Arquivo da tag: Atlético

Campinense e Atlético de Cajazeiras fazem jogo equilibrado e empatam

Na tarde fria deste domingo (31), em Campina Grande, Campinense e Atlético de Cajazeiras fizeram a primeira partida das semifinais do Campeonato Paraibano de 2019. Em uma partida bastante equilibrada e na qual os goleiros fizeram grandes intervenções, o placar de 1 a 1 refletiu o que se viu em campo.

Com poucos torcedores no Amigão, o rubro-negro começou o jogo tentando se lançar ao ataque, mas não conseguia exercer uma pressão efetiva no Trovão, e chegava apenas esporadicamente ao campo ofensivo.

E por muito pouco o Campinense não abriu o placar aos 9 minutos. Neilson cobrou escanteio da esquerda, João Manoel saiu mal do gol e Cléber subiu sozinho, sem marcação, e mandou de cabeça raspando a trave esquerda.

O arqueiro atleticano salvou o time em duas oportunidades aos 21 minutos. Felipe errou a saída de jogo e a bola ficou com Lopeu, que invadiu a área e tentou driblar o camisa 1, que se esticou todo e fez a defesa. Na sobra, João Paulo ficou com a redonda e bateu da entrada da área, e mais uma vez João Manoel foi buscar no canto direito, rasteira, desviando e mandando para escanteio.

Perto dos 30 minutos o Atlético de Cajazeiras assustou pela primeira vez, em um cruzamento de Davi, que foi direto para o gol, e Wagner Coradin precisou de agilidade para buscar a bola que iria em seu canto esquerdo.

Quase no fim do primeiro tempo, aos 44 minutos, Ferreira chutou de muito longe, Wagner Coradin se atrapalhou na defesa e Bruno quase chegou para escorar para as redes, mas o camisa 1 rubro-negro se recuperou e conseguiu evitar o gol.

Segundo tempo

Perdeu João Paulo por lesão

E por falar em substituição, Romeu, que havia entrado no lugar de Vitor Maranhão no intervalo, pegou a bola no lado direito, na entrada da área, e a bateu cruzado, de pé direito,  mandando no canto de João Manoel, que nada pode fazer para evitar o gol raposeiro aos 10 minutos.

Em contra-ataque, aos 13, Lopeu recebeu em velocidade, invadiu a área e bateu no canto esquerdo, mas o goleiro do Atlético, vivendo grande jornada, foi buscar e fez mais uma grande defesa.

Em lance de bola parada, por muito pouco o Trovão não empatou. Aos 15, Mendes cobrou falta da entrada da área e a bola tirou tinta da trave direita de Wagner Coradin.

O Atlético de Cajazeiras tentava o gol e mais uma vez chegou perto. Aos 23, Marcinho cobrou falta ensaiada da direita e só rolou para Felipe, que apareceu sozinho na entrada da área, de frente para o gol, mas acabou chutando por cima do gol.

A recompensa pela insistência veio aos 29 minutos, quando Bruno, da direita, chutou para o meio da área e Yerien desviou para mandar a bola no fundo do gol e deixar o placar igual no Amigão.

Sofrendo com os ataques atleticanos, a situação se complicou um pouco mais para a Raposa aos 35 minutos, quando Dênis fez falta violenta em Ferreira e recebeu cartão vermelho direto.

Com o empate, quem vencer o jogo da volta, no próximo domingo (07), no Perpetão, fica com a vaga na final. Em caso de novo empate, a decisão será nos pênaltis.

Voz da Torcida

 

 

 

Belo, Atlético, Nacional e Galo vencem; veja classificados e rebaixados

A 10ª rodada do Campeonato Paraibano 2019 foi marcada por cinco jogos na noite desta quarta-feira (27). Nos duelos, o Botafogo-PB garantiu a classificação com a liderança geral da primeira fase, vencendo por 2 a 0  o CSP, que acabou rebaixado para a segunda divisão do Estadual. O Atlético de Cajazeiras derrotou o Sousa por 1 a 0 e sustentou a ponta do Grupo B. O Nacional de Patos conseguiu a classificação às semifinais ao superar o rival Esporte, por 3 a 1. O Campinense, mesmo derrotado por 1 a 0 pelo Treze, conseguiu avançar à fase seguinte. A rodada ainda teve um empate em 3 a 3 entre Perilima e Serrano, que caiu para a segundona.

Com os resultados, ficam definidas as disputas das semifinais. O Botafogo-PB pega o Nacional de Patos e o Atlético-PB enfrenta o Campinense.

CSP 0 x 2 Botafogo-PB

Em partida realizada no Estádio Almeidão, em João Pessoa o primeiro tempo começou truncado, com as equipes explorando as partes mais enxutas do gramado para trocar passes. Porém, quem tomou a primeira atitude decisiva foi o Belo. Em jogada de Adalgiso Pitbull, o zagueiro Bahia colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Aos nove minutos, Fábio Alves abriu o placar para o Botafogo-PB.

