Arquivo da tag: advogado

Em JP: após 20 dias internado, advogado Eduardo Araújo morre vítima da Covid-19

O advogado e ex- candidato a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Eduardo Araújo, 33 anos, faleceu na manhã deste domingo (28), em João Pessoa, Capital da Paraíba, vítima do novo coronavírus.

Na profissão, Eduardo também atuava na área do marketing e atualmente era o diretor executivo do São Paulo Crystal. A informação sobre a morte do promissor dirigente de futebol foi confirmada no início da tarde pelo seu irmão, Rodolfo Lamenha.

Eduardo estava internado no hospital da Unimed desde o inicio do mês de Junho tratando da doença e se encontrava entubado, em uma luta constante pela vida

Por conta da causa da morte, o velório e o sepultamento devem ser realizados seguindo o protocolo médico.

Eduardo deixa esposa e um filho. Nas redes sociais, a diretoria do Botafogo lamentou a morte do dirigente.

 

PB Agora

 

Advogado suspeito de integrar grupo criminoso é preso no Agreste da PB

A Polícia Civil da Paraíba, através do trabalho investigativo da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Roubos e Furtos)  de Campina Grande – DRF/CG, em ação conjunta com a Força Tarefa enviada para apurar crimes ocorridos em Catolé do Rocha, prendeu na tarde de ontem, sábado (27), em Campina Grande, um advogado que teria ligação com organizações criminosas responsáveis por ataque a bancos e homicídios no Sertão do Estado.

O advogado foi preso em razão do cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara Mista da Comarca de Pombal. A prisão aconteceu no bairro José Pinheiro. De acordo com a polícia, além de integrar o grupo, o homem é suspeito de ser um dos líderes da organização. O grupo foi desarticulado na Operação Ladinos, deflagrada no sertão paraibano, no final do ano passado.

“Durante as investigações ficou evidenciado que além de atuar na advocacia da organização criminosa, o advogado era o mentor intelectual da organização e o responsável pela aquisição de armas de fogo que eram utilizadas nas ações do grupo”, destacou o delegado Diego Beltrão, da DRF-CG.

O grupo teria investido contra agências bancárias e carros-fortes da Paraíba e Rio Grande do Norte. A ação resultou na prisão de pelo menos 22 criminosos e apreensão de diversas armas de fogo de grosso calibre.

O advogado vinha sendo investigado há mais de dois anos, quando houve uma série de “estouro de bancos” na região do Sertão. As investigações concluíram que ele se utilizava de sua prerrogativa de advogado para colaborar com informações para membros de organizações criminosas.

“Por conta dessa conduta, foi determinado pela Justiça que ele fosse proibido de frequentar o Fórum e outro locais em que pudesse ter acesso a informações, no entanto, foi verificado que ele continuou a manter contatos com os suspeitos de fazerem parte de crimes cometidos em várias cidades do Sertão”, disse.

Policiais que fazem parte da Força Tarefa enviada para investigar a chacina ocorrida em Catolé do Rocha na semana passada também entraram no caso e descobriram que o advogado teria envolvimento com as duas quadrilhas que provocaram as mortes de famílias rivais na cidade.

“Com o desenvolvimento das investigações e constatação de que ele estava descumprindo as determinações judiciais, bem como sua relação com essas organizações criminosas, as equipes da DRF/CG e da Força Tarefa da Polícia Civil, conseguiram localizá-lo e prendê-lo em Campina Grande neste sábado”, concluiu Diego Beltrão.

 

T5

 

 

Empresário morto por esposa na Paraíba recebeu primeiro tiro de costas, diz advogado

Um dos laudos do inquérito que investiga a morte do empresário Elton Pessoa, assassinado a tiros pela esposa, a também empresária Taciana Ribeiro Coutinho, que foi divulgado nesta quinta-feira (7) pelo advogado da família de Elton, confirma que a vítima foi atingida pelo primeiro disparo quando ele estava de costas. Ainda de acordo com o documento pericial, ele foi atingido por quatro tiros no total, o último deles na cabeça, quando estava apoiado em apenas uma das pernas.

Elton Pessoa foi morto a tiros, na tarde do dia 10 de abril, na fazenda onde estava isolado com a família, em Sapé, devido à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O corpo do empresário Helton Pessoa foi enterrado no fim da tarde do dia 11 de abril, no município de Arara, no Agreste paraibano.

G1 tentou entrar em contato com o delegado que preside o inquérito, Reinaldo Nóbrega, mas as ligações não foram atendidas.

De acordo com a defesa da família de Elton Pessoa, o advogado Daniel Alisson, essas informações não correspondem às prestadas pela suspeita de ter matado o empresário. Ele conta que o fato do primeiro tiro ter sido disparado contra Elton quando ele ainda estava dentro do box do banheiro, de costas, contraria a versão de que o disparo só foi efetuado por Taciana como legítima defesa, somente após o então companheiro abrir o box e fazer ameaça de morte.

