Arquivo da tag: baile

Chá da tarde e Baile anos 60 celebram Dia Internacional do Idoso, na LBV

Nesta sexta-feira, 4 de outubro, às 14h, na Sede da LBV no Jaguaribe, cerca de setenta idosas, que integram o serviço de convivência Vida Plena da Instituição, terão uma tarde toda especial, é a celebração do Dia Internacional da Pessoa Idosa, com um delicioso chá e baile anos 60.

Em João Pessoa, o grupo da LBV, tem uma característica específica é formado 100% por mulheres idosas, oriundas de comunidades em vulnerabilidade social e de situação de pobreza. Elas buscam no grupo um espaço para desenvolver atividades que fortalecem a cidadania, como também, esportivas, musicais e artesanais, que contribuem para uma melhor qualidade de vida.

O evento, todo programado pela Equipe Técnica da LBV, está organizado com um acolhimento ao som de músicas dos anos 60, as idosas virão a caráter à época, vídeo com os melhores momentos das atividades ocorridas ao longo de 2019, e cada, idosa homenageará umas às outras pelo seu dia. Ao final, um baile dos anos 60 e um delicioso chá da tarde.

A psicóloga da LBV, Luciane Borges, ressalta a importância do grupo Vida Plena para os idosos. “Valorizamos as vivências individuais e fortalecemos os vínculos familiares e comunitários, dos quais estão inseridas. Elas se deparam um novo olhar de pensar e agir em prol de um estilo de vida mais saudável. Com todas essas ações nos mostra o quão é possível envelhecer com qualidade”, declara.

A LBV entende que participar de momentos de lazer e ludicidade, em um espaço agradável com troca de experiências, é fundamental para um envelhecimento saudável. Já que envelhecer é um processo natural da vida, nada melhor que viver esse momento ativamente.

O evento acontece nesta sexta-feira, 4 de outubro, às 14h, na Sede da LBV, localizada à Rua das Trincheiras, 703 – Bairro de Jaguaribe.

Visite e colabore com o trabalho empreendido pela LBV em João Pessoa.  As doações para manter todo esse trabalho podem ser feitas no site www.lbv.org/digasim, pelo 0800 055 50 99.

 

 

Tradicional Baile Vermelho e Branco será realizado neste sábado, em Solânea

A tradição segue mantida em Solânea e o Baile Vermelho e Branco será realizado neste sábado (03) homenageando mais um casal que representa a história de uma das festas mais tradicionais do Estado: Valmir Silva e Solange Araújo, autênticos representantes da cultura e da história da cidade.

“Vai, mais uma vez, ser uma grande festa, onde a organização, a disciplina e o bom gosto terão destaques especiais, interpretando, desta forma, as verdadeiras aspirações populares e os ideais históricos de nosso querido Grêmio Morenense”, afirmou o Hélton Martins, um dos organizadores do evento.

E, como o próprio nome já diz, a festa é para se vestir de vermelho e branco e se divertir com a família, já que o baile é tradicionalmente conhecido pela tranquilidade e harmonia entre os participantes.

Quem pretende fazer parte do evento pode adquirir sua mesa pelos do evento pode adquirir sua mesa pelos telefones (83) 99123-6949, 98112-0909 e 99305-4950.

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Menina de 13 anos dança sem roupa em baile funk

O vídeo foi registrado na madrugada de segunda-feira (20) num baile funk em Santa Luzia (MG). A menina, de apenas 13 anos, tira toda a roupa e fica só de calcinha, incentivada por um homem que fala ao microfone. O baile foi realizado na garagem de um imóvel que pertence a um policial civil. Ele aluga o espaço para festas sem alvará de funcionamento. O Conselho Tutelar e a Polícia Militar vão investigar o caso.

R7

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet

brunaBruna Marquezine se jogou no Baile da Favorita neste final de semana, que aconteceu na quadra da Rocinha em São Conrado, zona sul do Rio de Janeiro, com as amigas Manu Gavassi, Polliana Aleixo, e Thaila Ayala.

