Arquivo da tag: Atlético-MG

No Atlético-MG, Levir Culpi quer repetir Galo Doido de 2014

A apresentação de Levir Culpi no Atlético-MG foi marcada por recordações boas no clube, principalmente dos jogos de 2014, quando o Galo venceu a Copa do Brasil em cima do maior rival com partidas de tirar o fôlego em viradas incríveis.

“Sempre tem jogos espetaculares, contra Flamengo, Corinthians. Foi um negócio absurdo. Uma simbiose. Não tem explicação lógica. Não foi parte tática, técnica. Foi emoção pura. O prazer que aquilo passou para todos foi inesquecível. Por que não repetir?”, disse o Levir, ao relembrar viradas heroicas sobre os times com as duas maiores torcidas do país.

Levir chega com o respaldo da diretoria que faltou a Thiago Larghi- (Bruno Cantini Atlético-MG)
Levir chega com o respaldo da diretoria que faltou a Thiago Larghi- (Bruno Cantini Atlético-MG)

Foto: LANCE!

Após deixar a nostalgia de lado, Levir Culpi demonstrou confiança em retomar o caminho das vitórias no Brasileiro. Quem ouve Levir demonstrar tanta confiança não sabe que o treinador refletiu bem antes de retornar ao Atlético-MG. O comandante confidenciou que a volta ao clube o fez sentir medo. Tudo por conta do histórico de 288 partidas à frente do alvinegro.

“O único medo que tenho por ter voltado para o Atlético é justamente isto: arranhar o tempo que nós tivemos juntos. Mas se você tiver medo disso, você não vai ser técnico. Se você tiver medo, você não vai ser técnico. Então, aceitei o desafio, porque penso que posso ser mais feliz ainda do que fui. Por que não? Por que não? Convido a todos os atleticanos para me vaiarem, mas que estejam no campo, estejam com a gente lá. Uma coisa eu tenho certeza, e eu vi na fisionomia dos jogadores: a gente vai dar 100%, vai dar 100%. Isso pode levar o Atlético a grandes resultados”, disse.

Do medo, Levir varia à confiança em um intervalo de uma frase. A hora, de acordo com o treinador, é utilizar o passado vitorioso como incentivo. “Espero sentir as mesmas emoções que senti no passado. Espero que a torcida esteja comigo, com clube, grupo. Pode até vaiar, mas o estádio tem que estar cheio. Nós vamos para cima de todo mundo. O Atlético tem que jogar para vencer. Estou acompanhados de amigos. Conheço todo mundo. Me sinto muito bem aqui. Quero ser feliz e deixar atleticanos felizes”, completou.

A reestreia de Levir no Atlético-MG será justamente contra o Fluminense, primeiro clube que ele dirigiu após deixar o Alvinegro em 2015. As equipes se enfrentam a partir das 16h deste domingo, no Nilton Santos, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“O Levir já conhecido de todos nós, a gente sabe da capacidade dele. É um ganhador e veio para cá para ser campeão”, afirmou o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, que fez a apresentação do novo treinador atleticano, na tarde desta quinta-feira, na sala de imprensa da Cidade do Galo.

“É por isso fomos buscar o Levir. Fui pessoalmente a Curitiba, juntamente como Lásaro, lá estivemos durante todo o dia de ontem, conversando com ele e, à noite, chegamos a um consenso e fechamos um contato que se inicia agora e vai até o final de 2019, mas, efetivamente, espero que ele vá até o final do meu primeiro mandato. Estou trabalhando duro, dia a dia, com muita honestidade, buscando o que tem de melhor para o Atlético. E foi isso que acabei de fazer, acho que busquei o que tem de melhor para treinar o Atlético e fazer com que a gente tenha um 2019 muito melhor”, acrescentou o presidente atleticano.

Sérgio Sette Câmara agradeceu a contribuição dada por Thiago Larghi e desejou muito sucesso ao novo comandante alvinegro.

“Agradecemos muito ao Thiago Larghi, que é uma ótima pessoa e um rapaz de muito brio por quem tenho muita gratidão, respeito e admiração porque, ainda novo, assumiu um time que tem uma torcida importante, uma camisa grandiosa, e ele enfrentou os desafios, foi corajoso. Então, deixo aqui minha palavra de agradecimento, desejo a ele sucesso e tenho certeza que irá trilhar caminho de muitas conquistas.”

Lance

Flamengo derrota o Atlético-MG e encosta nos líderes

Depois de alguns tropeços, o Flamengo voltou a dar alegrias aos seus torcedores. Em partida disputada na tarde deste domingo, no Maracanã, a equipe rubro-negra derrotou o Atlético-MG por 2 a 1, gols marcados por Willian Arão e Lucas Paquetá, em jogadas do lateral peruano Trauco; O gol do time mineiro foi marcado pelo zagueiro Leonardo Silva. O resultado fez o time da Gávea reassumir a terceira colocação com 48 pontos ganhos e voltar a sonhar com a liderança do Campeonato Brasileiro. O Atlético-MG, por sua vez, permanece com 42 pontos ganhos e segue afastado das primeiras posições. O Alético-MG é o sexto colocado.

O resultado refletiu o andamento da partida. O Flamengo saiu na frente no primeiro minuto, permitiu a reação do adversário na primeira etapa, mas desempatou no começo do segundo tempo e soube administrar a vantagem. O Atlético foi uma equipe sem qualquer inspiração durante a maior parte do jogo. O time alvinegro só incomodou a defesa adversária em jogadas de bola parada numa demonstração da fragilidade do seu ataque. Só nos minutos finais é que a equipe de Thiago Larghi partiu para o ataque e desperdiçou algumas chances para empatar.

