Arquivo da tag: alerta

Inmet emite alerta de acumulado de chuva para João Pessoa e outras 33 cidades da Paraíba

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta amarelo de acumulado de chuva para João Pessoa e outros 33 municípios da Paraíba. O aviso vale das 8h05 até as 23h59 desta quinta-feira (9).

O Inmet diz que pode chover entre 20 e 30 milímetros por hora, ou até 50 milímetros por dia. Nestas cidades, há baixos riscos de alagamentos e deslizamentos.

O órgão orienta que as pessoas evitem enfrentar o mau tempo, observem as alterações nas encostas e evitem usar aparelhos ligados à tomada.

Caso haja algum problema, o órgão orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

Cidades com perigo de acumulado de chuva

  1. Alhandra
  2. Araçagi
  3. Bayeux
  4. Baía Da Traição
  5. Caaporã
  6. Cabedelo
  7. Caiçara
  8. Capim
  9. Conde
  10. Cruz Do Espírito Santo
  11. Cuité De Mamanguape
  12. Curral De Cima
  13. Duas Estradas
  14. Itapororoca
  15. Jacaraú
  16. João Pessoa
  17. Juripiranga
  18. Lagoa De Dentro
  19. Logradouro
  20. Lucena
  21. Mamanguape
  22. Marcação
  23. Mari
  24. Mataraca
  25. Pedras De Fogo
  26. Pedro Régis
  27. Pilar
  28. Pitimbu
  29. Rio Tinto
  30. Santa Rita
  31. Sapé
  32. Sobrado
  33. São Miguel De Taipu
  34. Tacima

 

G1

 

 

Inmet emite alerta de baixa umidade para 109 municípios da Paraíba

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de perigo potencial de baixa umidade para 109 municípios da Paraíba. O aviso vale a partir das 12h até as 18h desta quarta-feira (8).

O aviso de perigo potencial alerta é para umidade relativa do ar variando entre 30% e 20% com baixo risco de incêndios florestais e à saúde em municípios do Cariri, Seridó, Sertão e Brejo.

O Inmet recomenda que as pessoas que estejam nessas cidades bebam bastante líquido, evitem exposição ao sol nas horas mais quentes do dia e desgaste físico nas horas mais secas. Para mais informações, o instituto disponibilizou o número da Defesa Civil (telefone 199) e do Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Confira cidades com alerta de perigo potencial de baixa umidade

  1. Amparo
  2. Aparecida
  3. Areia De Baraúnas
  4. Assunção
  5. Baraúna
  6. Belém Do Brejo Do Cruz
  7. Bernardino Batista
  8. Boa Ventura
  9. Bom Jesus
  10. Bom Sucesso
  11. Bonito De Santa Fé
  12. Brejo Do Cruz
  13. Brejo Dos Santos
  14. Cachoeira Dos Índios
  15. Cacimba De Areia
  16. Cacimbas
  17. Cajazeiras
  18. Cajazeirinhas
  19. Carrapateira
  20. Catingueira
  21. Catolé Do Rocha
  22. Conceição
  23. Condado
  24. Coremas
  25. Curral Velho
  26. Desterro
  27. Diamante
  28. Emas
  29. Frei Martinho
  30. Ibiara
  31. Igaracy
  32. Imaculada
  33. Itaporanga
  34. Jericó
  35. Joca Claudino
  36. Juazeirinho
  37. Junco Do Seridó
  38. Juru
  39. Lagoa
  40. Lastro
  41. Livramento
  42. Malta
  43. Manaíra
  44. Marizópolis
  45. Mato Grosso
  46. Maturéia
  47. Monte Horebe
  48. Monteiro
  49. Mãe D’Água
  50. Nazarezinho
  51. Nova Olinda
  52. Nova Palmeira
  53. Olho D’Água
  54. Ouro Velho
  55. Parari
  56. Passagem
  57. Patos
  58. Paulista
  59. Pedra Branca
  60. Pedra Lavrada
  61. Piancó
  62. Picuí
  63. Pombal
  64. Poço Dantas
  65. Poço De José De Moura
  66. Prata
  67. Princesa Isabel
  68. Quixabá
  69. Riacho Dos Cavalos
  70. Salgadinho
  71. Santa Cruz
  72. Santa Helena
  73. Santa Inês
  74. Santa Luzia
  75. Santa Teresinha
  76. Santana De Mangueira
  77. Santana Dos Garrotes
  78. Santo André
  79. Serra Branca
  80. Serra Grande
  81. Sousa
  82. Sumé
  83. São Bentinho
  84. São Bento
  85. São Domingos
  86. São Francisco
  87. São José Da Lagoa Tapada
  88. São José De Caiana
  89. São José De Espinharas
  90. São José De Piranhas
  91. São José De Princesa
  92. São José Do Bonfim
  93. São José Do Brejo Do Cruz
  94. São José Do Sabugi
  95. São José Dos Cordeiros
  96. São João Do Rio Do Peixe
  97. São Mamede
  98. São Vicente Do Seridó
  99. Taperoá
  100. Tavares
  101. Teixeira
  102. Tenório
  103. Triunfo
  104. Uiraúna
  105. Vieirópolis
  106. Vista Serrana
  107. Várzea
  108. Água Branca
  109. Aguiar

