Arquivo da tag: arranca

Flu sai na frente, toma virada da Chape, mas arranca empate no fim

NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C.
Foto: LANCE!

Não foi nesta segunda-feira que o Fluminense venceu a Chapecoense. No Giulite Coutinho, os times fizeram um jogo para lá de movimentado e que terminou de forma dramática. O empate de 3 a 3 saiu com o Tricolor das Laranjeiras marcando já nos acréscimos da etapa final, com Marcos Junior.

Sem Dourado – poupado com dores na virilha esquerda -, coube a Richarlison abrir o placar logo antes dos dois minutos. O gol saiu após boa troca de passes. Scarpa recebeu na entrada da área e deu passe para o camisa 70, que finalizou cruzado, sem chance para Jandrei.

A vantagem fez mal ao time de Abel. A Chape acordou e passou a dominar as ações ofensivas, apesar de terminar o primeiro tempo com menor posse de bola. Rossi, após ganhar dividida de Reginaldo, invadiu a área e deslocou Júlio César: 1 a 1.

A partir daí, o confronto ficou aberto, com seguidas chances para os dois lados. Com dificuldade na saída de bola, o Flu só criou nas bolas aéreas. Por duas vezes, Henrique subiu livre na área, mas cabeceou mal.

A virada veio em uma jogada característica da equipe de Vagner Mancini. Reinaldo cobrou lateral na área, Girotto ganhou a primeira bola e Artur Cayke subiu livre para colocar a bola na rede do Fluminense.

Léo, que tenta repetir o feito de Reinaldo no Tricolor há tempos – sem sucesso até agora -, foi sacado no intervalo por Abel. Wellington Silva entrou muito bem em seu lugar.

A entrada do camisa 11 deu ao Flu a criatividade que faltou na etapa inicial. Os volantes da Chape não deram espaços para Scarpa criar, mas Wellington encontrou liberdade pela esquerda. Na segunda vez que partiu para cima de Diego Renan, o atacante deixou o marcador para trás e cruzou. Pedro mergulhou e tocou de peito para deixar tudo igual

Quando Rossi foi expulso, a torcida tricolor nas arquibancadas, mas a Chape mostrou porque é o carrasco do Tricolor. Artur Cayke cabeceou e, em lance duvidoso, venceu Júlio César. O Flu contestou, mas o árbitro confirmou a passagem da bola da linha e o gol catarinense.

O final de jogo foi dramático. Flu partiu para cima. Wellington rabiscou pela esquerda de novo e, dessa vez, Marcos Junior foi quem apareceu na área e empatou o confronto já nos acréscimos. Richarlison teve a chance para dar ao Tricolor a primeira vitória sobre a Chape, mas Jandrei garantiu o empate.

FLUMINENSE 3 X 3 CHAPECOENSE
FICHA TÉCNICA 

Data/Horário: 3/7/2017, às 20h
Local: Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao (GO)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa/GO)
Renda/Público: Ainda não divulgados.

Cartões amarelos: Richarlison, Orejuela e Marcos Junior (FLU); Lucas Mineiro, Diego Renan, Rossi e Fabricio Bruno (CHA)
Cartão vermelho: Rossi (CHA).

GOLS: Richarlison (1-0, 1’/1ºT), Rossi (1-1, 12’/1ºT), Arthur Cayke (1-2, 41’/1ºT), Pedro (2-2, 24’/2ºT), Artur Cayke (2-3, 36’/2ºT) e Marcos Junior (3-3, 47’/2ºT)

FLUMINENSE: Júlio César; Lucas (Lucas Fernandes, 39’/2ºT), Henrique, Reginaldo e Léo (Wellington SIlva, Intervalo); Orejuela (Marcos Junior, 39’/2ºT), Wendel e Gustavo Scarpa; Marcos Calazans, Richarlison e Pedro – T: Abel Braga

CHAPECOENSE: Jandrei; Diego Renan (Nathan Pelae, 41’/2ºT), Douglas Grolli, Fabrício e Reinaldo; Andrei Girotto, Lucas Mineiro e Lucas Marques; Rossi, Arthur Cayke (Luiz Otávio, 45’/2ºT) e Wellington Paulista (Lourency, 30’/2ºT) – T: Vagner Mancini

LANCE!