Na próxima rodada, o Flamengo vai enfrentar o Bahia, na Fonte Nova; o Atlético-MG vai receber o Sport, no Independência.

Lucas Paquetá marcou o gol da vitória do Flamengo
Lucas Paquetá marcou o gol da vitória do Flamengo

Foto: Celso Pupo / Fotoarena / Estadão Conteúdo

O jogo

Logo no primeiro minuto de jogo, o Flamengo marcou. O peruano Trauco investiu pela esquerda em grande arrancada e cruzou para Willian Arão, livre na área. O meia rubro-negro bateu, de primeira, no canto direito de Víctor.

Desnorteado pelo gol sofrido no primeiro ataque do adversário, o Atlético não conseguia armar jogadas ofensivas e se limitava a trocar passes no meio campo sem causar danos à retaguarda da equipe da casa.

Motivado e contando com o apoio da torcida, o Flamengo criou nova situação de perigo aos oito minutos, Trauco, novamente, fez ótimo lançamento para Lucas Paquetá que tentou usar a cabeça para levar vantagem sobre a zaga, mas a bola correu demais e Victor fez a defesa.

Os atacantes da equipe carioca marcavam a saída de bola atleticana e os zagueiros eram obrigados a dar chutões para tirar a bola da defesa, prejudicando a ação dos meias e atacantes.

Aos 13 minutos, após cruzamento de Matheus Sávio, Henrique Dourado conseguiu colocar a bola nas redes, mas a arbitragem invalidou a jogada, marcando impedimento do Ceifador.

Aos 22 minutos, o Atlético-MG deixou tudo igual. Pará derrubou Fábio Santos ao lado da área. Luan levantou na área e Leonardo Silva subiu mais do que todo mundo para cabecear e colocar a bola nas redes cariocas.

Depois do gol de empate, o Atlético passou a controlar melhor o jogo e a trocar passes com mais objetividade, mas o Flamengo não reduziu seu ritmo, o que tornou o jogo mais equilibrado, com intensa disputa entre as duas intermediárias.

Aos 34 minutos, Maidana fez lançamento para Chará na área. O colombiano bateu forte para grande defesa de Diego Alves que evitou a virada do time mineiro.

Logo depois, o técnico Thiago Larghi decidiu alterar a forma de jogar da equipe e trocou o argentino Tomás Andrade pelo equatoriano Cazares.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Flamengo voltou a ser mais ofensivo e empurrou o Atlético-MG para trás, mas encontrava dificuldades para concluir as jogadas.

Jogadores do Flamengo comemoram gol de Willian Arão
Jogadores do Flamengo comemoram gol de Willian Arão

Foto: André Fabiano / Código 19 / Estadão Conteúdo

No último lance importante do primeiro tempo, Cuéllar recebeu de Paquetá, na entrada da área, e chutou forte, mas a bola passou longe da trave mineira.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com Vitinho na vaga de Matheus Sávio. E o primeiro momento de perigo aconteceu aos seis minutos quando Éverton Ribeiro acionou Vitinho e o atacante chutou forte, mas Emerson desviou para escanteio.

Aos oito minutos, o Flamengo passou à frente. A exemplo do que aconteceu no primeiro gol, Trauco fez boa jogada pela esquerda e cruzou para a cabeçada certeira de Lucas Paquetá.

Depois de desempatar , o Flamengo passou a atuar com mais tranquilidade, tocando a bola com inteligência, enquanto o Atlético errava muitos passes e não conseguia construir boas jogadas de ataque.

Aos 19 minutos, Paquetá recebeu de Vitinho, invadiu a área e se chocou com Luan. O jogador rubro-negro pediu a marcação de pênalti, mas o árbitro nada viu de irregular no lance.

O Atlético não conseguia se acertar e só aparecia nos erros do Flamengo, como aconteceu aos 20 minutos. O goleiro Diego Alves saiu jogando errado e Chará ficou com a bola, mas Trauco conseguiu evitar a conclusão do adversário. Dois minutos depois, Luan recebeu de Cazares e chutou forte, mas a bola saiu, levando perigo para o gol carioca.

Para defender o resultado, o técnico Maurício Barbieri tirou o atacante Henrique Dourado e colocou o volante Piris da Motta. Aos 30 minutos, o time mineiro, mesmo sem jogar bem, quase chegou ao empate. Após cruzamento de Fábio Santos, a bola desviou em Léo Duarte e bateu no travessão. O golero Diego Alves foi mais rápido do que os atacantes mineiros e ficou com o rebote.

Com três volantes, o Flamengo bloqueava a entrada da sua área e impedia que o time alvinegro chegasse ao ataque em boas condições para finalizar. O atacante Vitinho que havia entrado no intervalo, foi substituido por Marlos Moreno.

Sem outra alternativa, o Atlético-MG se lançou ao ataque e poderia ter chegado ao empate aos 44 minutos. Após cruzamento na área, a bola sobrou para o zagueiro Leonardo Silva que chutou com perigo, mas a bola saiu. No último minuto dos acréscimos, o Atlético-MG quase deixou tudo igual. Cazares bateu falta, a bola desviou em Réver e se chocou com o travessão.

