Arquivo da tag: BARRIGA

Aposte neste treino de 15 minutos para definir a barriga

Que tal conquistar um abdômen tonificado com uma série que toma apenas alguns instantes do seu dia? Essa é a proposta deste treino de 15 minutos para definir a barriga!

Abaixo você confere tudo que precisa saber sobre os movimentos e seus benefícios para o corpo. Confira e adicione já à sua rotina!

O que é

Um treino de corpo inteiro que promove uma cintura longa e fina de uma maneira inesperada e prática, criado por Jonathan Mike, especialista em força e condicionamento, dos Estados Unidos.

Por que funciona

Seu core é mais que o abdômen – ele inclui glúteos e músculos na lombar e pélvis. Essa
rotina recruta os membros superiores e inferiores para ensinar esses músculos do meio a trabalharem como um time e, como resultado, você se move mais rápido, evita lesões e levanta mais peso.

Como fazer

Siga esta rotina 2 vezes por semana como um circuito: comece com o primeiro e passe direto para o próximo sem descansar. Depois de passar por todos os movimentos, descanse por 3 minutos. Complete um total de 3 rodadas.

#meucorporeal

“Como dançarina, eu sei que minha força vem do core”, diz Amanda Robinson, norte-americana de 19 anos, bailarina profissional e modelo nesta página. “Amei essa rotina, é muito mais energizante que um treino comum para o abdômen.”

Treino de 15 minutos para definir a barriga

1. Rolamento da medicine ball

Foto Beth Bischoff

A. Ajoelhe no chão com os joelhos afastados na largura do quadril e os pés juntos e coloque as mãos em uma medicine ball diretamente abaixo dos seus ombros.

B. Mantendo o core tensionado, role a bola para longe de você, aproximando o tronco do chão. Faça o movimento inverso para voltar ao início. Essa é 1 repetição. Faça de 6 a 8.

2. Prancha de um braço só com a medicine ball

Foto Beth Bischoff

A. Fique na posição de prancha com a mão esquerda em cima da bola.

B. Mantendo o core tensionado e o corpo estendido, leve a mão direita até o ombro esquerdo. Segure por 15 a 30 segundos e então repita do outro lado.

3. Elevação de quadril com faixa de resistência

Foto Beth Bischoff

A. Coloque uma faixa de resistência acima dos joelhos e sente em frente a um banco, com os pés plantados no chão, os ombros apoiados no banco e os glúteos poucos centímetros acima do chão.

B. Empurre os calcanhares no chão e contraia os glúteos para erguer o quadril até que fiquem alinhados com os ombros.

C. Retorne ao início, levante o quadril novamente e, então, erga o joelho direito até que a canela fique paralela ao chão. Abaixe e então repita os passos do outro lado. Continue alternando até um total de 20 repetições.

4. Elevação de braços com faixa de resistência

Foto Beth Bischoff

A. Fique de pé com uma ponta da faixa de resistência abaixo do pé direito e a outra na mão direita, na altura do ombro, com o cotovelo virado para fora.

B. Contraia o core e leve a faixa para cima da cabeça até que o braço fique totalmente estendido. Pause e então retorne. Essa é 1 repetição. Faça de 12 a 15 e então faça o mesmo do outro lado.

womenshealthbrasil

Bebê de paraibana atingida por tiro na barriga em favela do RJ está em situação grave

O recém-nascido Arthur, baleado na barriga da mãe, Claudineia dos Santos Melo, na sexta-feira (30), no Rio de Janeiro, está em situação muito grave. A mãe e o bebê foram atingidos em um tiroteio na comunidade do Lixão, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense. A bala atravessou o tórax do bebê, deixando-o paraplégico. Claudineia dos Santos é paraibana, natural de João Pessoa. Ela mora no Rio com o companheiro, Klebson Cosme, que é da cidade de Natuba, Agreste da Paraíba, a 243 km de João Pessoa.

O bebê Arthur está internado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna. Já Claudineia dos Santos está internada na Unidade de Pacientes Graves do Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Duque de Caxias, a última avaliação feita na paciente, no início da noite do sábado (1º) mostra que sua situação é estável.

Claudineia dos Santos, de 29 anos, estava grávida de 39 semanas. Ela chegou lúcida ao hospital e, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, contou que foi atingida pelo disparo ao ir ao mercado e ser surpreendida por um tiroteio na localidade conhecida como Vila Leal, no Centro do município.

