Arquivo da tag: alertam

Cientistas alertam para incêndios mais intensos na Amazônia

Os incêndios na floresta amazônica provavelmente se tornarão mais intensos, frequentes e generalizados no futuro, a menos que medidas sejam adotadas para conter o desmatamento e a mudança climática, alertaram cientistas antes de uma cúpula de presidentes de países da região, nesta sexta-feira, para discutir o problema.

No Brasil, que abriga a maior parte da maior floresta tropical do mundo, as chamas praticamente dobraram neste ano até o momento na comparação com 2018, e os incêndios também ardem na vizinha Bolívia.

No mês passado, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou que o número de incêndios na Amazônia brasileira foi o mais alto desde 2010, o que provocou clamores internacionais por mais proteção.

Pesquisadores disseram que a expansão agrícola em áreas mais profundas da floresta e secas ligadas ao aquecimento global provavelmente desencadearão mais incêndios no ecossistema frágil.

“Existe uma correlação clara entre o número de dias sem chuva, a escala do desmatamento e o número de incêndios florestais”, disse André Guimarães, diretor-executivo do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam).

Líderes de nações que fazem parte da bacia amazônica estão se reunindo na cidade colombiana fronteiriça de Letícia, nesta sexta-feira, para debater a melhor maneira de frear o corte de árvores e os incêndios na floresta, que é vista como um escudo vital contra a mudança climática.

Os presidentes de Colômbia, Peru, Equador e Bolívia estarão presentes, além do vice-presidente do Suriname.

O presidente Jair Bolsonaro cancelou planos de viagem devido a uma cirurgia no domingo, mas participará por teleconferência e está enviando uma delegação comandada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

A Colômbia espera que a reunião leve a um plano de ação regional —o Pacto de Letícia para a Amazônia— para proteger a floresta tropical e promover seu uso sustentável.

O ministro do Meio Ambiente colombiano, Ricardo Lozano, disse que o encontro procurará levar em conta “eventos extremos e temperaturas altas”.

MENOS “IMUNE A INCÊNDIOS”

Na floresta amazônica brasileira, o desmatamento diminuiu acentuadamente entre 2004 e 2012, período após o qual o índice voltou a tender para um aumento — e outros países amazônicos também estão testemunhando uma elevação.

Mais árvores estão sendo cortadas ou queimadas para liberar terras para a agricultura e a pecuária, além da mineração e do corte ilegal que continuam sem freios, dizem ambientalistas.

Quando clareiras são abertas na floresta, esta se torna mais suscetível a pegar fogo, disse Mark Cochrane, professor da Universidade do Centro Maryland de Ciência Ambiental.

“Quando você começa a construir estradas, conecta aquela paisagem, por isso os incêndios podem seguir pela vegetação”, explicou.

Florestas que foram danificadas ou desmatadas têm buracos em sua copa, além de mais extremidades que “desprendem umidade”, o que as seca e aumento o risco de incêndios, segundo Cochrane.

“Quando você danifica estas florestas, elas não são mais tão imunes a incêndios quanto eram. Então, ao invés de precisar de meses sem chuva, basta um par de semanas”, acrescentou.

Guimarães, do Ipam, disse que o agravamento das secas também está deixando a floresta mais ressecada, o que aumenta o risco de incêndios.

“As flutuações na umidade na Amazônia estão se tornando cada vez mais perigosas por causa da mudança climática”, disse, acrescentando que atualmente a seca está acontecendo de uma maneira que não se viu nas décadas anteriores.

“LUZ VERDE” DE BOLSONARO

Em agosto, um relatório do painel de ciência climática da Organização das Nações Unidas (ONU) pediu um uso mais sensato da terra, o que inclui impedir que florestas sejam derrubadas e diminuir o consumo de carne, para ajudar a manter o aumento das temperaturas globais dentro dos limites combinados.

Mas o desmatamento na Amazônia brasileira aumentou 67% nos primeiros sete meses de 2019 na comparação anual, e mais do que triplicou só em julho, de acordo com o Inpe.

Os planos de Bolsonaro para desenvolver a agricultura e a mineração na Amazônia, somados aos cortes de financiamento para a fiscalização ambiental, estimularam um salto nas taxas de desmatamento, disseram ambientalistas e cientistas.

