Arquivo da tag: Bota

Bota faz dois no Remo e mantém 100% em casa

serie-cCom gols de Val e Rodrigo Silva, o Botafogo-PB manteve 100% de aproveitamento no Almeidão ao derrotar o Remo por 2 a 0, pela décima terceira rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. Agora são seis vitórias em seis jogos.

A partida foi marcada pela superioridade do Belo na partida. Do início ao fim, o time paraibano controlou os paraenses e criou as principais situações ofensivas, especialmente com Val em chutes de longa distância.

O resultado coloca o Botafogo-PB dividindo a liderança do grupo A com o Fortaleza ambos com 22 pontos. Os cearenses jogam amanhã contra o Cuiabá fora de casa.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Heroico, Bota vence o Timão em noite de Helton Leite e ganha fôlego no Z-4

torcidaO Botafogo está vivo no Campeonato Brasileiro. Depois das três derrotas seguidas que o levaram à lanterna, o Alvinegro venceu o Corinthians por 1 a 0 na noite deste sábado, na Arena da Amazônia, em Manaus, com uma atuação heroica e valiosa. Com um a menos desde os 26 minutos do segundo tempo, quando Bolatti foi expulso em decisão rigorosa do árbitro André Luiz de Freitas Castro, os cariocas resistiram ao Timão, que pressionou muito e esbarrou num inspirado Helton Leite. Wallyson, de pênalti, fez o gol do triunfo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Corinthians, que buscava vencer três jogos seguidos pela primeira vez no Brasileirão,  sentiu falta de seis de seus principais nomes – Renato Augusto e Ralf, poupados, e Gil, Elias, Lodeiro e Guerrero, todos a serviço de suas seleções. O técnico Mano Menezes e os jogadores em campo reclamaram muito do pênalti a favor dos cariocas, bem marcado por Freitas Castro, e do acréscimo de cinco minutos na etapa final.

Com o resultado, o Alvinegro chegou a 29 pontos e deixou a lanterna, alcançando a 17ª colocação – no entanto, pode ser ultrapassado por Vitória e Criciúma, que neste domingo enfrentam Sport e Santos, respectivamente. Com 46 pontos, o Corinthians pode perder a quinta colocação para o Atlético-MG, que tem dois a menos e encara o São Paulo.

gol do Botafogo x Corinthians (Foto: Reprodução)Jogadores comemoram o gol de Wallyson, que garantiu a vitória do Botafogo (Foto: Reprodução)

Na próxima rodada, o Botafogo recebe o Sport no domingo, às 18h30, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. No mesmo dia, mas às 16h, o Corinthians, novamente visitante, vai a Porto Alegre enfrentar o Internacional, no Beira-Rio. Antes, no entanto, as duas equipes jogam pela Copa do Brasil. Na quarta-feira, os paulistas enfrentam o Atlético-MG no Mineirão, às 22h. No dia seguinte, o Alvinegro encara o Santos no Pacaembu, às 21h30.

Em tempo equilibrado, Bota aproveita pênalti

O Corinthians começou senhor das ações na Arena da Amazônia, chegando a 70% de posse de bola com 10 minutos. Aos dois, aliás, já havia levado muito perigo em chute de Bruno Henrique. A bola parou no travessão de Helton Leite, que fez golpe de vista esquisito. O Botafogo saía para o ataque com o volante Gabriel, tinha em Rodrigo Souto um pilar defensivo e apostava nas arrancadas de Yuri Mamute, que sempre levava dois ou três marcadores, mas era improdutivo.

Os cariocas aproveitaram melhor o momento em que eram superiores. Gabriel tentou cruzamento para a área, e a bola parou na mão de Fábio Santos, que abriu o braço deliberadamente no lance. Pênalti bem marcado por Freitas Castro. Wallyson bateu bem: bola num lado, Cássio no outro. Depois do gol, o jogo perdeu em emoção, porém tornou-se intenso e tenso. Não faltaram discussões, desentendimentos e reclamações contra a arbitragem na etapa inicial.

Segundo tempo heróico

Na etapa final, Mano Menezes resolveu adiantar o Corinthians e trocou o volante Guilherme Andrade pelo atacante Malcom. Conseguiu novamente o domínio da posse de bola, mas o time pouco finalizava. Enquanto isso, o garoto botafoguense Murilo quase surpreendeu Cássio num contra-ataque ao chutar cruzado. Com Jadson no lugar de Fagner, o Timão ampliou seu domínio territorial a partir dos 26, quando Bolatti foi expulso ao fazer sua segunda falta no jogo – o cartão vermelho veio com o segundo amarelo, numa decisão rigorosa do árbitro. Aí começou a pressão corinthiana. E a grande atuação de Helton Leite.

