Arquivo da tag: autoridades

Cachoeira do Roncador, em Bananeiras, seca e secretária pede socorro às autoridades

A secretária do Meio Ambiente de Bananeiras, no Brejo paraibano, Késsia Melo, fez um alerta e um pedido de socorro às autoridades do setor. A Cachoeira do Roncador, famosa pelas suas belezas, secou numa prova concreta da degradação do meio ambiente provocada pelo mau uso humano e pela falta de ações educativas e preventivas mais contundentes.

“Hoje estive na Cachoeira do Roncador e a cena é de tristeza e lamento”, desabafou Késsia Melo acrescentando: Os órgãos ambientais aparecem, mas para multar. Para fazer prevenção, plano de desenvolvimento com os proprietários inseridos na Unidade de Conservação [UC] não aparecem. O Roncador pede socorro”, clama a secretária.

Conforme explicou Késsia em suas redes sociais, a Área de Proteção Ambiental (APA) do Roncador foi criada por Decreto Estadual n° 27.204, 06/06/2006. O local possui uma área de 6.133.00 hectares abrangendo os municípios de Bananeiras, Borborema e Pirpirituba.

“De acordo com o SNUC [Sistema Nacional de Unidades de Conservação] as UC devem ter seu plano de manejo e seu conselho gestor, coisas inexistentes em uma APA de mais de 13 anos de existência. Existe um total abandono do estado às unidades de conservação e à população inseridas nelas, motivo que tem degradado esse ambiente de Mata Atlântica de altitude e prejudicado o turismo e, consequentemente, a economia local”, desabafou a secretária.

Redação FN

 

 

Em sessão na Câmara de Solânea, autoridades e especialistas falam sobre importância de discutir suicídio

A Câmara de Vereadores de Solânea realizou, na última terça-feira (10), uma sessão especial para debater o suicídio. Proposta pelo vereador Márcio Prudêncio, a sessão contou com as palestras da psicóloga Silmara Moreira e a Assistente social Maria das Neves.

Além das palestrantes, autoridades municipais e representantes de setores da saúde e educação também se fizeram presentes para debater o tema. O juiz da comarca Dr. Osenival dos Santos, o prefeito Kayser Rocha e o vice-prefeito Edvanildo Junior deram suas opiniões com relação a importância de discutir com as famílias, escolas e setores de saúde a questão da depressão.

A sessão fez parte da Campanha Setembro Amarelo, uma campanha nacional. Autor da propositura o vereador Márcio destacou a importância dessa discussão ser além do mês de setembro. “É um tema que não deve ser tratado apenas no mês de setembro, visto hoje quantos jovens e adultos têm cometido suicídio em nosso país”, comentou Márcio.

O presidente da Casa Antônio Melo de Azevedo, vereador Flávio Evaristo, destacou a importância dos debates públicos ocorridos na Câmara Municipal. “Desde quando assumi o mandato aqui nesta casa, sempre destaquei que a Câmara é um espaço para o debate público de interesse social, quero parabenizar a iniciativa do vereador Márcio e também a presença de autoridades municipais, como o nosso juiz Dr. Osenival, do prefeito Kayser, Edvanildo Júnior, nosso vice-prefeito, dos vereadores e da comunidade, que compareceu para juntos tratarmos de um assunto tão importante,” comentou Flávio.

A imprensa local também se fez presente, através das rádios e portais de notícias da cidade.

Ascom-CMS

 

 

Ato público contra projeto de lei que trata de abuso de autoridades acontece na próxima terça

Um ato público contra o projeto de lei que trata de abuso de autoridades  acontece na próxima terça-feira (20), às 13h no Fórum Cível, de João Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa.

O movimento está sendo promovido pela Associação dos Magistrados da Paraíba, a Associação Paraibana do Ministério Público e a Associação das Prerrogativas dos Delegados da Polícia Civil da Paraíba.

O projeto de lei já foi aprovado pela Câmara Federal, na última sexta-feira (16) e já encaminhado para sanção ou veto do presidente da República, Jair Bolsonaro, no prazo de 15 dias.