Aos 41 minutos do segundo tempo, em uma bela trama na entrada da área, o atacante Paulo Renê tocou para Adalgiso Pitbull, que ajeitou para o volante Rogério, que chutou forte para o fundo das redes do goleiro Wallace, garantindo a vitória do Belo.

Atlético-PB 1 x 0 Sousa

No estádio Perpetão, em Cajazeiras, o Trovão fez a lição de casa, resistiu à pressão do Dinossauro e conquistou a vitória com gol do atacante Bruno, aos 40 minutos do segundo tempo. Após bonita triangulação, o camisa 9 aproveitou e mandou a bola para as redes.

Esporte 1 x 3 Nacional

O Nacional começou a trilhar o caminho para a vitória no estádio José Cavalcanti, em Patos, logo aos cinco minutos do primeiro tempo. Isaías colocou a bola na frente e foi puxado em lance dentro da área. O árbitro marcou pênalti. Três minutos depois, o próprio Isaías partiu para a cobrança e marcou o primeiro gol do jogo.

O Esporte chegou ao empate aos 20 minutos. Em contra-ataque, Jó Boy recebeu em profundidade, puxou para o meio e soltou chute. A bola foi morrer no cantinho esquerdo da rede. O Naça, no entanto, não se abalou e, aos 27 minutos, fez o segundo gol. Atuando como lateral, Birungueta bateu falta em direção do gol. Ninguém desviou e a bola acabou no fundo da meta. O Canário fechou o placar logo no primeiro minuto do segundo tempo, com gol de Jairo.

Campinense 0 x 1 Treze

A partida no estádio Amigão, em Campina Grande, marcou o fim de uma péssima campanha do Treze na edição 2019 do Paraibano. O Clássico dos Maiorais, contra o rival Campinense, acabou com vitória da equipe alvinegra com gol de Vanger, logo aos dois minutos do primeiro tempo. Após lançamento preciso de Coppetti para Matheus, o lateral fez cruzamento e o atacante, livre de marcação, marcou o único gol do jogo.

Perilima 3 x 3 Serrano-PB

No estádio presidente Vargas, em Campina Grande, as equipes entraram em campo para jogar a permanência na divisão de elite do futebol paraibano. A partida foi movimentada e terminou com um empate em 3 a 3, com gols de Lucas Silva (2) e Cristiano, pela Perilima; e Darlan, Lucas Silva e Ferreira, pelo Serrano-PB. Com o resultado, o Lobo da Serra, que precisava da vitória, foi rebaixado. A Perilima, por sua vez, assegurou a permanência na 1ª divisão.

*Com texto de Gabriel Botto, do Jornal Correio

(Foto: Paulo Cavalcanti/Botafogo-PB)

 

Botafogo marca no fim e vence o Atlético; veja outros resultados

paraibanoPrecisando se reabilitar diante de sua torcida, o Botafogo recebeu o Atlético, no Almeidão, que inicialmente não respeitou o anfitrião.

Mosquito aos 24 minutos do primeiro tempo, completando um cruzamento de primeira, abriu o placar para o Trovão. Dois minutos depois, ele foi puxado dentro da área pelo estreante Roger Júnior e o árbitro Pablo Alves não teve dúvidas em marcar o pênalti. Michel Alves salvou o Belo de tomar o segundo gol.

A partir daí o Botafogo cresceu na partida e chegou ao empate aos 39 minutos através de Wanderson, de cabeça, após a falta cobrada por Róger Júnior. Na segunda etapa as duas equipes buscaram a vitória, mas foi no apagar das luzes, aos 52 minutos que o artilheiro Rafael Oliveira acabou com o sofrimento da torcida botafoguense marcando o gol da virada. Botafogo 2 x 1  Atlético foi o resultado final.

Nos outros jogos da rodada, o Auto Esporte venceu o Internacional por 1 a 0, em jogo disputado no CT Ivan Tomaz. Gil Bala, ainda no primeiro tempo, marcou para a equipe automobilista.

No Amigão, em Campina Grande, o Campinense venceu mais uma partida, com 2 a 1 sobre o Sousa. Renatinho e Maranhão marcaram para a Raposa e Éder Guerreiro fez o gol do Dinossauro.  Já no Presidente Vargas, também em Campina Grande, o Treze venceu bem o CSP por 3 a 0. Marcelinho, Dico e Ferreira fizeram os gols do Galo.

A rodada foi finalizada com o Paraíba empatando com o Internacional, no Perpetão, em Cajazeiras. Jardel e Wellington fizeram para o time da casa enquanto Bambam fez os dois do Inter.

