Arquivo da tag: aulas

“Teremos um olhar mais aguçado para os anos finais” ressalta secretário de Educação sobre retorno das aulas presenciais

Mesmo diante de todos os obstáculos causados pela pandemia da covid-19 para a Educação, o secretário de Educação da Paraíba, Cláudio Furtado, reforçou que os alunos matriculados na rede estadual de ensino estão tendo o acompanhamento necessário e que as aulas presenciais não devem retornar sem que haja a segurança necessária tanto para alunos quanto para servidores.

”O retorno depende da avaliação dos casos de covid-19, ainda não temos uma data”, disse.

O auxiliar do governador João Azevêdo destacou ainda que na volta às aulas, cada escola fará uma avaliação da situação do conteúdo e a expectativa é que o ano letivo seja estendido até janeiro de 2021.

O olhar mais criterioso da Educação será para os anos finais, que estão se preparando para o vestibular, pontuou Cláudio.

”Claro que teremos um olhar mais aguçado para os anos finais”, declarou, acrescentando que o Estado estuda inclusive a possibilidade de adotar um 4º ano do ensino médio.

PB Agora

 

 

MEC lança protocolo para retorno às aulas em instituições federais

O Ministério da Educação (MEC) lançou hoje (1º) um protocolo de biossegurança para retorno das aulas nas 69 universidades federais e 41 institutos federais do país. Esse protocolo traz diretrizes de distanciamento social coletivo em ambientes acadêmicos, além de medidas básicas de prevenção ao novo coronavírus.

O protocolo orienta, dentre outras coisas, o escalonamento das equipes, o trabalho remoto para funcionários do grupo de risco, o respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre uma pessoa e outra e a aferição de temperatura de todos que entrarem nos prédios e nas salas.

O documento também traz orientações já comuns nos tempos atuais, como o uso constante de máscara e higienização das mãos, além de desinfecção com álcool em gel.

“O protocolo não é uma regra engessada, é uma diretriz para as instituições fazerem o retorno às aulas. Tem medidas protetivas individuais e coletivas, [para] salas de aula, laboratórios, transportes coletivos, atividades laborais, entre outros”, disse o secretário de Ensino Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, em entrevista coletiva realizada hoje (1º).

Segundo ele, as orientações são para minimizar os riscos de contaminação e garantir segurança necessária a estudantes, docentes e funcionários.

O protocolo completo pode ser acessado na página especial dedicada ao coronavírus no portal do MEC.

O documento foi elaborado por uma equipe do ministério composta por médicos, biólogos e sanitaristas, seguindo orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Apesar de ser direcionado às instituições federais, o protocolo pode servir de guia também para instituições de ensino municipais e estaduais.

O ministério já se posicionou favorável ao retorno das aulas, desde que consideradas as recomendações do protocolo. “O desafio é o retorno às aulas e o ministério defende esse retorno. Os institutos e as universidades vão ter que conciliar ensino presencial e a distância”, disse o secretário executivo da pasta, Antônio Paulo Vogel.

O MEC, entretanto, não definiu uma data para o retorno das aulas presenciais. Segundo o secretário-executivo, essa decisão será de estados e municípios, de acordo com a realidade epidemiológica local. “Cada rede de ensino definirá suas datas, não tem como o Ministério da educação definir uma data de retorno”, disse Vogel.

Agência Brasil

 

 

UEPB aprova regulamentação de aulas online a partir de 3 de agosto

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) aprovou na tarde desta sexta-feira (26) a regulamentação de ensino remoto para alunos da instituição a partir do dia 3 de agosto. As atividades presenciais estão suspensas na instituição desde o dia 17 de março por causa da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A decisão foi tomada durante uma reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) que analisou sugestões dadas por meio de uma consulta pública. A medida foi regulamentada por meio de uma resolução, dividida em três fases.

A Resolução, com 27 artigos, estabelece normas para disciplinar a realização de componentes curriculares e de outras atividades de aprendizagem, orientação, pesquisa e extensão, por meio de atividades não presenciais, na graduação, na pós-graduação e no ensino médio/técnico.

O texto determina que as atividades não presenciais serão realizadas, excepcionalmente, durante o período de suspensão total ou parcial das atividades presenciais, decorrentes dos efeitos da pandemia de Covid-19.

Ainda conforme a resolução, a matrícula dos alunos em novos componentes curriculares e o reajuste de matrícula serão feitos de 20 a 24 de julho.

