Arquivo da tag: adesão

Líder do governo anuncia adesão da prefeita de Serra da Raiz

Líder do governador João Azevedo na Assembleia Legislativa da Paraíba, o deputado Ricardo Barbosa anunciou na quarta-feira (20) a adesão de Adailma Fernandes, prefeita de Serra da Raiz.

Conforme postagem do próprio parlamentar nas redes sociais, ele recebeu em seu gabinete a gestora acompanhada do vice prefeito Luiz Machado, secretários Anderson Fernandes e Valdir Lima. A reunião teria acontecido com objetivo de destravar recursos e buscar novos projetos para serem executados pelo governo em parceria com o município.

 

blogdofelipesilva

 

 

Governo do Estado inicia processo de adesão dos municípios ao Programa Garantia Safra

garantia_safraO Governo da Paraíba inicia o processo de adesão dos Municípios ao Programa Gratantia Safra 2016/2017. Entre os dias 17 de outubro e 1º de novembro, foram realizadas reuniões com com o objetivo de discutir as novidades para a safra 2016/2017, além de capacitar os agentes envolvidos no processo de adesão dos agricultores ao programa. Na primeira semana de realização das reuniões, a coordenadora nacional do Programa Garantia Safra, Dione Freitas, participou dos encontros. Além dela, o processo de implementação o contou com o consultor para o Programa Garantia Safra, Ranyfábio Macêdo.

O coordenador Estadual do Garantia Safra, Alessandro Silva, lembra que pelo calendário nacional do Programa os municípios que compõem a Região Paraíba 1 terão até 21 de novembro para assinarem o termo de adesão, já os Municípios que compõem a Região Paraíba 2 poderão assinar o termo até o dia 20 de dezembro. Alessandro ainda enfatiza que os municípios que estavam aderidos na safra passada só poderão aderir para a safra 2016/2017 se tiverem quitados seus aportes municipais, já o município que não participava do Garantia Safra mas que queira fazer a adesão deverá entrar em contato com a Coordenação Estadual.

Há um importante destaque na participação dos técnicos da Emater, ógão vinculado à Gestão Unificada, em todo o processo, desde a implementação até a avaliação das lavouras quando é possível detectar se houve perdas nos municípios em mais de 50% das culturas seguradas (feijão, arroz, milho, mandioca e algodão) gerando assim a liberação do benefício.

“Nós avançamos nas políticas públicas, sentimos os efeitos da seca, mas se não tivéssemos agido poderíamos ter sofrido mais prejuízos. Agora vamos continuar na execução de projetos para avançar nas prioridades”, disse o secretáriode Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca,Rômulo Montenegro. Ele ainda  convida todos os representantes da área para se fazerem presentes na próxima sexta-feira (11), às 9h, na sede da Associação de Plantadores de Cana de Açúcar da Paraíba – Asplan-PB, no Centro de João Pessoa para uma reunião sobre o Plano Agro que pretende desburocratizar as ações da agropecuária, do FNE que trata da distribuição de recursos e apoio as cadeias produtivas e do fortalecimento do Programa de Aquisição de Alimentos.

Secom-PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Raniery diz que fala em entrevista foi distorcida e nega adesão ao Governo

DEPUTADO-RANIERYO deputado estadual, Raniery Paulino (PMDB) reagiu com surpresa ao ler em vários veículos da imprensa paraibana, nesta segunda-feira (23), a informação de que teria anunciado adesão à bancada do governador Ricardo Coutinho (PSB), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). O parlamentar afirmou que sua fala em entrevista concedida à Rádio Cultura, de Guarabira, foi distorcida.
“Nego veementemente qualquer tipo de afirmação sobre esse tema”, disse o deputado.

Raniery Paulino afirmou que a adesão da bancada do PMDB na ALPB ao Governo ainda é assunto interno da legenda. “Tenho conversado com o deputado Trócolli Júnior sobre isso, mas quem está à frente desse assunto é o senador José Maranhão, por isso, afirmo que não há adesão sem que nenhuma discussão seja concluída”, disse.
O deputado Raniery Paulino, inclusive, afirmou ainda que durante a entrevista teceu críticas ao Governo do Estado em relação às obras destinadas à Guarabira. “São várias as ações negadas à Guarabira pelo governo Ricardo Coutinho, que sequer construiu uma casa em quatro anos. Portanto, não há como falar em adesão, pelo menos agora”, comentou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O deputado afirmou ainda que acompanhou a bancada de oposição nas últimas votações polêmicas, na Casa de Epitácio Pessoa. Entre elas, a análise dos vetos do governador Ricardo Coutinho às emendas parlamentares da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício financeiro de 2015.
Outro empecilho que estaria prejudicando a adesão do deputado Raniery Paulino ao Governo do Estado, é a presença de lideranças ligadas ao prefeito de Guarabira, Zenóbio Toscano (PSDB), apoiando e fazendo parte da administração do governador Ricardo Coutinho. 