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Vitória supera gol ilegal, arranca empate e deixa Flu na seca e fora do G6

 (Foto: André Durão)
(Foto: André Durão)

A volta ao Maracanã não foi como o Fluminense esperava. O Vitória não desistiu arrancou empate nos minutos finais e complicou o rival na briga por uma vaga na Libertadores. Os baianos ainda tiveram que superar um gol irregular do adversário – falta que originou o pênalti, na verdade, ocorreu fora de área. Richarlison e Cícero marcaram para o Tricolor, enquanto Marcelo e Marinho deixaram tudo igual.

Com o resultado o Fluminense chega aos 48 pontos e se complica na briga por uma vaga na Libertadores. Isso porque os rivais direto ainda entrarão em campo neste sábado. O Tricolor, que se ganhasse tiraria o Corinthians da sexta posição, volta a campo no dia 6, quando visitará o Cruzeiro, em Belo Horizonte.

Com o empate, o Vitória permaneceu na 17ª colocação e ainda dentro da zona de rebaixamento. O time baiano volta a jogar no mesmo dia, em casa, contra o Atlético-PR.
Erro duplo em primeiro gol do Fluminense gera polêmica

O Fluminense perdia por 1 a 0 quando Richarlison recebeu livre e partiu em direção ao gol de Fernando Miguel. Atrasado, Victor Ramos puxou o atacante fora da área, e o árbitro Nielson Nogueira Dias errou duas vezes. Primeiro ele marcou pênalti mesmo quando o lance foi fora da área. Segundo porque o zagueiro do Vitória já tinha amarelo e deveria ter recebido o segundo e, consequentemente, o vermelho. O fato é que o gol deu início à reação do Tricolor.

Capita aplaudido em minuto de silêncio e filho ganha camisa do Flu

As homenagens a Carlos Alberto Torres, o Capitão do Tri, não param. Antes do jogo começar, os jogadores respeitaram um minuto de silêncio sob aplausos dos torcedores no Maracanã. No intervalo, o filho Alexandre Torres recebeu uma camisa tricolor com o número 4 no mesmo momento em que o telão do estádio passava lances d ex-jogador com a camisa da seleção brasileira.

Flu entrou em campo pressionado por duas marcas negativas

O Fluminense enfrentou dois jejuns na noite desta sexta. Já são quatro jogos em vencer no Brasileiro (três derrotas e um empate). Além disso, o Tricolor não sabe o que é vencer o Vitória: cinco jogos (três derrotas e dois empates) ou seis anos. O último triunfo aconteceu em 2010.

Em boa fase, Scarpa é um dos jogadores mais decisivos do Brasileiro

Assim como no basquete, Gustavo Scarpa está perto de atingir a dezena em dois quesitos: em gols e assistências. Ele já tem oito gols e oito assistências em 29 partidas realizadas no campeonato. Com dois gols e mais duas assistências até o fim da competição, o apoiador poderá atingir uma marca alcançada apenas por Jádson, meia do Corinthians em 2015, com 13 gols e 12 assistências.

FLUMINENSE 2 X 2 VITÓRIA

Data e hora: 28/10/2016, sexta-feira, às 19h30 (horário de Brasília)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Marcelino Castro de Nazare e Bruno Cesar Chaves Vieira (PE)
Gols: Marcelo, aos 30min, Richarlison, aos 36min, e Cícero, aos 47min do primeiro tempo;
Cartões amarelo: Victor Ramos e Marcelo (VIT)  Pierre (FLU)

Fluminense
Júlio César; Wellington Silva, Gum, Henrique e Giovanni (Marquinho); Pierre, Douglas, Cícero e Scarpa; Wellington (Marcos Jr) e Richarlison (Magno Alves)
Técnico: Levir Culpi

Vitória
Fernando Miguel; Diego Renan, Kanu, Victor Ramos e Euller; Amaral (David), Willian Farias, Marcelo e Cárdenas (Sérginho); Marinho e Kieza
Técnico: Argel Fucks

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cássio volta a falhar, mas Corinthians arranca empate contra o Fluminense

cassioO Corinthians perdeu quase todas suas referências nos últimos meses e, aquele que ficou, não tem contribuído. Nesta quarta-feira, em visita ao Fluminense em Edson Passos, a equipe corintiana precisou superar mais uma falha do goleiro Cássio para arrancar empate por 1 a 1 na estreia pela Copa do Brasil.

