Arquivo da tag: Bolívia

Com domínio total, Brasil esbarra no goleiro e empata com a Bolívia

Com domínio total na altitude de La Paz, na Bolívia, a Seleção Brasileira saiu do Estádio Hernando Siles com um empate em 0 a 0 diante dos donos da casa, nesta quinta-feira (5), pela 17ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Com ótima atuação e inúmeras chances claras de gol, o Brasil foi parado nas defesas do goleiro Carlos Lampe, que evitou que as redes balançassem na partida.

Com o resultado, a Seleção segue na liderança da tabela sul-americana das Eliminatórias, agora com 38 pontos. A Bolívia, com 14, ocupa a nona posição. Pela última rodada da competição, a equipe do técnico Tite enfrenta o Chile, no dia 10, no Allianz Parque, em São Paulo. O jogo será às 20h30.

O jogo

Dominando o primeiro tempo da partida, o Brasil criou as melhores chances de abrir o placar dando trabalho ao goleiro Carlos Lampe. Na primeira oportunidade, Neymar arriscou de fora da área, no canto, e viu o defensor cair bem e mandar para escanteio. Aos 32 minutos, Gabriel Jesus ganhou disputa de bola no ataque, Neymar ficou com a sobra e, cara a cara com Lampe, viu o goleiro fazer grande defesa. Aos 38 foi a vez de Jesus, livre na área, finalizar em cima do camisa 1 boliviano. Sem parar de pressionar, a Seleção teve outra ótima chance aos 42. Paulinho lançou Neymar, que driblou Lampe e chutou para o volante Valverde, de cabeça, salvar a Bolívia. Na sobra, o goleiro adversário pressionou o camisa 10, que finalizou e viu Valverde novamente evitar o gol brasileiro. Os minutos finais seguiram movimentados e, aos 45, Daniel Alves arriscou de longe, com chute forte, e o arqueiro boliviano se esticou para espalmar. Antes do apito final, a Bolívia assustou pela primeira vez, em pancada de fora da área de Diego Bejarano, que explodiu no travessão.

O Brasil não diminuiu o ritmo na volta do intervalo. Logo no primeiro minuto, Neymar cobrou falta para a área, Paulinho desviou de primeira e viu a bola bater na trave após tapa de Lampe. Aos nove, Gabriel Jesus deu ótimo passe para Neymar, que passou por dois, mas acabou travado por Machado na hora da finalização. Três minutos depois, o camisa 10 novamente ficou cara a cara com o goleiro boliviano e soltou uma pancada, que bateu no rosto de Lampe. Com maior posse de bola e sem pressão alguma do adversário, o Brasil seguiu no ataque. Aos 32 minutos, Willian aproveitou sobra pela direita, se livrou da marcação e viu o camisa 1 boliviano espalmar para escanteio. Em outra boa chance, aos 37, Neymar lançou Gabriel Jesus, que acertou bela cabeçada defendida, mais uma vez, por Lampe, que evitou os gols brasileiros em La Paz até o apito final da partida.

O Brasil jogou com: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Thiago Silva (Marquinhos) e Alex Sandro; Casemiro, Paulinho (Fernandinho), Renato Augusto e Philippe Coutinho (Willian); Neymar e Gabriel Jesus.

noticiasdovalepb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Brasil enfrenta Bolívia nesta quinta em La Paz nas eliminatórias da Copa

Preocupada com a altitude, a seleção brasileira faz, nesta quinta-feira (5), a penúltima partida das eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo, contra a Bolívia, em La Paz. Os brasileiros enfrentam os bolivianos com a classificação e a liderança do torneio garantidas antecipadamente, com 37 pontos ganhos em 16 jogos, nos quais obteve 16 vitórias, quatro empates e uma derrota; marcou 38 gols, sofreu 11 e tem um saldo de 27, totalizando 77,1% de aproveitamento.

Já a Bolívia, com aproveitamento de 27,1%, está em penúltimo lugar, sem chances de classificação, à frente somente da Venezuela, com 13 pontos marcados apenas, somando quatro vitórias, um empate e 11 derrotas. A seleção boliviana marcou 14 gols e sofreu 34, o que representa um saldo negativo de 20 – três a mais do que a própria Venezuela, lanterna das eliminatórias.

