Arquivo da tag: benefícios

Pré-candidata a vereadora solicita à ALPB hospital de campanha e benefícios para Bananeiras

A pré-candidata a vereadora de Bananeiras, Cláudia Cristina de Carvalho (Cristina de Chagas), enviou à deputada Camila Toscano uma solicitação para que possa ser requerido na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) vários benefícios para a cidade. Entre os pedidos, Cristina pediu ajuda no combate à pandemia do novo Coronavírus.

Estão entre as solicitações enviadas à deputada por Cristina, que a UPA do município seja adaptada a um hospital de campanha ou ponto de apoio em ações referentes a Covid-19 e que a cidade seja contemplada com insumos de proteção para profissionais de saúde.

Mas não é apenas com a pandemia que Cristina de Chagas está preocupada. E, pensando em outros setores que contribuem para o crescimento de Bananeiras, ela também solicitou apoio ao esporte do município; casa de apoio para mulheres que sofrem violência doméstica e psicológica, com psicólogo e proteção; e, apoio a crianças autistas (equipe multidisciplinar) especializada permanente, composta por fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, entre outros.

 

Redação FN

 

 

Teste da Bochechinha: saiba os benefícios e quando fazer

Exame detecta mais de 310 doenças genéticas ou congênitas

O teste da bochechinha trata-se de um exame em que é coletado uma amostra da bochecha da criança de forma indolor (com haste flexível), tendo uma análise profunda do DNA do bebê para detectar mais de 310 possíveis doenças genéticas ou congênitas.

Ainda que esteja disponível no Brasil desde 2019, ele não é oferecido gratuitamente pelo sistema único de saúde (SUS) como no caso do teste do pezinho, tendo custo de R$ 799,00. Esse é um dos principais motivos pelos quais a adesão não é a mesma que a do exame anterior.

De acordo com a pediatra Dra. Loretta Campos, o exame não substitui o teste do pezinho. “Apesar do teste da bochechinha fazer uma triagem de quantidade muito maior de doenças em relação ao do pezinho, ele não o substitui porque as doenças do teste do pezinho são muito mais prevalentes, enquanto as do teste da bochechinha são menos frequentes. Então, em termos de saúde pública, ele não seria uma opção.”

A Dra. Loretta também ressalta a importância do teste do pezinho feito previamente. “Ele deve ser feito principalmente até os sete dias de vida, porque algumas doenças podem levar a óbito caso não sejam detectadas de forma precoce.”

Conforme explica a Dra. Loretta, o teste da bochechinha geralmente não é recomendado por especialistas de forma preventiva como o do pezinho, e sim a partir de suspeitas levantadas durante o desenvolvimento da criança. “Para uma criança que, por exemplo, não ganha peso e tem dificuldades de crescimento, ele pode ser uma opção para fazer uma triagem dessas doenças mais raras”.

Ela também afirma que seria interessante realizar os dois exames para espantar qualquer suspeita de início (tratar o que for diagnosticado o mais breve possível). Mas, como as condições identificadas pelo teste da bochechinha são mais raras, a médica recomenda fazer apenas o do pezinho enquanto não houver fatores que justifiquem o segundo teste.

 

Dra. Loretta Campos: Pediatra e Consultora de Aleitamento Materno  – Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

 

 

Caixa cadastrou 10 milhões de benefícios emergenciais em seis horas

Em seis horas de funcionamento, a Caixa Econômica Federal finalizou o cadastro de 10 milhões de benefícios da renda básica emergencial, disse há pouco o presidente do banco, Pedro Guimarães. Segundo ele, ao considerar os eventuais pedidos rejeitados de quem não tem direito ao benefício, a expectativa é terminar o dia com 15 milhões a 20 milhões de trabalhadores cadastrados que começarão a receber o auxílio no dia 14.

Das 9h às 15h, as ferramentas de cadastramento da Caixa tinham enviado 15 milhões de SMS a trabalhadores que requereram o benefício. As mensagens pelo celular avisam se o trabalhador preenche os requisitos para ter direito ao auxílio de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras.

