Arquivo da tag: bate

Homem é assaltado após sair de banco e bate carro em Campina Grande

Reprodução
Imagem ilustrativa

Um homem foi vítima de assalto após sair de um banco no bairro do Catolé, em Campina Grande, na tarde de terça-feira (18). Segundo informações da Polícia Militar, a vítima havia sacado uma quantia e foi abordada na saída da agência bancária por dois homens armados.

Ainda de acordo com a polícia, a vítima ficou nervosa com a abordagem e chegou a colidir com uma árvore na frente de casa. Os assaltantes roubaram uma quantia de cerca de R$ 2 mil, além da carteira com todos os documentos e o relógio do homem.

A Polícia Militar realizou buscas nas imediações, mas até as 07h30 desta quarta-feira (18) nem a quantia roubada havia sido recuperada, nem a dupla suspeita de praticar o assalto havia sido presa.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Fim de sessão da CPMI da Petrobras causa bate-boca entre oposição e presidente

Vital_do_Rego56Um bate-boca entre parlamentares da oposição e o presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), marcou a reunião da CPMI desta terça-feira (11). A oposição começou a sessão voltando a negar que tenha feito acordo com os governistas, na semana passada, para não convocar algumas pessoas para depor. Diante disso, o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) solicitou que os requerimentos polêmicos de convocação fossem colocados em votação.

“Para desfazer-se o que foi mal colocado pelo relator [deputado Marco Maia (PT-RS)], só há uma alternativa: nós temos a obrigação de votar hoje todos os requerimentos. E eu começo fazendo o requerimento verbal para a convocação de todos os agentes políticos envolvidos: Leonardo Meireles, Vaccari, senadora Gleisi Hoffmann e ministro Paulo Bernardo”, disse Sampaio.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O presidente Vital do Rêgo anunciou então que a divisão da sessão em duas partes. A primeira para trabalhos administrativos de votação de requerimentos e a segunda para ouvir o atual diretor de contratos da Petrobras, Edmar Diniz. Na primeira parte da sessão, o relator Marco Maia explicou que não houve quórum suficiente e ela foi encerrada. Os oposicionistas pediram, então, que Vital convocasse uma sessão extraordinária após a oitiva do diretor da estatal.

No entanto, após o rápido depoimento de Edmar Diniz, o senador Wellington Dias (PT-PI) anunciou que a sessão deliberativa no plenário havia começado, o que impõe o fim de qualquer sessão nas comissões. Isso levou o presidente Vital do Rêgo encerrar a sessão da CPMI, provocando a ira dos oposicionistas, que queriam, após a ordem do dia no plenário, a retomada dos trabalhos na CPMI para a votação dos requerimentos.

“A tradição é que os membros da Câmara e do Senado se desloquem [ao plenário de suas respectivas casas e depois retornem à comissão], e a oitiva depois continua. E foi o que nós pedimos. Nós requeremos para que houvesse a definição dos requerimentos ao final, e o governo, de forma articulada entre o senador do governo [Wellington Dias] e o presidente da CPI, matou a sessão para impedir isso porque nós tínhamos condição de aprovar os requerimentos. Isso foi para proteger aqueles que pilharam a Petrobras”, disse o deputado Onix Lorenzôni (DEM-RS).

O presidente da CPMI alegou, no entanto, que não tinha opção e convocou nova sessão para a próxima terça-feira (18). “Na forma do Artigo 107 [do Regimento Interno do Congresso Nacional]: coincidir reunião de comissão temporária ou especial com a ordem do dia. Nós estávamos iniciando a ordem do dia no Senado e nós tínhamos a obrigação de encerrar”, alegou Vital do Rêgo.

