Arquivo da tag: Botafogo

Treze empata, escapa do rebaixamento da Série C e acaba sonho de acesso de Botafogo (PB)

Em uma arrancada impressionante, o Treze escapou do rebaixamento da Série C do Campeonato Brasileiro. Numa rodada emocionante e cheia de expectativas, o Galo só precisou empatar em 2 x 2 com o Bota para fugir da “degola”. É que o ABC venceu o Globo por 2 x 0, e também afundou o time do Rio Grande do Norte.

Foi um jogo eletrizante, com dois pênaltis e muitos gols, pela última rodada da fase de grupos da Terceirona. Com o resultado, o Treze ainda acabou com o sonho de classificação do Botafogo, e consequentemente, de continuar a luta pelo sonhado acesso para a Série B 2020.

Eduardo, de pênalti, depois de desperdiçar uma cobrança minutos antes, abriu o marcador para o Treze aos 14 da etapa inicial. Júlio Pacato fez o segundo do time do bairro de São José. Nando e Clayton marcaram os gols do Botafogo.

As combinações que o Botafogo-PB precisava para passar de fase aconteceram, mas o time da Capital não fez a sua parte. O Bota ficou a um gol da classificação.
O Galo terminou a Série C em oitavo lugar com 19 pontos, enquanto o Belo encerrou a sua participação na competição nacional em sexto lugar com 25 pontos.

Náutico, Sampaio Correia, , Imperatriz e Confiança obtiveram a classificação no Grupo A e seguem firmes no sonho do acesso para a Série B.

Severino Lopes
PB Agora

 

 

Botafogo perde de virada para Sampaio Correia e despenca na tabela da Série C

O Botafogo (PB), voltou a decepcionar a sua torcida, e perdeu a segunda partida seguida na Série C do Brasileiro. O Belo perdeu de virada para o Sampaio Corrêa em pleno estádio O Almeidão. Roney e Rodrigo Andrade marcaram os gols do Sampaio. Neuton fez o gol do Belo.

O jogo começou com o Botafogo melhor e dominando a partida. Aos 16 minutos, Marcos Aurélio cobrou e levantou a bola na área, para a cabeçada certeira de Neuton para o gol. A impressão era que o Belo conquistaria mais uma vitória fácil.

À frente no placar, o Belo passou a dominar as ações do jogo brevemente, mas logo o Sampaio voltou a pressionar, tanto que aos 40 minutos conseguiu furar a defesa do time da casa. Roney aproveitou o bate rebate na área e empurrou a bola pro fundo do gol.

No segundo tempo, o Belo tentou a custo ficar a frente do placar, principalmente nas bolas paradas de Marcos Aurélio. Só que foi o Sampaio que furou as redes. Em uma das boas trocas de passe, aos 20 minutos, Welder encontrou Rodrigo Andrade na área e o camisa 10 fez um lindo gol, de cavadinha na saída do goleiro Saulo. Após a virada, o Belo pressionou, mas não conseguiu chegar ao empate.

O Sampaio chega aos 18 pontos, entra no G-4 e assume a terceira posição do Grupo A. O Botafogo-PB, por sua vez, cai para a quarta posição, com 16 pontos, podendo ser ultrapassado pelo Náutico que ainda joga na segunda-feira contra o Imperatriz.
Na próxima rodada o Botafogo-PB vai até o Recife, onde encara o Santa Cruz, no Estádio do Arruda, no próximo domingo, às 18h. Já o Sampaio Corrêa, recebe o Globo no Castelão, também no próximo domingo, mas às 17h.

PB Agora

 

 

 

Náutico e Botafogo duelam para seguir em cima na tabela

Pela oitava rodada da Série C do Campeonato Brasileiro, penúltima do primeiro turno da competição nacional, o Botafogo-PB vai neste domingo (16) até o Recife, onde enfrenta o Náutico-PE, às 18h, no Estádio dos Aflitos. Para o Belo, um bom resultado fora de casa é de suma importância para a equipe permanecer no G-4 do Grupo A da Terceirona. Em caso de derrota, o time da Maravilha do Contorno será ultrapassado pelo Timbu na tabela da competição.

Com ambas as equipes vindo de vitória na competição, o jogo promete ser muito disputado, ainda mais pelo fato de ambas estarem muito próximas na tabela de classificação, tornando o jogo em uma ‘partida de seis pontos’, visto que o Belo tem 12 pontos e o Timbu 11. Ou seja, em caso de sair vitorioso de campo, o Alvinegro da Estrela Vermelha abre quatro pontos dos pernambucanos.

