Arquivo da tag: atitude

Em Caiçara, Cidade da Leitura, grupo Atitude aposta em cordéis para conquistar mais leitores

leituraO Grupo Atitude, ONG que promove a leitura e a cultura em Caiçara, iniciou os trabalhos de 2017 com a apresentação de um novo acervo de cordéis adquiridos da Editora Luzeiro, de São Paulo. Para prestigiar o lançamento, no último sábado, estiveram na cidade o pesquisador de literatura de cordel José Paulo Ribeiro e o cordelista Paulo Gracino, ambos de Guarabira.

O Grupo e os convidados creem que o cordel, além de ser o gênero que melhor representa a cultura nordestina, pode motiva a leitura em todas as idades. São romances, aventuras fantásticas, engraçadas, de bravura, críticas, etc. que também podem atrair leitores e também servir para variados projetos de leitura nas escolas.

O acervo foi destaque na “Barraca da Leitura”, biblioteca itinerante que a quase 2 anos funciona na feira livre da cidade e no “Programa Atitude”, da rádio comunitária da cidade onde o pesquisador Zé Paulo falou dentre outros temas, da história do cordel, dos gêneros, das principais obras e autores, e do uso educacional do cordel. O premiado cordelista Paulo Gracino comentou suas obras, seu mais novo formato o “microcordel” e realizou doação para o Grupo.

O Grupo Atitude, além da barraca na feira, leva leitura para os presos da cadeia da cidade, mantêm três bibliotecas comunitárias e três pontos de leitura em parceria com comerciantes locais, em todos eles existem “cordeltecas” que agora terão seus acervos ampliados. Pelas ações do Grupo e pelo rol de escritores nascidos no município Caiçara vem sendo reconhecida como a “Cidade da Leitura”.

Assessoria

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Aliado de RC em Guarabira detona atitude dos deputados Raniery e Camila por assinatura na CPI do Empreender

deputadosAliado do governador Ricardo Coutinho (PSB), o empresário guarabirense Gilson Cândido que também é Diretor da UPA da capital do brejo, se mostrou revoltado com a posição dos deputados de Guarabira, Raniery Paulino e Camila Toscano, em assinar um pedido de CPI na Assembleia Legislativa da Paraíba para investigar a liberação de empréstimos do Empreender PB.

Gilson usou sua conta na rede social facebook para alfinetar os conterrâneos.

“Lamentável a postura dos deputados Camila e Raniery em se posicionarem contrários ao maior programa de incentivo a pequenos empreendedores na Paraíba”, disse.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Em seguida o empresário bateu forte ao afirmar que as famílias dos deputados – Paulinos e Toscanos – governaram Guarabira por cerca de 40 anos e nunca criaram programas de incentivo ao emprego. “Os mesmos representam na AL grupos que governam Guarabira a mais de quarenta anos e nunca foram capazes de criar nada para incentivar a geração de emprego e renda na cidade”, alfinetou o empresário ao Expressopb.

Cândido enalteceu o programa Empreender do Governo do Estado. “O Empreender que no último sábado liberou mais de um milhão de reais para pequenos empreendedores de Guarabira e região beneficiando diretamente cerca de duzentas famílias”.

Ao final da postagem o empresário colocou as duas principais famílias políticas de Guarabira no mesmo patamar: “Os Paulino e Toscano provando serem um só por suas atitudes”, finalizou.

PB Agora

CEDH-PB repudia atitude “arbitrária” da juíza da Comarca de Alagoinha

 

NOTA DE REPÚDIO

O CONSELHO ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS DO ESTADO DA PARAÍBA – CEDHPB vem a público prestar sua solidariedade aos policiais militares Cabo José Jair de Santana, Cabo Haroldo José Chaves de Paiva e Soldado Tiago dos Santos Lima pelo fato ocorrido aos 11 dias do mês de fevereiro do corrente ano, quando no Fórum da Comarca de Alagoinha- PB foram submetidos a tratamento vexatório e humilhante, tendo os dois primeiros recebido voz de prisão arbitrária da Juíza Titular, Belª Inês Cristina Sellbman, por não terem acatado o cumprimento de ordem verbal sem nenhuma fundamentação legal dada pela referida magistrada. A magistrada determinara ainda de forma abusiva que os três militares fossem desarmados.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Conselho Estadual de Direitos Humanos do Estado da Paraíba -CEDHPB repudia todas as formas de violações de direitos, e se coloca à disposição de quaisquer cidadãos que venham a sofrer limitações em seus direitos constitucionais fundamentais, que não podem ser tolhidos por atitudes fincadas no abuso de autoridade.
João Pessoa, 14 de fevereiro de 2014.