EBC

Felipe Massa bate com Magnussen e capota na largada do GP da Alemanha

O GP da Alemanha acabou rápido para Felipe Massa. O brasileiro se chocou com Kevin Magnussen, da McLaren, ao fazer a primeira curva do circuito de Hockenheim e capotou. Com sua Williams bastante danificada, Massa abandonou. Já o jovem dinamarquês, apesar do choque, seguiu na corrida. A prova foi interrompida com bandeira amarela para a retirada do carro de Massa e recomeçou logo depois. Acompanhe em Tempo Real.

massa acidente frame formula 1 Hockenheim  alemanha (Foto: Reuters)Felipe Massa capotou na primeira curva do GP da Alemanha de Fórmula 1 (Foto: Reuters)

Apesar do susto, está tudo bem com Felipe Massa. Ele saiu caminhando normalmente de sua Williams e pegou carona no carro médico para voltar ao paddock. Lá, ele visitou o centro médico para exames de precaução e foi liberado logo em seguida.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– Fisicamente estou bem. Lógico que o acidente deve ter sido mais impressionante do que foi dentro do carro. Vi tudo de cabeça para baixo, mas o impacto não foi forte. Estou bem, 100%, não aconteceu nada. Isso é o mais positivo – disse em entrevista à TV Globo.

massa acidente formula 1 Hockenheim  alemanha (Foto: Reuters)Felipe Massa capota na largada do GP da Alemanha (Foto: Reuters)

 

Massa deu sua versão do acidente:

– Tentei fazer a primeira curva até de um jeito mais tranquilo para não entrarem os dois carros da mesma equipe brigando um por dentro e outro por fora. Tirei um pouco o pé para esperar ele fazer a curva e voltar atrás dele, mas o outro carro não pensou a mesma coisa e acabou encostando no meu e eu saí capotando. O que me deixa mais chateado são os muitos pontos que estamos perdendo.

A direção de prova investigou o episódio, classificou como “acidente de corrida”, não considerando ninguém culpado e não aplicando nenhuma punição.

– Estava na frente dele, ele estava atrás de mim. Os carros entrando na curva. Não assisti ainda. Nem sei o que aconteceu. Entrei na curva do lado do meu companheiro. Na hora que eu virei, comecei a curva, senti o toque na roda traseira e saí capotando. É muito difícil para eu responder. É difícil analisar.

 

Por 

Gerente do Procon xinga e bate em funcionário

Janaína Cavadas durante a agressão
Janaína Cavadas durante a agressão

A gerente do Procon de Vitória, Janaina Cavadas Mendes, colocou o cargo à disposição no sábado (5) após um vídeo, em que ela agride verbalmente e fisicamente o funcionário de uma lanchonete, vazar na internet e gerar grande repercussão nas redes sociais.

A situação ocorreu em um estabelecimento na Rua da Lama, na capital, no dia 28 de junho, quando o Brasil venceu a partida contra o Chile. Um dos donos da lanchonete explicou que, depois do ocorrido, o funcionário quer apenas um pedido de desculpas. A mulher foi procurada pela reportagem e reconheceu que errou, afirmando que vai se desculpar.

No vídeo é possível ver Janaina discutindo com um dos funcionários da lanchonete, o que teria acontecido após um pedido atrasar. Ela disse ao rapaz “eu ponho o dedo na sua cara se eu quiser, entendeu? E você cala a sua boca, porque eu sei o que eu estou falando”. Em seguida, falou “você sabe quem eu sou? Não sou filha, não sou parente, eu sou. Sou gerente do Procon. Segunda-feira vocês vão ver”.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além das agressões verbais, ela também bateu no funcionário, após ele falar que a mulher estava dando mau exemplo à filha, que também estava no local. “Cala a sua boca, seu idiota. Não fala da minha filha”, disse a mulher. As imagens foram gravadas por um cliente da lanchonete.

A briga só acabou após a intervenção da família de Janaina e de outros clientes que estavam no local e presenciaram a cena. Um dos donos da lanchonete, Bruno Furtado, afirmou que o funcionário que aparece no vídeo sendo agredido por Janaína gostaria apenas de um pedido de desculpas.

A gerente foi procurada pela reportagem e, por telefone, informou que a situação acabou ocorrendo porque ela foi desrespeitada por uma cozinheira e por uma garçonete, quando reclamou de um pedido atrasado. Sobre ter dito que era gerente do Procon, Janaina Mendes falou que fez isso para mostrar que sabia dos Direitos do Consumidor. Ela reconheceu que errou e afirmou que vai pedir desculpas ao funcionário do estabelecimento.