Esse retrospecto garante um amplo favoritismo ao Brasil, que venceu o último confronto por 5 a 0, em Natal, no primeiro jogo das eliminatórias entre as duas equipes, e leva grande vantagem na história dos jogos com os bolivianos. Em 28 partidas, foram 20 vitórias, com 96 gols marcados, contra cinco derrotas e 25 gols sofridos, além de três empates.

Mas o que preocupa a seleção brasileira são os 3,6 mil metros acima do nível do mar em La Paz. Por isso, a seleção viajou hoje (4) do Rio de Janeiro para Santa Cruz de La Sierra, a 416 metros de altitude, e só irá para La Paz pouco antes do jogo, para diminuir os possíveis efeitos que a altitude da capital boliviana terá sobre o time.

O Brasil está escalado com Alisson, Daniel Alves, Tiago Silva, Miranda e Alex Sandro; Casemiro, Renato Augusto, Paulinho e Phillipe Coutinho; Neymar e Gabriel Jesus. O jogo começará às 17h (horário de Brasília). Depois a seleção brasileira viaja para São Paulo, onde, na próxima terça-feira (10),  encerrará a campanha das eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia de 2018, em partida contra o Chile.

Os outros jogos da rodada são: Colômbia x Paraguai; Chile x Equador; Argentina x Peru e Venezuela x Uruguai. A classificação é a seguinte: em primeiro lugar, está o Brasil, com 37 pontos; em segundo, o Uruguai, com 27; em terceiro, a Colômbia (26); em quarto, o Peru (24); em quinto, a Argentina (24); em sexto, o Chile (23); em sétimo, o Paraguai (21); em oitavo, o Equador (20); em nono, a Bolívia (13); em 10º, a Venezuela (8).

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Palmeiras perde para o Jorge Wilstermann na Bolívia

Dessa vez não teve gol no fim e nem virada. O Palmeiras fez outro primeiro tempo ruim e perdeu por 3 a 2 para o Jorge Wilstermann, em Cochabamba, na penúltima rodada do Grupo 5 da Libertadores.

Palmeiras não conseguir ficar à frente do placar e perde invencibilidade na Libertadores (Foto: AFP)
Palmeiras não conseguir ficar à frente do placar e perde invencibilidade na Libertadores (Foto: AFP)

Foto: LANCE!

O Verdão continua na liderança da chave, com dez pontos, e precisa de um empate em casa contra o Tucumán (que tem sete pontos) para avançar. Se perder por um gol de diferença, também se classifica. E pode até perder de mais se o Jorge Wilstermann (nove pontos) for derrotado pelo eliminado Peñarol fora de casa.

A novidade de maior impacto na escalação do Verdão nesta quarta foi a ausência de Borja, que assistiu ao primeiro tempo do banco, mas outras trocas foram mais sentidas.

Vitor Hugo mostrou novamente que está alguns degraus abaixo de Edu Dracena em 2017 – o titular não viajou por estar com dores no joelho. No primeiro gol do Wilstermann, o camisa 4 subiu para tentar cortar, não achou nada e viu Morales surgir às suas costas para cabecear.

Talvez seja justo colocar o segundo gol boliviano na conta da altitude (2.574 metros acima do nível do mar), já que o chute de Machado ganhou um efeito inesperado e entrou no ângulo, mas ele teve grande liberdade.

Fato é que o Palmeiras, que começou bem, sentiu falta do suspenso Felipe Melo na saída de bola. Thiago Santos não tem a mesma qualidade na função e Tchê Tchê não conseguiu auxiliar o tempo todo. O gol de Guerra, no último lance do primeiro tempo, manteve o time vivo.

O Verdão voltou do vestiário com Borja no lugar de Willian e postura mais ousada. Depois, Eduardo Baptista soltou ainda mais a equipe com Keno na vaga de Thiago Santos.

O histórico recente fez o torcedor confiar em uma virada épica, mas o Wilstermann logo ampliou sua vantagem: Jean errou o tempo de bola, Saucedo saiu de cara para o gol e Fernando Prass fez pênalti. Cardozo converteu a cobrança aos 23.

Jogo resolvido? Ainda não. Menos de cinco minutos depois, Keno (que entrou bem) fez ótima jogada pela esquerda e cruzou para Cabezas, com um gol contra, acordar o Palmeiras outra vez. Mas não é todo dia que um jogo perdido vira vitória inesquecível. Até saiu um gol aos 47, de Vitor Hugo, mas a arbitragem acertou e deu impedimento.