 

G1

 

 

Testes rápidos aplicados em massa apresentam grandes chances de falsos negativos e são um risco, segundo alerta especialista

Com alta chance de falsos negativos, e sendo incapaz de detectar o vírus desde o primeiro dia de transmissão, a utilização de testes rápidos para controle epidemiológico pode ter efeito contrário ao esperado, criando grande risco no momento de reabertura gradual das atividades

No momento em que várias cidades iniciam a volta às atividades em níveis controlados, ganha ainda mais importância a necessidade de se realizar testes em massa seguros, para que seja possível mapear e conter, de forma 100% eficaz, a disseminação pelo SARS-CoV-2. Contudo, os testes em massa realizados atualmente são imunoensaios – em sua quase totalidade na forma de testes rápidos baseados em antígenos e anticorpos -, que apresentam grandes chances de falso negativo se não aplicados corretamente, e principalmente por não serem capazes de detectar o vírus a partir do primeiro dia de contágio.

O mais indicado para a realização de testes em massa na fase aguda da pandemia, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), é o teste PCR, que detecta com quase 100% de precisão a presença do vírus SARS-CoV-2 já a partir do primeiro dia de contágio. Seguindo os protocolos das instituições internacionais CDC (Centro de Prevenção e Controle de Doenças, Estados Unidos) e OMS (Organização Mundial da Saúde, Brasil), é o teste indicado para a contenção do avanço da doença. Aproximadamente 80% das pessoas contaminadas não apresentam sintomas, porém podem disseminar o vírus.

“Sem a testagem pelo método PCR, que permite detectar vírus SARS-Cov-2 já a partir do primeiro dia de contaminação, o vírus continuará se alastrando no País de forma descontrolada”, afirma a biomédica Dra. Alexandra Reis, diretora Científica da Testes Moleculares, expert em padronização e desenvolvimento de exames moleculares em laboratório de rotina, que participou de diversos projetos de saúde, públicos e privados e é Ph.D. em vírus respiratórios pela FM USP. Ela explica que o efeito pode ser o contrário do que se espera com a aplicação em massa de testes rápidos, pois, em vez de controlar, se dará a percepção de falsa segurança, fazendo com que as pessoas continuem contaminando umas às outras.

A questão é que ainda há um desconhecimento grande sobre quais são as características de cada um dos testes e sua eficácia real. “Falta informação sobre qual a melhor metodologia para conduzir a testagem em massa. Muitas vezes a opção é pelo teste de menor custo, mas, ao final, isso pode ter um ônus enorme para a saúde e segurança da população”, acrescenta Alexandra.

A Testes Moleculares está à frente do programa de testes em massa em andamento no município de Parauapebas, no Pará, que já testou cerca de 20 mil pessoas, e a previsão é testar 50% da população. É o maior programa de teste em massa pela metodologia PCR em um único município no País.

Entenda melhor a diferença entre os testes rápidos e o teste molecular:

Teste PCR

Detecta com altíssima precisão a presença do vírus SARS-CoV-2 em tempo real, ou seja, a partir do dia 01 de infecção. Este teste oferece um resultado confiável e definitivo, que corresponde ao exato momento da presença do vírus no corpo do paciente. Não requer coleta de sangue e é considerado o exame padrão-ouro para o diagnóstico da presença do RNA viral do SARS-CoV-2. A metodologia utilizada pela Testes Moleculares prevê a coleta de 2 swabs de nasofaringe e a análise de três pontos do gene do vírus, garantindo total eficácia na análise e nos resultados. Para realizar o teste, o paciente não precisa estar com qualquer sintoma da COVID-19.