“Bolsonaro está essencialmente dizendo aos latifundiários ‘vão em frente, este governo não vai persegui-los’. Ele deu luz verde”, disse William Laurance, professor de pesquisa destacado da Universidade James Cook, da Austrália.

“Alguns cientistas argumentam que 30% de desmatamento da Amazônia bastaria para a floresta tropical entrar em um novo território que destruiria a reciclagem natural de água da floresta, o que teria impactos amplos na precipitação de chuvas, nos incêndios e no clima global”, disse.

Reuters / Brasil 247

 

 

Pais devem acompanhar o acesso de crianças à internet, alertam especialistas

Julho é o mês das férias escolares e, com elas, vêm a preocupação de muitos pais sobre como os filhos aproveitam o tempo livre. O acesso à internet e às redes sociais é uma das formas de passar o tempo, mas deve ser feito com cuidado para não prejudicar as crianças e adolescentes.

Especialistas concordam que o acesso à rede mundial é um caminho sem volta, e a proibição do uso não é a melhor opção para os pais. O presidente da organização não governamental Safernet, Thiago Tavares, diz que a melhor estratégia continua sendo o diálogo, a conversa franca e a relação de confiança que deve existir entre pais e filhos.

“Da mesma forma que você conversa com seus filhos sobre os riscos que existem ao sair na rua, na escola, no cinema, você diz para ele não aceitar bala de estranhos, você também deve orientá-lo em relação ao uso seguro da internet”, diz. Ele recomenda também o uso de versões customizadas de sites e aplicativos, que selecionam o conteúdo apropriado para crianças.

O especialista não recomenda o monitoramento dos filhos com o uso de softwares espiões. Segundo ele, esses programas passam uma falsa sensação de segurança e podem comprometer a relação de confiança entre pais e filhos. “Proibir o uso da internet não adianta. E monitorar o que seu filho faz por meio de softwares espiões também não ajuda, porque quebra uma relação de confiança e é ineficiente, porque as crianças não acessam a internet de um único dispositivo”, justifica.

Espaço público

A mestre em psicologia clínica Laís Fontenelle orienta aos pais acompanhar os acessos virtuais dos filhos da mesma forma como é feito no mundo real. “O mesmo cuidado que tem de ter na internet é o cuidado que tem de ter em um espaço público. Os pais têm de monitorar da mesma forma que monitora a casa do amigo que o filho vai, a praça que vai frequentar, a festa, porque é como se fosse um espaço público, só que virtual”, explica.

No caso de crianças não alfabetizadas, o acesso à internet precisa sempre ser feito com a supervisão de um adulto, diz a psicóloga. “A mediação é imprescindível principalmente para crianças que não estão alfabetizadas. Elas vão com o dedinho no touchscreen [tela do celular ou tablet] e podem cair em um conteúdo que não é adequado para elas, e não têm a maturidade para lidar com o conteúdo que está ali”, adverte.

A psicóloga também “puxa a orelha” dos pais, alertando para a responsabilidade do exemplo dado às crianças. “Não adianta a gente fazer um overposting dos nossos filhos nas redes sociais, expondo tudo que acontece na vida deles: ‘ganhou um peniquinho, comeu a primeira papinha’ e dizer para eles não fazerem isso. Se a gente não sabe lidar com esses limites claros sobre o que pode ser publicizado sobre a intimidade das nossas vidas, eles nunca vão saber”, diz Laís.

Os principais riscos do uso da internet por crianças e adolescentes são os acessos a conteúdos inapropriados para a idade, como pornografia, a exposição da privacidade em redes sociais, o cyberbulling e a exposição da intimidade, principalmente na adolescência. “Os casos de vazamento de nudes [fotos de nudez] não param de crescer ano a ano”, diz o presidente da Safernet. Além disso, há o perigo do contato com estranhos, que pode resultar em tentativas de assédio, aliciamentos ou golpes.

Uma pesquisa divulgada no ano passado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil mostrou que 87% crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos têm perfil em redes sociais, e 66% acessam a internet mais de uma vez por dia. Segundo o estudo TIC Kids Online Brasil, 11% dos entrevistados acessaram a internet antes dos 6 anos de idade.

