Arquivo da tag: Atlético

Campinense perde para o Atlético; Treze bate o Nacional no Amigão

O Atlético conquistou uma boa vitória neste domingo (9) contra o Campinense no Perpetão, em Cajazeiras, pelo Campeonato Paraibano. O Trovão Azul bateu a Raposa por 1 a 0 e se isolou na liderança do Grupo A do Campeonato Paraibano.

O único gol do jogo foi marcado por Paulinho, aos 15 minutos do segundo tempo, após cruzamento de Éder Paulista.

Com o resultado, o clube sertanejo chegou a 10 pontos. O próximo jogo do time será contra o Sousa, no próximo domingo (16), no Perpetão.

Mesmo com a derrota, o Campinense manteve a liderança do Grupo B. A Raposa volta a campo também no domingo (16) no Amigão, no Clássico dos Maiorais contra o Treze.

Treze vence

Almir e Gilmar garantiram a vitória do Treze contra o Nacional de Patos, no Amigão. Os dois gols foram marcados no segundo tempo.

O meio campista Almir abriu o placar logo no primeiro minuto da segunda etapa, após cruzamento de Gilmar.

O mesmo Gilmar ampliou o placar aos 30 minutos. O lateral aproveitou rebote do chute de Rafael Oliveira e completou para as redes.

Segundo colocado do grupo A, O Treze pega o Campinense na próxima rodada do Campeonato Paraibano, no domingo (16). O Nacional recebe a Perilima no estádio José Cavalcanti, na segunda-feira (17).

 

Portal WSCOM

 

 

Treze, CSP, Atlético e Nacional de Patos estreiam nesta quarta-feira no Paraibano 2020

Após escapar do rebaixamento na Série C do Campeonato Brasileiro, o Treze estreia no Campeonato Paraibano nesta nesta quarta-feira, diante do CSP às 20h15 no Estádio Amigão, em Campina Grande. O Galo tenta apagar a imagem ruim deixada na temporada passada, quando também brigou para não cair no estadual.

Sem levantar a taça do Estadual desde 2011, o Galo reformou todo o elenco e manteve o técnico Celso Teixeira. O alvinegro apostou em alguns jogadores experientes para conquistar a competição, como o goleiro Jeferson, ex-Campinense, do meia Almir, que teve passagens por Botafogo e Flamengo, o atacante Frontini, além de Rafael Oliveira, que foi artilheiro do Paraibano em 2015 e 2017 com a camisa do Botafogo-PB, mas retorna ao Treze para 2020.

O Galo deve ir a campo com Jeferson, Gustavo, Breno Calixto, Eduardo, Rafael Araújo e Gilmar; Patrick Mota, Dedé e Alexandre; Caxito e Rafael Oliveira.

No CSP, o jovem time permanece, mas também há jogadores que já possuem uma maior bagagem depois de tantas edições disputadas de Campeonato Paraibano. São os casos do goleiro Wallace, um dos mais experientes do grupo, assim como os volantes Luis Gustavo, Emerson Bastos e Léo Silva. Apesar disso, o Tigre também conta com muita juventude, base que foi semifinalista da Copa do Nordeste Sub-20 do ano passado.

O CSP vai para campo com Wallace, Tcharlles, Darlan, Wescley e Felipe; Luis Gustavo, Emerson Bastos, Léo Silva e Negueba; Paulinho e Di.

Clássico sertanejo – A primeira rodada do Estadual, também reserva para esta noite o clássico no Sertão, entre Atlético de Cajazeiras e Nacional de Patos no Perpetão.

Terceiro colocado no Campeonato Paraibano do ano passado, o Atlético de Cajazeiras permanece muito forte para a disputa deste ano.

Há quatro anos comandando o Trovão Azul no Paraibano, o treinador Éderson Araújo tem a base do seu time muito bem definida. Com jogadores que já passaram pelo clube e que ele mesmo moldou dentro do seu pensamento de jogo, o time azulino deve ir a campo com a mesma estrutura tática utilizada nos amistosos de pré-temporada

No lado do Nacional de Patos, quarto colocado na edição passada do estadual, o objetivo é também brigar pela classificação. O Canário do Sertão apostou no jovem técnico Rafael Soriano.

PB Agora

 

 

Solanense Luís Henrique, filho de Ronaldo estreia no Botafogo-RJ e vira destaque no jogo contra Atlético no Mineirão

O Botafogo mais uma vez foi presa fácil no Campeonato Brasileiro. Chegou à 21ª derrota – são 13 no returno – com os 2 a 0 sofridos diante do Atlético-MG. Um rápido exemplo da fragilidade alvinegra é a discrepância no número de finalizações: 28 a 13 para o Galo.

