Arquivo da tag: agenda

Vice-presidente Mourão altera agenda e adia para 2020 vinda à Paraíba

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão aditou para 2020 sua vinda à Paraíba. A agenda do vice estava prevista para este mês para participar na Semana Estadual do Empreendedorismo em João Pessoa, evento que acontecerá de segunda (4) a sexta-feira (8).

O adiamento ocorreu por causa da mudança na agenda de Mourão. Como ele esteve como presidente interino durante viagem de Jair Bolsonaro à Ásia,  a sua agenda também teve que ser modificada, alterando o calendário de compromissos.

A Semana Estadual do Empreendedorismo visa discutir e propor ações de incentivo ao empreendedorismo de micro e pequenas empresas, empresas individuais e cooperativismo em todo Estado da Paraíba. Inscrições para a Semana Estadual do Empreendedorismo, que acontece no auditório da Uninassau, são gratuitas e podem ser feitas no site da instituição.

A atividade contará com palestras, mesas redondas, espaço para exposição de produtos e serviços, rodadas de negócios e Momento Networking. No dia 5, uma mesa redonda abordará a temática dos Desafios do Desenvolvimento do Semiárido Paraibano. No Estado, 76,2% dos municípios integram o Semiárido e compartilham de problemas que são causados, principalmente, pela falta de uma política efetiva de convivência com a seca.

A Semana Estadual do Empreendedorismo é fruto de uma lei de autoria do presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Eduardo Carneiro (PRTB). O evento visa discutir e propor ações de incentivo ao empreendedorismo de micro e pequenas empresas, empresas individuais e cooperativismo em todo Estado da Paraíba.

 

pbagora

 

 

Alegando ‘compromissos’, ministro Moro cancela agenda em João Pessoa

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, cancelou a viagem para João Pessoa. Ele viria hoje a capital paraibana para inaugurar a nova sede da Polícia Federal.

Moro precisou suspender o compromisso por causa de “compromissos urgentes” em Brasília. A nova data para entrevista ainda será definida.

Não foi informado se o ministro virá a capital paraibana em outra data.

pbagora

 

 

 

Primeira-dama, Michelle Bolsonaro, cumpre agenda na Paraíba nesta terça

A primeira-dama Michelle Bolsonaro deve desembarcar em Campina Grande nesta terça-feira (02) para participar da inauguração do Complexo Habitacional Aluízio Campos e conhecer projetos da prefeitura municipal. Michelle deve acompanhar o ministro da Cidadania Osmar Terra.

Romero convidou Michelle para visitar a Rainha da Borborema após uma palestra que o gestor proferiu durante o Seminário Internacional da Primeira Infância, em Brasília. Na ocasião o prefeito apresentou as experiências da prefeitura com os programas Criança Feliz e Centro Dia.

A informação da Coordenação de Comunicação da Prefeitura de Campina Grande é de que o próprio Planalto solicitou que a vinda de Michelle não fosse divulgada com antecedência por questões de segurança.

O desembarque de Michelle deverá acontecer no Aeroporto João Suassuna, em Campina Grande, às 11h, juntamente com a comitiva do Ministério da Cidadania. Logo em seguida ela deverá participar das solenidades e visitas que estavam previstas.

De acordo com a agenda que havia sido divulgada pelo ministro Osmar Terra, a comitiva deverá visitar o Centro Dia ainda durante a manhã. Na parte da tarde eles visitam as famílias do Programa Criança Feliz, no bairro Alto Branco.

O retorno de Michelle e da comitiva está prevista para acontecer ainda no fim da tarde desta terça-feira (02).

A assessoria do ministro, já havia adiantado que não haveria coletiva, nem espaço para a imprensa durante a agenda. Michelle Bolsonaro pretende realizar uma série de viagens pelo Brasil para promover os projetos sociais ligados ao Governo Federal.

paraiba.com.br

 

 

Maranhão recebe convocação partidária e suspende agenda de campanha, na PB, nesta 4ª

O senador e pré-candidato ao Governo da Paraíba, José Maranhão (MDB), cumpre agenda partidária em Brasília durante todo o dia desta quarta-feira (22), em atendimento a uma convocação realizada pelo partido. A agenda de campanha prevista para a data, em Campina Grande, foi suspensa.