Um gol de Marquinho, em erro do arqueiro, deixou o Flu em vantagem, mas Rodriguinho estabeleceu a igualdade no segundo tempo. O Corinthians chegou a ter momentos de domínio após o intervalo, mas o Fluminense não facilitou e cresceu com modificações de Levir Culpi.

A decisão da vaga nas quartas de final fica em aberto para o jogo de volta, em Itaquera. O reencontro será apenas no dia 21 de setembro, com ligeira vantagem ao Corinthians pelo gol anotado fora de casa.

Ídolo de volta: na estreia como titular, Marquinho deixa o dele

Marquinho teve a primeira oportunidade na equipe principal e justificou a decisão de Levir Culpi, que retirou Marcos Júnior da equipe. Marcado pelo gol que livrou o Fluminense do rebaixamento de volta, o meia deu sua contribuição. Atento na área, colocou para dentro rebote dado por Cássio. Na etapa seguinte, sentiu o ritmo e foi retirado.

O melhor: Wellington dá trabalho à defesa do Corinthians

Foi uma partida sem protagonistas no estádio do América-RJ. Mas, entre os jogadores de ataque, o garoto Wellington foi quem mais conseguiu ameaçar. No primeiro tempo, exigiu bastante do lateral Léo Príncipe e toda a defesa corintiana. No segundo, criou a oportunidade de maior perigo em um cruzamento aparentemente inofensivo que quase vazou Cássio.

O pior: Cássio falha mais uma vez e dá sustos

A temporada do goleiro corintiano, definitivamente, não é feliz. Cássio, que já foi até reserva e falhou em jogos recentes contra Ponte Preta e Grêmio, voltou a hesitar no gol marcado por Marquinho. Na saída para o intervalo, ele negou ter falhado, a exemplo do que havia feito na derrota para a equipe gremista. Já no segundo tempo, demorou a repor bola em jogo e permitiu falta dentro da área alvinegra. Depois, quase foi surpreendido por um cruzamento inofensivo de Wellington.

Substituto de Fagner se destaca em prova de fogo

Recentemente promovido das divisões de base, o garoto Léo Príncipe teve a segunda oportunidade como titular entre os profissionais do Corinthians e se destacou. Apesar de ser colocado à prova em duelos com Wellington, do Fluminense, foi arma ofensiva importante. No segundo tempo, cresceu, criou pelos lados do campo e deu assistência para o gol de Rodriguinho.

Cristóvão melhora a equipe no intervalo; Levir tenta de tudo

Ao retirar Marcos Júnior e colocar Levir Culpi recorreu a uma formação com dois atacantes ao invés de três. Marquinho, apesar do gol e bom primeiro tempo, não representou grande progresso no desempenho da equipe, que não se impôs tanto dentro de casa. Já Cristóvão, que vive sob críticas no Corinthians, conseguiu mudar o panorama no intervalo. Os corintianos criaram mais com a entrada de Lucca após 45 minutos de muito toque de bola e poucas oportunidades.

Folgas no Corinthians. Já no Flu, agenda apertada

O treinador Cristóvão Borges concedeu dois dias de folga para os jogadores corintianos, que só se reapresentam no próximo sábado para treinamentos. O compromisso seguinte será apenas na quinta-feira da próxima semana, contra o Sport, na Arena. O Fluminense tem agenda mais apertada: já no sábado, volta a Edson Passos para enfrentar o Figueirense.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 1 x 1 CORINTHIANS

Local: Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)
Hora: 21h45
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Christian Passos Sorence e Leone Carvalho Rocha (ambos Goiás)
Cartões amarelos: Cícero, Wellington, Marcos Júnior, Cássio, Giovanni Augusto e Lucca
Gols: Marquinho, aos 36min do primeiro tempo, e Rodriguinho, aos 17min do segundo tempo

FLUMINENSE
Diego Cavaleiri; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Douglas, Cícero, Marquinho (Danilinho) e Gustavo Scarpa; Wellington e Henrique Dourado (Marcos Júnior).
Treinador: Levir Culpi

