Arquivo da tag: Avião

Avião sai da pista e fuselagem se parte em aeroporto na Turquia

Um avião saiu da pista ao aterrissar no aeroporto de Sabiha Gokcen, em Istambul, na Turquia, nesta quarta-feira (5). Imagens divulgadas pela imprensa local mostraram a fuselagem do avião quebrada em várias partes e os passageiros sendo retirados pelas equipes de emergência.

O Ministério dos Transportes afirma que a aeronave fez um “pouso forçado”. Segundo o governo, ninguém morreu, porém há ao menos 21 feridos.

Avião da Pegasus Airlines se acidentou em Istambul — Foto: Reuters/Murad

Avião da Pegasus Airlines se acidentou em Istambul — Foto: Reuters/Murad

“Não houve perda de vidas, os passageiros feridos estão sendo retirados do avião e levados para os hospitais”, disse o ministro turco dos Transportes, Cahit Turan.

O avião, da companhia aérea de baixo custo Pegasus Airlines, com 177 passageiros e seis tripulantes, havia decolado da cidade de Izmir, no oeste do país.

O site de rastreamento de voos Flightradar24 afirma que a aeronave é um Boeing 737-800. Após o acidente, o aeroporto foi fechado e voos foram desviados.

Avião se parte em aterrissagem em Istambul, na Turquia

Avião se parte em aterrissagem em Istambul, na Turquia

Avião da companhia Pegasus se acidentou logo após pousar em Istambul — Foto: Demir/AFP

Avião da companhia Pegasus se acidentou logo após pousar em Istambul — Foto: Demir/AFP

Aeroporto

O Aeroporto Sabiha Gokcen é o segundo maior de Istambul. Ele foi inaugurado para aliviar o tráfego ao Aeroporto Internacional Ataturk, no começo dos anos 2000. Desde então, o Aeroporto Ataturk foi fechado para voos de passageiros e foi inaugurado o Aeroporto Internacional de Istambul, um dos maiores do mundo. O Sabiha Gokcen, assim, manteve-se como o segundo da cidade.

Avião saiu da pista após pousar em Istambul — Foto: Juliane Souza/G1

Avião saiu da pista após pousar em Istambul — Foto: Juliane Souza/G1

Avião da Pegasus se partiu ao sair da pista em Istambul — Foto: Cansu Alkaya/Reuters

Avião da Pegasus se partiu ao sair da pista em Istambul — Foto: Cansu Alkaya/Reuters

Avião da Pegasus Airlines saiu da pista após pousar em Istambul — Foto: Reuters/Murad Sezer

Avião da Pegasus Airlines saiu da pista após pousar em Istambul — Foto: Reuters/Murad Sezer

Avião da Pegasus Airlines se acidentou na Turquia — Foto: Reuters/Murad Sezer

Avião da Pegasus Airlines se acidentou na Turquia — Foto: Reuters/Murad Sezer

Avião da Pegasus Airlines se acidentou na Turquia — Foto: Reuters/Murad Sezer

Avião da Pegasus Airlines se acidentou na Turquia — Foto: Reuters/Murad Sezer

Avião da Pegasus se acidentou em Istambul — Foto: AFP/Demir

Avião da Pegasus se acidentou em Istambul — Foto: AFP/Demir

Fuselagem de avião ficou partida em aeroporto de Istambul, na Turquia — Foto: Reprodução/ Globonews

Fuselagem de avião ficou partida em aeroporto de Istambul, na Turquia — Foto: Reprodução/ Globonews

Equipes de resgate retiram sobreviventes de avião que se partiu em aterrissagem em Istambul, na Turquia  — Foto: Reprodução/ Globonews

Equipes de resgate retiram sobreviventes de avião que se partiu em aterrissagem em Istambul, na Turquia — Foto: Reprodução/ Globonews

Avião se partiu em pedaços após o pouso na Turquia — Foto: NBC

Avião se partiu em pedaços após o pouso na Turquia — Foto: NBC

 

G1

 

 

Avião tem problema no pouso e vai parar no meio de avenida no Irã

Um avião da Caspian Airlines saiu da pista enquanto pousava em um aeroporto no sudoeste do Irã nesta segunda-feira e foi parar no meio de uma avenida nas proximidades do aeroporto.