Malcom exigiu defesaça do camisa 12 alvinegro aos 30. Dez minutos depois, o goleiro apareceu para impedir o gol de Gustavo Tocantins, que apareceu livre em sua frente. Após muito tempo encurralado, o Botafogo teve excelente chance aos 42. Murilo recebeu na área, driblou Felipe e parou em ótima intervenção de Cássio. Helton Leite ainda teve tempo de brilhar novamente aos 46, evitando gol em cabeçada de Tocantins, na pequena área, e garantindo uma vitória que faz time e torcida respirarem à espera de dias melhores na briga contra o rebaixamento.

 

Globoesporte.com

Bota liga alerta após derrota diante do Bahia para evitar crise com torcida

bota-x-bahiaA derrota diante do Bahia por 1 a 0 no último domingo ligou o alerta no Botafogo. Afinal, o resultado fez com que o time caísse para a penúltima posição da tabela. Apesar de o técnico Vagner Mancini afirmar que o time tem evoluído, o treinador sabe que o torcedor alvinegro não irá dar descanso para o grupo e que a situação é bastante delicada.

As péssimas campanhas nos Campeonato Carioca e na Copa Libertadores fizeram com que o torcedor chegasse ao limite. E se antes já não havia paciência com o elenco, o início do time no Campeonato Brasileiro não está ajudando.

“São grandes equipes brigando pelo título e temos que continuar trabalhando. Tivemos boas chances para marcar, mas não concluímos. Agora é continuar tentando, com muito trabalho e mais dedicação, assim sairemos dessa”, analisou Jorge Wagner.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O torcedor tem se mostrado irritado com alguns nomes. Entre eles o do volante Renato, que não terá o contrato renovado, e sairá em junho. A vinda de Jorge Wagner também não agradou a grande maioria.

Carente de um grande nome, desde a saída de Seedorf, a chegada de Emerson Sheik trouxe um pouco mais de calma para o torcedor. A contratação relâmpago de Carlos Alberto pegou os alvinegros de surpresa, mas o rápido entrosamento com o grupo deve fazer com que a torcida tenha um pouco de paciência.

“Tive a oportunidade de jogar com o Carlos Alberto no São Paulo, é um grande jogador que com certeza vai nos ajudar. Ele vai encontrar um grupo que está disposto a trabalhar para sair dessa situação. Pela qualidade, pelo histórico e pelo futebol que ele tem, vai nos ajudar”, afirmou Jorge.

O próximo desafio do Botafogo é diante do Criciúma, neste sábado, às 21h, no Maracanã. Vice-lanterna da competição, o Alvinegro busca a sua primeira vitória no torneio. A partida é válida pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Uol

Central do Mercado: Bota anuncia Jorge Wagner, e Autuori é do Galo

jorgewagner-vitorsilva-sspress3_15A sexta-feira que antecede a semana natalina foi movimentada. O Botafogo anunciou e apresentou seu primeiro reforço para 2014: o meia Jorge Wagner, ex-São Paulo. O Atlético-MG, mesmo ainda baqueado pela eliminação na semifinal do Mundial, agiu rápido e anunciou o substituto para o treinador Cuca, que deixará o clube após o final da temporada. Trata-se de Paulo Autuori.

O Galo, aliás, começa a busca por reforços. O lateral-esquerdo Carlinhos, do Fluminense, é um de seus alvos. Outro é o atacante Rildo, também pretendido pelo Santos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ainda no ataque, o goleador Bruno Rangel, destaque da Chapecoense em 2013, diz ter sido sondado por Corinthians e Santos, mas até então só recebeu propostas do Catar e do Remo.

beckham bolivar camisa (Foto: Site Oficial Bolivar)Beckham no Bolívae? (Foto: Site Oficial Bolivar)

Talvez a notícia mais curiosa desta sexta foi a do interesse do Bolívar, adversário do Flamengo no Grupo 7 da próxima Libertadores, em David Beckham. O inglês, de 38 anos, pendurou as chuteiras em maio, com a camisa do PSG. A ideia é tê-lo em pelo menos um jogo.

Sem acordo com o Grêmio, o goleiro Dida, de 40 anos, teve seu nome ligado ao Vasco, mas pode acabar defendendo o arquirrival do Tricolor gaúcho.O Internacional estuda contratá-lo.

O Grêmio, aliás, anunciou a contratação do zagueiroPedro Geromel do Mallorca. O brasileiro deixou o país aos 18 anos, quando defendia o Palmeiras.

O Tricolor Baiano foi quem mais se mexeu dentre os 20 clubes da Série A. Confirmou as chegadas do lateral-direito Rafael Galhardo, ex-Santos e Fla, e do meia Branquinho, ex-Atlético-PR.

