Arquivo da tag: água

Frente de deputados do Brejo pedem ao governador que abastecimento de água da região seja através do São Francisco

Os deputados estaduais que formam a Frente Parlamentar do Brejo Paraibano realizaram uma importante audiência pública de forma remota nesta sexta-feira (29), para tratar da melhoria no abastecimento de água das cidades de Esperança, Alagoa Nova, Arara, Areial, Remígio e Montadas.

Participaram da reunião, os deputados estaduais Chió (REDE), Anderson Monteiro (PSC) e Tião Gomes (Avante), além do presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB). A audiência contou também com as presenças do secretário de Estado da Infraestrutura, Deusdete Queiroga, do presidente da Cagepa da Paraíba, Marcus Vinícius, além de prefeitos e vereadores das seis cidades.

Convidados, os deputados federais Gervásio Maia (PSB) e Frei Anastácio (PT) fizeram questão de participar do encontro em prol do Brejo da Paraíba.

O deputado Tião Gomes sugeriu que o Governo do Estado amplie o abastecimento na região através das águas do Rio São Francisco. “A água é um item básico, mas infelizmente ainda hoje tem faltado para muitas famílias do Brejo. Uma região, diga-se, com facilidade de acesso à água, mas que necessita de uma nova adutora para resolver o problema e de investimentos do Governo”, disse Tião Gomes.

Na ocasião, Tião reforçou a cobrança ao presidente da Cagepa para agilizar a conclusão do abastecimento de Mata Limpa em Areia e foi informado que a nova licitação acontecerá nos próximos dias. O deputado também cobrou do secretário Deusdete Queiroga a recuperação da estrada que liga Alagoa Grande ao município de Remígio.

De acordo com o deputado estadual Chió (REDE/PB), o debate versou sobre ações emergenciais e de médio prazo, a exemplo do término da adutora que levará água para as cidades de Areial e Montadas; de maiores fiscalizações no açude Saulo Maia, garantindo o abastecimento de Pilões e Areia; assim como, a realização de um projeto para integração das águas do Rio São Francisco, através de Boqueirão, ao sistema de abastecimento de Nova Camará.

O diretor da Cagepa, Dr. Marcus Vinícius, antecipou que apesar das últimas precipitações na região do Brejo não terem sido a que todos esperavam, as chuvas da última semana garantiram que o racionamento previsto para ser encerrado nas cidades de Remígio e Esperança, no dia 1 de Junho, seja adiado. “Possivelmente faremos uma nova análise em meados de junho, pois, uma vez caindo novas chuvas, seguimos monitorando e anunciaremos uma nova data”, explicou.

Ao lembrar o comprometimento do governador João Azevedo (Cidadania) com a construção da barragem de Nova Camará, o secretário de Infraestrutura, Deusdete Queiroga, anunciou frentes de trabalho, a partir dos encaminhamentos.

“Como representante do governador solicito que a CAGEPA seja o mais ágil possível para levar água de São Sebastião de Lagoa de Roça para resolver emergencialmente a situação de Areial e Montadas, me comprometo também, em 120 dias, talvez antes, a CAGEPA apresentar um estudo preliminar para uma solução definitiva, que seria pegar a água de Boqueirão, da transposição do São Francisco e levar para Nova Camará. Com a viabilidade técnica e econômica, acionaremos a bancada federal para destinar emendas e criaremos a partir de hoje, uma agenda de reuniões para acompanhar todo esse processo”, explicou o secretário de Estado.

Os deputados federais Frei Anastácio e Gervásio Maia reafirmaram o compromisso com a população do Brejo e destacaram que irão trabalhar em Brasília para destinar emendas e na articulação com a Bancada Federal Paraibana para que sejam incluídas ações em beneficio do abastecimento das cidades da região.

