Arquivo da tag: Atendimentos

Atendimentos por acidentes de trânsito caem durante quarentena

Os números de acidentes de trânsito no estado da Paraíba diminuíram desde o início da quarentena causada pelo novo coronavírus, que começou na segunda metade de março. Dados recolhidos pelos principais hospitais de referência a esses atendimentos no estado mostram que, ainda assim, a Paraíba registra números altos de vítimas envolvendo acidentes com motocicletas.

Hospital de Trauma João Pessoa

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, registrou redução nos números gerais de atendimento aos acidentados de trânsito. No mês de março, essa redução foi de 12%.

De acordo com o setor de estatística, foram registrados 776 atendimentos, do dia 1º ao dia 31 de março de 2020, número 12,6% menor que o registrado no ano anterior, com 888 entradas. A diminuição também foi sentida em relação às vítimas de acidentes de motocicletas, sendo um pouco menor. Em 2020 foram 629 usuários, enquanto no ano passado 699, representando uma queda de 10%.

No mês de abril, o isolamento social estava com medidas mais rigorosas e os atendimentos diminuíram 25% em comparação ao mês de março. Foram registradas 585 vítimas do trânsito na Capital, sendo acidente com motocicletas (452), acidente de carro (49), acidente com bicicletas (32) e atropelamento (52).

Para o diretor-geral da instituição, Laércio Bragança, essa diminuição é um ponto positivo da medida de contenção, que obrigou a população a ficar em casa. “Com relação aos números de acidentes com motociclistas, se deve pelo fato das pessoas estarem mais em suas residências, consequentemente, aumentarem os pedidos delivery (entrega em casa)”, ressaltou.

Ortotrauma de João Pessoa

O Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma) realizou 3,5 mil atendimentos e aproximadamente 400 cirurgias durante o mês de abril. O número de pacientes que chegaram ao hospital reduziu em relação aos três primeiros meses do ano.

De acordo com a diretora geral do Ortotrauma, Fabiana Araújo, observa-se redução no número absoluto de atendimentos, sem necessidade de internação, entretanto casos graves de vítimas de acidente de trânsito ainda apresentam um fluxo elevado. “O isolamento social serviu como um indicador que a redução do trânsito contribuiu como parâmetro para menos vidas em risco por acidente de trânsito, podendo servir como um alerta para a sociedade”, afirmou.

A unidade hospitalar já realizou 24,8 mil atendimentos este ano, sendo 7,8 mil atendimentos em janeiro; 7 mil em fevereiro; 6,4 mil em março e 3,5 mil em abril. “A situação de pandemia com toda essa situação de vulnerabilidade social, física, psicológica permitiu um estado de reflexão de possibilidade de resgate ao cuidado a si e ao próximo. Em que medidas básicas como higienizar as mãos e etiqueta respiratória podem salvar vidas, assim também obediência às leis de trânsito”, destacou Fabiana Araújo.

Hospital de Trauma Campina Grande

No Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes em Campina Grande, foram registrados 832 atendimentos relacionados ao trânsito, com entradas realizadas a partir do dia 1º ao dia 31 de março de 2020. Sendo eles 680 vítimas de acidente de moto, 49 de acidentes de carro, 52 de acidente com bicicletas e 51 vítimas de atropelamento. A diminuição em relação ao ano anterior foi de 23%, já que em 2019 tiveram 1.094 atendimentos do mesmo tipo.

No mês de abril deste ano, foram realizados 613 atendimentos com vítimas de acidente de trânsito. Sendo 66 por acidentes com bicicletas, 30 envolvendo acidentes de carro, 35 por atropelamento e 482 vítimas de acidente de moto. Número 35% menor que o de 2019, onde foram atendidas 946 pessoas.

Hospital de Patos

O relatório de atendimentos do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, em Patos, Sertão da Paraíba, constata que o número de atendimentos na urgência e emergência da unidade de vítimas de acidentes de trânsito, referente ao período de 1º a 31 de março, também diminuiu consideravelmente.