Leonardo Silva comemora gol do Atlético-MG
Leonardo Silva comemora gol do Atlético-MG

Foto: André Fabiano / Código 19 / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO-RJ 2 x 1 ATLÉTICO-MG

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 23 de setembro de 2018, domingo

Horário: 16h00 (horário de Brasília)

Público: 36.018 pagantes

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)

Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)

Cartão Amarelo: Pará. Henrique Dourado(Fla); Emerson, Denilson(Atlet)

Gols:

FLAMENGO: Willian Arão no primeiro minuto do primeiro tempo e Lucas Paquetá, aos oito minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Leonardo Silva, aos 22 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Réver, Léo Duarte e Trauco; Cuéllar, Willian Arão, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Matheus Sávio(Vitinho)(Marlos Moreno); Henrique Dourado(Piris da Motta)

Técnico: Maurício Barbieri

ATLÉTICO-MG: Victor; Emerson, Léo Silva, Maidana e Fábio Santos; José Welison, Elias, Tomás Andrade(Cazares) e Luan(Edinho); Chará e Ricardo Oliveira(Denilson)

Técnico: Thiago Larghi

 

Gazeta Esportiva

Atlético-MG confirma acerto com atacante Ricardo Oliveira até fim de 2019

O Atlético-MG anunciou a contratação do atacante Ricardo Oliveira nesta quinta-feira. O jogador acertou por duas temporadas. Segundo o clube, o contrato só será efetivado após a aprovação nos exames médicos.

Ricardo Oliveira marcou 12 gols em 40 jogos pelo Santos em 2017 (Foto: Marcos Ribolli)

Ricardo Oliveira marcou 12 gols em 40 jogos pelo Santos em 2017 (Foto: Marcos Ribolli)

Aos 37 anos, Ricardo Oliveira soma 40 jogos na temporada e 12 gols. O camisa 9 ainda deu duas assistências. Nessa quarta-feira, ele divulgou uma mensagem de despedida para o Santos, clube que o acolheu nas últimas temporadas.

A chegada de Ricardo Oliveira pode sinalizar a saída de Fred. Nos bastidores do Galo, o clube comenta que ainda não há definição sobre a situação do atacante, mas que em alguns dias devem acontecer novidades. A questão financeira é a principal causa da possível negociação de Fred com o Flamengo.

Concorrência do rival

Para fechar com Ricardo Oliveira, o Atlético-MG venceu a concorrência do arquirrival Cruzeiro e de outras equipes do Brasil. Segundo fontes ligadas à negociação, o jogador era uma opção de ataque da Raposa, que busca um centroavante.

Antes de fechar o acordo, na última terça-feira, o representante Augusto Castro disse que a opção do atacante seria o Atlético-MG por conta da boa relação do goleador com o técnico Oswaldo de Oliveira.

GE

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

São Paulo perde do Atlético-MG em dia de homenagens

O ambiente no Morumbi foi todo montado pela diretoria para lembrar a Libertadores de 1992, título que completou 25 anos nesse sábado. Mas os jogadores atuais do São Paulo não merecem os nomes que levaram em suas camisas neste domingo. Em mais uma atuação irregular, perderam por 2 a 1 para o Atlético-MG, no Morumbi.

Jales Valquer / Fotoarena
Jales Valquer / Fotoarena

Foto: LANCE!

O time levou gol de Cazares, aos sete minutos de jogo, melhorou após o intervalo e empatou com Marcinho, antes do primeiro minuto do segundo tempo. Mas Rafael Moura definiu o resultado, aos 35.

O São Paulo para nos dez pontos e perde força na briga por vaga na Libertadores. Volta a entrar em campo na quarta-feira, às 21h45, em visita ao Atlético-PR, em Curitiba. Melhor para o Galo, que chega a nove ponto, sai das últimas posições e ganha ânimo para receber o Sport, na quarta.

Um fim de domingo frustrante para os mais de 22 mil presentes no Morumbi. Por inspiração no primeiro Tricolor sul-americano ou por suas convicções, Rogério Ceni armou o time para jogar na frente. Em seu já costumeiro 3-4-3, não pôde contar com Rodrigo Caio, vetado por edema na coxa esquerda, e resolveu apostar na frente em Wellington Nem e Cueva nas pontas.

A postura rendeu pressão ao Atlético-MG nos primeiros minutos, mas logo os erros individuais no setor ofensivo – como tem sido comum, Cícero pouco aparecia e Wellington Nem errava tudo que tentava. E o filme de lamentação à torcida se repetia no trio de zagueiros.

Aos sete minutos, Lucão logo deu argumentos a quem sempre pede Lugano no seu luga: entregou a bola no pé do Galo e, rapidamente, ela foi para Cazares, pouco incomodado, mandá-la nas redes.

Toda a confiança são-paulina sumiu à medida que se provava que a marcação não encaixava. O time só criou boas chances no primeiro tempo quando se armou para os contra-ataques, mas foi pouco. O Galo poderia ter ampliado.

Rogério Ceni desistiu de Wellington Nem no intervalo. Trocou-o por Thiago Mendes, que assumiu a ala direita e deixou Marcinho jogar na sua posição original, e o atacante precisou só de 46 segundos para mostrar seu valor, empatando e fazendo seu primeiro gol pelo clube.

