois ou mais gols de diferença.

A partida acontece na tarde deste sábado, às 16h, no Almeidão, em João Pessoa.

 

PB Agora
Foto: PB Esportes