Segundo Guimarães, a página de cadastramento da Caixa tinha recebido 31 milhões de visitas individuais nas seis primeiras horas da inscrição. A loja do sistema operacional Android tinha registrado 6 milhões de downloads do aplicativo. A linha telefônica 111, disponível para prestar informações e tirar dúvidas, recebeu 330 mil ligações no mesmo período.

Segundo Guimarães, o site da Caixa chegou a cair por três minutos e tem enfrentado momentos de lentidão ao longo do dia. Ele pediu paciência aos trabalhadores e recomendou que eles não desistam do cadastramento.

“A gente conseguiu dar vazão ao investimento muito grande de todos. Peço desculpas se estiver lento. Porque hoje será, sem dúvidas, o dia de maior intensidade”, declarou. Segundo o presidente da Caixa, a expectativa é encerrar a semana com o cadastramento de 60% a 80% dos trabalhadores que tenham direito à renda básica emergencial.

Segundo o presidente do Dataprev, Gustavo Canuto, o governo empreendeu um grande esforço nas últimas semanas para levantar do zero um programa de ajuda emergencial para amenizar os efeitos da crise econômica gerada pela pandemia de coronavírus. “Há um longo caminho entre o que está previsto no dispositivo legal até chegar à linha de código. Esta é uma operação, talvez a maior que tenha sido feita em tão pouco tempo e com uma monta de recursos tão alta, R$ 98 bilhões” declarou.

Saques

Pedro Guimarães ressaltou que, pela primeira vez, 30 milhões de brasileiros terão uma conta poupança digital de graça. Nessa primeira etapa, eles apenas poderão fazer transferências eletrônicas ou gastar o dinheiro no cartão de débito. No entanto, para o saque do dinheiro em agências, lotéricas e correspondentes bancários, o governo apresentará ainda hoje um cronograma que pretende evitar aglomerações em pontos de atendimento físico.

“Imaginem no dia em que realizarmos o pagamento, com 20 milhões de pessoas nas agências e nas lotéricas. Não vamos permitir isso”, declarou o presidente da Caixa.

Agência Brasil

 

 

Governo da PB apresenta proposta de incorporação de benefícios para policiais e bombeiros

O Governo da Paraíba apresentou uma proposta de incorporação de benefícios para os servidores da segurança estadual durante uma audiência de conciliação que aconteceu na manhã desta sexta-feira (28), no Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa. Sem acordo, um novo encontro foi marcado para a próxima sexta-feira (6) para que a categoria tenha mais tempo para analisar a proposta e apresentar uma contraproposta.

A reunião faz parte das negociações estabelecidas com as Polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros que pleiteiam reajuste salarial para agentes de segurança e outras demandas de servidores ativos, inativos e pensionistas. Os profissionais decretaram estado de “greve branca” desde o dia 5 de fevereiro.

Durante a audiência, o secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Jean Nunes, explicou que o Governo ofereceu a incorporação de 30% da bolsa desempenho, em 36 parcelas, e mais 5% na bolsa dos policiais ativos para julho deste ano.

As entidades questionaram o que foi proposto alegando que não houve mudança no que foi apresentado pelo Governo do Estado na última sexta-feira (21). Conforme a assessoria de comunicação do Fórum das Entidades das Polícias Civil, Militar e Bombeiros, a categoria sustenta o pedido de incorporação de 100% na bolsa desempenho em 36 meses e um reajuste de 24% pelos próximos dois anos.

“Foi apresentada, hoje, uma repetição do que ocorreu na última sexta-feira, com alguns acréscimos em torno dos penduricalhos. Nossa preocupação é com o salário do policial que sai às ruas todos os dias, arriscando sua vida, podendo ser alvejado e vir a perder 50% de sua remuneração. A questão é salarial”, pontuou o delegado Sterferson Gomes Nogueira Vieira, da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia Civil da Paraíba (Adepdel).

Já o coronel Francisco de Assis, representante dos policias militares, informou que apresentará uma proposta do Fórum, que deve contemplar a incorporação da bolsa desempenho, além de um percentual de aumento. Ele adiantou que a corporação não vai aceitar acréscimo no valor pago em horas extras.