O caso está sendo investigado pela 59ª Delegacia Policial (Duque de Caxias) que apura informações de que criminosos armados atiraram contra viatura da Polícia Militar, que trafegava pela via onde Claudineia foi baleada. Os agentes buscam possíveis testemunhas e imagens de câmeras de segurança que possam ajudar a esclarecer os fatos.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que fez operação na comunidade conhecida como Lixão na tarde da sexta-feira (30) e prendeu três homens. Ainda segundo a PM, os militares foram alvos de criminosos e logo depois informados por transeuntes que uma mulher grávida havia sido baleada.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Alicia Keys posa nua para foto com símbolo da paz na barriga

alicia-keysCom milhares de seguidores nas redes sociais, Alicia Keys resolveu aproveitar a exposição para fazer o bem. E para chamar ainda mais atenção, ela fez isso nua. A cantora publicou uma foto em que aparece com apenas as mãos cobrindo os seios e o símbolo da paz desenhado em seu barrigão de grávida em prol de uma campanha de caridade.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Aos 33 anos, Alicia espera seu segundo filho com o marido, Swizz Beatz. A criança deve nascer em dezembro. Engajada em ações sociais desde que viajou pelo Oriente Médio, a cantora ajuda cerca de 12 instituições e dividiu US$ 1 milhão de seu próprio dinheiro entre elas.

A campanha #WeAreHere, ou Nós Estamos Aqui em tradução livre, visa incentivar as pessoas a fazer a diferença no mundo. Alicia inclusive compôs uma música de mesmo nome como tema da ação.
Alicia Keys exibe seu corpo de grávida por uma boa ação (Foto: Reprodução Instagram)

 

Revista Monet

Anvisa proíbe venda do emagrecedor ‘Seca Barriga em Cápsulas’

RemédiosA fabricação, distribuição e comercialização de todos os lotes do produto “Seca Barriga em Cápsulas” estão proibidas no Brasil. A determinação é da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vale a partir desta terça-feira.

Uma resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU) informa que a diretoria de Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina encaminhou à Anvisa informações sobre a “inexistência de CNPJ e Inscrição Estadual, além de endereço falso do fabricante”. Segundo o texto, o rótulo do “Seca Barriga” informa falsamente que o produto é fabricado pelo Laboratório Quallys Ltda, em Rio do Campo (SC).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Também foi proibido nesta terça-feira o produto “Extreme Liss Restore Argan Charis Professional”, fabricado pela empresa Di Fiorena Indústria Cosmética. Segundo a Anvisa, uma auditoria apontou que a ação de alisamento capilar do produto é diferente daquela informada pela empresa. O estoque existente no mercado deverá ser recolhido.

Veja

Conheça os sucos e chás que ajudam a perder a barriga, além de desinchar e regularem o intestino

Getty Images
Getty Images

Qualquer ajuda é válida na hora de mandar embora os pneuzinhos da barriga. Se ela vier de uma receita fácil de fazer e simples de incluir no dia a dia, melhor ainda. O ingrediente certo na hora adequada pode ser a diferença entre fechar ou não o botão da calça.

 

Para secar essa região do corpo, frutas com propriedades antioxidantes e misturas que podem ajudar a reduzir a gordura corporal, eliminar gases e facilitar o trânsito intestinal são as mais indicadas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“O chá verde é uma ótima pedida, porque ajuda na queima de gordura, além de ser diurético. O abacaxi também tem essa propriedade e ainda é anti-inflamatório”, exemplifica a personal diet Luciana Harfenist, diretora da clínica de nutrição que leva seu nome.

Para fazer o intestino preguiçoso funcionar, a nutricionista Gabriela Paschoal, da VP Consultoria, aconselha: “Aproveitar o bagaço de algumas frutas, como laranja, ou folhas verde-escuras, como a couve, são duas propostas que podem ajudar.”

 

Se o objetivo é desinchar a região abdominal, alguns alimentos intereferem na modulação dos níveis de prolactina, principalmente durante o período pré-menstrual, e auxiliam na diminuição de água acumulada, explica Paschoal. Melancia, limão, abacaxi, farelo de aveia e água de coco são as indicações da nutricionista.

 

Confira as receitas:

Diuréticos e reguladores do intestino

Suchá verde (mistura de chá verde com fruta)
Ingredientes:
2 colheres de sopa de chá verde (erva)
260 ml de água
1 xícara de água fervente
1 fatia de abacaxi
hortelã a gosto

Preparo:
Faça primeiro o chá verde. Ferva 260 ml de água. Desligue o fogo, coloque as duas colheres de chá verde e tampe a panela. Deixe esfriar por aproximadamente 15 minutos. Bata no liquidificador com o abacaxi e a hortelã e sirva.

Suco de melão, hortelã e biomassa de banana verde
Ingredientes:
1 colher de sobremesa de biomassa de banana verde
100g de melão
3 folhas de hortelã
240ml de água filtrada

Preparo:
Biomassa de banana verde: lave uma unidade de banana verde e coloque, com casca, em uma panela de pressão com água. Deixe cozinhar até formar pressão. Após quinze minutos sob pressão, desligue o fogo e retire, com cuidado, as bananas da panela. Amasse até ficar na consistência de uma massa.
Bata a colher de biomassa de banana verde, juntamente com o melão picado, as folhas de hortelã e a água no liquidificador. Sirva.