Enfim, nova partida ruim, a maioria das apostas não deu certo, substituições erradas, e os experientes também não corresponderam. De positivo só o garoto Luis Henrique, que substituiu Valencia no segundo tempo.

Luis Henrique foi o melhor jogador do Botafogo contra o Galo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Luis Henrique foi o melhor jogador do Botafogo contra o Galo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

O Alvinegro é o penúltimo colocado do returno. Perdeu 13 vezes, marcou apenas 12 gols em 18 jogos e só pontuou mais do que o Avaí: 15 a 6. Uma reta final incompatível com o apoio irrestrito que a torcida tem dado no Nilton Santos.

Ao lado do CSA, Botafogo é o segundo time com mais derrotas no Brasileirão 2019. São 21, sendo superado apenas pelo Avaí, que soma 23.

Primeiro tempo: início positivo, fim melancólico

O Botafogo começou relativamente bem, chegou a ter 60% de posse de bola, mas repetiu o problema crônico da equipe: criação zero. Sorte que o Galo pouco levava perigo também, mas começava a gostar do jogo.

Os donos da casa tinham em Otero sua figura mais perigosa. Deu dois chutes perigosos na etapa. No segundo, Gatito voou e colocou para escanteio. Na sequência, o Botafogo saía para o contra-ataque, e Rhuan tomou a pior das decisões. Tocou a bola no vazio, Guga disparou e entregou a Cazares, que cruzou para Jair abrir o placar.

Após o gol, o Botafogo já tinha a cara do time que fez péssimo returno. Acuado, pressionado e mais perto de sofrer o segundo do que fazer o primeiro. Foi para o intervalo com apenas 1 a 0 de desvantagem. No lucro.

Segundo tempo: Luís Henrique se escala para pegar o Ceará

No segundo tempo, o Galo foi melhor de novo e não fez muita força para fechar o placar. Bem superior. De interessante mesmo pelo lado botafoguense só a entrada do garoto Luis Henrique.

O paraibano de 17 anos, que completa 18 no próximo dia 14, mostrou força e personalidade. Em seu primeiro lance, saiu arrastando o adversário em direção ao gol e acabou parado com falta. Natural de Solânea, Luis Henrique é filho do ex-jogador do vila Branca Ronaldo e atualmente dono da Escolinha do Ronaldo.

Se Rhuan, outra esperança da base alvinegra, esteve muito apagado, Luis foi para cima. Finalizou duas vezes, primeiro pelo lado esquerdo e depois, no fim da partida, em ótima jogada individual pela ponta direita. Além disso, lutou, deu opção e buscou o jogo o tempo todo.

Luis Henrique vai para cima de Igor Rabello após passar por José Welison — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Luis Henrique vai para cima de Igor Rabello após passar por José Welison — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Além das boas participações do jovem, destaque apenas para uma finalização de Cícero que tirou casquinha da trave. Completou bom cruzamento de Luiz Fernando com chute seco, mas não teve sucesso.

A animadora atuação de Luis Henrique fez Alberto Valentim confirmá-lo como titular para o jogo contra o Ceará, domingo, às 16h, no Nilton Santos.

– Sempre falo que preciso, no fim de temporada, sem tempo de recuperação, ver quais jogadores estão bem fisicamente. Gostei muito do Luis Henrique durante o jogo. Garoto que entrou bem. Vai ter oportunidade para jogar essa partida. As outras duas vagas vamos estudar direitinho – disse o treinador.

O segundo gol atleticano deu-se aos 23 minutos. E que facilidade! Igor Rabello, Jair e Otero trocaram passes com muito espaço até Guga invadir a área. Na sequência, Marcinho e Marcelo bateram cabeça, e Luiz Fernando e Cícero não se entenderam na saída de bola.

Resultado: o Galo se reorganizou, e Jair, totalmente livre, cruzou. Luan também teve muita tranquilidade para passar nas costas de Lucas Barros e marcar.

Titulares tomam cartões evitáveis e não fazem a diferença

Cícero, de 35 anos, nem jogou tão mal. Manteve o hábito de acertar a maioria dos passes tentados (errou três de 35), foi o autor da finalização mais perigosa do time na partida, mas levou cartão amarelo evitável. Chegou duro demais em Luan, por baixo e por cima em jogada que ainda não era tão promissora.

Jogadores "pendurados" do Botafogo recebe cartão amarelo

Jogadores “pendurados” do Botafogo recebe cartão amarelo

Diego Souza, de 34 e menos participativo do que o volante, levou cartão amarelo após desentendimentos na área atleticana. Isso aos 43 minutos do segundo tempo, quando o jogo já estava resolvido. Pisou na bola.