Nota

Em virtude de uma convocação partidária, em Brasília, o Senador Zé Maranhão suspendeu a agenda de compromissos de campanha desta quarta-feira (22), em Campina Grande.

 

pbagora

Comando de Greve agenda coletiva para detalhar paralisação geral do dia 28

(Foto: Roberto Parizott-CUT)

Trabalhadores do campo e da cidade vão parar suas atividades no próximo dia 28, em protesto contra as Reformas da Previdência e Trabalhista. Durante todo o dia serão realizados atos públicos, panfletagens e protestos em vários municípios do Estado. Em João Pessoa, o ato será realizado às 14h, no Ponto Cem Reis.

O Dia Nacional de Greve na Paraíba já tem adesão de diversas categorias como ferroviários, comerciários, transporte coletivos, professores, bancários, servidores do judiciário, técnicos das universidades e a igreja Católica.

Para informar todos os detalhes da Greve Geral, será realizada nesta segunda-feira  (24), às 9h30min, no auditório da Federação dos Trabalhadores Rurais do Estado da Paraíba  (FETAG-PB), em João Pessoa, uma coletiva de imprensa com todo o Comando Geral de Greve.

Em panfleto distribuindo nas principais Ruas e Avenidas da Capital, o comando de greve faz algumas recomendações à população de como ajudar a greve geral, exceto em casos de urgência.

Não ir a mercado, farmácias, consultas médicas, restaurantes, lojas de eletrodomésticos, shopping, casa lotéricas, agências, agências bancárias, academias e faculdades.

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Lula e Dilma se encaminham à Paraíba para ‘inauguração popular da Transposição’; agenda

lula-na-paraibaOs ex-presidentes Dilma e Lula (PT) são esperados em Campina Grande neste domingo (19) às 11h. De lá, os petistas seguirão para Monteiro onde realizarão o que vem sendo chamado de “Inauguração Popular da Transposição do Rio São Francisco: A Celebração das Águas”.

De acordo com a organização, mais de cinquenta mil pessoas vão participar do evento, incluindo nomes importantes como o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador paraibano Lindbergh Farias (PT-RJ).

Confira agenda:

11h – Chegada de Lula e Dilma em Campina Grande

13h – Na entrada da cidade (em Monteiro), nas proximidades da ponte, Lula e Dilma plantarão árvores

15h – Início da carreata para o centro da cidade de Monteiro

16h – Previsão para o início do Ato

Yves Feitosa

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Números de celulares da PB ganham 9º dígito; veja como aplicativos atualizam agenda

Reprodução/Marcos Santos/USP Imagens
Reprodução/Marcos Santos/USP Imagens

A partir deste domingo (31), os números de celulares da Paraíba, e de outros cinco estados, ganham o dígito ‘9’ na frente, à esquerda dos números atuais. Para auxiliar os usuários, surgiram aplicativos gratuitos, tanto para aparelhos com sistema Android como para iOS, que prometem atualizar automaticamente toda a agenda telefônica e economizar o tempo de quem teria que adicionar o número ‘9’ em cada contato.

A adoção do nono dígito nos celulares é obrigatória e foi determinada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), publicada no Diário Oficial da União (DOU) em 11 de novembro de 2014. Com isso, o número de qualquer celular utilizado na Paraíba deve ficar da seguinte forma: (83) 9xxxx-xxxx.

Um dos aplicativos que prometem facilitar a vida dos paraibanos é o ‘Novo Dígito BR’, que é gratuito e está disponível para download no Google Play para aparelhos Android.

Segundo as especificações do aplicativo, ele funciona em aparelhos com Android 2.1 ou superior. O aplicativo é de fácil interação com o usuário e a atualização dos números de contato é feita em dois passos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Na tela inicial, o usuário digita o DDD que vai receber o novo dígito e avança para que o aplicativo busque todos os contatos que tenham o DDD escolhido pelo usuário. Na segunda tela, aparecem os contatos selecionados, bastando o usuário marcos todos os contatos e iniciar a operação.