O Palmeiras se movimenta em direção ao ataque. Tenta a permanência de Leandro e, segundo a imprensa peruana, busca Raul Ruidíaz, do Coritiba.

O Flamengo, parado em relação a reforços para 2014, anunciou que não fará altos investimentos para tornar o time mais forte para a disputa da Libertadores. Além disso, prometeu não facilitar a saída de Luiz Antonio, agora em litígio com o clube.

globoesporte

Bota faz dois gols em seis minutos, mas Vasco reage e empata jogão

vasco-x-botaComo reage um time que precisa desesperadamente da vitória na briga para não cair, e, logo de cara, sofre dois gols em seis minutos com duas falhas do goleiro? Como reage o outro time, que ganha dois presentes inesperados e, na briga para recuperar a vice-liderança do Brasileirão, ainda tem de administrar uma outra competição paralela – a Copa do Brasil -, onde terá pela frente, numa rodada de mata-mata no meio da semana, um dos maiores rivais? O Botafogo começou na frente e parecia soberano na partida. A vantagem acabou lhe fazendo mal. Os gols de Dankler e Lodeiro deram tranquilidade demais. No segundo tempo, os cruz-maltinos entraram com sangue nos olhos e um Juninho descansado e decisivo. Ele foi o garçom para os gols da reação, marcados por Jomar e Pedro Ken. O empate por 2 a 2, que por pouco não foi uma virada, pois o goleiro Jefferson salvou cobrança de falta do Reizinho aos 48 minutos, mostrou que o futebol sempre é capaz de proporcionar jogos emocionantes e surpreendentes como o deste domingo, no Maracanã.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Pena que, para um clássico, o público de 15.152 presentes e 9.795 pagantes para uma renda de R$ 518.430,00 tenha sido, de certa forma, decepcionante. O Vasco, com uma semana conturbada, em que torcedores invadiram São Januário para cobrar melhores resultados do time, chegou aos 33 pontos ganhos e trocou de posição com o Criciúma na tabela – não saiu da zona de rebaixamento, mas agora está em 17º lugar.

O Botafogo, com 50 pontos, se manteve na quarta posição. Na 31ª rodada, receberá o Atlético-MG, no próximo sábado, no Maracanã, depois da partida contra o Flamengo, pelas quartas da Copa do Brasil. O Vasco irá no domingo ao Moisés Lucarelli encarar a Ponte Preta, em Campinas, num jogo em que ambos brigam por melhores posição para sair da zona de rebaixamento.

Vantagem fácil

Logo no primeiro minuto de jogo o torcedor vascaíno recebeu uma ducha gelada. O do Botafogo só viu aumentar a confiança. Num escanteio pela direita, o goleiro Diogo Silva saiu. Em vez de dar um soco com força na bola, deu um tapinha para trás. Dankler dominou e bateu para o fundo da rede. Mas o pior ainda estava por vir. Quando o Vasco tentava se recompor, num contra-ataque alvinegro em que a defesa cruz-maltina mostrava já os seus buracos, Lodeiro dominou e arriscou de fora da área. Diogo Silva, mais nervoso do que nunca, bateu roupa. O mesmo Lodeiro ainda chegou na frente da zaga adversária para concluir com êxito a jogada: com 2 a 0 em seis minutos, a torcida alvinegra era só alegria no Maracanã. A do Vasco não escondia a decepção.

Nunca foi tão fácil para o Botafogo. Tudo indicava para uma goleada. Mesmo sem Seedorf, tinha o meio-campo na mão. Lucas Zen e Gegê mordiam para Lodeiro e Otávio poderem chegar ao ataque e se juntarem a Hyuri e Sassá. Para o Vasco, começava a missão quase impossível de mudar o quadro. Marlone bem que se esforçava. Montoya tentava resolver pelo lado esquerdo. Pedro Ken subia pouco. Willie ficava perdido na frente. E a zaga, com Jomar e Cris muito tensos, tentava resistir. O Botafogo ficou mais perto do terceiro quando Sassá mandou de cabeça para o goleiro cruz-maltino fazer a defesa, sem rebote.

Mas o Vasco chegou a encaixar um pouco o jogo na metade do primeiro tempo. Cris teve duas chances de diminuir – na primeira, o goleiro Jefferson fez grande defesa na cabeçada do zagueiro. Mas o time deixava muitos buracos, que o Alvinegro tentava aproveitar. Principalmente o lateral Edílson, que se aproveitava da fraca marcação de Yotún e subia com desenvoltura para seus cruzamentos sempre perigosos.  E foi assim, até o fim da primeira etapa, que os alvinegros administraram a vantagem. Mas o terceiro gol não saiu. E fez falta.