Luiz Fernando, de 23 e bem mais novo que os outros dois, foi amarelado por cotovelada em Jair. É jovem, mas, diante de um elenco desmantelado no início da temporada, já é um dos mais cascudos.

Léo Valencia não tomou amarelo, mas também não aproveitou a chance dada por Alberto Valentim. Foi discretíssimo em campo e o líder em erros de passes no jogo (cinco).

FN com GE

 

Campinense e Atlético de Cajazeiras fazem jogo equilibrado e empatam

Na tarde fria deste domingo (31), em Campina Grande, Campinense e Atlético de Cajazeiras fizeram a primeira partida das semifinais do Campeonato Paraibano de 2019. Em uma partida bastante equilibrada e na qual os goleiros fizeram grandes intervenções, o placar de 1 a 1 refletiu o que se viu em campo.

Com poucos torcedores no Amigão, o rubro-negro começou o jogo tentando se lançar ao ataque, mas não conseguia exercer uma pressão efetiva no Trovão, e chegava apenas esporadicamente ao campo ofensivo.

E por muito pouco o Campinense não abriu o placar aos 9 minutos. Neilson cobrou escanteio da esquerda, João Manoel saiu mal do gol e Cléber subiu sozinho, sem marcação, e mandou de cabeça raspando a trave esquerda.

O arqueiro atleticano salvou o time em duas oportunidades aos 21 minutos. Felipe errou a saída de jogo e a bola ficou com Lopeu, que invadiu a área e tentou driblar o camisa 1, que se esticou todo e fez a defesa. Na sobra, João Paulo ficou com a redonda e bateu da entrada da área, e mais uma vez João Manoel foi buscar no canto direito, rasteira, desviando e mandando para escanteio.

Perto dos 30 minutos o Atlético de Cajazeiras assustou pela primeira vez, em um cruzamento de Davi, que foi direto para o gol, e Wagner Coradin precisou de agilidade para buscar a bola que iria em seu canto esquerdo.

Quase no fim do primeiro tempo, aos 44 minutos, Ferreira chutou de muito longe, Wagner Coradin se atrapalhou na defesa e Bruno quase chegou para escorar para as redes, mas o camisa 1 rubro-negro se recuperou e conseguiu evitar o gol.

Segundo tempo

Perdeu João Paulo por lesão

E por falar em substituição, Romeu, que havia entrado no lugar de Vitor Maranhão no intervalo, pegou a bola no lado direito, na entrada da área, e a bateu cruzado, de pé direito,  mandando no canto de João Manoel, que nada pode fazer para evitar o gol raposeiro aos 10 minutos.

Em contra-ataque, aos 13, Lopeu recebeu em velocidade, invadiu a área e bateu no canto esquerdo, mas o goleiro do Atlético, vivendo grande jornada, foi buscar e fez mais uma grande defesa.

Em lance de bola parada, por muito pouco o Trovão não empatou. Aos 15, Mendes cobrou falta da entrada da área e a bola tirou tinta da trave direita de Wagner Coradin.

O Atlético de Cajazeiras tentava o gol e mais uma vez chegou perto. Aos 23, Marcinho cobrou falta ensaiada da direita e só rolou para Felipe, que apareceu sozinho na entrada da área, de frente para o gol, mas acabou chutando por cima do gol.

A recompensa pela insistência veio aos 29 minutos, quando Bruno, da direita, chutou para o meio da área e Yerien desviou para mandar a bola no fundo do gol e deixar o placar igual no Amigão.

Sofrendo com os ataques atleticanos, a situação se complicou um pouco mais para a Raposa aos 35 minutos, quando Dênis fez falta violenta em Ferreira e recebeu cartão vermelho direto.

Com o empate, quem vencer o jogo da volta, no próximo domingo (07), no Perpetão, fica com a vaga na final. Em caso de novo empate, a decisão será nos pênaltis.

Voz da Torcida

 

 

 

Belo, Atlético, Nacional e Galo vencem; veja classificados e rebaixados

A 10ª rodada do Campeonato Paraibano 2019 foi marcada por cinco jogos na noite desta quarta-feira (27). Nos duelos, o Botafogo-PB garantiu a classificação com a liderança geral da primeira fase, vencendo por 2 a 0  o CSP, que acabou rebaixado para a segunda divisão do Estadual. O Atlético de Cajazeiras derrotou o Sousa por 1 a 0 e sustentou a ponta do Grupo B. O Nacional de Patos conseguiu a classificação às semifinais ao superar o rival Esporte, por 3 a 1. O Campinense, mesmo derrotado por 1 a 0 pelo Treze, conseguiu avançar à fase seguinte. A rodada ainda teve um empate em 3 a 3 entre Perilima e Serrano, que caiu para a segundona.