Trem-bala

A jornalista Melissa Gass levou um susto quando viu que o canal no Youtube da filha Lívia, de 7 anos, tinha mais de 15 mil visualizações. O sucesso veio quando a menina postou um vídeo dançando o hit Trem-Bala, da cantora Ana Vilela. “Como ela não posta muita coisa, eu não esperava, mas por causa desse vídeo acabou tendo uma repercussão maior. É muita exposição, a gente fica meio preocupado”, conta a mãe.

Em seu canal, Lívia mostra brincadeiras, músicas, livros e até receitas culinárias. “Eu gosto de ser famosa”, diz a menina, que também participa de aulas de canto, dança e vai começar a fazer teatro.

Para Melissa, não tem como proibir o acesso das crianças à internet, mas é preciso monitorar as atividades dos pequenos na rede. “A tecnologia é uma realidade. Com um ano de idade, ela mexia no celular, então não tem como fugir. Quando a gente proíbe, é pior, porque vai fazer escondido. Então a gente monitora, acompanha, incentiva o que pode incentivar”, explica.

Entre as orientações que os pais dão para Lívia, estão não seguir canais de adultos e não comentar nem trocar mensagem privada com desconhecidos. “A gente fala que têm adultos que querem fazer maldades para as crianças, então que ela tem de tomar cuidado, a gente dá essa orientação”, diz Melissa. A mãe também monitora as redes sociais da filha e, quando vê algo suspeito, desabilita o contato.

Agência Brasil 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Refrigerante é cancerígeno, alertam especialistas em saúde

refrigerantesChega o fim de semana, aquelas pessoas que seguem uma alimentação regrada entre segunda e sexta-feira se dão a liberdade de consumir aqueles produtos proibidos. O refrigerante está nesta lista, mas se engana quem pensa que o maior problema da bebida é o açúcar, responsável pelo aumento assustador da obesidade em todo o mundo. Segundo o cientista alimentar Tiago Rocha, independentemente de marca, o produto é também cancerígeno.

Pior ainda para quem consome a bebida regularmente. Tiago conta que o refrigerante chega a ser cem mil vezes mais ácido que o sangue, e o problema está aí. Além disso, segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), grande parte destas bebidas contêm a substância 4-MI (4-metil-imidazol), classificada como possivelmente cancerígena pela Agência Internacional para Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial da Saúde.

O composto estaria presente no corante caramelo, que é utilizado em muitas destas bebidas açucaradas. De acordo com estudo feito pelo Centro de Pesquisa em Saúde Publica dos Estados Unidos, a maior concentração de 4-MI  em uma lata em 355 ml foi encontrada no Brasil. A análise também avaliou o produto vendido no Canadá, China, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, México e Reino Unido.

“Se eu fosse você, nunca mais tomaria refrigerante. É realmente muito ácido, cancerígeno e não é saudável. Quem toma está correndo riso de vida”, afirmou o cientista, que também condena alimentos como a pipoca de microondas, a batata frita, a margarina, o óleo de soja e o leite de caixinha.

Luta contra bebidas açucaradas

Se há alguns anos o combate a bebidas açucaradas já é uma pauta das autoridades em saúde pública, o debate ficou ainda maior no ano passado, quando a OMS sugeriu o aumento dos tributos em cima do produto . O objetivo é diminuir os índices de obesidade, diabetes tipo 2 e cáries dentárias.

“A diminuição do consumo de bebidas açucaradas significa uma menor ingestão de “açúcares livres” e calorias no geral, uma melhor nutrição e menos pessoas sofrendo com sobrepeso, obesidade, diabetes e cárie dentária”, divulgou a organização. Outro ponto a se considerar é que a obesidade também eleva o risco de câncer.

No último dia 14, o Ministério da Saúde divulgou metas para frear o crescimento da obesidade no Brasil. Até 2019, três metas principais deverão ser cumpridas: inserção de políticas intersetoriais de saúde e segurança alimentar e nutricional, redução do consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% na população adulta e ampliação, em no mínimo de 17,8%, do percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente até 2019. Vendo a família se alimentar melhor, as crianças também podem se beneficiar.