Para desinchar a região abdominal

Suco de abacaxi com água de coco e chá de erva-cidreira
Ingredientes:
100g de abacaxi
140ml de água de coco
10g de erva-cidreira

Preparo:
Faça a infusão da erva-cidreira em 100ml de água fervida e leve à geladeira. Depois que estiver gelado, coloque o chá, juntamente com o abacaxi picado e a água de coco. Bata tudo e sirva.

Detox

Suco verde com maçã e gengibre
Ingredientes:
1 folha pequena de couve-manteiga orgânica
½ maçã com casca
Raspas de gengibre
240 ml de água filtrada

Preparo:
Higienize bem os alimentos . Rasgue a couve, pique a maçã, raspe o gengibre e coloque tudo no liquidificador junto com a água. Se quiser, pode acrescentar uma colher de sobremesa rasa de açúcar demerara. Sirva.

Para acelerar o metabolismo

Suco de chá verde com limão e gengibre
Ingredientes:
200ml de infusão de chá verde
100ml de suco de limão
Raspas de gengibre

Preparo:
Coloque tudo no liquidificador e bata. Se quiser, pode acrescentar 1 colher de sobremesa de açúcar demerara. Sirva.

 

 

iG

No Sertão: acusada de torturar filho de dois anos é encontrada morta com vela na barriga

AcusadaA Polícia Militar encontrou no Sertão da Paraíba o corpo de uma mulher com sinais de espancamento e com uma vela sobre a barriga. A vítima já foi presa por espancar o filho de dois anos e era acusada de torturar a criança.MÁGIA

De acordo com informações da Polícia, Maria José Alves Tenório, de 27 anos, foi encontrada morta por um grupo de garotos que brincavam por trás do Colégio Diocesano Padre Rolim, e avistaram o corpo da mulher já sem vida. Ela foi encontrada com uma perfuração de faca no pescoço, sinais de violência , corpo estava bastante ensangüentado e em cima do corpo foi encontrada uma vela que queimou na barriga mulher.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Maria José Alves Tenório já tinha passagem pela Polícia. Ela espancou violentamente sua filha de dois. A agressão aconteceu no dia 03 de fevereiro de 2013, na cidade de Cajazeiras.

Na época, testemunhas informaram à Polícia que a criança estava brincando perto de uma vela, quando viu uma nota de R$ 5, pegou e queimou. Maria José Alves Tenório ao ver o dinheiro sendo queimado passou a espancar violentamente seu filho, com várias chicotadas.


Mais PB com Diário do Sertão

Gordura da barriga aumenta risco de osteoporose em homens

gorduraA gordura da barriga – localizada da cavidade abdominal – tem sido associada com doenças como diabetes tipo 2, doença cardíaca e até morte precoce. Agora, um novo estudo mostra que a gordura abdominal também pode ser um fator de risco para a osteoporose, pelo menos para os homens.

Pesquisadores de Harvard encontraram uma associação entre a maior quantidade de gordura da barriga e a diminuição da força óssea em homens, de acordo com um estudo apresentado na reunião anual da Sociedade Radiológica da América do Norte. Pesquisas anteriores também já haviam chamado atenção para uma associação entre a gordura da barriga e a diminuição da densidade mineral óssea em mulheres.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
“É importante para o homem estar ciente de que o excesso de gordura da barriga não é apenas um fator de risco para doenças cardíacas e diabetes, também é um fator de risco para a perda óssea”, afirma o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, (CRM-SP 60.377), idealizador da VI Caminhada de Combate à Osteoporose.

O estudo incluiu 35 homens com idade média de 34 anos. O IMC médio foi de 36,5. Os participantes do estudo foram submetidos a tomografia computadorizada de abdômen e coxas, de modo que os pesquisadores puderam ver a quantidade de gordura e massa muscular que eles tinham. A resistência óssea e o risco de fratura dos ossos foram também calculados por análise de elemento finito, técnica utilizada para calcular o ponto onde outros materiais (tais como os de pontes, etc) podem quebrar ou dobrar.

Os pesquisadores descobriram que nem o IMC e nem a idade tiveram qualquer efeito sobre testes de força dos ossos, mas a quantidade de gordura da barriga fez diferença, com mais gordura na barriga, um homem obtém uma menor pontuação em medidas de força dos ossos. Os pesquisadores também encontraram uma associação entre ter mais massa muscular e o aumento da resistência óssea.

Outros estudos também têm sugerido uma ligação entre a gordura e a saúde dos ossos. Um estudo de 2007, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, mostra que pessoas com gordura corporal elevada têm ossos mais fracos em comparação com pessoas com quantidades normais de gordura corporal. O estudo também mostrou que tanto aqueles com valores de gordura mais elevados e os que apresentavam um índice normal de gordura corporal tinham resistência óssea semelhante. Inicialmente, os pesquisadores esperavam que as pessoas com mais gordura corporal teriam maior força óssea.

Da mesma forma, um estudo de 2007, publicado no the Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, mostrou que o aumento de gordura corporal está relacionada com menor massa óssea. Os pesquisadores revelaram que o pensamento anterior de que a obesidade pode realmente aumentar a massa óssea, servindo, assim, como um fator de proteção contra a osteoporose, é falho, pois não leva em conta o quanto o peso de uma pessoa pode influir sobre a sua massa óssea.