Com os resultados, ficam definidas as disputas das semifinais. O Botafogo-PB pega o Nacional de Patos e o Atlético-PB enfrenta o Campinense.

CSP 0 x 2 Botafogo-PB

Em partida realizada no Estádio Almeidão, em João Pessoa o primeiro tempo começou truncado, com as equipes explorando as partes mais enxutas do gramado para trocar passes. Porém, quem tomou a primeira atitude decisiva foi o Belo. Em jogada de Adalgiso Pitbull, o zagueiro Bahia colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Aos nove minutos, Fábio Alves abriu o placar para o Botafogo-PB.

Aos 41 minutos do segundo tempo, em uma bela trama na entrada da área, o atacante Paulo Renê tocou para Adalgiso Pitbull, que ajeitou para o volante Rogério, que chutou forte para o fundo das redes do goleiro Wallace, garantindo a vitória do Belo.

Atlético-PB 1 x 0 Sousa

No estádio Perpetão, em Cajazeiras, o Trovão fez a lição de casa, resistiu à pressão do Dinossauro e conquistou a vitória com gol do atacante Bruno, aos 40 minutos do segundo tempo. Após bonita triangulação, o camisa 9 aproveitou e mandou a bola para as redes.

Esporte 1 x 3 Nacional

O Nacional começou a trilhar o caminho para a vitória no estádio José Cavalcanti, em Patos, logo aos cinco minutos do primeiro tempo. Isaías colocou a bola na frente e foi puxado em lance dentro da área. O árbitro marcou pênalti. Três minutos depois, o próprio Isaías partiu para a cobrança e marcou o primeiro gol do jogo.

O Esporte chegou ao empate aos 20 minutos. Em contra-ataque, Jó Boy recebeu em profundidade, puxou para o meio e soltou chute. A bola foi morrer no cantinho esquerdo da rede. O Naça, no entanto, não se abalou e, aos 27 minutos, fez o segundo gol. Atuando como lateral, Birungueta bateu falta em direção do gol. Ninguém desviou e a bola acabou no fundo da meta. O Canário fechou o placar logo no primeiro minuto do segundo tempo, com gol de Jairo.

Campinense 0 x 1 Treze

A partida no estádio Amigão, em Campina Grande, marcou o fim de uma péssima campanha do Treze na edição 2019 do Paraibano. O Clássico dos Maiorais, contra o rival Campinense, acabou com vitória da equipe alvinegra com gol de Vanger, logo aos dois minutos do primeiro tempo. Após lançamento preciso de Coppetti para Matheus, o lateral fez cruzamento e o atacante, livre de marcação, marcou o único gol do jogo.

Perilima 3 x 3 Serrano-PB

No estádio presidente Vargas, em Campina Grande, as equipes entraram em campo para jogar a permanência na divisão de elite do futebol paraibano. A partida foi movimentada e terminou com um empate em 3 a 3, com gols de Lucas Silva (2) e Cristiano, pela Perilima; e Darlan, Lucas Silva e Ferreira, pelo Serrano-PB. Com o resultado, o Lobo da Serra, que precisava da vitória, foi rebaixado. A Perilima, por sua vez, assegurou a permanência na 1ª divisão.

*Com texto de Gabriel Botto, do Jornal Correio

(Foto: Paulo Cavalcanti/Botafogo-PB)

 

Botafogo marca no fim e vence o Atlético; veja outros resultados

paraibanoPrecisando se reabilitar diante de sua torcida, o Botafogo recebeu o Atlético, no Almeidão, que inicialmente não respeitou o anfitrião.

Mosquito aos 24 minutos do primeiro tempo, completando um cruzamento de primeira, abriu o placar para o Trovão. Dois minutos depois, ele foi puxado dentro da área pelo estreante Roger Júnior e o árbitro Pablo Alves não teve dúvidas em marcar o pênalti. Michel Alves salvou o Belo de tomar o segundo gol.

A partir daí o Botafogo cresceu na partida e chegou ao empate aos 39 minutos através de Wanderson, de cabeça, após a falta cobrada por Róger Júnior. Na segunda etapa as duas equipes buscaram a vitória, mas foi no apagar das luzes, aos 52 minutos que o artilheiro Rafael Oliveira acabou com o sofrimento da torcida botafoguense marcando o gol da virada. Botafogo 2 x 1  Atlético foi o resultado final.