“Aumento no extra não atende a categoria. Para a sociedade entender, este é um serviço em que o policial tem que morrer de trabalhar, para poder complementar o salário, que é a hora-extra no valor de R$ 6. O policial, hoje, além do serviço normal, trabalha de 180 a 200 horas no mês”, explicou o coronel.

Foto: Hebert Araújo/TV Cabo Branco

G1

 

Estudo mostra benefícios da L-arginina na prática esportiva

O mercado de suplementos está em franco crescimento no mundo todo. Inicialmente, muitos deles eram usados sem que a comunidade científica tivesse tanta certeza dos seus benefícios e efeitos negativos, porém, recentemente, cada vez mais pesquisadores tem se dedicado a descobrir como os compostos mais usados pelos atletas agem em nosso organismo.

Um destes compostos, presente em muitas suplementações, é o aminoácido L-arginina. Além de ser obtido através dos suplementos e produzido pelo próprio corpo, este nutriente também pode ser encontrado em carnes vermelhas, aves, sementes e laticínios – alimentos essenciais na dieta dos atletas.

Um estudo publicado em 2017 no European Journal of Clinical Nutrition, periódico referência em nutrição, constatou que a L-arginina promove uma melhora significativa no desempenho físico. A pesquisa foi realizada com 52 participantes. 25 deles receberam 2g do nutriente por dia, e os outros 27 receberam 2g de uma substância neutra, com efeito placebo. Nenhum deles sabia se estava consumindo o aminoácido ou não.

Depois de 45 dias, os pesquisadores perceberam que o grupo que consumiu a L-arginina teve um VO2 máximo quase três vezes maior do que o grupo que não consumiu. O VO2 máximo é o volume máximo de oxigênio do corpo, ou seja, a capacidade que uma pessoa tem de transportar oxigênio durante a prática de exercícios. Portanto, quanto maior o VO2 máximo, melhor a performance esportiva.

Além dessa importância, a L-arginina tem outra função essencial no corpo de um atleta: ela ajuda a gerar o óxido nítrico (NO), que é uma das menores moléculas produzidas pelo nosso corpo, mas que possui ótimos efeitos: ele aumenta a força muscular, proporciona ganho de resistência e melhora o fluxo sanguíneo.

O óxido nítrico também funciona como uma espécie de mensageiro, que percorre todos os principais sistemas do nosso organismo.

Por conta de todos esses benefícios, a L-arginina é recomendada não apenas aos atletas profissionais e de alto desempenho, mas também a todos aqueles que estão começando no mundo das atividades físicas e desejam obter melhores resultados e, principalmente, maior resistência para continuar se exercitando, já que ela ajuda a diminuir o cansaço e acelera a recuperação do corpo após uma série de exercícios intensos.

É importante ressaltar que nem todos os praticantes de atividades precisam ingerir a suplementação de L-arginina, pois é possível obter os níveis necessários através de uma dieta balanceada.

O recomendado é que, antes de decidir consumir o suplemento, a pessoa procure um médico ou um nutricionista, para constatar se o consumo é realmente necessário. Caso contrário, os níveis do nutriente no organismo podem ficar até mais altos do que o desejado. É importante também ficar atento às normas de regulamentação para suplementos alimentares.

 

 

Diretoria do INSS estima que existem mais de 24 mil benefícios parados nas agências da Paraíba

O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) prevê que terá condições de iniciar até o fim de março as análises de benefícios que considerem as novas regras da reforma da Previdência, quando os seus sistemas eletrônicos deverão estar adaptados à legislação em vigor desde 13 de novembro do ano passado. A crise no INSS está retardando a concessão de mais de 1,3 milhão de benefícios em todo o país, somente na Paraíba, segundo a Gerência Regional do órgão revela que existem 24.469 paraibanos aguardam benefícios há mais de 45 dias, sem perspectivas de quando receberão o que têm direito.

De acordo, com o INSS uma das alegações é de que não existe um quadro de servidores suficiente para atender a grande demanda. Por outro lado, o Instituto não fala em concurso para a contratação de mais pessoal especializado.