 

iG

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Pesquisadores alertam que água do açude Boqueirão pode envenenar população

Reprodução/TV Correio
Reprodução/TV Correio

Segundo declarações de pesquisadores durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa da Paraíba, a água do açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) não é propícia para consumo. Dentre os profissionais ouvidos, a médica e pesquisadora Adriana Melo, pioneira nas pesquisas sobre microcefalia, alertou que “a população pode estar sendo envenenada. Não se deve retirar água do Boqueirão”.

A audiência, que ocorreu na tarde desta terça-feira (29), foi de propositura da deputada estadual Daniella Ribeiro (PP), presidente da comissão especial para acompanhar a crise hídrica em Campina Grande e região, área que é abastecida pelo reservatório, que também está próximo de entrar em colapso devido à escassez de água.

A também pesquisadora Mônica Lopes, do Instituto Butantan, mostrou através de gráficos que estudos feitos nas águas do Boqueirão causaram anomalias e mortes em peixes cujos genes se assemelham aos de serem humanos. “A água não deve ser utilizada, pois matou os animais ou deixou anomalias. Não é uma água própria para consumo”, explicou. O estudo contemplou a água de outros açudes e também do Hospital Pedro I, em Campina Grande.

O professor Fabiano Thompson, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, disse que não teria coragem de dar água de Boqueirão para um filho dele, demonstrando preocupação com a qualidade do açude. Segundo ele, foram feitas duas coletas no reservatório e ficou comprovada uma alta carga bacteriana. “Dentre os problemas que podem ser causados por essa água, diarreia seria o menor deles”, alertou Thompson, destacando ainda que Boqueirão possui uma grande concentração de metais pesados, como zinco e cobre.

Já o professor de Geografia da Universidade Estadual da Paraíba, Ozéas Jordão, disse que a situação de Boqueirão é crítica e merece ser discutida com seriedade, buscando minimizar os efeitos da falta de água na região.

A audiência pública contou ainda com a participação de representantes da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), Ministério Público, Secretaria de Saúde de Campina Grande e Defesa Civil das localidades abastecidas pelo açude.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Especialistas alertam que jogar Pokémon Go no trabalho pode render demissão por justa causa

pokemon_goO fenômeno mundial Pokémon Go chegou ao Brasil na última quarta-feira (3) e está fazendo fãs saírem em caça pelos monstrinhos nas ruas, praças, shoppings, estabelecimentos comerciais e até em ambientes trabalho. Esse último comportamento, segundo especialistas, é arriscado e pode culminar em demissão por justa causa.

Em São Paulo, um escritório de advocacia tem recebido bastantes reclamações por parte de gestores de empresas. A principal queixa é de que os funcionários têm usado o aplicativo do jogo durante o expediente e perdido produtividade.

“Esses trabalhadores podem ser punidos e, inclusive, demitidos por justa causa. Isso porque a própria CLT prevê que a queda do desempenho do empregado poderá gerar esse tipo de demissão”, explica o especialista em Direito do Trabalho, Rafael Colônia, do escritório Aith Advocacia.

Já Renato Falchet, especialista do escritório em Direito Eletrônico e Digital, alerta que as empresas podem restringir o uso de aparelho celular dentro do ambiente de trabalho, seja por normas da própria empresa ou por Acordos Coletivos de Trabalho.

“Nos dois casos, se o empregado que ignorar a proibição da empresa poderá tomar advertência e até mesmo ser demitido por justa causa, em virtude de sua insubordinação”, alerta.

