Arquivo da tag: aproxima

Real Madrid oferece R$ 157 milhões, supera Barça e se aproxima de Vinicius Jr

O Real Madrid deu um importante passo para ter Vinicius Junior em 2018: superou a concorrência do Barcelona, seu maior rival. O GloboEsporte.com apurou que o clube ofereceu impactantes 45 milhões de euros (cerca de R$ 157 milhões) para tirar o atacante do Flamengo na próxima temporada, quando completa 18 anos.

O investimento total chegará a 61 milhões de euros (R$ 212 milhões) – fora salários -, incluindo 8 mi de euros (quase R$ 28 mi) em luvas para o jogador e o mesmo valor em comissão para a empresa que o agencia.

Para efeito de comparação da magnitude do negócio, ano passado, o Palmeiras vendeu Gabriel Jesus, melhor jogador do Brasileirão e titular da Seleção, ao Manchester City por 32,7 milhões de euros (R$ 114 milhões).

Vinícius Júnior tem proposta do Real Madrid (Foto: Staff Images / Flamengo)

Vinícius Júnior tem proposta do Real Madrid (Foto: Staff Images / Flamengo)

O Barça oferecia 25 milhões de euros (R$ 87,33 milhões) para Vinicius Junior romper com o Rubro-Negro em 2018, mais 7 milhões de euros (R$ 24,45 milhões) de salários por ano – os mesmos valores mensais pagos a Neymar em seu primeiro contrato com os catalães. O camisa 11, inclusive, entrou em contato com a joia para tentar convencê-lo, mas não conseguiu.

O fato é que Vinicius Junior escolheu o Real Madrid como destino quando deixar o Flamengo. Enquanto isso, a ideia da diretoria rubro-negra é ter também retorno técnico com o jogador. Para tal, querem promovê-lo ao elenco principal comandado pelo técnico Zé Ricardo o mais breve possível e renovar o contrato até 2022, com novas bases – o atual vínculo vai até 2019. A renovação não impede a saída.

O acordo da ida de Vinicius Junior à Espanha está alinhado, mas as partes ainda não assinaram os contratos. Pelo acertado, ele ficará no Rubro-Negro até julho de 2018, quando completará 18 anos e a legislação permitirá a transferência.

Vinicius Junior tem multa rescisória estipulada em 30 milhões de euros (R$ 104 milhões), mas, diante da concorrência de diversos gigantes europeus o Real Madrid esticou a corda e chegou aos 45 milhões. O balanço anual indica que o Flamengo tem 100% dos direitos econômicos do garoto. Se isso for mantido na renovação, o Rubro-Negro fica com todo o valor.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do Flamengo disse: “não vamos comentar esse tipo de especulação. O foco do Flamengo é a final do Campeonato Carioca.”

Aos 16 anos, é tratado como joia na Gávea desde que chegou ao clube, em 2010. Ele foi o principal destaque da base desde o time sub-13. Neste ano, sagrou-se campeão, melhor jogador e artilheiro do Campeonato Sul-Americano sub-17.

GE

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Bombas voltam a funcionar e Transposição se aproxima da PB

rio sãoNeste domingo (05) as bombas flutuantes começaram a jogar água do reservatório de Campos para Barro Branco, último açude antes de Poções, em Monteiro. Estão a caminho as águas que mudarão a realidade social e econômica do interior paraibano, apesar do vazamento da última sexta-feira (03), que paralisou a transposição.

Um vídeo mostra o trabalho das equipes do Ministério da Integração no reservatório que apresentou vazamento.

Veja o vídeo

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Chapecoense vence São Paulo em casa e se aproxima do G6

sao-pauloMesmo focada na Copa Sul-Americana, a Chapecoense foi com força total para o jogo contra o São Paulo, neste domingo, e saiu de campo com uma vitória importante por 2 a 0. Com isso, o time catarinense, que atingiu a marca de três vitórias consecutivas, assume o 8º lugar, chega aos 52 pontos e fica a três do G6. Já o São Paulo segue na 13ª colocação, com 46 pontos, e não tem nenhuma chance de se classificar para a Copa Libertadores de 2017.