Caso o usuário queira retornar aos números de contatos antigos, basta retornar em uma versão de backup, que fica disponível nos menus do aplicativo.

Aplicativo promete atualizar números automaticamenteFoto: Aplicativo promete atualizar números automaticamente
Créditos: Reprodução/Montagem/Portal Correio

Mesmo após o dia 31, ligações realizadas sem a inclusão do dígito 9 vão ser completadas por até 40 dias, prazo de transição para adaptação dos usuários e do sistema, segundo a Anatel. Depois desse período, as chamadas sem o nono dígito não vão funcionar.

A mudança não vai atingir números de telefones fixos ou de telefones móveis especializados.

 

portalcorreio

Cunha impõe agenda da bancada BBB: “bala, boi e bíblia”

cunhaO presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), tem conseguido unir três grupos de forte poder de pressão num só bloco, que passou a atuar conjuntamente em defesa de seus próprios interesses e na maioria das vezes contrários aos do governo da presidente  Dilma Rousseff. É a bancada “BBB”, uma alusão às iniciais de “bala, boi e Bíblia”.

Nas principais comissões e no plenário, as demandas dos três setores têm obtido vitórias graças ao apoio mútuo e à liderança do presidente da Câmara. Segundo reportagem do Estado de S. Paulo, a bancada da bala tem 275 parlamentares. A ruralista, 198, e a evangélica, 74. Vinte parlamentares atuam nas três, entre eles Cunha, que é evangélico. Nas frentes da “bala” e do “boi” há 105 deputados simultaneamente. E 22 congressistas estão nas frentes da “Bíblia” e da “bala” ao mesmo tempo. O presidente da bancada evangélica, João Campos (PSDB-GO), por exemplo, é delegado de polícia e vice-presidente da bancada da bala. Ao todo, 373 (73%) dos 513 deputados estão inscritos em pelo menos um dos três grupos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Entre os resultados já obtidos pela ação conjunta, o mais robusto foi o da aprovação pela Comissão de Constituição e Justiça da Proposta de Emenda à Constituição da redução da maioridade penal, que estava parada na Câmara havia 22 anos. A comissão formada para redigir a PEC foi dominada pelos integrantes da Frente Parlamentar de Segurança Pública: 15 dos 27 membros decidirão qual será o conteúdo a ser levado ao plenário.

Uma grande vitória dos ruralistas com apoio de evangélicos e integrantes da bancada da bala foi a criação de uma comissão especial para elaborar um texto final sobre a PEC que transfere do Executivo para o Congresso a demarcação das terras indígenas. “Eles atuaram de forma unificada. Essas três bancadas têm uma lógica fundamentalistas”, crítica a deputada Erika Kokay (PT-DF).

Já a bancada da bala teve apoio para aprovar o projeto que torna crime hediondo assassinato e agressão a policiais com aumento da pena para quem usar menor em crimes.

Evangélicos tentam também garantir o apoio dos outros dois bês para que seja aprovado pela CCJ e, posteriormente, em plenário, o Estatuto do Nascituro, que dispõem sobre a proteção integral ao recém-nascido e prevê benefício para feto fruto de estupro. Também trabalham para barrar qualquer tentativa de avanço na Casa de pautas como a descriminalização do aborto. Têm ainda por objetivo a aprovação do Estatuto da Família, que define família como núcleo formado por homem e mulher.

A afinidade “BBB” aparece na lista de doadores de campanha. O presidente da frente ruralista recebeu a tradicional ajuda do agronegócio – dos grupos Cosan e Cutrale – e também contribuições de duas grandes empresas de armas, a Companhia Brasileira de Cartuchos, que doou R$ 15 mil, e a Taurus, que entregou o mesmo valor.