Ceni seguiu tentando ajustar o time, abriu mão do 3-4-3, lançou o time à frente. Mas sua zaga não merece confiança, como ficou claro quando Rafael Moura definiu o placar.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 2 ATLÉTICO-MG

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data-hora: 18/6/2017 – 16h
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Neuza Ines Back – SC (Fifa-SC)
Público/renda: 22.704 / R$ 576.735,00
Cartões amarelos: Cueva, Junior Tavares (SAO) Rafael Carioca e Yago (CAM)
Gols: Cazares 0-1 (7’/1ºT), Marcinho 1-1 (1’/2ºT), Rafael Moura 1-2 (35’/2ºT)

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Militão (Bruno, 17’/2ºT), Maicon e Lucão; Marcinho, Jucilei, Cícero (Gilberto, 36’/2ºT) e Junior Tavares; Wellington Nem (Thiago Mendes, intervalo), Pratto e Cueva. Técnico: Rogério Ceni

ATLÉTICO-MG: Victor; Alex Silva, Leo Silva, Felipe Santana e Fábio Santos; Rafael Carioca (Ralph, 22’/2ºT), Yago, Elias e Cazares (Rodrigão, 41’/2ºT); Robinho (Luan, 14’/2ºT) e Rafael Moura. Técnico: Roger Machado

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Com um a menos, Atlético-PR vence o Atlético-MG no Horto

Mesmo jogando com um homem a menos desde os 40 minutos do primeiro tempo, o Atlético-PR venceu o Atlético-MG por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, no Estádio Independência. A partida foi marcada por polêmicas da arbitragem e muita pressão do Galo.

Galo pressionou bastante, mas teve dificuldades para superar o sistema defensivo do time paranaense (Foto: Thomas Santos/AGIF)
Galo pressionou bastante, mas teve dificuldades para superar o sistema defensivo do time paranaense (Foto: Thomas Santos/AGIF)

Foto: LANCE!

O Atlético-PR começou o jogo surpreendendo e conseguindo levar perigo contra a meta do goleiro Victor. Aos dois minutos, Yago bateu de fora da área e assustou. Já aos seis, após uma jogada pela esquerda, Grafite balançou a rede, mas foi marcado impedimento – inexistente – do ataque atleticano.

A partir daí, o Galo cresceu e passou a mandar no jogo. Aos 12 e aos 19, o goleiro Santos salvou o Furacão, em uma chute de Elias e em uma cabeçada de Leonardo Silva. Aos 24, Rafael Moura acertou o poste e no rebote Robinho marcou, mas o lance foi corretamente anulado. Já aos 35, Robinho perdeu uma chance incrível, dentro da pequena área.

Para piorar a situação do clube paranaense, o meia Lucho González foi expulso de campo aos 35 minutos. Apesar de ter ficado com uma posição completamente defensiva, o Atlético-PR não tomou mais sustos na reta final do primeiro tempo.

Na etapa final, o Atlético-PR voltou com uma postura mais defensiva ainda. O técnico Eduardo Baptista sacou Rossetto e Yago e colocou Deivid e Coutinho. O comportamento defensivo deu certo, já que, embora tenha sido dominado, o time não tomou sustos.

Assim, a primeira chance perigosa só aconteceu aos 16 minutos. E foi do time paranaense, que com uma cobrança de escanteio acertou a trave com Deivid, de cabeça – a bola bateu no chão e foi na mão do goleiro Victor. No lance seguinte, o Galo marcou com Rafael Moura, mas a arbitragem invalidou a jogada com um impedimento inexistente.

O Galo tentou pressionar ainda mais, mas era inoperante. Além da ineficiência ofensiva, o time deu bobeira e, após um erro de Felipe Santana, a bola sobrou para Sidcley abrir o placar para o Atlético-PR.

Com o resultado, o Atlético-PR venceu a primeira partida na Série A, mas não deixou a última colocação. Já o Atlético-MG entrou na zona de rebaixamento da competição após um novo revés.

ATLÉTICO-MG 0 X 1 ATLÉTICO-PR

Data/hora: 14/06/2017
Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Cartões amarelos: Lucho, Jonathan, Deivid e Nicolas (CAP); Leonardo Silva e Alex Silva (CAM)
Cartão vermelho: Lucho González, aos 40`1ºT
Público e renda: 19.923 pagantes / R$ 470.175,00
Gols: Sidcley, 44’/2°T (0-1).

ATLÉTICO-MG: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Felipe Santana e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias (Elder, 33`2ºT), Robinho, Valdívia (Otero, 10’/2°T) e Marlone; Rafael Moura. Técnico: Roger Machado.

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rosseto (Deivid, intervalo), Lucho González (Guilherme, 16’/2°T), Nikão (Nicolas, 33`/2ºT), Yago (Coutinho, intervalo); Grafite. Técnico: Eduardo Baptista.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Palmeiras e Atlético-MG empatam sem gols e seguem sem engrenar

Foto: LANCE!

Palmeiras e Atlético-MG fizeram um bom jogo na tarde deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, mas não conseguiram balançar as redes no Estádio Palestra Itália. Com o empate sem gols, os dois times seguem sem engrenar no torneio nacional.

Vindo de derrotas contra São Paulo e Internacional, Cuca modificou completamente o time do Palmeiras para o confronto. Sem Jean e Dudu, por problemas físicos, o treinador ainda sacou Zé Roberto e Felipe Melo, e deixou Borja no banco de reservas, escalando Thiago Santos, Egídio e Willian, respectivamente.

Buscando se impor desde o começo, o Verdão alcançou 60% de posse de bola na primeira etapa, mas teve dificuldades na criação. Com Willian improdutivo entre os zagueiros, e Róger Guedes errando muito pela direita, a melhor oportunidade dos mandantes veio em chute de Keno, que acertou o travessão. Bigode ainda perdeu um pênalti na reta final da primeira etapa.

Já o Galo, apesar da formação ofensiva com Cazares, Otero, Robinho e Fred, não teve nenhuma oportunidade na etapa inicial. O segundo tempo seguiu sem emoções para o ataque do Galo, tanto que Róger Machado logo optou pelas entradas de Rafael Moura e Valdivia, que fez sua estreia pelo clube alvinegro, enquanto Robinho e Fred deixaram o campo.