Segundo alguns veículos estatais iranianos, havia 135 passageiros e sete tripulantes a bordo da aeronave, que viajava de Teerã para Mahshahr. Dois passageiros teriam ficado levemente feridos.

Citando funcionários da aviação civil iraniana, a agência estatal Irna disse que um problema técnico havia atrasado a decolagem da aeronave. O incidente, diz a agência, está sob investigação.

Segundo a televisão estatal do Irã, o piloto “teria pousado tarde demais, perdendo a pista de pouso”. Um repórter a bordo do avião, no entanto, disse que uma das rodas traseiras do avião quebrou, obrigando o piloto a realizar um pouso “de barriga”.

O avião em questão, segundo a imprensa iraniana, é um McDonnell Douglas MD-83, construído em 1994. Seu número de registro é EP-CPZ. Vídeos não verificados mostram passageiros descendo da aeronave e sentando no meio de uma rodovia em Mahshahr.

No sábado, um avião iraniano que ia de Teerã para Istambul fez um pouso de emergência no aeroporto de Teerã devido a um problema técnico. O setor aéreo iraniano é apenas um dos vários do país afetados pelas sanções americanas e sua política de “pressão máxima”. Devido às restrições, as companhias não podem atualizar suas frotas com novas peças ou aeronaves há 24 anos.

 

Foto: WANA NEWS AGENCY / VIA REUTERS

Extra

 

 

Avião ucraniano pegou fogo e voltava para o aeroporto no Irã quando caiu, diz relatório inicial

O avião ucraniano que caiu em Teerã, no Irã, voltava para o aeroporto da cidade logo após a decolagem por causa de um problema, afirma o relatório inicial da autoridade iraniana de aviação civil, divulgado nesta quinta-feira (9). As 176 pessoas que estavam a bordo morreram. Testemunhas disseram que Boeing 737 pegou fogo antes de cair.

“O avião que se dirigia, a princípio, para o oeste para sair da zona do aeroporto, girou para a direita, devido a um problema, e estava no caminho de regresso ao aeroporto quando caiu”, explicou o Organização da Aviação Civil iraniana.

Testemunhas presenciais relataram um incêndio no Boeing 737 que se intensificou. Essas testemunhas acompanharam a decolagem do avião ou estavam em uma outra aeronave que voava em maior altitude do que o Boeing no momento da tragédia.

Irã se recusa a dividir os registros de avião que caiu no país com a Boeing

Irã se recusa a dividir os registros de avião que caiu no país com a Boeing

O voo 752 da Ukraine International Airlines partiu às 6h12 (horário local), com quase uma hora de atraso, do aeroporto Imam Khomeini, Teerã, e tinha como destino o Aeroporto Internacional Boryspil, em Kiev, na Ucrânia. O avião caiu em Shahedshahr, no sudoeste da capital iraniana.

A tragédia aconteceu poucas horas após o Irã ter disparado mísseis contra duas bases aéreas que abrigam tropas dos EUA no Iraque, em resposta à morte do general iraniano Qassem Soleimani. Não há informações sobre relação entre os dois incidentes.

Em meio à tensão que o Irã vive com os Estados Unidos, autoridades iranianas declararam que não irão entregar as caixas-pretas para a fabricante, a Boeing, ou para autoridades americanas.

A Convenção Internacional de Aviação Civil, da qual o Irã é signatário, prevê que fica responsável pela investigação o país onde a aeronave caiu (ou de onde ela partiu) – nesse caso, o Irã. Porém, a convenção prevê que o país fabricante (os EUA) e a empresa que o produziu, que é a Boeing, participem da investigação e tenham acesso às informações das caixas-pretas imediatamente.

Ucrânia quer investigar míssil russo

A Ucrânia é um dos países que participa das investigações sobre a queda do avião. O secretário do conselho de segurança nacional ucraniano, Oleksiy Danylov, informou que investigadores de seu país querem buscar possíveis destroços de um míssil russo no local do acidente depois de ler informações sobre isso na internet.

Os ucranianos investigam também a possibilidade de o avião ter colidido com um drone ou com outro objeto voador, problemas técnicos provocados por explosão ou ação terrorista dentro da aeronave.