Já o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), presidente da bancada da bala, recebeu R$ 80 mil da Taurus, mas também foi agraciado pelo agronegócio com R$ 50 mil da Avícola Catarinense.

Campos, líder da bancada evangélica, recebeu R$ 350 mil da Gentleman, empresa especializada em escolta armada.

 

brasil247

Atos têm “agenda difusa” e “corrupção seletiva”

PROTESTOSOs protestos minguaram, talvez porque muita gente não quis marchar com pregadores do golpe e da violência política mas outros milhares fizeram o barulho que gera instabilidade política, agora com uma agenda ainda mais difusa e contraditória. Segundo o Datafolha, a motivação mais citada pelos manifestantes foi a corrupção. Entretanto, apesar dos muitos cartazes sobre “petrolão” e Petrobrás, não houve referências às contas secretas no HSBC da Suíça ou sobre o mega-escândalo de sonegação revelado pela Operação Zelotes. Deve ser a corrupção seletiva: O cidadão se revolta com o escândalo que envolve políticos mas não se incomoda com os casos em que grandes empresas e milionários sonegaram impostos depositando dinheiro lá fora ou subornando conselheiros do CARF/Receita Federal para burlar o fisco. Ou alguém viu um cartaz sobre os Zelotes ou sobre as contas na Suíça? Eu não vi.

A segunda motivação, segundo o Datafolha, foi impeachment de Dilma e o protesto contra o PT. Não foram os problemas do bolso e do estômago, o aumento da inflação ou do desemprego, problemas que certamente pouco afetam a vida da maioria que foi às ruas. Talvez por isso não vi nenhuma jovem loura, nenhum rapaz bem nutrido ou senhora elegantemente vestida reclamando do preço do feijão. Mais ainda. Examinando imagens dos protestos não vi uma só referência àquela que é a maior ameaça aos que vivem do próprio trabalho, o projeto de terceirização de mão de obra aprovado pela Câmara. A aprovação do projeto do deputado Sandra Mabel é coisa do Congresso, da qual o governo não conseguiu se dissociar e acabará pagando o pato. Se não conseguir barrar a aprovação no Senado, ainda vai tornar-se o pai desta aberração, embora o PT tenha votado maciçamente contra e o governo tenha feito suas críticas. Um protesto de gente que trabalha não podia ser indiferente a um tema que está aí, ameaçando conquistas e direitos.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Os movimentos que chamaram as manifestações, mesmo rachados, anunciaram que agora vão mudar de tática, partindo para a pressão sobre o Congresso. Deviam começar pressionando pela não aprovação do projeto de terceirização.

Mas, falando nisso, o que irão mesmo pedir a Renan Calheiros e Eduardo Cunha nesta marcha a Brasília? O impeachment de Dilma, sem que haja elementos jurídicos para fundamentar o pedido? Renan Santos, líder do Movimento Brasil Livre, anunciou que uma caravana irá ao Congresso na sexta-feira “encaminhar a pauta do movimento”. Devia começar mudando o dia. Sexta-feira, mesmo nestes tempos frenéticos de Congresso hiper-ativo disputando poder com o Executivo, é dia de casa vazia.

Já Rogerio Chequer, do Vem Prá Rua, acusado de ser bancado pelo PSDB, falou numa aliança de 50 grupos que iriam ao Congresso na quarta em busca de lideranças dispostas a encaminhar os pleitos dos movimentos. O PSDB, até agora, não abraçou a bandeira do impeachment. Pelo menos oficialmente. Ou haverá alguma reivindicação mais viável, além do Fora Dilma?

Vai ser engraçado ver movimentos que se dizem contra todos os políticos e partidos pedindo a estes mesmos que violem as regras da política e tirem Dilma do governo. Estão quase entendendo o óbvio: na democracia, por piores que sejam os partidos, não há salvação fora da política. O que precisamos é melhorar o sistema de regras em que ela é exercida. É de uma boa reforma política, embora isso também não seja remédio para todos os males.