Já o Alviverde seguiu pressionando pelo gol na etapa final, mas não teve sucesso. Borja, que entrou no intervalo no lugar de Róger Guedes, Michel Bastos e Erik foram as opções de Cuca, mas o Palmeiras abusou do chuveirinho na área e não conseguiu furar o bloqueio atleticano.

Sem descanso, o Palmeiras volta a campo já na próxima quarta-feira, quando visita o Coritiba, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Couto Pereira. No mesmo horário, o Atlético-MG recebe o Avaí no Estádio Independência.

O JOGO

Ao contrário dos dois últimos jogos, o Palmeiras começou a partida deste domingo demonstrando uma postura diferente e partindo para cima do Atlético-MG. Com a falha de Victor, a primeira oportunidade veio logo aos dois minutos. Egídio cruzou na área, o goleiro do Galo soltou a bola e ela quase sobrou para Willian, mas Fábio Santos afastou pela linha de fundo.

Com muito mais posse de bola, o Palmeiras tentava pressionar o Atlético-MG, que só se defendia, e teve uma chance claríssima de gol aos 14 minutos. Thiago Santos dominou na entrada da área e levantou na segunda trave. Willian ajeitou para Keno e o camisa 27 bateu de primeira com a canhota, mandando a bola no travessão de Victor, que só observou.

Apesar da boa partida tecnicamente, a emoção só voltou ao confronto aos 25 minutos. Guerra cobrou escanteio com perigo pela esquerda, a bola saiu com veneno e Fabio Santos cortou o lance antes da finalização de Mina, que iria só empurrar para o gol.

O Galo praticamente assistia o Verdão com bola e não conseguia criar nas tentativas de contra-ataques. A única chance do Galo na primeira etapa surgiu por conta de um erro do Verdão. Com 28 jogados, Fred recebeu pela esquerda e rasteiro na área. Egídio, sem saber que estava sozinho, cortou com um carrinho e quase mandou contra as próprias redes.

No final da primeira etapa, o Alviverde ainda desperdiçou uma penalidade, que o deixaria em vantagem para o intervalo. Egídio cobrou escanteio na área e Fred empurrou Edu Dracena em infração clara. Por reclamação, Victor e Robinho ainda receberam o cartão amarelos antes de o goleiro atleticano defender o chute de Willian e manter o empate sem gols.

Keno foi o melhor palmeirense na partida Melhor em campo o primeiro tempo, Keno seguiu sendo o palmeirense mais lúcido na segunda etapa. Com cinco minutos, o camisa 27 aproveitou a presença de área de Borja, que entrou na vaga de Róger Guedes no intervalo, e construiu bela jogada pela esquerda, limpando o marcador e tocando para trás. O colombiano bateu de primeira, mas Fábio Santos tirou a bola já quase em cima da linha.

O Palmeiras seguiu tentando pressionar pelo gol, mas encontrava muita dificuldade para furar o bloqueio visitante. Michel Bastos, que entrou no lugar do exausto Keno, não produziu e errou a maioria dos passes e finalizações que fez. Já Erik, opção na vaga de Willian, mostrou qualidade quando teve a bola, mas pouco participou do jogo.

Com 29 jogados do segundo tempo, o Galo finalmente deu sua primeira finalização de perigo. Maicosuel abriu na direita para Cazares, Egídio errou o bote e ela ficou para colombiano chutar. Com a bola pingando, o meia emendou uma bomba de longe, mas Fernando Prass fez linda defesa.

Na reta final, já com 41 minutos, Fernando Prass salvou o Palmeiras. Maicosuel fez linda jogada pela esquerda, invadiu a área e ficou de frente com o palmeirense, que pegou o chute no reflexo, mandando para escanteio.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo-SP

Data: 4 de junho de 2017, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Dibert Pedrosa Moises e Michael Correia (ambos RJ)

Público: R$ 2.118.118,74

Renda: 34.240 torcedores

Cartões amarelos: Thiago Santos e Michel Bastos (PAL); Victor, Yago e Robinho (CAM)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Yerry Mina e Egídio; Thiago Santos, Tchê Tchê e Guerra; Róger Guedes (Borja), Keno (Michel Bastos) e Willian

Técnico: Cuca

ATLÉTICO-MG: Victor; Alex Silva, Gabriel, Felipe Santana e Fábio Santos; Rafael Carioca e Yago; Otero (Maicosuel), Cazares e Robinho (Valdivia); Fred (Rafael Moura)

Técnico: Roger Machado

Gazeta

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Atlético-MG vence Libertad e lidera grupo na Libertadores

No Independência, o Atlético-MG recebeu o Libertad-PAR pela 4ª rodada da Libertadores. Com ambas as equipes empatadas com 4 pontos, só a vitória interessava para o Galo.

AFP
AFP

Foto: LANCE!

Foi sofrido, mas o Galo venceu por 2 a 0, gols de Robinho e Cazares, assumindo a liderança do Grupo 6. Na próxima rodada, o Atlético-MG vai até o estádio Samuel Vaca Jimenez, enfrentar o Sport Boys-BOL, enquanto o Libertad receberá o Godoy Cruz-ARG, em um duelo de vida ou morte.