O São Paulo até criou chances de gol e poderia ter aberto o placar no 1º tempo, mas a Chapecoense reagiu e fez dois gols em cinco minutos: aos 40min, Dener acertou um chute cruzado na rede. Aos 45min, Tiaguinho arriscou de fora de área e ampliou a vantagem.

No 2º tempo, o São Paulo continuou a ter mais posse de bola, mas errou demais nos últimos passes e nas finalizações. O técnico Ricardo Gomes tentou fazer substituições, mas o time tricolor continuou no mesmo ritmo lento e nem pressionou a Chapecoense.

Na próxima rodada o São Paulo vai enfrentar o Atlético-MG fora de casa. A Chapecoense enfrentará o Palmeiras em São Paulo, jogo que pode decidir o título do Campeonato Brasileiro.

O melhor: Lucas Gomes

O atacante nem é titular absoluto da Chapecoense, mas soube aproveitar a oportunidade, principalmente por participar de quase todos contra-ataques perigosos do time. Os dribles, passes e finalizações assustaram a defesa do São Paulo.

Quase golaço

Aos 9min do 2º tempo, Lucas Gomes avançou em velocidade, deixou o zagueiro Maicon no chão e rolou a bola para trás, nos pés de Tiaguinho, que chutou em cima de João Schmidt e por pouco não fez um golaço.

O pior: Robson

O jogador recebeu uma chance no ataque do São Paulo, mas não soube aproveitar. Desperdiçou três boas chances de finalizar e foi substituído por Jean Carlos, aos 19min do 2º tempo.

Gol do futuro reforço?

O São Paulo cogita contratar um lateral esquerdo para 2017 e um dos cogitados é Dener, da Chapecoense, que fez o primeiro gol do jogo. “Ele é um dos que estão sendo observados. Tem uma lista. É um jogador possível, viável”, afirmou Marco Aurélio Cunha, diretor executivo do São Paulo.

 

Que venha o San Lorenzo

Antes de continuar sua jornada no Campeonato Brasileiro, a Chapecoense disputará o segundo jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília). A primeira partida, na Argentina, terminou com empate por 1 a 1 com o San Lorenzo.

CHAPECOENSE x SÃO PAULO

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 20/11/2016 (domingo)
Árbitro:  Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Auxiliares: Leirson Martins (RS) e Maurício Coelho Silva Pena (RS)
Cartões amarelos:  Neto (CHA), João Schmidt (SÃO)
Gols: Dener, aos 40min do 1º tempo; Tiaguinho, aos 45min do 1º tempo

SÃO PAULO
Denis; Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Thiago Mendes, João Schmidt, David Neres (Daniel), Cueva e Robson (Jean Carlos); Pedro (Gilberto)
Técnico: Ricardo Gomes

CHAPECOENSE
Danilo; Caramelo, Thiego, Neto e Dener; Josimar, Matheus Biteco (Arthur Maia) e Cleber Santana (Gil); Lucas Gomes, Tiaguinho (Ananias) e Bruno Rangel
Técnico: Caio Jr.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Santos aumenta tabu contra o SP e se aproxima dos líderes do Brasileirão

santosCom um gol-relâmpago no segundo tempo, o Santos venceu o clássico contra o São Paulo, realizado no Pacaembu. Nesta quinta-feira (13), o tento de Copete garantiu três pontos para a equipe de Dorival Júnior, que volta a sonhar com a chance de título no Campeonato Brasileiro – o líder Palmeiras apenas empatou com o Cruzeiro.

A vitória leva ao Santos para os 54 pontos, na quarta colocação. O Palmeiras lidera o torneio com 61. Na parte de baixo, o quinto jogo sem vencer deixa o São Paulo com o sinal de alerta em relação ao rebaixamento. Com 36 pontos, a equipe de Ricardo Gomes está apenas três pontos à frente do Internacional, primeira equipe na zona da degola.

O resultado do clássico aumenta, também, o tabu no duelo. Contando com o jogo desta quinta-feira, o Santos chegou ao sexto jogo sem saber o que é derrota, com cinco vitórias e um empate. O último triunfo são-paulino aconteceu em 3 de junho de 2015: 3 a 2, no Morumbi.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Grêmio, na Vila Belmiro, no domingo (16). Um dia depois, o São Paulo visita o Fluminense, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

São Paulo volta sonolento e Santos não perdoa

Depois de um primeiro tempo em que terminou pressionando o Santos, o São Paulo foi surpreendido logo no minuto inicial da segunda etapa. Contra uma defesa desorganizada, Lucas Lima achou Copete livre na entrada da área. O colombiano teve calma para dominar e bater rasteiro no canto direito de Denis, que não conseguiu tocar na bola.

