Arquivo da tag: amigo

Homem é esfaqueado após passar a mão na bunda de amigo

Um homem está internado em estado grave na UTI do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa após ter sido esfaqueado pelo próprio amigo na tarde desta quinta-feira (26), no bairro Valentina de Figueiredo.

De acordo com informações, a vítima teria passado a mão na bunda do amigo, que não gostou da atitude e desferiu quatro golpes de faca, inclusive nas nádegas.

Marília Domingues/Flávio Fernandes

 

 

Após briga em bar, homem é esfaqueado por amigo, na Paraíba

Um homem sofreu uma facada no abdômen após se desentender e brigar com um amigo em um bar na cidade de Mataraca, litoral Norte da Paraíba.

De acordo com as informações ele deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa na noite desse domingo (01) após complicações decorrentes do ferimento, já que inicialmente ele foi socorrido para o Hospital Regional de Mamanguape.

Até o fechamento desta matéria não há informações sobre a prisão do suspeito.

PB Agora

 

 

Amigo suspeito de matar professor com golpes de faca é preso após confessar crime, na PB

O homem suspeito de matar o professor de redação José Alves Dionísio foi preso nesta terça-feira (16), na Paraíba. O professor, que também é assessor pedagógico da Secretaria Municipal de Educação de João Pessoa, foi encontrado em um canavial com golpes de faca no pescoço, às margens da BR-101, em Santa Rita, na Grande João Pessoa. De acordo com o delegado Aldrovilli Grise, o homem é amigo do professor e confessou o crime.

Lambert Cabral de Oliveira, de 51 anos, foi preso durante depoimento prestado na Central de Polícia Civil, em João Pessoa. O delegado Aldrovilli informou que ele era muito próximo do professor e fazia parte do ciclo de relação da vítima. “Amigo de longa data”, declarou.

A última vez que o professor foi visto e teve contato com parentes e amigos foi às 23h do dia 4 de abril. Segundo o delegado Aldroville Grise, a Polícia Civil parentes e amigos foram intimados para colher informações sobre a vida do professor nos últimos dias.

Durante a investigação do crime, o delegado informou que já havia “indícios do local do crime, de que quem executou o professor teve a oportunidade de estar muito próximo”.

Câmeras de segurança flagraram o professor saindo de um prédio em um carro. A Polícia Civil ainda não sabe se havia outra pessoa no carro. Segundo o delegado, no bando do passageiro dianteiro não havia ninguém, mas, como os vidros de trás possuem revestimento fumê, não foi possível ver se havia alguém no banco de trás.

O professor José Alves Dionísio tinha mais de 30 anos de carreira em salas de aula, como professor de português e redação. Ele ensinou em escolas públicas e privadas.

Carro de professor é encontrado

O carro do professor foi localizado próximo a um supermercado, no bairro Esplanada, em João Pessoa, conforme informado pela Polícia Civil, no dia 6 de abril. O veículo foi encontrado próximo à BR-230 e recolhido para a Central de Polícia.

Uma perícia foi realizada no dia 9 de abril no carro do professor, e, segundo o delegado Aldrovilli Grisi, durante a perícia foram encontrados sangue em várias partes do carro, além de areia compatível com a do canavial. Conforme explica o delegado, os vestígios encontrados no carro condizem com o local do crime. “Pelo que pude entender da dinâmica interior do veículo, o crime não foi executado dentro do carro, mas sim no canavial”, disse Aldroville.

A perícia identificou marcas de sangue no volante, nos bancos do carro, nas portas e na marcha. No entanto, somente a perícia dos vestígios vai poder dizer se o sangue é da vítima ou do executor.

G1

 

Suspeito de matar amigo é agredido pela população e preso pela Polícia Militar

sireneO trabalho integrado das Polícias Civil e Militar na 11ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP) resultou na prisão de Leonardo Balbino, 25, natural de Umbuzeiro, pela autoria do homicídio que teve como vítima Alexandre Rodrigues da Silva. O crime aconteceu na noite dessa sexta-feira (24), em uma estrada que liga Umbuzeiro a Natuba, no sítio Cipaúba de Baixo.