Em março, foram registrados 266 atendimentos de vítimas de acidente de trânsito, uma redução de 22% comparando ao mês de fevereiro, que, mesmo com dois dias a menos no calendário, contabilizou 342 ocorrências. Essa redução coincide com a adoção das medidas de isolamento social adotadas na Paraíba em função da pandemia da Covid-19.

Outro dado relevante é que, embora tenha havido redução dos acidentes, o número de ocorrências na urgência envolvendo motociclistas se manteve alto. Dos 266 pacientes atendidos, 233 estavam em motos. Os demais casos foram de vítimas de acidentes com bicicletas (19), seguidos de automóveis (7), atropelamentos (6) e ainda uma ocorrência com veículo de tração animal.

Em outra análise, no período de 31 de março a 5 de abril, já contabilizava mais 49 atendimentos de vítimas de acidentes, dos quais 42 envolveram motos, 5 foram com automóveis, um com bicicleta e um atropelamento. Os dados completos do mês de abril de 2020 ainda não foram divulgados.

 

portalcorreio

 

 

Atendimentos em vítimas de acidentes de trânsito reduzem 12% em março, no Hospital de Trauma de João Pessoa

O número de atendimentos de vítimas de trânsito reduziu cerca de 12% no Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Conforme o setor de estatística do hospital, foram registrados 776 atendimentos entre os dias 1º e 31 de março deste ano, número 12,6% menor que o registrado no ano anterior, com 888 entradas.

De acordo com a unidade de saúde, a queda na quantidade de atendimentos aconteceu após a efetivação do isolamento social adotado durante a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo o diretor geral da instituição, Laercio Bragança, o perfil das vítimas também mudou. A maioria dos pacientes sofreu acidentes em BRs e não em centros urbanos, como geralmente acontecia.

G1

 

Acidentes com motos lideram atendimentos no Trauma de Campina Grande

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, atendeu 436 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) durante o fim de semana. O balanço tem como base as entradas realizadas a partir da zero hora do sábado (1) até as primeiras horas desta segunda-feira (3). Os casos envolvendo acidentes com motos lideraram as entradas nos plantões, durante o período.

De acordo com os dados do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, dos 436 atendimentos, 61 foram vítimas de acidentes de moto, e os outros foram vítimas de acidente de automóvel (08), agressão física (13), vítimas de projéteis de arma de fogo (00) e arma branca (03),atropelamentos (03) e acidentes com bicicleta (04). Os demais atendimentos médicos foram na clínica médica e na pediatria.

Conforme o relatório, o município de Campina Grande registrou 26 acidentes de motos nesse fim de semana, seguido por Boqueirão (três), Alagoa Nova (dois), Serra Branca (dois) e Taquaritinga do Norte-PE (dois).

A unidade de saúde disponibiliza 298 leitos, 301 médicos, sendo 64 em regime de plantão presencial 24 horas. O hospital dispõe de seis salas no bloco cirúrgico.

O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes de Campina Grande é referência em trauma para 203 municípios da Paraíba, além de alguns municípios do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará.

MaisPB

 

 

Queda e acidente de moto lideram motivos de atendimentos no Trauma de JP

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, realizou durante o final de semana 547 atendimentos, dos quais 194 foram considerados casos graves ou gravíssimos. O balanço tem como base as entradas realizadas a partir da zero hora da sexta-feira (27) até as primeiras horas desta segunda- feira (30).

Durante o final de semana, as ocorrências envolvendo quedas lideraram as entradas da emergência, com 117 casos, superando motocicletas (83). Outros casos de emergência registrados na unidade de saúde foram de corpo estranho (50), trauma (21), atropelamento (10), queimadura (08), agressão física (13), arma branca (01), acidente de bicicleta (05), corte (04), arma de fogo (04), choque (01) e acidente de automóvel (11). As demais ocorrências foram clínicas com destaques para Acidente Vascular Cerebral (21) e Acidente Vascular (08).