 

clickpb

 

 

Deputado alerta autoridades sobre suposto golpe de ONG no interior da PB

O deputado Buba Germano fez um sério alerta, esta semana, às autoridades de fiscalização e vigilância da Paraíba. De acordo com o parlamentar, uma Organização Não Governamental (ONG) estaria se infiltrando em cidades do interior do estado sob o argumento de realizar consultas oftalmológicas e vender óculos, tudo abaixo do preço de mercado. Além do deputado, várias pessoas estão denunciando a ONG Boia Visão, nos meios de comunicação das cidades por onde ela está passando.

Conforme Buba Germano, a organização ficou por vários dias no município de Picuí com profissionais realizando consultas em “um barraco”. Ele acrescentou, ainda, que a Receita Municipal apreendeu vários óculos porque o produto estava sem nota fiscal.

“Existe uma ONG que está por aí nos municípios paraibanos convencendo os secretários de saúde para fazer oftalmologia como ação social, mas é uma ação comercial. Estão fazendo as consultas e ao lado deles está um barraco com ótica do estado de Goiás em uma atividade comercial para vender os óculos. Chamo atenção porque a Receita Municipal apreendeu os óculos porque não tem nota fiscal e é uma concorrência desleal. É um alerta para as autoridades que tratam disso”, discursou Buba na Assembleia Legislativa.

Cidadãos denunciam

Nas redes sociais e em emissoras de rádio de várias regiões, populares estão denunciando a ONG. Em uma das denúncias, o cidadão informa que a organização não tem registro para oferecer tratamento de saúde ocular, o que coloca em risco as pessoas atendidas.

O outro lado

O representante da ONG, que se identificou como André, gravou um vídeo que circula nas redes sociais negando que a organização esteja dando calote nos pacientes. Na gravação, ele tranquiliza as pessoas que já foram atendidas e diz que tudo não passa de insatisfação da concorrência. A resposta dele, no entanto, é pontualmente se referindo ao município de Itabaiana, por onde também já passou.

“Estou aqui para esclarecer esses comentários a respeito do nosso atendimento em parceria com a prefeitura, em Itabaiana. Não viemos dar calote em ninguém. Viemos fazer trabalho honesto pensando em beneficiar pessoas mais carentes. Nosso problema não foi denúncia que somos ladrão, pagamos o imposto do serviço prestado. Todo mundo que fez os óculos, vai dar tudo certo, vocês vão receber de maneira combinada”, explicou.

Redação FN

 

 

Consumo de álcool entre idosos aumenta e preocupa autoridades

O uso de substâncias psicoativas entre idosos vem preocupando os profissionais da área da saúde e novas descobertas têm apontado que o tema merece atenção do poder público. De acordo com a publicação Álcool e a Saúde dos Brasileiros – Panorama 2019, houve um aumento, entre 2010 e 2016, de 6,9% e 6,7% no número de internações e de óbitos parcial ou totalmente atribuíveis ao álcool na população com 55 ou mais anos de idade, respectivamente.

A ingestão de bebida alcoólica nessa faixa etária pode provocar efeitos mais acentuados comparativamente aos jovens de mesmo sexo e peso. Isso acontece porque o envelhecimento costuma diminuir a tolerância do corpo ao álcool, devido a uma série de alterações fisiológicas, como mudanças na capacidade de metabolização hepática e função renal, bem como na composição corporal, com maior tendência à desidratação.

Diante desta sensibilidade, a recomendação é que pessoas acima de 65 anos, se decidirem beber, se limitem a três doses de álcool em único dia, sem ultrapassar sete doses por semana. Vale lembrar que uma dose de álcool é equivalente à ingestão de 350 mL de cerveja, 150 mL de vinho ou 45 mL de destilado (vodca, uísque, cachaça, gin ou rum). É importante ressaltar que pessoas com problemas de saúde que possam ser agravados pelo álcool não devem beber.