Veja a classificação:

Clubes PG J V E D GP GC SG
 1º-   Botafogo  25  11  8  1  2  16  9  7
2º-  Campinense 21 11 6 3 2 16 8 7
3º-  Auto Esporte 18 11 5 3 3 11 9 2  
4º-  Treze 16 11 4 4 3 10 7 3
5º-  Atlético 16 11 4 4 3 7 5 2
6º-  Internacional 15 11 3 6 2 8 7 1
7º-  Serrano 11 11 3 2 6 12 18 -6
 Sousa 10 11 2 4 5 12 13 -1
 CSP 8 11 2 2 7 7 16 -9
10º  Paraíba 8 11 1 5 5 7 13 -6

Albemar Santos – MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Campinense perde para Atlético, Bota se reabilita diante do Sousa e Serrano vence mais uma

jogoO Campinense não está mais invicto no Campeonato Paraibano 2017. Jogando ela terceira rodada do Paraibano, com uma atuação muito abaixo do futebol, a Raposa perdeu por 2 x 0 para o Atlético de Cajazeiras no Perpetão. Os dois gols foram marcados pelo atacante Mosquito, ainda no primeiro tempo. Com a vitória, o Atlético chegou aos seis pontos (mesma pontuação de Botafogo-PB, CSP, Serrano e Treze) e três gols de saldo, e assumiu a liderança da competição.

Atlético e Campinense voltam a campo na próxima quarta-feira, pela quarta rodada do Campeonato Paraibano. O Trovão Azul faz o clássico de Cajazeiras contra o Paraíba, novamente no Perpetão. Já a Raposa recebe o Auto Esporte no Amigão, em Campina Grande. Os dois jogos estão marcados para as 20h30.

Sousa e Botafogo (PB) Em outra partida disputada no Marizão, no Sertão, o Botafogo (PB), venceu o Sousa, por 1 a 0. Rafael Oliveira marcou o único tento do duelo. Com o resultado, o Belo se reabilitou da derrota para o Atlético-PB em Cajazeiras no meio de semana.

O Belo chega aos 6 pontos no Campeonato Paraibano, enquanto que o Sousa permaneceu sem vencer dentro da competição e continua com apenas dois pontos ganhos. Na próxima rodada o Botafogo-PB volta a atuar dentro de sua casa. O Belo encara o CSP no Estádio Almeidão, em João Pessoa, às 20h30, em partida válida pela quarta rodada. Já o Sousa fica no Sertão, mas dessa vez vai atuar em Cajazeiras. O Dinossauro confronta o Atlético-PB no clássico sertanejo.

Serrano e CSP – Em Campina Grande O Serrano mostrou, neste domingo, que se recuperou totalmente da goleada sofrida na estreia do Campeonato Paraibano para o Campinense. Depois de bater o Auto Esporte, no meio de semana, o Lobo da Serra bateu o CSP por 3 a 2, de virada, em jogo disputado no Estádio Amigão, em Campina Grande.

Jogando fora de casa, o Tigre saiu na frente com um gol contra marcado por Caio. O gol não desanimou o Logo da Serra que buscou o empate e a virada. Em seguida, o Lobo da Serra chegou ao empate, também com um gol contra anotado por Walber. Ainda no primeiro tempo o CSP chegou à ficar na frente do placar. Bruno Paraíba aproveitou o rebote e marcou. Na etapa complementar, o Serrano lutou bastante e chegou à virada com gols de Ramos, aos 41 e Mateus, aos 47 do segundo tempo.

Severino Lopes 

PB Agora

Foto: G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Treze vence o Atlético em jogo com confusão protagonizada por Marcelinho Paraíba

Reprodução/Instagram/Trezefcoficial
Reprodução/Instagram/Trezefcoficial

O Treze estreou com vitória no Campeonato Paraibano ao vencer o Atlético de Cajazeiras, na tarde deste sábado (7), no estádio Amigão, em Campina Grande. O jogo teve lances polêmicos e confusão protagonizada por Marcelinho Paraíba.

Dentro de campo, o jogo começou morno, mas nas arquibancadas houve tumulto entre torcedores antes dos dez minutos iniciais de partida. A confusão só terminou com a chegada da Polícia Militar.

Em campo, a primeira chance real de gol, assim como o melhor lance do primeiro tempo, foi do Atlético, quando Alef recebeu bom passe e chutou no canto da trave da Galo, mas a bola saiu.

No segundo tempo o Treze voltou melhor e abriu o placar logo aos sete minutos, após o atacante Dico ficar com a sombra de bola dentro da área do Atlético e marcar o primeiro gol.

De resto, o segundo tempo foi de jogo amarrado entre as duas equipes, com alguns lances de ataque, mas sem perigo.

O jogo se encaminhava para o fim quando uma confusão iniciada por Marcelinho Paraíba fez com que o campo de jogo fosse tomado por jogadores reservas das duas equipes.

No lance, Marcelinho Paraíba pediu que o jogador Dener, do Atlético, devolvesse a posse de bola para o galo após jogadores do Treze jogarem a bola para fora para que um atleta fosse atendido.

Irritado, Marcelinho Paraíba empurrou Dener e deu início a confusão. Como resultado, o juiz Pablo Alves expulsou Dener e deu cartão amarelo para Marcelinho, encerrando o jogo minutos depois.

Com a vitória, o Treze assume a primeira colocação do Paraibano, com três pontos. Já o Atlético é o lanterna.