Nos outros jogos da rodada, o Auto Esporte venceu o Internacional por 1 a 0, em jogo disputado no CT Ivan Tomaz. Gil Bala, ainda no primeiro tempo, marcou para a equipe automobilista.

No Amigão, em Campina Grande, o Campinense venceu mais uma partida, com 2 a 1 sobre o Sousa. Renatinho e Maranhão marcaram para a Raposa e Éder Guerreiro fez o gol do Dinossauro.  Já no Presidente Vargas, também em Campina Grande, o Treze venceu bem o CSP por 3 a 0. Marcelinho, Dico e Ferreira fizeram os gols do Galo.

A rodada foi finalizada com o Paraíba empatando com o Internacional, no Perpetão, em Cajazeiras. Jardel e Wellington fizeram para o time da casa enquanto Bambam fez os dois do Inter.

Veja a classificação:

Clubes PG J V E D GP GC SG
 1º-   Botafogo  25  11  8  1  2  16  9  7
2º-  Campinense 21 11 6 3 2 16 8 7
3º-  Auto Esporte 18 11 5 3 3 11 9 2  
4º-  Treze 16 11 4 4 3 10 7 3
5º-  Atlético 16 11 4 4 3 7 5 2
6º-  Internacional 15 11 3 6 2 8 7 1
7º-  Serrano 11 11 3 2 6 12 18 -6
 Sousa 10 11 2 4 5 12 13 -1
 CSP 8 11 2 2 7 7 16 -9
10º  Paraíba 8 11 1 5 5 7 13 -6

Albemar Santos – MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Campinense perde para Atlético, Bota se reabilita diante do Sousa e Serrano vence mais uma

jogoO Campinense não está mais invicto no Campeonato Paraibano 2017. Jogando ela terceira rodada do Paraibano, com uma atuação muito abaixo do futebol, a Raposa perdeu por 2 x 0 para o Atlético de Cajazeiras no Perpetão. Os dois gols foram marcados pelo atacante Mosquito, ainda no primeiro tempo. Com a vitória, o Atlético chegou aos seis pontos (mesma pontuação de Botafogo-PB, CSP, Serrano e Treze) e três gols de saldo, e assumiu a liderança da competição.

Atlético e Campinense voltam a campo na próxima quarta-feira, pela quarta rodada do Campeonato Paraibano. O Trovão Azul faz o clássico de Cajazeiras contra o Paraíba, novamente no Perpetão. Já a Raposa recebe o Auto Esporte no Amigão, em Campina Grande. Os dois jogos estão marcados para as 20h30.

Sousa e Botafogo (PB) Em outra partida disputada no Marizão, no Sertão, o Botafogo (PB), venceu o Sousa, por 1 a 0. Rafael Oliveira marcou o único tento do duelo. Com o resultado, o Belo se reabilitou da derrota para o Atlético-PB em Cajazeiras no meio de semana.

O Belo chega aos 6 pontos no Campeonato Paraibano, enquanto que o Sousa permaneceu sem vencer dentro da competição e continua com apenas dois pontos ganhos. Na próxima rodada o Botafogo-PB volta a atuar dentro de sua casa. O Belo encara o CSP no Estádio Almeidão, em João Pessoa, às 20h30, em partida válida pela quarta rodada. Já o Sousa fica no Sertão, mas dessa vez vai atuar em Cajazeiras. O Dinossauro confronta o Atlético-PB no clássico sertanejo.

Serrano e CSP – Em Campina Grande O Serrano mostrou, neste domingo, que se recuperou totalmente da goleada sofrida na estreia do Campeonato Paraibano para o Campinense. Depois de bater o Auto Esporte, no meio de semana, o Lobo da Serra bateu o CSP por 3 a 2, de virada, em jogo disputado no Estádio Amigão, em Campina Grande.

Jogando fora de casa, o Tigre saiu na frente com um gol contra marcado por Caio. O gol não desanimou o Logo da Serra que buscou o empate e a virada. Em seguida, o Lobo da Serra chegou ao empate, também com um gol contra anotado por Walber. Ainda no primeiro tempo o CSP chegou à ficar na frente do placar. Bruno Paraíba aproveitou o rebote e marcou. Na etapa complementar, o Serrano lutou bastante e chegou à virada com gols de Ramos, aos 41 e Mateus, aos 47 do segundo tempo.

Severino Lopes 

PB Agora

Foto: G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Treze vence o Atlético em jogo com confusão protagonizada por Marcelinho Paraíba

Reprodução/Instagram/Trezefcoficial
Reprodução/Instagram/Trezefcoficial

O Treze estreou com vitória no Campeonato Paraibano ao vencer o Atlético de Cajazeiras, na tarde deste sábado (7), no estádio Amigão, em Campina Grande. O jogo teve lances polêmicos e confusão protagonizada por Marcelinho Paraíba.