‘Mínima probabilidade de erro’

Flores e velas foram colocadas em frente às fotos da tripulação do avião ucraniano que caiu logo após decolar de Teerã, no Irã, nesta quarta (8). Nenhuma das 176 pessoas que estavam a bordo sobreviveu ao acidente. — Foto: Valentyn Ogirenko/Reuters

Flores e velas foram colocadas em frente às fotos da tripulação do avião ucraniano que caiu logo após decolar de Teerã, no Irã, nesta quarta (8). Nenhuma das 176 pessoas que estavam a bordo sobreviveu ao acidente. — Foto: Valentyn Ogirenko/Reuters

Nesta quarta-feira (8), o vice-diretor de operações da Ukrainian International Airlines, empresa proprietária do avião, afirmou que a probabilidade de que um erro da tripulação tenha provocado a tragédia é mínima.

“O aeroporto de Teerã não é nada simples. Portanto, há vários anos a UIA utiliza esse aeroporto para realizar treinamento em aeronaves Boeing 737, com o objetivo de avaliar a proficiência e a capacidade dos pilotos de atuar em casos de emergência. Segundo nossos registros, a aeronave subiu até 2.400 metros. Dada a experiência da tripulação, a probabilidade de erro é mínima. Nem sequer consideramos essa chance”, diz o comunicado.

Mapa queda avião Irã — Foto: Rodrigo Sanches/G1

Mapa queda avião Irã — Foto: Rodrigo Sanches/G1

 

G1

 

 

Irã diz que não entregará as caixas-pretas de avião que caiu para os EUA

A autoridade de aviação do Irã disse que não entregará aos Estados Unidos as caixas-pretas do avião que caiu em Teerã na manhã desta quarta-feira (8).

O voo PS752, da companhia UIA (Ukraine International Airlines) decolou às 6h12 na hora local (23h42 de terça em Brasília) e seguia para Kiev. Ele caiu cinco minutos após deixar o aeroporto de Teerã e percorrer cerca de 45 km. As 176 pessoas a bordo morreram.

“Não daremos as caixas-pretas ao fabricante [Boeing] nem aos norte-americanos”, disse  Ali Abedzadeh, diretor da autoridade de aviação iraniana, citado pela agência Mehr.

O avião acidentado era um Boeing 737-800, um dos modelos mais usados na aviação global. É praxe que o fabricante de uma aeronave acidentada participe das investigações, como modo de buscar meios de prevenir novos acidentes.

O piloto não chegou a declarar emergência nem pedir ajuda à torre de controle, segundo a autoridade de aviação civil do Irã. A mídia do país divulgou relatos de que o acidente foi causado por problemas técnicos.

A queda do avião ocorreu cerca de cinco horas depois que o Irã disparou mísseis contra bases americanas no Iraque, em resposta à um ataque dos EUA que matou o general Qassim Suleimani, principal autoridade militar iraniana.

As autoridades da Ucrânia e do Irã disseram que investigam as causas do acidente. A embaixada da Ucrânia descartou a possibilidade de terrorismo e inicialmente informou que teria ocorrido uma falha no motor do avião. No entanto, depois apagou a mensagem e disse que é preciso esperar as investigações para poder dizer, de modo oficial, quais foram as razões da queda.

“Peço a todos que evitem especulações e versões não verificadas da catástrofe”, escreveu o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, em uma rede social.

A aeronave acidentada, um Boeing 737-800NG, com três anos de uso, havia passado pela última manutenção na segunda-feira (6), sem registros de problemas, segundo a companhia aérea.

Devido aos ataques, diversas companhias deixaram de sobrevoar os territórios do Irã e do Iraque. Voos para a região das empresas Lufthansa, Emirates e Flydubai foram cancelados. A FAA (Agência norte-americana de aviação civil) proibiu companhias aéreas dos EUA de circular na região.

A Boeing enfrentou uma grave crise no ano passado, depois que dois aviões 737 MAX, fabricados pela empresa, caíram minutos após a decolagem, em acidentes que ocorreram com poucos meses de diferença.

 

FOLHAPRESS

 

 

Avião com defeito atrasa voo e assusta passageiros no Castro Pinto

Um avião da Latam não decolou na tarde desta terça-feira (31) no aeroporto Castro Pinto, em Bayeux, na Grande João Pessoa, e causou apreensão e revolta dos passageiros, que programaram a viagem cronometricamente por causa da virada de ano. O voo 03281, com destino a Brasília, estava previsto para sair às 11h40, mas até a publicação desta matéria, a aeronave não havia decolado.