Dançando o “quadradinho de quatro” ao som de MC Ludmilla, Bruna mostrou que tem o ritmo na veia ao requebrar o bumbum como as funkeiras fazem. A atriz foi então filmada e o vídeo caiu na internet, bombando nas redes sociais.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além da funkeira, quem também se apresentou na noitada foi Buchecha e Leozinho, animando a noitada das atrizes, que dançaram sem parar na frentinha do palco.

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet. Assista!

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet. Assista!

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet. Assista!

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet. Assista!

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet. Assista!

Vídeo de Bruna Marquezine requebrando em baile funk bomba na internet. Assista!



O Fuxico

Galo goleia Timão, se classifica e transforma Mineirão em salão de baile

guerreiroNão se pode duvidar jamais da força do Atlético-MG e do Mineirão lotado. Empurrado por sua massa fanática, o Galo foi histórico: começou o jogo contra o Corinthians, nesta quarta-feira, precisando vencer por três gols de diferença para avançar às semifinais da Copa do Brasil, já que o Timão fez 2 a 0 na ida, em São Paulo. Levou um gol aos quatro minutos de jogo, mas jamais desistiu. Foi forte e vingador, como diz o seu hino e, de forma espetacular, venceu por 4 a 1, assegurando a classificação. Ao fim da partida, os jogadores atleticanos imitaram a dancinha do corintiano Mano Menezes no jogo de ida. O adversário na proxima fase será o Flamengo, que eliminou o América-RN: os confrontos serão nos dias 29 de outubro e 5 de novembro.

O jogo

Amparado pelos 2 a 0 que fez no jogo de ida, o Corinthians entrou em campo relaxado, tocando bem a bola, evitando o abafa do Atlético. Com apenas quatro minutos de jogo, o Timão abriu o placar, com Guerrero tirando proveito do vacilo de Jemerson. Deu a impressão de que o restante do jogo seria mera formalidade, já que o Galo precisaria agora marcar quatro gols para avançar. Era uma vantagem muito grande para o time paulista.

Os mineiros, porém, não se deram por vencidos, foram em busca da reação e desandaram a fazer gols. Luan, aos 23, e Guilherme, aos 31, colocaram a equipe da casa na frente. Faltavam mais dois, que Cássio insistia em não deixar passar. O goleiro corintiano fez boas defesas e conseguiu manter seu time na semifinal ao fim do primeiro tempo.

O Atlético voltou ao segundo tempo bem adiantado, com sua linha de meio-campo próxima à área corintiana. O chute de Carlos que explodiu na trave, aos 15 minutos, acabou sendo um prenúncio do que estava por vir. O Mineirão respirou fundo. Ao Corinthians, restava o contra-ataque. À medida que o jogo avançava, a equipe de Mano Menezes ia ganhando mais espaço para explorar. Mas quando parecia que o Timão começava a controlar o ímpeto do Galo, Guilherme marcou o terceiro e incendiou a disputa.

Imediatamente, o treinador corintiano colocou Elias e Danilo em campo, nos lugares de Guilherme Andrade e Renato Augusto, respectivamente. A intenção era segurar a bola no meio e tentar apagar o fogo dos mineiros. Em seu primeiro lance, Danilo quase fez os corações atleticanos pararem em chute colocado que obrigou Victor a fazer grande defesa.

Dois gols. Não parecia muito, dado o volume de jogo do Galo, que voltou à carga passado o susto do chute de Danilo. Não foi na base do abafa, mas de forma consciente, tocando a bola e envolvendo o Corinthians. Guilherme marcou o terceiro, aos 29, num chute colocado, após tabela na entrada da área. Torcedores mineiros se abraçavam. Alguns já choravam. Faltava um. Um golzinho… Não seria impossível.

Não foi! Aos 41, o golpe fatal: Edcarlos, de cabeça, fez explodir o Mineirão. Os minutos finais foram de festa para os mineiros, já que o Corinthians se abateu de tal forma que não conseguiu mais ameaçar o gol de Victor. O apito final transformou o gramado em um salão de baile, com os jogadores do Atlético imitando a dancinha de Mano Menezes no primeiro jogo.