Perfil – O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena atende casos de urgência e emergência, contudo, muitos procuram a instituição para atendimentos clínicos, não levando em consideração o tipo de assistência prestada pela unidade de saúde, voltado para situações de média e alta complexidade, a exemplo de vítimas de trauma (acidentes e desastres), violência, queimadura, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e hemorragias digestivas.

MOTIVO NÚMEROS29/11 à 02/12 NÚMEROS06/12 à 09/12 NÚMEROS13/12 à 16/12 NÚMEROS20/12 à 23/12 NÚMEROS27/12 à 30/12
QUEDA 119 89 122 124 117
ACIDENTE DE MOTO 95 88 94 91 83
CORPO ESTRANHO 53 49 45 58 50
AVC 24 24 26 27 21
PANCADA 20 21 24 15 07
ATROPELAMENTO 17 14 05 12 10
TRAUMA 14 18 26 24 21
ACIDENTE VASCULAR 10 10 14 13 08
AGRESSÃO FÍSICA 09 15 15 11 13
ACIDENTE DE BICICLETA 08 04 10 06 05
QUEIMADURA 08 08 18 16 08
ARMA BRANCA 03 01 06 01 01
ARMA DE FOGO 03 05 03 04 04
ACIDENTE DE AUTOMOVEL 02 05 14 18 11
AFOGAMENTO 00 00 01 00 00
TRAUMA FACIAL 00 02 00 00 01
OUTROS CASOS 194 158 216 211 189
TOTAL  581 493 647 623 547

Secom-PB

 

 

De cada dez atendimentos por acidente no SUS, oito são motociclistas

A cada dez atendimentos por acidente de transporte realizados em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS), oito são motociclistas. Segundo dados do Ministério da Saúde, os homens representaram 67,1% dos atendimentos nas unidades de saúde e as mulheres, 50,1%. A faixa etária mais acometida são os jovens entre 20 e 39 anos. Os números fazem parte da pesquisa VIVA Inquérito 2017, realizada a cada três anos pela pasta.

Em 2018, os acidentes de trânsito causaram 183,4 mil internações que custaram R$ 265 milhões ao SUS. No ano anterior, o número de internações foi 181,2 mil ao custo de R$ 259 milhões, sendo que mais de 50% das internações envolveram motociclistas.

Para reduzir a violência no trânsito, o governo federal lançou a Operação Rodovia 2019. A ação integra órgãos federais, como o Ministério da Saúde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Ministério da Infraestrutura, em articulação com estados e municípios. A operação vai incluir o período de festividades de Natal, Ano-Novo e Carnaval por elevar o fluxo de veículos que circulam nas rodovias federais de todo o país.

O ministério também desenvolve, desde 2010, uma ação nos pontos com maiores problemas, principalmente no que se refere a mistura de “álcool e direção” e à velocidade excessiva e/ou inadequada. O Projeto Vida no Trânsito é realizado em parceria com municípios e ressalta a importância da articulação do setor saúde com o trânsito no cumprimento do Código de Trânsito Brasileiro nos componentes da vigilância (informação qualificada, monitoramento das lesões e mortes e fatores de risco), prevenção e cuidado pré-hospitalar, hospitalar e de reabilitação ofertado às vítimas.

Agência Brasil

 

 

Patrulha Maria da Penha registra mais de 1,2 mil atendimentos nos 100 primeiros dias, na Paraíba

Nos primeiros 100 dias dias de atuação, a Patrulha Maria da Penha, na Paraíba, registrou mais de 1.200 atendimentos, além de conceder 84 medidas protetivas à mulheres, de acordo com o balanço apresentado ao Tribunal de Justiça. O instrumento foi instalado para combater a violência contra a mulher, garantindo maior monitoramento por parte da Polícia Militar e Civil, às vítimas que solicitarem ou já estiverem sob medida protetiva.