Taciana Ribeiro Coutinho é suspeita de matar o marido, em Sapé, na Paraíba — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Taciana Ribeiro Coutinho é suspeita de matar o marido, em Sapé, na Paraíba — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

“Tendo em vista os fatos levantados pela perícia, demonstrou-se que Helton foi assassinado com requintes de crueldade, pelas costas, sem possibilidade de defesa, nem prestação de socorro e que o real interesse da empresária era executar seu companheiro, devido o ‘tiro de misericórdia’ efetuado na cabeça da vítima”, comentou o advogado da família da vítima.

Ainda de acordo com o advogado da família da vítima, o documento do Instituto de Polícia Científica mostra também que na cena do crime não havia vestígios de luta corporal entre a vítima e a suspeita.

“Ao todo foram efetuados contra a vítima quatro disparos, sendo três deles nos membros inferiores e o último na cabeça que fez com que a vítima viesse ao solo. Restando claro, mais uma vez que Taciana mentiu em seu depoimento ao dizer que no primeiro disparo Elton caiu”, rebateu Daniel Alisson.

Arma usada no crime passou por exames periciais do Instituto de Polícia Científica da Paraíba  — Foto: Divulgação

Arma usada no crime passou por exames periciais do Instituto de Polícia Científica da Paraíba — Foto: Divulgação

O advogado de Taciana Ribeiro Coutinho, Genival Matias Filho, explicou que ainda não tinha tido acesso ao laudo cadavérico e que por isso não teria como comentar detalhes do documento nesta quinta-feira (7). “Vou acessar esse laudo nesta sexta-feira (8) e só assim poderei tecer algum comentário”, explicou.

A empresária suspeita de matar o marido a tiros na fazenda Zumbi, em Sapé, foi presa e interrogada pela Polícia Civil, no dia 11 de abril. Os policiais cumpriram um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça contra Taciana Ribeiro Coutinho. No entanto, a medida foi convertida em prisão domiciliar. Durante depoimento, ela alegou legítima defesa.

G1

 

Polícia de Pernambuco investiga se morte de advogado paraibano teria sido execução

Após o advogado paraibano e defensor público aposentado Levi Borges ser morto a tiros durante uma ação criminosa na última quinta-feira (9), em um condomínio na Praia do Paiva, município de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, a polícia de Pernambuco investiga se foi assalto seguido de morte ou execução planejada.

De acordo com as informações, os policiais investigam as imagens das câmeras de segurança do pedágio e da rodovia privada Rota dos Coqueiros para identificar o carro onde estavam os suspeitos, além da câmera do condomínio que flagrou toda a ação.

A mala do carro do defensor público tem manchas de sangue na lataria do veículo.

Na hora do crime, o advogado ia visitar a filha, a juíza Andréa Rose Borges Cartaxo, que mora no condomínio e estava acompanhado da esposa, também juíza Mariza Borges de Lima.

O caso agora está sob responsabilidade da 13ª Delegacia de Polícia de Homicídios, e a investigação será comandada pelo delegado Cláudio Neto.

PB Agora

 

 

Vídeo mostra momento em que advogado paraibano Levi Borges é baleado por bandido em Pernambuco

Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que o advogado e defensor público aposentado Levi Borges foi abordado por um criminoso e baleado na porta do condomínio onde a filha mora, no Cabo de Santo Agostinho, região metropolitana do Recife, em Pernambuco. O paraibano foi assassinado na tarde desta quinta-feira (9).

Nas imagens, é possível ver o bandido armado arrancar o advogado de dentro do carro e, em seguida, atingi-lo com diversos tiros. Uma mulher sai do banco do carona do veículo em direção à vítima dos disparos de arma de fogo.

O carro foi encontrado na cena do crime com o porta malas aberto. A Polícia Civil de Pernambuco já está em investigação sobre o caso.

clickpb

 

Advogado e ex-vice-prefeito de Pilõezinhos é atingido por disparos de arma de fogo em sua fazenda no município de Casserengue

O advogado Iraponil Siqueira, e ex-vice-prefeito do município de Pilõezinhos, foi alvo de ação criminosa de marginais praticada na noite desta quarta-feira (11), em uma fazenda de sua propriedade, localizada no município de Casserengue-PB.

Siqueira estava em sua fazenda quando foi invadida por elementos armados. Ele teria reagido a tentativa de assalto e foi atingido por dois disparos de arma de fogo, sendo atingido em um dos braços e no tórax.

