Arquivo da tag: alvo

Alvo de operação da PF, pastor Malafaia diz que não é bandido

J.F. Diorio/Estadão Conteúdo
J.F. Diorio/Estadão Conteúdo

O pastor Silas Malafaia, da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, chegou à sede da superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, para depor, por volta das 16h de hoje (16). Ele é um dos alvos da Operação Timóteo, deflagrada hoje pela PF, que investiga irregularidades em cobranças de royalties da exploração mineral.

Malafaia foi levado coercitivamente para depor. Antes de prestar o depoimento, conversou com jornalistas na porta da superintendência e disse que se apresentou espontaneamente.

O pastor diz ser inocente. Exaltado, confirmou ter recebido um cheque no valor de R$ 100 mil de um amigo, que também é pastor, depositado diretamente em sua conta bancária. Ele disse que o valor era uma “oferta” por ter orado por uma pessoa, em 2011, que agora, descobriu fazer parte do esquema criminoso. O valor, segundo ele, foi declarado no Imposto de Renda.

“Em 2013, eu recebi em meu escritório o pastor Michael Abud, meu amigo há mais de 20 anos, sobre um membro da igreja dele, que é empresário, para me dar uma oferta pessoal. Ele me deu uma oferta de R$ 100 mil depositado na minha conta, declarado no Imposto de Renda”, disse.

Ao ser indagado sobre o depósito ter sido em sua conta pessoal, e não na da Igreja, Malafaia respondeu que “é muito fácil” fazer essa diferenciação. “Recebo oferta, como vários pastores. Eu fui na igreja desse pastor Abud, que é meu amigo, em 2011. ‘Ore aqui por um empresário que está envolvido em negócios’. Eu orei por ele. Em 2013, o Michael Abud me liga e diz: ‘Silas, sabe aquele empresário por quem você orou? Ele quer fazer uma oferta pessoal. Eu não recebi oferta só de R$ 100 mil não. Recebo ofertas até maiores e declaro no Imposto de Renda. Não tem nada escondido, não tem nada oculto. A diferença é que as pessoas dão oferta ou para o pastor ou para a instituição. Muito mais na instituição do que para o pastor”, disse.

O pastor disse que recebe cheques de altos valores para a igreja e, também, pessoalmente. Valores, de acordo com ele, muitas vezes superior a R$ 100 mil, chegando a R$ 5 milhões.

Malafaia reclamou de ter sido convocado para prestar esclarecimentos hoje. “Não sou bandido, não estou envolvido com corrupção, não sou ladrão. Estou indignado. Que Estado de Direito é esse? Sabe o porquê disso? Porque, há dez dias atrás, eu falei que sou a favor de uma justiça independente, forte, mas não absoluta. Retaliação, é isso? Querem aparecer em cima de mim?”, falou em tom alto. “Essa é uma tentativa de denegrir, e tem interesses pessoais, porque eu me posiciono, porque eu me coloco. Isso é uma safadeza, uma molecagem. Estou desafiando a provar que estou envolvido com esses canalhas. Metam eles na cadeia”, disse.

Segundo ele, é impossível saber se as pessoas que depositam dinheiro ou fazem doações são criminosos. “Amanhã, um vagabundo qualquer, um bandido qualquer, um traficante qualquer, um canalha qualquer deposita um cheque na minha ou qualquer igreja. E o cara é descoberto. Quer dizer que o pastor é bandido?.”

Twitter

Sobre o fato de, há alguns meses, ter se posicionado no Twitter a favor das conduções coercitivas, principalmente no caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o pastor Malafaia disse que agora é diferente. “Acho engraçado os esquerdopatas. Quando o Lula foi levado coercitivamente, eu botei no Twitter. Tem que levar. Agora, são quantas denúncias contra o Lula? Essa cambada de corrupto e de PT quer me comparar com isso? É uma afronta. Quem está me denunciando? Quem é que foi preso e disse que eu recebia dinheiro? Querem comparar? Tem que ter lógica, gente”, afirmou.

Operação Timotéo

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Timóteo, com ações em 11 estados e no Distrito Federal. Estão sendo realizadas buscas e apreensões em 52 endereços relacionados a uma organização criminosa investigada por esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral.