O maior número de benefícios pendentes é de aposentadoria por idade, com mais de 4 mil e de aposentadoria por tempo de contribuição, com mais de 3 mil. Também é muito alta a quantidade de pedidos de pensão por morte, com mais de 2,3 mil.

A Seção não respondeu sobre a possibilidade de realização de concurso público, porém, encaminhou uma nota que está sendo distribuída à imprensa na tentativa de explicar as razões da crise instalada no instituto.

Na nota, o INSS afirma que “todos os sistemas de concessão de benefícios da Previdência Social precisam ser ajustados às novas regras, o que já vem sendo feito. Nenhum cálculo de atendimento de regras ou definição de valores de benefícios concedidos pelo INSS é feito de forma manual pelos servidores, mas por sistemas que cumprem esse papel com segurança e uniformidade”.

 

pbagora

 

 

Mais de 26 mil aguardam benefícios do INSS na PB

O governo federal anunciou um conjunto de medidas para reduzir o estoque e acelerar o acesso a benefícios concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Atualmente, são 1,3 milhão de pessoas que aguardam análise dos seus pedidos há mais de 45 dias, sendo 26.030 pessoas na Paraíba.

Os benefícios mais procurados pelos paraibanos se dividem em Assistencial à Pessoa com Deficiência (BPC – LOAS), com 11.175 pessoas; aposentadoria por idade, com 4.437 pessoas e aposentadoria por tempo de contribuição, com 3.508 pessoas na fila de espera.

Fazem parte das medidas anunciadas, alinhadas com o Ministério da Defesa, a seleção de 7 mil militares da reserva, que, para atuarem no atendimento ao público no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), demanda um decreto presidencial e uma portaria ministerial. Ainda não se sabe quantos militares deverão ser destinados à Paraíba.

Também estão nas medidas restrição às cessões de servidores do INSS a outros órgãos, simplificação e redução da burocracia no atendimento aos segurados e uma perícia preferencial nos servidores afastados do Instituto.

“Nossa expectativa é que a partir do sexto mês de efetiva implementação das medidas o estoque de pedidos seja compatível com o processamento mensal”, explicou o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, durante entrevista coletiva, realizada em Brasília, para o anúncio das medidas.

Participaram da entrevista coletiva o presidente do INSS, Renato Vieira, o secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, e o secretário de Previdência da Seprt, Leonardo Rolim.

Atendimento do INSS

Segundo Marinho, o objetivo é chegar a um equilíbrio entre o número de pedidos pendentes com o de atendimento mensal. Uma das formas é aumentar o número de pessoas atendendo a população. Para isso ocorrer, será publicado até o fim da semana um decreto para selecionar 7 mil militares da reserva.

A adesão é voluntária e os selecionados vão receber treinamento e um incremento de 30% na remuneração. Os selecionados atuarão diretamente no atendimento à população, possibilitando o remanejamento de servidores do INSS para a análise de processos.

Além da seleção, também foram anunciadas outras duas medidas para aumentar o efetivo de servidores. Uma é a limitação para cessão de profissionais a outros órgãos. Ela ficará limitada à Presidência da República e à Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e a cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS) 4 ou acima.

Outra é a perícia médica preferencial em os 1.514 servidores do INSS afastados por licença médica. A expectativa é de que cerca de dois terços desses servidores voltem ao trabalho.

Redução da burocracia

Para agilizar o atendimento alguns processos serão alterados. Não haverá mais, por exemplo, a necessidade de autenticação de todos os documentos. Os convênios com empresas para auxiliar no envio a documentação do trabalhador devem ser ampliados e os entendimentos das súmulas judiciais devem ser adotados sem litígio.

Marinho explicou ainda que essas medidas vão ao encontro às já adotadas em 2019 para elevar a produtividade e diminuir o tempo de espera do segurado. Entre as medidas já adotadas, Marinho citou o bônus financeiro por produtividade extraordinária, os regimes de trabalho semi presencial e de teletrabalho, a transformação digital e a concessão automática de benefícios.

“Essas medidas já melhoraram o atendimento do INSS. Em 2019 os cerca de 23 mil servidores do órgão, menor número da história, tiveram a maior produtividade da história do INSS com mais de 9,4 milhões de processos concluídos”, destacou Marinho.