A rodada continua com mais quatro jogos neste domingo (7): Botafogo-PB x Internacional; Auto Esporte x CSP; Campinense x Serrano; e Paraíba x Sousa.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Grêmio se impõe sobre Atlético e fica próximo do título da Copa do Brasil

O Grêmio deu um grande passo rumo ao título da Copa do Brasil. O time gaúcho derrotou o Atlético-MG por 3 a 1 em pleno Mineirão na noite desta quarta-feira e pode empatar na próxima quarta-feira em Porto Alegre para ser campeão. Os gols do triunfo foram marcados por Pedro Rocha, um em cada tempo do duelo, e Everton. Gabriel diminuiu para os mineiros.

Apático no primeiro tempo, o Atlético-MG melhorou na etapa final, depois da expulsão de Pedro Rocha. Na pressão, o time mineiro, que não pôde contar com Fred, Rafael Carioca e Luan, conseguiu marcar já na reta final do jogo. Everton, porém, marcou o terceiro gol gremista aos 45 minutos.

A equipe do Grêmio, dessa forma, consegue mais uma vitória no Mineirão. Na semifinal, o time venceu o Cruzeiro por 2 a 0. Na partida de volta, os gaúchos empataram sem gols e garantiram a vaga. Já o Galo terá de reeditar as viradas alcançadas na Libertadores 2013 e na Copa do Brasil 2014, quando conseguiu reverter quatro situações iguais a essa.

Do que o Atlético-MG precisa para ser campeão? E o Grêmio?

Andre Yanckous/AGIF

O time do técnico Marcelo Oliveira terá agora de derrotar os gaúchos por três gols de diferença em Porto Alegre. Os gremistas, por sua vez, erguerão a taça até com uma derrota por um gol de diferença. Uma vitória dos mineiros por dois gols de diferença leva a decisão para os pênaltis.

Gols fora de casa sem peso

LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Ao contrário das fases anteriores, o gol fora de casa não serve como critério de desempate na final da Copa do Brasil – a mudança ocorreu na edição 2014. No ano passado, por exemplo, o Palmeiras venceu o Santos por 2 a 1 na segunda partida da decisão depois de ser derrotado por 1 a 0 na Vila. O time alviverde conquistou o título nos pênaltis.

Herói e vilão
O atacante Pedro Rocha foi o grande responsável pela vitória do Grêmio em Belo Horizonte ao marcar dois gols – o segundo em jogada individual no começo do segundo tempo. Após o gol, o jogador tirou a camisa e recebeu cartão amarelo. Doze minutos depois, Pedro Rocha foi expulso de campo por cometer falta em Carlos César – o atleta gremista deixou o campo em direção ao vestiário aos prantos.

Feito inédito

Em 27 finais da Copa do Brasil, somente quatro edições tiveram uma virada depois de uma derrota no primeiro jogo. O fato deu-se em 1992 (Inter), 1998 e 2015 (Palmeiras) e 2008 (Sport). Nas quatro ocasiões, o time campeão conseguiu reverter a vantagem do adversário em casa, com o apoio do torcedor. O Atlético-MG, agora, terá de buscar um feito inédito.

Jogo movimentado no 1º tempo
O primeiro tempo da partida foi marcado por diversas chances claras de gol. Pedro Rocha marcou um gol gremista e, pouco depois, teve a chance de ampliar. O atacante optou pelo toque por cima de Victor e errou a finalização. No último minuto da etapa inicial, o jogador perdeu uma oportunidade cara a cara com o goleiro do Atlético-MG, que conseguiu fazer a defesa.

Luan ainda assustou o time da casa ao chegar à linha de fundo e cruzar rasteiro na área. A bola passou por toda pequena área e por pouco não entrou. O Atlético-MG teve uma grande chance para empatar. Depois de jogada de Cazares, Júnior Urso dominou na área e obrigou Marcelo Grohe a fazer um milagre.