De acordo com a Polícia, o assassinato teve como motivação uma briga entre suspeito e vítima. Ambos eram amigos e estavam ingerindo bebidas alcoólicas quando ocorreu o desentendimento e Balbino desferiu um golpe de faca peixeira contra Alexandre.

Depois do ocorrido, as equipes policiais realizaram a prisão em flagrante. “O suspeito foi encaminhado para a sede da Delegacia Seccional de Queimadas, onde confessou o crime e afirmou que teria sido agredido fisicamente por populares. Segundo relato, Leonardo chegou a ser atingido por disparos de arma de fogo”, afirmou o delegado seccional Danilo Orengo.

O suspeito do homicídio ficará recolhido na Cadeia Pública da cidade, aguardando audiência de custódia. A tentativa de assassinato registrado contra ele também será investigada, já tendo a Polícia identificação do autor do crime.

MaisPB com Secom-PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Mulher é agredida por amigo e revida com garrafadas, diz guarda na Paraíba

homemUm homem de 31 anos ficou ferido após se envolver em uma briga com uma amiga em um bar na cidade de Bayeux, na região da Grande João Pessoa, na noite de terça-feira (7). Segundo informações da Guarda Municipal de Bayeux, o homem discutiu com a amiga e chegou a agredi-la com um soco. A mulher então reagiu, quebrou uma garrafa e desferiu golpes contra o agressor. A versão foi confirmada pelo proprietário do bar onde ocorreu a briga, segundo a guarda municipal.

Após a confusão, o homem foi socorrido pela equipe da Guarda Municipal e encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. De acordo com informações repassadas pelo hospital, o homem passou por atendimento médico de emergência e recebeu alta hospitalar no início da manhã desta quarta-feira (8).

Não foi informado pela polícia se a mulher envolvida na briga chegou a ser detida ou foi liberada por ter se tratado de um caso de legítima defesa.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Suspeito detalhou chacina na Espanha para amigo pelo WhatsApp

 (Foto: Reprodução/Polícia Civil da Paraíba)
(Foto: Reprodução/Polícia Civil da Paraíba)

Novos detalhes da conversa via WhatsApp entre François Patrick Gouveia e Marvin Henriques Correia, suspeitos de participação na chacina da família brasileira em Pioz, na Espanha, revelam o desprezo de Patrick pelas vítimas. Em um dos trechos, após esquartejar Janaína Américo e as duas crianças de 1 e 3 anos, Patrick comenta com Marvin – amigo que teria “dado dicas” ao assassino -, que “para abrir alguém no meio dá trabalho demais”. Ao que Marvin responde “eu imagino, deve ser duro”.

O jovem confessou o crime à polícia espanhola. Depois ele também matou o marido de Janaína, Marcos Campos Nogueira.

A conversa entre os dois acusados registrada pela polícia espanhola entre as 15h55 do dia 17 de agosto até as 6h57 do dia 18 do mesmo mês, ambos horários da Espanha, consta tanto no processo judicial que tramita no Brasil, referente à atuação de Marvin Henriques como partícipe, quanto no processo na Espanha contra Patrick Gouveia, assassino confesso. O G1 teve acesso aos registros entre a morte da terceira vítima até a morte do quarto integrante da família , o tio de Patrick.

No conteúdo, Patrick relata com detalhes como matou a tia e dois primos. Marvin pergunta qual das três vítimas ele matou primeiro e Patrick responde que “na mulher, depois a mais velha [a prima de três anos] e depois no moleque de um ano”.

Com frieza, Patrick Gouveia conta que cortou a garganta de Janaína e que seus primos ficaram gritando nesse momento. “As crianças ficaram gritando. Massa que os pirralhos nem correm, só ficam ‘travadão’. O pirralho de um ano falava algumas coisas, mas na hora falava nada, não”, detalhou Patrick.