Mudanças e ajustes

Como a Emenda Constitucional nº 103, publicada no dia 13 de novembro, representou a maior e mais profunda reforma no sistema previdenciário do país, com mudanças nas regras de acesso, idade, significativos ajustes paramétricos, alíquotas, regras de transição, regras de cálculo, limitação à acumulação de benefícios e tantas outras, todos os sistemas de concessão de benefícios da Previdência Social precisam ser ajustados às novas regras, o que já vem sendo feito.

Segundo a assessoria do INSS, “Nenhum cálculo de atendimento de regras ou definição de valores de benefícios concedidos pelo INSS é feito de forma manual pelos servidores, mas por sistemas que cumprem esse papel com segurança e uniformidade. Nesse sentido, uma força-tarefa formada pelo INSS, pela Secretaria de Previdência e pela Dataprev tem se dedicado a converter cada hipótese de aplicação concreta da nova legislação em regras de sistema, de forma detalhada”, informa.

Estão sendo ajustados seis sistemas de concessão, manutenção e pagamento de benefícios (PRISMA, SIBE, SABI, PLENUS, SISPAGBEN e SUB), além de atualização do CNIS, base de dados que concentra as informações de todos os contribuintes da Previdência Social.

O simulador de aposentadoria disponível no ‘Meu INSS’ também está sendo adaptado, de forma a manter precisão na simulação do direito do segurado, seja daquele que preencheu os requisitos para aposentadoria antes ou após a publicação da reforma.

Antes, o segurado precisava agendar uma ida ao INSS para levar documentos e formalizar o pedido. Com o modelo digital ‘Meu INSS’ ou pelo telefone 135, ao fazer o pedido, o cidadão receberá direto o número do protocolo de requerimento, eliminando a etapa do agendamento, podendo acompanhar o andamento e, somente se necessário, será chamado à agência.

Apesar das mudanças e ajustes, o INSS explica que isso não afeta os antigos requerimentos. “Vale destacar que as adaptações dos sistemas não geram nenhum impacto na rotina de análise dos requerimentos feitos por quem já possuía direito adquirido antes da publicação da emenda, ou seja, a análise dos requerimentos feitos conforme as regras anteriores segue normalmente”, disse a assessoria.

Concessões

Para o presidente do INSS, há potencial de crescimento das concessões automáticas. Um exemplo é a aposentadoria por tempo de contribuição. Só na Paraíba, 3.508 pessoas esperam por essa concessão. Ela possui o maior volume de requerimentos na instituição e teve apenas 2% concedidos de forma automática em 2019.

Em 2019, cerca de 94 mil requerimentos foram decididos mensalmente de forma automática. Em 2018 a média mensal foi de 9 mil. A expectativa do governo é de que todas as medidas estejam implementadas até abril deste ano.

 

portalcorreio

 

 

INSS realiza força-tarefa para agilizar concessão de benefícios

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pôs em prática uma força-tarefa para colocar em dia os pedidos de benefícios. Atualmente, 1,3 milhão de pedidos aguardam, por mais de 45 dias, uma conclusão no requerimento. Esse é o prazo máximo de análise definido por lei. De acordo com Márcia Elisa de Souza, diretora de Benefícios do instituto, medidas estão sendo tomadas para acelerar as análises dos requerimentos.

“Criamos as centrais de análises, servidores dedicados à análise de benefício e por especialização. Estamos especializando a análise dos benefícios para ganhar em produção e qualidade. […] Temos o programa especial, onde os servidores analisam, fora da jornada de trabalho, com pagamento do bônus, os processos que estão há mais de 45 dias, após atender os requisitos necessários definidos no programa de gestão”, disse a diretora em entrevista à Rádio Nacional.

Além da realização de hora-extra por servidores para analisar os pedidos em atraso, o órgão trocou o sistema de marcação de ponto por outro, que mede a produtividade. Com isso, explicou Márcia, o INSS tem um maior número de benefícios analisados pelo mesmo servidor.