Pokémon Go é um jogo que utiliza tecnologia de realidade aumentada, ou seja, os monstrinhos são projetados na tela do celular, mas em cenários reais, capturados pela câmera dos aparelhos. O game está disponível para usuários de Android e iOS.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Após três acidentes, Bombeiros alertam para risco em elevadores

elevadorO elevador é um equipamento seguro, no entanto, a falta de manutenção ou o mau uso dele pode trazer risco de acidentes para os usuários. Só nos últimos meses, foram registrados pelo Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba (CBMPB) três acidentes graves que vitimaram trabalhadores em elevadores. As ocorrências foram registradas nos bairros Jardim Oceania e Cabo Branco e uma localidade no município de Conde.
Para evitar acidentes, o Corpo de Bombeiros elaborou uma série de orientações preventivas. Conforme o tenente Jefferson Caminha, da Diretoria de Atividades Técnicas dos Bombeiros, os usuários devem sempre respeitar a capacidade máxima de carga estabelecida pelo fabricante, pois o sobrepeso pode gerar risco de falha no equipamento. Também não se deve apressar o fechamento das portas nem apertar várias vezes o botão de chamada.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

“Jamais se deve fumar dentro do elevador e também não é recomendável fazer movimentos bruscos. Em casos de incêndio, não se pode entrar no equipamento”, orientou o oficial, ao lembrar que é preciso ter cuidado para que objetos não obstruam a porta do equipamento. Uma das situações que causa mais temor nos usuários é ficar preso dentro do elevador entre andares. Nesses casos, tenente Jefferson orienta que se mantenha a calma e acione o Corpo de Bombeiros através do 193 ou a empresa responsável pelo equipamento.
Como frequentemente o sinal do celular fica ruim dentro do equipamento, é possível pedir ajuda pelo botão de alarme ou o interfone. “O funcionário deverá fazer o contato com algum técnico dessa área, seja dos Bombeiros ou de empresa de elevadores, pois este tipo de resgate tem que ser feito por um profissional”, frisou, acrescentando que não se deve sair pela abertura da porta que o elevador estiver parado, pois ele pode voltar a funcionar de repente, ocasionando um incidente.
Atualmente, existe uma comissão do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba responsável por assuntos técnicos relacionados a elevadores, incluindo as fiscalizações. Elas acontecem de três formas: a primeira, por solicitação do responsável pela edificação, a segunda por solicitação de outros órgãos fiscalizadores (como Inmetro, Crea e Ministério Público) e, por último, por iniciativa própria da corporação. Denúncias são recebidas através do número emergencial (193) ou no telefone da Diretoria de Atividades Técnicas (Dat), o (83) 3214-5602.
Prevenção- Para garantir a segurança do equipamento e dos usuários, as empresas devem realizar manutenção mensalmente e enviar relatório técnico do serviço para a DAT do Corpo de Bombeiros. Além disso, realizar a recarga anual do extintor de incêndio que fica na casa de máquinas. “Nas fiscalizações, os problemas mais recorrentes que encontramos é justamente a falta de manutenção mensal adequada, extintor da casa de máquinas vencido ou ausente e falta de manutenção nos cabos de sustentação e freios inerciais”, elencou.

 
MaisPB

Autoridades alertam para cuidados com faturas falsas emitidas por bandidos

codigo_de_barrasUm novo tipo de fraude tem levantando alerta entre as autoridades de Segurança do Brasil e também na Paraíba. Golpistas estariam enviando faturas falsas, com códigos de barra adulterados, de forma que quando pagas, os consumidores acabam repassando dinheiro para bandidos. A Polícia Civil da Paraíba já está atenta e faz orientações. O caso é semelhante ao identificado pela emissão de multas falsas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A delegada titular da Delegacia Especializada de Falsificações e Defraudações da Capital, Iumara Gomes, disse ao Portal Correio que tem conhecimento desse tipo de fraude, mas que não recebeu denúncias referentes ao caso em João Pessoa.

“Não recebemos nenhum caso do tipo na Defraudações. Mas estamos acompanhando de perto e pedimos para que qualquer pessoa que se senta lesada por isso, procure qualquer delegacia para registrar a ocorrência”.

A delegada pediu ainda para que as pessoas tenham bastante atenção na hora de verificar faturas e fazer pagamentos, não só por meio de boletos e correspondências físicas, mas também de forma eletrônica, como os e-mails.

“O consumidor não pode pagar pelo que não comprou. É importante observar sempre o que foi comprado, os valores, a empresa onde foi feita a compra e só pagar por aquilo que se tem conhecimento. Em qualquer outra circunstância, a correspondência deve ser ignorada. Se o boleto fraudado tiver sido pago, a pessoa deve reunir todos os papeis que tem em mãos e registrar o boletim de ocorrência para que a Polícia Civil dê início à investigação”, finalizou.