“Entre uns dos investigados por esse apoio na lavagem do dinheiro está uma liderança religiosa, que recebeu valores do principal escritório de advocacia responsável pelo esquema. A suspeita a ser esclarecida pelos policiais é se esse líder religioso pode ter ‘emprestado’ contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência, com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores”, informou a corporação.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Silas Malafaia é alvo da PF por suspeita de corrupção

silas-malafaiaA Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (16), em 11 estados e no Distrito Federal, uma operação para desarticular esquema de corrupção relacionado à cobrança judicial de royalties da exploração mineral.

A operação foi batizada de Timóteo em referência a um dos livros da Bíblia. Um dos alvos das investigações, informou a PF, é um líder religioso suspeito de emprestar contas bancárias de sua instituição para ajudar a ocultar dinheiro. Até a última atualização desta reportagem, o nome do religioso e da igreja ainda não tinham sido divulgados pelas autoridades policiais.

Além do DF, as ações da Polícia Federal ocorreram em Goiás, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

A suposta organização criminosa, de acordo com a PF, agia junto a prefeituras para obter parte dos 65% da chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) repassada aos municípios. Em 2015, o CFEM acumulou quase R$ 1,6 bilhão.

Ainda conforme as investigações, munidos das informações, os suspeitos entravam em contato com municípios que tinham créditos do CFEM junto a empresas de exploração mineral para oferecer seus serviços.

Segundo as investigações da Operação Timóteo, um diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) oferecia informações privilegiadas sobre dívidas de royalties a dois escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria.

A TV Globo apurou que o diretor do DNPM investigado se chama Marco Antônio Valadares Moreira.

A reportagem da TV Globo apurou ainda que a mulher do dirigente do órgão federal, Lilian Amâncio Valadares Moreira, o filho do governador do Pará, Simão Jatene, e outros dois advogados também são alvos da operação.

O pastor Silas Malafaia, líder religioso da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, foi alvo de uma condução coercitiva para prestar esclarecimentos sobre suspeita de lavagem de dinheiro.

Os mandados judiciais

Por ordem da Justiça Federal, 300 policiais cumprem nesta sexta 4 mandados de prisão preventiva (sem prazo determinado), 12 de prisão temporária (de 5 dias prorrogáveis por mais 5), 29 conduções coercitivas (quando a pessoa é obrigada a ir prestar depoimento) e sequestro de 3 imóveis e bloqueio judicial de até R$ 70 milhões em contas dos suspeitos.

Ao todo, há mandados para 52 diferentes endereços relacionados à organização criminosa.

O juiz federal responsável pelo caso determinou que os municípios não contratem ou paguem nenhum dos escritórios de advocacia e consultoria sob investigação.

O esquema criminoso

As investigações da Operação Timóteo apontam que a suposta organização criminosa era dividida em, pelo menos, quatro grandes núcleos:

– o núcleo captador, formado por um diretor do DNPM e pela mulher dele, que, segundo a PF, prospectavam prefeitos interessados em ingressar no esquema;

– o núcleo operacional, composto por escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria registrada no nome da esposa do diretor do DNPM que comandava o esquema de corrupção. Esse núcleo, afirma a PF, repassava valores indevidos a agentes públicos;

– o núcleo político, formado por políticos e servidores públicos responsáveis pela contratação dos escritórios de advocacia integrantes do esquema;

– o núcleo colaborador, que, conforme os policiais, era responsável por auxiliar na ocultação e dissimulação do dinheiro desviado. Entre os integrantes desse núcleo está uma liderança religiosa que recebeu dinheiro do principal escritório de advocacia responsável pelo esquema. A PF apura se esse religioso emprestou contas bancárias da instituição que ele comanda para ocultar a origem ilícita do dinheiro.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Alvo de novo protesto, prefeito aciona polícia para escoltá-lo em Santa Rita

protestoO prefeito da cidade de Santa Rita, Netinho de Várzea (PR), foi alvo de novo protesto da população, nesta quarta-feira (10), durante visita feita à sede do Ministério Público.

De acordo com informações, ao tomar conhecimento da visita do gestor, a população iniciou a manifestação que cobra o pagamento de salários atrasados na Prefeitura. Durante o protesto, houve gritos de ordem sugerindo a prisão do prefeito.

Temendo represálias, o prefeito teria acionado a Polícia Militar para escoltá-lo e garantir a segurança durante a sua saída do prédio.