A prefeitura de Vitória também foi procurada e informou que lamenta o fato ocorrido. A administração confirmou que a servidora pediu desligamento do cargo. A publicação no Diário Oficial sairá nesta semana.

 

Maispb

 

 

 

Bate-boca, frango e reclamações: resumo da rodada do Brasileirão

Ceni volta após seis meses em recuperação (Foto: Divulgação/ São Paulo FC)
Ceni volta após seis meses em recuperação (Foto: Divulgação/ São Paulo FC)

Mais uma rodada do Brasileirão teve início na noite de quarta-feira, e finalmente a emoção parece ter chegado a um campeonato que primava pela chatice nas rodadas iniciais da competição.

Em um dos principais jogos da rodada o Palmeiras encarou o Botafogo em Presidente Prudente, e a derrota dos paulistas por 2 a 0 para o time carioca ficou em segundo plano por “culpa” do zagueiro Lúcio e do atacante Emerson Sheik.

O ex-corintiano acusou Lúcio de tê-lo chamado de gay “como se fosse um monstro”, e Lúcio rebateu lembrando que Sheik se envolveu em problemas com contrabando e que “não era do feitio dele falar esse tipo de coisa”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em outro jogo importante da rodada não teve polêmica, mas um frangaço daqueles que entrarão para a história. Fábio, goleiro do Cruzeiro, falhou feio diante do Corinthians, no Canindé, e permitiu que o Timão, com o gol de Guerrero, vencesse o jogo por 1 a 0 e entrasse no grupo dos quatro melhores do Brasileirão.

Mais um paulista esteve em campo e, mais do que o resultado da partida, algo fora das quatro linhas chamou a atenção. No empate por 2 a 2 com o Atlético-PR, o que valeu foi a bronca do capitão Rogério Ceni, que classificou como vergonhosa a atuação do time no primeiro tempo.

Em jogo sem paulistas, mas com quebra de jejum de gols, o artilheiro Diego Tardelli voltou a marcar e o Atlético-MG bateu o Fluminense por 2 a 0. O centroavante do Galo, autor de um dos gols, não balançava as redes havia 15 partidas.

A quinta-feira também promete ser de emoção, e o principal duelo envolve Bahia e Santos, no Nordeste. O time da Vila entra em campo com o técnico Oswaldo Oliveira pressionado e sem Cícero, que acertou a volta ao Fluminense.

Torcedores.com

Sensação térmica em ônibus que circulam em Niterói bate 50 graus

Niterói embarcou, na última quarta-feira, em quatro ônibus que circulam pela Região Oceânica, pelas zonas Sul e Norte e pelo Centro para registrar a temperatura e calcular a sensação térmica a bordo dos veículos. 

Técnico da UFRJ, Igor Balteiro, registra a temperatura e a umidade em um ônibus da linha 49 ( Fonseca-Centro) fábio rossi
Técnico da UFRJ, Igor Balteiro, registra a temperatura e a umidade em um ônibus da linha 49 ( Fonseca-Centro) fábio rossi

A equipe de reportagem suou a camisa – literalmente – para cumprir a missão. Assim como o valor da tarifa, que aumentou hoje de R$ 2,75 para R$ 3, a marca do termômetro subiu assim que a viagem começou. Na Alameda São Boaventura, no Fonseca, o termômetro marcou 43,4 graus a bordo de um ônibus. A sensação térmica era de 50 graus.

Melhora mesmo, apenas em 2016

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj), somente 21% dos ônibus de Niterói têm ar-condicionado. Isso corresponde a 170 veículos — a frota da cidade conta com 799. Segundo o Setrerj, o município ganhará 27 ônibus refrigerados no mês que vem. Porém, o sufoco da maioria dos passageiros só deverá passar mesmo em 2016. Esse é o prazo previsto num contrato assinado entre as concessionárias que exploram o sistema e a prefeitura. Ainda assim, o acordo só determina que 80% da frota tenha ar-condicionado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Numa nota, o sindicato justifica a situação atual: “O contrato não prevê que todos os carros tenham obrigação de oferecer ar-condicionado. Pelo acordo firmado em 2012, as empresas poderiam ter até 45% da frota com ar, cobrando uma tarifa diferenciada. Essa diferenciação de tarifas, no entanto, foi revogada por decreto do prefeito em junho de 2013”.