Abusar do consumo de bebidas alcoólicas nessa fase da vida pode trazer consequências preocupantes. Destaco, entre elas, déficits no funcionamento cognitivo e intelectual, prejuízos no comportamento global, aumento do número de doenças e agravos a outros problemas de saúde comuns à idade. Além disso, os idosos ficam expostos a um maior risco de quedas e lesões e podem sofrer ainda outros impactos pela interação do álcool com medicamentos mais comumente utilizados na terceira idade.

Um artigo de revisão (Wang & Andrade, 2013) reportou que o padrão Beber Pesado Episódico* (BPE), quando é consumida grande quantidade de álcool em curto período de tempo, e os transtornos relacionados ao álcool (abuso e dependência) em idosos estão mais associados ao sexo masculino e a ser economicamente desfavorecido. Em paralelo, as idosas representam um subgrupo que merece atenção específica, já que, para elas, a progressão do uso à dependência tende a ocorrer mais rapidamente e as consequências adversas iniciam-se mais precocemente. Além disso, elas estão especialmente mais propensas que os homens a utilizar medicamentos de uso controlado, como tranquilizantes, analgésicos, sedativos, estimulantes e antidepressivos. Apesar de a incidência de transtornos relacionados ao uso de álcool em idosos ser estimada em 1 a 3%, pesquisadores alertam que o diagnóstico é subestimado.

Esses dados mostram que parte considerável dos idosos brasileiros consome bebidas alcoólicas e sabe-se que este comportamento, especialmente se excessivo e frequente, na terceira idade, pode aumentar os riscos de complicações da saúde e mortes. Somado a isso, há o contexto do envelhecimento da população brasileira – alavancado pelo aumento da expectativa de vida, diminuição da natalidade e avanços dos serviços de saúde, incluindo o acesso e a disponibilidade de tratamentos. É notável, portanto, que os idosos sejam alvo de campanhas e políticas públicas específicas de prevenção ao uso nocivo de álcool.

*Beber Pesado Episódico é um padrão de uso nocivo que equivale ao consumo de 60 g ou mais (cerca de 4 doses ou mais) de álcool puro em uma única ocasião ao menos uma vez no último mês. Uma (1) dose corresponde a cerca de 14 g de álcool puro, o equivalente a 350 mL de cerveja, 150 mL de vinho ou 45 mL de destilado (vodca, uísque, cachaça, gin ou rum).

 

por Arthur Guerra de Andrade

 

 

Deputados e autoridades da PB divergem e polemizam sobre redução da maioridade penal

Reprodução/Montagem: Portal Correio
Reprodução/Montagem: Portal Correio

As discussões sobre a maioridade penal dividem opiniões entre autoridades de segurança e parlamentares. Os deputados federais Veneziano Vital (PMDB), Pedro Cunha Lima (PSDB) e Efraim Filho (Democratas) defendem a redução, ao contrário de Luiz Couto (PT) e Damião Feliciano (PDT), que não concordam com a alteração. A presidente da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Fundac) na Paraíba, Sandra Marrocos, também não defende a mudança.

Efraim Filho defende que se o adolescente tem competência para outras coisas, como votar e abrir uma empresa, deve também responder por eventuais crimes. “Reduzir a Maioridade penal significa dar responsabilidade a quem tem capacidade para assumi-la. Se o jovem de 16 anos pode votar e eleger o presidente, pode casar e constituir família, abrir uma empresa e gerir seu próprio negócio, pode e deve responder por eventuais crimes que cometer. Não podemos ter uma legislação que signifique certeza de impunidade para o jovem delinquente.”

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Pelas redes sociais,Veneziano também comentou. “Estou me posicionando favoravelmente à Admissibilidade da proposta que prever a diminuição da maioridade penal,de 18 anos para 16 anos.É matéria Constitucional”, postou no Facebook.

Pedro Cunha Lima adiantou que concorda com a redução da maioridade, mas disse que essa não é a única solução para a redução da violência.

