Arquivo da tag: autoescolas

Sindicato vai à Justiça contra obrigatoriedade dos simuladores em autoescolas da Paraíba

Autoescolas dizem não ao simulador
Autoescolas dizem não ao simulador

O Sindicato dos Centros de Formação de Condutores da Paraíba vai entrar na Justiça pedindo a suspensão da resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que exige das autoescolas a aquisição de simuladores de direção veicular.

Os CFCs já deveriam estar utilizando os simuladores de direção veicular desde 2 de janeiro. O Ceará conseguiu adiar a obrigatoriedade por um período de 12 meses. Na Paraíba, por enquanto, o prazo para aquisição do equipamento é de 120 dias, a contar de 30 de janeiro, quando foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre os proprietários de autoescolas, Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A resolução, que deveria estar em vigor desde o dia 02 de janeiro, ganhou novo prazo no estado após reunião realizada na última quinta-feira (6). Finalizado o período de 120 dias, o sistema do Detran começará a rejeitar alunos dos CFCs que não se adequaram até a data estabelecida. Apenas um centro de formação de condutores paraibano adquiriu dois simuladores que ainda não foram entregues pela empresa fornecedora.

A medida do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) consta na resolução 444/2013, que altera a resolução 168/2004, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e também a resolução 358/2010, que trata do credenciamento de instituições de formação de condutores.

Conforme as novas regras, as aulas práticas de direção veicular serão precedidas de 5 horas aulas de 30 minutos, em módulo específico pré-prático, ministradas em simuladores de direção veicular. Os equipamentos deverão ser homologados pelo Denatran e fiscalizados pelos órgãos executivos estaduais de trânsito e do Distrito Federal.

 

portal correio

Governo e Denatran discutem exigência da instalação de simuladores nas autoescolas da Paraíba

reuniaoO cumprimento da resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que exige a instalação dos simuladores de direção veicular nos Centros de Formação de Condutores foi discutida na manhã desta quinta-feira (6), durante reunião na sede do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran), em João Pessoa, que contou com a presença da coordenadora geral da Qualificação do Fator Humano no Trânsito do Departamento Nacional de Trânsito – Denatran, Cristina Hoffmann, o superintendente do Detran-PB, Rodrigo Carvalho, e representantes dos Centros de Formação de Condutores em funcionamento na Paraíba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A representante do Denatran está visitando todos os Detrans para discutir o cumprimento da determinação do Denatran e do Contran para que todos os centros de formação de condutores do país instalem simuladores de direção veicular para aulas práticas durante a formação dos candidatos para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação categoria “B”.

A Paraíba é o 12º estado visitado por Cristina Hoffmann para discutir o cumprimento da resolução. Segundo ela, o objetivo destas visitas é verificar como os Detrans estão se estruturando para fiscalizar o setor e convencer representantes dos Centros de Formação de Condutores das vantagens do equipamento. Ela explicou que, com base nas reivindicações dos Detrans e dos centros de formação de todo o país, o Denatran deve se pronunciar sobre a tolerância em relação ao cumprimento da resolução.

Dono de um centro de formação de condutores em João Pessoa e outro em Campina Grande, o empresário Eduardo Feitosa, que é presidente da Associação das Empresas Credenciadas de Centros de Formação de Condutores, revelou que investiu cerca de R$ 70 mil na compra de dois simuladores e não se arrependeu. Ele confessou que chegou a ser contra a medida, mas depois entendeu que o equipamento permitirá avaliar os candidatos em situações adversas, como o estado de embriaguez ao volante.

Já o presidente do Sindicato dos Centros de Formação de Condutores da Paraíba, Claudionor Fernandes, ainda não comprou o equipamento para a seu Centro de Formação de Condutores e, durante a reunião com representantes do Detran e do Denatran, defendeu um prazo maior para o cumprimento da lei.

O presidente da Federação das Associações de Autoescolas e Centros de Formação de Condutores, Magnelson Souza, que também participou da reunião, disse que “o simulador não deve ser visto como um obstáculo e sim como uma ferramenta para aprimorar os serviços prestados pelas empresas responsáveis pela formação dos condutores”.

Situação na Paraíba – O superintendente do Detran, Rodrigo Carvalho, disse que o Detran da Paraíba já adotou várias medidas para cumprimento da resolução. Ele lembrou que o equipamento chegou a ficar em exposição em João Pessoa e Campina Grande, a fim de que fosse testado e conhecido pela população e por donos de centros de formação de condutores.

No final do mês de janeiro, foi assinado um Termo de Ajustamento de Conduta no qual os representantes dos centros de formação de condutores se comprometeram a adquirir e instalar os equipamentos no prazo de 120 dias.

Rodrigo Carvalho alertou que o Detran da Paraíba vai seguir integralmente o que for determinado pelo Denatran em relação à tolerância para a exigência do uso do equipamento e não descartou a possibilidade de bloquear a inscrição de candidatos encaminhados ao Detran por centros de formação de condutores que não estejam disponibilizando o simulador de direção veicular aos seus alunos.