Passageiros reclamam do calor

Espremida num ponto de ônibus em frente ao Trevo de Piratininga, a vendedora Regiane Souza tentava fugir da incidência dos raios solares. Era quarta-feira e o relógio marcava 10h30m, em horário de verão. O termômetro – embora faltasse muito para o sol ficar a pino — já se aproximava da casa dos 40 graus. Outros dez passageiros disputavam um espaço na sombra. Foi naquela parada que O GLOBO-Niterói deu início à reportagem. Um veículo da linha 46 (Várzea das Moças-Centro) chegou e a equipe do jornal embarcou. Regiane preferiu ficar: estava decidida a viajar num ônibus com ar-condicionado. Já esperava por um há 20 minutos, mas se recusou a pegar um “quentão’’. Dava para entender, pois a sensação térmica a bordo era de 42 graus. E esse não foi o maior sufoco no caminho.

A experiência contou com aferições do técnico Igor Balteiro, que utilizou um termômetro de confiabilidade do Departamento de Meteorologia da UFRJ. O aparelho mostrava que as temperaturas registradas estavam pareadas com o percentual de umidade relativa no ar (dado utilizado para medir a sensação térmica). Dentro de um veículo da linha 49 (Fonseca-Centro), o equipamento provou que os passageiros estavam cheios de razão ao reclamarem do calor: quando entrou na Alameda São Boaventura, marcou 43,4 graus, e a sensação térmica a bordo chegou a 50 graus. E um detalhe: o ônibus viajava com pouco menos de 20 passageiros.

– Imagine se estivesse lotado. É um absurdo encarar esse calor dentro de um ônibus. Não tinha noção de que o termômetro registraria uma temperatura tão alta, e com o veículo praticamente vazio – reclamou a psicóloga Lione Berber.

Motoristas e cobradores, que pediram anonimato para não serem punidos por suas empresas, contaram que ouvem reclamações de passageiros o tempo inteiro e perderam a conta das vezes que tentaram explicar que não têm culpa alguma pelo problema. Eles também são vítimas e, além do corpo, ficam de cabeça e ouvidos quentes.

– Os micro-ônibus são os verdadeiros “quentões”. O ar não circula dentro deles, e a sensação fica quase insuportável quando ficamos retidos em congestionamentos – disse um motorista.

De fato, a bordo de um micro-ônibus da linha 26 (Caramujo-Centro), a equipe de reportagem teve a impressão de estar dentro de uma pequena sauna móvel. Enquanto o veículo passava pela Rua Teixeira de Freitas, o termômetro marcava 43,1 graus, e a sensação térmica era de 50. Num micro-ônibus com ar-condicionado da linha 47 (Canto do Rio-Centro), o aparelho registrou 16,5 graus a menos.

Especialista aponta riscos para a saúde

O sufoco tão citado nas reclamações de passageiros tem embasamento científico. Na avaliação de Antônio Cláudio Nóbrega, professor de Fisiologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), a sensação térmica de 50 graus é desumana:

– Um calor dessa intensidade dentro de um veículo provoca reações psicoemocionais, tais como irritabilidade, agitação e falta de disposição, e de natureza orgânica, tais como sudorese, sonolência e cansaço extremo. Isso tudo afeta a qualidade de vida das pessoas. E, no caso de quem tem pré-disposição para doenças cardíacas, hipertensão e diabetes, existe o risco de infarto e arritmia.

Ainda de acordo com Nóbrega, a temperatura ideal a bordo de um ônibus é de 26 a 29 graus.

ISABEL DE ARAUJO

Banco do Brasil lucra R$ 15,8 bilhões em 2013 e bate recorde em faturamento

banco-do-brasil O Banco do Brasil (BBAS3) fechou o ano de 2013 com lucro líquido de R$ 15,8 bilhões e bateu novo recorde. Isso representa uma alta de 29,5% em relação a 2012, quando o lucro tinha sido de R$ 12,2 bilhões.