De acordo com o professor de Direito do Consumidor da Faculdade Mackenzie Rio e defensor público, Marco Antônio da Costa, a questão é complexa por tratar-se de uma nova modalidade de fraude.

“A empresa pode alegar que a sua responsabilidade está excluída já que o fato foi ocasionado por terceiros. Por outro lado, o consumidor que agiu de boa fé e fez o pagamento, não pode ser punido duplamente. Em nosso sentir, pelo Código do Consumidor, não tem como obrigar a empresa fazer o ressarcimento, mas nada impede que ela tenha uma política comercial que reconheça que o cliente, agindo de boa-fé, fez o pagamento, até porque se é possível alegar que o fato é praticado por terceiros, não se pode negar que o fraudador se vale exatamente da fragilidade do sistema de cobrança”, explica o professor.

Segundo ele, como o golpe é muito bem feito, é necessário que haja mudança de comportamento para que a fraude seja evitada.

“Os condomínios devem ser orientados a não receber documentação boletos de pagamento que não seja pelos Correios, ou serviço similar perfeitamente identificado, e o consumidor também pode checar antes do pagamento da fatura conferir o código do cedente no alto da barra, se o número não contém campos com tipos e cores diferentes que podem indicar fraude”, alerta.

 

portalcorreio

Professores de artes marciais na PB alertam para o risco de treinar sozinho

artes-marciaisEsportes que exigem contato devem ser praticados sob supervisão e orientação profissional, conforme alertam professores de artes marciais da Paraíba após a morte de um adolescente de 17 anos em Sobrado, Zona da Mata paraibana. A Polícia Civil investiga se a morte aconteceu por conta de uma luta informal na tarde da terça-feira (23).

Segundo o professor de judô Ricardo Pessoa, o primeiro cuidado que quem quer lutar artes marciais deve ter é o de procurar uma academia registrada com professores qualificados e registrados na federação estadual do esporte. “O profissional vai saber como orientar. Ele tem consciência de que lesões o esporte pode causar e, assim, vai saber como prevenir acidentes”, explicou Ricardo, que é faixa preta de judô desde 1998.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“A arte marcial é um esporte como qualquer outro e tem que ser tratado com seriedade. Se a pessoa treinar de forma clandestina, em casa, o risco de acidente é grande e existem golpes que podem ser muito nocivos se o esporte for praticado sem responsabilidade”, disse.

Ricardo ainda enfatizou que quem quer treinar MMA (uma luta que inclui técnicas de várias modalidades) deve ter ainda mais cuidado, uma vez que é uma arte marcial com menos regras de segurança. “O professor que ensina tem que entender de fisiologia humana. A pessoa não pode ver na TV e querer praticar sem responsabilidade”, orientou o professor.

Rafael Fonseca, que é professor de MMA, concorda com Ricardo. “Não é só chegar e colocar um par de luvas. Praticar um esporte de luta demanda a orientação de um professor de educação física, faixa preta em alguma arte marcial. Com certeza eles estavam lutando errado”, alertou.

Além disso, o atleta tem que ter uma preparação física antes de começar a treinar, conforme explicou Rafael. Isso deve acontecer porque, quando alguém começa a praticar uma luta, ele não é condicionado àquilo.

“Com o meu pessoal, na minha academia, os professores fazem curso de primeiros-socorros antes de começar a dar aula. A gente nunca sabe quando pode acontecer um acidente”, declarou Rafael, que, além de faixa preta em jiu-jitsu e educador físico, é socorrista.

Entenda o caso
Segundo o delegado Fred Magalhães, responsável pelas investigações, o rapaz acompanhado de mais dois, de 14 anos, lutavam MMA quando desmaiou e foi levado para o Hospital Regional de Sapé, também na Zona da Mata do estado. De acordo com o delegado, a equipe médica ainda tentou reanimar a vítima, mas não obteve sucesso. Uma ‘gravata’ teria causado a morte.