Simulador – O objetivo da implantação do simulador5 é utilizar a tecnologia para que os candidatos tenham noções de direção veicular, antes do acesso real ao veículo, que só acontece nas aulas práticas.

Utilizando os equipamentos, os futuros condutores passam por situações que permitem o domínio da máquina, como se estivessem dirigindo um veículo de verdade. A simulação da prática de direção veicular deve ser ministrada em equipamentos homologados pelo Denatran, sob a fiscalização dos órgãos executivos estaduais de trânsito e do Distrito Federal.

Serão exigidas cinco aulas de 30 minutos com conteúdo didático, como conceitos básicos de condução, marchas, aprendizado de circulação em avenidas, curvas, estradas, vias de tráfego, regras de segurança, congestionamento e em situações climáticas e de risco.

Os futuros condutores só vão poder utilizar o simulador após o cumprimento da carga relativa às aulas teóricas-técnicas e antes da realização do exame teórico. As aulas serão ministradas pelo instrutor de trânsito, o diretor de ensino, ou o diretor geral do Centro de Formação de Condutores (CFC), que deve acompanhar e supervisionar cada candidato.

 

Secom-PB

 

Autoescolas terão simulador de direção

A ideia é utilizar tecnologias de realidade virtual para o treinamento dos novos motoristas


A partir de 2013, será obrigatório o uso de simulador nos centros de formação de condutores (CFCs), conhecidos como autoescolas. De acordo com o Ministério das Cidades, o simulador de direção veicular deverá ser obrigatório em todas as autoescolas do País. O equipamento foi desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina.

O simulador será usado por cinco aulas após o aluno ter feito o curso teórico, antes de iniciar a prática nas ruas. “Nós achamos que ainda é um pouco prematuro fazer uma avaliação se efetivamente o simulador pode aprimorar o processo de formação de condutores. Nos parece, a princípio, que sim, que pode aprimorar”, disse Souza.

O ministro das Cidades, Aguinaldo Velloso Borges Ribeiro, defendeu a implementação do simulador. Segundo ele, a preocupação maior do governo é com a segurança no trânsito e dos alunos. “É uma adequação, assim como em diversas áreas, em diversos transportes já existem adoção do simulador, antes que se faça a prática no próprio veículo. A partir daí, você garante ao condutor, ou ao futuro condutor, que ele tenha segurança antes de ir para as ruas”, disse.

A obrigatoriedade do uso de simulador poderá fazer com que o preço do curso de habilitação aumente. A afirmação é do presidente da Federação Nacional das Autoescolas e Centro de Formação de Condutores (Feneauto), Magnelson Carlos de Souza.

A questão do custo, segundo o ministro, ainda está sendo discutida e não deverá afetar significativamente o preço dos cursos oferecidos aos futuros condutores. “A própria autoescola tem condição de adquirir um carro popular como instrumento de formação e o [custo do] simulador significa um veículo popular, portanto, não alterará ou não justificará um aumento expressivo ou não justificará um aumento na prestação dos alunos por conta do simulador”, disse Ribeiro. O ministro ressaltou que a grande demanda das autoescolas pelo novo equipamento induzirá a uma diminuição no preço do simulador.

Para a coordenadora-geral de Qualificação do Fator Humano no Trânsito do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Maria Cristina Hoffmann, a implementação do simulador faz parte de uma série de ações do governo para alcançar a meta estipulada, em uma resolução da Organização das Nações Unidas (ONU), de reduzir em 50% mortos e feridos em acidente de trânsito.

“A resolução foi assinada por 178 países, inclusive o Brasil. Em diversos países o simulador já é usado. É melhor corrigir no simulador do que depois na rua”, disse.

Carteira Nacional de Habilitação (CNH)

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) atesta que o cidadão brasileiro está apto a conduzir veículos. O porte é obrigatório para quem está dirigindo. O modelo atual de CNH possui fotografia da pessoa, o número da Carteira de Identidade (RG) e do Cadastro de Pessoa Física (CPF). Assim, a CNH pode ser utilizada para identificação em todo território nacional.

O Código de Trânsito Brasileiro divide a habilitação para dirigir em cinco categorias:

A: condutor de veículo motorizado de duas ou três rodas, com ou sem carro lateral (motos);

B: condutor de veículo motorizado não abrangido pela categoria A, com peso bruto total inferior a 3.500 quilos e lotação máxima de oito lugares, além do motorista (automóveis);

C: condutor de veículo motorizado usado para transporte de carga, com peso bruto superior a 3.500 quilos (como caminhões);

D: condutor de veículo motorizado usado no transporte de passageiros, com lotação superior a oito lugares além do motorista (ônibus e vans, por exemplo);

E: condutor de combinação de veículos em que a unidade conduzida se enquadre nas categorias B, C ou D e cuja unidade acoplada ou rebocada tenha peso bruto de 6 mil quilos ou mais; ou cuja lotação seja superior a oito lugares; ou, ainda, que seja enquadrado na categoria trailer.