Retrospecto recente

Desde que voltou ao cenário nacional, em 2013, o Botafogo-PB enfrentou o Náutico em sete oportunidades, conseguindo quatro vitórias, além de ter empatado em uma ocasião. O Náutico venceu em duas oportunidades. Pela Série C, as equipes se enfrentaram ano passado. O Belo venceu no Almeidão em uma goleada por 4 a 0, e o Náutico descontou na Arena Pernambuco, vencendo a partida por 2 a 0.

No palco da partida de hoje, o Belo não tem boas recordações. A última vez em que o Botafogo-PB jogou no Estádio dos Aflitos, o Náutico aplicou a maior goleada do confronto: 8 a 2, pela primeira fase da Copa do Nordeste de 2002. Hoje será o reencontro das equipes na praça esportiva, local onde o Timbu é muito forte, jogando com apoio total de sua torcida.

Equipes se conhecem

As equipes se enfrentaram recentemente pela Semifinal da Copa do Nordeste, em partida única, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Na ocasião, o Botafogo-PB superou a equipe pernambucana por 2 a 1, com gols de Nando e Juninho.

O Belo ainda desperdiçou um pênalti, cobrado pelo lateral-esquerdo Fábio Alves. O gol dos alvirrubros foi marcado em um chute do atacante Tarcísio, o goleiro do Belo defendeu, mas a bola foi entrando e o lateral-esquerdo do Belo, ao tentar espanar a bola, colocou para dentro do próprio gol.

A partida de hoje pode marcar também o retorno do meia Marcos Aurélio ao Botafogo-PB, um dos artilheiros da equipe na temporada. O camisa 10 do Belo estava se recuperando de uma lesão na coxa direita, que foi agravada justamente na partida contra o Timbu na Copa do Nordeste, onde, ao bater um escanteio, que quase resultou em um gol olímpico do Belo, o meia sentiu a lesão e deixou o campo de jogo.

 

portalcorreio

(Foto: Nalva Figueiredo)

 

 

Botafogo joga atrás e perde para Fortaleza no jogo de ida da final

Com uma postura defensiva, o Botafogo-PB não ofereceu perigo ao Fortaleza na noite desta quinta-feira (23), na Arena Castelão, e perdeu o jogo de ida da decisão da Copa do Nordeste 2019 por 1 a 0.

O centroavante Wellington Paulista fez o único do gol do jogo, que garante aos cearenses a vantagem de jogar pelo empate no jogo de volta, marcado para a próxima quarta-feira (29), no estádio Almeidão, em João Pessoa.

Para a grande finalíssima, o técnico Evaristo Piza, do Botafogo-PB, deve contar com o retorno do meia Marcos Aurélio, que cumpriu suspensão automática em Fortaleza.

Maispb 

 

 

Em jogo eletrizante, Botafogo da Paraíba bate o Náutico por 2 x 1 e vai à final da Copa Nordeste

A noite desta quinta-feira (09) foi histórica no estádio Almeidão, em João Pessoa.

O Botafogo-PB bateu o Náutico por 2 a 1, em um grande jogo pela semifinal da Copa do Nordeste, e com o gol da vitória marcado de cabeça pelo baixinho Juninho, aos 44 minutos do segundo tempo.

Pela primeira vez o Belo vai disputar a final do Nordestão, feito que apenas o Campinense, em 2013 e 2016, havia conseguido representando a Paraíba.

Na primeira chegada do Belo, antes de completar um minuto de jogo, Fábio Alves cruzou para Nando, que bateu de direita e a bola explodiu na trave, mas o árbitro Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro marcou falta do atacante do Belo. O lance serviu para levantar a torcida na arquibancada do Almeidão.

Aos 5, mais uma chance. Clayton lançou Nando, que caiu pela esquerda. O goleiro saiu e o camisa 9 achou Clayton, que rolou para Juninho, que chutou da marca do pênalti, mas Camutanga estava em cima da linha para salvar o time pernambucano.

Na volta de Marcos Aurélio ao time titular após ficar afastado por lesão, o Botafogo-PB ficou mais forte na bola parada. E em uma cobrança de falta da entrada da área, aos 12 minutos, o camisa 10 mandou a bola no travessão de Bruno e quase abriu o placar.

