Arquivo da tag: 60%

Com 60% das obras de Transposição do Rio São Francisco em andamento, comitês de bacias elegem representante Paraíba

transposiçãoOs representantes de Comitês de Bacias Hidrográficas do estado participaram nesta segunda-feira (15) de uma reunião no auditório da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), na Capital. Durante o encontro, coordenado pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) e Ministério da Integração Nacional, ficou decido que o engenheiro agrônomo Ulysmar Curvelo Cavalcante e a professora Maria Edelcides Gondim de Vasconcelos representará a Paraíba na discussão sobre o modelo de gestão das águas do rio São Francisco.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Eles foram eleitos, respectivamente, para os cargos de titular e suplente. De acordo com o coordenador geral de Apoio a Projetos de Desenvolvimento da Integração do Rio São Francisco (Pisf), José Luiz de Souza, os representantes paraibanos viajam nesta terça-feira (15) para o Rio Grande do Norte, onde haverá uma nova eleição. “O primeiro passo foi a escolha de um titular e um suplente em cada estado receptor das águas do São Francisco, ou seja, Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. Desse grupo sai um representante para a participar da gestão dos recursos hídricos do Pisf”, informou.

Durante o encontro, o secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Ciência e Tecnologia, João Azevedo Lins Filho, destacou a necessidade de um modelo de gestão que descreva detalhadamente as responsabilidades de cada Estado. “A gestão das águas do rio São Francisco é importantíssima, tão importante quanto a própria transposição. O grande desafio é fazer com que essa obra atinja seus objetivos. Para isso, precisamos definir um modelo de gestão federal, no qual os estados possam se espelhar”, observou.

 

A reunião aconteceu durante a manhã e contou com a participação de membros dos comitês das bacias hidrográficas do Litoral Norte, Litoral Sul e do Rio Paraíba, além de representantes da Capega, Defesa Civil Estadual, universidades públicas e privadas, sindicatos e associações. “A participação da população nesse debate é fundamental. As instituições podem contribuir para a definição desse modelo de gestão, ajudando não apenas a definir, mas também a monitorar o funcionamento da transposição”, ressaltou.

 

De acordo com o presidente da AESA em João Pessoa, 60% das obras de Transposição Rio São Francisco. Ele ainda afirmou que no estado há 780 km de adutora que faz parte das obras de transposição. Dentro do projeto também está a adutora do Cariri que compreende o sistema do Canal Vertente que está em andamento como também a barragem de Camará.

Wagner Mariano com assessoria

Viber encerra ação de ligações gratuitas com crescimento de 60% no Brasil

viberA Viber anunciou nesta semana que encerraria a ação de ligações gratuitas e ilimitadas para telefones fixos no Brasil, depois de nove semanas no ar.

A ação foi anunciada em fevereiro, pouco tempo depois da empresa começar as suas operações no país, e resultou em um aumento da sua base de usuários de 60%, que saltou de 10 milhões no início do ano para os atuais 16 milhões.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A empresa aproveitou o momento de dúvida de alguns usuários logo após o anúncio feito pelo Facebook da aquisição do WhatsApp, principal concorrente do Viber e líder do mercado de mensagens intantâneas.

“Havia muita insegurança sobre o futuro do WhatsApp em relação à privacidade e outras questões, e a gente começou a experimentar uma taxa acelerada de crescimento no Brasil”, afirmou o Country Manager do Viber no país, Luiz Felipe Barros, ao Canaltech. “Alguns dias depois o WhatsApp ficou horas fora do ar e isso fez muitas pessoas baixarem o Viber”.

No mundo, o aplicativo cresceu sua base de 300 milhões para 400 milhões de usuários no mesmo período.

De acordo com dados divulgados pela empresa, os usuários brasileiros fizeram mais de 40 milhões de ligações que somaram 170 milhões de minutos durante a ação. O aplicativo também viu um crescimento no envio de mensagens de texto, principal percentual de uso do app, e em grupos, que aumentou em uma média de 25% por semana.

Com o fim da ação, o recurso que que permite ligações para telefones fixos e móveis, o Vibe Out, volta a ser pago no país. As funções de envio de mensagens, conversas em grupo e ligações VoIP de Viber para Viber continuam gratuitas.

Estratégia de crescimento

De acordo com Barros, a empresa já tem outras iniciativas de marketing planejadas para sustentar o crescimento do aplicativo, que agora conta com uma equipe de cinco pessoas na operação brasileira.

No segundo semestre, a empresa deve começar a implantar uma estratégia de games casuais dentro da plataforma, que visa não só expandir o número de usuários, mas trazer receitas através de compras dentro do app (In-App Purchase). De acordo com o executivo, os jogos serão uma parte separada dentro do app e não deverão incomodar usuários que não quiserem interagir.

O Viber também prevê umas série de recursos locais, como stickers (adesivos customizados para ilustrar as mensagens de texto.  Os stickers fazem parte também da estratégia de monetização da plataforma, já que algumas opções de adesivos são pagas.