Melhor do Atlético-MG: Gabriel
Com a defesa tão exposta, por várias vezes o zagueiro ficou sozinho com os atacantes do Grêmio. Mesmo assim o jovem defensor conseguiu levar a melhor na maioria dos lances. A boa colocação e a velocidade evitaram que o desastre no Mineirão fosse ainda maior. Além disso, o atleta marcou o único gol do Galo.
Pior: Marcelo Oliveira
Com tantos jogadores numa jornada infeliz, fica até difícil citar que esteve mais abaixo do que o normal. A péssima atuação do Atlético diante do Grêmio foi apenas mais uma de várias sob o comando do treinador, que apesar de finalista na Copa do Brasil e quarto colocado no Brasileirão, não conseguiu ajustar a equipe.
Melhor do Grêmio: Pedro Rocha
Dois gols em uma final de campeonato e na casa do adversário não é para qualquer jogador. Pedro Rocha foi decisivo para o grande resultado que o Grêmio conquistou em Belo Horizonte. Não só pelos gols, mas também pelo desempenho tático em campo, sempre criando espaços na defesa do Atlético. A noite só não foi melhor porque o atacante tricolor ainda perdeu algumas oportunidades e conseguiu ser expulso, quando o Grêmio tinha o jogo totalmente sob controle.
Pior: Marcelo Oliveira
Se o Grêmio teve um ponto fraco no Mineirão, esse ponto foi o lado esquerdo, com Marcelo Oliveira. O lateral foi o jogador gremista que mais deu espaço para as jogadas do Atlético. Além de errar alguns passes sem um alto grau de dificuldade, atrapalhando bons contra-ataques que se desenhavam.
Apoio da torcida atleticana dá lugar às vaias e cobrança
Clima de muita festa antes de a bola rolar. A torcida do Atlético praticamente esgotou os ingressos para a final com o Grêmio. Mas a alegria e confiança dos torcedores foram diminuindo a cada minuto e a cada boa chegada do Grêmio, que foi sempre o melhor time em campo. O grito de incentivo foi substituído pela cobrança, pelo pedido de raça. Em alguns momentos muitas vaias, especialmente para Cazares, mais uma vez com uma atuação muito ruim. ?
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 3 GRÊMIO
Data: 23 de novembro de 2016 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Competição: Copa do Brasil (1º jogo da final)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 50.586
Renda: R$ 4.082.175,00
Árbitro: Péricles Bassolz (Fifa/PE)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (Fifa/RJ) e Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa/SC)
Cartões amarelos: Gabriel e Júnior Urso (Atlético-MG); Edílson, Maicon, Pedro Rocha e Marcelo Grohe (Grêmio)
Cartão vermelho: Pedro Rocha (Grêmio)
Gols: Pedro Rocha, aos 29 minutos do primeiro tempo, e aos nove minutos do segundo tempo. Gabriel, aos 36, e Everton, aos 45 minutos do segundo tempo.
ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Erazo, Gabriel e Fábio Santos; Leandro Donizete, Júnior Urso (Marcos Rocha) e Maicosuel (Hyuri); Cazares (Clayton), Robinho e Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Oliveira.
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Maicon, Walace, Ramiro (Jailson), Douglas (Everton) e Pedro Rocha; Luan (Fred). Técnico: Renato Portaluppi.
Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Fred se isola na artilharia, mas Atlético não vence o rebaixado Santa Cruz

jogoBem que Fred tentou. O ataque foi o melhor jogador de linha do Atlético-MG no empate em 3 a 3 com o Santa Cruz, no Recife. O camisa 99 fez um gol, se isolando na artilharia da competição, e ainda deu um belo passe para o terceiro gol alvinegro, anotado por Hyuri. Mas não foi o suficiente para os reservas do Atlético vencerem o já rebaixado Santa Cruz.

Com o resultado, a situação na briga por uma vaga pelo G3 se manteve. A distância para o Flamengo, o terceiro colocado, segue em cinco pontos. Restando duas rodadas para o término do Brasileirão, dificilmente o time mineiro deve conseguir tirar a diferença.

Dupla Keno e Grafite deita em rola em campo

O Santa Cruz venceu o Atlético com gols de Grafite e Keno. E ambos poderiam deixar o Arruda com mais gols. A dupla de ataque do Santa Cruz aproveitou a enorme fragilidade defensiva do Atlético. Além dos gols, ainda no primeiro tempo, foram pelo menos quatro boas chances de ampliar o marcado, duas com Grafite e outras duas com Keno.

Defesa de 2016 supera o péssimo desempenho de 2015

Um dos pontos mais contestados do Atlético vice-campeão brasileiro no ano passado foi a defesa. Enquanto o campeão Corinthians se mostrava sólido defensivamente, o time mineiro sofreu, em média, mais de um gol por jogo. Foram 47 em 38 rodadas. Desempenho que piorou em 2016. Em 36 rodadas, o Atlético já superou a marca de 2015, com 48 gols. E ainda faltam duas rodadas para o término da competição, contra São Paulo e Chapecoense.

Giovanni na defesa e Fred no ataque são os destaques

O contrato de Giovanni está perto de vencer. No Atlético desde 2011, o goleiro mostrou que a diretoria pode contar com ele. Contra o Santa Cruz, o arqueiro reserva evitou que o time fosse derrotado. Foram pelo menos quatro grandes defesas. Se Giovanni resolveu na defesa, Fred foi o cara no ataque. O centroavante marcou mais um gol, o 14º neste Brasileirão, voltando a se isolar na artilharia. Fred ainda deu o passe para o gol de Hyuri.

Atlético garante o 4º lugar do Brasileirão

Nas palavras do presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, terminar o Brasileirão entre os três primeiros colocados era obrigação. Mas com o empate diante do Santa Cruz, a quarta rodada sem vitória no Brasileirão, o time mineiro viu busca pelo G3 ficar ainda mais difícil. Por outro lado, são 62 pontos conquistados e nenhuma possibilidade de ser superado por Atlético-PR e Botafogo.