A audiência remota contou ainda com a participação de Andre Alves (PDT) prefeito de Remígio; Jonas Souza (PSD) prefeito de Montadas; Ícaro Teixeira (MDB)  presidente da Câmara de Alagoa Nova; Cristiana Almeida (REDE) ex-prefeita de Esperança; Adinael Barbosa (Cidadania) presidente da Câmara de Remígio; Wilma Alves, presidente do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Matinhas; Caco Alcântara, secretário da Prefeitura de Arara; Ronaldo Oliveira (PSD) presidente da Câmara de Montadas; Naldo (PT) vereador de Arara; Afonso Henrique (PSD) presidente da Câmara de Areial;  Adelson Benjamin (PSDB) prefeito de Areial e Aquino Leite (PSDB) prefeito de Alagoa Nova.

 

portaldolitoralpb

 

 

Consumo de água aumenta na quarentena e presidente da Cagepa faz alerta

O presidente da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) Marcus Vinícius Fernandes, disse que o consumo de água aumentou nos últimos dias na Paraíba por conta do confinamento feito por parte da população em função da pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, isso preocupa, já que a produção não aumentou e esse ritmo pode gerar desabastecimento.

“Temos que ponderar o equilíbrio entre oferta e demanda. O consumo desenfreado pode baixar o nível dos reservatórios rapidamente. Se abusar, vai faltar”, comentou. Marcos pede que a população comece a agir de maneira solidária.

“No cenário atual de pandemia, precisamos unir esforços para combater essa ameaça. Precisamos ter responsabilidade e senso coletivo para enfrentarmos esse problema. Sabemos que a principal medida preventiva é a higienização, então estamos trabalhando para evitar a falta d’água. Mas à população precisa ser nossa parceira nesse processo”, disse o presidente da Cagepa.

 

pbagora

 

 

Homem morre após cair em córrego e ser arrastado por água da chuva em João Pessoa

Morreu no domingo (26) um homem de 50 anos que havia sido arrastado pelas águas da chuva após cair dentro de um córrego na comunidade Baleado, no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa. Segundo informações do Hospital de Trauma de João Pessoa, a vítima deu entrada na noite de sábado (25), vítima de afogamento, mas não resistiu e morreu na tarde de domingo.

Segundo informações de testemunhas, o homem de 50 caiu no córrego após correr atrás de um rato. A vítima acabou se desequilibrando e caiu dentro do canal. Por conta do grande volume de chuva registrado em João Pessoa desde o sábado, o homem foi arrastado para dentro de um túnel, que passo por baixo de algumas casas da comunidade.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e resgatou a vítima após quebrar parte de uma calçada. Ele foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa em estado grave, mas não resistiu e morreu por volta das 15h de domingo.

G1

 

Mais de 25 mil famílias não pagarão por água na PB até junho

Os usuários da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) que estão inseridos na categoria Tarifa Social terão a cobrança de suas faturas suspensas. A medida foi anunciada nesta quinta-feira (2) pelo governador João Azevedo (Cidadania) e beneficia mais de 25 mil famílias paraibanas. O objetivo do Governo do Estado é garantir maior tranquilidade financeira ao orçamento de famílias no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, causador da doença Covid-19.

O presidente da Cagepa, Marcus Vinícius Fernandes Neves, explica que o Governo do Estado vai arcar com o pagamento dessas contas durante 90 dias e a companhia já está se preparando para este período.

“A Cagepa já começa a  emitir as faturas desta categoria sem o código de barras e com a informação de que a conta já está quitada pelo Governo do Estado até o mês de junho deste ano. Como gestor da companhia, eu parabenizo mais uma vez a postura do governador João Azevedo em não fugir da responsabilidade em prestar assistência à população mais carente nesse período de pandemia. A Cagepa – como integrante desse time – também está aberta para fazer parte dessa corrente pelo bem estar coletivo”, afirmou.