Até o dia 3 de agosto, a universidade vai capacitar os professores que tiverem dificuldade com as ferramentas de ensino remoto. Outra medida que deve ser tomada nesse período é a garantia de acesso às aulas para todos os alunos.

Conforme o pró-reitor de graduação da UEPB, o professor Eli Brandão, o ensino remoto já havia sido autorizado pela universidade para professores que possuem afinidades com meio eletrônicos, desde que contassem com aprovação total das tumas.

Ainda segundo Eli, pelo menos 25% das turmas haviam adotado as atividades remotas em uma primeira fase de readequação do ensino durante a pandemia.

A segunda fase começa no dia 3 de agosto, quando se pretende alcançar todos os alunos. Já a terceira fase da resolução estabelece o retorno das atividades presenciais, que ainda não possui data prevista para acontecer.

G1

 

Contran autoriza aulas remotas para curso de formação de condutores

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) autorizou a realização das aulas teóricas na modalidade remota nos cursos de formação de condutores, enquanto durar a pandemia de covid-19. A resolução do Ministério da Infraestrutura, referendando a decisão do conselho, foi publicada hoje (24) no Diário Oficial da União e entra em vigor em 1º de julho.

De acordo com o documento, os Centros de Formação de Condutores (CFCs) ficam autorizados a realizar as aulas a distância, desde que o candidato manifeste interesse. O conteúdo programático, a carga horária e a duração das aulas obedecerão aos mesmos critérios estabelecidos para as aulas presenciais.

As plataformas e sistemas utilizados pelos CFCs deverão permitir o cruzamento com as bases de dados dos órgãos de trânsito, para a autenticação biométrica facial do instrutor e dos candidatos. A resolução estabelece regras de segurança e operacionais para garantir a efetividade da medida e prevê que cada órgão estadual e distrital pode estabelecer requisitos adicionais para a harmonização com os fluxos de seus processos internos.

Entre as regras já previstas estão a validação biométrica facial do instrutor de trânsito e dos candidatos, na abertura e no término da aula, a auditoria das ações dos usuários no sistema e a proteção das informações coletadas durante as aulas, para não permitir manipulação. Os candidatos terão até quinze minutos de tolerância, a partir do horário de abertura da aula, para entrar na sala virtual e deverá ser feita mais uma autenticação, durante a aula, em pelo menos 20% dos alunos presentes, de forma aleatória.

Os procedimentos de coleta de dados biométricos pelos órgãos de trânsito dos estados e do Distrito Federal ou por entidade por eles credenciada devem ser realizados por meio de agendamento prévio, observando às recomendações de saúde quanto à higiene e ao distanciamento entre pessoas.

Agência Brasil

 

 

Uma semana após retorno das aulas, França fecha 70 escolas por contágio de Covid-19

Uma semana após o retorno das aulas do Ensino infantil e fundamental, o governo francês anunciou que 70 das 40 mil escolas do país precisaram voltar a fechar as portas devido ao contágio pelo novo coronavírus.
Quase um terço das escolas foram fechadas em apenas uma única cidade. Sens, localizada na região da Borgonha, teve 24 unidades de ensino paralisadas por causa de um caso de Covid-19.
Segundo o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, o fechamento das escolas não deveria ser motivo de preocupação, uma vez que isso demonstra que as autoridades de saúde estavam vigilantes.
Em entrevista ao canal de notícias BMF TV, o ministro foi questionado se não era exagero fechar dezenas de escolas por causa de uma só pessoa contagiada. “Às vezes nos acusam de fazer de menos, às vezes de fazer de mais. Se tirarmos uma linha de equilíbrio, estamos atentos à saúde das pessoas”, respondeu Blanquer.
Ainda de acordo com ele, as escolas foram fechadas seguindo dois princípios básicos: orientação das autoridades de saúde e diálogo com os governantes locais.
“Voltar à escola não é uma medida secundária; é fundamental”, afirmou o ministro sobre as consequências da suspensão das aulas. Além de impactos psicológicos e de nutricionais – já que boa parte dos alunos depende da merenda escolar – há risco de abandono ou fracasso escolar.
diariodepernambuco

 

Suspensão das aulas em Campina é prorrogada até 1° de junho

A volta às aulas na rede de ensino municipal de Campina Grande continua suspensa e o retorno às atividades está previsto para o dia 1° de junho, definido em reunião feita pelo prefeito Romero Rodrigues (PSD), nesta terça-feira (5).

No último dia 25 de março, Romero tinha definido, junto com as escolas, para 11 de maio a data limite. Mas, diante de um cenário cada vez mais preocupante de disseminação do novo coronavírus, ele estabeleceu o novo prazo.

