Arquivo da tag: alagamentos

Chuvas enchem açudes e provocam alagamentos no Sertão da Paraíba

São as águas de março!, Tem chovido forte no Sertão da Paraíba e açudes transbordam. Em Teixeira choveu mais de 70 milímetros segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (AESA). O Açude Velho,, amanheceu transbordando.

Em Teixeira a chuva provocou a queda de pedras na pista. Um alerta para os motoristas. O Departamento de Estrada e Rodagem (DER), em Patos, enviou uma equipe para Serra do Teixeira para  realizar o  serviço da retirada das pedras da pista da PB-262.

Atenção dos condutores  de veículos e motocicletas que vão pegar a PB-262 para subir ou descer a Serra do Teixeira. Tenham cautela e prudências redobrada nessa manhã de domingo 24.

Em Pombal a chuva causou alagamentos por toda a cidade, mas animou a população, ansiosa por um inverno que possa levar recarga aos mananciais. O pluviômetro instalado na localidade conhecida como “Casinhas” registrou 100 mm.

Em Matureia, município limítrofe, choveu 45 mm, precisamente no Casarão do Jabre, segundo informações da empresária Dalvanete Rodrigues Dantas.

Choveu também em Malta, Santana dos Garrotes (31,3mm), em Cajazeirinhas (17 mm), em Imaculada (49,9 mm), em Pombal (em alguns bairros chegou a 100 mm), em São José do Bonfim, em São José de Espinharas, em Coremas, em São Bentinho e em outros municípios da região.

PB Agora

 

 

Chuvas provocam alagamentos e desmoronamentos no Sertão da PB

chuvasDezoito ocorrências entre alagamentos e desmoronamentos foram registrados na cidade de Patos entre a noite de segunda-feira (9) e madrugada desta terça-feira (10) por conta das fortes chuvas que caíram na região. Segundo informações da prefeitura de Patos, uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Campo da Liga ficou alagada e o Pronto Atendimento Maria Marques também registrou alguns setores alagados.

Treze das ocorrências foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros e outras cinco foram acompanhadas pela Defesa Civil da cidade, que atende emergências pelo número (83) 9-9967-6061.

Segundo Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), foi registrado um volume de 82 mm de chuvas na cidade.

Ainda segundo a prefeitura, o Canal do Frando não transbordou, mas ficou cheio e o represamento alagou algumas ruas na comunidade Dom Bosco. Uma loja de veículos no bairro do Jatobá caiu, assim como parte do tapume do teatro da cidade, dificultando a passagem de veículos nas ruas laterais.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Chuvas atingem 92 cidades da PB, com alagamentos e estragos em vários locais

Reprodução/Instagram/@felipefranca1
Reprodução/Instagram/@felipefranca1

Choveu em 92 municípios da Paraíba entre segunda e terça-feira (24), segundo informou na tarde desta terça-feira (24) a Agência Executiva de Gestão da Águas (Aesa). As maiores precipitações foram registradas no Sertão do Estado e no Litoral. Em alguns casos, elas deixaram estragos, mas a Defesa Civil do Estado informou que não recebeu nenhuma notificação.

De acordo com a meteorologista Marle Bandeira, onde mais choveu em todo o estado foi no município de Santa Cruz, no Vale do Piancó, no Sertão do Estado, com o registro de 91 milímetros. Seguido por Pombal, também no Sertão, com 74 milímetros, e Mari, na Zona da Mata (a 60 quilômetros de João Pessoa), também com o registro de 74 milímetros.

No Litoral, o município mais chuvoso foi João Pessoa, com 65.2 milímetros, seguido de Cabedelo, com 62.8 e Baía da Traição, com 54.9 milímetros.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Marle informou que a previsão é de que as chuvas continuem no estado, principalmente no Sertão, onde deve ter ocorrências isoladas. O volume de chuvas, segundo a meteorologista, é consequência de zona de convergência intertropical e é considerado normal para essa época do ano.

Ela disse que, no Sertão, essas chuvas são comumente registradas entre os meses de fevereiro e maio. Já na região do Litoral, elas acontecem entre os meses de março e julho.

Chuvas provocam estragos, mas também trazem alegria

As chuvas causaram estragos em algumas localidades, mas na maioria das cidades, principalmente do Sertão, que sofre com a seca, as precipitações são motivo de muita alegria.