FICHA TÉCNICA
JORGE WILSTERMANN 3 X 2 PALMEIRAS
Local: Félix Capriles, Cochabamba (BOL)
Data-Hora: 3/5/2016 – 21h45
Árbitro: Wilson Lamouroux (COL)
Auxiliares: Wilmar Navarro (COL) e John Alexander Leon (COL)
Público/renda: Não disponíveis
Cartões amarelos: Ortiz, Ríos, Aponte e Morales (WIL)
Cartões vermelhos:
Gols: Morales (35’/1ºT) (1-0), Machado (40’/1ºT) (2-0), Guerra (45’/1ºT) (2-1), Cardozo (23’/2ºT) (3-1), Cabezas (contra) (27’/2ºT) (3-2),

JORGE WILSTERMANN: Olivares; Morales, Alex Silva, Zenteno e Aponte; Machado, Saucedo (Díaz, aos 38’/2ºT) e Chávez (Ortiz, aos 13’/2ºT); Bergese (Cabezas, aos 19’/2ºT), Cardozo e Ríos. Técnico: Roberto Mosquera.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Michel Bastos; Thiago Santos (Keno, aos 16’/2ºT) e Tchê Tchê; Róger Guedes, Guerra e Dudu (Raphael Veiga, aos 25’/2ºT); Willian (Borja, no intervalo). Técnico: Eduardo Baptista.

LanceNet

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Governo da Bolívia culpa empresa e piloto por acidente com avião da Chapecoense

acidente-chapecoenseA empresa e o piloto do avião da LaMia, que caiu com 77 passageiros no fim de novembro em Medellín (Colômbia), foram considerados os “responsáveis diretos” do acidente, segundo informe oficial do governo boliviano divulgado nesta terça-feira (20). As informação são da Agência France-Press.

“A conclusão é contundente, a responsabilidade direta de toda essa eventualidade recai sobre o piloto e sobre a empresa”, disse o ministro de Obras Públicas e Serviços, Milton Claros, em coletiva de imprensa.

Além disso, a investigação estabeleceu que Celia Castedo, a funcionária da agência nacional boliviana de aviação civil(AASANA, na sigla em espanhol) que autorizou o voo apesar das irregularidades, “lamentavelmente descumpriu seus deveres e isso também prescreve uma punição”.

No acidente, que aconteceu em 29 de novembro na Colômbia, morreram 71 das 77 pessoas que estavam a bordo, entre elas o piloto, jogadores e dirigentes da Chapecoense, assim como jornalistas.

“O assunto tratado aqui é, sem dúvida, o plano de voo no qual a capacidade da aeronave era de 4 horas e 20 minutos, e o tempo de voo era de 4 horas e 20 minutos”, ressaltou Claros.

A partir dessas irregularidades, “iniciamos os processos administrativos e penais direcionados a essa senhora pelo trágico incidente”, que inclui também os diretores da AASANA e da DGAC (Direção Geral de Aeronáutica Civil)”, apontou.

Claros fez questão de assegurar que essa investigação é o início de uma que incluirá os fiscais de uma comissão tripla, com participação da Bolívia, Colômbia e Brasil.

Segundo os acordos e normas internacionais, “os responsáveis pela questão do combustível e a informação emitida são o piloto e a LaMia”, insistiu.

Quanto a Celia Castedo, que se refugiou no Brasil alegando insegurança judicial, Claros a dirigiu “responsabilidade direta”, uma vez que um voo “não pode ser autorizado a voar sem ter uma revisão”, além do que a funcionária apenas informou a seus superiores sobre a situação um dia depois do acidente, por e-mail.

Há alguns dias, Omar Durán, advogado dos familiares do co-piloto da LaMia, Fernando Goytia -também falecido no acidente- declarou que “pudemos evidenciar que o piloto Miguel Quiroga não cumpria com a quantidade de horas de voo estabelecida” nos regulamentos.

Agência France-Press

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Brasil passeia contra a Bolívia em Natal e emplaca terceira vitória seguida

FP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA
FP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA

A Bolívia não foi páreo para o Brasil em Natal. Com extrema facilidade e um recital de Neymar, grande nome da noite desta quinta-feira, a seleção de Tite aplicou 5 a 0 na Arena das Dunas. O resultado confirma o viés de alta brasileiro nas Eliminatórias para a Copa do Mundo com a terceira vitória seguida do novo treinador.