Imunoensaio (ELISA)

Os imunoensaios são testes usados para detectar a presença de anticorpos ou antígeno para o patógeno em questão, ou seja, para avaliar a resposta imunológica do indivíduo. Este método é indicado para estágios mais avançados da doença, entre 09 a 10 dias após a infecção pelo vírus, pois ele não é detectado no período de janela imunológica. Nesse prazo, o paciente já desenvolveu os sintomas, e pode ter disseminado para outras pessoas. Ele é necessário em uma fase mais avançada da pandemia, principalmente para mapeamento epidemiológico, e, considerando que há muito a entender sobre a permanência da resposta imunológica das pessoas frente a este vírus.

Teste rápido (Antígeno)

Os testes rápidos por imunocromatografia, que detectam proteínas próprias do vírus na amostra (partícula viral a partir do 5º dia de apresentação de sintomas), é considerado um teste com baixa sensibilidade por ter uma grande chance de apresentar um resultado falso negativo. Isso pode expor a população e contribuir disseminar o vírus mais rapidamente.
Assessoria

 

Caixa divulga alerta para que usuários se protejam de golpes

A Caixa Econômica Federal (CEF) alertou nesta segunda-feira (29) que não envia mensagens com solicitação de senhas, dados ou informações pessoais dos beneficiários do Auxílio Emergencial. Também não envia links ou pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.

O banco ressaltou que os códigos SMS enviados para validação devem ser preenchidos exclusivamente nos aplicativos e sites oficiais, não devendo ser fornecidos para terceiros nem enviados por SMS ou WhatsApp.

“Nos casos de fraude, o beneficiário deve procurar algum dos canais oficiais ou atendimento presencial em uma agência da Caixa”, disse o banco.

Os únicos canais oficiais da Caixa para atendimento aos beneficiários do Auxílio Emergencial são o site auxilio.caixa.gov.br, o telefone 111 e o aplicativo ‘Auxílio Emergencial’.

 

portalcorreio

 

 

Prefeitura de Araruna alerta para avanço do coronavirus e apela para que a população fique em casa

A Prefeitura de Araruna, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), fez um alerta à população nesta segunda-feira (22) para o aumento do número de casos confirmados da Covid-19 no município, principalmente nos últimos dias. O cenário não é nada animador e força à população a refletir sobre o papel de cada um nesta pandemia: ficar em casa e seguir as recomendações do Ministério da Saúde e dos governos estadual e municipal.

“São dois caminhos bem claros.  Ou a população colabora, ou o preço poderá ser alto demais para todos”, disse o prefeito Vital Costa.

Todo esse cuidado é porque o município já atingiu o nível da transmissão comunitária, quando o contágio passa de pessoa para pessoa em uma grande velocidade. Em Araruna já são 30 casos confirmados de coronavírus. “E a tendência é que esse número só aumente. Para muitos, os alertas feitos pelos governos estadual e municipal são ignorados a todo tempo e nem mesmo o uso obrigatório da máscara é respeitado”, explicou o prefeito.

E continuou. “Trata-se de um inimigo terrível, invisível e microscópico, mas com força suficiente para matar e causar tragédias nas vidas de muitas famílias. Logo, o melhor remédio é ficar em casa e obedecer ao isolamento social”, finalizou o prefeito Vital Costa.


 

ASCOM PMA

 

 

Alerta de acumulado de chuva para 81 cidades da Paraíba é prorrogado pelo Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prorrogou um alerta amarelo de acumulado de chuva para 81 cidades da Paraíba. João Pessoa e Campina Grande estão inseridas na lista. O aviso vale até as 10h desta terça-feira (16).

O Inmet diz que pode chover entre 20 e 30 milímetros por hora, ou até 50 milímetros por dia. Nestas cidades, há baixos riscos de alagamentos e deslizamentos.