São Paulo vai melhor no primeiro tempo, mas sofre na armação

O São Paulo começou melhor a partida. Com chances mais claras, o time de Ricardo Gomes conseguiu anular o Santos na primeira etapa. O principal destaque foi o atacante Robson, autor das principais jogadas, vindo sempre pelo centro do campo. As chances do São Paulo, no entanto, quase sempre eram criadas por desarmes, com a bola no pé, o time do Morumbi sentia dificuldades para conseguir criar oportunidades reais.

Kelvin perde vaga, mas entra rápido

Nos treinos que antecederam o clássico, Ricardo Gomes dava indício de que poderia fazer mudanças no time titular do São Paulo. E assim foi. Para a partida, o treinador optou por Robson no time titular no lugar de Kelvin. O camisa 30, no entanto, ficou ponto tempo no banco de reservas. Aos 30 minutos da primeira etapa, Carlinhos sentiu a coxa esquerda e precisou deixar a partida, sendo substituído por Kelvin.

Torcida perde a paciência com o São Paulo

O São Paulo entrou em campo com a incômoda sequência de quatro jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro. A situação fez com que a torcida presente no Pacaembu mostrasse muita impaciência com o time. E os maiores alvos da pressão foram o técnico Ricardo Gomes e o volante Wesley. O primeiro chegou a ouvir gritos de “burro”, enquanto o segundo foi muito vaiado quando deixou a equipe para a entrada de Cueva.

Lágrimas no banco santista

Reprodução/Premiere

O lateral Victor Ferraz não conseguiu conter o choro no banco de reservas do Pacaembu, enquanto recebia atendimento médico. O jogador deu lugar a Daniel Guedes no time santista aos 7 minutos do segundo tempo, por causa de dores no tornozelo direito.

Michel Bastos não fica nem no banco

Vivendo uma temporada irregular e com polêmicas, Michel Bastos foi cortado da partida. A versão do São Paulo é que foi uma opção da comissão técnica. Dessa maneira, o meia não ficou nem no banco de reservas.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 1 SANTOS

Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Pacaembu (SP)
Data: 13/10/2016, quinta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Público: 28.321 pagantes
Renda: R$ 578.430,00
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Junior, ambos do RS
Cartões amarelos: Mena e Robson (São Paulo); Luiz Felipe e Copete (Santos)
Gols: Copete (1’/2ºT), para o Santos

SÃO PAULO: Denis; Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio, Mena; Hudson (Jean Carlos), Thiago Mendes, Wesley (Cueva), Carlinhos (Kelvin); Chavez e Robson. Técnico: Ricardo Gomes

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes), Luiz Felipe, David Braz, Zeca; Thiago Maia, Renato, Jean Mota, Lucas Lima (Yuri); Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Flu derruba Corinthians nos acréscimos e se aproxima do G-4

ciceroNos acréscimos, o Fluminense venceu o Corinthians por 1 a 0 na fria tarde de domingo (25) na 27ª rodada do Brasileirão. O jogo, que teve o pior público da história de Itaquera, aproximou o Tricolor das Laranjeiras do grupo dos quatro classificados para a próxima Copa Libertadores. Já os anfitriões do confronto se afastaram do G-4.

O jogo voltou a ter polêmica envolvendo a arbitragem, mas com bem menos intensidade ao comparar o encontro entre as equipes no meio de semana. Marcos Júnior foi agarrado por Marquinhos Gabriel dentro da área, mas Anderson Daronco não marcou a infração.

Com o resultado, o Fluminense chegou aos 43 pontos e subiu para a quinta colocação. Já o Corinthians se afastou do G-4, ficou em sétimo, com os mesmos 41 pontos somados.

Pelo Brasileirão, o Corinthians volta a jogar no próximo sábado, às 16h30, contra o Botafogo, fora de casa. Antes disso, volta a jogar em casa diante do Cruzeiro, pela partida de ida das quartas de finais da Copa do Brasil. Eliminado da competição mata-mata, o Fluminense recebe o Sport no mesmo dia, mas às 11h, pelo Brasileirão.