Neymar, que alcançou a marca de 300 gols na carreira, abriu o caminho e foi seguido por Coutinho, Gabriel Jesus, Filipe Luís e Roberto Firmino. A pontaria brasileira, por sinal, foi o ponto alto da noite e minimizou qualquer chance do goleiro Carlos Lampe. Em 17 finalizações, foram cinco gols marcados.

Agora a caminho da Venezuela, onde joga na terça-feira, o Brasil tentará novamente tirar a liderança do Uruguai, que bateu justamente os venezuelanos nesta noite e manteve a ponta com 19 pontos, só um a mais que os brasileiros. A parada na 10ª rodada será dura para os uruguaios, que visitam a Colômbia.

O melhor: Neymar

Mais uma atuação de gala do atacante que liderou a equipe tecnicamente. O primeiro gol surge justamente de uma bola roubada por ele, que serviu Gabriel Jesus e recebeu de volta. Foi o gol 300 da carreira com apenas 24 anos. Ainda houve tempo para servir Jesus, no terceiro gol da noite, em lindo lance individual pela esquerda, em alta velocidade, e também Filipe Luís no quarto.

O pior: Raldés

A estratégia boliviana de tentar jogar de igual para igual com o Brasil não funcionou, e um vacilo de Ronald Raldés foi crucial. Logo aos 9min, o zagueiro vacilou na saída de bola e foi desarmado por Neymar, o que gerou o primeiro gol da noite e desmontou a estratégia boliviana. Foi flagrante a condição física ruim do defensor.

Neymar, suspenso mais uma vez

Entre os seis jogadores pendurados em Natal, Neymar é que acabou suspenso. Contra a Venezuela na próxima terça, ele ficará de fora pela quarta partida em 10 nas Eliminatórias, todas por suspensões. O amarelo da noite foi mostrado após ele se irritar com a marcação de Azogue e dar um tapa no rival. O favorito para jogar na Venezuela é Willian – Taison corre por fora.

Os substitutos dão conta do recado

Sem Marcelo, Casemiro e Paulinho, a seleção brasileira teve três novos titulares ‘forçados’, seja por lesões ou cartões. Todos contribuíram diretamente na vitória por goleada. Giuliano, que entrou no meio, fez toda a jogada do segundo gol e serviu Coutinho. Filipe Luís, substituto da lateral, anotou o quarto, que se iniciou justamente com bola roubada por Fernandinho, o volante usado por Tite.

Titular, Coutinho justifica a escolha

É verdade que a fragilidade do adversário foi notável, mas Philippe Coutinho fez sua parte. Possivelmente, menos brilhante que diante de Colômbia e Equador, quando saiu muito bem do banco de reservas. Mesmo assim, o meia do Liverpool fez gol e deu assistência na goleada.

Vai Safadão!

À beira do gramado para entrar no lugar de Gabriel Jesus, Firmino e seu coque samurai foram notados pela torcida potiguar, que puxou um grito de “Vai Safadão”, em menção ao cantor Wesley Safadão. Os cânticos começaram tímidos, mas cresceram principalmente depois que ele, estreante com Tite, mostrou viver grande ano. De cabeça, Firmino deixou o dele, o quinto da noite.

A estratégia de Tite: pressão na bola e triangulações

Os dois expedientes que resumem o modelo de jogo do Brasil foram fundamentais para a vitória sobre a Bolívia. A exemplo das duas partidas anteriores, a seleção marcou graças a desarmes na saída de bola rival, desta vez com Neymar. Já a triangulação proporcionou os gols feitos por Gabriel Jesus e Filipe Luís.

A estratégia de Hoyos: equilibrar o jogo

Para quem esperava uma Bolívia trancada à defesa em Natal, surpresa. A equipe de Guillermo Hoyos, ex-Barcelona B, tentou jogar com bola no pé, mas sucumbiu diante da estratégia brasileira e não conseguiu ameaçar Alisson.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Bolívia: Mais de 15 países participam de Cúpula Anti-imperialista

 

Organizações sociais de mais de 15 países confirmaram sua participação na Cúpula Anti-imperialista de Cochabamba, adiantou nesta quinta-feira (25) o secretário executivo da Confederação Sindical Única de Trabalhadores Camponeses da Bolívia (Csutct), Damián Condori.