Osteoporose é coisa de homem também

“Nas mulheres, a osteoporose é diagnosticada bem mais cedo do que em relação aos homens. Geralmente, elas ficam sabendo da doença quando entram na menopausa. Já eles, são mais acometidos por volta dos sessenta e cinco anos, quando a doença atinge um em cada oito. Nos homens, a osteoporose está associada a inflamações crônicas e distúrbios renais. Por isso, uma das pistas para investigar se o esqueleto masculino está perdendo massa óssea é saber se o paciente sofre de artrite reumatoide”, explica Sergio Bontempi.

O acompanhamento médico apropriado seria o suficiente para impedir o aparecimento e a evolução da osteoporose, mas os homens não têm o costume de fazer exames preventivos. O exame básico para diagnóstico e controle da osteoporose é a densitometria óssea. “O procedimento é rápido e simples, além de conseguir detectar níveis iniciais da doença, permite verificar a perda de massa óssea e determinar os riscos de fratura nos ossos comprometidos”, observa o diretor do Iredo.

Em geral, costuma-se pedir a primeira densitometria óssea quando a mulher completa quarenta anos, para observação de massa óssea e/ou para fazer o diagnóstico precoce da doença. “Para os homens, a recomendação é fazer o exame, logo após completarem sessenta e cinco anos”, diz o organizador da VI Caminhada de Combate à Osteoporose.

Assessoria

Sente medo e aquele frio na barriga na hora de falar em público? Saiba como superar

Thinkstock
Thinkstock

Saber se comunicar passou a ser um dos requisitos básicos para quem deseja uma promoção, se destacar em uma entrevista, vender um produto ou apenas manter o emprego atual. Falar com desenvoltura em público e fazer boas apresentações é uma técnica que se aprende. E mesmo os mais tímidos podem se sobressair e impressionar chefes, clientes e colegas.

De olho nesse nicho, há várias empresas e especialistas que ensinam estratégias e dão dicas de como fazer uma boa apresentação. “Falar em público é fundamental para qualquer profissional, independentemente da área de atuação. Ao usar a palavra e argumentar de forma correta, o profissional passa uma imagem positiva que fortalece sua carreira”, afirma Roberta Andrade, da ACT Comunicação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além de falar com segurança, outras habilidades são importantes: como saber usar a expressão corporal, cuidados com a voz, entonação, vestimenta, saber usar recursos audiovisuais e capacidade de organizar ideias e dados.

Reinaldo Polito, professor de expressão verbal, palestrante e escritor, explica que, durante a carreira, não há como escapar de fazer apresentações. “Quanto mais elevada for sua posição hierárquica, mais precisará usar a comunicação. Terá de participar de reuniões, apresentar projetos, discutir propostas, motivar equipes e tantas outras atividades que dependem da expressão verbal”.

De acordo com os especialistas, qualquer pessoa pode superar as dificuldades e aprender a falar com segurança. Polito explica que o o medo de falar em público ocorre por quatro motivos essenciais, possíveis de controlar: “Falta de conhecimento sobre o assunto, de ordenação didática do pensamento, não ter prática e experiência no uso da palavra em público e falta de autoconhecimento”, lista ele.

Para Fernando Pereira de Jesus, diretor do Instituto Fale Bem, fazer uma boa apresentação é uma questão de experiência. “As pessoas não sabem se comunicar porque fugiram das oportunidades ao longo de suas vidas. Quando tinha que apresentar um trabalho na escola, na faculdade e no ambiente profissional, preferiram que um colega apresentasse o projeto”, diz ele. “Quanto mais a pessoa falar, mais destreza adquire”.

Dez dicas para lidar com o nervosismo nas apresentações em público

1. Deu branco: use recursos para se apoiar, como a apresentação no Power Point ou um roteiro impresso com palavras-chave. “Se uma apresentação é feita apenas verbalmente, depois de três dias os ouvintes se lembrarão de apenas de 10% do que foi transmitido. Se for feita com auxílio de recursos visuais, depois de alguns dias, os ouvintes se lembrarão de 65% da mensagem. Só devemos tomar cuidado para não abusar dos recursos visuais ou ficar lendo o tempo todo”, explica o professor Reinaldo Polito.

2. Memorização: Redija o texto para cada tela do Power Point, ensaie, depois deixe o texto de lado e treine sem olhar para a tela. Quando surgir o slide, o orador deve saber o que falar. “Familiarize-se com cada lâmina para evitar os brancos”, diz Fernando, do Instituto Fale Bem.

3. Treine em voz alta: “Para aproveitar bem a voz, é preciso pronunciar bem as palavras”, diz Polito. Leitura diária em voz alta de textos de jornais, revistas ou livros pode ajudar a melhorar a pronúncia e a respirar melhor, segundo ele. “Ao ler em voz alta, repita as palavras que achar mais difíceis ou que se repetem no texto. Ao pronunciar os verbos, enfatize bem as letras R ao final das palavras”.