O Jogo

O primeiro tempo foi de domínio absoluto do Galo. A primeira chegada foi aos 2 minutos, após lindo drible de Otero, mas o cruzamento do venezuelano não achou ninguém na área. O Libertad teve sua única chance minutos depois, na finalização de Medina para boa defesa de Victor. Aos 12, Otero cobrou falta com veneno, Muñoz espalmou e no rebote, Fred finalizou na rede pelo lado de fora. Buscando superar a catimba dos paraguaios, o Galo voltou a assustar aos 27, mas Rafael Carioca finalizou por cima do gol. Na última chance da primeira etapa, Otero cobrou falta forte e a bola explodiu no travessão.

No segundo tempo, a primeira oportunidade foi novamente do Galo, quando Leonardo Silva subiu mais alto que a defesa, mas cabeceou para fora. Depois, Roger colocou Rafael Moura, tirando o venezuelano Otero, que era o melhor do Atlético-MG na partida. A partir disso, a equipe paraguaia melhorou e passou a dominar a partida. Aos 18, a bola ficou para Aquino, na pequena área, mas Victor operou um milagre e salvou o Galo no Horto.

Dois minutos depois, o Libertad quase aproveitou o vacilo da dupla de zagueiros, mas a bola saiu em escanteio. No pior momento da equipe, os craques resolveram: aos 26, Fred fez o pivô e tocou para Robinho abrir o placar, 1 a 0. A partida voltou a ficar sob o domínio do Galo, que ampliou no fim: aos 43, Rafael Moura chutou e no rebote, Cazares, que entrou depois do primeiro gol, selou a vitória e a liderança do grupo, 2 a 0.

Lance

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cruzeiro bate Atlético-MG e mantém invencibilidade de 2 anos

A Raposa segue sem perder para o Galo. Em duelo na tarde deste sábado, no Mineirão, pela 10ª rodada do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro venceu o Atlético-MG, por 2 a 1, e segue sem perder para o maior rival. O resultado, no entanto, não muda em nada a posição das equipes na tabela – alvinegros seguem na primeira colocação e celestes na segunda.

Arrascaeta, jogador do Cruzeiro comemora gol durante partida no Mineirão.
Arrascaeta, jogador do Cruzeiro comemora gol durante partida no Mineirão.

Foto: Thomas Santos/ Agif/Gazeta Press

O jogo foi de certa forma fácil para o Cruzeiro. Isso porque o time azul abriu o placar logo aos 2 minutos. Com o resultado a seu favor, a Raposa esperou o Galo em seu campo de defesa e conseguiu se planejar para deixar o campo vitoriosa.

Os times voltam a campo no próximo domingo, às 16h, o Galo contra a Caldense, em Poços de Caldas, e a Raposa contra o Democrata de Governador Valares, no Mineirão.

Primeiro tempo

O Cruzeiro não precisou de muito tempo para iniciar seu jogo. Logo no primeiro ataque perigoso, a boa jogada feita na ponta esquerda, a bola sobrou para Thiago Neves e ele colocou a a redonda no fundo das redes.

Após o gol, o Cruzeiro passou a adotar uma postura mais defensiva. O Atlético seguia com a posse de bola, mas ambas equipes mostravam que seus jogos seriam assim. Desta forma, a Raposa se defendia bem e descia em velocidade nos contra-ataques.

O Cruzeiro via o Atlético jogar, mas não levava sustos. Se comportava bem em campo, sem problemas na sua defesa. O Galo, por sua vez, não conseguia criar. Mas nem todos os problemas atleticanos já estavam apresentados. Na metade do primeiro tempo, o atacante Fred foi expulso – justamente -, após agredir o zagueiro Manoel, e atrapalhou os planos do técnico Roger Machado.

Após o cartão vermelho, a postura mudou. O Galo passou a se defender mais e a Raposa com mais posse de bola. Mas ainda assim a equipe alvinegra encontrava problemas defensivos, pois o meia Cazares não voltava para ajudar na marcação. Por isso, o técnico Roger Machado mandou a campo Luan.

A alteração fez o Galo melhorar. O jogador ajudava na marcação e ainda fazia certa diferença na frente. Nada suficiente para mudar o placar no primeiro tempo.

Segundo tempo

O Galo voltou melhor no segundo tempo. A postura atleticana tinha melhorado, voltando a ter mais a posse de bola. A Raposa esperava. No intervalo, o técnico Roger Machado mudou o posicionamento de seus homens de frente, colocando Robinho mais centralizado e Luan e Otero pelos lados.

Aos 13 minutos, Arrascaeta recebeu a bola na área, chutou forte e levou mais problemas ao Atlético, pois balançou as redes fazendo o segundo da Raposa na partida.

Após o gol, o jogo perdeu qualidade. O Atlético tentava se superar, ficou desorganizado, sobretudo, por causa da expulsão. A Raposa, mais organizada, esperava o Galo errar para tentar o terceiro gol. No finalzinho, quem fez o gol, entretanto, foi o Atlético. Elias aproveitou a bola de Rafael Moura e marcou seu tento.

No final da partida, Rafael Moura marcou o gol do empate, mas o jogador estava em posição irregular e o impedimento foi marcado.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 2 X 1 ATLÉTICO

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Data: 01 de abril de 2017, Sábado

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Igor Júnior Benevenuto

Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Júnio de Souza

Gols: Thiago Neves, aos 2 minutos do primeiro tempo, Arrascaeta, aos 13 do segundo tempo (Cruzeiro), Elias, aos 42 do segundo tempo (Atlético)

Cartões: Ariel Cabral, Diogo Barbosa, Ezequiel, Rafael Sóbis, Lucas Silva, Rafael (Cruzeiro); Marcos Rocha, Elias, Rafael Moura (Atlético)

Cartão Vermelho : Fred (Atlético)

CRUZEIRO – Rafael, Ezequiel, Léo, Manoel, Diogo Barbosa, Hudson, Ariel Cabral (Lucas Silva), Thiago Neves, Rafinha (Ramon Ábila), Arrascaeta, Rafael Sóbis.