Juninho e a reação vascaína

Dorival Junior trocou Fillipe Souto e Montoya por Juninho e Thales. O Reizinho, poupado no primeiro tempo, era a referência da qual o time precisava. E a torcida cruz-maltina empurrou, acreditando na reação. O veterano demorou oito minutos para devolver a equipe ao jogo. Numa cobrança de escanteio, mandou a bola na cabeça de Jomar, que subiu para cumprimentar Jefferson: gol do Vasco, primeiro do zagueiro no clube.

O clima no Maracanã mudou completamente. Otávio, calmo no primeiro tempo, já dava sinais de nervosismo. Oswaldo não pensou duas vezes e o sacou. Entrou Renato, para dar mais experiência. O time até deu uma equilibrada no jogo e teve mais duas chances, num chute de Gegê que Diogo Silva mandou para escanteio. Na cobrança, Hyuri chegou um segundo atrasado para escorar.

Mas o segundo tempo era do Vasco.. E de Juninho.  O camisa 8 fez o time recuperar a confiança. Àquela altura, todos cresceram na partida. E numa bela jogada, aos 22, mandou na medida para Pedro Ken entrar destemido e empatar, sem chance para Jefferson.

A partida ficou emocionante. Com Thales como referência na área, o Vasco encaixava melhor na frente e se organizava melhor atrás – Sandro Silva aparecia com um bom cão de guarda. O atacante obrigou Jefferson a boa defesa. E se o time tinha Juninho no comando, o Botafogo contava com Renato equilibrando do outro lado, com lindas jogadas, como a que fez embaixadinha com a cabeça e só não completou chapéu em Pedro Ken porque sofreu falta. E o goleiro Diogo Silva procurava se redimir com boas defesas, como nas do chute de Gegê e de Daniel, que entrou no fim no lugar de Hyuri. A partida ficou indefinida até os 48, quando numa cobrança de falta Juninho quase virou. Jefferson voou para salvar o ponto, e o árbitro ergueu o braço e pôs fim à tensão alvinegra. O espetáculo valeu, e muito.

 

 

Globoesporte.com

Estou voltando para casa: após três anos, Fla e Bota retornam ao Maraca

Chega de saudade. De espera. De só ficar na vontade de ver o time do coração no Maracanã. Foram mais de mil dias sem o estádio. Semanas, meses, anos. O velho Maraca não existe mais, está completamente remodelado e moderno, mas torcedores de Flamengo e Botafogo terão um domingo das antigas. O dia 28 de julho ficará marcado pelo retorno do clássico ao seu principal palco. As equipes se enfrentam às 18h30m (de Brasília), pela nona rodada do Brasileirão. A última vez que isso ocorreu foi em 14 de julho de 2010, também pelo nacional. O Rubro-Negro venceu por 1 a 0, gol de Paulo Sérgio.

Dos atuais jogadores do Flamengo, só Léo Moura participou daquela partida. O Flamengo atual, de Mano Menezes, é cheio de caras novas e tenta criar uma identidade. O desempenho contra o Inter, domingo passado, agradou apesar da derrota em Caxias do Sul. A impressão foi melhor que o resultado, já que o time conseguiu fazer uma partida equilibrada diante do atual líder. A situação na tabela é que é incômoda. Com nove pontos, o Flamengo está apenas na 15ª posição.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Confiante com a boa campanha na temporada, o Botafogo entra em campo com um histórico de apenas quatro derrotas no ano, o título do Carioca, a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil e a segunda colocação no Campeonato Brasileiro. O tabu de 13 anos sem vencer o rival no Brasileiro não incomoda, e o time vem consolidando a sua escalação, mesmo depois das saídas de jogadores importantes como Fellype Gabriel e Andrezinho.

O PremiereFC 1 e o PremiereFC HD exibem o jogo, que será acompanhado pelo GLOBOESPORTE.COM em Tempo Real e com vídeos exclusivos.
header as escalações 2

Flamengo: Mano Menezes só vai divulgar a equipe 45 minutos antes do início do clássico. A única dúvida é o meia-atacante Gabriel. Recuperado de uma lesão na coxa direita, ele está relacionado, mas o treinador não disse se ele começa entre os titulares ou fica no banco. Caso não inicie, Bruninho é um dos cotados. O volante Victor Cáceres ainda se recupera de um problema muscular na coxa direita e está fora. Diego Silva continua no time. A formação provável: Felipe, Léo Moura, Wallace, González e João Paulo; Diego Silva, Elias, Gabriel, Carlos Eduardo e Paulinho; Marcelo Moreno.

