Arquivo da tag: árbitro

Maioria dos brasileiros aprova árbitro de vídeo, mostra Datafolha

Pesquisa nacional feita pelo Datafolha mostra que a maioria dos brasileiros aprova a implantação do árbitro assistente de vídeo (VAR, na sigla em inglês) no futebol. De acordo com o levantamento, 58% dos entrevistados acham que o auxílio tecnológico aos juízes mais ajuda do que atrapalha.

Das 2.878 pessoas ouvidas em 175 municípios nos dias 30 e 31 de agosto, todas com mais de 16 anos, 29% disseram que o VAR mais atrapalha do que ajuda. Para 2%, a novidade não ajuda nem atrapalha. Outros 11% não souberam responder.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
No universo daqueles que têm um time de futebol, 63% afirmaram que o VAR mais ajuda, 31% disseram que mais atrapalha, 2% opinaram que não ajuda nem atrapalha e 5% não souberam responder.

Entre os que não têm um time, há uma parcela maior que não sabe responder: 30%. Ainda assim, é considerável a vantagem dos que disseram que o juiz de vídeo mais ajuda (44%) em relação aos que consideram a novidade prejudicial (24%) e aqueles que veem o efeito como neutro (2%).

A pesquisa mostrou também aprovação geral por parte da torcida de cada clube.

Todas as equipes que atingiram ao menos 2% da preferência nacional (em ordem alfabética, Atlético-MG, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco) têm maioria de torcedores que considera o juiz de vídeo positivo.

No caso do Flamengo, por exemplo, com margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos, 67% disseram que o VAR mais ajuda do que atrapalha.

A edição atual do Campeonato Brasileiro é a primeira com a presença do VAR. O recurso está presente nas competições nacionais do país desde o ano passado, quando foi acionado a partir das quartas de final da Copa do Brasil.

Sua estreia na Copa do Mundo também ocorreu na edição de 2018, realizada na Rússia.

Apesar da aprovação, a experiência não tem sido realizada sem tropeços. Há críticas ao seu uso em lances interpretativos e à falta de agilidade na checagem das jogadas.

Levantamento feito pela Folha até a 17ª rodada mostra que as partidas do Brasileiro em que o VAR é usado e relatado na súmula têm, em média, 8min54 de acréscimos. É um aumento de 31,5% em relação aos 6min46 de 2018.

“Da maneira de que o VAR está sendo tratado, com penduricalhos, com um protocolo bem amplo, é um desastre”, disse o ex-árbitro Arnaldo Cezar Coelho, uma das vozes que se levantaram contra o juiz de vídeo. “Desastre porque mexe com a essência do futebol, que é o gol. O cara não vibra como poderia vibrar. Ou vibra seis minutos depois.”

Houve mesmo casos em que a espera foi longa até que se tomasse uma decisão. No empate por 1 a 1 do Flamengo com o Corinthians, em julho, por exemplo, o árbitro Leandro Vuaden aguardou mais de cinco minutos, com a mão no ouvido, até validar o gol de Gabriel Barbosa, que tinha sido anulado.

O atacante rubro-negro celebrou, aos 45 minutos do segundo tempo, como se tivesse acabado de balançar a rede, o que ocorrera aos 39.

Ele mesmo admitiu posteriormente o constrangimento com a situação, que se tornou recorrente.

Os jogadores, os torcedores e os narradores estão tendo de se habituar à nova realidade, com gritos e punhos cerrados retardatariamente.

Para a CBF, vale a pena. Em apresentação feita no mês passado, a confederação apontou que foi de 98% o índice de acerto em lances capitais até a 14ª rodada.

Ainda de acordo com a entidade, o acerto sem o VAR no mesmo período foi de 77,4%. Com o auxílio, diz a organizadora do Brasileiro, os árbitros erraram em 10 lances capitais, contra 88 na mesma altura do Nacional de 2018.

“Isso é uma melhora de 90%. Eu enxergo o copo meio cheio. O auxílio do VAR é indispensável hoje em dia. A reclamação dos clubes diminuiu muito. Os acertos da arbitragem brasileira crescem”, afirmou Leonardo Gaciba, presidente da comissão de arbitragem da CBF. “O VAR mostra que a velocidade do jogo acabou vencendo o olho humano.”

Nas 139 partidas que entraram na contabilidade da CBF, foram realizadas 764 checagens e 87 revisões.

De acordo com a entidade, até a 14ª rodada, houve acerto de 91,76% nos lances de pênalti, que sempre têm revisão em vídeo. Nos impedimentos, os dados apresentados apontam 93,5% de acerto.