Técnico: Mano Menezes

ATLÉTICO – Giovanni, Marcos Rocha, Leo Silva, Gabriel, Fábio Santos, Rafael Carioca, Elias, Cazares (Luan), Otero (Marlone), Robinho (Rafael Moura) e Fred.

Técnico: Roger Machado

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Fred marca três vezes na goleada do líder Atlético-MG sobre o América-MG

atleticoPassadas quatro rodadas da edição 2017 do Campeonato Mineiro, apenas o Atlético-MG segue com 100% de aproveitamento na competição. Na quarta rodada a equipe treinada por Roger Machado venceu o clássico com o América-MG, por 4 a 1. Fred fez três e ainda deu a assistência para o gol de Maicosuel. Hugo Almeida descontou para o rival.

Com os gols no clássico, Fred chegou a cinco no Campeonato Mineiro e se isola na artilharia da competição. A partida com o América-MG marcou também o retorno de Robinho aos gramados. Após desfalcar o time por cinco partidas, entre Estadual e Primeira Liga, o atacante entrou durante o segundo tempo fez sua estreia na temporada 2017.

Fred marca três vezes e leva a bola do jogo para casa

“Fazer gols no clube que já joguei é especial”, declarou Fred dois dias antes do clássico com o América-MG. E o centroavante do Atlético-MG viveu essa situação três vezes neste domingo. O camisa 9 marcou os três primeiros gols do Atlético no clássico com o América-MG. Como promoção divulgada pela Federação Mineira de Futebol, Fred vai levar a bola do jogo para casa. O atacante atleticano é o artilheiro do Estadual com cinco gols. Na goleada sobre o América, Fred ainda teve tempo de dar uma assistência.

Robinho entra no segundo tempo e tem participação discreta

Aos 21 minutos da etapa final o técnico Roger Machado colocou Robinho em campo, no lugar de Cazares. Desfalque nos primeiros jogos do ano, por causa de uma lesão na costela, Robinho fez sua estreia na temporada 2017 pelo Atlético. No entanto, o camisa 7 teve participação discreta nos minutos que ficou em campo. É verdade que sofreu algumas faltas, mas errou passes e não conseguiu puxar os contra-ataques. Robinho apareceu bem já no final da partida, quando deu o passe para Fred fazer o terceiro dele no clássico.

Camisa sem listras nas costas faz Atlético jogar de branco

Por ser o mandante no clássico com o América-MG, o Atlético poderia jogar com a camisa tradicional, preta e branca. No entanto, o modelo provisório, utilizado nos primeiros meses de 2017 não tem listras nas costas. Para evitar confusão com o América jogando de branco, ficou decidido que o Atlético jogaria com a camisa branca e o América com a preta e verde.

Domingo de aquecimento para o Carnaval e com muitas crianças

A quantidade de crianças no Mineirão impressionou. E por uma simples razão. Como cortesia para o sócio, o Atlético liberou um acompanhante de até sete anos de idade. Muitos pais aproveitaram o domingo de sol em Belo Horizonte para levar os filhos no estádio. Fez que começou para a torcida alvinegra bem antes de a bola rolar. Em uma ação do clube para os sócios, um aquecimento para o Carnaval aconteceu na esplanada do Mineirão, com a lata de cerveja sendo vendida por R$ 2 para o sócio da modalidade preta e por R$ 4 para o sócio da modalidade prata.

Cazares tenta repetir golaço da final da Copa do Brasil

O Atlético não foi campeão da Copa do Brasil no passado, acabou derrotado pelo Grêmio. Na partida final, em Porto Alegre, o empate em 1 a 1 ficou marcado pelo golaço de Cazares, que percebeu o goleiro Marcelo Grohe adiantado e chutou ainda do campo de defesa. E o camisa 10 do Atlético tentou repetir o golaço neste domingo, contra o América-MG. Aos 31 minutos do primeiro tempo Cazares percebeu João Ricardo adiantado e arriscou, mas dessa vez não acertou o rumo da meta.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 4 X 1 AMÉRICA-MG

Data: 19/02/2017 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Motivo: 4ª rodada do Campeonato Mineiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 29.458 presentes
Renda: R$ 507.715,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA/MG)
Assistentes: Marconi Helbert Vieira e Felipe Alan Costa de Oliveira (ambos MG)
Cartões amarelos: Danilo (CAM) Juninho e Rafael Lima (AFC)
Gols: Fred aos 26 do primeiro tempo; Fred aos 11, Hugo Almeida aos 14 minutos, Fred aos 43 e Maicosuel aos 46 do segundo tempo

ATLÉTICO-MG
Giovanni, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Danilo (Maicosuel, aos 21 do 2º), Otero (Yago, aos 37 do 2º) e Cazares (Robinho, aos 21 do 2º); Fred.
Treinador: Roger Machado.

AMÉRICA-MG
João Ricardo, Auro, Rafael Lima, Messias e Pará; Gustavo Blanco (Rubão, aos 36 do 2º), Juninho, Ernandes, Renan Oliveira e Gérson Magrão (Marion, aos 22 do 2º); Hugo Almeida
Treinador: Enderson Moreira.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cruzeiro vence Atlético-MG e amplia tabu sobre o rival para seis clássicos

cruzeiroQuando se trata de clássico, nenhum outro número agrada mais ao cruzeirense do que o seis, desde 2011. Número que o torcedor celeste vai poder usar para tirar onda com o amigo atleticano nas próximas semanas. Afinal de contas já são seis clássicos que o Cruzeiro não perde para o Atlético-MG. No primeiro duelo de 2017, a quarta vitória azul nesta sequência. Com gol de Arrascaeta a equipe celeste venceu por 1 a 0, pela primeira rodada da Primeira Liga.