Goleiros trabalham bem

A exemplo do que se passou na quarta-feira, o primeiro tempo não teve rede balançando. A diferença, no entanto, é que o futebol apresentado pelas duas equipes é bem melhor. Walter (que, de última hora, substituiu Cássio que sentiu dores no aquecimento) e Júlio César precisaram trabalhar.

O corintiano, aliás, fez praticamente um milagre ao impedir o gol de Marcos Junior aos 24 minutos. O atacante fez a diagonal após passe de Scarpa e finalizou bem, mas viu Walter evitar a abertura do placar. Um minuto depois, foi a vez do goleiro tricolor trabalhar após boa jogada de Romero, que deu até rolinho no adversário.

Polêmica de arbitragem (de novo)

Os jogadores do Fluminense ficaram reclamando bastante de um pênalti de Marquinhos Gabriel em Marcos Junior. As imagens da televisão mostram o corintiano impedindo o atacante da equipe carioca de disputar a bola. Na quarta-feira, jogadores, membros da comissão técnica e da diretoria deixaram Itaquera revoltados com três gols anulados por impedimento e dois supostos pênaltis que não foram assinalados.

Fluminense põe Walter para trabalhar

Walter voltou a se destacar por boas defesas no início do segundo tempo. Novamente o duelo foi com Marcos Junior, que disparou pela direita e chutou cruzado. De ponta de dedo, o corintiano voltou a evitar que sua meta fosse vazada. A resposta veio com dois bons chutes de Giovanni Augusto em um espaço de dez minutos depois: Júlio César caiu bem para fazer defesas seguras.

Gum deixa taco espanar e quase faz gol contra

Quando a torcida corintiana começava a se conformar com o empate, Gum quase passou vergonha em Itaquera. A bola foi alçada na área do Fluminense, e o zagueiro tentou afastar o perigo de primeira. O problema foi que a bola bateu na canela do atleta e parou no travessão de Júlio César.

Carille repete escalação e bola não chega em Romero

Fábio Carille voltou a escalar a equipe com a mesma formação no seu segundo jogo no comando do Corinthians. A exceção foi Cássio, que precisou ser substituído por causa de dores no ombro. O time valorizou a posse de bola, revezava com chegadas de Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel à frente, mas tinha dificuldades de colocar Romero para jogar.

Nas vezes que conseguiu, levou perigo a Júlio César. Romero, inclusive, encaixou uma bela bicicleta aos 34 minutos do 2º tempo, mas viu o goleiro voltar a defender bem. Marlone quase não tocou na bola e foi substituído por Lucca.

Nos acréscimos!

No último minuto dos acréscimos, o Fluminense surpreendeu o Corinthians com o gol da vitória. Scrapa levantou na área, a bola sobrou para Magno Alves, que tocou para Cícero mandar para o fundo das redes.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 0 X 1 FLUMINENSE

Data: 25 de setembro, domingo
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco – RS (FIFA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (Asp-Fifa) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior  (ambos do RS)
Cartões amarelos: Guilherme Arana, Giovanni Augusto e Gustavo (Corinthians); Gum e Henrique (Fluminense)
Público e renda: 19.183 pessoas e R$ 914.004,50

Gol: Fluminense – Cícero, aos 49 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Walter; Fagner, Yago, Balbuena e Arana; Camacho; Rodriguinho, Giovanni Augusto (Gustavo), Marquinhos Gabriel e Marlone (Lucca); Romero
Técnico: Fábio Carille

FLUMINENSE: Julio Cesar; Igor Julião, Henrique, Gum e Willian Matheus; Pierre, Douglas (Marquinho), Cícero e Gustavo Scarpa; Wellington (Magno Alves) e Marcos Júnior (Richarlison)
Técnico: Levir Culpi

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Grêmio e Palmeiras param no travessão, e Fla se aproxima do time alviverde

RODRIGO RODRIGUES/GREMIO FBPA
RODRIGO RODRIGUES/GREMIO FBPA

Grêmio e Palmeiras não saíram do zero, neste domingo (11), em Porto Alegre. E mesmo que os donos da casa tenham produzido mais, o motivo para o empate foi o mesmo nos dois lados: o travessão. Edilson e Dudu acertaram a trave nos lances mais chamativos do duelo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Para o Palmeiras, o empate não chega a ser ruim. Com 47 pontos, o time de Cuca segue isolado na liderança do Brasileirão. Com um ponto de diferença em relação ao Flamengo, segundo colocado.