Marcus Vinícius também destacou que os clientes que já receberam tarifas referentes ao mês de abril e efetuaram o pagamento podem procurar a companhia pelos canais de atendimento – 115, agência virtual ou aplicativo Cagepa – para que os valores sejam devolvidos.

O chefe do Executivo também garantiu a manutenção do abastecimento de água para os clientes residenciais que, eventualmente, diante de alguma crise financeira neste período de pandemia, atrasem o pagamento das suas contas de água. “Além de ajudar a população garantindo a continuidade no abastecimento da água, que é um bem extremamente importante na prevenção contra a Covid-19, a medida estimula o uso racional. Os clientes que conseguirem se manter nessa faixa de consumo terão o abastecimento assegurado até junho”, esclareceu o presidente da Cagepa.

As famílias paraibanas com renda de até um salário mínimo por pessoa recebem desconto nas contas de água. A Tarifa Social existe desde 2004, e beneficia 26 mil imóveis. Os clientes que pagam a tarifa normal para ter acesso a até 10m³ de água tratada e à rede de esgotos desembolsam R$ 68,24. Já os beneficiários da Tarifa Social pagam R$11,62 pelos dois serviços, ou seja, há um desconto de 83% em relação ao valor original. O último reajuste para os clientes desta categoria foi realizado no ano de 2011.

 

portalcorreio

 

 

Água e luz não podem ser cortadas durante estado de calamidade

Durante o período de calamidade pública devido ao novo coronavírus, os consumidores não podem ter seus serviços de água e luz suspensos. Essa decisão foi uma recomendação da Defensoria Pública do Estado (DPE-PB) e proferida legalmente pelo Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) e comunicado às companhias fornecedoras dos serviços básicos na Paraíba, Cagepa e Energisa.

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) informou que vai acatar a recomendação da Defensoria Pública da Paraíba, adotando meios menos gravosos de coação para a cobrança. Em nota, o órgão ressaltou que as faturas relativas à aferição do consumo de água continuarão sendo emitidas normalmente e deverão ser pagas pelo usuário pelos canais presenciais ou virtuais. A suspensão temporária do corte de água não implicará em prorrogação da data de vencimento para o pagamento das faturas.

Já a Energisa foi proibida pelo TJPB de realizar a suspensão do fornecimento de energia elétrica de todos os consumidores inadimplentes. O Tribunal também determinou que sejam religadas as unidades consumidoras que eventualmente tiveram suspenso o fornecimento após a decretação de Situação de Emergência em 13 de março, sob pena de multa diária de R$ 5 mil por consumidor, limitada a 10 dias. Vale ressaltar que as medidas em relação à Energisa valem apenas para o município de João Pessoa e atende a um pedido da Defensoria Pública do Estado.

Energisa

Em nota, a e Energisa informou que não comenta ações judiciais em curso. A empresa destaca que a distribuição de energia foi listada como serviço essencial à população no decreto n. 10.282, editado pelo Governo Federal para combater a crise provocada pela Covid-19. Pelo texto, as atividades não podem parar e limitações a seus serviços só podem ser feitas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) (órgão regulador) em articulação com a União (poder concedente).

“A Energisa esclarece ainda que a discussão e tomada de decisão sobre uma possível desoneração dos consumidores não cabe exclusivamente às distribuidoras. Quaisquer medidas só podem ser implementadas com a adequada análise do Ministério de Minas e Energia e da Aneel, que regula nosso setor. É um tema que precisa envolver todos os segmentos que estão inseridos na conta de luz: Geradores, Transmissores, Governos Estaduais, Governo Federal e beneficiários de encargos e subsídios. Todo o setor de energia está unido em diálogo aberto com o Ministério de Minas e Energia e a Aneel através do recém-criado Comitê Setorial de Crise. A prioridade é buscar soluções que sejam pensadas em âmbito nacional”, disse.

A Energisa informou ainda que mantém em curso todas as atividades para garantir energia na casa de seus mais de 7,8 milhões de clientes em 10 estados no país e tomou todas as medidas de segurança necessárias para proteger colaboradores próprios, terceirizados e a população.