De acordo com o presidente do TJPB, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, “os dados são promissores e mostram que passamos a uma importante prática, com o aumento da proteção à mulher, dos flagrantes, das medidas protetivas concedidas e das comunicações estabelecidas”, disse durante a reunião de balanço.

Além disso, durante a reunião foram discutidas as dificuldades encontradas nesses primeiros meses, “que serão analisadas com a Corregedoria, a fim de aperfeiçoarmos o programa e termos um Judiciário mais proativo na política de proteção à mulher”, acrescentou o presidente. A Patrulha atende 27 municípios da Paraíba, com previsão de ser estendida, posteriormente, a todo o estado.

Segundo a coordenadora da Mulher em Situação de Violência do TJPB, juíza Graziela Queiroga Gadelha, a inclusão das medidas protetivas no processo judicial eletrônico (PJE) tem ajudado a polícia nos atendimentos da Patrulha Maria da Penha, facilitando o acompanhamento feito às mulheres assistidas.

“Estamos buscando avanços no Manual de Rotinas, com a possibilidade de oficiais de justiça ficarem designados para as unidades especializadas da Mulher. Também estamos discutindo questões relacionadas aos prazos para cumprimento dessas medidas e realização de capacitações”, acrescentou a juíza sobre o que pode ser aperfeiçoado no programa.

Patrulha Maria da Penha

As ações do programa são desenvolvidas, em conjunto, pela Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJPB, Secretaria de Segurança e Defesa Social (Sesds), por meio da Polícia Militar, Polícia Civil, Coordenação das Delegacias Especializadas de Mulheres e Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana.

Além de monitorar a segurança das mulheres, a Patrulha Maria da Penha realiza a triagem, o atendimento inicial, visitas periódicas e rotas de monitoramento, dentro de um perímetro arbitrado pela Justiça.

G1

 

Acidentes com motos lideram atendimentos no Trauma de CG

O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, que integra a rede hospitalar do Governo do Estado, realizou 648 atendimentos durante o feriado do aniversário dos 155 anos de Campina Grande e de Nossa Senhora Aparecida. O balanço tem como base as entradas realizadas a partir da zero hora da sexta-feira (11) até as primeiras horas desta segunda-feira (14). Nesses dias, foram realizadas 73 cirurgias de urgência e emergência.

Os casos envolvendo acidentes de moto lideraram as entradas nos plantões durante o período. No total, 110 pacientes foram atendidos devido a acidentes com motocicleta. Também houve atendimentos a vítimas de arma branca (dois), de projéteis de arma de fogo (três), queimaduras (cinco), atropelamentos (nove), acidentes com bicicleta (dois) e acidentes de carro (sete), entre outros.  Os demais atendimentos foram na clinica médica e na pediatria.

Em 2018, o Trauma-CG prestou, no período da quinta-feira (11) a segunda-feira (15), 915 atendimentos e fez 42 cirurgias de urgência e emergência.

O Hospital disponibiliza 298 leitos, 340 médicos, sendo 64 em regime de plantão presencial 24 horas.  O equipamento dispõe de seis salas no bloco cirúrgico.

O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes de Campina Grande é referência em trauma para 203 municípios da Paraíba, além de alguns municípios do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará.

PB Agora

 

 

Com coletas na zona rural e automação de equipamentos, Laboratório Municipal tem crescimento em mais de 70% nos atendimentos em Bananeiras

Nos últimos anos, o número de atendimentos de exames laboratoriais alcançaram um crescimento significativo proporcionando benefícios e comodidade aos usuários do Sistema único de saúde em Bananeiras.

Com a implementação do Projeto Laboratório sobre rodas  em 2018, os atendimentos saíram de 17169 em 2016 para 29450 só em 2018. Um aumento de 71,53 % nesse período.