“Sou a favor da redução da maioridade penal, em que pese compreender os argumentos daqueles que pensam contrariamente, de que o sistema prisional do Brasil está falido e não reabilita aqueles que são encarcerados. Entendo que a redução não enfrenta o problema em sua raiz, não enfrenta a principal causa dessa triste realidade, mas não posso deixar de reconhecer que o adolescente tem sido tratado como inimputável e essa mensagem tem gerado sentimento de impunidade e isso só facilita o crime”, ressaltou.

Damião Feliciano disse que é contra a redução porque isso pode colocar menores em presídios e defende que haja mais investimentos em educação para que possibilite oportunidades aos adolescentes.

Luiz Couto afirmou que “será contra, mesmo observando outros posicionamentos”. O deputado citou exemplos de que a mudança pode não ser suficiente para diminuir a violência. “Pesquisas comprovam que países como os Estados Unidos, a experiência da aplicação das penas previstas para adultos em adolescentes foi mal sucedida e teria resultado no agravamento da violência”.

Com base em dados do Ministério da Justiça, Couto afirmou que “menores com idades entre 16 e 18 anos são responsáveis por 0,9% dos crimes no Brasil. Se considerados apenas homicídios e tentativas de homicídios, esse índice cai para 0,5%”.

A presidente da Fundac na Paraíba, Sandra Marrocos, tem o mesmo posicionamento de Luiz Couto e entende que essa discussão é extremamente complexa para ser decidida sem um debate mais amplo e detalhado. “É preciso que seja levado em conta todo o contexto socioeconômico do adolescente e não só a violência em si. Defendo políticas de ressocialização, educação em tempo integral, cultura, lazer e esporte para retirar os menores do crime”.

Segundo publicação da Agência Câmara, depois de aprovada na Câmara, a PEC seguirá para o Senado, onde será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e depois pelo Plenário, onde precisa ser votada novamente em dois turnos. Se o Senado aprovar o texto como o recebeu da Câmara, a emenda é promulgada pelas Mesas da Câmara e do Senado. Se o texto for alterado, volta para a Câmara, para ser votado novamente.

 

portalcorreio

Autoridades alertam para cuidados com faturas falsas emitidas por bandidos

codigo_de_barrasUm novo tipo de fraude tem levantando alerta entre as autoridades de Segurança do Brasil e também na Paraíba. Golpistas estariam enviando faturas falsas, com códigos de barra adulterados, de forma que quando pagas, os consumidores acabam repassando dinheiro para bandidos. A Polícia Civil da Paraíba já está atenta e faz orientações. O caso é semelhante ao identificado pela emissão de multas falsas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A delegada titular da Delegacia Especializada de Falsificações e Defraudações da Capital, Iumara Gomes, disse ao Portal Correio que tem conhecimento desse tipo de fraude, mas que não recebeu denúncias referentes ao caso em João Pessoa.

“Não recebemos nenhum caso do tipo na Defraudações. Mas estamos acompanhando de perto e pedimos para que qualquer pessoa que se senta lesada por isso, procure qualquer delegacia para registrar a ocorrência”.

A delegada pediu ainda para que as pessoas tenham bastante atenção na hora de verificar faturas e fazer pagamentos, não só por meio de boletos e correspondências físicas, mas também de forma eletrônica, como os e-mails.

“O consumidor não pode pagar pelo que não comprou. É importante observar sempre o que foi comprado, os valores, a empresa onde foi feita a compra e só pagar por aquilo que se tem conhecimento. Em qualquer outra circunstância, a correspondência deve ser ignorada. Se o boleto fraudado tiver sido pago, a pessoa deve reunir todos os papeis que tem em mãos e registrar o boletim de ocorrência para que a Polícia Civil dê início à investigação”, finalizou.

De acordo com o professor de Direito do Consumidor da Faculdade Mackenzie Rio e defensor público, Marco Antônio da Costa, a questão é complexa por tratar-se de uma nova modalidade de fraude.