“Em Guarabira, o governador precisará se decidir se deseja o apoio do PMDB ou se mantém os ‘zenobistas’ integrados e a serviço do Governo”, afirmou.

MaisPB

Paraíba tem mais de 5 mil pedidos de adesão ao Simples Nacional

Simples_NacionalMais de 5 mil micro e empresas paraibanas solicitaram a adesão ao Simples Nacional, o sistema de tributação que unifica oito impostos em um único boleto e reduz a carga tributária em até 40%. O Estado já possui 109 mil empresas incluídas no sistema, segundo dados da Receita Federal. Com as novas adesões, o Estado deverá ter mais de 115 mil empresas. A solicitação ao sistema foi encerrada no último dia 30 de janeiro e puderam aderir as empresas que faturam até R$3,6 milhões por ano.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em janeiro do ano passado, o Estado tinha 95 mil empresas optantes do Simples Nacional. Portanto, em um ano, houve um aumento de 21%. Com a revisão da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, no ano passado, 142 novas atividades econômicas puderam se enquadrar no sistema. Com essa universalização do Simples, médicos, psicólogos, jornalistas, advogados, corretores, engenheiros, consultores, arquitetos, dentre outras profissionais liberais foram beneficiadas, podendo aderir a este sistema.

“De modo geral, o Simples, em comparação com o regime de Lucro Presumido, favorece as empresas que geram mais emprego. Com a revisão da Lei Geral das MPE mais empresas tiveram a oportunidade de aderir ao Simples, diminuir a burocracia e reduzir os seus impostos”, ressaltou a analista do Sebrae Paraíba, Bera Wilson.

O Simples Nacional abrange os seguintes tributos: IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Patronal Previdenciária para a Seguridade Social (CPP). O recolhimento é feito por um documento único de arrecadação que deve ser pago até o dia 20 do mês seguinte àquele em que houver sido auferida a receita bruta.

Quem quiser desistir do regime de tributação simplificado pode fazê-lo a qualquer momento. No entanto, se for para o mesmo ano é necessário que o desenquadramento seja solicitado em janeiro, caso contrário, a desvinculação só valerá para o ano seguinte.

Em todo o país, mais de 500 mil novas micro e pequenas empresas fizeram a solicitação de inclusão no Simples. Se todas as solicitações forem aceitas, o número de empresas nesse sistema poderá chegar a 10 milhões.

 

Sebrae

Trócolli admite adesão a Ricardo mas definição só sai em fevereiro

trocolli_serioO deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) decidiu deixar para o início do mês de fevereiro a definição se fará parte o não do Governo Ricardo Coutinho II.

Em contato com o Portal MaisPB, o peemedebista declarou que é uma tendência seguir a orientação do PMDB no apoio ao socialista tendo em vista que apenas ele e o deputado federal Manoel Júnior estão fora da aliança.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Trócolli confirmou que o presidente estadual do PMDB, senador eleito José Maranhão, solicitou a sua ida à Brasília para a Secretária de Representação Governamental, mas ele abdicou da proposta porque problemas familiares o impende  de deixar o Estado.

Questionado sobre as especulações de que ele poderia assumir a pasta de Esporte Recreação e Lazer, Trócolli defendeu que o PMDB precisa de uma secretaria executiva que possa trabalhar pelo Estado e também na captação de recursos e apresentação de projetos ao Governo Federal.

“O PMDB precisa ter espaço para produzir para o Estado e não como cabide de emprego. Uma secretaria executiva, onde possamos captar recurso, levar projeto para Brasília. O problema do PMDB não é emprego, e sim, poder contribuir e colaborar com projeto o político, pois foi pra isso que ele se uniu ao PSB”, defendeu.