MaisPB

Foto: Hudson Almeida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Eduardo Cunha é alvo de operação de busca da Polícia Federal na Câmara

eduardo-cunhaO Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a apreensão de registros do sistema de informática da Câmara dos Deputados. O alvo da operação foi o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), investigado no STF por suspeita de envolvimento com corrupção na Petrobras. A ação foi feita com discrição, na manhã desta terça-feira, numa diligência que tramita em sigilo no Supremo.

O ministro do STF Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo, concordou com o pedido de diligência feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com objetivo de reunir novos indícios contra Cunha. Entre as acusações que pesam contra o presidente da Câmara, está a apresentação de requerimentos de informação em 2011 para, supostamente, pressionar empresas que não estavam mais pagando propina. O envolvimento de Cunha, por meio desses requerimentos, foi narrado na delação premiada do doleiro Alberto Youssef.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Fontes com acesso às investigações ouvidas pelo GLOBO avaliam que a operação foi “proveitosa”, com material importante recolhido na Câmara. Os policiais federais foram acompanhados por integrantes da Polícia Legislativa, praxe nesses casos.

A operação foi feita em sigilo e sem alarde e não mereceu qualquer menção por parte de Cunha na Câmara, ao longo de todo o dia. Na diligência, foram copiados todos os registros do sistema de informática da Câmara que armazenam informações sobre autoria de projetos e requerimentos.

Nesses registros, há a confirmação de que teriam passado pelo gabinete de Cunha os dois requerimentos usados para pressionar Toyo e Mitsui, empresas com contratos com a Petrobras. Cunha é investigado no STF por suspeita de envolvimento no esquema de propina apurado na Lava-Jato. O inquérito envolvendo Cunha apura os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

JANOT RECUSA ARQUIVAMENTO

Em parecer enviado ao STF, Janot recusou pedido de arquivamento do inquérito que apura o envolvimento de Cunha no esquema alvo da LavaJato. Janot sustentou que são despropositados os argumentos da defesa de Cunha no episódio dos requerimentos sobre as empresas Mitsui e Toyo.

Procurado, Cunha disse por mensagem que não poderia comentar porque não tomou conhecimento da diligência. E recomendou que fosse procurado seu advogado, o ex-procurador Antonio Fernando de Souza. O advogado confirmou a ação, mas minimizou sua importância.

— Isso não tem a menor relevância no contexto do inquérito e não altera nenhum quadro. Eles queriam as informações de informática e foram dadas. Houve uma precipitação do Ministério Público porque, se eles tivessem pedido, seria entregue porque não há nada a esconder — alegou Souza.

Na manhã desta terça-feira, Cunha disse não ter dúvida de que Janot transformou a investigação de seu suposto envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras em “querela pessoal”.

 

O Globo

 

Banco é explodido em Conde; mapa apreendido mostrava cidade como alvo dos bandidos na Paraíba

Divulgação Banco explodido na madrugada
Divulgação
Banco explodido na madrugada

Uma quadrilha de assaltantes de banco explodiu a agência do Bradesco na cidade de Conde, na região metropolitana de João Pessoa. Segundo o coronel Lívio Delgado, comando do Policiamento Regional da Polícia Militar da 1ª Região Integrada de Segurança Pública (Reisp), os criminosos não conseguiram levar nada.Conde é uma das cidades que aparecem no mapa apreendido pela Polícia Civil dos alvos de ações criminosas contra instituições bancários.

Segundo Carla Virgínia, escrivã da Delegacia de Alhandra, no Litoral Sul, por volta das 4h, quatro homens utilizando três motocicletas e um veículo Saveiro chegaram na cidade e explodiram parcialmente o banco utilizando dinamites. “Parte da estrutura do banco ficou danificada. Mas, peritos do Instituto de Polícia Científica (IPC) de João Pessoa confirmaram que os explosivos não atingiram o cofre da agência. Eles fugiram sem levar nada”, disse. Uma família mora no andar de cima do prédio da agência e falou ter ficada assustada com o barulho.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Conforme o coronel, o carro utilizado no crime foi deixado na BR-101, na entrada de Conde. “Dentro do veículo Saveiro foi deixado explosivos, grampos, campus e outros objetos utilizados na explosão. O automóvel vai ser levado para a Delegacia de Alhandra para ser periciado”, confirmou. O caso foi registrado pelo delegado de Alhandra, Francisco Basílio, mas o inquérito será encaminhado para a Delegacia de Conde.