Além de vencer o maior rival e ampliar a invencibilidade no clássico para seis partidas, o bom futebol apresentado diante do Atlético também deixou o cruzeirense satisfeito. Mesmo sem Thiago Neves e Lucas Silva, duas das grandes contratações para a temporada, o Cruzeiro foi sempre melhor do que rival. Portanto, um resultado inquestionável, acabando com o jejum de clássicos sem vitórias no Mineirão, que era de sete confrontos.

À vontade no clássico, Arrascaeta faz outro gol

Iniciando a terceira temporada pelo Cruzeiro, o meia Arrascateta já enfrentou o Atlético-MG em outras oportunidades. O jogador uruguaio mostra que está bem à vontade quando o jogo é diante do maior rival. Com o gol pelo duelo da Primeira Liga, Arrascaeta já tem três gols anotados em clássicos com o Atlético. Além de gols, o uruguaio coleciona assistências e boas atuações diante do rival alvinegro.

Felipe Santana sofre com a falta de ritmo

Após deixar o futebol russo, no meio de 2016, o zagueiro Felipe Santana ficou alguns meses sem jogar. O retorno ao futebol aconteceu na estreia do Atlético, no Mineiro, diante do América, de Teófilo Otoni. Ainda sem ritmo e três dias depois do primeiro jogo oficial após um período parado, o defensor mostra que ainda está sem ritmo. O gol do Cruzeiro deixa claro como Felipe Santana sofre para readquirir a forma técnica e física. O camisa 26 do Atlético errou o tempo de bola, deixando Arrascaeta sozinho com Giovanni. No segundo, uma nova falha e mais susto para os atleticanos, mas o Cruzeiro não aproveitou a chance.

Mano supera Roger no primeiro duelo de gaúchos

Com dois técnicos nascidos no Rio Grande do Sul, os clássicos entre Cruzeiro e Atlético vão ter um gostinho de Gre-Nal em 2017. No primeiro deles, melhor para Mano Menezes. O Cruzeiro foi muito melhor do que o Atlético, em todos aspectos. Abafa e controle do jogo até abrir o placar. Depois uma marcação eficiente com uma equipe postada para o contra-ataque. Não fosse as oportunidades perdidas pelos atacantes, o resultado poderia ser ainda melhor. Um ótimo alento para quem espera voltar a brigar por títulos nesta temporada.

Sem criar, Atlético apela para o lateral alçado na área

O Atlético trocou mais passes do que o Cruzeiro, mas quase sempre no campo de defesa. Com muita dificuldade para chegar perto da área adversária, o time alvinegro voltou a apelar para um velho recurso: bola alçada na área através da cobrança de lateral. Isso ocorreu em pelo menos cinco oportunidades, a primeira delas antes dos 15 minutos de jogo. Mas nada funcionou. Embora já mostre um melhor posicionamento em campo, o time de Roger Machado está muito longe do que espera a torcida alvinegra.

Duelo das torcidas foi o ponto alto da noite

É claro que o cruzeirense deixou o Mineirão muito mais satisfeito do que o atleticano. Mas se teve algo que agradou a todo mundo foi o duelo de torcidas, para ver quem cantava mais alto. Após quatro anos o clássico voltou a ter as duas principais torcidas do estado divididas meio a meio. Desde a abertura dos portões, por volta das 17h30, quando entraram os primeiros torcedores no estádio, já era possível ver a disputa de quem contaria mais. Nesse ponto, vitória do futebol mineiro.

Reforços de Cruzeiro e Atlético foram no Mineirão

Anunciados como reforços do Cruzeiro e do Atlético-MG nos últimos dias, os volantes Lucas Silva e Elias, respectivamente, estiveram no Mineirão na noite desta quarta-feira. Ainda sem condições de jogo, os atletas foram acompanhar o clássico mineiro. Novato em Belo Horizonte, Elias chegou a o estádio com a delegação atleticana, enquanto Lucas Silva já conhece muito bem a capital mineira e não fazia parte da delegação cruzeirense. Ambos acompanharam a partida dos camarotes do Mineirão.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 0 ATLÉTICO-MG

Data: 01/02/2017 (quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: 1ª rodada da Primeira Liga
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 39.811 pagantes
Renda: R$ 1.139.052,00
Árbitro: Wanderson Alves de Souza (MG)
Assistentes: Luiz Antônio Barbosa (MG) e Felipe Alan de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Rafael Sóbis, Ezequiel e Alisson (CRU) Yago, Lucas Pratto, Ralph, Fábio Santos e Gabriel (CAM)
Cartão vermelho: Robinho (CRU)
Gols: Arrascaeta aos 27 do primeiro tempo

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Henrique (Hudson, no intervalo), Ariel Cabral, Robinho e Arrascaeta (Rafinha, aos 36 do 2º); Alisson e Rafael Sóbis (Ábila, aos 28 do 2º).
Treinador: Mano Menezes.

ATLÉTICO-MG
Giovanni, Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago (Ralph, no intervalo), Otero, Maicosuel (Clayton, aos 28 do 2º) e Cazares (Rafael Moura, aos 40 do 2º); Lucas Pratto.
Treinador: Roger Machado.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br