O órgão orienta que as pessoas evitem enfrentar o mau tempo, observem as alterações nas encostas e evitem usar aparelhos ligados à tomada.

Caso haja algum problema, o órgão orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

Cidades com perigo de acumulado de chuva

  1. Alagoa Grande
  2. Alagoa Nova
  3. Alagoinha
  4. Alcantil
  5. Alhandra
  6. Arara
  7. Araruna
  8. Araçagi
  9. Areia
  10. Aroeiras
  11. Bananeiras
  12. Barra De Santana
  13. Barra De São Miguel
  14. Bayeux
  15. Baía Da Traição
  16. Belém
  17. Borborema
  18. Caaporã
  19. Cabedelo
  20. Caiçara
  21. Caldas Brandão
  22. Campina Grande
  23. Capim
  24. Conde
  25. Cruz Do Espírito Santo
  26. Cuitegi
  27. Cuité De Mamanguape
  28. Curral De Cima
  29. Dona Inês
  30. Duas Estradas
  31. Fagundes
  32. Gado Bravo
  33. Guarabira
  34. Gurinhém
  35. Ingá
  36. Itabaiana
  37. Itapororoca
  38. Itatuba
  39. Jacaraú
  40. João Pessoa
  41. Juarez Távora
  42. Juripiranga
  43. Lagoa De Dentro
  44. Logradouro
  45. Lucena
  46. Mamanguape
  47. Marcação
  48. Mari
  49. Massaranduba
  50. Mataraca
  51. Matinhas
  52. Mogeiro
  53. Mulungu
  54. Natuba
  55. Pedras De Fogo
  56. Pedro Régis
  57. Pilar
  58. Pilões
  59. Pilõezinhos
  60. Pirpirituba
  61. Pitimbu
  62. Queimadas
  63. Riacho De Santo Antônio
  64. Riachão
  65. Riachão Do Bacamarte
  66. Riachão Do Poço
  67. Rio Tinto
  68. Salgado De São Félix
  69. Santa Cecília
  70. Santa Rita
  71. Sapé
  72. Serra Da Raiz
  73. Serra Redonda
  74. Serraria
  75. Sertãozinho
  76. Sobrado
  77. Solânea
  78. São José Dos Ramos
  79. São Miguel De Taipu
  80. Tacima
  81. Umbuzeiro

 

 

G1

 

 

Inmet faz alerta por acumulado de chuva em 72 cidades da Paraíba

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de perigo potencial na manhã deste domingo (14) em virtude de acumulado de chuva em 72 cidades da Paraíba, incluindo a Grande João Pessoa. O aviso segue até as 10h30 desta segunda-feira (15).

O Inmet indica que podem ocorrer chuvas com volumes entre 20 e 30 milímetros por hora ou de até 50 milímetros por dia. As áreas atingidas na Paraíba são Cariri, Seridó, Agreste, Brejo, Litoral e Zona da Mata.

Conforme a previsão, há baixo risco de alagamentos e pequenos deslizamentos, em cidades com tais áreas de risco.

O instituto aconselha que as pessoas evitem enfrentar o mau tempo, observem alteração nas encostas e procurem não usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Mais informações podem ser obtidas junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Lista de cidades da Paraíba incluídas no alerta:

  1. Alagoa Grande
  2. Alagoinha
  3. Alcantil
  4. Alhandra
  5. Araçagi
  6. Aroeiras
  7. Bananeiras
  8. Barra De Santana
  9. Barra De São Miguel
  10. Bayeux
  11. Baía Da Traição
  12. Belém
  13. Borborema
  14. Caaporã
  15. Cabedelo
  16. Caiçara
  17. Caldas Brandão
  18. Camalaú
  19. Capim
  20. Caraúbas
  21. Conde
  22. Congo
  23. Cruz Do Espírito Santo
  24. Cuitegi
  25. Cuité De Mamanguape
  26. Curral De Cima
  27. Dona Inês
  28. Duas Estradas
  29. Gado Bravo
  30. Guarabira
  31. Gurinhém
  32. Ingá
  33. Itabaiana
  34. Itapororoca
  35. Itatuba
  36. Jacaraú
  37. João Pessoa
  38. Juarez Távora
  39. Juripiranga
  40. Lagoa De Dentro
  41. Logradouro
  42. Lucena
  43. Mamanguape
  44. Marcação
  45. Mari
  46. Mataraca
  47. Mogeiro
  48. Mulungu
  49. Natuba
  50. Pedras De Fogo
  51. Pedro Régis
  52. Pilar
  53. Pilõezinhos
  54. Pirpirituba
  55. Pitimbu
  56. Riacho De Santo Antônio
  57. Riachão
  58. Riachão Do Poço
  59. Rio Tinto
  60. Salgado De São Félix
  61. Santa Cecília
  62. Santa Rita
  63. Sapé
  64. Serra Da Raiz
  65. Sertãozinho
  66. Sobrado
  67. São José Dos Ramos
  68. São João Do Tigre
  69. São Miguel De Taipu
  70. São Sebastião Do Umbuzeiro
  71. Tacima
  72. Umbuzeiro