Botafogo: o técnico Oswaldo de Oliveira tem conseguido manter uma sequência em sua escalação. No clássico, ele vai com a mesma formação da derrota para o Figueirense, pela Copa do Brasil, quarta-feira, quando conseguiu a classificação para as oitavas de final nas cobranças de pênaltis. O time entra em campo com Jefferson, Gilberto, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Lodeiro, Seedorf e Vitinho; Rafael Marques.
quem esta fora (Foto: arte esporte)

Flamengo: o volante Cáceres, se recuperando de um problema na coxa direita, e André Santos, fora de forma e ainda sem previsão de estreia.

Botafogo: o lateral-direito Lucas, que fraturou o tornozelo esquerdo na derrota para o Grêmio, e o meia Cidinho, submetido a uma cirurgia no joelho direito em maio. Octávio também não está à disposição depois de uma cirurgia no punho direito. Bruno precisou retirar uma verruga da sola do pé esquerdo e está fora.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Flamengo: Léo Moura, Luiz Antonio e Víctor Cáceres.

Botafogo: Lucas, Renan e Vitinho.

 

header o árbitro (Foto: ArteEsporte)

Péricles Bassols Cortez (RJ) apita a partida, auxiliado por Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ). O árbitro trabalhou em três jogos desta edição do Brasileiro: Grêmio 1 x 1 São Paulo, Bahia 0 x 2 Corinthians e Goiás 2 x 1 Portuguesa. Ele tem média de 5,3 cartões amarelos aplicados e puxou o cartão vermelho apenas uma vez. Ainda não marcou pênaltis e tem média de 40,6 faltas assinaladas por confronto. O campeonato tem média de 4,2 cartões amarelos e 0,2 cartões vermelhos. São 33,5 faltas em média por partida e 0,2 pênalti por confronto.

 

header_estatisticas (Foto: arte esporte)

Flamengo:  o Rubro-Negro defende uma invencibilidade de 20 jogos contra o Botafogo em confrontos do Campeonato Brasileiro. A última derrota aconteceu em 2000. Apesar de ser o segundo time que mais finaliza (133) – perdendo apenas para o São Paulo, que tem dois jogos a mais – o Flamengo é um dos piores ataques da competição, com apenas oito gols marcados. Em média, a equipe faz um gol a cada 17 finalizações. Além disso, está apenas em sétimo entre os que mais criam chances de gol, revelando que a equipe demonstra ansiedade para chutar à meta adversária.

Botafogo: o Glorioso é o segundo entre os que menos roubam bolas na competição (88). Além disso, é o sexto que mais comete faltas e precisa se resguardar nas chances criadas em bola parada pelo adversário. Com 64 gols marcados no ano, o Botafogo tem nos seus meias o segredo para chegar à meta adversária: Seedorf e Lodeiro são os artilheiros da equipe, com dez gols cada. A equipe está em terceiro lugar somando as defesas difíceis de Renan e Jefferson, mostrando que a defesa dá espaços e obriga o goleiro a trabalhar bastante na partida.

 

header_na_historia (Foto: arte esporte)

Na arrancada final rumo ao título brasileiro de 2009, o Flamengo enfrentou o Botafogo no Engenhão, pela 31ª rodada, e venceu por 1 a 0, gol do atacante Adriano, o Imperador. Naquele momento o time comandado por Andrade era o quinto colocado, mas conseguiu uma sequência impressionante nos jogos finais. Entre os destaques do Rubro-Negro, o lateral Léo Moura, o meia Petkovic e o atacante Zé Roberto, ex-Botafogo. O Alvinegro, comandando por Estevam Soares, tinha Jefferson como goleiro, além do zagueiro Juninho e o meia Lucio Flavio.

 

Globoesporte.com

Bota vence Treze por 1 a 0 no Almeidão e deixa lanterna do Paraibano

Reprodução/Internet
Reprodução/Internet

O Botafogo ganhou por 1 a 0, neste domingo (14), do Treze, em partida disputada no Almeidão, João Pessoa. O único gol do jogo foi marcado aos 28 minutos do primeiro tempo, através de Éverton.

Antes disso o Botafogo já havia feito um gol ilegal que foi anulado pela arbitragem por conta de um impedimento.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Aos 37 minutos da etapa inicial, o artilheiro Tiago Chulapa chegou a marcar o tento de empate, mas o gol foi anulado pelo bandeirinha, que alegou impedimento. O Treze seguia atacando. Aos 40, ainda do primeiro tempo, o time de Campina reclamou do lance em que Chulapa foi derrubado na área, mas o juiz mandou seguir.

No segundo tempo, o Botafogo manteve a superioridade, mas abusou do direito de perder gol e quase cedeu ao empate. Os dois times tiveram boas chances para marcar e o Treze chegou a meter uma bola na trave.