Dentro de campo, o jogo começou morno, mas nas arquibancadas houve tumulto entre torcedores antes dos dez minutos iniciais de partida. A confusão só terminou com a chegada da Polícia Militar.

Em campo, a primeira chance real de gol, assim como o melhor lance do primeiro tempo, foi do Atlético, quando Alef recebeu bom passe e chutou no canto da trave da Galo, mas a bola saiu.

No segundo tempo o Treze voltou melhor e abriu o placar logo aos sete minutos, após o atacante Dico ficar com a sombra de bola dentro da área do Atlético e marcar o primeiro gol.

De resto, o segundo tempo foi de jogo amarrado entre as duas equipes, com alguns lances de ataque, mas sem perigo.

O jogo se encaminhava para o fim quando uma confusão iniciada por Marcelinho Paraíba fez com que o campo de jogo fosse tomado por jogadores reservas das duas equipes.

No lance, Marcelinho Paraíba pediu que o jogador Dener, do Atlético, devolvesse a posse de bola para o galo após jogadores do Treze jogarem a bola para fora para que um atleta fosse atendido.

Irritado, Marcelinho Paraíba empurrou Dener e deu início a confusão. Como resultado, o juiz Pablo Alves expulsou Dener e deu cartão amarelo para Marcelinho, encerrando o jogo minutos depois.

Com a vitória, o Treze assume a primeira colocação do Paraibano, com três pontos. Já o Atlético é o lanterna.

A rodada continua com mais quatro jogos neste domingo (7): Botafogo-PB x Internacional; Auto Esporte x CSP; Campinense x Serrano; e Paraíba x Sousa.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Grêmio se impõe sobre Atlético e fica próximo do título da Copa do Brasil

O Grêmio deu um grande passo rumo ao título da Copa do Brasil. O time gaúcho derrotou o Atlético-MG por 3 a 1 em pleno Mineirão na noite desta quarta-feira e pode empatar na próxima quarta-feira em Porto Alegre para ser campeão. Os gols do triunfo foram marcados por Pedro Rocha, um em cada tempo do duelo, e Everton. Gabriel diminuiu para os mineiros.

Apático no primeiro tempo, o Atlético-MG melhorou na etapa final, depois da expulsão de Pedro Rocha. Na pressão, o time mineiro, que não pôde contar com Fred, Rafael Carioca e Luan, conseguiu marcar já na reta final do jogo. Everton, porém, marcou o terceiro gol gremista aos 45 minutos.

A equipe do Grêmio, dessa forma, consegue mais uma vitória no Mineirão. Na semifinal, o time venceu o Cruzeiro por 2 a 0. Na partida de volta, os gaúchos empataram sem gols e garantiram a vaga. Já o Galo terá de reeditar as viradas alcançadas na Libertadores 2013 e na Copa do Brasil 2014, quando conseguiu reverter quatro situações iguais a essa.

Do que o Atlético-MG precisa para ser campeão? E o Grêmio?

Andre Yanckous/AGIF

O time do técnico Marcelo Oliveira terá agora de derrotar os gaúchos por três gols de diferença em Porto Alegre. Os gremistas, por sua vez, erguerão a taça até com uma derrota por um gol de diferença. Uma vitória dos mineiros por dois gols de diferença leva a decisão para os pênaltis.

Gols fora de casa sem peso

LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Ao contrário das fases anteriores, o gol fora de casa não serve como critério de desempate na final da Copa do Brasil – a mudança ocorreu na edição 2014. No ano passado, por exemplo, o Palmeiras venceu o Santos por 2 a 1 na segunda partida da decisão depois de ser derrotado por 1 a 0 na Vila. O time alviverde conquistou o título nos pênaltis.

Herói e vilão
O atacante Pedro Rocha foi o grande responsável pela vitória do Grêmio em Belo Horizonte ao marcar dois gols – o segundo em jogada individual no começo do segundo tempo. Após o gol, o jogador tirou a camisa e recebeu cartão amarelo. Doze minutos depois, Pedro Rocha foi expulso de campo por cometer falta em Carlos César – o atleta gremista deixou o campo em direção ao vestiário aos prantos.

Feito inédito

Em 27 finais da Copa do Brasil, somente quatro edições tiveram uma virada depois de uma derrota no primeiro jogo. O fato deu-se em 1992 (Inter), 1998 e 2015 (Palmeiras) e 2008 (Sport). Nas quatro ocasiões, o time campeão conseguiu reverter a vantagem do adversário em casa, com o apoio do torcedor. O Atlético-MG, agora, terá de buscar um feito inédito.