Após 65 dias, Marcos Rocha volta a jogar

Foram mais de dois meses parado, mas o lateral direito Marcos Rocha está preparado para ajudar o Atlético na final da Copa do Brasil. Sem atuar desde o dia 15 de setembro, o camisa 2 jogou diante do Santa Cruz como parte do processo para estar em boa forma para o jogo com o Grêmio, nesta quarta-feira. Do time que jogou no Arruda, apenas Marcos Rocha vai ser titular no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil. Como já estava previsto, Rocha deixou o jogo aos 16 minutos do segundo tempo.

Cazares não aproveita nova chance e é expulso

O começo de Campeonato Brasileiro do meia Cazares deixou o torcedor do Atlético bastante animado. Com ele em campo, o time mineiro não era derrotado. Além disso, o jogador equatoriano era fundamental para o time, com gols e assistências. Mas tudo mudou após a lesão na coxa direita. Foram quase dois meses parado e desde que retornou, Cazares jamais conseguiu render perto do que mostrou no primeiro turno. Agora reserva, sem nenhum time de contestação, Cazares não jogou bem diante do Santa Cruz e ainda foi expulso, prejudicando o Atlético no jogo.

FICHA TÉCNICA
SANTA CRUZ 3 X 3 ATLÉTICO-MG
Data:
20 de novembro de 2016, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: 36ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arruda, no Recife (PE)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa e Dibert Pedrosa Moises (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Neris e Danny Morais (SCZ) – (CAM)
Cartões vermelhos: Jadson (SCZ) Cazares (CAM)
Gols: Fred aos 5 min, Grafite aos 13 e Keno aos 30 do primeiro tempo Clayton aos 9 min, Vitor aos 13 min e Hyuri aos 34 min do segundo tempo

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor (Danilo Pires, aos 30 do 2º), Neris, Danny Morais e Roberto; Jadson, Arthur (Marion, aos 23 do 2º), João Paulo e Léo Moura; Keno e Grafite (Mazinho, aos 42 do 2º).
Técnico: Adriano Teixeira.

ATLÉTICO-MG: Giovanni, Marcos Rocha (Alex Silva, aos 16 do 2º), Edcarlos, Jesiel e Leonan; Rafael Carioca, Lucas Cândido (Thalis, aos 29 do 2º), Carlos Eduardo (Hyuri, aos 21 do 2º) e Cazares; Clayton e Fred.
Técnico: Marcelo Oliveira.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Atlético Mineiro resolve no primeiro tempo, vence Ponte Preta e segue na cola dos líderes

ponteDepois de sair do Moisés Lucarelli vivo na briga pelo título da Copa do Brasil, em confronto pelas oitavas de final, o Atlético Mineiro venceu mais uma vez a Ponte Preta para seguir na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Na tarde deste sábado, em Campinas, Júnior Urso e Clayton, para o Atlético, e Roger, da Ponte, foram os responsáveis pelo placar de 2 a 1 que, que deixou a equipe mineira com 52 pontos, dois a menos que o Palmeiras, que ainda jogará pela 28ª rodada, e Flamengo, líder e vice neste momento.

Esta foi a primeira vitória do Atlético fora de casa no returno, deixando a Ponte Preta com 39 pontos, na 10ª posição, e mais distante da briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

GOLAÇO FEITO E PERDIDO

O Atlético Mineiro resolveu a partida logo no primeiro tempo do jogo. O primeiro gol foi um verdadeiro golaço. A jogada começou com o toque de Pratto para Cazares, que deu belo passe na esquerda para Fabio Santos. O lateral cruzou na medida para Júnior Urso, que voou para abrir o placar.

Aos 37 veio o seugndo gol. Leandro Donizete deu lançamento na medida para Clayton, que carregou a bola até a área e teve muita tranquilidade para escolher o canto, esperar o goleiro Aranha e mandar para a rede.

Os atleticanos ainda poderiam ter marcado o terceiro e tinham tudo para isso. Aos 41, Cazares recebeu livre, driblou o goleiro e tinha tudo para fazer mais um golaço. Só que ele foi displicente ao finalizar, errando o gol aberto.

UM ADMINISTRA, O OUTRO BUSCA

Na segunda etapa o Atlético Mineiro passou a administrar o placar construido no primeiro tempo. A Ponte Preta  tentava criar chances de diminuir o placar, mas era a equipe visitante que ficava mais tempo com a bola nos pés .

Até que, aos 34, Roger colocou emoção no jogo. Wellington Paulista levantou para a área e o camisa 9 matou no peito para finalizar com categoria e diminuir a vantagem do Atlético no jogo.

Depois gol da Ponte, porém, o Atlético também buscou mais o ataque na tentativa de resolver o jogo de uma vez por todas. Mas ninguém marcou e a equipe mineira segue sonhando com o título, enquanto a Libertadores fica mais distante do time de Campinas.