A decisão de Romero Rodrigues foi tomada após reunião com o secretário municipal de Educação, Rodolfo Gaudêncio. Durante a reunião, o prefeito e o secretário de Educação fizeram uma avaliação conjuntural sobre as dificuldades de retorno imediato das aulas da rede municipal de Campina Grande.

A estrutura da prefeitura contempla 36 mil alunos matriculados e, objetivamente, a sensação de insegurança sanitária ainda afeta bastante a comunidade escolar do município.

 

portalcorreio

 

 

Começam aulas online para alunos da rede estadual de ensino

Começaram nesta segunda-feira (27), na Paraíba, as atividades escolares do Regime Especial de Ensino para os alunos da rede estadual de educação. A medida foi tomada em virtude da suspensão de aulas presenciais como forma de combater o contágio pelo novo coronavírus.

O Regime Especial de Ensino foi publicado no Diário Oficial do Estado do último dia 18 e as estratégias de ensino foram apresentadas pelo secretário de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia (SEECT), Cláudio Furtado, em transmissão ao vivo nas redes sociais no dia 20.

O regime vai vigorar por todo o período em que as aulas presenciais estiverem suspensas. O calendário do ano letivo será estabelecido com o retorno das aulas presenciais.

Por meio de edital, 100 tutores foram selecionados e treinados no mês de abril para serem responsáveis pela formação dos demais professores na utilização das tecnologias educacionais para planejamento pedagógico e organização das aulas.

A iniciativa tem por objetivo desenvolver ações que garantam a aprendizagem durante o período do distanciamento social, considerando os diferentes perfis e contextos socioeconômicos existentes no estado da Paraíba. De acordo com portaria do Estado, durante este período serão implementadas atividades complementares, que deverão ser elaboradas pelos docentes em consonância com os documentos expedidos pela SEECT.

Ferramentas utilizadas

A secretaria disponibilizou a plataforma online ‘Paraíba Educa’, que reúne todas as informações sobre Regime Especial de Ensino, assim como os recursos educacionais, documentos legais e pedagógicos norteadores, além de promover o contato direto entre estudantes, professores, gestores e a SEECT.

Além da plataforma, também serão utilizados os seguintes recursos:

Google Classroom: Trata-se de uma plataforma virtual para aulas online, que serão organizadas pelas próprias escolas. Esta ferramenta será incorporada pelas turmas devidamente matriculadas na Plataforma SABER da SEECT.

Aplicativo Paraíba Educa: Permitirá o acesso dos estudantes e professores ao Google Classroom e à Plataforma SABER. Este recurso estará disponível em breve.

Vídeo-aulas: A SEECT vai disponibilizar uma grade de programação para todas as etapas de ensino a ser exibida em canal aberto em diferentes regiões do estado. Este recurso estará disponível em breve.

Redes sociais: Serão ferramenta de interação entre equipes escolares, estudantes e famílias em grupos oficiais das turmas criados por cada escola. Também serão utilizadas para o envio de roteiros de atividades estruturadas para as famílias e estudantes.

Acessibilidade

Para os estudantes com surdez, que fazem uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras), será disponibilizada a presença de um intérprete nas salas virtuais, este articulado pela equipe gestora da escola e respectiva Gerência Regional de Ensino, e material pedagógico acessível. Para os estudantes com Deficiência Visual, os materiais serão disponibilizados em modo textual e deverão estar em formato PDF, para que ele possa acessá-lo utilizando as tecnologias de leitura de tela.

Estratégias para quem não tem acesso a recursos

O material será distribuído em formato impresso nos casos em que a gestão da escola constatar a impossibilidade do estudante acessar as plataformas ou redes sociais disponíveis. A logística da distribuição será definida por cada escola, de acordo com sua realidade, em diálogo com a Gerência Regional e a SEECT.

 

portalcorreio

 

 

Suspensão de aulas das redes municipal e particular de Campina Grande é prorrogada até maio

As aulas da redes pública e privada de Campina Grande estão suspensas até o dia 11 de maio, conforme anúncio feito pelo prefeito Romero Rodrigues (PSD) nesta terça-feira (24). A medida foi tomada para dar continuidade em ações preventivas à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, na cidade.

A retomada das atividades escolares em Campina Grande estava marcada para a próxima segunda-feira (27), conforme decreto municipal. No entanto, de acordo com o secretário de educação, Rodolfo Gaudêncio, ainda não há segurança sanitária para retorno das aulas.