Para 58% dos brasileiros, como apontou o Datafolha, a avaliação também é positiva.

 

FOLHAPRESS

 

 

FPF descarta VAR mas ainda tenta árbitro FIFA para as finais do Campeonato Paraibano

Tecnologia cara. O uso do assistente de vídeo (VAR) nas finais do Campeonato Paraibano foi descartado. O árbitro de vídeo era um sonho da presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michele Ramalho.  Só que o alto custo financeiro para por em pratica essa tecnologia, impediu a presença do árbitro de vídeo nas finais do Estadual.

Porém, um outro objetivo da presidente, que foi manifestado recentemente, está sendo negociado. Segundo o diretor executivo da FPF, Otamar Almeida, a federação pretende contar com árbitro FIFA para as decisões do estadual.

O segundo jogo da final do estadual foi remarcado justamente para que a CBF pudesse alocar um árbitro FIFA disponível para comandar o apito. A partida estava marcada para o dia 20 deste mês e foi adiada para o dia 23. A presidente da FPF, inclusive, disse já ter conversado com o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, para formalizar o pedido.

As finais do Campeonato Paraibano estão marcadas para os dia 17 e 23 deste mês e já tem um finalista definido, o Campinense, que venceu o Atlético-PB nos pênaltis e garantiu sua vaga na decisão. A segunda vaga na finalíssima será definida neste fim de semana. Botafogo-PB e Nacional de Patos realizam o jogo de volta das semifinais neste domingo, às 17h, no Estádio Almeidão.

pbagora

 

 

Árbitro admite ter reescrito súmula do Paraibano

No dia seguinte a uma reportagem do programa Fantástico ter revelado que Botafogo-PB x CSP é um dos jogos que estão sob suspeita da Operação Cartola, da Polícia Civil e do Ministério Público, que investiga esquemas de corrupção no futebol paraibano, o árbitro daquela partida resolveu se pronunciar. Francisco Santiago negou que tenha alterado o conteúdo da súmula do confronto que terminou num empate em 3 a 3. No entanto, admitiu que precisou reescrever o texto do documento para melhorar a compreensão do seu relato.

Francisco Santiago, árbitro do quadro da Federação Paraibana de Futebol (FPF), é acusado de ter omitido, a mando do presidente da Comissão de Arbitragem, José Renato, atos de vandalismo da torcida do Botafogo-PB no duelo com o CSP, válido pela sétima rodada da primeira fase do Campeonato Paraibano.

– A súmula foi reescrita. A última parte havia ficado com um texto ruim, então eu fui procurado pelo presidente da Comissão de Arbitragem, Zé Renato, para escrever o meu relatório de uma forma mais clara e objetiva. No caso, eu reafirmei a minha posição de que não tinha conseguido identificar quem foi o responsável por lançar os objetos – declarou o árbitro da FPF.

Contudo, segundo a Polícia Civil, a diretoria do Botafogo-PB entrou em contato com José Renato para pedir que os eisódios não fossem relatados na súmula. O presidente da Comissão de Arbitregam, por sua vez, orientou Francisco Santiago a agir de acordo com o desejo da diretoria botafoguense.

Em partida válida pela sétima rodada do Campeonato Paraibano, o Botafogo-PB recebeu o CSP e, após uma disputa bastante movimentada, o placar foi fechado em 3 a 3. O Belo, inclusive, chegou a estar perdendo por 3 a 1, mas arrancou um empate nos minutos finais.

Após o encerramento do duelo, um tumulto começou, já que os jogadores do Tigre foram tirar satisfações com o árbitro Francisco Santiago, que relembrou os detalhes daquele pós-jogo.

– Aquele jogo foi bem difícil, tivemos muito tempo de acréscimo, foram sete minutos. Após o encerramento da partida, eu tive que expulsar um atleta do CSP, por reclamação. E foi aí que o pessoal do próprio CSP veio até mim e me trouxe dois objetos: uma garrafa de refrigerante e uma sandália. Eles me contaram que os mesmos foram lançados pela torcida do Botafogo-PB. No calor do jogo, eu fui procurado por um radialista e até cheguei a confirmar que a garrafa e a sandália vieram da torcida botafoguense.