O Treze continuou com maior posse de bola e também teve chances de chegar ao gol. Aos 35 minutos, novamente Tiago Chulapa reclamou de pênalti. Aos 43, depois de uma bela jogada de Chulapa, o lateral-direito David Modesto, que estreou pelo Alvinegro, chutou forte de fora da área. A bola esbarrou no travessão do gol botafoguense.

Com a vitória, o Botafogo vai a 7 pontos. Já o Treze divide a última colocação com o Nacional de Patos com 6 pontos, mas deixa a lanterna para o time sertanejo por conta do saldo de gol.

Os dois times voltam a campo no meio de semana ainda em João Pessoa. O Treze volta a Capital na quarta para enfrentar o Auto Esporte no Estádio da Graça e o Botafogo recebe o CSP no Almeidão na quinta-feira.

 

 

Hermes de Luna, Portalcorreio

Bota vence Madureira em jogo com pênalti anulado e expulsão de Seedorf

Imagem reprodução TV Globo
Imagem reprodução TV Globo

O campeão do primeiro turno segue forte na segunda metade do Campeonato Carioca. O Botafogo alcançou sua quarta vitória consecutiva ao bater o Madureira por 2 a 1, na tarde deste domingo, no estádio Moça Bonita, em Bangu. O jogo foi marcado por lances inusitados; primeiro a anotação de um pênalti a favor do time alvinegro e a mudança de ideia – 1m38s depois – do árbitro Philip Georg Bennett; depois uma controversa expulsão de Seedorf.

O holandês foi o dono do jogo. Assinou o segundo gol do Botafogo e deu o passe para Dória marcar o primeiro. Mas foi expulso no fim da partida, ao receber dois amarelos seguidos por tentar sair de campo, para ser substituído, no lado contrário do indicado pelo juiz. No entanto, o zagueiro André Bahia – que num primeiro momento seria o jogador a entrar no lugar de Seedorf – já estava em campo. E Cidinho estava fora, após sair na maca.

– Não vou falar nada, não entendi nada – disse Seedorf, que estava à beira do campo.

– Foi confuso, não sou de reclamar de arbitragem, não. Mas depois de cinco minutos voltar atrás (no pênalti)… E depois teve a expulsão. Era o Cidinho que deveria sair. Perdemos um jogador. Com certeza ele viu que errou – reclamou o goleiro Jefferson.

Jean fez o gol do Madureira, time que vinha incomodando os grandes no Carioca – empatara com Flamengo e Fluminense. Com o resultado, o time de Oswaldo de Oliveira se consolidou na liderança do Grupo A da Taça Rio, com seis pontos. A equipe treinada por Alexandre Gama está zerada no returno.

O Botafogo volta a campo na quinta-feira, às 19h30m, no Engenhão, contra o Friburguense. Um dia antes, o Madureira recebe o Volta Redonda.

O pênalti que foi, mas deixou de ser

Pouco aconteceu até os 30 minutos de jogo, como se os personagens em campo tivessem decidido concentrar tudo para o terço final do primeiro tempo. Era uma partida até um pouco chata. Sem graça. E aí tudo mudou: pênalti marcado e depois anulado, chances para os dois lados, gols perdidos. E gol feito.

Foi pênalti. Aos 31 minutos, Seedorf acionou Rafael Marques, que foi derrubado por Fernando. Sem discussão. Tanto que o holandês se preparou para bater, o goleiro Márcio se posicionou para tentar defender, os demais atletas ficaram alertas para o rebote. Era o cenário normal para uma cobrança de penalidade. Até o árbitro, 1m38s depois, anular tudo. Ele voltou atrás em sua decisão e assinalou impedimento na origem do lance, quando Seedorf recebe a bola – de fato, ele estava em posição irregular, mas o assistente nada marcou.

Os jogadores do Botafogo, claro, não gostaram nada. Mas o jogo seguiu. E o Madureira quase deu o troco. Derley recebeu em profundidade, deixou Bolívar no chão, encarou Jefferson e pediu pênalti. A arbitragem, porém, viu falta do atacante sobre o zagueiro. O placar, assim, seguiu zerado até os 42 minutos, quando Seedorf bateu falta da esquerda na cabeça de Dória. O desvio foi fatal: 1 a 0. O Botafogo ainda perderia chance clara com Lucas, que recebeu passe precioso do holandês. Na sequência do lance, Rafael Marques cabeceou, e o goleiro Márcio espalmou.

Gol e vermelho para Seedorf

O início do segundo tempo deu a falsa impressão de que o jogo estava sob controle para o Botafogo. A equipe de Oswaldo voltou bem, trocando passes, tramando jogadas. Seedorf, com cinco minutos, quase ampliou – o goleiro Márcio voou até seu ângulo direito para evitar o gol do holandês. Mas aí veio a surpresa. Em saída rápida, o Madureira empatou com Jean. O ex-atacante de Flamengo, Fluminense e Vasco se deu bem após desvio de Bolívar, driblou Jefferson e empurrou para o gol.