Mas a chance mais clara no início da partida foi do Náutico. Aos 14, Marcos Vinicius errou na saída de bola e Lucas Paraíba invadiu a área livre, e tocou por cima de Saulo. Wallace Pernambucano estava sozinho na pequena área, mas furou, e jogou fora a oportunidade do Timbu.

Três minutos mais tarde, Lucas Paraíba cruzou da esquerda e Wallace Pernambucano subiu mais que todo mundo para cabecear como manda o manual, para o chão, mas ele não contava com um milagre operado por Saulo, lembrando Gordon Banks diante de Pelé, para salvar o Botafogo-PB.

O ritmo, que era muito intenso, caiu um pouco depois da metade do primeiro tempo. O jogo ficou mais truncado no meio campo, algumas faltas eram marcadas, e os goleiros pouco trabalhavam.

Mas aos 40 minutos, Israel fez grande jogada pela direita, passando com a bola por entre as pernas de Assis, e tocou para o meio da área, onde Nando bateu de primeira, mas a bola subiu demais e foi para fora.

Perto do apito final, aos 45, Marcos Vinicius recebeu lançamento de Israel na esquerda e cruzou para Nando, que estava na linha da pequena área, sozinho, mas ele tocou mal na bola e acabou desperdiçando a chance do Botafogo-PB ir para o intervalo com a vantagem.

Segundo tempo

Em contra-ataque de muita velocidade, aos 4 minutos, Marcos Aurélio acionou Clayton na esquerda, que passou para Juninho no meio. O camisa 21 abriu para Israel, que avançou pela direita e chutou cruzado da entrada da área, mas Bruno resvalou com a ponta dos dedos e mandou para escanteio. Na cobrança, Marcos Aurélio mandou fechado e quase fez olímpico, mas o arqueiro do Timbu evitou o gol botafoguense.

Aos 10, finalmente saiu o gol no jogaço. Nando invadiu a área pela direita e dividiu com o goleiro alvirrubro. Na sobra, ele mesmo brigou com a zaga, ganhou de Camutanga e tocou de pé esquerdo para balançar as redes e explodir a torcida do Belo no Almeidão.

Mas a comemoração não durou muito tempo. Aos 15, Tarcísio invadiu a área pela esquerda e chutou cruzado de canhota, Saulo fez a defesa parcialmente, a bola percorreu toda linha do gol, antes de entrar, e deixar tudo igual.

Dois minutos depois, Marcos Aurélio cobrou escanteio da esquerda e quase marcou olímpico, e Bruno novamente fez grande defesa para evitar o gol. Na hora da batida, o camisa 10 voltou a sentir a lesão na coxa que o deixou de fora das últimas duas semanas, e foi substituído por Enercino.

E aos 22, Enercino participou pela primeira vez, e de forma decisiva. O camisa 20 recebeu na área e foi atropelado por Rafael Ribeiro. O árbitro assinalou pênalti. Fábio Alves foi para a cobrança e mandou forte no canto esquerdo, mas Bruno foi buscar e evitou o gol do Belo.

O Náutico tentava controlar o jogo e evitar a pressão botafoguense, que buscava fazer uma blitz no seu campo ofensivo após as entradas de Dico e Paulo Renê nas vagas de Marcos Vinicius e Nando. E aos 36, Israel avançou pela direita e cruzou para a área, onde Paulo Renê deu de bicicleta e mandou a bola por cima da meta.

Aos 42, por muito pouco não sai o segundo gol do Botafogo-PB. Dico avançou pela direita até a linha de fundo e cruzou para Paulo Renê, que raspou de cabeça quase na pequena área e a bola passou muito, muito perto do poste direito do alvirrubro pernambucano.

E já perto do fim, aos 44, Clayton cobrou falta na área e o pequenino Juninho, de cabeça, encobriu todo mundo e balançou as redes, para fazer tremer o Almeidão e levar o Belo para a final da Copa do Nordeste.

Ficha técnica

Botafogo-PB 2 x 1 Náutico

Copa do Nordeste de 2019 (semifinal – jogo único)
Estádio: Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN); Jean Márcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)

Cartões amarelos: Fábio Alves, Rogério, Marcos Aurélio, Nando, Enercino (B); Jimenez, Bruno, Luiz Henrique (N)
Gols: Nando (B); Tarcísio (N)

Botafogo-PB: Saulo, Israel, Lula, Donato, Fábio Alves; Rogério, Marcos Vinicius (Dico), Juninho, Clayton, Marcos Aurélio (Enercino); Nando (Paulo Renê). Técnico: Evaristo Piza.