Em 2019 os número tendem a crescer ainda mais, já que entre os meses de Janeiro a Abril já foram realizados 8621 atendimentos. Em um ano de implantação do Projeto e com a automação de todo o laboratório a população só tende a ganhar com a agilidade no processo de coleta e nos resultados dos exames que agora podem ser online através do site do governo municipal.

Para Douglas Lucena poder proporcionar esses avanços na saúde em Bananeiras mostra o empenho da gestão em driblar a crise e sempre procurar apoio através de emendas e suporte em instituições que possam contribuir nas melhorias para a população.

 

Ascom-PMB

 

 

Duas cidades da PB ficam sem atendimentos do Samu

A cidade do Conde, que fica na Região Metropolitana de João Pessoa, está temporariamente sem o atendimento do Serviço Móvel de Urgência (Samu), desde essa segunda-feira (5), quando a unidade que atende a cidade apresentou defeito. Outro município que enfrenta problemas com o serviço é Riacho de Santo Antônio, no Cariri.

De acordo com a assessoria da Prefeitura do Conde, a unidade do Samu que atende a cidade é uma responsabilidade da Prefeitura de João Pessoa, sendo dever da gestão do Conde apenas o pagamento dos funcionários e alojamento da unidade.

Na última segunda-feira (5), a unidade apresentou um problema técnico e precisou ser deslocada para João Pessoa, porém, até esta quarta-feira (7) o problema não havia sido solucionado e os moradores seguem sem alternativas par atendimento de urgência.

Ainda segundo a assessoria da Prefeitura do Conde, a Secretaria de Saúde do Município conta com uma ambulância que pode ser utilizada em caso de atendimentos de urgência. A reportagem do Portal Correio tentou entrar em contato com a Coordenação do Samu de João Pessoa, mas não houve resposta.

Cidade no Cariri também sofre

A situação na cidade de Riacho de Santo Antônio, que fica no Cariri paraibano, também não é nada confortável. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência está suspenso há quase três anos. Porém, de acordo com a Secretaria de Saúde do Município, uma outra ambulância é utilizada para atender os atendimentos de urgência.

Apesar disso, o caso foi denunciado ao Ministério Público Estadual que recomendou a Prefeitura que os serviços sejam regularizados junto ao Samu Regional.

 

Luís Eduardo Andrade

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Excesso de álcool lidera atendimentos do Samu durante Folia de Rua e Carnaval Tradição

samuExcesso de álcool liderou os atendimentos realizados pelo Serviço de Atendimento Móvel (Samu) durante o Folia de Rua e o Carnaval Tradição com 19 casos. Ao todo, o serviço contabilizou 63 atendimentos, sendo 57% em homens e 43% em mulheres. Mal-estar e ferimento corte contuso completam as lista de ocorrências mais registradas, com sete e cinco chamados, respectivamente.

“Nas Muriçocas e Virgens desse ano, colocamos ambulâncias espalhadas pelo corredor do Via Folia, além de uma Unidade de Suporte Básico de Vida (USB) no Posto 99, uma Unidade de Suporte Avançado de Vida (USA) e UBS no Pão de Açúcar e uma USA no cruzamento da Avenida Epitácio Pessoa com a Miguel Sátiro”, explicou a coordenadora geral do Samu, Érika Rivenna.

O esquema contribuiu para desafogar as Unidades de Pronto Atendimento (Upas), que receberiam boa parte dos casos, explicou Érika Rivenna. “Desse total, 60 atendimentos foram realizados e liberados no local, o que é muito bom. No geral, o balanço foi positivo, já que não registramos casos de ferimento por arma de fogo e armas brancas”, concluiu.

Número de atendimentos por evento:

Bloco dos Atletas e Banho de Cheiro – 1 atendimento

Bloco Virgens de Tambaú – 31 atendimentos

Bloco Muriçocas do Miramar – 28 atendimentos

Desfiles do Carnaval Tradição – 3 atendimentos

Secom-JP

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br