Dados do Sindicato dos Bancários da Paraíba apontam que só este ano 17 ações criminosas contra bancos foram registradas no estado, sendo 7 delas utilizando explosivos.

Mapa

Um mapa apreendido pela Polícia Civil em Guarabira, no Brejo do estado, no dia 4 fevereiro deste ano, mostra a rota de uma organização criminosa especializada em crimes contra bancos, correios e casas lotéricas, na Paraíba e em outros estados brasileiros. O esquema foi descoberto durante a Operação Catálogo, realizada por policiais civis da 8ª Delegacia Seccional do Brejo do estado. A apreensão de um vasto material ocorreu em um sítio localizado entre as cidades de Arara e Solânea, no Brejo paraibano.

Segundo o delegado Walber Virgolino, titular da 8ª DPC, Conde aparece no mapa como alvo dos assaltantes. “Conforme estava marcada no mapa a cidade de Conde, os bandidos agiram rápido e cumpriram o plano. Mas, estamos no encalços deles”, disse. Além de Conde, as cidades paraibanas de João Pessoa, Campina Grande e Guarabira estão marcadas no mapa como os próximos alvos dos assaltantes. A quadrilha marcou com uma cor vermelha os locais e a rota de fuga. O Grupo Tático Especial (GTE) monitora as ações da quadrilha.

 

Por Hyldo Pereira

Pistoleiros atiram 18 vezes, erram alvo e matam comerciante com um tiro, no Sertão

Caso foi registrado em Catolé do Rocha
Caso foi registrado em Catolé do Rocha

Um comerciante da cidade de Catolé do Rocha, a 434 km de João Pessoa, no Sertão do estado, morreu na manhã desta quarta-feira (3), por volta das 7h40 da manhã, quando estava sentado em frente ao seu estabelecimento, no bairro do Batalhão. O homem de 54 anos era muito popular na cidade e foi vítima de bala perdida.

Segundo informações do Soldado Pierre, do 12º Batalhão de Polícia Militar, a vítima estava sentada na porta do seu estabelecimento, em companhia de um outro homem e enquanto conversavam, os dois foram surpreendidos por dois homens em uma moto, que efetuaram cerca de 18 disparos contra os dois.

Os disparos seriam direcionados ao homem que fazia companhia ao comerciante, que segundo informações da PM, corriqueiramente agia de forma suspeita na região e possivelmente a ação desta manhã seria um acerto de contas. Dois 18 disparos, nenhum atingiu o homem, que conseguiu correr e se esconder.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O comerciante foi atingido por apenas um disparo no peito, vindo à óbito ao dar entrada no Hospital Regional.

A Polícia Militar deu início à diligências na região, mas até o momento não se sabe o paradeiro dos homens que efetuaram os disparos.

 

Portal Correio

Ipespe é alvo de investigação do MPF por manipular pesquisa eleitoral em Pernambuco

urnaO Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), o mesmo que realizou a pesquisa divulgada neste sábado (16) pelo Jornal da Paraíba sobre a sucessão estadual, está sendo investigado pelo Ministério Público Federal em Pernambuco por supostas irregularidades. A informação consta no site do próprio MPF-PE e chegou a ganhar repercussão nacional, após a notícia ser publicada na versão eletrônica da Folha de S. Paulo, no último dia 21.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em Pernambuco, o Ipespe está sendo investigado pelo Ministério Público Federal por manipular uma pesquisa com o intuito de induzir a opinião pública à aprovação do projeto Novo Recife, alvo de protestos por várias entidades, que prevê a construção de 13 torres de até 40 andares no Cais José Estelita, área central da cidade.

“O Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco instaurou procedimento com o objetivo de apurar notícias de irregularidades referentes a propagandas do Projeto Novo Recife, veiculadas na mídia, e ao resultado de pesquisa de opinião realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe)”, diz trecho da matéria publicada na Folha, que traz a seguinte manchete: “MPF apura suspeita de propaganda enganosa do Projeto Novo Recife”

“Segundo vídeos divulgados pelo Consórcio Novo Recife, uma pesquisa do Ipespe, realizada em junho, indica que o projeto tem mais de 80% de aprovação dos residentes na região. O consórcio divulga depoimentos favoráveis ao projeto, entre outros, de líderes comunitários, do pároco de São José, Padre José Augusto, do urbanista José Luiz da Mota Menezes, do presidente do bloco Galo da Madrugada, Rômulo Meneses, e de Jorge Roma, ex-presidente da CUT-PE.”, completa a matéria da Folha.