E completou, explicando por que repensou os relatos que registraria na súmula:

– No vestiário, com a cabeça mais tranquila, eu comecei a refletir: será mesmo que veio da torcida do Botafogo-PB? Qual o interesse do CSP em trazer isso? A partir daí, eu fiz o meu relatório na súmula de uma forma bem clara. Foram arremessados dois objetos e eu não consegui confirmar de onde eles partiram. Essa responsabilidade iria para o Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba, que deveria solicitar as imagens do jogo, fazer uma análise e punir o culpado – afirmou Francisco Santiago.

globoesportes.com

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Árbitro erra e Inter se mantém na briga pelo título com vitória em Goiás

Fornecido por Fundação Cásper Líbero

Acabou o jejum do Internacional no Campeonato Brasileiro da Série B. Na tarde desse sábado, o Colorado se aproveitou de um erro incompreensível da arbitragem, bateu o Goiás por 2 a 0 no estádio Serra Dourada, em Goiânia, e voltou a vencer após cinco rodadas (desde 21 de outubro, quando superou o Criciúma). Dessa forma, com o empate do América-MG em Londrina, os gaúchos vão para a última rodada da competição ainda com chance de título, já que os mineiros seguem na liderança com 70 pontos, dois a mais que o Inter. Enquanto isso, o Goiás, aliviado pela permanência garantida na Série B, chega ao sexto jogo seguido sem vitória, fica nos 44 pontos, na primeira posição acima da zona de rebaixamento.

 

A 38ª e última rodada terá o Internacional recebendo o Guarani no Beira-Rio e o América, também em casa, diante do CRB. Ambos os jogos estão marcados para às 17h30 (de Brasília) do sábado. No mesmo dia e horário, o Goiás fechará sua campanha contra o Oeste, em Barueri.

Como já não corria mais qualquer risco de rebaixamento, o Goiás entrou em campo mais relaxado e corajoso. Em um primeiro tempo sem grandes emoções, o Esmeraldino foi pelo menos o time com mais ímpeto no ataque. Sonolento, o Colorado irritou Odair Hellmann e seus torcedores na maior parte do tempo.

Mesmo assim, o lance de maior destaque de toda a primeira etapa acabou sendo dos gaúchos. Aos 44, Thales completou escanteio cobrado por D’Alessandro e marcou o gol. No entanto, a jogada já estava anulada por Heber Roberto Lopes, que viu falta de Cuesta fora do lance da bola.

O árbitro catarinense, porém, se tornaria alvo de críticas pesadas no inicio do segundo tempo. Logo aos três minutos, o Goiás chegou ao gol em jogada bem trabalhada. Bolt lançou Carlinhos, que infiltrou na área com liberdade e, na saída de Danilo Fernandes, só rolou para o meio, onde chegava Gustavo para mandar para as redes. Jogada toda legal, mas, de repente, depois de toda a comemoração, Heber Roberto Lopes acabou anulando o lance.

Por muitos minutos, mesmo com o jogo transcorrendo, as pessoas no Serra Dourada, fossem em campo ou nas arquibancadas, tentavam entender o que o árbitro marcou no gol do Esmeraldino. Nem o quarto árbitro soube informar a causa da anulação do gol.

Para piorar ainda mais o clima, o Goiás perdeu uma segunda chance clara de gol com Carlos Eduardo, que ficou cara a cara com Danilo Fernandes, mas acertou o peito do goleiro Colorado. E o castigo veio logo em seguida, assim que Camilo entrou na vaga de Sasha.

Em seu primeiro toque na bola, Camilo deixou William Pottker livre para cabecear para o fundo do gol de Marcelo Rangel. Apenas seis minutos depois, aos 19, Camilo acertou outra linda assistência para o camisa 99, que teve tranquilidade para deslocar o goleiro rival e marcou o segundo gol, seu e do Inter.

Daí para frente, o Goiás se desmotivou de vez, a torcida passou a cobrar os atletas em campo e o Inter não teve muitos problemas para administrar a vitória até o apito final de Heber Roberto Lopes, o grande protagonista do duelo, apesar dos dois gols de Pottker.

FICHA TÉCNICA

GOIÁS 0 X 2 INTERNACIONAL

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)

Data: 18 de novembro de 2017, sábado

Horário: 17h (horário de Brasília)

Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)

Assistentes: Helton Nunes (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)

Cartões amarelos: Victor Bolt (Goiás); Leandro Damião (Inter)

GOLS: Internacional: William Pottker, aos 13 e aos 19 minutos do 2T

GOIÁS: Marcelo Rangel; Pedro Bambu, Alex Alves, Fábio Sanches (David Duarte) e Carlinhos; Elyeser (Andrezinho), Bolt (Saavedra) e Léo Sena; Carlos Eduardo, Gustavo e Nathan

