Arquivo da tag: aparecer

Exames podem detectar autismo em crianças antes de sintoma aparecer

autismoExames cerebrais de ressonância magnética podem detectar autismo antes que qualquer sintoma comece a surgir, afirmam pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

Atualmente, as crianças podem ser diagnosticadas a partir dos dois anos de idade, mas, em geral, isso costuma ocorrer mais tarde. O estudo, publicado na revista “Nature” , entretanto, mostra que as origens do autismo estão bem antes disso –no primeiro de ano de vida. As descobertas do estudo podem levar a um diagnóstico precoce e até mesmo a terapias imediatas.

De acordo com o levantamento, uma em cada cem pessoas tem autismo, condição que afeta o comportamento e interação social. A pesquisa analisou 148 crianças, incluindo aquelas com alto risco de autismo porque tinham irmãos mais velhos com o distúrbio. Todos foram submetidos a exames de ressonância magnética aos seis, 12 e 24 meses de vida.

“Muito cedo, no primeiro ano de vida, vemos diferenças de área de superfície do cérebro que precedem os sintomas que as pessoas associam tradicionalmente com autismo”, disse à BBC o médico Heather Hazlett, um dos pesquisadores da Universidade da Carolina Norte.O estudo revelou diferenças iniciais no córtex cerebral, a parte do cérebro responsável por funções de alto nível –como linguagem por exemplo– em crianças que depois viriam a ser diagnosticadas com autismo.

“Os exames indicam que essas diferenças do cérebro podem ocorrer em crianças com alto risco de autismo”, afirma Hazlett. O estudo abre possibilidades para avanços na forma que a doença é tratado e diagnosticada.

Escaneamentos do cérebro de bebês, particularmente em famílias de alto risco, podem levar a um diagnóstico precoce. Acredita-se que, a longo prazo, possam surgir exames de DNA, aplicáveis a todas as crianças, capazes de identificar aquelas em que o risco de ter autismo é alto.

Com a doença diagnosticada cedo, é possível implantar antes terapias comportamentais –como treinar pais a interagir com o filho autista– em busca de resultados mais eficientes.

INTERVENÇÃO PRECOCE

Outro pesquisador do projeto, Joseph Piven, diz que agora pode ser possível identificar crianças propensas a ter autismo. “Isso nos permite intervir antes que apareçam os comportamentos da doença. Há amplo consenso de que há mais impacto antes que os sintomas tenham se consolidado. O resultado dessa pesquisa é muito promissor”, afirmou.

Com a descoberta, os pesquisadores afirmam ser possível prever quais crianças desenvolverão autismo com 80% de precisão.

“É possível que a varredura feita através de ressonância magnética (MRI, sigla em inglês) possa ajudar as famílias que já têm uma criança autista para acessar o diagnóstico anterior de crianças subsequentes. Isso significaria que essas crianças poderiam receber o apoio certo tão cedo quanto possível”, diz Carol Povey, diretora da Sociedade Nacional de Autistas da Grã-Bretanha.

A especialista afirma, no entanto, que o autismo pode se manifestar de diferentes maneiras e “nenhum teste único poderia ser capaz de identificar o potencial de autismo em todas as crianças”.

Com informações da Folha de SP.

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Seca fez aparecer cemitério submersos em barragem de Acauã e restos mortais serão transferidos

barragem acauãnA estiagem tem provocado redução de água nos principais açudes da Paraíba. Um dos reservatórios atingidos pela longa estiagem, é a barragem Argemiro de Figueiredo mais conhecida como Acauã construída na cidade de Itatuba.

A seca fez aparecer todo um cemitério que estava debaixo de água no local onde Acauã foi construída. Isso aconteceu porque na década de 80 quando foram iniciadas as obras da barragem que levariam água para Campina Grande e mais 19 municípios, os dois cemitérios que existiam nos distritos de Pedro Velho em Aroeiras e Cajá em Itatuba, não foram retirados e ficaram submersos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Com a redução do volume de água, os túmulos começaram a aparecer. A luta dos moradores agora é remover os restos mortais dos entes-queridos para novas sepulturas nos municípios de Itatuba (PB) e Aroeiras (PB), localizados a 117 e 146 km da capital.

A transferência foi determinada pelo Ministério Público Federal após reunião com prefeitos dos referidos municípios e representantes do Movimento Atingidos por Barragens, Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) e Agência Executiva de Águas da Paraíba (Aesa).

A retirada das ossadas deverá acontecer ainda este mês com base no reconhecimento dos túmulos pelas famílias dos sepultados e autorização delas para a remoção. As prefeituras de Itatuba e Aroeiras se dispuseram a disponibilizar cemitérios para receberem os restos mortais.

Conforme o procurador regional dos direitos do cidadão José Godoy Bezerra de Souza, a retirada dos restos mortais se dará pelos municípios e com o apoio dos próprios familiares das comunidades.

A barragem de Acauã é a maior da Paraíba com capacidade para acumular 253 milhões de metros cúbicos de água, e está com 16% de sua capacidade. Ou seja, ela acumula menos de 42 milhões de metros cúbicos de água.