Saiba mais sobre a Carteira Nacional de Habilitação no link 

Fonte:
Agência Brasil
Portal Brasil

25 autoescolas estão sendo investigadas pelo Detran-PB

Vinte e cinco autoescola estão sendo investigadas pelo Departamento de Trânsito da Paraíba. A revelação foi feita pelo corregedor do Detran-PB, Wallber Virgolino. Ele informou que uma das irregularidades cometidas por esses centros de aprendizados para condutores é o não cumprimento das aulas, conforme estão previstas no Código de Trânsito Brasileiro.

Virgulino revelou ainda que mais da metade dos candidatos que fazem teste para ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Detran-PB são reprovados em alguma das etapas do processo. Segundo o corregedor do órgão, Wallber Virgolino, por dia, 410 pessoas passam pelos exames na unidade de João Pessoa e o índice de reprovação varia de 50% a 70%.

O corregedor do Detran-PB assegurou que a ação de quadrilhas  que estariam atuando para fraudar as provas também diminuiu. Ele informou que muitos vendiam as respostas das provas ou colocavam outras pessoas para fazer os testes escritos no lugar do candidato. “Até davam a CNH sem o candidato pisar no Detran. Para evitar a corrupção, há um rodízio de funcionários que avaliam a prova prática. Todo dia muda, para tentar impedir o contato maior com o despachante ou com o próprio usuário. Se tivesse mais efetivo, o rodízio funcionaria melhor. A pista [de provas práticas de direção] também conta com 10 câmeras”, disse.

Segundo o corregedor, o aluno que se sentir prejudicado na reprovação, pode pedir revisão das provas, requisitar as imagens e reivindicar um novo teste.  “Quem compra [a CNH] está cometendo corrupção ativa, segundo o Código Penal, artigo 333, que diz que a pessoa que oferecer ou prometer vantagem indevida a funcionário público pode ter pena de reclusão de 2 a 12 anos e multa”, disse.

O representante do sindicato dos centros de condutores atribuiu o aumento no índice de reprovação dos alunos ao surgimento de novas autoescolas e a falta de fiscalização do Detran. Outro problema constatado pelo sindicato é a falta de qualificação existente em alguns centros de formação. Atualmente, a Paraíba possui 72 autoescolas.

Amanda Carvalho do Jornal Correio da Paraíba

Detran investiga irregularidades em autoescolas do Sertão da Paraíba

Corregedoria achou indícios de irregularidades na emissão de certificados.Duas autoescolas de Patos podem ser descredenciadas.

A corregedoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) da Paraíba anunciou nessa quarta-feira (23) que vai investigar irregularidades e fraudes no processo de retirada da Carteira Nacional de Habilitação em duas autoescolas e um escritório de despachantes de Patos, no Sertão paraibano.

Segundo informações do corregedor Wallber Virgulino, foram detectados indícios de irregularidades na emissão de certificados de primeiros socorros e direção defensiva.

Virgulino informou que a corregedoria fez vigilâncias e analisou documentos e ainda alertou que as empresas podem ser descredenciadas.
A ação faz parte de uma operação que investiga fraudes no processo de retirada de CNHs em que ainda serão fiscalizados os veículos de todas as autoescolas, além dos condutores.

Fonte: G1 PB
Focando a Notícia

Irregularidades: Detran investiga dez autoescolas na Grande João Pessoa

 

 

Em entrevista coletiva concedida pelo corregedor do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran), Walber Virgolino informou nessa quarta (2) que dez autoescolas estão sendo investigadas, por irregularidades no funcionamento.

 

De acordo com Virgolino as autoescolas estão localizadas em Santa Rita, Bayeux e Conde na região metropolitana de João Pessoa. Os proprietários das autoescolas serão ouvidos na Corregedoria do Detran. “Para alguns tipos de irregularidades é possível que a penalidade seja o descredenciamento”, frisou.

 

O Corregedor não informou os nomes das autoescolas, em razão da ação ainda não ter sido concluída, sendo possível que outros estabelecimentos sejam fechados em outros municípios.

 

Além disso, Virgolino destacou as práticas erradas de despachantes irregulares que trabalham no Detran. “Esses despachantes estão sendo investigados e não podem mais circular dentro do Detran, com isso câmeras de segurança foram instaladas, bem como os próprios seguranças do órgão estão autorizados a retirar esses meliantes do interior da repartição”, acrescentou.

 

O corregedor lembrou ainda a quantidade de carteiras de habilitação falsas que circulam na Paraíba. “Temos uma frota de mais de 700 mil veículos no Estado e boa parte dos motoristas possuem CNH falsas”, concluiu.

 

 

 

 

Paraíba.com-José Linhares Filho/Fernando Braz

Focando a Notícia