PRÓXIMA RODADA

O próximo compromisso do Atlético-MG já é nesta quarta-feira. Na 29ª rodada, o time mineiro vai até Itaquera para enfrentar o Corinthians, em jogo marcado para as 21 horas (de Brasília). Já a Ponte Preta entra em campo apenas no próximo sábado, também 21 horas, contra o Cruzeiro, no Mineirão.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1 x 2 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 01 de outubro de 2016, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Almeida Real (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e Alexandre Pruinelli Kleiniche (RS)
Cartões amarelos: João Vitor, Wendel (Ponte Preta), Otero, Júnior Urso (Atlético-MG)
Gols: PONTE PRETA: Roger, aos 34 minutos do segundo tempo; ATLÉTICO-MG: Júnior Urso, aos 15, e Clayton, aos 37, minutos do primeiro tempo;

PONTE PRETAAranha; Jeferson, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Breno Lopes; João Vitor (Wellington Paulista) e Wendel (Matheus Jesus); Thiago Galhardo, Felipe Azevedo e Ravanelli (Zé Roberto); Roger
Técnico: Eduardo Baptista

ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Gabriel, Leonardo Silva e Fábio Santos; Leandro Donizete e Júnior Urso; Cazares (Robinho), Clayton (Maicosuel) e Otero (Hyuri); Pratto
Técnico: Marcelo Oliveira

espn

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Carrasco do São Paulo decide e Atlético Nacional é campeão da Libertadores

AFP PHOTO / RAUL ARBOLEDA
AFP PHOTO / RAUL ARBOLEDA

Passaram-se 27 anos até que o Atlético Nacional pudesse voltar a gritar “campeão” na Libertadores. Nesta quarta-feira (27), em um lotado Atanasio Girardot, o time colombiano contou com seu amuleto Miguel Borja para vencer o Independiente Del Valle por 1 a 0 e levantar a taça continental.

A conquista é a segunda da história do clube. Além do título conquistado em 1989 em cima do Olimpia (PAR), o Atlético Nacional havia chegado à final do torneio em 1995, quando caiu para o Grêmio. Dessa vez, no entanto, o desfecho foi diferente e o time colombiano volta a escrever seu nome na lista de vencedores da Libertadores. De quebra, deixa para trás uma incômoda sombra: a do narcotraficante Pablo Escobar.

O carrasco do São Paulo ataca novamente

AFP PHOTO / RAUL ARBOLEDA

Não é absurdo afirmar que Miguel Borja é uma das melhores contratações da Libertadores. Reforço do Atlético Nacional durante a pausa para a Copa América, o atacante foi responsável pelos quatro gols que eliminaram o São Paulo na semifinal. Agora, na final, o camisa 23 voltou a atacar.

Em um início de total pressão do Atlético Nacional, Macnelly Torres acertou a trave de Azcona. No rebote, a defesa não conseguiu cortar e Borja chutou rasteiro para balançar as redes do Independiente Del Valle.

Del Valle começa segundo tempo pressionando

Depois de um primeiro tempo amplamente dominado pelo Atlético Nacional, o Independiente Del Valle quase empatou o jogo logo no minuto inicial da segunda etapa. Uchuari dominou livre dentro da área, chapelou Bocanegra e foi derrubado por Henríquez antes de conseguir chutar. A sobra ainda ficou com o time equatoriano, mas o árbitro já havia marcado impedimento.

Mesmo sem conseguir balançar as redes, o Del Valle ao menos equilibrou as ações com o Atlético Nacional.

Paciência dá o título ao Nacional

Apesar da pressão do Independiente Del Valle no início do segundo tempo, o Atlético Nacional soube controlar a partida e evitar qualquer susto vindo do lado equatoriano. Com calma e trabalhando bem a bola, o time colombiano quase balançou as redes aos 30 minutos: Borja recebeu na área, dominou e chutou forte para uma grande defesa de Azcona.

A sombra de Pablo Escobar

Reprodução

O único título de Libertadores do Atlético Nacional foi em 1989, uma conquista que causa dor de cabeça aos torcedores do clube. A nunca comprovada influência do narcotraficante Pablo Escobar no futebol é apontada pelos rivais como motivo da conquista do Atlético Nacional.

Nos clássicos contra o Independiente Medellín é comum ouvir a música “Pablito te la compro”. Uma parte do cântico diz “que triste foi saber que pagaram para ser campeão. Pablito a comprou para você, a comprou para você, a comprou para você”.

A influência de Escobar no futebol nunca foi comprovada. Mas anos depois do título de 1989, Juan Antonio Bava, um dos assistentes da partida entre Atlético Nacional e Danubio, pela semifinal da Libertadores, afirmou à revista “El Gráfico” ter sido ameaçado às vésperas da partida para que o clube colombiano vencesse a partida. “Nos ofereceram dinheiro e ameaçara a nós e nossas famílias”.