4. Fale com o espelho: o melhor exercício de oratória é praticar, principalmente a introdução e a conclusão. “Treine toda a apresentação em frente ao espelho, prestando atenção no gestual, que deve ser harmônico com o discurso”, diz Fernando, do Instituto Fale Bem. Você também pode se apresentar para alguém da família ou filmar a apresentação para se avaliar depois.

5. Chegue cedo: chegar uma hora ou 30 minutos antes do horário de início da apresentação e conversar com as pessoas que vão chegando ajuda a manter a calma. Se forem desconhecidas, então, faz com que você se sinta mais à vontade com elas antes de ter de se apresentar.

6. Olhe para a plateia:  “A comunicação visual deve atingir três objetivos: observar a reação dos ouvintes; prestigiar a presença das pessoas e quebrar a rigidez postural na hora de olhar para um lado e para o outro”, diz Polito, que sugere olhar sempre para todos os lados da plateia.

7. Respire corretamente: a respiração mais prolongada, soltando o ar lentamente ao falar, também ajuda. Se a pessoa sofre de ansiedade e tem a respiração ofegante, muito curta, demonstra insegurança. Treine: inspire e segure o ar no abdome, depois vá soltando devagar pelo nariz.

8. Cuidado com a monotonia: a entonação e o volume da voz são fatores importantes para uma boa comunicação. A pessoa que fala muito baixo e numa mesma entonação torna a apresentação monótona. “É importante usar volume de voz suficiente para que todos possam ouvir bem. Mas a pessoa deve alternar o volume e a velocidade da fala para que o ritmo seja sempre agradável e motivador”, afirma Polito.

9. Expressão corporal: os dois maiores defeitos da gesticulação são a falta e o excesso de gestos, sendo que o excesso costuma ser mais grave do que a falta. Polito afirma que, de maneira geral, a pessoa deve evitar falar o tempo todo com as mãos nos bolsos, com os braços nas costas ou cruzados na frente do corpo em posição defensiva. “É preciso evitar, também, ficar apoiado de maneira desleixada sobre uma das pernas ou mantê-las muito abertas ou muito fechadas”.

10. O início da apresentação é o momento mais delicado: para contornar esses difíceis instantes iniciais, a pessoa deve começar a falar um pouco mais devagar e mais baixo para não deixar que sua instabilidade seja projetada. “Se a pessoa levou algumas anotações, arrume os papéis sem pressa. Ajeite sem precipitação a altura do microfone. Cumprimente uma a uma as pessoas que compõem a mesa diretora. Deixe as mãos sobre a mesa ou a cadeira para não permitir que o tremor seja percebido. Todos esses cuidados são importantes para conquistar um pouco mais de confiança”, afirma Polito.

 

Uol

Abdominais: desvende nove fatos sobre o exercício para a barriga

exercicioNa academia, no tapete da sala ou até com aparelhos específicos. Quem nunca tentou, pelo menos uma vez na vida, praticar abdominais? Se a sua resposta é afirmativa, você provavelmente estava buscando uma barriga com músculos mais definidos. O abdominal é um ótimo exercício quando o objetivo é alcançar a famosa barriga tanquinho, mas ainda existe muita confusão quanto a sua verdadeira ação. Será que ele emagrece? Queima gordura? Fortalece os músculos? Descobrimos as respostas para essas e muitas outras dúvidas. Desvende a seguir os mitos e verdades do exercício abdominal.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O abdominal queima a gordura da barriga?

Ir à academia perder a barriga para o verão parece não ser uma tarefa complicada. Para ficar com a barriga definida basta fazer abdominais, certo? Errado. Além do sobe e desce do tronco, é preciso acabar com a camada de gordura que se acumulou na parte abdominal. “O abdominal busca o fortalecimento e a tonificação dos músculos, e não a redução dessa gordura localizada, algo que é muito sutil nesse tipo de exercício”, explica o educador físico Ivaldo Larentis, personal trainer. Para eliminá-la, o ideal é apostar em exercícios aeróbicos, como a caminhada e a corrida. Os abdominais devem ser parte de um treino mais completo para queimar a gordura e deixar os músculos da barriga tonificados.

Abdominal - foto: Getty Images

Fazer abdominais antes de emagrecer faz enrijecer a capa de gordura da barriga em vez de endurecer os músculos?

Como você viu, os abdominais não são os melhores exercícios para derreter a gordura localizada na barriga. No entanto, isso não significa enrijecimento da gordura ou dificuldade em perder a barriguinha. Ao contrário, músculos fortes melhoram a circulação sanguínea na região, melhorando o metabolismo local e, por consequência, a queima da gordura. Mas esse como dito acima esse processo é muito discreto com os abdominais, para eliminar a gordura localizada só mesmo associando abdominais e exercícios aeróbicos.

Barriga chapada - foto: Getty Images

Abdominais deixam a barriga chapada?