As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (13) pelo banco, a maior instituição financeira da América Latina por ativos. Com esse resultado, o BB superou o obtido pelo Itaú Unibanco, que registrou lucro líquido de R$ 15,7 bilhões em 2013.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O balanço do BB foi fortemente ajudado pelos ganhos com a venda de ações da BB Seguridade, empresa de seguros, previdência e capitalização do banco. Esse evento teve um impacto de R$ 9,82 bilhões no lucro líquido contábil. Se não fosse por isso, o lucro do BB teria tido queda em relação a 2012.

No ano, a remuneração aos acionistas atingiu R$ 6,3 bilhões, o que equivale a 40% do lucro líquido, sendo R$ 3,3 bilhões na forma de juros sobre capital próprio e R$ 3 bilhões em dividendos.

Lucro do 4º trimestre cai em 2013 No quarto trimestre, o lucro líquido foi de R$ 3,025 bilhões, após ter lucrado R$ 2,704 bilhões no terceiro trimestre. Em relação ao quarto trimestre de 2012, o lucro caiu 23,2%.

Queda dos calotes O número de dívidas em atraso ficou abaixo da média nacional no ano passado. As dívidas vencidas há mais de 90 dias representaram 1,98% da carteira de crédito total do banco; a média nacional é de 3%.

Financiamento imobiliário sobe 87%

A carteira de crédito ampliada do Banco do Brasil atingiu R$ 692,9 bilhões em dezembro, crescimento de 19,3% em 12 meses e 6,2% em relação ao trimestre anterior.

Em 2013, o financiamento imobiliário teve alta de 87,2%, com saldo de R$ 24,1 bilhões. O financiamento imobiliário às empresas cresceu 122,6%, atingindo saldo de R$ 5,9 bilhões e o financiamento às pessoas físicas cresceu 78,0% no mesmo período, com saldo de R$ 18,2 bilhões .

Em relação ao volume contratado no trimestre, as pessoas físicas responderam por R$ 3,2 bilhões enquanto as empresas representaram R$ 2,5 bilhões.

Crédito ao agronegócio chega a R$ 144 bi Em 2013, o crédito ao agronegócio subiu 34,5% (R$ 144,8 bilhões). O BB ampliou a liderança no segmento, atingindo 66,1% da participação no mercado. Destaques para as operações de crédito agroindustrial, que atingiram saldo de R$ 34,6 bilhões, evolução de 60,9% em 12 meses.

Na safra 2013/2014, os desembolsos efetuados já somam R$ 42,3 bilhões e são 27,2% superiores se comparados ao mesmo período da safra anterior. A agricultura empresarial representou desembolsos de R$ 34,1 bilhões, e a agricultura familiar, R$ 8,3 bilhões.

Crédito às MPEs sobe 12%

O crédito a empresas subiu 19,5% (R$ 323,2 bilhões). As operações de crédito para micro e pequenas empresas (MPE) apresentaram crescimento de 12,3% em 12 meses. A principal evolução foi observada nas operações de investimento, que registraram evolução de 25,2% no mesmo período.

Lucro em alta no Itaú e no Bradesco; calotes em queda

A redução dos calotes no quarto trimestre e menores despesas com provisões para perdas com calotes ajudaram os resultados dos bancos privados.

Na semana passada, o Itaú Unibanco (ITUB3, ITUB4) anunciou lucro líquido de R$ 15,695 bilhões em 2013, alta de 15,5% em relação ao obtido em 2012 (R$ 13,594 bilhões).

Só no quarto trimestre, o lucro líquido do banco foi de R$ 4,646 bilhões. O resultado recorde para o período foi alcançado graças à redução da inadimplência, aumento de receitas e expansão maior que a estimada da carteira de crédito.

O Bradesco (BBDC4) divulgou lucro líquido de R$ 12,011 bilhões em 2013. O valor é 5,5% maior que o registrado em 2012 (R$ 11,381 bilhões), e bate novo recorde.