O início da construção da barragem remonta aos anos de 1980 na gestão do então governador José Maranhão (PMDB). Sua fase final somente ocorreu por volta de 1999, sendo efetivamente concluída em agosto de 2002. Devido a fortes chuvas, após dois anos de construída, a barragem atingiu o seu nível máximo, causando danos para os moradores que ainda se encontravam dentro da área a ser alagada. Estudos realizados indicavam que demoraria, pelo menos, cinco anos para a cheia ocorrer.

O empreendimento causou o deslocamento de cinco mil pessoas – cerca de 900 famílias que viviam às margens do rio Paraíba. A barragem sangrou em  2006 e 2011.

Severino Lopes

PBAgora

Secretário minimiza ‘ameaças’ de morte que capitão da PB teria recebido: ‘tem muita gente querendo aparecer’

walber virgolinoO secretário de Administração Penitenciária da Paraíba, Wallber Virgolino, comentou em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação que ‘quem fica preocupado em querer aparecer, dizendo na TV que está sendo ameaçado, está querendo aparecer’.

Para Virgolino, quem recebe ameaças fica preocupado em saber como vai contra-atacar e pede para quando se escutar essa frase as pessoas pensem e ‘deem um desconto’.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Sobre o caso específicio do Capitão Kelton, o secretário afirmou que a declaração do policial foi, de certa forma, ‘distorcida’. “Liguei para ele que disse que pegaram só um trecho da conversa e não foi daquele jeito que não tinha dito tudo. Disse um negocinho de nada e fizeram o bicho. Ele é um cara que sabe medir as palavras, tenho certeza que não foi do jeito que saiu na imprensa”, diz.

Marília Domingues

Marta vai gravar para Haddad, mas não quer aparecer ao lado de Maluf

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) concordará em gravar mensagem de apoio ao candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, no horário eleitoral, mas não quer aparecer em nenhum ato ao lado do deputado Paulo Maluf (PP), que aderiu à campanha petista. A decisão de Marta será comunicada nesta segunda-feira ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com quem ela vai almoçar.

Na semana passada, a presidente Dilma Rousseff fez um apelo à senadora para que ela ajudasse Haddad. Nas duas conversas mantidas no Palácio do Planalto, Dilma pediu a Marta que apresentasse o ex-ministro da Educação aos eleitores de São Paulo, principalmente na zona leste, onde ele vem perdendo votos para Celso Russomanno (PRB).

Desde que foi obrigada por Lula e Dilma a desistir da candidatura para o lançamento de Haddad, no ano passado, a senadora tem se recusado a entrar na campanha do PT. Agora, Marta cederá aos apelos de Lula, mas com algumas condições. Não quer, por exemplo, ver Maluf por perto, embora o deputado também tenha apoiado sua frustrada tentativa de reeleição, no segundo turno da campanha de 2004, quando ela perdeu a Prefeitura para José Serra, do PSDB.

“Eu pensava que teria pesadelos com o (prefeito Gilberto) Kassab. Imagine agora com o Maluf”, disse a senadora, em junho, quando o PT fechou aliança com o deputado do PP, que é acusado de lavagem de dinheiro e tem o nome no alerta vermelho da Interpol (Polícia Internacional).

Lula foi à casa de Maluf, naquele mês, e tirou votos com o deputado no dia em que ele anunciou o apoio a Haddad. A estratégia deu errado e, depois disso, o candidato do PT caiu nas pesquisas de intenção de voto.

O ex-presidente até hoje atribui o que os petistas chamam de “tiro no pé” a integrantes do Diretório Municipal do PT e ao próprio candidato, que o teriam convencido da necessidade de posar ao lado de Maluf.

Além de se recusar a aparecer junto com Maluf, Marta não pretende gastar sola de sapato por Haddad. Ela irá a um ou outro compromisso da campanha e subirá no palanque do ex-ministro, mas não com a frequência que desejam os petistas.

Em março, Marta disse ao Estado que Haddad precisava “gastar sola de sapato” para sair do anonimato. Recomendou, ainda, que ele prestasse atenção nas alianças. “O restante é conhecer os problemas da cidade e conquistar a militância. Ninguém pode substituir nem fazer isso pelo candidato”, afirmou a senadora, à época.

Fonte: Estadão

Vereadora reage a Dom Aldo e diz que ele “quer aparecer”

“Toda vez que Dom Aldo não está aparecendo, ele arranja uma forma de aparecer”. A frase foi dita na segunda (7) pela vereadora Sandra Marrocos (PSB) a respeito da tese defendida pelo arcebispo da Paraíba em referência à parte profana do evento. O religioso citou que os problemas causados ao trânsito e a venda de drogas em alguns pontos dos festejos seriam determinantes para pôr fim ao atual formato.
“Eu adoro a Festa das Neves e esse evento encanta. O que Dom Aldo precisa entender de uma vez por todas é que a Festa das Neves é tradicional. Se há excessos, cabe às autoridades e a ele cobrar uma invervenção. Eu curto a festa das Neves. Fui e adorei ver Luzinete, mas estou aberta ao diálogo com Dom Aldo para encontrar uma alternativa”, disse a vereadora.