João Bosco Francisco do Nascimento
Presidente do CEDHPB

SINDSOL apóia a luta dos companheiros de Santa Rita e repudia a atitude do Prefeito do Município

Companheiros de Santa Rita travam uma luta valente por seus direitos e me pediram para divulgar os fatos; o SINDSOL repudia a atitude do Prefeito- Coronel de Santa Rita.

 

Professores de Santa Rita ocupam prefeitura

Lissandro Saraiva(Tanque)- Professor de Santa Rita

                A cidade de Santa Rita faz parte da grande João Pessoa, é uma das maiores cidades do estado e tem o 4º maior PIB, os professores da rede municipal estão em greve desde o dia 20 de março na luta pelo cumprimento da lei do Piso Nacional, e pelo reajuste de 22% retroativo a Janeiro.

A prefeitura foi pressionada pelo ministério público e apresentou uma ridícula proposta de 10% de reajuste dividido em duas vezes (5% Novembro + 5% dezembro), que foi rapidamente rechaçada pela categoria, que encontra-se em um alto grau de mobilização com mais de 85% das escolas fechadas e com assembléias ocorrendo quase que diariamente e lotadas.

Hoje, 04 de abril seria o dia do pagamento dos salários dos servidores e toda a categoria foi surpreendida com descontos dos salários, esse desconto foi feito de forma abusiva, ilegal e imoral.

A greve não foi julgada ilegal, além do mais a administração descontou valores diferenciados chegando ao cúmulo de professores terem seus saldos bancários negativados, o desconto atendeu a todos os gostos e sabores, descontou dos aposentados, dos que estão de licença médica, dos que furaram a greve, dos diretores que são cargos de confiança e etc.

Hoje a categoria demonstrou todo o seu descontentamento, ocupou por toda a manhã a sede da prefeitura, realizou uma assembléia na mesma, e decidiu continuar a greve e que só retornará as aulas quando for fechado o acordo e quando a prefeitura devolver os salários surrupiados. Depois saíram todos em passeata pela principal rua da cidade até a sede do sindicato gritando: “Prefeito, assim você nos mata! Ai se eu te pego, ai se eu te pego…”

A assembléia aprovou também que o jurídico do sindicato deve entrar ainda hoje com um mandato de segurança para garantir o pagamento do restante do salário, a direção do sindicato teve uma reunião no período da tarde com um representante da prefeitura e o ministério público. O promotor deu um prazo de até segunda-feira para a prefeitura se explicar sobre os descontos indevidos, na próxima segunda, pela manhã, também acontecerá uma nova assembléia para avaliarmos a greve e tirarmos novos encaminhamentos.

Elmar Neto

ONU condena atitude do STJ por absolver estuprador

 

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) condenou nessa quinta-feira (5) a decisão do Tribunal Superior de Justiça (STJ) de absolver um homem acusado de estuprar três meninas de 12 anos sob a presunção “que elas se prostituíam”.

“É inconcebível que a vida sexual de uma menina de 12 anos de idade possa ser utilizada para revogar seus direitos”, declarou Amérigo Incalcaterra, representante regional do ACNUDH para a América do Sul, em comunicado divulgado pelo escritório, com sede em Santiago do Chile.

“Esta decisão abre um precedente perigoso e discrimina as vítimas tanto pela idade quanto pelo gênero”, acrescentou.

Incalcaterra indicou que a decisão do STJ viola vários tratados internacionais de direitos humanos ratificados pelo Brasil, como a Convenção sobre os Direitos da criança, e ressaltou que todos os tribunais têm a obrigação jurídica de interpretar e aplicar esses convênios.

Por sua vez, o representante do ACNUDH “acolheu com satisfação” as críticas feitas pelo Governo Federal, por meio da Secretaria de Direitos Humanos do Brasil, sobre a sentença e ofereceu a assistência e cooperação de seu escritório ao Poder Judiciário desse país em matéria de padrões internacionais de direitos humanos.

O Superior Tribunal de Justiça se apoiou em uma decisão do Supremo Tribunal Federal, máxima corte constitucional do país, que em 1996 determinou que “a presunção de violência no estupro de menores de 14 anos é relativa”.

A decisão não é final, ainda cabe recurso ao próprio STJ e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Com agências