Jogo movimentado no 1º tempo
O primeiro tempo da partida foi marcado por diversas chances claras de gol. Pedro Rocha marcou um gol gremista e, pouco depois, teve a chance de ampliar. O atacante optou pelo toque por cima de Victor e errou a finalização. No último minuto da etapa inicial, o jogador perdeu uma oportunidade cara a cara com o goleiro do Atlético-MG, que conseguiu fazer a defesa.

Luan ainda assustou o time da casa ao chegar à linha de fundo e cruzar rasteiro na área. A bola passou por toda pequena área e por pouco não entrou. O Atlético-MG teve uma grande chance para empatar. Depois de jogada de Cazares, Júnior Urso dominou na área e obrigou Marcelo Grohe a fazer um milagre.

Melhor do Atlético-MG: Gabriel
Com a defesa tão exposta, por várias vezes o zagueiro ficou sozinho com os atacantes do Grêmio. Mesmo assim o jovem defensor conseguiu levar a melhor na maioria dos lances. A boa colocação e a velocidade evitaram que o desastre no Mineirão fosse ainda maior. Além disso, o atleta marcou o único gol do Galo.
Pior: Marcelo Oliveira
Com tantos jogadores numa jornada infeliz, fica até difícil citar que esteve mais abaixo do que o normal. A péssima atuação do Atlético diante do Grêmio foi apenas mais uma de várias sob o comando do treinador, que apesar de finalista na Copa do Brasil e quarto colocado no Brasileirão, não conseguiu ajustar a equipe.
Melhor do Grêmio: Pedro Rocha
Dois gols em uma final de campeonato e na casa do adversário não é para qualquer jogador. Pedro Rocha foi decisivo para o grande resultado que o Grêmio conquistou em Belo Horizonte. Não só pelos gols, mas também pelo desempenho tático em campo, sempre criando espaços na defesa do Atlético. A noite só não foi melhor porque o atacante tricolor ainda perdeu algumas oportunidades e conseguiu ser expulso, quando o Grêmio tinha o jogo totalmente sob controle.
Pior: Marcelo Oliveira
Se o Grêmio teve um ponto fraco no Mineirão, esse ponto foi o lado esquerdo, com Marcelo Oliveira. O lateral foi o jogador gremista que mais deu espaço para as jogadas do Atlético. Além de errar alguns passes sem um alto grau de dificuldade, atrapalhando bons contra-ataques que se desenhavam.
Apoio da torcida atleticana dá lugar às vaias e cobrança
Clima de muita festa antes de a bola rolar. A torcida do Atlético praticamente esgotou os ingressos para a final com o Grêmio. Mas a alegria e confiança dos torcedores foram diminuindo a cada minuto e a cada boa chegada do Grêmio, que foi sempre o melhor time em campo. O grito de incentivo foi substituído pela cobrança, pelo pedido de raça. Em alguns momentos muitas vaias, especialmente para Cazares, mais uma vez com uma atuação muito ruim. ?
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 3 GRÊMIO
Data: 23 de novembro de 2016 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Competição: Copa do Brasil (1º jogo da final)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 50.586
Renda: R$ 4.082.175,00
Árbitro: Péricles Bassolz (Fifa/PE)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (Fifa/RJ) e Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa/SC)
Cartões amarelos: Gabriel e Júnior Urso (Atlético-MG); Edílson, Maicon, Pedro Rocha e Marcelo Grohe (Grêmio)
Cartão vermelho: Pedro Rocha (Grêmio)
Gols: Pedro Rocha, aos 29 minutos do primeiro tempo, e aos nove minutos do segundo tempo. Gabriel, aos 36, e Everton, aos 45 minutos do segundo tempo.
ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Erazo, Gabriel e Fábio Santos; Leandro Donizete, Júnior Urso (Marcos Rocha) e Maicosuel (Hyuri); Cazares (Clayton), Robinho e Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Oliveira.
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Maicon, Walace, Ramiro (Jailson), Douglas (Everton) e Pedro Rocha; Luan (Fred). Técnico: Renato Portaluppi.
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Fred se isola na artilharia, mas Atlético não vence o rebaixado Santa Cruz

jogoBem que Fred tentou. O ataque foi o melhor jogador de linha do Atlético-MG no empate em 3 a 3 com o Santa Cruz, no Recife. O camisa 99 fez um gol, se isolando na artilharia da competição, e ainda deu um belo passe para o terceiro gol alvinegro, anotado por Hyuri. Mas não foi o suficiente para os reservas do Atlético vencerem o já rebaixado Santa Cruz.