Para conquistar aqueles gominhos marcados no abdômen só mesmo com muito exercício para fortalecer, entre eles está o abdominal. “Isso porque o que marca o tanquinho é o músculo forte sob a pele”, explica o educador físico Marcelo Fonseca, da Cia. Athletica. Mas para resultados completos o melhor mesmo é associar exercícios de fortalecimento com exercícios aeróbicos. Já que quanto menor a camada de gordura na região mais aparentes ficarão os músculos sob a pele.

Abdominal - foto: Getty Images

Abdominal diminui a gordura interna da barriga?

Como disse Ivaldo Larentis, os abdominais são ótimos exercícios para fortalecer os músculos da barriga, mas não removem a gordura localizada. Tampouco a gordura visceral, aquela que fica entre os órgãos como fígado, rins e coração. A melhor forma de diminuir este tipo de gordura é investir no controle do peso e praticar exercícios regularmente, principalmente os aeróbicos, como caminhada, corrida e natação.

Medida abdominal - foto: Getty Images

Abdominal gasta calorias e ajuda a emagrecer?

Segundo o educador físico Marcelo Fonseca, o abdominal até gera um gasto calórico, mas essa perda é muito pequena. Para quem que emagrecer e de quebra deixar os músculos da barriga trincados, a dica do especialista é apostar em exercícios físicos que incluam tonificação da musculatura e trabalho aeróbico. É por isso que a série clássica nas academias conta com exercícios na esteira ou bicicleta, seguidos de exercícios de musculação e abdominais. Outros exemplos para enrijecer os músculos são o treinamento funcional e ainda os exercícios com ketllebell, uma novidade que está ganhando espaço nas academias brasileiras.

Marcelo explica ainda que os exercícios abdominais isolados têm como foco o fortalecimento muscular e não a queima calórica, por esse motivo eles são feitos por pouco tempo. “A prática de abdominais dura por no máximo 15, 20 minutos, enquanto uma corrida ou caminhada pode ser feita por uma, duas horas”, explica. “Você pode até fazer abdominais por mais tempo e garantir um gasto calórico alto, mas seu músculo entrará em fadiga e sofrerá lesões”. Além disso, o gasto calórico ainda varia de pessoa para pessoa: quem está começando perde mais calorias e quem já está condicionado perderá menos.

Abdominal - foto: Getty Images

Abdominal ajuda a corrigir a postura?

Parte da musculatura abdominal compõe a região do core – uma espécie de cinturão que compreende também músculos das regiões lombar, pélvica e do quadril – cuja principal ação é estabilizar o corpo de uma maneira geral. Por fortalecer a região do abdômen, o exercício ajuda na estabilização e manutenção da postura corporal. “Além disso, o ajuste da postura – gerado pelo fortalecimento da musculatura – ajuda a disfarçar a barriguinha”, explica Marcelo Fonseca.

Abdominal - foto: Getty Images

Qualquer abdominal fortalece a barriga por completo?

Também é preciso variar os tipos de abdominal para ter uma barriga bem definida por completo. “Cada tipo de abdominal trabalha uma parte da barriga. Desde o clássico até o feito com as pernas elevadas, todos têm um benefício para um músculo determinado da barriga”, conta Ivaldo Larentis. O educador físico Marcelo explica:

– Para fortalecer os músculos abdominais oblíquos (mais para o lado da barriga): faça exercícios com o tronco girando, com o cotovelo direito apontando para o joelho esquerdo e vice-versa;

– Para fortalecer o músculo reto abdominal (a parte frontal da barriga): faça o abdômen básico;

– Para fortalecer o músculo infra-abdominal (a parte inferior da barriga): invista na elevação das pernas com o tronco na horizontal e levemente flexionado.

– Para fortalecer a musculatura mais profunda do abdômen: invista na prancha no chão (com o tronco paralelo ao chão, de barriga para baixo, apoiado nos antebraços e pontas dos pés).

Abdominais - foto: Getty Images

Quanto mais abdominais melhor?

Segundo o educador físico Marcelo Fonseca, é melhor investir na qualidade que na quantidade. “Vale mais a pena fazer 30 abdominais variadas – tirando um ou os dois pés do chão, alterando a posição das mãos e dos braços, etc. – do que fazer 100 abdominais básicos”, explica. Além disso, apostar num número muito alto de abdominais pode sobrecarregar a coluna, principalmente os discos intervertebrais, causando dor e até hérnias a longo prazo.

Abdominal - foto: Getty Images

Abdominais têm que ser feitos todos os dias

O ideal é que a musculatura tenha um tempo sem esforço. Ivaldo Larentis conta que os exercícios abdominais não devem ser feitos todos os dias, principalmente se for feita uma grande quantidade. E mesmo se os tipos de abdominais forem alternados, uma vez que em cada modalidade um músculo será mais exigido, mas os demais músculos abdominais também são exercitados. Segundo ele, essa atitude pode sobrecarregar a musculatura, causando dores e lesões que prejudicam o programa de exercícios. A musculatura precisa de, no mínimo, 24 horas de descanso para se recuperar e gerar a adequada tonificação. “Normalmente, pessoas que tentam fazer todos os dias com pressa de ficar com a barriga definida passam semanas lesionadas”, explica.