O clima nos municípios pode ser sentido através das redes sociais. São fotografias e vídeos que registram a ação das chuvas nos rios, pontes e nas ruas das cidades.

Em Mamanguape, no Litoral Norte do estado, internautas postaram foto de uma rua que teve o calçamento destruído por conta da enxurrada. O registro teria sido feito no Bairro Terra Nova.

Chuvas causaram estragos em Mamanguape, revelou internautaFoto: Chuvas causaram estragos em Mamanguape, revelou internauta
Créditos: Reprodução/Instagram/@felipefranca1

Já em Catolé do Rocha, no Sertão, ruas ficaram alagadas, dificultando o trânsito de veículos.

 

Chuvas deixaram trânsito difícil em CatoléFoto: Chuvas deixaram trânsito difícil em Catolé
Créditos: Reprodução/ Catolé News

Em Santa Luzia e São José do Sabugi, no Sertão, e em Junco do Seridó, no Cariri, o espetáculo proporcionado pela cachoeiras e enxurradas puderam ser vistas e comemoradas por internautas paraibanos que compartilharam nesta terça-feira (24) imagens e comentários sobre os casos.

Em Pombal, também no Sertão, a Aesa registrou 74,1 milímetros de chuvas, o suficiente para alagar ruas da cidade.

Pombal teve alagamentosFoto: Pombal teve alagamentos
Créditos: Reprodução/Diário do Sertão

Na maioria das cidades onde ocorreram chuvas, as precipitações trouxeram felicidade e esperança de que os mananciais que abastecem os municípios consigam recarga de água suficiente para amenizar o problema de desabastecimento registrado já em cerca de 30% das cidades paraibanas.

Apesar dos casos registrados pelos internautas, a Polícia Rodoviária Federal e a Defesa Civil do Estado não registraram ocorrências ou chamados nos municípios.

A Polícia Rodoviária Federal, no entanto, alertou os motoristas para redobrar os cuidados com a direção na época de chuvas. A recomendação é dirigir com segurança, sem ultrapassar limites de velocidade e manter a calma e a paciência nas áreas de tráfego intenso.

Em João Pessoa, a atenção é para o trecho da BR 230, onde fica localizada a barreira da comunidade São Rafael, onde há perigo de deslizamento de terra. A PRF informou que o trecho é monitorado pela Defesa Civil do Município.

 

 

portalcorreio

Chuva forte provoca alagamentos e queda de árvores em São Paulo

chuvaA chuva forte com granizo que atingiu a capital paulista na tarde desta quinta-feira (25) provocou alagamentos e queda de árvores. O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, chegou a ficar seis minutos fechado para pousos e decolagens. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura de São Paulo, colocou toda a cidade em estado de atenção para alagamentos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As zonas Norte e Leste, além do Centro e da Marginal Tietê foram colocadas em estado de atenção para alagamentos a partir das 15h10. As demais regiões, as zonas Sul, Sudeste e Oeste, além da Marginal Pinheiros, entraram em atenção a partir das 15h40. Todas as regiões voltaram ao estado de observação às 17h41.

De acordo com o CGE, a chuva caiu forte com potencial para queda de granizo nos bairros de Vila Medeiros, Tucuruvi, Vila Maria e Jaçanã, na Zona Norte. Em Guarulhos, a chuva foi leve com pontos moderados. A mesma condição de chuva forte com possibilidade de queda de granizo foi observada na Zona Leste, nos bairros de Tatuapé, Mooca, Belém, Brás, Penha e Vila Carrão.

Por volta das 18h, havia apenas chuvas leve em alguns pontos da cidade.

Alagamentos
Por volta das 16h30, a capital registrava ao menos 13 pontos de alagamento, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A Avenida Vinte e Três de Maio chegou a ficar totalmente bloqueada na altura do Viaduto General Euclides de Figueiredo. Às 18h40, não havia mais pontos de alagamento ativos na cidade. No horário, havia 47 semáforos quebrados na cidade.

Árvore caiu na Rua Itacolomi nesta quinta-feira  (Foto: Reprodução/TV Globo)Árvore caiu na Rua Itacolomi nesta quinta-feira
(Foto: Reprodução/TV Globo)

Doze árvores desabaram na capital paulista até o início da noite. Uma delas bloqueou a Rua Itacolomi, em Higienópolis, região central de São Paulo, na altura da Rua Pará. Em quatro dias, houve a queda de três árvores nesta mesma via. Uma delas matou o administrador de empresas Ricardo Luiz Galvão Mendes, de 33 anos.