Já para o Grêmio, o placar fechado é muito ruim. Com 37 pontos, o time gaúcho segue em sexto. E chega a cinco rodadas sem vencer no campeonato.

Na próxima rodada, o Grêmio visita a Ponte Preta, na quarta-feira (14), às 21h (Brasília). Já o Palmeiras recebe o Flamengo, no mesmo dia, às 21h45 (Brasília).

Quem foi bem: Jailson, do Palmeiras

Um repertório rico de defesas ajudou o Palmeiras em Porto Alegre. Jailson, primeiro, abafou Pedro Rocha e conseguiu salvar o que seria uma finalização perigosa na etapa inicial. Depois, o substituto de Fernando Prass desviou de leve e tirou o chutaço de Edilson do gol para a trave.

Quem foi mal: Bolaños

A sina do equatoriano continua. Reforço mais caro do Grêmio no ano, o camisa 23 se esforçou bastante. Tentou muito. Mas produziu pouco. Ficou longe de ser protagonista, não teve nenhuma finalização perigosa e foi sacado aos 36 do segundo tempo. Mesmo aplaudido pela torcida, esteve abaixo do esperado outra vez.

Gabriel Jesus x Luan, o duelo

Campeões olímpicos, referências ofensivas em seus respectivos times. Os dois travaram um duelo particular e de funções. Enquanto Gabriel Jesus foi melhor na técnica, com boas jogadas individuais, Luan conseguiu ser mais efetivo. Foi do camisa 7 a melhor chance na disputa entre os dois. O camisa 33 saiu na metade da etapa final levando consigo bons dribles, mas nenhuma conclusão.

Grêmio comanda o jogo, mas desperdiça chances

De volta ao 4-2-3-1, o Grêmio retomou as infiltrações e a troca constante de Bolaños e Luan como figura de referência no ataque. A atuação ainda teve acréscimo de bolas longas, para evitar a transição e possível contra-ataque com a defesa aberta. Com ímpeto, o time gaúcho foi mais criativo. Pecou nas finalizações tanto no primeiro como no segundo tempo e não conseguiu aproveitar os espaços concedidos pelo Palmeiras.

Palmeiras é discreto e só fica perto do gol no final

Uma atuação coletiva discreta, com poucas finalizações e volume reduzido. Mesmo com Gabriel Jesus levando a melhor nos duelos contra a defesa do Grêmio, o Palmeiras foi abaixo do esperado. Produziu menos que o adversário e conseguiu crescer apenas na reta final da partida. Com a entrada de Cleiton Xavier, o meio-campo ficou mais criativo. Foi nesse período que Dudu acertou o travessão em lance incrível dentro da área.

Roger resgata esquema, mas é conservador

Depois de levar 4 a 0 diante do Coritiba, Roger Machado voltou a usar o 4-2-3-1. Com o esquema tradicional de sua passagem pelo tricolor, o treinador retomou ideias e fez uma partida melhor. Bem melhor relação as atuações recentes. Na hora de mexer, contudo, houve conservadorismo. Walace foi substituído por Ramiro, Pedro Rocha por Guilherme e Bolaños por Batista. Sem ousadia.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X PALMEIRAS

Data: 11/09/2016 (domingo)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 21.578 (19.514 pagantes)
Renda: R$ 671.308,00
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)Auxiliares: Luiz Antonio Barbosa e Marconi Helbert Vieira (ambos de MG)
Cartões amarelos: Edilson, Kannemann, Douglas, Walace (GRE); Edu Dracena, Gabriel, Jailson (PAL)

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace (Ramiro), Jailson, Pedro Rocha (Guilherme), Douglas e Bolaños (Batista); Luan
Técnico: Roger Machado

PALMEIRAS: Jailson; Gabriel, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Tchê Tchê, Roger Guedes (Cleiton Xavier), Moisés (Lucas Barríos) e Dudu; Gabriel Jesus (Rafael Marques)
Técnico: Cuca

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Corinthians passeia com dois de Love e aproxima Cruzeiro da zona da degola

corintiansO Corinthians se comportou como líder, de fato, neste domingo. Com direito a público recorde da Arena em Itaquera, não deu qualquer chance para o Cruzeiro e ganhou de 3 a 0 para empurrar a equipe de Vanderlei Luxemburgo ladeira abaixo.