Vários tipos de requerimentos aguardam conclusão de análise do INSS. São, por exemplo, pedidos de aposentadoria por invalidez, por idade – tanto urbana quanto rural – e aposentadoria por tempo de contribuição.

A legislação prevê que nenhum segurado deve esperar mais que 45 dias para ter o pedido de benefício analisado. Caso ultrapasse esse prazo, o instituto pode ter prejuízo, porque terá de pagar os valores retroativamente, com a devida correção monetária.

Márcia esclareceu, contudo, que apesar do grande número de requerimentos atrasados, cerca de 500 mil estão aguardando documentação adicional, necessária quando não é possível concluir o requerimento no ato da análise.

A diretora nega que o atraso seja por causa da mudança nas regras da reforma da Previdência, aprovada pelo Congresso e promulgada em novembro. Segundo ela, os sistemas do instituto já estavam sendo preparados para as mudanças antes mesmo da aprovação das novas regras. “Assim que sai uma nova regra, é necessário adequar os sistemas, é uma coisa normal. Acontece que a gente já tem, dentro das novas regras, mais de 70% da demanda sendo atendida”.

Agência Brasil

 

 

Os benefícios da dança para os idosos

A atividade proporciona bem-estar físico e psicológico,
para um envelhecimento saudável

Desde 2012 a população brasileira acima de 60 anos vem crescendo. Hoje, o número de idosos no país supera a marca de 30 milhões, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), divulgada pelo IBGE. Com o aumento da expectativa de vida, também ocorre a preocupação em envelhecer de forma saudável e, para isso, muito se deve a prática de atividade física.

“É importante que o idoso faça exercícios ao menos duas vezes por semana, pois nessa fase da vida o corpo funciona de maneira diferente: o sistema cardiovascular tem sua capacidade diminuída, os movimentos vão perdendo a agilidade e precisão, as articulações perdem a elasticidade, os ossos ficam mais fracos e, com a diminuição de massa muscular, aumenta o risco de lesões”, explica Ludmilla Marzano, especialista de Zumba®, que completa: “as aulas de Zumba Gold® são uma adaptação da aula tradicional com foco nesse público e tem o objetivo de trabalhar o equilíbrio, amplitude de movimento e coordenação”.

Além de questões fisiológicas, a prática contribui para uma boa saúde emocional, prevenindo ou auxiliando no tratamento de depressão, que é comum nessa idade. Por isso, a dança é uma modalidade muito indicada para esta faixa etária, porque é prazerosa. A especialista conta “em uma aula de Zumba® Gold os movimentos originais são adaptados, tendo menor intensidade. São liberados endorfina, dopamina e serotonina – hormônios que dão a sensação de bem-estar”.

Outro benefício que deve ser destacado é a socialização. Segundo Ludmilla, nas aulas coletivas é natural um aluno motivar o outro, criar laços de amizade e companheirismo. “É uma família que se encontra algumas vezes por semana para rir, descontrair, conversar e dançar. Além disso, é uma atividade de baixo impacto e risco de lesão, se comparado a outras atividades físicas. A Zumba® adapta os movimentos às necessidades desse público alvo, focando no equilíbrio, amplitude do movimento e coordenação motora. Não há contraindicações, mas é preciso ter liberação médica para a prática de qualquer exercício físico”, completa Ludmilla.

A dança substituiu a prótese

Crédito:  Foto
Reprodução Facebook

Verinha Maluf, 64 anos, foi diagnosticada há 4 anos com artrose no quadril. Ela, que trabalhava como instrutora de Zumba®, ouviu do médico que precisava se afastar da atividade e colocar uma prótese no local. “Fiz exatamente o contrário, não abandonei as aulas. Eu amo dançar e é isso que me mantem viva e feliz. Passei a dançar com ainda mais vontade e incluí na minha rotina alguns exercícios de musculação para fortalecer a região. Continuo sendo acompanhada por um médico e frequentemente faço uma bateria de exames. Hoje, não preciso colocar a prótese, não sinto mais dor, e reduzi o número de medicamentos que tomo”, conclui.