Os passageiros chegaram a entrar no avião e ficaram mais de uma hora dentro do transporte aguardando uma posição da empresa. A passageira Rita de Cássia De Almeida Gomes, que estava no voo com dois filhos e o marido, disse ao Portal Correio que a informação que tiveram é que o avião apresentou problema nos freios. Em seguida, eles foram comunicados que teriam que desembarcar e retirar as bagagens por questões de segurança.

Ainda segundo Rita, os viajantes também foram informados de que o voo seria remarcado e só chegaria ao destino por volta das 19h15. No site da Infraero, é possível ver a atualização da situação do voo. Veja abaixo:

Latam

Em nota, a Latam Airlines informou que a aeronave precisou passar por manutenção corretiva e o voo foi reprogramado para as 16h30. A empresa, porém, não confirmou qual seria o problema técnico.

“A companhia reforça que está prestando toda a assistência necessária aos passageiros. A empresa ainda reitera que a segurança é um valor imprescindível e, sobretudo, todas as suas decisões visam garantir uma operação segura e minimizar os impactos aos passageiros”, finalizou.

 

(Foto: Rita de Cássia)

portalcorreio

 

 

Moradores tomam susto com queda de avião em Puxinanã

Os moradores que residem próximo a Serra do Maracajá, na cidade de Puxinanã, no Agreste da Paraíba tomaram um susto na madrugada desta sexta-feira (8). É que o condutor de um avião monomotor teve que fazer um pouso forçado no local. Ainda não se sabe quantas pessoas haviam na aeronave e se ficaram feridas e até mesmo a causa do acidente.

Segundo informações preliminares, o voo pode ter sido do Aeroclube, que fica no distrito de São José da Mata, em Campina Grande, nas proximidades de Puxinanã.

Neste sábado (9), imagens circulam na internet do momento em que as pessoas vão até aeronave.

Na foto dá para perceber que a aeronave deve ter levantado voo perto do local da queda, pois não se destruiu muito.

 

clickpb

 

 

Avião com mais de 200 a bordo faz pouso de emergência na Rússia

Um Airbus A321 da Ural Airlines, com 226 passageiros e 7 tripulantes a bordo, fez um pouso de emergência nesta quinta-feira (15) em um milharal na região de Moscou, após colidir com um bando de pássaros, informaram autoridades russas.

O Ministério da Saúde da Rússia informou que 23 pessoas, incluindo nove crianças, ficaram feridas e foram hospitalizadas.

A aeronave colidiu com a revoada de pássaros logo depois de decolar do aeroporto de Jukovki, nos subúrbios de Moscou, às 3h20 (horário de Brasília), informou a agência russa de transporte aéreo federal (Rosaviatsia) em um comunicado.

O destino do voo era Simferopol, a principal cidade da península ucraniana da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014.
Várias aves “atrapalharam a operação dos motores” e a tripulação decidiu fazer um pouso de emergência, diz a nota.

O pouso em um milharal, localizado a 1 km da pista, foi feito sem o trem de pouso. O Comitê de Investigação da Rússia vai apurar o incidente.

G1

 

 

Gabriel Diniz, cantor de ‘Jenifer’, morre aos 28 anos em queda de avião em Sergipe

O cantor Gabriel Diniz, conhecido pelo hit “Jenifer”, morreu nesta segunda-feira (27), aos 28 anos, na queda de um avião de pequeno porte no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe.

De acordo com a Polícia Militar, há três mortos. Inicialmente, o Grupamento Tático Aéreo (GTA) havia informado que eram quatro ocupantes na aeronave, que decolou de Salvador.

Amigos de Gabriel Diniz reconheceram o corpo do artista entre as vítimas. A assessoria de imprensa da produtora do artista confirmou que ele estava no avião. Também foi encontrado o passaporte do cantor perto do local do acidente. Na noite deste domingo (26), ele havia feito um show em Feira de Santana (BA).

O GTA sobrevoa o local do acidente, onde trabalham ainda equipes da PM e do Corpo de Bombeiros. Elas chegaram numa embarcação dos bombeiros, já que a área é de difícil acesso, de mangue e mata fechada.