 

Anti-imperialismo  

Condori manifestou sua satisfação pela certeza de que muitos países estarão presentes na reunião, prevista para ocorrer de 31 de julho a 2 de agosto em Cochabamba, mas insistiu em que gostaria da adesão de mais movimentos sociais. “Queremos venham os representantes dos movimentos sociais de todo o mundo”, disse.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Ele Informou que cada uma das comissões que será presidida por um dirigente da organização social do país, que estará acompanhado por um representante estrangeiro, assim como um expositor internacional especialista no assunto tratado e um técnico.

A Cúpula Anti-imperialista e Anticapitalista, promovida por diversas organizações sociais bolivianas, agrupadas no chamado Pacto da Unidade, adianta um respaldo unânime ao presidente Evo Morales pelo bloqueio aéreo que sofreu na Europa no começo do mês. Também tem como objetivo defender a soberania e os direitos dos povos.

Há dois dias, o secretário geral da Csutc, Rodolfo Manchaca, adiantou a participação de representantes da Alternativa Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba).

Fonte: Presa Latina

Corintianos desembarcam em São Paulo após quase quatro meses presos na Bolívia

torcidaDesembarcaram na tarde deste domingo, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, sete dos 12 torcedores do Corinthians que estavam presos na Bolívia. Eles foram acusados de envolvimento na morte do estudante Kevin Espada, de 14 anos, em fevereiro. Os torcedores estavam presos desde o incidente, ocorrido na cidade boliviana de Oruro.

Os 12 torcedores estava sendo investigados pelo lançamento do sinalizador que causou a morte do estudante boliviano durante o jogo entre o Corinthians e o time boliviano do San José, em disputa da Taça Libertadores. Para os policiais bolivianos, o sinalizador foi disparado da área onde estavam os torcedores brasileiros. Eles negam responsabilidade na morte de Espada.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que a libertação dos sete torcedores foi determinada pela Justiça da Bolívia por “falta de provas”. De acordo com o texto, a presidenta Dilma Rousseff tratou do assunto com o presidente boliviano, Evo Morales. Os outros cinco acusados permanecem presos e, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores, continuarão recebendo assistência do governo brasileiro.

 

 

cartacapital

Quadrilha que clonava cartões de crédito na Paraíba recebia treinamento na Bolívia

Jorge Filho
Jorge Filho

Integrantes da quadrilha presa durante a ‘Operação Firewall’, no início da manhã desta quinta-feira (23), eram treinados na Bolívia e recebiam lições de como operar os sofisticados equipamentos utilizados na clonagem de cartões de crédito. A informação foi confirmada, à tarde, pelo gerente executivo da Polícia na Região Metropolitana de João Pessoa, delegado Wagner Dorta. “Eles também recebiam treinamento e traziam material usado nesses crimes de cidades brasileira, como São Paulo”, disse o delegado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A quadrilha presa nesta quinta-feira, em João Pessoa, Patos, Belém, Cabedelo e Guarabira usava esses equipamentos sofisticados para, além da clonagem de cartões, falsificar documentos e abrir contas bancárias. A Polícia Civil também apreendeu impressoras para confeccionar cartões de crédito e outras máquinas modernas compradas na Bolívia, com dinheiro adquirido nos crimes, segundo o delegado Wagner Dorta.

Na ‘Operação Firewall’, dezoito pessoas foram presas, entre elas, o vereador da cidade de Serra da Raiz (Agreste paraibano), Jean Teixeira (PSD).

A polícia acredita que o bando tenha provocado um rombo milionário durante em um ano. Dados fornecidos pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) apontou para um prejuízo em torno de R$ 8 milhões.

De acordo o delegado Gustavo Carlleto, que comandou as investigações durante 8 meses, a quadrilha era organizada e parte dela detinha um conhecimento tecnológico. O grupo contava com a participação de frentistas que facilitava a instalação de chupa-cabra [aparelho usado em por golpistas para copiar informações], nas máquinas em postos de combustíveis. O esquema criminoso também agia em bancos 24h e supermercados, nos estados da Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

A ação foi realizada em diversos pontos das cidades de João Pessoa, Patos (Sertão), Cabedelo (Grande JP), Belém e Guarabira (Brejo). Cerca de 140 policiais civis cumpriram 18 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão. Em um dos endereços, um motel localizado na cidade de Belém, a polícia encontrou impressoras para fabricar cartões. Os presos foram encaminhados para a Central de Polícia em João Pessoa.