Já o lucro do Santander Brasil (SANB11) caiu 9,7% em 2013, para R$ 5,7 bilhões. Em 2012, o banco já tinha registrado queda de 5% no lucro em relação ao ano anterior, com lucro líquido de R$ 6,329 bilhões.

UOL com Reuters 

Condutor perde controle de moto, bate e derruba dois postes entre Bananeiras e Solânea; dois ficam feridos

Uma moto  derrubou dois postes de luz no final da tarde deste sábado (01), na PB 105, rodovia que liga Bananeiras a Solânea, na Paraíba. Devido ao acidente, o trânsito ficou bastante congestionado.

De acordo com a Polícia, o condutor da moto Honda XR Tornado 250, Emerson Tiago da Silva Lins, 20 anos, residente à Rua Dionísio Rodrigues, juntamente com o carona, Francisco Gomes da Silva, 34 anos, agricultor, residente à Rua São Pedro, vulgo (Rabo da Gata), ambos de Solânea-PB, perdeu o controle da motocicleta e chocou-se contra um poste, com o impacto um poste caiu derrubando o outro. O acidente aconteceu por volta das 16h.

 Segundo a Polícia, o motivo do acidente foi excesso de velocidade. Os dois tiveram ferimentos em seus membros inferiores (pernas), mas não correm risco de morte. As vítimas foram socorridas pela equipe do SAMU de Bananeiras e Solânea e conduzidas para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Compareceram ao local as viaturas da Polícia Militar comandadas pelo Sargento Alcântara, Cabo Alves Filho e cabo Lira da 2ª Cia de Polícia de Solânea.

 


Bananeiras Online

Veículo bate em árvore após desviar de caminhão no centro de Solânea-PB

Na manhã desta quarta-feira, 24, próximo a Praça 26 de novembro no centro de Solânea, o motorista de um celta colidiu em uma árvore, após desviar de um caminhão.

O desempregado Walberto França do Nascimento de 19 anos, residente na Rua candido de Sousa s/n, colidiu com uma árvore no centro da cidade de Solânea.

O acidente aconteceu por volta das 11h30, quando o desempregado, Walberto França do Nascimento de 19 anos, residente na Rua Cândido de Sousa, perdeu o controle do Celta de placas MOJ 4897 – PB, depois de desviar de um caminhão que passava no local, vindo atingir um morador que estava sentado na frente de sua da residência em uma cadeira, mas sem gravidade.

Policiais da 2º Cia de Polícia de Solânea, após realizar todo o levantamento, descobriu que o motorista não era habilitado e que o mesmo já tinha sido preso por porte ilegal de arma e, portanto, o caso foi entregue a delegacia civil do município de Solânea para as providencia cabíveis.

Bananeiras Online com diariodobrejo.com

Em noite de Nem e Samuel, Flu bate o Santos e é o novo líder do Brasileiro

Após desperdiçar a chance de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro na rodada passada, quando permitiu que o Figueirense empatasse um jogo em que vencia por 2 a 0, o Fluminense desta vez não deu chances ao azar. Com dois gols de Wellington Nem, no primeiro tempo, e um golaço de Samuel, na etapa final, o Tricolor derrotou o Santos, por 3 a 1, nesta quinta-feira, no Engenhão, e ultrapassou o Atlético-MG na classificação, agora com 47 pontos, dois a mais que o Galo.

A renda somou R$ 238.450, com um público pagante de 13.007 pessoas (15.874 presentes). Na próxima rodada, o Tricolor vai a Porto Alegre para enfrentar o Inter, no domingo, às 16h (de Brasília). O Peixe enfrenta o São Paulo, na Vila Belmiro, no mesmo dia e horário.

Os dois times mostraram logo de cara quais posturas iriam adotar: o Fluminense tomando a iniciativa de atacar, quase sempre pelo lado esquerdo, com a marcação mais adiantada, tentando dificultar a saída de bola do adversário, e o Santos fechado, saindo com muita velocidade nos contra-ataques. E foi desta forma que o time paulista apareceu primeiro com perigo na frente, tendo uma chance claríssima desperdiçada por Bill, aos 11.