Náutico: Bruno, Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga, Assis (Krobel); Jimenez, Luiz Henrique, Wagninho, Lucas Paraíba (Tarcísio), Odilávio (Rafael Oliveira); Wallace Pernambucano. Técnico: Márcio Goiano.

 

Paraibaonline

Foto: Ascom/Botafogo-PB

 

 

 

Botafogo e Campinense decidem Paraibano 2019; Belo tem a vantagem

João Pessoa e Campina Grande estão mais uma vez na final do Campeonato Paraibano, representadas pelo Botafogo e Campinense. O time da Capital tem a vantagem, já que venceu a Raposa, no Amigão, pelo placar de 1 a 0 no último domingo. Para sair com o título, o Campinense precisa de uma vitória por dois ou mais gols de diferença.

Além de ter vencido a primeira partida, o Belo joga em casa neste sábado, o que fortalece ainda mais o alvo e negro pessoense, no entanto, o time evita a tese do ‘já ganhou’ e prefere trabalhar sem subestimar o talento e a garra do time do Agreste.

De acordo com o técnico Evaristo Piza, do Botafogo, o time precisa repetir a boa atuação e, acima de tudo, ter cautela diante do campinense. “Estudar bem o adversário para poder sair de campo com mais um resultado positivo e com o título da competição”, avaliou Piza.

O belo busca o tricampeonato e para isso basta que a partida termina empatada. No entanto, caso o Campinense consiga a vitória por um gol de diferença, o título será disputado nos pênaltis.

O Campinense precisa ampliar o resultado se quiser sair com a título de 2019 do Almeidão. Para isso, precisa vencer o belo por dois ou mais gols de diferença.

A partida acontece na tarde deste sábado, às 16h, no Almeidão, em João Pessoa.

 

PB Agora
Foto: PB Esportes

 

 

 

Botafogo enfrenta o Globo e pode encaminhar classificação

Em grande fase e muito próximo de garantir sua classificação para as quartas de final da Série C, o Botafogo-PB tem um duelo decisivo neste domingo (5), às 16h, contra o Globo-RN, no estádio Barrettão, em Ceará-Mirim, pela penúltima rodada da primeira fase da competição nacional. O Belo tem 24 pontos, enquanto o time do Rio Grande do Norte tem 20 e precisa do triunfo para seguir vivo na luta pela vaga.

O Botafogo-PB vem numa sequência muito boa. Nos últimos jogos, o time comandado por Evaristo Piza venceu ABC-RN, Santa Cruz-PE e Atlético-AC, além de ter empatado com Confiança-SE e Remo-PA. Além disso, a zaga do time da Capital não é vazada pelos adversários há quatro rodadas.  Por tudo isso, o clima é de muita confiança para o duelo de logo mais.

“Chegamos ao momento decisivo da competição e a gente está crescendo no momento certo. Eu sempre disse que a reta final é que vai dizer o que a gente foi na competição. Espero que a gente possa continuar nesse crescimento nos últimos dois jogos da primeira fase para que a tão sonhada classificação e, posteriormente o acesso, possam vir para o Botafogo esse ano”, falou o zagueiro Gladstone.

Apesar do bom momento, Evaristo Piza terá dois desfalques importantes para a partida. Os meias Clayton e Marcos Aurélio receberam o terceiro cartão amarelo diante do Atlético Acreano e são as baixas. Em compensação, o volante Rafael Jataí e o centroavante Nando retornam após cumprirem suspensão.

Por conta dos desfalques, Piza chegou até a testar o time com três zagueiros, atuando no 3-6-1. No entanto, a tendência é que ele mantenha a equipe no 4-2-3-1, que vem dando certo.

Os escolhidos

Um provável time para encarar o Globo terá: Saulo, Gedeílson, Gladstone, Júnior Lopes e Fábio Alves; Rafael Jataí, Rogério, Juninho, Allan Dias (Hiroshi) e Jobinho (Carlos Renato); Leandro Kivel (Nando).

*Por Allan Hebert, do Jornal Correio.

Botafogo bate Fla e vai decidir o título do Campeonato Carioca

O Botafogo se classificou para a decisão do Campeonato Carioca ao derrotar o Flamengo por 1 a 0, em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Agora, o Alvinegro de General Severiano vai decidir o título estadual com o vencedor do confronto entre Fluminense e Vasco que acontece nesta quinta-feira. O único gol do jogo foi marcado por Luiz Fernando, no primeiro tempo.