Opinião: Juca Kfouri

Num belo jogo, decidiu-se a Libertadores no lotado estádio de Medellín por 45 mil torcedores. Ganhou o favorito e justíssimo campeão Atlético Nacional ao vencer o Independiente del Valle por 1 a 0, com mais um gol do jovem centroavante Borja, no primeiro tempo.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Atlético marca no final, Vasco vence, Cruzeiro derrota São Paulo, Flamengo goleia…

brasileirãoCom o título do Campeonato Brasileiro praticamente já decidido, o Atlético-MG entrou em campo diante do Figueirense para defender a vice-liderança. Apesar do duelo com uma equipe da parte inferior da tabela, o time mineiro se apresentou muito abaixo do normal e venceu com um gol aos 45 minutos do segundo tempo, com gol e Dátolo, no Orlando Scarpelli. Resultado que adiou a conquista do Corinthians, e garantiu o time mineiro na próxima Libertadores.

Com poucos bons momentos, a equipe de Levir Culpi esteve muito mais próxima de sofrer um gol do que de abrir o placar. Victor, Jemerson e a falta de pontaria dos atacantes do Figueirense ajudaram bastante na partida que foi uma espécie de revanche da Copa do Brasil. Na ocasião o Atlético perdeu  e foi eliminado com um gol no final da partida.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A derrota mantém o Figueirense próximo da zona do rebaixamento. Beneficiado pelos resultados de Goiás e Coritiba, a equipe de Santa Catarina segue fora do grupo dos últimos colocados.

Palmeiras 0 x 2 Vasco

Depois de cinco rodadas, o Vasco voltou a ganhar no Campeonato Brasileiro. O time carioca visitou o Palmeiras neste domingo, fez dois gols ainda no primeiro tempo, com Rafael Silva e Nenê, e venceu pelo placar de 2 a 0.

Com o resultado, o Vasco sai da lanterna, chega a 33 pontos e mantém o sonho de escapar do rebaixamento mais vivo do que nunca. A distância para o Avaí, primeiro clube fora da zona dos quatro piores, é de apenas dois pontos.

Já o Palmeiras fica estacionado nos 48 pontos e vê a vaga na Libertadores, pelo menos através do Brasileiro, ficar mais distante. Irritada com mais uma derrota dentro de casa, a torcida voltou a gritar que o título da Copa do Brasil virou “obrigação”, algo que já havia acontecido diante do Sport, duas rodadas atrás.

A luta do Vasco contra o rebaixamento terá sequência no dia 19, uma quinta-feira, quando receberá a visita do Corinthians no Rio de Janeiro. Já o Palmeiras irá a Curitiba para encarar o Atlético-PR um dia antes.

Cruzeiro 2 x 1 São Paulo

O Cruzeiro segue vivo na luta pelo G-4 do Campeonato Brasileiro. O torcedor pode seguir sonhando. A vitória deste domingo sobre o São Paulo, por 2 a 1, de virada, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, explanou a força do elenco na luta por uma vaga entre os primeiros colocados do torneio nacional.

Com o resultado, o time comandado por Mano Menezes chega a 48 pontos e fica a sete apenas do Santos, quarto colocado do torneio. O São Paulo, por sua vez, fica a um da equipe da Baixada Santista, mas segue na luta.

Flamengo 4 x 1 Goiás

O Flamengo voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Já sem muito o que vislumbrar na competição, o Rubro-negro quebrou a sequência de quatro derrotas ao golear o Goiás por 4 a 1, neste domingo, no Maracanã. Os gols de Alan Patrick (2) e Kayke (2) – Erik fez para os visitantes – impediram o time de igualar a pior performance na história do Brasileirão, quando sofreu cinco reveses consecutivos na edição de 2000.

Mas o triunfo que colocou os cariocas na 11ª posição, com 47 pontos, não amenizou a relação conturbada com a torcida. Os jogadores reintegrados após a participação em uma festa com mulheres e bebidas foram vaiados e perseguidos pela maioria dos torcedores. Pará e Alan Patrick sofreram com as vaias desde antes do apito inicial. Já o Goiás segue na zona de rebaixamento, soma 34 pontos e ocupa o 17º lugar.

Joinville 0 x 0 Santos

A chuva que caiu sobre a Arena Joinville castigou não apenas o gramado, mas também a qualidade do jogo entre Joinville e Santos neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Os dois times ficaram no 0 a 0 em um resultado que não ajudou os catarinenses e aumentou a sina santista de não vencer fora de casa.

Atual quarto colocado com 54 pontos e finalista da Copa do Brasil, o Santos tem um aproveitamento de time rebaixado como visitante no Brasileirão: foram nove derrotas, sete empates e uma única vitória. Já o Joinville, com 31 pontos, voltou para a lanterna, ultrapassado pelo Vasco, e está a quatro pontos do Avaí, primeiro time fora da zona do rebaixamento.

O campo estava tão encharcado que Dorival Júnior abriu mão de seus jogadores mais técnicos no decorrer do jogo para apostar em atletas mais físicos: Lucas Lima, que jogou mal, saiu no intervalo para a entrada de Alison, enquanto Gabriel deu lugar a Nilson no segundo tempo.

Uol