Outras iniciativas como a ação de ligações gratuitas não são descartadas, mas não estão previstas para os próximos meses. “Os dados foram fanstásticos, mas a gente quer trazer novidades para o público também”, comenta Barros.

Canal Tech

 

Mortes em acidentes com motos geram 60% de indenizações do DPVAT na Paraíba

motossA frota de veículos na Paraíba já representa quase um quarto da população, que segundo estimativas do IBGE, chegou a 3.914.418 habitantes. Segundo os registros do Denatran, em novembro do ano passado, já estavam registrados na Paraíba 943.488 veículos.

Um dado que chama a atenção é que só número de motocicletas legalmente circulando na Paraíba já representa 97,76% do total de automóveis. A frota da Paraíba de acordo com os dados do Denatran é de 424.628 automóveis, 10.438 ônibus/micro-ônibus, 415.143 motocicletas e 93.279 caminhões.

As motocicletas representaram 60% das indenizações por morte pagas pelo DPVAT na Paraíba no ano passado. Automóveis representaram 33%, caminhão 6% e ônibus apenas 1%. Nesta quinta-feira, mais uma pessoa morreu com acidente de moto, após acidente no bairro do Oitizeiro, em João Pessoa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na região Nordeste a Paraíba ficou em quinto lugar no número de indenizações, com 1.117 pagas por morte, contra 1.077 em 2012. Houve um crescimento de 7,23%, enquanto que no país foi de 2,04%. Os dados são da Seguradora Líder-DPVAT, administradora do seguro no País, que dispendeu montante superior a R$ 3,2 bilhões em pagamentos de indenizações.

Na frente da Paraíba aparecem os estados da Bahia (22,33%), Ceará (17,32%), Pernambuco (15,11%), Maranhão (14,49%) e Piauí (7,76%). Abaixo dos percentuais da Paraíba ficaram Rio Grande Norte (5,90%), Alagoas (5,50%) e Sergipe (4,29%).

A quantidade de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT no ano de 2013 em todo o país somou 633.845, registrando um aumento de 25% em relação a 2012.

O estudo aponta um crescimento de 26% nas indenizações por invalidez permanente pagas em 2013, que totalizaram 444.206 pagamentos. Esta foi a cobertura com maior incidência de pedidos, registrando 70%. As indenizações por reembolso de despesas médicas e hospitalares somaram 134.872, representando 21% da quantidade total de pagamentos do ano de 2013.

O levantamento traz uma perspectiva positiva: a redução de 10% no número de indenizações pagas por morte no Brasil. A Seguradora pagou, em 2013, 54.767 benefícios por acidentes fatais, ante 60.752 em 2012.

Dos recursos arrecadados pelo Seguro DPVAT, 45% são destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS) para ajuda no custeio do tratamento de vítimas de trânsito. Em 2013 este valor superou R$ 3,6 bilhões, enquanto, em 2012, foram direcionados R$ 3,2 bi ao SUS. Outros 5% são destinados ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para realização de campanhas educativas e ações preventivas no trânsito brasileiro. Em 2013, foram entregues mais de R$ 400 milhões ao órgão.

Um dos principais destaques da gestão do Seguro DPVAT pela Seguradora Líder-DPVAT, em 2013, foi o aumento significativo do número de pontos de atendimento para a solicitação do seguro, chegando a 7.757 contra 4.783 em 2012, um aumento de 62%.

Perfil das vítimas

Em 2013, as principais vítimas de acidentes de trânsito indenizados pelo Seguro DPVAT foram homens, somando 76%. Quando observada a faixa etária, a maior incidência de pagamentos foi para vítimas entre 18 e 34 anos (50,9%) predominantemente para o sexo masculino (40%).

Quando analisado o perfil das vítimas, 60% dos benefícios foram pagos para os condutores (53% para motociclistas e 7% para motoristas dos demais veículos), seguido pelos pedestres (22%) e por passageiros dos veículos (18%).

O estudo aponta que 71% das indenizações pagas em 2013 foram para acidentes envolvendo motocicletas, embora o veículo de duas rodas represente apenas 27% da frota nacional. Em seguida, os automóveis, que somam 60% da frota, foram os veículos que responsáveis por 24% dos acidentes indenizados.

O que é DPVAT

O seguro DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médica e suplementares (DAMS) por lesões de menor gravidade causadas por acidentes de trânsito em todo o país.
O pagamento para beneficiários de vítimas fatais é de R$ 13.500. Nos casos de invalidez permanente, o pagamento pode chegar a até R$ 13.500, de acordo com a gravidade das lesões. Já o reembolso hospitalar e médico pode chegar a R$ 2.700.

O recolhimento é anual e obrigatório para todos os proprietários de veículos. A data de vencimento é junto com a do IPVA, e o pagamento é requisito para o motorista obter o licenciamento anual do veículo. Vítimas e seus herdeiros (no caso de morte) têm um prazo de três anos após o acidente para dar entrada no seguro. Informações de como receber o DPVAT podem ser obtidas pelo telefone 0800-022-1204.

portal correio