 

portalcorreio

 

 

Psiquiatra alerta sobre sinais de estresse em profissionais da saúde

Mudanças no padrão de sono, medo e preocupação excessivos, dificuldades de concentração e sintomas físicos como taquicardia e mal estar generalizado. Esses podem ser sinais de alerta que os profissionais de saúde devem observar com bastante atenção. Segundo o chefe do Ambulatório de Psiquiatria do Hospital Universitário Lauro Wanderley, Roberto Mendes, o surgimento desses sintomas pode ser indício de estresse e cansaço mental.

Os trabalhadores da área da saúde estão vivendo uma rotina incomum nos últimos meses, principalmente aqueles que estão ligados diretamente à batalha contra o novo coronavírus, um momento histórico em suas carreiras. Por isso, devem estar bastante atentos à saúde mental. De acordo com o psiquiatra, profissionais que estejam apresentando sinais de estresse podem necessitar de cuidados logo no início, para evitar que o quadro venha a se agravar.

“A crise provocada pela pandemia de Covid-19 causou aumento exponencial da demanda por serviços médico-hospitalares, em todos os países envolvidos. Como consequência, é preciso estar preparado para enfrentar o inevitável incremento na sobrecarga emocional e de trabalho da equipe multidisciplinar. O estresse extremo, as incertezas de uma problemática inédita e a própria natureza médica muitas vezes difícil de surtos globais de doenças infecciosas, como a Covid-19, requerem atenção especial”, frisou Mendes.

Entre os fatores que contribuem para uma sobrecarga emocional nos profissionais de saúde, explicou o médico, estão situações de separação física da família e amigos, estigmatização e medo de transmitir a doença aos parentes. “Não menos importante, o risco potencial de ser contaminado durante o processo de trabalho e de contaminar outras pessoas atua como enorme ‘estressor’ para aqueles diretamente envolvidos nas linhas de frente”, destacou.

Outros sinais indicados pelo psiquiatra e que devem chamar a atenção são irritabilidade excessiva, apatia, angústia, e perda de senso de humor. Há também sintomas, ligados mais diretamente à saúde física, que podem ser indicação de que há algo de errado na saúde psíquica como mal estar generalizado, formigamento nos dedos, tontura, taquicardia, diarreias frequentes, dificuldades sexuais, e sensação de desgaste físico constante.

“Pode haver o agravamento de doenças crônicas como hipertensão arterial, gastrite ou úlcera e problemas dermatológicos, por exemplo”, enumera o psiquiatra, acrescentando que o amento no consumo de álcool e cigarro também integra a lista dos fatores ocasionados pelo estresse.

Adotar cuidados para manter a saúde física e o bem estar mental, controlando ansiedade e estresse, são fundamentais para que todos atravessem esta etapa da vida sem tantos prejuízos. Ser otimista e pensar positivo já é um começo. Mas existem atitudes que vão contribuir para lidar melhor com a situação: cuidar bem da alimentação, manter uma rotina equilibrada, praticar exercícios físicos e incluir na agenda (e tentar cumprir mesmo que o tempo esteja limitado) algo que você tenha prazer em fazer.