Para Trócolli, caso o PMDB consiga o espaço almejado, não significa que apenas ele seja o indicado para o cargo e  outros companheiros peemedebistas também pode ser secretario.

No entanto, Trócolli deixou uma condicionante para apoiar o governo. O parlamentar contou que votará o que for bom para a Paraíba, mas não votará em matéria que seja contra o funcionalismo público.

Trócolli lembrou, por outro lado, que já votou recentemente  na Assembleia, um empréstimo do governo para construção de estradas por considerar importante para o Estado.

Roberto Targino – MaisPB

Unimed garante saúde financeira da instituição, admite que é preciso adesão de médicos e explica corte de outros planos

alexandreO presidente da Unimed, Alexandre Magno Pimentel, afirmou nesta terça-feira (16) que a instituição está com boa saúde financeira, apesar de ainda estar sanando débitos no valor de R$ 27 milhões. O presidente admitiu que é preciso investir em novas adesões de médicos e também explicou, durante entrevista ao Rádio Verdade, porque o plano de saúde cortou atendimento a outros planos no Hospital da Unimed. Com 142 mil usuários o plano pensa em investir em mais adesões.

Falando sobre os depósitos garantidos, exigidos pela Agência Nacional de Sáude (ANS), o presidente explicou que  quando assumiu a gestão, havia um déficit de R$ 1 milhão, hoje há um saldo positivo de R$ 800 mil”. Os depósitos garantidos são feitos em para caso haja algum problema financeira na instituição. São a garantia que o usuários não terá problemas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em relação a outros débitos, Pimentel contou que quando assumiu tinha débitos no valor de R$ 37 milhões para serem pagos. “Estamos pagando esses débitos progressivamente. Hoje os débitos que vêm sendo pagos estão em R$ 27 milhões. O cenário é significativamente positivo”.

O presidente garantiu que está tomando inúmeras medidas operacionais para dar agilidade e eficiência ao plano de saúde, entre essas medidas está a não reeleição do presidente. “Aprovamos um estatuto que não é permitida reeleição, o mandato é de quatro anos. Implantamos a governança corporativa. A gestão não é de um homem, mas em cima de compartilhamento de poder em todos os níveis de conselho. Temos um corpo gerencial, os gerentes são ouvidos, todas as decisões são colegiadas. Nós hoje não trabalhamos mais em eu acho, eu quero, eu posso. Hoje trabalhamos em relação a planejamento estratégico”.

Sobre como os médicos cooperados têm visto as mudanças feitas pela nova gestão, Pimental explicou que os cooperados têm duas colocações: reconhecem que as medidas de austeridade são necessárias e na sua franca maioria a apóiam. “As medidas que assumimos, apesar de todos reconhecerem que são desconfortáveis, concordam. Existe um nível de insatisfação, a cooperativa realiza um pagamento para atos médicos que gostaríamos que fosse mais elevado, mas a receita não permite”, admitiu.

Segundo o presidente, a Unimed João Pessoa paga para ums consulta em torno de R$ 70 reais, mas tem como meta aumentar para cerca de R$ 100. “Temos uma média de 80 a 85 mil consultas mês. Só conseguiremos isso (aumentar o valor do repasse para o médico) se aumentarmos o número de usuários, aumentando consequentemente a aumentar receita”.

Muitos exames – Entre as maiores dificuldades da instituição estão o grande volume de exames. “Eu acho que há uma possibilidade de se questionar esse volume de exames. A sociedade está culturalmente adaptada a valorizar o exame, não saúde. Existe um prurido e necessidade social para esse tipo de abordagem. Em outros países o médico solicita o mínimo possível de exames para chegar a um identificação da doença. A grosso modo existe um excedente de exame”.

Em relação a insatisfação do usuário que busca um atendimento mais rápidos nos consultórios médicos o presidente afirmou que a Unimed conta com cerca de 1600 médicos em atividade. “E 142 mil vidas para serem atendidas, a divisão fica difícil, por isso o agendamento acaba demorando”, justificou.

Explicando porque a entidade resolveu cortar o atendimento a outros planos de saúde no Hospital da Unimed e nos consultórios dos médicos conveniados. “A rede hospitalar desmontou o pronto atendimento em diversos hospitais. Essa foi uma das razões de termos tirado os outros planos de saúde, não foi dificuldade financeira. Apesar dos outros planos pagarem melhor ao hospital, fizemos isso para atender melhor os nossos usuários. Para isso também estamos investindo na reformulação, na climatização. Compramos um aparelho de radiografia novo. Estamos investindo em todo o reaparelhamento do hospital. Nós conseguimos a poucos dias atrás, duas semanas atrás a certificação nível dois. A Unimed é o único hospital que tem essa certificação”.