A Rodovia Régis Bittencourt foi temporariamente interditada em Taboão da Serra, no sentido São Paulo, devido a um ponto de alagamento. O trânsito ficou bloqueado do km 275.

E Anhanguera estava parcialmente bloqueada nos dois sentidos, na altura do km 39, em Cajamar, região metropolitana de São Paulo, devido a um alagamento, por volta das 19h15.

Regiões com chuva forte
Segundo o CGE, choveu 44,2 mm cúbicos no bairro da Mooca, na Zona Leste, na tarde quinta-feira, o maior índice registrado na capital.

Confira os bairros com maiores índices pluviométricos na sequência:
– Sé – Anhembi – 42,6mm
– Vila Maria/Vila Guilherme – 31,4mm
– Vila Mariana – 33,8mm
– Sé – CGE – 25,2mm
– Freguesia do Ò – 22,0mm
– Aricanduva/Formosa – 23,0mm
– Campo Limpo – 20,8mm

Metrô
A chuva forte fez quatro linhas de Metrô circularem com velocidade reduzida:
Linha 1 – Azul: entre as estações Tiradentes e Tucuruvi;
Linha 2 – Verde: entre as estações Alto do Ipiranga e Chácara Klabin;
Linha 3 – Vermelha: entre as estações Corinthians-Itaquera e Palmeiras-Barra Funda;
Linha 5 – Lilás do Metrô circula com velocidade reduzida e maior tempo de parada entre as estações Capão Redondo e Adolfo Pinheiro por causa da falta de energia no trecho.

Congonhas
O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, operava apenas por instrumentos por volta das 16h45 desta quinta-feira. O aeroporto chegou a ficar fechado entre 15h42 e 15h48 por causa da chuva forte, mas não houve prejuízos para pousos e decolagens porque o movimento é tranquilo neste feriado de Natal, segundo a Infraero. As operações eram normais no Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, no mesmo horário.

Rodovia Anhanguera ficou bloqueada por causa de alagamento (Foto: Reprodução/TV Globo)Rodovia Anhanguera ficou bloqueada por causa de alagamento (Foto: Reprodução/TV Globo)
Raio atinge prédio durante chuva na tarde desta quinta-feira (25) na Zona Sul de São Paulo (Foto: Marcelo Brandt/G1)Raio atinge prédio durante chuva na tarde desta quinta na Zona Sul de São Paulo (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Este carro parou de funcionar e precisou ser empurrado (Foto: TV Globo/Reprodução)Este carro parou de funcionar e precisou ser empurrado (Foto: TV Globo/Reprodução)
Chuva na Marginal Tietê nesta quinta-feira (25) (Foto: Reprodução/TV Globo)Chuva na Marginal Tietê nesta quinta-feira (25) (Foto: Reprodução/TV Globo)
G1

Chuva causa alagamentos e prejuízos a moradores e comerciantes do Brejo da Paraíba

Centro de Guarabira
Centro de Guarabira

Uma chuva de pouco mais de uma hora invadiu casas, comércios e alagou ruas em alguns bairros da cidade de Guarabira, a 97 km de João Pessoa, na tarde desse domingo (9). Alguns moradores ficaram ilhados e tiveram trabalho para escoar a água de dentro das casas. As ruas atingidas ficaram bloqueadas por um período.

De acordo com o tenente Diego Santos, do Corpo de Bombeiros, as ruas do Centro ficaram tomadas pelas águas. Um exemplo é a avenida Dom Pedro II, que ficou completamente alagada impossibilitando a passagem de carros e pedestres. O comércio local foi afetado pela invasão das águas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Recebemos ligações de cinco bairros. Em todos os casos ocorreram problemas em decorrência das chuvas. No Centro da cidade, a força das águas destruiu um porta de vidro de um órgão estadual. A Polícia Militar foi acionada e fez a segurança do local para evitar saques”, disse o tenente.

Devido à intensidade das chuvas, o canal Juá transbordou invadindo ruas e rompendo uma passagem de uma estrada vicinal. Apesar dos transtornos, os bombeiros informaram que não houve registro de mortes ou feridos.