Dia a dia dos profissionais

A assistente social do HULW, Dandara Correia, conta que a apreensão integra a rotina de trabalho entre os profissionais de saúde após o surgimento da Covid-19. “Nosso dia a dia tem sido de muita tensão, que se dá pelo risco iminente de ser contaminado pelo vírus”, conta. A profissional destaca ainda a angústia que tem compartilhado com colegas em perceber os efeitos da pandemia (como a questão do isolamento social) na qualidade de vida e recuperação dos pacientes. “Observamos uma angústia ocasionada por conta das repercussões geradas pelas medidas de isolamento. Tanto na saúde física dos usuários, quanto emocional. Sofrimento para o paciente e para a família por conta do distanciamento, que afeta também o profissional”, complementa.

Mas as dificuldades são contornadas com a ajuda mútua entre os profissionais de saúde. Solidariedade e cuidado mútuo são características que têm aflorado ainda mais na rotina desses colaboradores durante o atual período em que estão vivenciando. Dandara explica que a preocupação permeia não apenas a questão física (como reforço nos procedimentos para evitar uma possível transmissão), mas também o lado emocional.

“Nós, assistentes sociais do HULW, estamos a todo o tempo prestando solidariedade umas com as outras, compartilhando e discutindo vídeos e materiais que ajudem no aspecto de preservação da saúde mental, como exercícios e mensagens para nos ajudar em meio a toda a essa tensão. A relação entre as assistentes sociais é de muita solidariedade”, relata.

 

portalcorreio

 

 

Alerta de acumulado de chuva é renovado para Bananeiras, Solânea e mais 103 cidades da Paraíba

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) renovou o alerta de acumulado de chuva para 105 cidades da Paraíba. O alerta saiu de laranja para amarelo e inclui João Pessoa e Campina Grande. O Inmet alerta que o acumulado de chuva vale até as 8h desta terça-feira (26).

O Inmet diz que pode chover entre 20 e 30 milímetros por hora, ou até 50 milímetros por dia. Nestas cidades, há baixo risco de alagamentos e pequenos deslizamentos.

O órgão orienta que as pessoas evitem enfrentar o mau tempo; observem as alterações nas encostas; e evitem usar aparelhos eletrônicos ligados na tomada.

Caso haja algum problema, o órgão orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

Cidades com perigo de acumulado de chuva

  1. Alagoa Grande
  2. Alagoa Nova
  3. Alagoinha
  4. Alcantil
  5. Algodão De Jandaíra
  6. Alhandra
  7. Arara
  8. Araruna
  9. Araçagi
  10. Areia
  11. Areial
  12. Aroeiras
  13. Bananeiras
  14. Baraúna
  15. Barra De Santa Rosa
  16. Barra De Santana
  17. Bayeux
  18. Baía Da Traição
  19. Belém
  20. Boa Vista
  21. Boqueirão
  22. Borborema
  23. Caaporã
  24. Cabedelo
  25. Cacimba De Dentro
  26. Caiçara
  27. Caldas Brandão
  28. Campina Grande
  29. Capim
  30. Casserengue
  31. Caturité
  32. Conde
  33. Cruz Do Espírito Santo
  34. Cubati
  35. Cuitegi
  36. Cuité
  37. Cuité De Mamanguape
  38. Curral De Cima
  39. Damião
  40. Dona Inês
  41. Duas Estradas
  42. Esperança
  43. Fagundes
  44. Frei Martinho
  45. Gado Bravo
  46. Guarabira
  47. Gurinhém
  48. Ingá
  49. Itabaiana
  50. Itapororoca
  51. Itatuba
  52. Jacaraú
  53. João Pessoa
  54. Juarez Távora
  55. Juripiranga
  56. Lagoa De Dentro
  57. Lagoa Seca
  58. Logradouro
  59. Lucena
  60. Mamanguape
  61. Marcação
  62. Mari
  63. Massaranduba
  64. Mataraca
  65. Matinhas
  66. Mogeiro
  67. Montadas
  68. Mulungu
  69. Natuba
  70. Nova Floresta
  71. Nova Palmeira
  72. Olivedos
  73. Pedra Lavrada
  74. Pedras De Fogo
  75. Pedro Régis
  76. Picuí
  77. Pilar
  78. Pilões
  79. Pilõezinhos
  80. Pirpirituba
  81. Pitimbu
  82. Pocinhos
  83. Puxinanã
  84. Queimadas
  85. Remígio
  86. Riachão
  87. Riachão Do Bacamarte
  88. Riachão Do Poço
  89. Rio Tinto
  90. Salgado De São Félix
  91. Santa Cecília
  92. Santa Rita
  93. Sapé
  94. Serra Da Raiz
  95. Serra Redonda
  96. Serraria
  97. Sertãozinho
  98. Sobrado
  99. Solânea
  100. Sossêgo
  101. São José Dos Ramos
  102. São Miguel De Taipu
  103. São Sebastião De Lagoa De Roça
  104. Tacima
  105. Umbuzeiro