CORINTHIANS
Cássio; Léo Príncipe, Yago, Balbuena e Uendel; Cristian; Marquinhos Gabriel, Camacho (Willians), Rodriguinho e Marlone (Giovanni Augusto); Guilherme (Lucca).
Treinador: Cristóvão Borges.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Bando arranca criança do colo de jovem e atira nele na Paraíba

(Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)
(Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Um jovem de 22 anos foi assassinado a tiros dentro de casa na noite de domingo (10) no Distrito Mecânico, em João Pessoa. Conforme informações repassadas pela Polícia Militar, os bandidos chegaram à casa e chamaram a vítima. O jovem saiu com uma criança no colo, e por isso, o criminosos mandaram ele soltar a criança.

De acordo com o sargento Daniel Firmino, da Polícia Militar, a vítima não atendeu a ordem dos atiradores e foi atacada. “Entraram e derrubaram ele, tomaram a criança. Quando ele correu para dentro da casa, os suspeitos acompanharam e executaram. A esposa dele até agora não contou nada, só falou que foram invasores”, comentou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A polícia trata inicialmente o caso como execução. Os parentes da vítima não informaram as possíveis causas para o crime. O corpo do jovem foi encaminhado para a Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), no bairro do Cristo Redentor. Até as 8h30 desta segunda-feira (11) nenhum suspeito tinha sido localizado.

Do G1 Paraíba

Corinthians arranca empate, rebaixa Avaí e alcança pontuação recorde

jogoUm gol de Vagner Love, aos 34min do segundo tempo, mudou tudo em Itaquera.

Neste domingo, com o empate por 1 a 1 na Arena Corinthians, os campeões brasileiros alcançaram 81 pontos, a melhor marca da competição por pontos corridos, com 20 clubes. Love, de quebra, rebaixou o Avaí, que até então vencia em São Paulo graças a um gol do volante Claudinei.

A partida na Arena teve mais de 43 mil torcedores, homenagem para o treinador Tite e um Corinthians interessado em vencer mesmo sem Jadson e Renato Augusto, mas nove titulares. Mas foi graças à entrada de Danilo, no segundo tempo, que o ataque corintiano funcionou e permitiu o recorde, último objetivo corintiano em 2016. O Avaí vai para a Série B com Joinville, Vasco e Goiás.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 x 1 AVAÍ

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 06 de dezembro de 2015, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa/RS)
Assistentes: Cleriston Clay (Fifa/SE) e Marcelo Bertanha Barison (ESP 2/RS)
Cartões amarelos: Everton Silva, Vagner, Elias
Público e renda: 43389 pagantes e R$ 2.678.940,00
Gols: Claudinei, aos 13min, Vagner Love, aos 33min do segundo tempo

Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf (Bruno Henrique); Malcom, Elias, Rodriguinho (Romero) e Lucca (Danilo); Vagner Love.
Treinador: Tite

Avaí: Vagner; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Emerson e Romário; Renan (Roberto) e Claudinei; Everton Silva (Pablo), Renan Oliveira (Rudnei) e Rômulo; Anderson Lopes.
Treinador: Raul Cabral

 

 

Uol

Luis Fabiano decide, e São Paulo arranca empate contra Corinthians

são pauloO clássico entre São Paulo e Corinthians deste domingo (9) foi de bom nível técnico, grandes apresentações das duas equipes e terminou em empate por 1 a 1, em partida válida pelo Brasileirão. O time da casa, do técnico Juan Carlos Osorio, começou com muita intensidade, ficou perto de marcar, mas viu o rival abrir o placar com Luciano. No segundo tempo, depois de colocar duas bolas na trave, Luis Fabiano marcou e igualou o placar. Nos minutos finais o São Paulo ainda pediu um pênalti não marcado e que gerou uma revolta dos jogadores em campo (veja o lance abaixo).