Segundo relatos de moradores, por causa do transbordamento do canal Juá e bueiros completamente sujos, com terra e outros detritos, a água não escoou e também causou problemas na avenida Pedro Alverga Gome, onde famílias tiveram casas invadidas perdendo alguns móveis.

“Cerca de quatro casas a Pedro Alverga foram inundadas pelas águas. A prefeitura já fez o levantamento e caso seja necessário, vamos dar assistência às familiares, como reforma dos imóveis e ajuda no vestuário e alimentícios”, confirmou o coordenador informando que o prefeito Zenóbio Toscano está em Brasília para angariar recursos para a elaboração de um projeto de drenagem para Guarabira.

Uma das casas inundadasFoto: uma das casas inundadas
Créditos: Reprodução/ Portal Midia.Net

Moradores escoando às águas Foto: moradores escoando às águas
Créditos: Reprodução/ Portal Midia.Net

Máquina desobstruindo passagem Foto: máquina desobstruindo passagem
Créditos: Reprodução/ Portal Independente

Canal Juá transbordou Foto: canal Juá transbordou
Créditos: Reprodução/ Portal Independente

 

 

 

portal correio

Chuvas provocam alagamentos, destroem casa e trazem esperança aos sertanejos

Foto: Diário do Sertão
Foto: Diário do Sertão

As chuvas que foram registradas no final de semana no Sertão paraibano trouxeram esperança para os sertanejos atingidos pela maior seca dos últimos 30 anos. Porém, algumas ocorrências foram registradas.

De acordo com informações, na cidade de Sousa, às águas invadiram casas, ruas foram alagadas e o Corpo Bombeiros recebeu diversos chamados. No sítio Caiçara dos Batistas, a barragem encheu.

De acordo com o agricultor Francisco Canindé de Sousa, “praticamente todos os açudes pequenos encheram e a barragem de Caiçara voltou a sangrar novamente, já que há dois anos não recebia tanta água”.

Também foram registradas chuvas em Catolé do Rocha onde o teto e parte de uma parede de uma residência não suportaram e desabaram após o muro que separava duas moradias ceder.  De acordo com a dona de casa, Maria de Fátima de Almeida, 49 anos, ela dormia com duas crianças quando acordou com o susto. Ninguém ficou ferido.

“Eu dormia em uma rede armada na sala na companhia de minha filha de criação e uma neta, quando acordei com um forte barulho provocado pelo desabamento do telhado e paredes de minha residência. Abri os olhos e me deparei com os escombros. Daí me levantei e fui ao encontro das crianças, que graças a Deus não foram atingidos”, disse a dona de casa.

De acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (AESA), foram registradas chuvas nas cidades de Coremas, Aguiar, Conceição, Pombal, Diamantes. As regiões do Agreste, Brejo e Curimataú ocorreram chuvas.

O meteorologista Alexandre Magno informou que poderão acontecer precipitações pontuais acima dos 100 milímetros, principalmente na região do semiárido (Sertão, Cariri e Curimataú). Na última sexta-feira, as chuvas no município de Emas registraram a marca de 101 milímetros e choveu em outras 60 estações do total de 269 monitoradas pela Aesa.

Temperatura deve baixar

Com o início das precipitações, começa a diminuir gradativamente a temperatura dos municípios. Contudo, o meteorologista Alexandre Magno advertiu que ainda poderão ser registrados picos de temperatura. “Como está no início do período chuvoso, as precipitações ainda são irregulares. A tendência é que as temperaturas comecem a declinar, mas ainda poderemos registrar picos que poderão chegar aos 35 graus nas regiões do Agreste, Brejo e Litoral e aos 37 graus nas regiões do Sertão, Cariri e Curimataú”, explicou.

Conforme os dados da Aesa, na última sexta-feira, três municípios registraram chuvas com acumulados entre 50m milímetros e 100 milímetros. Foram as cidades de Catingueira, com 93,5 milímetros, Catolé do Rocha com 70 milímetros e Riacho dos Cavalos, com 64 milímetros. Além deles, outros 28 tiveram chuvas que acumularam entre 10 milímetros e 50 milímetros.

 

Teto e parede caíramFoto: Teto e parede caíram
Créditos: Catolé News