“A empresa pode alegar que a sua responsabilidade está excluída já que o fato foi ocasionado por terceiros. Por outro lado, o consumidor que agiu de boa fé e fez o pagamento, não pode ser punido duplamente. Em nosso sentir, pelo Código do Consumidor, não tem como obrigar a empresa fazer o ressarcimento, mas nada impede que ela tenha uma política comercial que reconheça que o cliente, agindo de boa-fé, fez o pagamento, até porque se é possível alegar que o fato é praticado por terceiros, não se pode negar que o fraudador se vale exatamente da fragilidade do sistema de cobrança”, explica o professor.

Segundo ele, como o golpe é muito bem feito, é necessário que haja mudança de comportamento para que a fraude seja evitada.

“Os condomínios devem ser orientados a não receber documentação boletos de pagamento que não seja pelos Correios, ou serviço similar perfeitamente identificado, e o consumidor também pode checar antes do pagamento da fatura conferir o código do cedente no alto da barra, se o número não contém campos com tipos e cores diferentes que podem indicar fraude”, alerta.

 

portalcorreio

Beto do Brasil participa das homenagens ao Padre Ibiapina no Santuário de Santa Fé ao lado de autoridades do Estado e região do brejo

 

 

betoO Prefeito Beto do Brasil participou, na ultima quarta-feira (19), ao lado do vice-prefeito Kaiser Rocha, da celebração em homenagem aos 131 anos de morte do Padre Ibiapina. A celebração aconteceu no Santuário de Santa Fé, localizado município de Solânea. Mesmo sob forte chuva, milhares de fiéis participaram da missa campal, que foi presidida pelo bispo da diocese de Guarabira, Dom Lucena.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o Prefeito Beto do Brasil, a homenagem dos fiéis ao padre Ibiapina, que ficou conhecido por Apóstolo do Nordeste, demonstra o respeito pela vida dedicada a fé , pois mesmo debaixo de forte chuva, compareceu ao santuário para conhecer o santo lugar( no caso daqueles que visitavam pela primeira vez) e agradecer pelas bênçãos recebidas. Isto sem contar que o momento era de renovação das esperanças de um município cada vez melhor , mais pacifico e justo, para os filhos e filhas solanenses. Beto destacou ainda o trabalho missionário e a dedicação que o padre Ibiapina tinha com os mais humildes.

O vice-prefeito Kaiser Rocha também presente no evento, ressaltou a importância do padre Ibiapina em prol dos menos favorecidos. “O padre Ibiapina disponibilizou um trabalho importantíssimo, auxiliando os mais necessitados. As homenagens a este, que tanto fez pelo povo de nossa região demonstram a gratidão de nossa gente”, ressaltou Kaiser Rocha.

O evento contou com as presenças do Governador Ricardo Coutinho, o vice-governador Rômulo Gouveia, prefeitos das cidades circunvizinhas, tais como, o Prefeito de Arara Heraldo Pereira, o Prefeito de Casserengue Carlos Francisco(Carlinhos), dentre outros. Alem destes, participaram também, vereadores, secretários e outros componentes da administração solanense.

 

 

 

 

Fonte : Assessoria de Comunicação

ONU pede que Vaticano entregue às autoridades clérigos envolvidos em abusos de crianças

igreja-pedofiliaA ONU pediu nesta quarta-feira (5) que o Vaticano “remova imediatamente” todos os clérigos que são responsáveis ou suspeitos de abuso de crianças e os denuncie às autoridades civis, em um relatório sem precedentes sobre o tema da pedofilia na Igreja Católica.

O órgão da ONU que defende os direitos da infância disse que a Santa Sé também deve entregar seus arquivos sobre abuso sexual a dezenas de milhares de crianças para que os culpados, e os ligados ao crime, possam ser responsabilizados.

“O comitê está gravemente preocupado pelo fato de que a Santa Sé não realizou a extensão dos crimes cometidos, não tomou as medidas necessárias para lidar com casos de abuso sexual infantil e para proteger as crianças, e adotou políticas e práticas que levaram à continuidade dos abusos e à impunidade dos perpetradores”, diz o relatório.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Comitê da ONU para os Direitos da Infância disse que a Igreja Católica ainda não tomou as medidas para evitar a repetição de casos como o escândalo das lavanderias da Irlanda, em que meninas foram colocadas arbitrariamente em condições de trabalho forçado.