Foram apreendidos documentos falsificados e equipamentos utilizados na clonagem de cartões, impressoras, ectasy, R$ 14 mil em espécie, aparelhos de televisores, computadores, Ipad, notebooks, uma arma calibre 32 e veículos ( moto e carro).

DEFESA

O advogado Werton Soares, que representa cinco dos 18 acusados, disse que está entrando com pedido de Habeas Corpus junto ao Tribunal de Justiça, com pedido de relaxamento da prisão temporária. O Advogado explicou que a prisão temporária se justifica enquanto está sendo feito o ajuntamento de provas e como esse procedimento já foi feito, sua manutenção perde o objetivo.

Werton Soares informou ainda que está entreando também com uma denúncia junto à Corregedoria da Polícia Civil contra os policiais que executaram os mandados de busca e apreensão. Para o advogado, houve abuso por parte dos policiais, que levaram das residências objetos dos acusados que não tinham nenhuma relevância para o caso. “Até mesmo a namorada de um deles, que não tem nada a ver com o caso, apenas estava na casa na hora da prisão, acabou sendo detida também”, reforçou.

Lista dos nomes das pessoas presas na operação;

 

1. Francineide da Silva Campos – Bairro do Bessa – João Pessoa

2. Daniel Barbosa de Oliveira – Bairro dos Bancários – João Pessoa

3. Álvaro Bruno de Andrade Bezerra – Centro – João Pessoa

4. Edson de Mendonça Rocha Júnior – Porta do Sol e Manaíra

5. João Pessoa Fábio de Holanda Gonçalves – 13 de Maio – João Pessoa

6. José de Arimatéia Santos Júnior – Manaíra – João Pessoa

7. Diego Formiga de Oliveira – Geisel – João Pessoa

8. Luciano Frazão de Barros – Intermares – Cabedelo

9. Severino Bezerra da Silva – Belém

10. Damião Alves Pereira – Patos

11. Marcos Vinícius Lobato Jardim – Centro – João Pessoa

12. Jean Teixeira – Jardim Cidade Universitária – João Pessoa

13. Maxuel Almeida Leitão – Castelo Branco III – João Pessoa

14. Érika Alexandre Marques – Castelo Branco III – João Pessoa

15. Isael Pedro da Silva – Castelo Branco III – João Pessoa

16. Alex Júnior Fernandes Soares – José Américo – João Pessoa

17. Francicleide Bezerra da Silva – Patos

18. Nome restrito para não prejudicar as investigações – João Pessoa

 

 

Hyldo Pereira, Portalcorreio

Feliciano tenta aprovar viagem à Bolívia para se livrar de conversa com Henrique Alves e líderes

Foto: Alan Marques Folha
Foto: Alan Marques Folha

Se os adversários deixarem, Marco Feliciano (PSC-SP) presidirá nesta quarta-feira (3) mais um tumulto na Comissão de Direitos Humanos da Câmara. A pauta prevê a votação de oito requerimentos. Um deles, o sexto, é de autoria do próprio Feliciano. Na peça, o deputado-pastor pede autorização do colegiado para realizar uma “diligência” em Oruro, na Bolívia. Deseja “acompanhar a situação” dos 12 torcedores do Corinthians presos na cidade.

Feliciano tem a intenção de embarcar na próxima segunda-feira (8). Com isso, ganharia um extraordinário pretexto para faltar a uma reunião marcada para o dia seguinte –um encontro no qual os líderes partidários e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), apelariam para que ele renunciasse ao comando da Comissão de Direitos Humanos. Algo que Feliciano não tem a mais remota intenção de fazer.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na hipótese de prevalecer no plenário da comissão que tenta presidir, o pastor-deputado provocará o quarto adiamento do encontro com o colégio de líderes. Há duas semanas, após afirmar que a permanência de Feliciano à testa da comissão tornara-se “insustentável”, Henrique Alves reunira-se com dois mandachuvas do PSC: o líder da bancada, André Moura (SE), e o vice-presidente da legenda, pastor Everaldo Pereira.