 

Globoesporte.com

Na estreia de Deivid, Coritiba dá baile no Flamengo e afunda o rival na crise

Coritiba e Flamengo fizeram na noite deste sábado um jogo em que ambos precisavam da vitória para iniciar uma reabilitação no Campeonato Brasileiro. Melhor para o Coxa, que aproveitou noite pavorosa da defesa rubro-negra, venceu por 3 a 0 no Couto Pereira e começou com vitória uma nova fase. A partida marcou as estreias do técnico Marquinhos Santos e do atacante Deivid na equipe paranaense. O ex-flamenguista teve boa atuação e deu o passe para um dos gols do Coritiba no jogo. Lincoln, Rafinha e Everton Ribeiro foram os artilheiros da noite.

Com o resultado, o Coritiba manteve uma escrita viva: nos últimos nove jogos que fez contra o Flamengo no Couto Pereira, o Coxa venceu todos. Agora com 25 pontos em 23 rodadas, a equipe alviverde aparece na 15ª posição na tabela do Campeonato Brasileiro. Com 27 pontos, o Flamengo, que não vence há cinco jogos (dois empates e derrotas nas três últimas partidas), segue em 13º.

– Entregamos praticamente os três gols para o Coritiba. Não adianta culpar ninguém, está todo mundo no mesmo barco. Temos mais 16 jogos para sair dessa situação – disse o goleiro Felipe após o apito final.

Na próxima rodada, o Rubro-Negro, que no fim do jogo chegou a ouvir gritos de olé, encara o Santos, na Vila Belmiro. A partida está marcada para quarta-feira. No mesmo dia, o Coxa visita o Atlético-GO, no Serra Dourada.

– Dentro de casa a gente vinha fazendo bons jogos e se dedicando. Hoje o time não sofreu gols e conseguimos uma vitória importante – avaliou Rafinha, autor do segundo gol da partida.

Lincoln gol Coritiba (Foto: Giulianos Gomes / Ag. Estado)Lincoln (direita) celebra seu gol, o primeiro do jogo (Foto: Giulianos Gomes / Ag. Estado)

Coxa tem menos a bola, mas vai bem nos contragolpes

No Coritiba, o técnico Marquinhos Santos optou por um esquema de cinco homens no meio-campo e Deivid como único atacante. Everton Ribeiro e Rafinha atuaram abertos pelas pontas, enquanto Lincoln trabalhou como homem de ligação. Marquinhos lançou ainda na equipe atletas que não vinham sendo titulares, como o zagueiro Bonfim e o volante Gil.

No lado do Flamengo, Dorival Júnior escalou como titular o zagueiro Frauches, cria das categorias de base, pela primeira vez neste Brasileirão. O time jogou no 4-4-2, como Muralha e Ibson formando uma linha mais atrás e Luiz Antonio e Bottinelli jogando mais à frente. No ataque, Negueba e Love.

O jogo começou com o Rubro-Negro tomando mais a iniciativa. O time teve sua melhor chance do primeiro tempo logo aos dois minutos, quando Negueba recebeu livre na entrada da área, mas o atacante chutou fraquinho, nas mãos do goleiro Vanderlei.

Com mais posse de bola, o Flamengo, porém, não conseguiu ser incisivo. Magal, substituto do suspenso Ramon na lateral esquerda, apresentou-se muito no apoio, mas quase sempre pecava na hora de passar a bola ou de cruzar na área.

O Coritiba, apesar de jogar em casa, optou por esperar o Flamengo para tentar surpreender o rival. E foi assim que o Coxa abriu o placar, aos 16. Rafinha recebeu perto da linha divisória do gramado e fez lançamento para Lincoln, livre do lado direito. O camisa 10 penetrou na área e não teve trabalho para driblar o afoito Frauches, que passou lotado no lance. Cara a cara com Felipe, Lincoln bateu rasteiro e pôs o Coritiba em vantagem.