O resultado fez justiça ao desempenho do Botafogo que soube superar o adversário, principalmente no primeiro tempo, para buscar a vitória, único resultado que interessava. O Flamengo entrou acomodado e só reagiu no segundo tempo, quando partiu de forma desesperada para buscar o empate que lhe daria a vaga, mas encontrou o Botafogo se defendendo com muita determinação para alcançar o primeiro resultado positivo sobre o rival na atual temporada.

O jogo – A partida começou equilibrada com as duas equipes buscando o ataque. Aos três minutos, Leonardo Valencia arriscou de fora da área e Diego Alves segurou sem problemas. O Botafogo foi o primeiro a criar um momento de perigo. Aos oito minutos, Luiz Fernando desarmou Rhodolfo nas imediações da grande área e chutou com perigo.

Sem muita pressa, o Flamengo tocava a bola, esperando que aparecessem espaços na defesa alvinegra, enquanto o Botafogo, precisando da vitória, assumia uma postura mais agressiva, mas não conseguia criar condições para finalizar com sucesso. Aos 14 minutos, o volante Marcelo arriscou da entrada da área, mas mandou para fora.

Aos 19 minutos, após levantamento na área, o zagueiro Igor Rabello mete a cabeça e obriga Diego Alves a praticar sua primeira grande defesa.

Precoupado com o baixo rendimento ofensivo da sua equipe, o técnico Carpegiani inverteu a posição dos atacantes Vinicius Junior e Lucas Paquetá. Aos 23 minutos, Diego bateu falta, a zaga rebateu mal e Willian Arão aproveitou a sobra para chutar com perigo. Logo depois, o mesmo Arão aparece na área após cobrança de escanteio. O volante rubro-negro cabeceou com muito perigo.

O Flamengo se animou e voltou a ameaçar aos 29 minutos em cabeçada de Réver que Jefferson desviou para escanteio. A partida voltou a ficar equilibrada com as duas equipes se alternando na posse de bola, mas o time dirigido por Alberto Valentim se mostrava um pouco mais objetivo.

Aos 38 minutos, o Botafogo marcou o primeiro gol. Rodrigo Lindoso fez ótimo passe para Marcinho que investiu pela direita e cruzou para Luiz Fernando entrar e tocar para as redes de Diego Alves. Depois do gol, o volante Willian Arão que já vinha sendo vaiado pela torcida do Botafogo, passou a ser vaiado também pela torcida rubro-negra.

O Flamengo voltou modificado para o segundo tempo. O técnico Paulo César Carpegiani tirou os volantes Jonas e William Arão e colocou o volante Cuéllar e o atacante Geuvânio numa tentativa de dar maior poder ofensivo ao time.

E as mudanças tornaram o Flamengo mais agressivo. Aos dez minutos, Vinicius Junior recebeu na esquerda, derivou para o meio e bateu para defesa fácil de Jefferson.

O Botafogo só apareceu na área aos doze minutos em cobrança de falta executada por Renatinho, mas a bola encobriu o travessão defendido por Diego Alves. Um minuto depois, Diego bateu escanteio e Paquetá cabeceou para boa defesa de Jefferson.

O treinador rubro-negro decidiu queimar todas as substuições e colocou o atacante colombiano Marlos na vaga do apagado Lucas Paquetá. Aos 18 minutos, novamente Vinicius Junior assusta Jefferson com um chute perigoso. O Flamengo aumentou a pressão em busca do gol do empate, enquanto o Botafogo não conseguia repetir a boa atuação do primeiro tempo.

Aos 20 minutos, após cruzamento na área, a bola sobra para Vinicius Junior que fura na hora do chute e desperdiça grande oportunidade. A pressão rubro-negra aumentou e o Botafogo não conseguia sair do campo de defesa. O time comandado por Alberto Valentim se limitava a defender a vantagem.

Aos 30 minutos, Everton cruzou da esquerda e Henrique Dourado cabeceou na trave, para desespero da torcida do Flamengo que já contava com o gol.

Depois de mais um susto, o técnico do Botafogo trocou o chileno Leonardo Valencia por Rodrigo Pimpão. E o time de General Severiano criou a primeira grande oportunidade no segundo tempo aos 32 minutos. Após cruzamento na área, Joel Carli desviou, de cabeça, e Luiz Fernando chutou com muito perigo, mas a bola saiu.