Durante a conversa, Marvin se mostra compreensivo com o amigo e chega a dar dicas, como o fato de Patrick tentar enterrar os corpos e na forma de abandonar o casa onde a família foi assassinada. “Sai pela frente mesmo, de manhã, como se fosse caminhar ou algo do tipo. Sei lá. De madrugada pode parecer suspeito. Mas eles não vão descobrir nem tão cedo as mortes”, comentou Marvin.

De João Pessoa, por meio do aplicativo de mensagens, Marvin alerta Patrick em não deixar rastros na cena do crime. “Ajeita essas luvas direito. Deixa eu ver aqui o que mais [tem a ser feito]. Tem alguma coisa por aí? Ou alguma coisa que ligue a você?”, após a resposta negativa de Patrick, o amigo acusado de participação no crime de Marcos Campos Nogueira responde.

“Beleza. Então está tranquilo, mas tem que ficar pensando minuciosamente, para não dar merda”, conclui Marvin. Em um outro momento, enquanto espera o Marcos retornar do trabalho, após matar a tia e os primos, esquartejá-los e limpar o local dos assassinatos, Patrick comenta que achou que fosse vomitar, mas que não sentiu nojo e chegou até a rir no início do esquartejamento e, por fim, a ter raiva pelo esforço de esquartejar as vítimas.

O assassino confesso explica que precisou cortar os corpos ao meio e separar os órgãos em outras sacolas. Por fim, após isolar em sacos plásticos, isolou as partes com fita adesiva, para que o odor demorasse a espalhar. “A mulher e as duas crianças foram para o saco. Estão guardados e a casa está limpa, me limpei. Estou só esperando o quarto integrante”, comentou Patrick a Marvin.

O assassino confesso brinca com o amigo sobre a morte do tio, Marcos Campos Nogueira (Foto: Reprodução/Polícia Civil da Paraíba)O assassino confesso brinca com o amigo sobre a morte do tio, Marcos Campos Nogueira (Foto: Reprodução/Polícia Civil da Paraíba)

Psicopatia
Na conversa dos dois, Patrick chegar a questionar se é de fato psicopata.  “Eu acho que não sou psicopata, não. Apenas não ligo para as coisas”. Em um outro momento, Patrick brinca com Marvin, criando hipóteses de como o amigo reagiria se estivesse no lugar dele. “Eu fico me perguntando como tu reagiria, o que tu ia dizer, fazer e depois dar uma gaitada”. Marvin responde que iria rir e Patrick complementa “tu deve ser doente feito eu mesmo”.

No dia 12 de dezembro psiquiatras espanhóis concluíram que Patrick Gouveia é um psicopata, que não demonstra remorso nem compaixão com suas vítimas. O laudo pericial acrescentado do processo judicial que tramita na Espanha ainda evidenciou que o autor confesso da chacina como uma pessoa consciente do que faz, muito inteligente e com total carência de sentimentos.

Ficção e realidade
A troca de mensagens entre os dois acusados chega em alguns momentos a relacionar as mortes das três primeiras vítimas com séries e jogos, um universo comum entre os dois jovens. Sobre o fato de ter usado uma faca para matar a tia e os primos, Patrick brinca afirmando que “só matava com faquinha no Call of Duty”. E em dois outros instantes, o acusado de executar a família brasileira comenta que costumava assistir a uma série onde o protagonista, um assassino em série, se sentia mais calmo quando matava. “Sabe, eu assistia Dexter (sic). O bicho matava, aí sentia um tesão e ficava todo tranquilo. Relaxava tipo uma semana”, comentou.