Se já não ia muito bem antes de levar o gol, o Flamengo tornou-se ainda pior quando ficou atrás no placar. O time teve 63% da posse de bola no primeiro tempo, mas não conseguiu assustar Vanderlei. Negueba pouco acertou o que tentou. Love manteve sua luta inglória entre os defensores do Coxa, sem conseguir grandes resultados.

Os donos da casa, embora até ali não fizessem uma grande partida, aproveitaram jogadas rápidas para assustar o Flamengo. Lincoln chegou a acertar uma bicicleta na trave, mas o lance foi corretamente anulado por impedimento. O Coxa levou perigo também numa falta batida por Ayrton. Felipe se esticou para defender.

Deivid brilha para ajudar a fechar o caixão

Na volta para o segundo tempo, o técnico Dorival Júnior mexeu no time. Adryan entrou no lugar de Luiz Antonio. A equipe, assim, passou a ter o camisa 37 e Negueba abertos pelas pontas e Bottinelli como homem de ligação. No lado do Coritiba, uma troca simples, de um zagueiro pelo outro: Bonfim deu lugar a Luccas Claro.

Wellinton Flamengo e Deivid Coritiba (Foto: Geraldo Bubniak / Ag. Estado)Deivid domina a bola no peito, marcado de perto por Welinton (Foto: Geraldo Bubniak / Ag. Estado)

O etapa final começou com uma engrossada de Welinton. Ao tentar despachar uma bola rente à linha de fundo, acabou carimbando a marcação e dando a posse de presente a Everton Ribeiro. O lance seguiu com um passe para Lincoln, que acabou por encontrar Gil na entrada da área. O volante bateu para o gol e Felipe defendeu.

O panorama para o Flamengo não mudou muito. O time seguiu mais com a bola nos pés, mas sem grande efetividade. O Rubro-Negro ainda conseguiu uma boa chance com Adryan, que arriscou de fora da área. Vanderlei defendeu com dificuldade.

Inoperante na parte ofensiva, o Flamengo viveu noite ainda pior na defesa. Aos 11, Welinton fez um corte com estilo, matando a bola no peito. O zagueiro, porém, não optou por afastar o perigo com um chutão, tentou driblar Rafinha e acabou perdendo a posse da bola, que foi parar nos pés de Lincoln. O camisa 10 passou para Rafinha, livre na área. O coxa-branca bateu na saída de Felipe, que ainda tocou na bola, e escreveu 2 a 0 no placar.

Dorival Júnior tentou uma nova cartada trocando Negueba por Thomás. Pouco depois, aos 18, Marquinhos Santos tratou de aumentar a velocidade de seu time, com a entrada de Robinho na vaga de Lincoln. O panorama ficou melhor para o Coxa. Os visitantes passaram a tentar o ataque de forma desordenada e abriram espaço para contragolpes.

Antes de levar o terceiro gol, Dorival ainda trocou Bottinelli por Camacho, aos 24. Mas a pá de cal aconteceu aos 26. Deivid deu lindo passe em elevação e achou Everton Ribeiro livre na área. O jogador soltou a bomba e estufou a rede de Felipe: 3 a 0.

Daí para o fim, o Flamengo sofreu com os contra-ataques do Coritiba. Uma goleada começou a se desenhar no Couto Pereira, tamanha a facilidade com que seus jogadores respondiam às tentativas de ataque dos rubro-negros, que reclamaram um pênalti de Eltinho, em lance em que a bola carimbou o braço do lateral. A arbitragem nada marcou.

Aos 34, o técnico Marquinhos Santos promoveu a estreia do atacante peruano Ruidíaz, que entrou na vaga do volante Gil. Pouco depois, porém, Rafinha, com muitas dores, não teve condições de seguir na partida. O Coritiba, então, jogou com dez até o apito final. Ainda assim, o Flamengo, a rigor, pouco incomodou. Thomás, numa bola que desviou na zaga, chegou a assustar. Mas a noite era coxa-branca, de cabo a rabo. Ainda deu tempo para a torcida gritar olé antes de a partida ser encerrada.

Globoesporte.com