 

G1

 

 

Alerta de acumulado de chuva para 114 cidades da Paraíba é emitido pelo Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta laranja de acumulado de chuva para 114 cidades da Paraíba. João Pessoa e Campina Grande estão inseridas na lista. O alerta vale até as 8h desta segunda-feira (25).

O Inmet diz que pode chover entre 30 e 60 milímetros por hora, ou até 100 milímetros por dia. Nestas cidades, há riscos de alagamentos, deslizamento de encostas e transbordamento de rios.

O órgão orienta que as pessoas evitem enfrentar o mau tempo; observem as alterações nas encostas; desliguem, se possível, os aparelhos elétricos e o quadro geral de energia; e em caso de inundação, proteger pertences envolvendo-os em sacos plásticos.

Caso haja algum problema, o órgão orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

Cidades com perigo de acumulado de chuva

  1. Alagoa Grande
  2. Alagoa Nova
  3. Alagoinha
  4. Alcantil
  5. Algodão De Jandaíra
  6. Alhandra
  7. Arara
  8. Araruna
  9. Araçagi
  10. Areia
  11. Areial
  12. Aroeiras
  13. Bananeiras
  14. Baraúna
  15. Barra De Santa Rosa
  16. Barra De Santana
  17. Barra De São Miguel
  18. Bayeux
  19. Baía Da Traição
  20. Belém
  21. Boa Vista
  22. Boqueirão
  23. Borborema
  24. Caaporã
  25. Cabaceiras
  26. Cabedelo
  27. Cacimba De Dentro
  28. Caiçara
  29. Caldas Brandão
  30. Campina Grande
  31. Capim
  32. Casserengue
  33. Caturité
  34. Conde
  35. Cruz Do Espírito Santo
  36. Cubati
  37. Cuitegi
  38. Cuité
  39. Cuité De Mamanguape
  40. Curral De Cima
  41. Damião
  42. Dona Inês
  43. Duas Estradas
  44. Esperança
  45. Fagundes
  46. Frei Martinho
  47. Gado Bravo
  48. Guarabira
  49. Gurinhém
  50. Gurjão
  51. Ingá
  52. Itabaiana
  53. Itapororoca
  54. Itatuba
  55. Jacaraú
  56. João Pessoa
  57. Juarez Távora
  58. Juazeirinho
  59. Juripiranga
  60. Lagoa De Dentro
  61. Lagoa Seca
  62. Logradour
  63. Lucena
  64. Mamanguape
  65. Marcação
  66. Mari
  67. Massaranduba
  68. Mataraca
  69. Matinhas
  70. Mogeiro
  71. Montadas
  72. Mulungu
  73. Natuba
  74. Nova Floresta
  75. Nova Palmeira
  76. Olivedos
  77. Pedra Lavrada
  78. Pedras De Fogo
  79. Pedro Régis
  80. Picuí
  81. Pilar
  82. Pilões
  83. Pilõezinhos
  84. Pirpirituba
  85. Pitimbu
  86. Pocinhos
  87. Puxinanã
  88. Queimadas
  89. Remígio
  90. Riacho De Santo Antônio
  91. Riachão
  92. Riachão Do Bacamarte
  93. Riachão Do Poço
  94. Rio Tinto
  95. Salgado De São Félix
  96. Santa Cecília
  97. Santa Rita
  98. Sapé
  99. Serra Da Raiz
  100. Serra Redonda
  101. Serraria
  102. Sertãozinho
  103. Sobrado
  104. Soledade
  105. Solânea
  106. Sossêgo
  107. São Domingos Do Cariri
  108. São José Dos Ramos
  109. São João Do Cariri
  110. São Miguel De Taipu
  111. São Sebastião De Lagoa De Roça
  112. São Vicente Do Seridó
  113. Tacima
  114. Umbuzeiro

 

G1