Marvin alerta Patrick sobre a saída dele do local do crime durante a conversa (Foto: Reprodução/Polícia Civil da Paraíba)Marvin alerta Patrick sobre a saída dele do local do crime durante a conversa (Foto: Reprodução/Polícia Civil da Paraíba)

Relação de afeto
Os dois acusados, na correspondência, se declaram um ao outro. Patrick comenta que precisava compartilhar o fato com alguém, mas que tinha medo de perder o amigo caso relatasse algo sobre os três primeiros homicídios. “Eu estou feliz que tu está de boa (sic). Eu fiquei com medo de tu dizer ‘boy, acabou’. Eu tenho medo de te perder, mas eu não podia não compartilhar contigo”, desabafou Patrick.

Marvin então envia uma mensagem rindo e chama o amigo de assassino. Patrick responde com uma reflexão. “Eu pensei que ia mudar algo na minha vida [matar alguém]. Eu pensei que ia me sentir mais vivo”. O amigo responde explicando que não podia fazer nada, que ele era doente mesmo. Em outra troca de mensagens, os dois afirmam que amam um ao outro.

Laudo psiquiátrico
François Patrick Gouveia, assassino confesso da família paraibana em Pioz, na Espanha, foi enquadrado por psiquiatras espanhóis como uma “pessoa desprovida de empatia”, um psicopata com risco de reincidência e criminoso com alto grau de periculosidade. A revelação foi feita pela TVE, emissora do país europeu, na segunda-feira (12), após ter acesso ao laudo psiquiátrico de Patrick Gouveia, anexado ao processo que tramita na Justiça.

O exame psiquiátrico também classifica Patrick como uma pessoa consciente do que faz, muito inteligente e com total carência de sentimentos. Segundo os psiquiatras, o jovem possui uma absoluta falta de empatia e se mostrou incapaz de se colocar no lugar das suas vítimas. A análise de sanidade mental de Patrick foi solicitada pelo Ministério Público espanhol.

Os psiquiatras forenses estiveram com ele durante três sessões. O exame será uma das provas periciais para decidir a plena responsabilidade penal de Patrick Gouveia nos assassinatos do tio Marcos Campos Nogueira, da esposa dele, Janaína Santos Américo, e dos dois filhos pequenos do casal.

O brasileiro, que estava preso desde o dia 21 de outubro em Alcalá Meco, foi transferido para o presídio de Estremera, na província de Madri, no final do mês de novembro, após receber ameaças de morte. Ele segue preso preventivamente na Espanha.

Matar só o tio era ‘cruel’
O jovem admitiu em depoimento à Justiça espanhola que planejou o crime e que decidiu matar toda a família porque matar apenas o tio dele “parecia cruel”. “Matei os quatro porque matar apenas Marcos me parecia cruel. Não ia deixar uma família sem marido e sem pai. Não sofreram, não gritaram, foi muito rápido”, disse o jovem em depoimento.

Ele afirmou ainda que sentiu “necessidade de matar”. A declaração foi dada à Justiça de Guadalajara e a emissora de TV espanhola Antena3 teve acesso a trechos do depoimento.

De acordo com a imprensa, Patrick negou que havia agido por impulso e disse que foi até a casa da família do tio com a intenção de matar todos os parentes.

Os corpos de Janaína Diniz, Marcos Nogueira e das duas crianças foram achados esquartejados em casa em setembro, depois que um vizinho alertou sobre o mau cheiro perto da residência.

Marcos Nogueira, Janaína Américo e os dois filhos do casal foram encontrados mortos na Espanha (Foto: Reprodução/Facebook/Janaina Diniz Diniz)Família foi achada morta na Espanha
(Foto: Reprodução/Facebook/Janaina Diniz Diniz)

Também pela primeira vez, Patrick falou que sabia que seria preso na Espanha e diz ter voltado ao Brasil após o crime para se despedir da família. Ele também falou em arrependimento. “Sim, eu me arrependo de ter matado. É tudo minha culpa”, comentou.