A queda do avião vai ser investigada pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, com sede no Recife e que abrange o estado de Sergipe.

Segundo documentos achados no local do acidente ao lado do passaporte de Gabriel Diniz, a aeronave é um monomotor Piper prefixo PT-KLO, com capacidade para quatro lugares e registrado em nome do Aeroclube de Alagoas.

A aeronave, segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), só pode ser usada para voos de instrução.

Aeronaves da categoria “Privada – Instrução” só podem ser usadas para instrução, adestramento de voo por aeroclubes, clubes ou escolas de aviação civil, segundo o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil. Isso significa que não podem ser utilizadas para táxi aéreo, por exemplo.

Uma moradora da região do acidente disse que o avião passou por cima da casa dela e caiu em seguida. Foi ouvido um estrondo nas imediações.

Perfil de Gabriel Diniz

Gabriel Diniz canta em gravação do programa 'SóTocaTop', da TV Globo, no Rio de Janeiro, em julho de 2018 — Foto: Fábio Rocha/TV Globo

Gabriel Diniz canta em gravação do programa ‘SóTocaTop’, da TV Globo, no Rio de Janeiro, em julho de 2018 — Foto: Fábio Rocha/TV Globo

Gabriel Diniz tinha 28 anos e nasceu em Campo Grande (MS). Ele foi criado em João Pessoa (PB), onde morava, e teve uma banda com amigos da escola. GD, como era conhecido, era um astro do forró, mas transitava bem no sertanejo.

O estouro veio no segundo semestre do ano passado, com “Jenifer”, o grande hit do último verão. A música divertida sobre uma mulher encontrada no Tinder foi a primeira de Diniz a chegar ao topos das paradas de todo o Brasil.

Os maiores sucessos anteriores dele eram “Paraquedas”, com Jorge e Mateus (18 milhões de visualizações no YouTube) e “Acabou, acabou”, com Wesley Safadão (62 milhões). Ele tinha empresários em comum com Safadão.

“Jenifer” foi escrita pelo grupo de compositores Big Jhows, originalmente para Gusttavo Lima. A interpretação de GD deu um tom mais leve e quase humorístico à letra.

Gabriel conseguiu comprar de Gusttavo a exclusividade de “Jenifer”, pelo mesmo valor que ele tinha pago aos compositores (eles não revelam a quantia). Tudo de forma amigável.

“Desde 2015 eu vou para Goiânia atrás de compositores. Fui o primeiro cara que saiu do Nordeste nessa busca. Depois foi o pessoal todo pra Goiânia: Wesley, Xand, até Simone e Simaria. Abrimos esse espaço para músicos e compositores”, explicou o cantor ao G1, no começo deste ano.

“Ninguém achou que ia ser esse sucesso. Nem o pessoal do meu escritório, nem meu empresário. O Wesley [Safadão] não acreditou, ninguém acreditou. Foi uma aposta minha, sozinho mesmo.”

Documento de Gabriel Diniz encontrado em local de queda de avião — Foto: Reprodução/ Jornal Hoje

Documento de Gabriel Diniz encontrado em local de queda de avião — Foto: Reprodução/ Jornal Hoje

Passaporte de Gabriel Diniz encontrado em local de queda de avião — Foto: Reprodução/ Jornal Hoje

Passaporte de Gabriel Diniz encontrado em local de queda de avião — Foto: Reprodução/ Jornal Hoje

Documentos do avião encontrados no local do acidente em Sergipe — Foto: Reprodução/Jornal Hoje

Documentos do avião encontrados no local do acidente em Sergipe — Foto: Reprodução/Jornal Hoje

Mapa mostra local da queda do avião — Foto: Arte G1/Rodrigo Sanches

Mapa mostra local da queda do avião — Foto: Arte G1/Rodrigo Sanches

Dados do Registro Aeronáutico Brasileiro que mostram que o avião onde estava Gabriel Diniz não poderia fazer táxi aéreo — Foto: Reprodução

Dados do Registro Aeronáutico Brasileiro que mostram que o avião onde estava Gabriel Diniz não poderia fazer táxi aéreo — Foto: Reprodução

Avião de pequeno porte cai em Sergipe

Avião de pequeno porte cai em Sergipe

 

G1

 

 

 

Avião, decola sem autorização e cai em ilha nos EUA

Um funcionário da companhia aérea Horizon Air roubou na noite desta sexta-feira (10) um avião no Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma, que fica no estado de Washington, Estados Unidos, decolando sem permissão e caindo pouco tempo depois.