O presidente da Câmara ponderou que convinha ao PSC trocar Feliciano. Sob pena de a legenda inviabilizar o funcionamento da Comissão de direitos Humanos. O líder e o dirigente do PSC concordaram. Ficou acertado que a dupla convidaria Feliciano para uma conversa com Henrique. Entre quatro paredes, o pastor Everaldo pronunciou na sala da presidência da Câmara uma frase forte: “Se ele não renunciar, será renunciado”.

Na hora marcada, Feliciano não deu as caras. Henrique Alves foi informado de que ele passara mal. Nessa versão, o deputado-pastor chegara mesmo a vomitar. Pedira que lhe dessem um prazo. Queria falar com Deus. Na semana passada, vitaminado pelos contatos celestiais, Feliciano bateu o pé. Disse que não renunciaria, arrastou o apoio da Executiva do partido e dobrou a maioria da bancada de deputados. André Moura e o pastor Everaldo deram meia-volta. E a reunião foi para o espaço novamente.

Sobreveio novo tumulto na comissão. E com ele, novo agendamento de reunião. Ocorreria nesta semana. Por mal dos pecados, Henrique Alves foi ao bisturi. Recupera-se de uma cirurgia. Pelo telefone, sugeriu a André Moura, o líder do PSC, que um xará dele, o petista André Vargas (PR), vice-presidente da Câmara, coordenasse a reunião de Feliciano com o colégio de líderes. Nada feito.

O encontro foi, então, transferido para a próxima terça (9). Dá-se de barato que, na reunião de hoje, a Comissão de Direitos Humanos ferverá novamente. Deve-se a convicção ao fato de Feliciano ter borrifado gasolina na fogueira ao declarar, num culto evangélico de cinco dias atrás, que a comissão era comandada por satanás antes da sua chegada. Ex-presidente do colegiado, a deputada Iriny Lopes (PT-ES) apressou-se em protocolar um pedido de cassação do colega por falta de decoro.

Em privado, Henrique Alves diz que Feliciano não conseguiu separar o discurso de presidente da comissão de sua pregação evangélica. Menciona o seu próprio exemplo. Diz que, como líder do PMDB, tinha maior liberdade retórica. Na presidência da Câmara, precisa ajustar a língua às conveniências da instituição. Alheio às opiniões adversas, Feliciano fala mais do que o homem da cobra. Em entrevista ao repórter Fernando Rodrigues, disse que a reunião com os líderes serviria para achincalhá-lo.

Henrique e os mandarins partidários começam a perceber o óbvio: Feliciano não joga água fria na fervura porque a ebulição lhe interessa. Rende-lhe votos junto ao seu eleitorado evangélico. E não há muito a fazer. Feliciano já disse que só deixa a comissão se morrer. Uma alternativa seria dar curso ao pedido de cassação formalizado pela petista Iriny. Porém, numa Casa em que os telhados são 99% feitos de vidro, não se encontra tanta gente disposta a atirar pedras.

 

 

 

josiasdesouza

Com proteção policial e sem dormir, delegação corintiana deixa a Bolívia

Com proteção policial, o Corinthians deixou a cidade de Oruro, às 8h20 no horário boliviano (9h20 de Brasília), num voo fretado. O avião ainda fará uma parada em Santa Cruz de La Sierra para abastecimento, antes de rumar para São Paulo. A previsão é que a delegação do Timão chegue ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, às 14h20.

O clima entre os jogadores era péssimo. Todos se mostravam abalados pela morte de um torcedor boliviano, atingido por um sinalizador disparado por torcedores corintianos, durante o empate em 1 a 1 com o San José, na estreia das duas equipes na Libertadores. Doze corintianos estão presos para averiguação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– Poucos dormiram essa noite. Não há como recuperar essa vida. Espero que todas as medidas cabíveis sejam tomadas. Fomos muito bem recebidos aqui, mas vamos embora com muita tristeza – disse o lateral-direito Alessandro, capitão da equipe.

Viaturas policiais fizeram a proteção da delegação corintiana durante a noite. O grupo de jogadores, dirigentes e integrantes da comissão técnica seguiu para o aeroporto de Oruro em dois microônibus.

Não houve qualquer incidente no trajeto.

pato corinthians (Foto: Diego Ribeiro)Alexandre Pato deixa o hotel do Corinthians em Oruro (Foto: Diego Ribeiro)
Globoesporte.com