O personagem da partida foi Vagner Love. Tão criticado pelo jejum, ele não só fez dois gols como também jogou melhor e se entendeu mais com o restante da equipe. Também houve gol de Jadson, agora o artilheiro do Corinthians em jogos oficiais de 2015.

Se foi bom para o Corinthians, o jogo foi péssimo para o Cruzeiro. Luxemburgo acreditou que havia achado seu time ideal, mas agora é 15º colocado com um ponto de distância para a zona de rebaixamento. Fábio, Mayke e Mena, em especial, tiveram jornadas desastrosas em São Paulo.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Com 41014 pagantes, a Arena Corinthians teve seu novo recorde de público, exceto os jogos da Copa do Mundo, com arquibancadas temporárias. Fruto, principalmente, dos novos preços adotados para os ingressos.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 3 x 0 CRUZEIRO

Data: 23/08/2015
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (Fifa – RJ)
Assistentes: Rodrigo F Henrique Correa (Fifa – RJ) e Luiz Claudio Regazone (Asp Fifa – RJ)
Cartões amarelos: Gil, Bruno Henrique, Fabrício
Público e renda: 41014 pagantes e R$ 2.671.941,50
Gols: Vagner Love, aos 15min, Renato Augusto, aos 43min do primeiro tempo, Vagner Love, aos 2min do segundo tempo.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Bruno Henrique (Ralf); Jadson (Matheus Pereira), Elias, Renato Augusto e Malcom; Vagner Love. Treinador: Tite.

CRUZEIRO: Fábio; Mayke (Fabiano), Manoel, Paulo André e Mena; Charles (Willian), Henrique e Fabrício; Alisson, Leandro Damião e Marquinhos (De Arrascaeta). Treinador: Vanderlei Luxemburgo

Uol

Com gol polêmico de Lima, CRB bate o Campinense e se aproxima do Bahia

O CRB conquistou sua primeira vitória no Nordestão. Jogando nesta quinta-feira no Estádio Rei Pelé, o Galo não empolgou sua torcida, mas derrotou o Campinense por 1 a 0 e chegou a cinco pontos na classificação do Grupo E, mantendo o segundo posto. O único gol do jogo foi marcado aos 32 minutos da primeira etapa, pelo centroavante Lima, que, após cobrança de escanteio, deslocou a marcação e cabeceou para a rede da Raposa. O lance causou muita polêmica e o próprio atacante do Galo admitiu que a jogada foi confusa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

– O árbitro estava encoberto, acabei tocando o adversário e fiz o gol. O resultado foi importante. Precisávamos muito dos três pontos, até porque o Bahia venceu e agora o CRB encostou, assegurando a segunda colocação – declarou Lima.

CRB x Campinense, no Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz/ Gazeta de Alagoas)CRB x Campinense, no Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz/ Gazeta de Alagoas)

O técnico Francisco Diá reclamou do gol regatiano e admitiu que a situação da Raposa está complicada. Com apenas um ponto, a Raposa segura a lanterna da chave e vai tentar definir sua sorte no segundo jogo contra o CRB no dia 4 de março, às 21h45, em Campina Grande.

– A gente teve uma boa participação no jogo, mas faltou o gol. O árbitro também dificultou. Eu não vi o lance do gol (do CRB), mas os jogadores passaram para mim que empurraram o Marcão. Poderíamos ter saído de campo pelo menos com um empate. Ficou muito difícil a classificação, mas, enquanto der, vamos lutar – comentou o treinador.

Gol e muita reclamação

O CRB começou o jogo com dificuldades na marcação pelas laterais. Pirão dava muito espaço na esquerda e por pouco o Campinense não aproveitou. Aos sete minutos, Alvinho passou com facilidade pelo lateral e bateu fraco. Julio Cesar soltou e Reginaldo perdeu ótima chance, parando no goleiro do CRB.