Técnico: Hélio dos Anjos

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Cláudio Winck, Victor Cuesta, Thales e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, D’Alessandro, William Pottker (Nico López) e Eduardo Sasha (Camilo); Leandro Damião (Charles)

Técnico: Odair Hellmann

 

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Árbitro admite erro em clássico e pede 2ª chance com lágrimas nos olhos

(Foto: Marcos Ribolli)
(Foto: Marcos Ribolli)

O árbitro Thiago Duarte Peixoto assumiu o erro cometido no clássico Corinthians e Palmeiras na noite desta quarta-feira. Duas horas depois da vitória corintiana por 1 a 0, o juiz, com lágrimas nos olhos e visivelmente emocionado, pediu um segunda chance após cometer um equívoco ao expulsar o volante Gabriel no fim do primeiro tempo.

“Realmente houve um equívoco da arbitragem em um lance pontual feito por mim. No lance de contra-ataque, onde o jogador vai no contra-ataque, as diretrizes são de que se impede um lance promissor tem que aplicar amarelo e foi o que eu fiz, porém ao jogador errado”, disse Thiago.
O árbitro, que mostrou cartão vermelho a Gabriel depois que Maycon puxou o atacante Keno na intermediária, disse que soube do erro porque foi avisado após a partida. De acordo com ele, houve uma confusão entre os atletas.
“Eu sei disso porque, após a partida, temos um feedback dos diretores da arbitragem que viram a partida. Por que eu me confundo? No momento em que jogador puxa, o Pablo dá uma chegada dura por baixo onde fico preocupado. Quando levanto a cabeça, vejo o Gabriel. Olhei para ele e apliquei o amarelo erroneamente. Fui questionado também sobre o quarto árbitro ter me informado, mas foi questionado com assistentes porque achavam que eu dava a falta por baixo e não foi a falta que dei. Dei pelo puxão do Maycon o amarelo para o Gabriel”, explicou.
Thiago também frisou que o fato se tornará um aprendizado na carreira e disse que espera que o trabalho dele como árbitro de futebol tenha continuidade.
“Escolhi ser árbitro. Escolhi isso para a minha vida e se não estiver preparado para erros e acertos…se a comissão confiou em mim é porque eu merecia e espero continuar a carreira. É um aprendizado errar num clássico. Em um jogo de importância dessas. Foi o que escolhi para mim. Já passei por momentos delicados na vida pessoal e agora na vida profissional. Espero com muita fé e força de vontade continuar a carreira. Como quem comete um equívoco no trânsito, como quem não faz um gol. Eu apliquei o amarelo. Espero do fundo do meu coração que a minha carreira continue”, afirmou.
RODRIGO GAZZANEL/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Thiago Duarte Peixoto durante a confusão no fim do primeiro tempo

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

STJD suspende e multa árbitro Sandro Meira Ricci por atuação no Fla-Flu

(Foto: André Durão / GloboEsporte.com)
(Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) suspendeu por 60 dias e multou em R$ 1 mil o árbitro Sandro Meira Ricci por sua atuação na partida Fluminense 1 x 2 Flamengo, em 13 de outubro, pelo Campeonato Brasileiro.

Na ocasião, Ricci ignorou a marcação do auxiliar e validou um gol do zagueiro tricolor Henrique em impedimento. Após paralisação de 13 minutos, muita discussão e até a presença da polícia em campo, o árbitro voltou atrás em sua decisão e anulou o lance.

O Fluminense reclamou de interferência externa na arbitragem e chegou a entrar com solicitação no STJD para anular a partida, mas o tribunal, após suspender provisoriamente o resultado do jogo, acabou negando o pedido tricolor e restaurando os pontos do Flamengo na tabela.

Segundo a advogada de Ricci, o direito de defesa do árbitro foi cerceado, uma vez que ele está fora do país e não pôde comparecer ao julgamento no STJD. A defesa pediu para que a audiência fosse adiada, mas o tribunal não aceitou.

Com a punição, Ricci não apita mais no Brasileirão deste ano.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Árbitro saca arma durante partida de futebol amador em Minas

Em Brumadinho, árbitro saca arma durante discussão em partida de futebol
Em Brumadinho, árbitro saca arma durante discussão em partida de futebol

Um árbitro sacou uma arma durante uma partida de futebol em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, neste final de semana.

Durante o jogo entre Amantes da Bola e Brumadinho, pelo Campeonato Amador local, o juiz Gabriel Murta, 27, que também é policial militar, mostrou a arma durante uma confusão, mas em seguida foi contido pelos colegas.