Patrick Gouveia explicou, neste segundo depoimento, como surgiu a ideia de realizar os assassinatos e chegou a dizer que pensou muito antes de executá-los.

Segundo o jovem, não foi a primeira vez que ele sentiu vontade de matar alguém. “Três dias antes [do crime], senti a necessidade de matar. Isso acontece muitas vezes, desde os 12 anos. Quando isso acontece, eu bebo muito”, declarou o jovem, segundo a emissora.

Em 2013, quando Patrick tinha 16 anos, ele foi detido em Altamira, no Pará , após esfaquear um professor dentro da sala de aula.

Patrick Gouveia, suspeito de esquartejar família na Espanha, detido na sede da Guarda Civil espanhola em Madrid (Foto: Reprodução/Twitter/fgrruiz)Patrick Gouveia, suspeito de esquartejar família na Espanha, detido na sede da Guarda Civil espanhola em Madri (Foto: Reprodução/Twitter/fgrruiz)

Ainda segundo a imprensa espanhola, Patrick também comentou sobre a relação dele com Marvin Henriques, jovem que foi preso em João Pessoa suspeito de participar do crime. Marvin é amigo de Patrick e teria dado dicas ao suspeito por meio de mensagens no WhatsApp enquanto o jovem cometia os crimes na Espanha.

Ele foi indiciado pela Polícia Civil paraibana por participar diretamente na morte de Marcos Campos, uma vez que o contato entre os dois começou depois da morte da mulher e das duas crianças.

No depoimento, Patrick Gouveia afirmou que o amigo não sabia do plano de assassinar a família. “É como se fosse um irmão mais novo. Ele é muito bom. Sua mãe era psiquiatra e me ajudou muito. Somos inseparáveis”, afirmou.

Suspeito de ser partícipe no homicídio da família na Espanha foi preso pela Polícia Civil em João Pessoa (Foto: Diogo Almeida/G1)Marvin Henriques, amigo de Patrick, foi preso em João Pessoa (Foto: Diogo Almeida/G1/Arquivo)

 

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Morre tenente da PM que capotou veículo em Sertãozinho

 

Tenente Jailton, de 49 anos
Tenente Jailton, de 49 anos (Foto: ManchetePB)

Morreu o tenente da Polícia Militar da Paraíba que se envolveu em um acidente automobilístico na rodovia PB-085, em Sertãozinho, na noite deste domingo (27). O policial chegou a receber atendimento médico, mas faleceu no Hospital Regional de Guarabira. A vítima se aposentaria em poucos dias.

De acordo com a assessoria de comunicação da unidade, o tenente Jailton Paulo de Souza Correia, de 49 anos, teve cinco paradas cardíacas, além de traumatismo craniano e fraturas em três costelas e no fêmur. Ele não resistiu e veio a óbito na sala de cirurgia.

O acidente que vitimou o policial aconteceu após ele perder o controle do carro e ter capotado. No veículo, estava também Ednaldo da Silva Gomes, de 34 anos, que ao perceber que o automóvel ia capotar, pulou. Ele teve ferimentos leves.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

manchetepb

Jovem mata amigo com tiro acidental, se desespera e comete suicídio, em seguida

Uma tragédia chocou os moradores da cidade de Irecê, na Bahia, na última sexta-feira. Dentro de casa, um jovem identificado como Adelson Leal Libório Júnior, de 24 anos, atingiu acidentalmente o amigo Jefferson Hudson Santos Sousa, de 19, com um tiro que o matou na hora. Desesperado com a situação, Adelson foi até o banheiro do imóvel e se matou, com um tiro do ouvido. No apartamento, policiais encontraram, além da arma, maconha, ecstasy, uma balança de precisão e cerca de R$ 15 mil em dinheiro.