Mas a igualdade durou pouco. Boa jogada de Lucas deu a Rafael Marques a chance de marcar. Márcio impediu, e Seedorf premiou sua boa atuação com o gol. Bateu de primeira, deslocando a marcação. A vantagem, desta vez, foi definitiva. Por mais que o Madureira tenha tentado mudar o panorama, o Botafogo manteve a vitória, consolidou a liderança e mostrou que segue firme e forte no campeonato. Mas perdeu Seedorf. Quando o jogo se aproximava do fim, o holandês quis sair de campo por um lado ao ser substituído, mas o árbitro não aceitou e deu amarelo. O camisa 10 insistiu e acabou expulso.

 

 

Globoesporte.com

Classificado, Bota faz promoção para jogo contra o lanterna do Paraibano

 estadioJá classificado para a fase final do Campeonato Paraibano e nas vésperas de enfrentar o Cruzeiro-PB, um rival que está na lanterna da competição e virtualmente rebaixado para voltar à 2ª divisão, a diretoria do Botafogo-PB resolveu dar um ânimo extra para que o seu torcedor vá ao jogo e definiu em R$ 10 o preço único para o ingresso.

A partida acontece na noite desta quarta-feira, no Estádio da Graça, em João Pessoa, e é válido pela abertura da 12ª rodada do Campeonato Paraibano. O preço definido pelo clube é o menor do Belo neste campeonato.

O Botafogo tem 27 pontos conquistados e se classificou para a fase final nesta segunda-feira, sem nem mesmo entrar em campo. O Alvinegro foi beneficiado pela vitória de seu arquirrival, o Auto Esporte, em cima do CSP, por 2 a 1.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Desta forma o CSP ficou estacionado nos 15 pontos e com nove ainda a serem disputados não pode mais ultrapassar o Belo, que assim se garante ao menos em segundo lugar (que também tem vaga na fase final).

Já o Cruzeiro tem exatos 20 pontos a menos do que o adversário desta quarta e está empatado em número de pontos com o Paraíba. Ocupa a lanterna da competição por causa do saldo de gols (-12 contra -10 do time cajazeirense) e está agora cinco pontos atrás do Auto Esporte, o primeiro fora da zona de rebaixamento.

GloboESporte.com

Garotos dão graça ao clássico, e Fla e Bota se despedem com empate

O clássico que pouco valia acabou sendo uma surpresa. Quatro gols, garotos da base em ação, Seedorf, Vagner Love… Pode-se dizer que Flamengo e Botafogo despediram-se de forma digna do Campeonato Brasileiro. Neste sábado, no Engenhão, os times empataram em 2 a 2, pela 38ª rodada, num clássico marcado por muita luta e empenho. As equipes terminam a competição sem motivos para comemorar, principalmente o Rubro-Negro, sem conquistar objetivos importantes, mas pelo menos se esforçaram para honrar a tradição dos clubes no último compromisso da temporada.

Quem foi ao estádio conheceu Sassá, de 18 anos, que marcou o primeiro gol da partida. Viu também Nixon, de 20, fazer o primeiro dele como profissional rubro-negro. Vítor Júnior e Vagner Love completaram o placar. Com o resultado, o Flamengo termina o campeonato com 50 pontos e ocupa 11ª posição. O Alvinegro tem 55, em sexto, mas pode acabar o campeonato até em oitavo. A renda da partida foi de R$ 92.605, para um público pagante de 6.674 pessoas (9.380 presentes).

– Sempre no lugar certo, na hora certa para botar a bola para dentro. A emoção é muito grande, só tenho mesmo que agradecer a Deus – disse o garoto alvinegro Sassá.

Nixon, que fez um gol de meia-bicicleta, teve discurso parecido com o do rival.

– Primeiramente, eu quero agradecer a Deus. A emoção não tem como explicar. Me emocionei muito, sempre busquei isso. Agradecer também a toda a minha família e a meus amigos – declarou o rubro-negro.

Considerando apenas jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro, o Botafogo não vence o Flamengo há 12 anos. Agora, são 20 jogos, sendo oito derrotas e 12 empates. A última vitória alvinegra pelo nacional ocorreu em 2000, por 3 a 1.

As equipes voltam a jogar em 2013. O Flamengo, que se reapresenta em 3 de janeiro, tem estreia na Taça Guanabara prevista para o dia 19, um sábado, contra o Quissamã, às 17h, no Engenhão. No dia seguinte, no mesmo local, o Botafogo recebe o Duque de Caxias, às 19h30m. O data do início da pré-temporada do Bota ainda não foi divulgada.