O delegado explicou que caso o laudo do Instituto de Polícia Científica (IPC), previsto para sair em até 15 dias, aponte o golpe como a causa da morte, os adolescentes serão autuados por “infração semelhante a homicídio culposo”, quando não há intenção de matar. As investigações dão conta de que o grupo se reunia todo fim de tarde, há cerca de seis meses, para lutar.

“Contra os adolescentes que estavam brincando com a vítima, não há nenhum tipo de infração que já tenham cometido. Creio que eles não tiveram a intenção da matar o rapaz. Todos se conheciam desde a infância e eram muito amigos”, disse Magalhães, que informou ainda que a morte do adolescente foi descoberta pela polícia “por acaso”.

Parentes contaram à polícia que a vítima não tinha histórico de doenças cardíacas o similares. “Esses relatos aumentam ainda mais a possibilidade de a luta ter provocado a morte do adolescente. No entanto, é bom pontuar, só o laudo é que vai afirmar o que causou a morte dele”, ressaltou.

 

G1 PB

Especialistas alertam para riscos da hipertensão e defendem hábitos saudáveis

 

hipertensaoNo Dia Nacional de Combate à Hipertensão, lembrado na quinta (25/4), especialistas alertam para os riscos da doença, que pode causar problemas cardíacos, renais e mesmo cerebrais. Todos os anos, cerca de 300 mil brasileiros morrem em decorrência de doenças cardiovasculares resultantes da chamada pressão alta.

De acordo com o coordenador do Centro de Hipertensão da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, o cardiologista Lucimir Maia, o sedentarismo, o excesso de peso e o excesso de sal nos alimentos, além do estresse, do tabagismo e do alcoolismo, estão entre os principais fatores de risco para a hipertensão.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Hábitos como dormir bem, praticar atividades físicas e se alimentar de maneira saudável, segundo ele, fazem parte do tratamento indicado para hipertensos e também como forma de prevenir o problema. Se não for controlada, a pressão alta pode provocar lesões nos rins, cegueira e até demência (perda de memória).

Para a professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), cardiologista Maria Cláudia Irigoyen, a hipertensão deve ser vista como uma doença traiçoeira por ser silenciosa, ou seja, por não apresentar sintomas específicos. “Uma eventual dor de cabeça, um sangramento no nariz ou uma tontura pode ser sinal de que a pessoa está com o problema”, alerta

Ela ressaltou que quem tem casos da doença na família pode apresentar o quadro de forma mais precoce. “Quem é filho de hipertenso tem de medir a sua pressão, porque é a única forma de saber se tem ou não [a pressão alta], mas não quer dizer que obrigatoriamente terá a doença”.

“[O índice] 14 por 9 seria o limite daquilo que a gente pode aceitar como pressão normal. Embora a gente diga que a pressão ideal seja 12 por 8, se aceita até 14 por 9, pois ainda está dentro de uma faixa de normalidade. A partir daí sim, nós temos de tomar cuidado, tomar providências”, concluiu.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que mais de um terço das pessoas no mundo tem pressão alta. Em 2008, 40% dos adultos com 25 anos ou mais sofriam de hipertensão. No mesmo ano, 17,3 milhões de pessoas morreram apenas em razão de doenças cardiovasculares. Cerca de 80% dos óbitos provocados por doenças não transmissíveis são registrados em países de baixa e média renda.

Agência Brasil

Especialistas alertam para risco da malhação no caso dos sedentários

Foto: SXC/Creative Commons
Foto: SXC/Creative Commons

Passado o verão, a corrida nas academias é para manter o corpo em forma para as próximas estações. Porém, para os sedentários, a recomendação é que se faça uma avaliação do estado de saúde antes de começar a praticar exercícios, evitando surpresas desagradáveis. Os especialistas alertam também para o exagero de atividades físicas, cuidados, alimentação e exercícios indicados para os que estão muito tempo parados.

De acordo com Jousimar Souza, professor de educação física especialista em fisiologia do exercício e personal treiner da academia Jump Cat, o primeiro passo para quem está muito tempo sem malhar e quer iniciar a atividade física é procurar um médico, fazer os exames necessários para saber se está apto. É a partir dessa avaliação que a pessoa fica liberada, ou não, para as práticas esportivas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O professor explica que apesar da procura pelas academias serem maiores durante o Verão, o clima de Salvador favorece que muita gente busque a malhação nessa época temendo engordar ou mesmo para manter o peso. Para isso é preciso tomar as mesmas precauções do verão, como ingerir muito liquido e alimentos leves.