Rumores dão conta de que na referida fazenda haviam armas as quais seriam alvo do interesse dos bandidos. Eles fugiram tomando destino ignorado.

 

portalmidia

 

 

Após ter nome envolvido na Calvário, advogado tenta tirar a própria vida

Um dos nomes, alvo de conversa entre Daniel Gomes e Gilberto Carneiro para negociar dinheiro com conselheiros do Tribunal de Contas para favorecer julgamentos do governo, da Saúde e da Cruz Vermelha no Tribunal de Contas, no âmbito das investigações da Operação Calvário, o advogado e assessor do TCE, Diogo Mariz teria tentado tirar a própria vida na noite dessa segunda-feira, 13, por meio de enforcamento, na sua casa, em Cabedelo.

Para socorrer o advogado foi acionada uma viatura de suporte avançado do Samu que o encaminhou para o Hospital da Unimed.

As informações dão conta de que Diogo está internado, e seu estado de saúde é considerado estável, estando consciente e orientado.

Diogo Mariz é advogado e filho do ex-conselheiro do TCE Zé Mariz e sobrinho do ex-governador Antônio Mariz. Homem de confiança do conselheiro do TCE Artur Cunha Lima.

PB Agora

 

 

Advogado de casal acusado de atropelar e matar um pedreiro bate-boca com jornalista e diz que imprensa cria factoide

A polêmica em torno do acidente que resultou na morte do pedreiro Walmir Pedro de Brito, de 43 anos, continua, pois a defesa do casal acusado de causar o atropelamento, feita pelo advogado Genival Veloso, bateu-boca, com o radialista Emerson ‘Môfi’ durante seu programa radiofônico.

Segundo o advogado ele ainda está tomando conhecimento do caso.

“O que eu posso adiantar é que era ela, mesmo que vinha dirigindo e isso não há mais nenhuma dúvida e não adianta ficar especulando isso Mofi, por que isso é maldade”, disse Genival Veloso.

Em rebate o jornalista indaga de quem seria a maldade alegada. Para Genival Veloso, a maldade viria da imprensa. “O seu trabalho é nessa condição de fazer essa pressão toda”.

O repórter destacou, porém, que só estaria noticiando o fato, pois houve a morte de um pai de família. Veja o desenrolar da discussão no link:

pbagora

 

 

Jovem advogado da cidade de Serraria sofre acidente na PB-087

Na manhã desta quarta-feira (25) aconteceu um acidente na rodovia PB 087  envolvendo dois veículos, próximo a cidade de Borborema.

Um dos carros era conduzido pelo jovem advogado Marcus Alânio Filho (Marquinhos). O outro veículo pertence a um homem da cidade de Borborema.

Marquinhos foi socorrido por uma equipe do SAMU de Serraria para o hospital Regional de Guarabira, em seguida foi encaminhado para o hospital de Traumas, na Capital paraibana

Marquinhos é filho do renomado advogado criminalista Marcus Alânio.

midiaparaiba

 

 

‘Expectativa é que assassino seja levado a juri’, revela advogado de taxista morto no Bessa

O corretor de imóveis Gustavo Teixeira Correa, após a audiência de instrução que será realizada na próxima terça-feira (25) no Fórum Criminal de João Pessoa, deve ser pronunciado, ou seja, levado a júri. Essa é a expectativa dos advogados de acusação.

“Para que o tribunal do júri possa condená-lo em uma pena equivalente ao hediondo crime cometido de forma vil e covarde, permanecendo preso até o deslindo final do processo, visto que sua periculosidade é incontroversa pela conduta perpetrada em desfavor da vítima”, afirmou Getúlio Souza, assistente de acusação.

Gustavo é acusado de assassinar a tiros o taxista Paulo Damião no Bessa na tarde do último dia 15 de fevereiro. A categoria está organizando um protesto no fórum pedindo justiça.

Por se tratar de crime hediondo capitulado no art. 121, parágrafo 2•, incisos II (motivo fútil) e IV (V – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido) do código penal, a pena do acusado é de 12 a 30 anos.

Relembre

Câmeras de segurança registraram toda a ação e mostram quando Gustavo passava pela rua no bando do carona de um motorista por aplicativo. A vítima está manobrando na frente de um supermercado e obriga o carro em que o corretor estava a parar, o que faz o criminoso se irritar, sair do veículo e efetuar vários disparos contra o taxista, que morreu na hora. Após o crime, ele foi andando até a sua casa, que fica a alguns metros do local.

Gustavo tinha posse de armas, mas não tinha porte, portanto não poderia andar armado e teria ingerido bebida alcoólica. Ele tinha o costume de posar ao lado de diversos armamentos nas suas redes sociais e frequentava estandes de tiros, por isso não há como provar que as armas usadas nas fotos eram dele.

Yves Feitosa