São só garotos…

O sorriso de moleque demorou só quatro minutos para brotar no rosto de Sassá. Primeiro jogo como titular do time principal do Botafogo. Primeiro clássico. Primeiro gol. Esquecido pelos zagueiros do Flamengo quase dentro da pequena área, o atacante de 18 anos recebeu passe de Seedorf após jogada de Fellype Gabriel e completou de primeira, de pé direito, para o gol de Paulo Victor. Fácil, fácil. Na comemoração, o camisa 26 ajoelhou-se e logo foi encoberto pelos companheiros. Beijo no escudo, abraço apertado no técnico Oswaldo de Oliveira e muita alegria.

Sasa gol Botafogo x Flamengo (Foto: Satiro Sodré / Ag. Estado)Sassá comemora o primeiro gol do Botafogo no clássico (Foto: Satiro Sodré / Ag. Estado)

Pronto. O clássico que não valia nada ganhava um atrativo: a participação dos garotos.
Liderado por Seedorf, que tem o dobro da idade de Sassá, o Botafogo tinha sete reservas e era melhor em campo. No Flamengo, Dorival Júnior decidiu dar chance aos garotos no último compromisso do ano. Lançou Mattheus, Adryan e Nixon como titulares. Demorou um pouco, mas eles começaram a se soltar. Mattheus, único armador do time, perdeu chance incrível de empatar quase na pequena área, aos nove.

Mais forte, o Rubro-Negro passou a buscar o empate com ímpeto. No Bota, Oswaldo teve de fazer uma mudança. Gabriel, machucado, deu lugar a Renato. Enquanto o Flamengo tentava jogar com velocidade, os alvinegros usavam as faltas para travar o jogo, mas não conseguiram segurar por muito tempo. Aos 32, outro garoto apareceu. Wellington Silva cruzou para a área, e Nixon acertou uma bonita meia-bicicleta: 1 a 1. A comemoração foi muito parecida com a de Sassá. Ajoelhado com os dedos para o céu, foi cercado pelo companheiros para celebrar o primeiro gol dele como profissional.

O empate trouxe confiança ao time de Dorival, que ainda chegou com Wellington Silva e Mattheus em chutes fracos que se perderam pela linha de fundo. Para o Botafogo, o primeiro tempo terminou com uma preocupação. Seedorf foi para o vestiário sentindo um incômodo na parte de trás da coxa direita.

O holandês voltou para o segundo tempo, mas ficou em campo só por um minuto. Logo deu lugar a Vítor Júnior e foi muito aplaudido na saída de campo. Foram necessários só dois minutos para que o substituto do camisa 10 aparecesse. Aos três, Lima fez ótima jogada pela lateral esquerda, cruzou rasteiro para a área, e Vitor apareceu com muita velocidade para fazer 2 a 1 para o Botafogo.

Nixon gol Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla imagem)Outro jovem de joelhos: Nixon celebra gol pelo Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Fla imagem)

A reação rubro-negra foi rápida, e o empate saiu aos dez minutos. Em novo cruzamento da direita, Wellington Silva achou Vagner Love. O Artilheiro do Amor conseguiu se antecipar e tocou de primeira, de esquerda, para surpreender o marcador e o goleiro Renan: 2 a 2. Logo após o gol, o técnico Dorival Júnior tirou Adryan, que não fazia boa partida, e lançou Wellington Bruno. O Flamengo deixava o esquema com três atacantes para jogar no 4-4-2.

O quase parecia perseguir Mattheus. Depois de uma chance clara no primeiro tempo, o meia ficou novamente com o grito de gol preso na garganta, desta vez em cabeçada que passou muito perto da trave de Renan. Com dois meias, o Flamengo ganhou mais força ofensiva, passou a ocupar o campo do adversário, mas não foi efetivo.

Os dois treinadores fizeram mudanças para tentar a vitória na despedida do Brasileirão. Dorival tirou Mattheus e Nixon e tentou com Hernane e Paulo Sérgio. Pouco adiantou. No Botafogo, Oswaldo respondeu com Cidinho na vaga Lennon. Com uma linha de frente leve, a equipe passou a explorar contra-ataques, mas sem a força necessária para vencer.

Ao 46, Paulo Sérgio ainda teve a chance da virada para o Flamengo, mas a conclusão desviou na zaga e foi para fora. No fim, o clássico que se anunciava melancólico teve graça e placar justo. Pouco para os dois times, que em 2013 precisarão fazer muito mais. Tanto é que, com o jogo terminado, torcedores do Fla pediram a saída da presidente Patricia Amorim, ao passo que alvinegros hostilizaram o técnico Oswaldo de Oliveira.

Globoesporte.com