O problema na lateral foi detectado pelo técnico Ademir Fonseca, que sacou Pirão e apostou em João Victor em 25. No primeiro lance, o camisa 6 perdeu uma bola no campo ofensivo e, no contra-ataque, Reginaldo acertou a trave do Galo. Parecia que a noite era da Raposa. Parecia.

Em dificuldade na partida, o CRB achou um gol aos 35 minutos. Morais cobrou escanteio pela direita, o goleiro Marcão soltou e Lima testou para a rede. Os jogadores do Campinense reclamaram muito do lance, alegando falta no goleiro, mas o árbitro nada marcou.

Mais confiante, o CRB melhorou. O time fez linda trama com Morais, de letra, João Victor e Fernando, que bateu da área e obrigou o goleiro do Campinense a pratica linda defesa.

Expulsão no segundo tempo

O Galo foi mais cauteloso no segundo tempo. O time recuou, a Raposa ficou mais com a bola, mas tinha muitas dificuldades para criar as jogadas. A partida ficou feia, muito disputada na intermediária. Sobravam faltas e jogadas mal feitas.

Aos 41 minutos, Leandro Santos acertou Douglas Packer, que havia entrando na etapa final no lugar de Fernando, e foi expulso de campo. Com um homem a mais, o CRB apenas administrou o resultado até o fim da partida.

 

Globoesporte.com

Vasco reencontra Maracanã, vitória, e se aproxima da série a: 1 a 0 no ABC

vascoFazia tempo que o Vasco não jogava no Maracanã. Quase sete meses. Empolgados, os vascaínos compareceram ao reencontro – o público foi de 42.408 pagantes e quase 50 mil presentes (49.460), com renda de R$ 1.324.410. Gritaram o tempo inteiro. Teve até ola. Disseram sim aos apelos da diretoria com louvor. O time precisava quebrar o jejum de quatro partidas sem vencer na Série B para ficar mais perto do retorno à Primeira Divisão. E, mesmo com um futebol ainda devendo, principalmente no primeiro tempo, pelo menos conseguiu os três pontos. A vitória sobre o ABC na tarde deste sábado por 1 a 0 marcou bem o retorno do técnico Joel Santana ao estádio onde sagrou-se tantas vezes campeão – foram 1.576 dias de espera.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O gol de Douglas, de pênalti, aos 48 minutos do primeiro tempo, deixou o Vasco com 59 pontos na tabela. Na terceira posição, o time busca os 65 pontos que, nas contas mais recentes, o garantiriam de volta à Série A em 2015 – Joinville e Ponte Preta já conseguiram duas das quatro vagas. Na próxima rodada, a de número 35,  os cruz-maltinos vão a Fortaleza encarar o Ceará, no Castelão. O ABC, que se mantém com 41 pontos e na 13ª posição, ainda busca se livrar de vez do descenso. Na terça-feira, vai encarar a já rebaixada Portuguesa no Canindé.

Douglas Gol, Vasco x ABC (Foto: Cezar Loureiro / Agência o Globo)Douglas vibra com gol de pênalti – bola bate na trave antes de entrar (Foto: Cezar Loureiro / Agência o Globo)

Gol de pênalti

A torcida fez a sua parte. Com 30 minutos de jogo, ainda tinha fila de torcedores do lado de fora para entrar. Em campo, o Vasco saiu com vantagem no marcador, mas decepcionou no primeiro tempo. Ir ao ataque era o lema assim que o juiz apitou a saída de jogo. Os mais de 40 mil pagantes se inflamaram. Mas o time teve dificuldade de tudo. De evoluir as jogadas pelas laterais, pelo meio ou até de bater para o gol de longe. O meio-campo tomava a bola, mas pouco se criava. Faltava inspiração a Douglas. Carlos César e Diego Renan tentavam, mas não chegavam ao fundo. A bola nem ia para Kléber. Máxi Rodríguez se desdobrava. E quem levou perigo primeiro foi o ABC. Aos 15 minutos, Fábio Bahia fez boa jogada pela esquerda e tocou para Rodrigo Silva bater. A bola resvalou na zaga, e Martín Silva defendeu.