Em entrevista à rede de TV CNN, o xerife do condado de Pierce, responsável pela área, disse que não se trata de um ato terrorista e que não havia passageiros a bordo — só o piloto, que morreu. A polícia acredita que se trata de um suicida e disse que investiga os antecedentes do funcionário, que tinha 29 anos e trabalha como mecânico no aeroporto.

A aeronave foi roubada por volta das 20h da hora local (às 0h deste sábado, no horário de Brasília). Dois caças militares foram acionados para conter o avião roubado, mas não estiveram envolvidos na queda, segundo a polícia.

A aeronave caiu a cerca de 48 km do local da decolagem em uma área de floresta próxima à ilha de Ketron. A queda provocou fogo na mata, e equipes de bombeiros foram ao local para controlar as chamas. Segundo a polícia de Pierce, a queda foi provocada por manobras que o piloto fez enquanto estava no ar ou por sua falta de habilidade.

O jornal “The New York Times” e a rede CNN dizem que enquanto a aeronave ainda estava no ar, autoridades deram orientações ao piloto sobre como conduzi-la.

“Parabéns, você fez isso, agora vamos tentar aterrissar esse avião em segurança e não machucar ninguém no solo”, disse um controlador de tráfego aéreo.

“Não sei, cara. Não sei. Não quero. Eu estava meio que esperando que fosse isso”, teria respondido o piloto.

Em outro momento da conversa, ele teria dito: “Eu tenho muitas pessoas que se importam comigo, e elas vão ficar desapontadas quando souberem que eu fiz isso. Eu gostaria de pedir desculpas a todos, a cada uma delas. Sou apenas um cara quebrado. Tenho alguns parafusos soltos, eu acho. Nunca realmente soube até agora”.

Investigações

O chefe da Alaska Airline disse que diversas agências federais estão envolvidas nas investigações sobre o incidente.

“Estamos trabalhando para descobrir tudo o que for possível sobre o que aconteceu, trabalhando com a Administração Federal de Aviação, o FBI e o Conselho Nacional de Segurança no Transporte. Estamos dando aos investigadores nosso total apoio e cooperação”, disse Brad Tilden em comunicado.

Em uma mensagem gravada, a chefe de operações da companhia aérea lamentou o ocorrido. “Nossos corações estão com a família do indivíduo a bordo, assim como com os nossos funcionários da Alaska Airlines e da Horizon”, disse Constance von Muehlen.

G1

Avião cai no Irã com 66 pessoas a bordo

ATR-72, aeronave da Aseman Airlines, durante pouso em Dubai em julho de 2008 (Foto: MARWAN NAAMANI / AFP)

Um avião operado pela Aseman Airlines, com 66 pessoas a bordo, caiu no sudoeste do Irã na manhã deste domingo (18), segundo a mídia iraniana.

A aeronave voava no trecho entre Teerã e a cidade de Yasuj e caiu na região montanhosa de Samirom, a cerca de 480 km da capital iraniana. Não há informações sobre sobreviventes.

Segundo informações da agência EFE, o porta-voz de Emergências iraniano, Moytaba Khaledi, explicou que o aparelho desapareceu do radar cerca de 20 minutos depois de ter decolado do aeroporto de Teerã com destino à cidade de Yasuy.

A companhia aérea chegou a confirmar que os 66 ocupantes do voo (incluindo uma criança) haviam morrido, mas em seguida retirou a informação, declarando que devido às circunstâncias especiais da região e a falta de acesso ao local do acidente, não poderiam confirmar de forma precisa e definitiva a morte de todos os ocupantes do avião.

Segundo a rede britânica BBC, o mau tempo teria impedido que um helicóptero de emergência chegasse ao local. Mas ainda não há informações sobre o que teria causado a queda do avião.

De acordo com as primeiras informações das agências Insa e Fars, atribuídas a Pirhosein Koolovand, chefe do serviço nacional de emergência, todos os serviços de socorro estão em alerta.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br