Samuel Rosa, Fluminense e Santos (Foto: Dhavid Normando / Photocamera)Samuel comemora, observado por Wagner, o terceiro do Flu (Foto: Dhavid Normando/Photocamera)

As defesas apresentavam muitos espaços e diversas chances de gol foram criadas pelas duas equipes. O Tricolor teve a sua primeira em chute forte de Jean, da meia-lua, que Rafael defendeu bem, aos 15, e a segunda com Nem se esticando todo na pequena área para tentar empurrar a bola para a rede após cruzamento de Carlinhos, mas jogando a bola fora, um minuto depois. Sempre no contra-golpe, o Peixe ainda criou uma grande chance muito mal concluída por Gerson Magrão, aos 18.

No entanto, dois minutos depois o time carioca abriu o marcador com jogada parecida com o lance ocorrido aos 16: Jean, que fez grande partida, cruzou da esquerda na medida para Nem se jogar na bola na pequena área e mandá-la por baixo de Rafael para marcar. O Tricolor se empolgou e quase fez o segundo, com Thiago Neves. Mas, o Santos passou a marcar mais à frente e numa falha de Digão, que não conseguiu cortar um cruzamento de Gerson Magrão, André deu um carrinho para completar de perna direita, na pequena área, e empatar o jogo, aos 28.

Foi só empatar que o Peixe voltou a jogar como antes. E nos contra-ataques a equipe paulista era muito veloz e perigosa, tanto que quase fez o segundo gol desta forma num lance individual de Bruno Peres deslocado pela meia esquerda, arrancando de seu campo e concluindo na área adversária, para boa defesa de Cavalieri, aos 40. Só que o lateral-direito do Santos levava sufoco lá atrás: novamente pelo lado esquerdo, Wagner e Carlinhos tabelaram, e o meia cruzou na medida para o baixinho Nem fazer de cabeça o segundo, no canto direito de Rafael, aos 43.

Samuel faz golaço e impede reação do Santos

A desvantagem fez o time de Muricy Ramalho voltar para o segundo tempo mais à frente. O risco era passar a dar chance ao Flu, que não recuou, ameaçar também em contra-golpes, mas não havia muita alternativa. Para tentar melhorar a produção de seu ataque, o técnico santista pôs logo aos 10 minutos Patricio Rodríguez no lugar de Bill. Com os dois times atuando ofensivamente o jogo ficou aberto, mas por erros de passes em alguns momentos, e a insistência de alguns jogadores em carregar demais a bola, em outros, não houve tantas chances de gol claras como na primeira etapa.

A partida passou a ficar muito presa às duas intermediárias, e Muricy resolveu mexer no meio de campo do Santos, com a entrada de Bernardo, ex-Cruzeiro e Vasco, no lugar de Éwerton Páscoa, aos 26. Logo depois, Wellington Nem sentiu dores na pantiurrilha esquerda e foi substituído por Rafael Sobis. Quando o time paulista parecia que exerceria uma pressão sobre o a equipe da casa, num contra-ataque, Samuel fez um golaço que decidiu o jogo. O jovem centroavante recebeu no bico da grande área, pela esquerda, ajeitou para o meio e colocou a bola no ângulo esquerdo de Rafael, que nada pôde fazer: Flu 3 a 1.

Em festa, a torcida tricolor aproveitou para provocar e xingar o treinador santista, que era o técnico do time carioca na útima vez em que havia sido líder do Brasileirão: quando conquistou o título de 2010, com a vitória 1 a 0 sobre o Guarani, na última rodada da competição daquele ano. Magoada com a saída do treinador no meio da Libertadores de 2011, justamente para o Santos, os tricolores cantaram “Oh Muricy, vai se f…, o Fluminense não precisa de você” e depois gritaram o nome de Abel. A partir do terceiro gol, o Tricolor passou a administrar a vantagem, sem dar muitos espaços para o adversário e ainda criando oportunidades para transformar a vitória em goleada. Mas nem foi preciso.

Globoesporte.com