 

minhavida

Feijão pode deixar sua barriga inchada, sabia? Conheça os alimentos que podem causar desconforto

feijãoO termo barriga inchada é muito usado pela população para designar uma sensação de aumento do volume abdominal associado a desconforto, geralmente por excesso de gases. Por não ser um termo médico, a “barriga inchada” não possui uma definição clara, podendo significar situações completamente distintas,  desde um simples e inocente  acúmulo de gases até a presença de um tumor abdominal, passando por gravidez e acúmulo gordura na barriga.

Neste texto vamos esclarecer as principais situações que podem provocar a queixa de barriga inchada.  Vamos abordar não só a barriga inchada, mas também todos os outros termos que designam situações semelhantes, como abdômen distendido, barriga dura, excesso de gases, barriga grande, inchaço abdominal, estômago distendido, estômago alto, abdômen volumoso, intumescimento abdominal, etc.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

10 Causas de barriga inchada

O melhor termo para designar uma barriga inchada é distensão abdominal. Um abdômen distendido é aquele que encontra-se com volume aumentado pela presença de alguma substância no seu interior, seja ela gás, líquido ou sólido.

Existem também as situações onde o paciente queixa-se de barriga inchada, mas, visualmente, não conseguimos notar uma real alteração do volume abdominal. Geralmente, o paciente queixa-se de excesso de gases nestas situação. Portanto, o paciente sente sua barriga inchada e cheia de gases, mas na verdade, ela encontra-se praticamente do mesmo tamanho. Vamos começar abordando essa sensação de barriga inchada e seguiremos, depois, com as outras causas de distensão abdominal.

1. Excesso de gases e sensação de barriga inchada

Como acabei de referir, a sensação de inchaço abdominal é muitas vezes atribuída ao excesso de gases. No entanto, a relação entre a quantidade de gases intestinais e a sensação de abdômen inchado não é linear. Em um estudo que comparou o volume médio de gás intestinal em pacientes com queixas de sensação de barriga inchada e pessoas sem queixa alguma, notou-se que a quantidade gás nos dois grupos era muito parecida (176 e 199 mL, respectivamente). Estudos com radiografias simples e tomografia do abdômen também não demonstraram qualquer evidência de aumento relevante do gás em pacientes com queixa de distensão gasosa.

Muitos desses pacientes apresentam a sensação de inchaço após a ingestão de determinados tipos de alimentos. Os mais comuns são os oligossacarídeos, um tipo de carboidrato que é mais difícil de ser digerido. Associado ao mal estar, o paciente passa realmente a eliminar mais gases, seja em forma de eructações (arrotos) ou flatos (pum). Exemplos de alimentos que podem levar ao aumento dos gases são:

– Feijão.
– Ovos.Barriga inchada
– Leite.
– Batata.
– Milho.
– Farelo de trigo.
– Cereais.
– Brócolis.
– Aspargos.
– Alho.
– Repolho.
– Bebidas gaseificadas.
– Couve-flor.

Algumas pessoas têm algum grau de intolerância a açúcares contidos em certos alimentos. Dois exemplos comuns são:

1- Frutose, contida nas frutas secas, mel, cebola e alcachofras.
2- Sorbitol, um substituto do açúcar contido em alguns doces e gomas de mascar ditos sem açúcar.

O consumo destes alimentos pode gerar aumento dos gases e sensação de barriga inchada em algumas pessoas.

É importante destacar que o fato de estar eliminando mais gases não significa necessariamente que a barriga está visivelmente inchada. Uma pequeno aumento na produção intestinal de gases pode ser suficiente para causar desconforto e aumento na frequência dos flatos, mas não é suficiente para distender o abdômen de forma visível. O paciente, portanto, tem sintomas de barriga inchada, mas o volume abdominal está praticamente inalterado.

Muitos dos pacientes que se queixam de excesso de gases e barriga inchada, sem ter aumento real do volume abdominal, podem possuir uma forma mais branda da síndrome do intestino irritável. Estes pacientes teriam uma maior sensibilidade à distensão gasosa dos intestinos, sentindo desconforto e inchaço com pequenos aumentos do volume de gás intestinal, o que na maioria das pessoas passa despercebida.

2. Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável (SII) é um distúrbio funcional dos intestinos. Um distúrbio funcional significa que existe um problema com a função do órgão, mas nenhuma alteração na estrutural é identificada. Na síndrome do intestino irritável não há lesão visível dos intestinos, mas a motilidade dos mesmos encontra-se alterada e o paciente apresenta diversos sintomas gastrointestinais cuja origem não conseguimos explicar totalmente, tais como, episódios de constipação alternados com diarreia, sensação de barriga inchada, dor e cólicas abdominais, aumento da liberação de gases, mal estar, cansaço, náuseas e outros.