 

portalcorreio

 

 

Cagepa garante que não haverá corte de água e anuncia parcelamento de dívidas

O presidente da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba, Marcos Vinícius garantiu na tarde desta quinta-feira (19) que a Companhia não irá cortar a água de nenhum consumidor.

Marcos Vinícius, que foi o entrevistado Programa Arapuan Verdade do Sistema Arapaun de Comunicação, garantiu que todas as equipes de trabalho estão nas ruas fazendo os serviços necessários para garantir o abastecimento a toda a população.  Ele deixou claro que restringiu apenas o atendimento na área administrativa.

Outra medida anunciada pelo presidente da Cagepa mediante o Coronavírus foi estender o valor do débito para RS 10 mil para as pessoas interessadas em negociar com a Cagepa e que esse montante pode ser negociado pelo 115.

Mesmo garantindo que não haverá corte no fornecimento de água, o presidente da Cagepa fez um apelo para que os consumidores paguem suas contas de em dia, “ pois é com esse dinheiro que pagamos as despesas com gasolina, insumos e outros gastos e com isso garantirmos o abastecimento”, justificou.

 

Foto: Alexandre Freire

paraiba.com.br/

 

 

O desafio mundial de proteger a Água

A ONU (Organização das Nações Unidas) declarou em 1993, o dia 22 de março como o Dia Mundial da Água, a partir das recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento.

A água é fonte de vida e essencial para a sobrevivência das espécies, inclusive do homem. O nosso organismo possui mais de 70% de água, suprindo as necessidades básicas e de saúde de qualquer indivíduo. O Brasil é privilegiado quanto aos recursos hídricos, visto que é megadiverso — assim, 25% da biodiversidade do planeta está no nosso país, incluindo a água doce.

Quando falamos em escassez de água, pode até soar estranho se observarmos o cenário nacional da grande quantidade de chuvas. Como exemplo, temos as ocorrências no Sudeste e os desastres causados pelo mau ordenamento urbano e territorial dos municípios, julgando a chuva como o maior fator de risco na urbanização.

É um desafio para os gestores públicos criar mecanismos de proteção dos mananciais de água e, em especial, a proteção dos rios, como fonte de abastecimento no meio urbano e nos grandes centros. As políticas públicas de saneamento devem ir mais além do que debates, movimentos etc. Deve-se enfrentar e coibir as formas irregulares de moradias, em especial, da destinação de resíduos domésticos lançados em algum rio ou mar.

Por isso, fazer referência ao dia 22 como Dia Mundial da Água é algo de tamanha importância. Necessitamos de água de boa qualidade e em grande quantidade. Em alguns países há disputa pela água, o que ainda não ocorre aqui no Brasil. Devemos seguir os bons exemplos e “plantar água”, ou seja, proteger as nascentes, plantar árvores no entorno, nas margens dos rios e, cada vez mais, deixar claro para a sociedade a importância da água para as atuais e futuras gerações.

Nesta importante data e nas demais, vamos evitar o desperdício e fazer uma reflexão profunda sobre o tema junto aos nossos filhos, família, alunos, escolas e comunidade em geral.

Autores: Rodrigo Berté, diretor da Escola Superior de Saúde, Biociências, Meio Ambiente e Humanidades do Centro Universitário Internacional Uninter; e André M. Pelanda, professor dos cursos da área ambiental da instituição.

 

 

Nova instalação de captação de água restabelece fornecimento em Solânea e Bananeiras

Uma nova instalação de captação flutuante na barragem Canafístula II, no Brejo da Paraíba, restabeleceu o fornecimento de água para as cidades de Solânea e Bananeiras. O sistema permite que a Cagepa retire água do manancial na superfície e distribua para a população.