“O primeiro passo é fazer uma avaliação física completa com o cardiologista, realizando teste de esforço para saber como anda o sistema cardiovascular e a pressão arterial. O ortopedista também é recomendado, principalmente para as pessoas que sofrem com dores na coluna.

Depois da avaliação, o recomendado é procurar uma academia com profissionais qualificados para desenvolver um treino de acordo com as condições fisiológicas e desejo do aluno”, disse.

Cuidados

O especialista faz um alerta para as pessoas que buscam adquirir um padrão estético em pouco tempo. Segundo ele, um dos resultados obtidos com a prática regular de exercícios não é possível em curto prazo, de forma imediata. “O corpo e seus sistemas orgânicos e metabólicos passam por uma fase de aprendizagem durante a atividade física. Desta forma, ensinamos aos nossos músculos determinados gestos motores, capacitamos e desenvolvemos a melhor utilização das fontes de energia, principalmente no que se refere à queima de gordura, o que a maioria das pessoas busca o ano inteiro.”, explica.

Ainda segundo ele, passar horas na academia, praticar diversas modalidades em um mesmo dia e não dar o descanso exigido pelo corpo pode ocasionar danos indesejáveis e até impossibilitar a prática de outras atividades.

Ele explica que o excesso de atividade pode causar câimbras, dores musculares por conta de microlesões do tecido, dores, lesões em ligamentos, tendões. “Isso obriga a suspensão da prática da atividade, o que levará a pessoa ao sedentarismo”, alerta.

Para conseguir um bom resultado, manter a boa forma e não se prejudicar, o melhor é praticar atividades físicas regularmente. “O ideal seria que todos os dias executássemos alguma atividade física. Mas este planejamento cabe ao profissional de educação física habilitado. Ele irá considerar o nível de atividade e experiência anterior do indivíduo, elaborar o melhor programa de atividades físicas de forma personalizada, evitando os malefícios e riscos.

Outro ponto importante é o período de repouso para que nosso corpo se recupere entre um estímulo e outro”, alerta.

Outro alerta é para os sedentários que começam a fazer atividades por conta própria. Segundo o especialista, essa e outras atividades, quando feitas de forma inadequada, podem ocasionar lesões musculares, ligamento de joelhos, tornozelo dentre outros males. Outra dica é caminhar nos horários em que o sol não esteja tão forte e utilizar tênis apropriado e roupas leves. Quanto à alimentação, Souza diz que o ideal é buscar a orientação de um nutricionista que vai indicar uma dieta de acordo com as condições físicas de cada um.

Exercícios recomendados

Os exercícios praticados em academias ou ao ar livre, caminhadas são uma ótima opção para manter a forma e a saúde durante o outono e o inverno, já que é um período em que o corpo queima mais calorias para se manter aquecido.

Para o chefe do departamento de reabilitação cardíaca do Instituto Nacional de Cardiologia, Daniel Kopiler, apesar de Salvador ter um clima quente e favorável à atividades ao ar livre, é preciso tomar alguns cuidados na hora de praticar exercícios, durante o outono e o inverno, por causa da baixa temperatura, principalmente para os idosos e pessoas que sofrem com os problemas respiratórios.

As atividades recomendadas nessa época são as mesmas de sempre: exercícios aeróbicos como caminhada, corrida ou bicicleta aliados a um pouco de musculação. É imprescindível, no entanto, fazer um bom aquecimento antes de qualquer atividade para evitar lesões musculares, utilizar um vestuário adequado para o frio e, principalmente, respeitar os próprios limites.

O médico garante que, tomando os devidos cuidados, o esporte é uma excelente opção para cuidar da saúde e evitar o ganho de peso comum durante a estação.

A atividade física também ajuda a amenizar os efeitos do colesterol bastante ingerido nos alimentos típicos da época. Mas a recomendação é a mesma: faça uma avaliação médica antes de iniciar qualquer atividade física, por mais simples que pareça.

 

 

iG