A síndrome do intestino irritável pode provocar somente uma sensação de barriga inchada, mas também pode levar a uma real distensão do volume abdominal, causada pela dilatação do cólon por excesso de gases.

3. Constipação intestinal

A constipação intestinal, chamada popularmente de prisão de ventre, é uma possível causa para aumento do volume abdominal. Quanto mais intensa for a constipação, maior é o risco do paciente ter distensão abdominal.

A prisão de ventre pode ser idiopática, ou seja, não ter causa definida, mas também pode ser resultado de problemas de saúde, como tumores intestinais, divertículos, diabetes, doenças da tireoide, lesões neurológicas… Alguns medicamentos também podem tonar o intestino preguiçoso, levando à constipação. Os mais comuns são analgésicos opioides, antidepressivos, antipsicóticos, anti-histamínicos, ferro e antiácidos à base de alumínio.

4. Doença celíaca

A doença celíaca é uma doença de origem imunológica que se caracteriza pela ocorrência de uma reação inflamatória no intestino delgado toda vez que este é exposto a alimentos que contenham glúten, uma proteína presente em vários cereais, como trigo, aveia, centeio ou cevada.

Um dos sintomas da doenças celíaca é o aumento da produção de gases, cólicas e sensação de barriga inchada.

 

5. Gordura abdominal

Um aumento do volume da barriga pode ser causado por acumulo de gordura na região abdominal. Mesmo que você se sinta cheia de gases, lembre-se que pessoas com excesso de gases podem engordar. Muitas vezes, o motivo para aquela calça já não fechar na região do abdômen pode não ser propriamente uma barriga inchada, mas sim, deposição de gordura localizada na região abdominal. O aumento do peso corporal é uma dica, pois gases não o fazem um paciente ganhar 1,2 ou 3 quilos a mais na balança.

6. Gravidez

Pode parecer tolo falar em gravidez, mas a verdade é que muitas mulheres chegam a fases avançadas da gestação sem saber que estão grávidas. Isso é particularmente comum em mulheres com sobrepeso, que já têm um barriguinha saliente, e naquelas com ciclo menstrual muito irregular, que torna difícil saber quando a menstruação está atrasada por muito tempo.

Mesmo quando o feto ainda é muito pequeno para causar expansão do útero, algumas mulheres podem notar um certo inchaço na região abdominal, que ocorre já como preparação do corpo para suportar o crescimento uterino. O crescimento real da barriga começa a aparecer ao redor da 16ª semana de gestação, mas nas mulheres grávidas pela primeira vez e com uma boa musculatura abdominal, a “barriga de grávida” pode só dar sinais mais tarde.

A gravidez provoca um aumento do volume abdominal com barriga dura, o que é diferente da maioria das outras causas de barriga inchada.

7. Ascite

A ascite, chamada popularmente de barriga d’água, é o nome que se dá ao acumulo de líquido dentro da cavidade abdominal. A ascite é quase sempre o sinal de algum doença mais séria, como a cirrose hepática

Na maioria dos casos, a ascite não é único sinal de doença que o paciente tem, portanto, se você queixa-se apenas de barriga inchada, e não é portador de doenças do fígado, rins ou coração,  é pouco provável que a você tenha ascite.

Em alguns casos mais graves, o acúmulo de líquidos na região abdominal pode ser bem intenso, chegando a vários litros, o que provoca uma barriga muito inchada, dura e dolorosa. Alguns paciente tem até dificuldade para respirar quando deitados.

8. Intolerância à lactose.

A intolerância à lactose ocorre quando o seu corpo tem dificuldade em digerir a lactose, o açúcar encontrado na maioria dos produtos à base de leite. Os sintomas da intolerância à lactose incluem diarreia, cólicas e flatulência depois de consumir leite ou outros produtos lácteos. Nem todas as pessoas têm diarreia. Se você costuma apresentar sensação de abdômen inchado até duas horas após a ingestão de laticínios, a intolerância à lactose pode ser a causa.

8. Aumento de órgãos intra-abdominais ou pélvicos

Órgãos dentro da cavidade abdominal ou pélvica que crescem demais também podem provocar aumento do volume abdominal. Alguns exemplos:
– Fígado aumentado em pacientes com esquistossomose
– Miomas volumosos
– Rins policísticos
– Tumores do ovário.
– Tumores de órgãos da cavidade abdominal.
– Obstrução da bexiga por uma próstata de tamanho aumentado

9. Parasitoses

Cólicas, excessos de gases e diarreia podem ser sintomas de parasitoses. As mais comuns são a giardíase e estrongiloidíase.

10. Menstruação

Durante o período pré-menstrual, as mulheres podem notar sintomas de barriga inchada, com queixas de aumento dos gases, sensação de peso na barriga e cansaço. Estes sintomas são ainda mais intensos nas mulheres que sofrem de TPM (tensão pré-menstrual).