Com o resultado, a situação na briga por uma vaga pelo G3 se manteve. A distância para o Flamengo, o terceiro colocado, segue em cinco pontos. Restando duas rodadas para o término do Brasileirão, dificilmente o time mineiro deve conseguir tirar a diferença.

Dupla Keno e Grafite deita em rola em campo

O Santa Cruz venceu o Atlético com gols de Grafite e Keno. E ambos poderiam deixar o Arruda com mais gols. A dupla de ataque do Santa Cruz aproveitou a enorme fragilidade defensiva do Atlético. Além dos gols, ainda no primeiro tempo, foram pelo menos quatro boas chances de ampliar o marcado, duas com Grafite e outras duas com Keno.

Defesa de 2016 supera o péssimo desempenho de 2015

Um dos pontos mais contestados do Atlético vice-campeão brasileiro no ano passado foi a defesa. Enquanto o campeão Corinthians se mostrava sólido defensivamente, o time mineiro sofreu, em média, mais de um gol por jogo. Foram 47 em 38 rodadas. Desempenho que piorou em 2016. Em 36 rodadas, o Atlético já superou a marca de 2015, com 48 gols. E ainda faltam duas rodadas para o término da competição, contra São Paulo e Chapecoense.

Giovanni na defesa e Fred no ataque são os destaques

O contrato de Giovanni está perto de vencer. No Atlético desde 2011, o goleiro mostrou que a diretoria pode contar com ele. Contra o Santa Cruz, o arqueiro reserva evitou que o time fosse derrotado. Foram pelo menos quatro grandes defesas. Se Giovanni resolveu na defesa, Fred foi o cara no ataque. O centroavante marcou mais um gol, o 14º neste Brasileirão, voltando a se isolar na artilharia. Fred ainda deu o passe para o gol de Hyuri.

Atlético garante o 4º lugar do Brasileirão

Nas palavras do presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, terminar o Brasileirão entre os três primeiros colocados era obrigação. Mas com o empate diante do Santa Cruz, a quarta rodada sem vitória no Brasileirão, o time mineiro viu busca pelo G3 ficar ainda mais difícil. Por outro lado, são 62 pontos conquistados e nenhuma possibilidade de ser superado por Atlético-PR e Botafogo.

Após 65 dias, Marcos Rocha volta a jogar

Foram mais de dois meses parado, mas o lateral direito Marcos Rocha está preparado para ajudar o Atlético na final da Copa do Brasil. Sem atuar desde o dia 15 de setembro, o camisa 2 jogou diante do Santa Cruz como parte do processo para estar em boa forma para o jogo com o Grêmio, nesta quarta-feira. Do time que jogou no Arruda, apenas Marcos Rocha vai ser titular no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil. Como já estava previsto, Rocha deixou o jogo aos 16 minutos do segundo tempo.

Cazares não aproveita nova chance e é expulso

O começo de Campeonato Brasileiro do meia Cazares deixou o torcedor do Atlético bastante animado. Com ele em campo, o time mineiro não era derrotado. Além disso, o jogador equatoriano era fundamental para o time, com gols e assistências. Mas tudo mudou após a lesão na coxa direita. Foram quase dois meses parado e desde que retornou, Cazares jamais conseguiu render perto do que mostrou no primeiro turno. Agora reserva, sem nenhum time de contestação, Cazares não jogou bem diante do Santa Cruz e ainda foi expulso, prejudicando o Atlético no jogo.

FICHA TÉCNICA
SANTA CRUZ 3 X 3 ATLÉTICO-MG
Data:
20 de novembro de 2016, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: 36ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arruda, no Recife (PE)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa e Dibert Pedrosa Moises (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Neris e Danny Morais (SCZ) – (CAM)
Cartões vermelhos: Jadson (SCZ) Cazares (CAM)
Gols: Fred aos 5 min, Grafite aos 13 e Keno aos 30 do primeiro tempo Clayton aos 9 min, Vitor aos 13 min e Hyuri aos 34 min do segundo tempo

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor (Danilo Pires, aos 30 do 2º), Neris, Danny Morais e Roberto; Jadson, Arthur (Marion, aos 23 do 2º), João Paulo e Léo Moura; Keno e Grafite (Mazinho, aos 42 do 2º).
Técnico: Adriano Teixeira.

ATLÉTICO-MG: Giovanni, Marcos Rocha (Alex Silva, aos 16 do 2º), Edcarlos, Jesiel e Leonan; Rafael Carioca, Lucas Cândido (Thalis, aos 29 do 2º), Carlos Eduardo (Hyuri, aos 21 do 2º) e Cazares; Clayton e Fred.
Técnico: Marcelo Oliveira.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br