O gol de Luis Fabiano foi o 10º dele na carreira contra o Corinthians. O Corinthians é agora a maior vítima do camisa 9, empatado com o Vasco, também com dez gols sofridos por ele. A partida ainda marcou a reestreia do zagueiro Breno – que entrou como volante no segundo tempo -, que voltou a jogar futebol depois de mais de quatro anos longe dos campos. O último jogo dele, ainda pelo Bayern de Munique (ALE), havia sido no dia 17 de abril de 2011.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

 O empate levou o São Paulo aos 28 pontos na tabela de classificação, e manteve o clube do Morumbi na briga para ingressar no topo da tabela, entre os clubes na zona de classificação para a Copa Libertadores. O Corinthians do técnico Tite foi a 34 pontos e manteve a vice-liderança, atrás do Atlético-MG.
FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X CORINTHIANS
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 9 de agosto de 2015, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Gols: Luis Fabiano (2 min. 2ºT) / Luciano (21 min. 1ºT)
Cartões amarelos: Carlinhos, Wesley, Luiz Eduardo, Hudson / Felipe, Fagner
Cartões vermelhos: Felipe
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno (Auro), Rafael Toloi, Luiz Eduardo e Carlinhos (Wesley); Lucão, Hudson (Breno) e Michel Bastos; Ganso, Luis Fabiano e Centurión
Técnico: Juan Carlos Osorio
CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Felipe e Uendel; Bruno Henrique; Jadson (Edu Dracena), Elias, Renato Augusto e Malcom (Rildo); Luciano (Danilo)
Técnico: Tite
Uol

Corinthians domina São Paulo, vence e arranca na frente na Libertadores

Quando o São Paulo começou a disputar a Taça Libertadores da América de 2015, já estava perdendo por 1 a 0. Talvez, nem tenham visto o terceiro golaço que Elias marcou só nessa edição do torneio, logo aos 11 minutos. O volante, que já deve ser chamado de meia pelo esquema tático e pela função que desempenha, triangulou com Danilo e Jadson, entrou livre nas costas de Rafael Toloi e bateu com precisão no canto esquerdo de Rogério Ceni.

Elias gol Corinthians x São Paulo, Libertadores (Foto: Marcos Ribolli)Elias comemora gol marcado logo no início, que abriu caminho para a vitória do Timão (Foto: Marcos Ribolli)

E se o mesmo jogador faz três golaços seguidos, de maneira semelhante, significa que isso é – bem – treinado. O Corinthians venceu por 2 a 0 e fez o que quis com um Tricolor muito mal organizado, escalado de maneira equivocada. O Timão poderia ter feito mais, por sinal. Em boa parte do tempo, abriu mão de domínio absoluto para atrair o adversário e contra-atacar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Tecnicamente, são três pontos à frente na classificação do Grupo 2 da Libertadores. Mas o futebol não é feito de números frios, insensíveis, que apenas se somam até chegarem a algum lugar. Futebol é quente, é moral, é psicológico, é pressão. Dessa forma, a diferença é maior. A derrota e, principalmente, a clara incapacidade do São Paulo de jogar de igual para igual com o rival, pesará nas próximas rodadas da competição mais desejada pelas equipes.

O mistério de Muricy se revelou injustificável. Ele escalou Maicon e recuou Michel Bastos, tirando do setor o jogador mais incisivo e que dá mais ritmo ao meio-campo. Na zaga, entrou Dória. Com um minuto, ele já teve que cortar um cruzamento que quase resultou em gol de Fábio Santos no rebote.

As duas equipes adotaram a marcação adiantada. Mas como eram diferentes… O Corinthians, efetivamente, pressionou, conseguiu obrigar os defensores do São Paulo a darem bicões e entregar-lhes a bola de presente. Já os comandados de Muricy apenas se posicionavam no campo de ataque e abriam um buraco entre os setores. O Timão saía como se estivesse brincando.

Torcida do São Paulo x Corinthians, Libertadores (Foto: Marcos Ribolli)Torcida do São Paulo apoia sua equipe na Arena
Corinthians em primeiro jogo (Foto: Marcos Ribolli)

Saiu, neste contexto de jogo, o golaço de Elias, sexto em Majestosos. Era tão pífia a atuação tricolor que Bruno, na melhor chance – que seria apenas um cruzamento para a área –, escorregou. Há quem diga que o resto do primeiro tempo foi equilibrado. Não foi. O São Paulo ficou com a bola porque o Corinthians escolheu esse tipo de jogo, para contra-atacar.