Pimentel garantiu ainda que a idéia investir no ingresso de novos médicos. “Existe de fato essa insatisfação. Os médicos que mais têm projeção e já se notibilizaram, tem maior clientela. Eles têm o limite de carga horária. Haverá progressivamente dificuldade para um médico quem tem uma projeção muito grande”, ressaltou.

A Unimed completa nesta terça-feira 43 anos de fundação em João Pessoa, para isso será feita comemoração com homenagem aos 106 fundadores ainda vivos. “Vamos fazer o descerramento de uma placa, com o nome dos 106 médicos que apoiaram ao doutor Alberto Urquiza Wanderley a fundar plano de saúde no estado”, finalizou.

Paulo Dantas

Cássio critica adesão das oposições a Ricardo, mas afirma que foram importantes para vitória do socialista

Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline

O senador Cássio Cunha Lima, (PSDB),  candidato ao Governo do Estado nas eleições desse ano, criticou a adesão de vários partidos de oposição ao atual Governador, mas admitiu que essa união foi importante para que Ricardo Coutinho fosse reeleito. “Como é  que esses partidos passaram quatro anos na oposição e agora, há vinte dias do pleito, decidem apoiar o Governo”? indagou o senador.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Cássio destacou que o apoio do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, do seu irmão, Lucélio Cartaxo foi de fundamental importância para reeleição de Ricardo Coutinho em João Pessoa, da mesma forma como aconteceu com Efraim Morais, e os deputado Efraim Filho, Manoel Júnior além de outras lideranças políticas no interior do Estado.

 

Entre as dificuldades para vencer as eleições, Cássio Cunha Lima destacou que teve que enfrentar as ‘três máquinas públicas’: Estado, município e o Governo Federal, “mas quero agradecer a todo a Paraíba por esse um milhão de votos, que eu considero com um milhão de amigos”, destacou.

Paulo Cosme

Após adesão a RC, deputado do PMDB defende saída de Tatiana Medeiros da legenda

trocollicolliO clima entre os membros do PMDB paraibano está cada dia mais tenso. Nesta terça-feira (09), por exemplo, foi à vez do deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) defender a saída da médica Tatiana Medeiros (PMDB) dos quadros do partido. É que Tatiana, na última semana, surpreendeu a todos ao deixar a candidatura da legenda para anunciar apoio à reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo o deputado, se a médica não estava satisfeita com os preceitos definidos pela diretoria, deveria pedir para sair, antes de se aliar ao candidato adversário. Trocolli chegou a citar o caso da deputada estadual Iraê Lucena como exemplo. Iraê deixou o PMDB e se filiou ao PSDB. “Iraê teve outra postura. Ela não se identificava mais com o PMDB e resolveu deixar o partido e seguir outro caminho, relatou.

Apesar de defender a saída de Tatiana, o parlamentar deixou claro que não comunga com “caça às bruxas” no partido, mas sim que a própria Tatiana peça pra sair.

“Não sou favorável à caça às bruxas, mas entendo que uma aliança entre PMDB e PSB seja incompatível. A população está de olho nas notícias da imprensa e se lembra das críticas que a candidata Tatiana já fez ao governo atual. Cada um é responsável por seus atos, mas ela deveria deixar o partido se não estivesse satisfeita e não se aliar a Ricardo Coutinho”, afirmou o deputado ao ser questionado se era a favor de uma punição pelo partido nesse caso.

Entenda o caso:

Tatiana Medeiros foi a candidata do PMDB em Campina Grande na disputa pela prefeitura municipal, nas eleições de 2012. A médica é politicamente ligada aos irmãos Veneziano Vital do Rego e o senador e candidato a governador, Vital do Rego. Entretanto neste pleito de 2014, ao que tudo indica Tatiana não deposita expectativa em torno da possibilidade do PMDB passar do primeiro turno e assim anunciou publicamente apoio a reeleição do atual governador Ricardo Coutinho, que desponta em segundo lugar nas pesquisas, em detrimento à candidatura de Vital do Rego de seu partido, que aparece em terceiro.