Os cruz-maltinos tentavam dar o troco. Kleber fez boa jogada com Diego Renan, que no entanto encontrou uma defesa atenta para interceptar o cruzamento. E foi assim durante boa parte do tempo. A torcida se impacientou. O ABC se aproveitou. Defesa marcando bem. Diego Jussani e Suéliton firmes, meio-campo pegador, com Fábio Bahia veloz, laterais esforçados e um Rodrigo Silva atento no ataque. Mais uma vez teve a chance de abrir o placar, em centro do veloz Samuel. A bola passou rente à trave. O susto não ficou por aí. Ronaldo Mendes mandou petardo, e Martín Silva fez outra boa defesa. Sim, o ABC criou três boas oportunidades.

Guinazu, Vasco x ABC (Foto: Cezar Loureiro / Agência o Globo)Volante Guiñazu mostra o empenho de sempre
(Foto: Cezar Loureiro / Agência o Globo)

A equipe potiguar poderia ter saído de campo com a vantagem nos primeiros 45 minutos. Mas futebol tem dessas coisas. Aos 45 minutos, naqueles momentos de branco total, a defesa toda errou. Madson escorregou, Diego Renan tomou a bola e centrou. Diego Jussani falhou, a bola sobrou para Carlos César, que invadiu e foi derrubado por Gilvan. Pênalti e expulsão do goleiro, último homem da defesa. Douglas cobrou, a bola bateu numa trave e morreu na rede do outro lado: 1 a 0, nos acréscimos, aos 48. A torcida vibrava.

E se o Vasco demorou 48 minutos para chutar a gol – no caso, com sucesso -, demorou apenas um na segunda etapa para levar perigo. Aranda, eficiente no combate, pegou sobra de escanteio e chutou com perigo de canhota, rente à trave. Agora com um jogador a mais, o time se soltou e encontrou um ABC recuado. Pedro Ken se contundiu logo e cedeu lugar para Thalles. O atacante não demorou a aparecer bem, mas bateu no meio do gol, para defesa de Camilo. Diego Renan também teve a sua chance, mas a bola foi para fora. O ABC já estava entregue quando Douglas fez linda jogada e quase marcou golaço. O ABC ainda tentou no fim, mas a vitória estava sacramentada. E a torcida vascaína reencontra com alegria o Maracanã, pela primeira vez depois da final do Campeonato Carioca, contra o Flamengo.

 

Globoesporte.com

Asteroide que se aproxima da Terra tem potência da bomba de Hiroshima; “Risco de choque é real”, alerta cientista

asteroideNão é ficção científica! Um asteroide vai colidir com a Terra. Pode não ser nesta próxima sexta-feira (15), mas o perigo de uma pequena montanha voadora (de 45 a 50 metros de diâmetro e cerca de 130 mil toneladas de massa) colidir com o nosso planeta é real — e comprovado por especialistas.

“Tem gente que ainda acha que o risco de choque de um asteroide é uma coisa de ficção científica. Mas, isto é absolutamente real. Já aconteceu no passado”, conta o doutor em Ciências pela USP e editor-chefe da revista Scientific American Brasil, Ulisses Capozzoli.

O asteroide DA14 se desloca pelo espaço a aproximadamente 28 mil km/h. Portanto, com tanto peso e tão rápido, o choque de um asteroide do mesmo tamanho que o DA14 com a Terra seria equivalente a uma nova bomba atômica, como a jogada na cidade de Hiroshima na Segunda Guerra Mundial.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Imagine um martelo desse vindo do espaço, viajando a quase 30 mil km/h pesando 130 mil toneladas. É literalmente uma martelada na superfície da Terra. No caso deste asteroide, as estimativas que estão sendo feitas é que esta energia seria equivalente a de uma bomba atômica”, explica o cientista

O DA14 vai passar muito perto da Terra, levando em conta as distâncias no espaço. “A passagem deste asteroide a mais ou menos 27 mil km de distância é muito pequena. Isto deve servir para nós como um alerta”, afirma Capozzoli.

O asteroide da série Apollo (que penetra o interior da órbita da Terra em torno do Sol), de 45 metros de diâmetro (meio campo de futebol) não oferece  risco de colisão com o planeta, porém o cientista tem a certeza de que outro asteroide do tipo irá atingir a Terra no futuro.

MaisPB 

com R7