O Flamengo respondeu em lance de grande perigo. Diego chutou forte, Jefferson defendeu parcialmente e a bola ficou com Marlos que concluiu, mas a bola desviou na zaga alvinegra e saiu para escanteio.

Preocupado com a pressão adversária, Alberto Valentim trocou o meia Renatinho pelo zagueiro Marcelo Benevenuto.

Aos 38 minutos, novamente Geuvânio, de esquerda, chutou com grande perigo e a bola passou raspando. Aos 43 minutos, Jefferson voltou a salvar o Botafogo, espalmando para escanteio uma cabeçada de Marlos.

Aos 48 minutos, Rhodolfo mandou uma bomba e a bola passou perto da trave esquerda na última chance do Flamengo na partida.

FICHA TÉCNICA 

FLAMENGO 0 X 1 BOTAFOGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 28 de março de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Daniel do Espírito Santo Parro (RJ)

Cartão Amarelo: Jonas, Cuéllar(Fla); Jefferson, Igor Rabello, Brenner(Bota)

Gols: 

FLAMENGO: 

BOTAFOGO: Luiz Fernando, aos 38 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Réver, Rhodolfo e Everton ; Jonas(Cuéllar), Willian Arão(Geuvânio) , Diego, Lucas Paquetá(Marlos) e Vinicius Junior; Henrique Dourado

Técnico: Paulo César Carpegiani

BOTAFOGO: Jefferson, Marcinho, Joel Carli,Igor Rabello e Moisés; Marcelo, Rodrigo Lindoso, Luiz Fernando, Leonardo Valencia(Rodrigo Pimpão) e Renatinho(Marcelo Benevenuto); Brenner(Pachu)

Técnico: Alberto Valentim

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Botafogo derrota o Treze por 2 a 1 e precisa de empate para ir à final

(Foto: Hallan Azevedo)

Depois de travarem uma disputa na Justiça Desportiva, Botafogo-PB e Treze entraram em campo já sabendo que quem passasse pelo confronto iria decidir a grande final com o Campinense. A partida começou um pouco nervosa com os dois times se estudando muito nos minutos iniciais.

A primeira chance do jogo só surgiu aos 10 minutos do 1º tempo, numa jogada trabalhada por Felipe Cordeiro, que cruzou para Dico ajeitar de cabeça para Marcos Aurélio. O jogador do Belo tentou achar o canto direito do goleiro Saulo, mas a bola passou tirando tinta da trave.

Precisando do resultado, o time do Botafogo segue pressionando, mas sem levar perigo ao gol do Galo da Borborema. A equipe de João Pessoa segue dominando a partida, com maior tempo de posse de bola.

Aos 40 minutos, Hiroshi fez valer a velha máxima do futebol, de que ‘quem não faz, leva’. O jogador do Botafogo recebeu um passe do atacante Dico, e após dominar a bola, fez um belo gol de cavadinha. Um minuto antes, o Treze havia desperdiçado a chance de abrir o placar numa jogada de Danilo Itaporanga e Leílson.

O segundo tempo da partida inicia com o Treze pressionando. Em seguida, o time da Capital consegue equilibrar o jogo, mas não resiste ao gol de empate marcado por Leonardo Luiz aos 20 minutos.

Aos 33 minutos, por pouco o Botafogo não toma a virada numa jogada de Talisson, que o goleiro Saulo espalmou.

Quando a partida já se encaminhava para o seu final, o Belo fez o gol que garantiu a vitória diante do Treze. Aos 43 minutos, o meia Allan Dias marcou para o time pessoense.

O jogo da volta acontece no próximo domingo (1º), no estádio Amigão, em Campina Grande.

Portal correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Botafogo perde outra em casa e dá sobrevida ao Atlético-GO

Não foi a noite do Botafogo. Com futebol irreconhecível, o Alvinegro perdeu mais uma vez em casa. Nesta quinta-feira, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, o algoz do Glorioso foi o Atlético-GO, que venceu por 2 a 1 com gols de Jorginho e Luiz Fernando. Ainda houve um terceiro gol, anulado pela arbitragem. João Paulo descontou para o Glorioso.

Veja imagens da derrota do Botafogo, em casa, para o lanterna Atlético-GO
Veja imagens da derrota do Botafogo, em casa, para o lanterna Atlético-GO

Foto: Frame/Premiere / LANCE!