Ninguém mexeu no intervalo e, óbvio, o domínio alvinegro voltou a predominar. Provavelmente, o time nem precisasse da ajuda de Ricardo Marques Ribeiro para ampliar o placar. O árbitro ignorou falta de Emerson em Bruno e, no contra-ataque, Jadson recebeu, deixou Reinaldo no chão e fez o segundo. Ganso reclamou muito, ficou completamente indignado e levou um cartão amarelo.

O resto do jogo teve cenário óbvio. Um lado bem postado, à espera de um contra-ataque, e outro completamente sem noção do que fazer. Um baile de Tite, Elias, Jadson e companhia.

A superioridade está longe de ser responsabilidade do árbitro. O Corinthians, mesmo com mais jogadores ofensivos no meio, se defendeu com mais eficiência. E Muricy Ramalho só terá uma semana para trabalhar mellhor sua equipe. Na próxima quarta-feira, o São Paulo precisa ganhar de qualquer maneira do Danúbio, no Morumbi. O Timão volta a campo só no dia 4 de março, em Buenos Aires e sem a torcida do San Lorenzo nas arquibancadas.

Nas duas próximas rodadas, o Tricolor jogará no Morumbi e o Timão longe de casa. Serão semanas decisivas para o futuro dos paulistanos na Libertadores.

 

Globoesporte.com

Vice não aceita derrota em concurso e arranca coroa de Miss Amazonas

concurso-miss-amazonasA edição 2015 do concurso Miss Amazonas terminou em confusão na noite de sexta-feira (30). Ao ouvir o resultado, que deu a vitória à Carol Toledo, a segunda colocada, Sheislaine Hayalla, arrancou a coroa da vencedora. A reação da vice causou tumulto e corre-corre no Centro de Convenções Vasco Vasques – Zona Centro-Oeste de Manaus -, onde foi realizado o concurso.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ao G1, Sheislane disse que não aceitou o resultado. “Simplesmente, em Manaus, é o dinheiro que manda e eu estou mostrando para o povo amazonense que o dinheiro não manda aqui. Ela não mereceu!”, reclamou a concorrente.

A reportagem chegou a procurar a organização do concurso, que não quis falar sobre o ocorrido e nem sobre uma possível punição a Sheislane. As finalistas do segundo ao quinto lugar devem participar de concursos ao longo do ano.

Vitoriosa, Carol não fala sobre “coroa arrancada”
A vencedora não quis comentar a confusão e preferiu falar sobre a vitória. “É uma emoção inexplicável. Eu não tenho palavras para descrever o que estou sentindo. É um frio na barriga muito gostoso. É uma honra poder representar o meu estado no Miss Brasil. Eu vou honrar com toda a garra e o povo amazonense vai ter muito orgulho de mim”, garantiu.

Aos 20 anos, Carol deve representar o Amazonas na versão nacional do concurso. Em entrevista, ela disse que deve começar logo a preparação para ser escolhida a mulher mais bonita do Brasil. “Uma Miss não pode ter só beleza. Além do carisma, ela tem que ter uma representação ativa na sociedade e é por isso que estou aqui. Não sou só um rostinho bonito. Quero me engajar em muitas causas sociais, mas o primeiro passo é comemorar com a minha família. Eu não estaria aqui se não fosse por eles”, enfatizou.

Veja o momento da confusão:

 

G1

Bahia pressiona o Flamengo e arranca empate nos acréscimos

flamengoOs poucos torcedores do Bahia que foram ao Moacyrzão, em Macaé, usaram um sucesso do carnaval para provocar: “Ah, é lepo, lepo”, cantavam nesta quarta-feira. O placar não diz muito sobre a euforia. Mas a circunstância com que o empate por 1 a 1 contra o Flamengo foi conquistado pode justificá-la. Apesar de ter pressionado boa parte do jogo com mais posse de bola e oito vezes mais finalizações que os rubro-negros (24 a 3), somente aos 46 minutos saiu o gol de falta de Anderson Talisca. Paulinho fez o do Fla, logo no início da partida.