A dança no combate à depressão

Crédito:  Foto
Reprodução Facebook

Loli Lobos, 72 anos, sofria com depressão profunda e se tratava com medicamentos. “Mesmo com muitos remédios, não me sentia feliz. Já tentei o suicídio algumas vezes, inclusive. Comecei a praticar a Zumba® e me apaixonei, pois a sensação a cada aula era maravilhosa e nenhum remédio era capaz de me dar o mesmo”. Há três anos ela se tornou instrutora da modalidade e suas alunas também estão na terceira idade. “De dez remédios que eu tomava, agora só faço o uso de um. Quero ajudar minhas alunas a terem alegria de vida como eu”, comemora.

A Zumba® está presente em mais de 185 países e é praticado por mais de 15 milhões de pessoas semanalmente, em todo mundo. Para encontrar uma aula, acesse www.zumba.com.

Sobre a Zumba® Fitness, LLC

A Zumba® é uma marca de estilo de vida global, que combina dança de diferentes culturas,  entretenimento, em uma experiência de festa de dança. Conhecidas como “dance-party”, as aulas de Zumba® misturam diferentes ritmos mundiais com coreografias fáceis de seguir para um treinamento completo e eficaz. Fundada em 2001, a Zumba® Fitness cresceu e se tornou a maior e mais bem-sucedida empresa do mundo oferecendo um programa de dança. Mais de 15 milhões de pessoas participam de aulas semanais em 200.000 locais em 180 países ao redor do mundo. Além das aulas de Zumba®, a empresa Zumba® Fitness tem outras modalidades como:  Zumba® Step, Zumba® Gold, Zumba® Sentao, Zumba® Toning Aqua Zumba®, Zumba® Kids / Zumba®  Kids Jr. (idades 4-11) e Zumbini® (idades 0-3). O estilo de vida Zumba® é complementado com muitas ofertas de produtos para o consumidor, incluindo kits de DVD, coleções de música, coleções de roupas e calçados, videogames e eventos. Para mais informações sobre os programas e produtos Zumba®, visite Zumba.com.

Assessoria de Imprensa

 

 

INSS cria estratégia para agilizar concessão de benefícios

A partir desta sexta-feira (9), o INSS começa a trabalhar mecanismos para tentar zerar a fila de espera por benefícios. A Estratégia Nacional de Atendimento Tempestivo (ENAT), criada a partir de uma resolução publicada no Diário Oficial da União desta sexta, determina que unidades da Previdência Social e a administração geral do instituto comecem a investir em ações para otimizar a gestão, aumentar a produtividade e a eficiência na análise dos pedidos e na conclusão dos requerimentos de reconhecimento inicial de direitos.

A medida trata dos pedidos de reconhecimento inicial de direitos e prevê que estes sejam concluídos em até 45 dias a partir da entrada dos documentos pelos beneficiários. Apenas casos que tenham pendências de cumprimento de exigência por parte do segurado requerente estariam fora dessa exigência.

Diante da nova estratégia, tanto a Administração Central do INSS, quanto superintendências regionais, gerências e agências da Previdência Social serão obrigadas a reforçar quadros técnicos, logísticos e humanos, para assegurar, de forma permanente, o atendimento tempestivo aos segurados e beneficiários da Previdência Social.

Reprodução

Atualmente, o órgão tem milhões de pedidos aguardando uma decisão. Com a definição da celeridade da análise como regra definitiva, serão definidas metas de atendimento e monitoramento da eficiência e produtividade dos serviços prestados pelo instituto.

O presidente do INSS, Renato Vieira, chegou a sinalizar que até a dinâmica de trabalho poderia ser alterada para que os servidores passassem a ser remunerados a partir de controle de produtividade.

Pelo texto, o órgão também ficará obrigado a divulgar aos servidores, às unidades, aos órgãos de Controle externos e internos e à sociedade, periodicamente, os avanços obtidos com a implementação da estratégia e adotar providências necessárias para aumentar o volume de concessões automáticas de benefícios, com controle e segurança desses benefícios.

Para estimular a implementação do programa, ainda serão mapeadas boas práticas nacionais e internacionais e estimuladas medidas de gestão que contribuam para o aumento da eficiência da análise dos requerimentos de reconhecimento de direitos.

 

 

Agência Brasil