O resultado simboliza o terceiro revés seguido do time comandado por Jair Ventura em casa. Nos dois últimos finais de semana, foram derrotas para Fluminense e Atlético-PR. O Botafogo mantém-se em sexto, com 51 pontos, a quatro do Cruzeiro, o quinto. Já o Dragão ganha uma sobrevida no Brasileirão, pula para 33 pontos e ainda sonha em escapar do rebaixamento, mesmo na lanterna.

Bota começa bem, mas toma sustos 
O Botafogo, como as circunstâncias do jogo pediam, começou buscando mais o ataque, mas foi o Atlético-GO quem ofereceu perigo primeiro, com o gol de Gilvan, impedido, após cobrança de falta batida por Breno Lopes e cometida por Bruno Silva.

O gol, apesar de não valer, acordou o Atlético-GO. A cabeçada para fora de Jorginho foi a melhor chegada. Um pouco antes dela, foi Igor Rabello, para o Botafogo, quem cabeceou para fora. Depois desta oportunidade desperdiçada pelo Rubro-Negro, lentamente, o Botafogo voltou a retomar o protagonismo do jogo. Aos 25, mais uma cabeçada para fora: esta de Carli, em impedimento.

Cinco minutos depois, João Paulo deu um lindo cruzamento para Bruno Silva, o volante levou perigo, mas cabeceou para fora. Três minutos depois, Marcos Vinicius tentou de fora da área e mais uma vez a bola foi para fora. Nem assustou o goleiro Klever.

Neste momento o domínio já tinha voltado a ser total do Botafogo e Arnaldo fez questão de reforçar isso, aos 35, com um bom chute da entrada da área. Este, porém, na direção do gol, que exigiu rebote do goleiro.

O gol do Botafogo parecia maduro neste momento, mas foi o Atlético-GO quem tirou o zero do placar, com Jorginho, em lindo balaço de fora da área e indefensável para Gatito. Apesar do gol, o momento era mesmo do Alvinegro, que empatou de maneira semelhante dois minutos depois, com João Paulo.

O segundo tempo começou com um cenário idêntico: Botafogo ditando o ritmo do jogo, como com Marcos Vinicius aos 2, de fora, e com o Atlético surpreendendo em ocasiões esporádicas. Foi o que aconteceu aos 14. Igor chutou, Gatito espalmou, Breno Lopes pegou o rebote e encontrou Luiz Fernando livre para desempatar: 2 a 1.

Bruno Silva, vaiado, deixa o campo, e dá entender que sairá do time

A torcida da casa, perplexa com a terceira derrota consecutiva em casa, xingou e exigiu mudanças. Foram logo duas: Valencia e Tanque, para as saídas de M. Vinicius e Brenner. Pouco depois, foi a vez do muito vaiado Bruno Silva dar lugar a Rodrigo Pimpão. Na saída do campo, ele fez um gesto típico de quem estará de casa nova em 2018.

O Botafogo não se entregou com tantas adversidades e aos 28 Klever fez ótima defesa após chute de Arnaldo, da pequena área. Dois minutos depois, outra chegada perigosa: Valencia cruzou, mas Tanque não alcançou. Ainda houve tempo de Andrigo, do Dragão, cobrar uma falta e exigir nova grande defesa de Gatito. Não foi a noite do Botafogo.

FICHA TÉCNICA 
BOTAFOGO 1 X 2 ATLÉTICO-GO 
Local: Estádio Nilton Santos (RJ)
Data-Hora: 16/11/2017 – 11h
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Auxiliares: Cleriston Rios (SE) e Fábio Pereira (TO)
Público/renda: 
Cartões amarelos: Luiz Fernando (ACG)
Cartões vermelhos: 
Gols: Jorginho (40’/1ºT) (0-1), João Paulo (42/1ºT) (1-1), Luiz Fernando (14/2ºT) (1-2)

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva (Rodrigo Pimpão, aos 22’/2ºT) João Paulo e Marcos Vinicius (Valencia, aos 16’/2ºT); Guilherme e Brenner(Tanque, aos 16’/2ºT) Téc: Jair Ventura

ATLÉTICO-GO: Klever; Jonathan (Marcão Silva, aos 34’/2ºT) William Alves, Gilvan e Breno Lopes; André Castro, Igor (Ronaldo, aos 23’/2ºT) Andrigo, Jorginho e Luiz Fernando; Diego Rosa. Téc: João Paulo Sanches

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br