Em seu site, o Ministério Público Federal em Pernambuco explica que a finalidade da investigação com contra o Ipespe “é proteger o direito fundamental dos cidadãos à informação e à apresentação verdadeira do anúncio”.

Assessoria 

Sistema de comunicação do Itamaraty é alvo de ataque hacker

itamaratyO sistema de comunicação interno do Itamaraty, que serve ao Ministério das Relações Exteriores e também às embaixadas brasileiras ao redor do mundo, foi alvo de um ataque de hackers, especialistas em informática que invadem outros computadores com objetivos ilícitos. Diante da ofensiva cibernética, o sistema do Itamaraty foi resetado e técnicos da pasta trabalham para restabelecê-lo.

A Polícia Federal (PF) e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) foram acionados para investigar a origem e os autores do ataque virtual contra a chancelaria brasileira. A assessoria do Itamaraty ainda não informou quais prejuízos foram registrados.

Em abril, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou denúncias de espionagem estrangeira no Brasil apontou que o país apresenta “vulnerabilidade” e “despreparo” em segurança cibernética.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A CPI da Espionagem foi instalada no Senado depois de vir à tona uma série de denúncias de que agências de inteligência dos Estados Unidos teriam espionado e-mails, telefonemas e dados digitais de autoridades e cidadãos brasileiros, entre os quais a própria presidente Dilma. O monitoramento ilegal das agências de inteligência norte-americanas veio à tona por meio de denúncias do ex-prestador de serviços da NSA Edward Snowden.

G1

Caixa Econômica Federal é alvo de duas investigações no Ministério Público

caixaO Ministério Público Federal em Brasília investiga a decisão da Caixa Econômica Federal de contabilizar como receita R$ 719 milhões de contas encerradas por irregularidades no cadastro, em 2012.

Além de os procuradores terem aberto na quinta-feira (23) um inquérito civil para apurar se o banco cometeu irregularidades ao fechar mais de 525 mil contas, está em curso uma investigação preliminar no âmbito criminal.

A Caixa terá 15 dias para prestar esclarecimentos sobre detalhes da contabilidade que lhe permitiu ganhar duas vezes com os recursos das poupanças lançados no balanço como receita financeira e operacional.

O procedimento, segundo a Folha apurou, não é permitido pelas normas do Banco Central.

O Ministério Público também solicitou “discriminação e comprovação” de todas as iniciativas do banco para identificar e regularizar as contas que posteriormente foram encerradas e medidas adotadas para sanar irregularidades apontadas pelo Banco Central.

OUTROS BANCOS

Na tentativa de comparar a decisão tomada pela Caixa com outras instituições financeiras, o Ministério Público também requisitou aos 17 maiores bancos comerciais do país informações sobre as condutas adotadas em relação ao encerramento de contas com erros cadastrais.

Segundo o Ministério Público, o Banco Central também deverá se manifestar sobre o caso no inquérito civil.

A decisão dos procuradores de abrirem dois procedimentos para investigar a Caixa nada tem a ver com o pedido do PSDB para que o caso fosse apurado.

As investigações, contudo, podem ser usadas como arma nas eleições presidenciais.

A presidente Dilma Rousseff, que ficou irritada com o episódio, exigiu uma solução rápida para a situação. Na semana passada, o governo deu início a uma operação para tentar minimizar os estragos para a imagem do banco e da equipe econômica.

Foi o próprio governo, numa auditoria da Controladoria-Geral da União, que identificou os encerramentos das contas e a contabilidade supostamente irregular de R$ 719 milhões no balanço da Caixa Econômica Federal de 2012.

folha de s.paulo

Jornalista paraibana dá entrevista ao cantor Lobão e vira alvo de discussões na internet

rachelsheherazdaeO cantor e apresentador Lobão resolveu inovar e fez uma entrevista através de videoconferencia com dois jornalistas, Felipe Moura e a paraibana Rachel Sheherazade para debater vários temas que marcaram o ano de 2013.

Perguntas podiam ser enviadas para que fosse feitas e debatidas pelos convidados e mais uma vez a jornalista e apresentadora do SBT Brasil falou o que pensa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
A entrevista foi ao ar na noite de ontem e pode ser vista na íntegra abaixo:

PB Agora e Youtube