O Portal PB Agora relembra pelo menos um episódio que evidenciou um clima de acirramento entre os dois políticos Aliados políticos nas eleições 2014, a médica e candidata a Assembleia Legislativa Tatiana Medeiros (PMDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB) já trocaram declarações contundentes na imprensa, chegando a provocar grande repercussão no meio político.

Em 2011 ao assumir a secretaria de Saúde da Prefeitura de Campina Grande, Tatiana Medeiros, provocou a primeira polêmica contra o socialismo: Em entrevista a imprensa, logo após sua posse, ela mandou primeiro o governador Ricardo Coutinho (PSB) “cuidar de seu quintal”.

Tatiana se referia aos PSF’s da capital paraibana. Segundo ela, 40 deles não têm médicos. “Isto aconteceu na época em que ele era prefeito de João Pessoa. Entãoantes de qualquer coisa ele tem que cuidar primeiro do seu quintal”, disparou mandando um recado para o ‘Mago’.

PB Agora

“Vamos colocar os outros candidatos pra correr”, diz RC após adesão do PT

ricardoDurante a coletiva que o PT oficializou apoio a campanha de reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB), nesta quinta-feira (25), o socialista se demonstrou confiante com o novo cenário, ratificou que não perde o sono neste período pré-eleitoral e afirmou que adversários vão correr da disputa.

“Vamos colocar os outros candidatos para correr”, disparou o governador sem esconder o entusiasmo com a adesão petista.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O governador também declarou que sua campanha será atrelada a de Lucélio Cartaxo (PT), candidato a senador na chapa majoritária encabeçada pelo socialista.

“Onde tiver o nome de Ricardo tem que ter Lucélio. Vamos percorrer a Paraíba. Vamos vencer”, afirmou Coutinho ao lado de Lucélio.

Ricardo ainda disse que está tranquilo com a reta final de acordos eleitorais para a disputa deste ano. “Não perco um minuto de sono”.

Écliton Monteiro – MaisPB 

 

‘EM RESPEITO À JUSTIÇA ELEITORAL, O PORTAL FOCANDOANOTICIA.COM.BR SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS POLÍTICOS NESTE ESPAÇO PARA EVITAR EVENTUAIS CASOS E INTERPRETAÇÕES DE PROPAGANDA ELEITORAL ANTECIPADA E/ OU USO PARA DENEGRIR PRÉ-CANDIDATOS. AGRADECEMOS AOS LEITORES PELA COMPREENSÃO.

‘Nós Podemos Paraíba’ ganha adesão da prefeitura de Arara; já são 102 cidades

Beatriz Ribeiro com o prefeito de Arara
Beatriz Ribeiro com o prefeito de Arara

O município de Arara é o novo participante do movimento Nós Podemos Paraíba, da Fundação Solidariedade. O prefeito da cidade, Eraldo Fernandes, e um representante da secretaria de Educação do município, Jurandir Ernesto, estiveram nessa quinta-feira (22) para firmar o acordo com a presidente da Fundação Solidariedade e diretora-executiva do Sistema Correio, Beatriz Ribeiro. Ela ressaltou a importância da municipalização do movimento e que este é o 102º município a aderir aos Oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, em parceria com a Fundação.

O prefeito de Arara, Eraldo Fernandes, afirmou que a adesão ao programa vai contribuir com o desenvolvimento do município. “Para a gente vai ser um programa inovador e temos o compromisso de acolher, ser parceiro e fazer as coisas certas. A exemplo de municípios vizinhos como Remígio e Bananeiras, não queremos ficar atrás e tentar fazer até melhor. Estamos chegando e o que for preciso fazer para a educação, a saúde e o social, estamos disponíveis. Sabemos que é benéfico para a sociedade, para o município”, disse o prefeito.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O técnico da Secretaria de Educação de Arara, Jurandir Ernesto, acompanhou o prefeito e detalhou como será a participação do município no programa. “Com a parceria com a Fundação Solidariedade, vamos levar esse trabalho ao conhecimento do público e implementar metas como a redução da evasão escolar, aumento do índice Ideb, combate ao trabalho infantil, elevar o número de crianças vacinadas, melhorar a acessibilidade nas escolas e reduzir a mortalidade infantil. Com essas ações práticas pretendemos cumprir os 8 Objetivos do Milênio”, afirmou Jurandir.

Por Jornal Correio/ Julio Silva