Os dois juntos, durante um show, no último dia 16 de março
Os dois juntos, durante um show, no último dia 16 de março Foto: Reprodução / Facebook

A polícia acredita que o local servia como ponto de venda de drogas. Dois rapazes que também estavam no local e não tiveram as identidades reveladas foram levados para a delegacia da cidade. Em depoimento, os dois contaram que Adelson brincava com a arma, quando ela inesperadamente disparou. Os responsáveis pela investigação do caso acreditam que os jovens estavam brincando de um jogo chamado “roleta russa”, em que coloca-se um revólver sobre a mesa e gira-se a arma até ela apontar para alguém.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Adelson se matou com a mesma arma que atingiu acidentalmente o amigo
Adelson se matou com a mesma arma que atingiu acidentalmente o amigo Foto: Reprodução / Facebook

Os corpos de Adelson e Jefferson foram sepultados neste sábado, no cemitério de Irecê. No Facebook, amigos e parentes lamentaram a morte dos dois e prestaram homenagens aos rapazes. Os outros dois jovens que estavam presentes no local da tragédia recebem acompanhamento psicológico.

Jefferson tinha 19 anos e estudava Fisioterapia
Jefferson tinha 19 anos e estudava Fisioterapia Foto: Reprodução /

Extra

Amizades tóxicas: como saber se um amigo atrapalha sua vida

casalNa última semana, virou notícia a chegada de um aplicativo de celular que promete identificar amizades tóxicas. Sincronizado a uma pulseira, o pplkpr (Android e iOS) aponta quais pessoas do nosso convívio nos fazem mal. O app cruza batimentos cardíacos com picos de empolgação e estresse para formar um ranking, que vai de quem nos provoca paz e felicidade até quem nos deixa tenso e infeliz.

Eficiente ou não, o app traz à tona um assunto importante: muitas vezes, pessoas que convivem com a gente ou estão no circulo de amizades são tóxicas às nossas vidas. Consciente ou inconscientemente, elas nos colocam para baixo e têm comportamentos sabotadores, que atrapalham o crescimento pessoal de quem coexiste com elas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Ter um amigo sabotador não é aceitável. Frequentemente, a pessoa com este perfil vê no outro a chance ou oportunidade de conquistar algo em benefício próprio”, assinala a coach especialista em relacionamentos Cíntia Souza, membro da Global Coaching Community.

De acordo com Simone Ferreira da Silva Domingues, coordenadora do curso de psicologia da Unicsul, o trabalho costuma ser o lugar mais propício para o surgimento de amizades tóxicas, especialmente por ser um ambiente onde a competição e a ambição costumam estar presentes fortemente, positiva e negativamente.

Nem sempre é fácil enxergar esse aspecto negativo de alguém do nosso círculo de amizades. No entanto, alguns aspectos denunciam esse comportamento. “Se uma pessoa só aponta seus defeitos ou não te deixa evoluir, ela não é realmente sua amiga”, afirma Simone.

Por outro lado, é preciso ter em mente que este amigo nem sempre age conscientemente ou por má fé. “Não é raro que ao tentar ajudar, ele possa acabar atrapalhando. Como, por exemplo, quando um amigo interfere numa briga de casal e as coisas acabam piorando”, esclarece Simone, acrescentando que nestes casos é necessário deixar claro o descontentamento com este tipo de conduta.

Também é importante ficar atento ao número de repetições de certas situações. “Amigos tóxicos vão sempre espalhar rumores que não são verdade. Vai decepcioná-lo de várias formas e repetidas vezes, são negativos e uma companhia desagradável”, explica a socióloga americana Jan Yager, autora do livro “Bons Amigos, Maus Amigos” (editora Gente).

Especialista na formação de laços de amizade, Jan diz que indivíduos tóxicos são bem mais comuns do que se imagina. Muitas deles se instalam no nosso convívio de maneira sorrateira, se aproveitando de alguma carência ou de um momento difícil. “Esses falsos amigos fingem ser quem não são. Ao invés de aplaudir suas conquistas, eles são tão invejosos, que acabam diminuindo e menosprezando tudo que você faz”, pontua a socióloga.