Durante uma reunião entre o prefeito Romero Rodrigues e Rodrigo Gaudêncio foi discutida a iniciativa de promover aulas online. O secretário informou que o treinamento dos professores para a retomada virtual das aulas está em estágio avançado e que o ensino virtual pode ser iniciado em breve na rede municipal, mas não informou uma data precisa.

G1

 

Prefeitura de Belém, PB, prorroga decretos, suspensão de aulas e distribuirá kits nutricionais às crianças das creches

A Prefeitura de Belém publicou, nesta segunda-feira (20), o decreto nº 28/2020 prorrogando a vigência dos decretos municipais 13, 14, 15 e 26 de 2020 por mais duas semanas, em virtude da evolução do contágio do Novo Coronavírus no Estado da Paraíba e recomendações das autoridades de saúde no país.

Com o novo decreto, permanecem suspensas as aulas em todas as escolas nas redes municipal, estadual e particular de Belém até o dia 4 de maio, além de Espaços e áreas de lazer e esportivas, Atividades coletivas ou aglomerações em academias, Cerimônias religiosas (missas e cultos), e quaisquer eventos de massa de natureza cultural, esportiva, comercial, religiosa, social ou política.

A  Secretaria Municipal de Educação também realizará um conjunto de estratégias para a Rede Municipal de Ensino, no período de 20 a 30 de abril, a fim de diminuir os impactos da suspensão das aulas devido à pandemia do coronavírus. Serão adotadas as seguintes medidas:

* Distribuição de kit nutricional para as crianças matriculadas nas creches em Belém e no distrito de Rua Nova;

* Organização de atividades didáticas pelas equipes docentes das escolas da Rede Municipal de Ensino, de acordo com os conteúdos trabalhados, para serem disponibilizadas aos alunos no período de 20 a 24 de abril;

* Devolução das atividades nas respectivas escolas, no período de 27 a 30 de abril, e entrega das atividades da semana;

* Aplicação da vacina contra a gripe Influenza e H1N1 em todas as equipes escolares;

* Distribuição de máscaras para todas as equipes escolares.

GESTÃO INTENSIFICA AÇÕES DE COMBATE AO CORONAVÍRUS

A gestão municipal já adquiriu 12 termômetros digitais infravermelhos para os profissionais de saúde utilizarem na medição da temperatura corporal das pessoas atendidas, além de 600 máscaras profissionais e tecido para fabricação de máscaras caseiras.

Também foram intensificadas ações de combate e controle ao Covid-19, com vacinação, orientação e aferição de temperatura dos motoristas, taxistas na Rodoviária Municipal e dos comerciantes da área central; desinfecção de locais públicos e de maior circulação na cidade de Belém e no distrito de Rua Nova; orientações nos estabelecimentos comerciais; orientações aos garis sobre uso dos EPI´s e higienização das mãos; treinamento dos motoristas dos transportes da Prefeitura sobre a higienização dos veículos; e vacinação pelo sistema “drive-thru”.

Assessoria

 

 

Universidades decidem prorrogar volta das aulas para 17 de maio, na PB

As aulas das universidades públicas da Paraíba foram prorrogadas mais uma vez por conta do avanço do novo coronavírus no Estado.

Após uma reunião realizada nesta sexta-feira (17) por videoconferência, reitores de universidades públicas e particulares e centros de ensino superior da Paraíba decidiram prorrogar até dia 17 de maio.

As aulas nestas instituições estão suspensas desde março em virtude da pandemia de Coronavírus. O retorno das aulas estava previsto para o dia 27 de abril, mas agora foram prorrogadas por mais de 20 dias.

Uma nova reunião será realizada dia 8 de maio, para reavaliar o cenário e discutir medidas a serem adotadas para quando do retorno das atividades, no sentido de garantir que as atividades sejam retomadas com segurança em relação à saúde da comunidade universitária.

As instituições como a Uninassau e o IFPB irão deliberar e definir sobre a data de volta às aulas deles, confirmando ou não esse mesmo prazo, após avaliação de órgãos próprios.

Participaram da reunião que recomendou a prorrogação da suspensão das atividades nas IES os representantes da UEPB, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), da Unesc, Unifacisa, Uninassau, Faculdade Cesrei, Faculdade Rebouças, Faculdades Integradas de Patos (FIP) e da Escola Técnica CEAS. Algumas instituições vão anunciar sua data de retorno das atividades a partir de avaliações internas, podendo ou não seguir a indicação de retorno no dia 18 de maio.

pbagora