O Canafístula II está com apenas 9,5% do seu volume total, devido à estiagem, segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). Segundo a Cagepa, o volume reduzido estava dificultando o processo de tratamento da água, que estava sendo captada da descarga de fundo.

Com a captação de superfície, o tratamento para deixar a água dentro dos padrões de potabilidade para ser distribuída para a população fica mais eficiente. O sistema conta com conjuntos motor-bomba e dois grupos de geradores de energia elétrica.

O sistema entrou em operação neste sábado (15), assegurando a permanência do regime de racionamento que já vinha sendo praticado nos municípios de Bananeiras e Solânea.

Desde o dia 10 de fevereiro, Solânea, Bananeiras, Araruna, Cacimba de Dentro, Dona Inês, Riachão, Damião e Tacima estavam sem água. Araruna e Cacimba de Dentro também serão abastecidas por esta nova instalação, a partir de quinta-feira, mas em esquema de racionamento, recebendo água por três dias a cada 15 dias.

Já as cidades de Dona Inês, Damião, Riachão e Tacima serão abastecidas por carros-pipa, devido o colapso na barragem de Jandaia, também na região do Brejo paraibano.

Foto: Cagepa/Divulgação

G1

 

Cagepa interrompe abastecimento em Bananeiras e Solânea para melhorar qualidade da água

As cidades de Bananeiras e Solânea, região do Brejo paraibano, terão o abastecimento interrompido a partir da próxima segunda-feira (10). De acordo com a Cagepa, serão adotadas medidas para melhorar a qualidade da água distribuída, com a instalação de captação flutuante na barragem de Canafístula II, que está operando no volume morto, com apenas 10% de sua capacidade.

Em comunicado divulgado com a imprensa, a Cagepa informa que o abastecimento deve ser retomado no dia 17 de fevereiro, seguindo o mesmo cronograma de racionamento ao qual estão submetidos os municípios.

Leia a íntegra

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) comunica que, devido ao baixo nível do volume da barragem Canafístula II, o abastecimento dos municípios de Solânea e Bananeiras, no Brejo paraibano, será interrompido a partir da próxima segunda-feira (10).

O volume reduzido do manancial dificulta o processo de tratamento da água. Em virtude disso, a Cagepa está trabalhando na instalação de um sistema de captação flutuante na barragem, que vai possibilitar retirar a água, mesmo em baixo nível, para distribuí-la com qualidade para a população. A previsão é que o abastecimento seja retomado, nas mesmas condições atuais, a partir do dia 17 de fevereiro.

 

portal25horas

 

 

Chuvas na Paraíba elevam volumes de água de açudes monitorados por AESA

As chuvas caídas nesse início de ano no Sertão, Alto Sertão, Cariri e Curimataú paraibano , elevaram o nível de água de muitos dos 134 reservatórios monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

Destaque para o reservatório Epitácio Pessoa, localizado na cidade de Boqueirão, que tinha 70 milhões de metros cúbicos e agora está com 85 milhões, o que corresponde a pouco mais de 18% de sua capacidade. Em apenas 48 horas, a barragem de São Gonçalo, em Sousa, recebeu um aporte de 55 mil metros cúbicos; e Coremas, na cidade de mesmo nome, ganhou 181 mil metros cúbicos. Já o Açude Gurjão, saiu do dos 9% de sua capacidade para 50%, enquanto Acauã, pegou 700 mil metros cúbicos de água, entre outros.

As expectativas de chuvas para essas regiões continuam boas. De acordo com o diretor presidente da Aesa, Porfírio Loureiro, os açudes do Sertão também já começam a ter uma recarga satisfatória.

De janeiro a março de 2020 a tendência é de que as chuvas ocorram dentro da média histórica no semiárido paraibano. Esta previsão foi anunciada no mês passado, pela Aesa, depois que especialistas em recursos hídricos da Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte discutiram as principais características climáticas do setor Norte da região Nordeste.

SL
PB Agora