Na saída de campo, o jogadores rubro-negros mostraram insatisfação com a arbitragem. A primeira reclamação foi com um pênalti não marcado em cima de Alecsandro. A segunda foi a falta sobre Henrique que resultou no empate – na cobrança, o zagueiro Titi ainda empurrou a barreira.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– Não houve falta ali (no lance que rendeu gol ao Bahia). Infelizmente, foi um jogo complicado, o Flamengo lutou, mas não conseguimos. A fase está difícil, mas vamos tentar focar para tentar vencer – disse Everton.

Na segunda partida como técnico do Flamengo, Ney Franco vê o time perto da zona de rebaixamento, com cinco pontos, três a menos que o Bahia, que tem um jogo a mais por fazer. Dependendo dos resultados, o Rubro-Negro pode parar no Z-4 ao fim da sexta rodada do Campeonato Brasileiro. A postura da equipe contribuiu para a vitória não vir. Paulinho fez de cabeça após boa jogada de Everton, aos 10. Mas depois disso o que se viu foi um time recuado, sem muito padrão de jogo, perdido. Por isso as vaias da maioria dos 10.924 presentes (9.614 pagantes).

Com este panorama, a bola acabou, por consequência, mais tempo nos pés do Bahia. Em certo momento do primeiro tempo, a diferença chegou a ser de 68% de posse tricolor contra 42%. Talisca, seja em bolas paradas ou com a função de criar jogadas ofensivas, era o mais acionado. Alecsandro, puxado na área, reclamou de pênalti e não foi atendido, no lance mais importante do seu time após o gol.

Maxi Biancucchi também incomodava na frente. Perdia gols. Ajudou ao lado do companheiro de ataque a elevar ainda mais a superioridade nas finalizações: 24 do Bahia contra três do Fla, que mal aproveitava os contra-ataques. Na chance que teve, Alecsandro perdeu cara a cara, de cabeça. A recompensa baiana veio na falta cobrada por Talisca no fim da partida, aos 46 minutos do segundo tempo: 1 a 1.

No próximo domingo o Flamengo visita o Santos, 16h (de Brasília), no Morumbi. O Bahia pega o Fluminense, sábado, 18h30, na Arena Barueri.

 

 

Globoesporte.com

Colisão com cavalo arranca teto de veículo e mata motorista; quatro acidentes param BRs

Acidente na BR 101 deioxu uma pessoa morta
Acidente na BR 101 deioxu uma pessoa morta

Quatro acidentes ocorridos no início da manhã desta terça-feira (06) deixaram uma pessoa morta e o trânsito paralisado na Região Metropolitana da Capital. Os motoristas enfrentaram congestionamento em diversos bairros de João Pessoa. A Polícia Rodoviária Federal orientou os motorista a diminuir a velocidade em determinados trechos.

De acordo com a PRF, um homem que dirigia um veículo Ford Fiesta, azul, no sentido João Pessoa/Recife colidiu com um cavalo que atravessava a rodovia. O motorista não conseguiu desviar do animal e, após o impacto, o veículo caiu no canteiro no meio da BR. O acidente aconteceu na BR 101 no km 92, no município do Conde, Litoral Sul da Paraíba.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com a batida, o teto do veículo foi arrancado e o condutor morreu na hora preso às ferragens. Já o animal morreu atropelado por outro veículo – um Gol amarelo – que vinha em seguida. O condutor do Gol não ficou ferido, houve apenas danos materiais no automóvel.

Segundo a PRF, o trânsito para Goiânia, na divisa Paraíba/Pernambuco está lento desde 6h da manhã.

Outro acidente, mas sem grande gravidade ocorreu em frente ao Centro Universitário de João Pessoa, na BR 230, no km 23. Um engavetamento envolvendo quatro veículos deixou o trânsito lento para quem precisava seguir para o Centro da cidade.Não houve vítimas.

Ainda no Km 13 da BR 230, sentido João Pessoa/Cabedelo, outro engavetamento, dessa vez, envolvendo três veículos. A PRF informou que também não houve vítimas no local e que o trânsito neste trecho flui normalmente.

Já uma pequena colisão entre dois veículos, no bairro de Cruz das Armas, também deixou o trânsito lento para quem precisou sair da Capital. A colisão foi próxima ao bairro do Oitizeiro, Zona Oeste de João Pessoa.

 

Por Priscila Andrade