Educação política

Boa parte dos que protestam não sabe mesmo do que está falando. Assim como 12% dos defensores do impeachment, segundo o Datafolha, não sabem que se Dilma for afastada o governo será assumido por Michel Temer. Desta vez apareceram cartazes pedindo “intervenção militar constitucional”. A Constituição é consequência da luta pela democracia. Os que a escreveram não pactuaram com a ditadura e o passado, mas com o futuro e com a liberdade. Não existe tal asneira em nossa Constituição cidadã. A alma de doutor Ulysses Guimarães deve estar horrorizada com tal deturpação.

 

brasil247

Impeachment não está na agenda do PSDB, diz Aécio Neves

JOSÉ PAULO LACERDA/CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA
JOSÉ PAULO LACERDA/CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA

O senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG), afirmou nesta quarta-feira (11) que o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff “não está na agenda do PSDB”.

O tucano participou de reunião com a Executiva Nacional da legenda, em Brasília. Após a reunião, o partido divulgou nota em que manifesta “irrestrito apoio” aos protestos contra o governo de Dilma.

“Nós não proibimos e nem estamos proibidos de dizer a palavra impeachment, ela apenas não está na agenda do PSDB”, afirmou Aécio. “Agora, desconhecer que setores da sociedade defendem essa tese, é desconhecer a realidade. Mas essa não é a agenda, neste momento, do PSDB.”

“O que nós combatemos é o estelionato eleitoral. Um governo que agora toma medidas absolutamente no campo oposto daquelas que defendia durante a campanha eleitoral”, ressaltou o senador.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

No último domingo, durante pronunciamento de Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e televisão, protestos com gritos, vaias, panelas batendo e buzinas foram realizados em algumas cidades do país, como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Cuiabá, Goiânia, Vitória e Vila Velha. O “panelaço” registrado nessas cidades foi uma resposta à convocação para protestos durante a fala de Dilma que circulou no domingo nas redes sociais.

Ao comentar o “panelaço” e as manifestações previstas para o próximo domingo (15) em diversas cidades, Aécio disse que os protestos estão sendo organizados “de forma apartidária por vários setores da sociedade brasileira.”

Após o protesto, o PT divulgou texto em que o secretário de comunicação do partido, José Américo Dias, e o vice-presidente e coordenador das redes sociais da legenda, Alberto Cantalice, disseram que os vídeos que convocaram o “panelaço” indicam que a mobilização foi financiada pela oposição.

“Tem circulado clipes eletrônicos sofisticados nas redes, o que indica a presença e o financiamento de partidos de oposição a essa mobilização”, afirmou José Américo. “Mas foi um movimento restrito que não se ampliou como queriam seus organizadores.”

Aécio também aproveitou a ocasião para criticar “setores da vida nacional” que, segundo Aécio, querem dizer “apenas por interesses partidários sobre o que se pode ou não protestar”.

“O Brasil vive no pleno estado de direito e o PSDB estará ao lado de milhares de brasileiros em todas as regiões do país com seus militantes, simpatizantes, com várias das seus lideranças participando dessa manifestação”, afirmou.

“Nós rejeitamos vigorosamente essa patrulha de setores do PT que chegam ao cúmulo do ridículo de dizer que o ‘panelaço’ havido no último domingo foi patrocinado pelas oposições. Nem que nós tivessemos um credito ilimitado […] nós não conseguiriamos comprar tanta panela para atender tantos brasileiros”, ressaltou Aécio Neves.

Apesar de declarar apoio às manifestações, o tucano disse que não participará de nenhuma ação de rua no domingo. Segundo Aécio, a opção por não participar dos protestos foi feita “para não dar força a esse discurso de que estamos vivendo um terceiro turno no Brasil.”

“O fato de eu ter disputados as eleições com a presidente Dilma Rousseff pode fortalecer esse discurso que não é verdadeiro. Então nós estamos estimulando que os nossos companheiros estejam participando da forma como acharem mais adequada. […] Mas para não caracterizar esse movimento como algo partidário, o PSDB estará nas ruas atraves dos seus militantes mas sem a presença institucional do seu presidente”, concluiu o senador.

 

G1