O órgão pediu uma investigação interna do caso e de casos semelhantes, para que os responsáveis possam ser processados e para que uma “compensação total” possa ser paga às vítimas e às suas famílias.

A comissão criada em dezembro de 2013 pelo Papa Francisco deveria investigar todos os casos de abuso sexual infantil, “assim como a conduta da hierarquia católica ao lidar com eles”, diz o texto.

Integrantes do clero envolvidos em abuso foram transferidos de paróquia a paróquia em seus países, “em uma tentativa de acobertar tais crimes”, acrescenta o relatório.

“Devido ao código de silêncio imposto a todos os membros do clero sob pena de excomunhão, casos de abuso sexual infantil dificilmente foram relatados às autoridades policiais nos países onde tais crimes ocorreram”, diz o órgão da ONU.

Em uma sessão pública no mês passado, o comitê pressionou representantes do Vaticano a revelar o alcance dos casos de pedofilia das últimas décadas dentro da Igreja.

Na ocasião, a delegação da Santa Sé, respondendo a perguntas pela primeira vez desde que o escândalo surgiu, há mais de duas décadas, negou as acusações de que o Vaticano tenha acobertado os casos e disse que foram criadas diretrizes claras para proteger as crianças.

O Papa Francisco afirmou, à época, que os casos são motivo de “vergonha” para a Igreja.

O Vaticano deve publicar um comunicado sobre o relatório ainda nesta quarta.

O embaixador do Vaticano na ONU, monsenhor Silvano Tomasi, à esquerda, fala com o ex-responsável por investiga abusos na Igreja Charles Scicluna, antes do início de seu questionamento (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)O embaixador do Vaticano na ONU, monsenhor Silvano Tomasi, à esquerda, fala com o ex-responsável por investiga abusos na Igreja Charles Scicluna, antes do início de seu questionamento em 16 de janeiro (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

G1

Em Solânea (PB), grupo de sem-teto protesta e chama atenção de autoridades

 

José Ricardo - Procurador do município

Um grupo de sem-teto que se apossou do terreno da prefeitura de Solânea (PB) se dirigiu à rádio Integração do Brejo, de propriedade da Diocese de Guarabira, no sentido de sensibilizar as autoridades para a situação enfrentada por eles.

Ao participar do programa da Integração, apresentado por Cristiano Ricelli, o procurador da prefeitura, José Ricardo, admitiu que a situação é muito delicada, e que o prefeito não pode fugir da legalidade para não responder futuramente por improbidade administrativa.

 Leia também – Solânea: Primeira dama desmente denúncia de doação de terreno e prefeito vai pedir reintegração de posse

Terreno supostamente doado às vésperas das eleições é invadido por sem-teto em Solânea

Segundo José Ricardo o prefeito esta sensível aos ocupantes e que vai procurar o melhor meio para resolver a situação. O procurador incentivou os ocupantes a procurar a promotoria do município para que juntos possam chegar a uma solução para o problema, pois muitas casas já foram construídas.

José Ricardo disse que quando José Antônio (Coquinho), um dos primeiros ocupantes o procurou, alertou que o mesmo se construísse no local estaria correndo o risco de perder seu imóvel, como também todo aquele que construísse naquela área.

Desde a terça-feira (06) quando o FOCANDO A NOTÍCIA esteve no local para ouvir os ocupantes do terreno, o assunto na cidade não têm sido outro, e a imprensa local (Rádios e Portais) abraçou a causa para uma solução deste problema, visto que existe a comprovação de pessoas que realmente necessitam de uma moradia digna e legal.

Já na quarta-feira (07) o prefeito Dr. Chiquinho avisou, que iria entrar com pedido de reintegração de posse da área invadida, que fica atrás do antigo matadouro, vizinho ao hospital distrital.

 Veja imagens do local invadido e algumas residências atuais dos moradores:

Redação/Focando a Notícia