De acordo com a Rede Globo, o profissional disse que foi agredido e que por se sentir ameçado procurou a pistola para se defender.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

No vídeo que mostra a confusão, é possível ver torcedores e jogadores correndo atrás do juiz após a expulsão de um jogador.

Conforme o site da Federação Mineira de Futebol, Murta apitou jogos da segunda divisão do campeonato mineiro, da 1ª divisão do sub-17 e da 1ª divisão do sub-15. Desde agosto, foram pelo menos 30 jogos como árbitro e como árbitro-assistente. Ainda não se sabe se ele será punido pela atitude.

FS

Árbitro do Majestoso irá processar Ganso por acusação de roubo

Ganso está fora da partida de sábado, no Morumbi  (Foto: site oficial / saopaulofc.net)
Ganso está fora da partida de sábado, no Morumbi
(Foto: site oficial / saopaulofc.net)

Aquilo não foi erro, foi roubo. Se fosse o Serginho Chulapa, ia no vestiário bater nele. Mas como isso não pode mais no futebol, o que o juiz fez foi palhaçada mesmo.

A declaração calorosa de Paulo Henrique Ganso após a derrota do São Paulo por 2 a 0 para o Corinthians, pela Libertadores, deverá render um processo contra o jogador. A acusação de roubo indignou o árbitro Ricardo Marques Ribeiro que deverá processar o meio-campista. Na ação, Ribeiro pedirá reparação de danos morais ao atleta tricolor.

Ganso se referia ao lance do segundo gol corintiano, quando o atacante Sheik teria feito falta sobre o lateral-direito Bruno. Tanto o árbitro, quanto o bandeirinha nada assinalaram e o Corinthians marcou após rápido contra-ataque.

Para piorar, Serginho Chulapa se manifestou nesta quinta-feira (19) em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo e falou sobre a polêmica acusação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

— Ele foi mal nessa. Foi infeliz. Ele quis justificar o fracasso diante do Corinthians culpando a arbitragem e acabou até me citando. Eu não gostei. Acabou me usando como exemplo para uma situação negativa.

Paulo Henrique Ganso também terá que se explicar na Justiça desportiva e poderá ser suspenso na Libertadores.

R7

Após ser agredido, árbitro de futebol atira em jogador e por pouco não é linchado

JOGOO ex-vereador de Taperoá, Salomão Marinho, quase foi linchado, na tarde deste domingo (06), durante uma partida de futebol no estádio municipal O Ribeirão. A confusão aconteceu, quando Salomão, que apitava o jogo, foi agredido.  Depois de ser agredido, o árbitro Salomão Marinho teria pegado uma arma, que estava em sua bolsa, e começou a briga. Na briga, ocorreu um disparo, que atingiu uma das pernas do atleta, que agrediu o árbitro. O jogador demorou a perceber que havia sido atingido (no vídeo abaixo é o de camisa vermelha que ferido é carregado por colegas). Nas imagens do vídeo é possível notar que jogadores encurralam o ex-legislador depois do tiro e que ele teria sofrido várias agressões. A vítima do disparo foi levado para o Hospital Geral de Taperoá e o ex-vereador teria sido encaminhado direto para unidade de tratamento fora da cidade.

MaisPB com Taperoá em Foco

Injustiça do árbitro anula 1º gol de Hulk na Copa, mas não tira brilho do paraibano na vitória do Brasil

hulkCom muito sofrimento no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG), a Seleção Brasileira se classificou para as oitavas de final da Copa do Mundo. Neste sábado, o time comandado por Luiz Felipe Scolari não jogou bem, empatou por 1 a 1 com o Chile no tempo normal e, nos pênaltis, levou a melhor por 3 a 2. Fez a diferença a atuação de Júlio César, que pegou duas cobranças e viu outra bater na trave.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O paraibano Hulk finalmente fez o gol na Copa do mundo, mas o árbitro da partida anulou alegando que foi gol de mão. Contudo, a imagem da televisão mostrou que o gol de Hulk foi legal, já que a bola pegou no ombro dele. E o paraibano foi considerado, pelos críticos e comentaristas nacionais, o ‘homem’ da partida, apesar de ter perdido o pênalti, num jogo chamado de loteria.

Agora, Brasil vai enfrentar o vencedor do confronto Colômbia x Uruguai, que acontece às 17h (de Brasília) deste sábado, no Maracanã, no Rio de Janeiro. A partida de quartas de final está marcada para sexta-feira, às 17h, no Castelão, em Fortaleza (CE).

paraiba.com.br


INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627