EVITE O CONFRONTO DIRETO 

Quando finalmente temos consciência de que aquela pessoa do nosso convívio é uma amizade tóxica, precisamos traçar uma estratégia para lidar com ela e, se for possível, cortar os laços.

“É preciso avaliar o quanto esta amizade vale para você. Existem relações de amizade com pessoas de fora de seu ciclo familiar e existe a amizade com pais, filhos, irmãos. Pense o quanto esta pessoa é importante em sua vida e quantas vezes mais você consegue perdoá-la”, sugere Simone.

Claro, que cortar o convívio com alguém do núcleo familiar é muito mais difícil e complicado.  Sé isso não for possível, o melhor a fazer é restringir ao mínimo o contato com essa pessoa e também evitar situações que possam gerar desconforto. O mesmo conselho vale para vizinhos e colegas de trabalho.

Se uma pessoa só aponta seus defeitos ou não te deixa evoluir, ela não é realmente sua amiga”, afirma a psicóloga Simone Ferreira da Silva Domingues
Thinkstock Photos

Se uma pessoa só aponta seus defeitos ou não te deixa evoluir, ela não é realmente sua amiga”, afirma a psicóloga Simone Ferreira da Silva Domingues

 

Para a socióloga Jan, o confronto direto não é uma boa estratégia para resolver a questão do amigo tóxico. Primeiro, porque ele dificilmente vai admitir os seus pecados, causando uma discussão interminável, ainda mais intoxicante. A outra razão é a possibilidade do sabotador virar um inimigo declarado, tornando o seu dia a dia num tormento.

Então, a melhor estratégia é mesmo promover o já referido afastamento da pessoa. Por exemplo, se no trabalho você costumar almoçar frequentemente com alguém negativo, comece a trocar de companhia. “Ao diminuir o contato, o sabotador vai naturalmente se afastando, pois ele tende a buscar novos amigos que o aceitem, onde ele possa continuar seu ciclo nocivo”, revela Jan.

Quanto mais você restringir o contato, menos conversas desagradáveis vocês vão ter e menos chances o sabotador terá para agir. Da mesma forma, evite falar mal do amigo tóxico. Do contrário, ele vai fazer o mesmo, te difamando por onde for.

Por fim, é preciso entender que o convívio com figuras tóxicas pode acontecer em diversos momentos da vida. É necessário estar preparado, com a autoestima em dia e não se deixar abater a cada comentário desagradável. “Estamos cercados o tempo inteiro de pessoas positivas e negativas. A decisão de permitir que as ações e palavras destas pessoas nos influenciem é sempre nossa”, conclui a coach Cíntia.

 

iG

Homem chama amigo de corno e ameaça matar sua companheira

tiriricaUm homem conhecido como Tiquinho de Irene, morador do conjunto Miguel Morato, está sendo procurado por policiais militares desde o começo da noite desta segunda-feira, 29, quando ameaçou uma dona de casa e, em seguida, disparou um revólver em frente da casa da vítima, Adriana Severina da Silva, de 18 anos, que é mãe de uma criança recém-nascida.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
O caso ocorreu no loteamento Balduino de Carvalho, onde a vítima reside. Segundo informações da própria mulher, o acusado, que é amigo do seu marido, chegou à sua casa com insinuações de que a criança não era filha do esposo dela, mas de outro homem, motivando uma reação da mulher e do seu marido.

A discussão se acirrou e o homem deixou o local dizendo que iria pegar uma arma e, de fato, voltou armado, e gritou que a mulher saísse de casa para matá-la, mas a vítima permaneceu no interior de sua residência e o acusado disparou dois tiros para o alto, segundo a polícia com base em testemunhas.

A polícia foi acionada e, quando chegou ao local, o acusado já havia foragido em direção ao rio Piancó, mas a escuridão e o mato impossibilitaram a polícia de continuar as diligências na área.

MaisPB com Folha do Vali