Arquivo da tag: 10

Comissão de Constituição e Justiça aprova 10 projetos durante reunião ordinária

Assembleia-LegislativaA Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou 10 projetos, durante reunião ordinária, nesta terça-feira (22), no plenário Deputado José Mariz.

Foram aprovadas a Medida Provisória 226/14, que dispõe sobre a remissão de créditos tributários, constituídos ou não, inscritos ou não em dívida ativa, relativos ao IPVA e às taxas estaduais, vinculadas ao Detran-PB, e o parcelamento dessas taxas; e a mensagem nº 015 (projeto nº 1.937/14), que autoriza o Estado a contrair empréstimo junto à Caixa Econômica, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ambas as matérias são de autoria do Governo do Estado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O projeto de lei 1.896/14, que reconhece como utilidade pública a Associação Igreja em João Pessoa, foi aprovado; assim como os projetos 1.897/14, que dispõe sobre a visibilidade das cozinhas dos estabelecimentos comerciais produtores de refeições; o 1.898/14, proibindo a utilização de giz à base de óxido de cálcio nas escolas da rede pública estadual; e o 1.901/14, que trata sobre o acesso dos pescadores aos mananciais públicos.

Também foram aprovados o projeto 1.905/14, que obriga a fixação de cartazes nos postos revendedores de combustíveis informando o percentual da diferença entre os preços de gasolina e do etanol; o 1.913/14, que institui 2014 como o Ano do Centenário da Primeira Igreja Batista de João Pessoa; o 1.918/14, sobre a utilização de produtos destinados a emissão de raio laser; e o 1.934/14, concedendo título de cidadão a Carlos Roberto Wizard Martins.

A presidência da Comissão convocou os membros presentes para a próxima reunião, na próxima terça-feira (29), às 8h, no plenário Deputado José Mariz.

 

Blogdogordinho

Brasil supera turbulência e renasce para tentar 10° título da Liga Mundial

A testa franziu logo no segundo jogo. Não bastasse a segunda derrota para a Itália, em plena Jaraguá do Sul, o Brasil ainda viu Ivan Zaytsev anotar 23 pontos. Na parada seguinte, em Maringá, a Polônia B também derrubou o anfitrião uma vez. Assim como fez o Irã, em São Paulo. Nos seis compromissos dentro de casa, a seleção venceu apenas dois. Oscilava demais e não encontrava palavras para explicar o que estava acontecendo. A cada revés, treinava mais forte na esperança de voltar aos trilhos fora do país. Só que a situação ia se complicando e a classificação para a fase final parecia muito, muito distante. A confiança estava abalada diante de uma campanha de seis derrotas em nove partidas. A pior de sua história. Bernardinho se dizia decepcionado e mexia com os brios de seus comandados. Lembrava que em outras situações o grupo havia se superado. O time respondeu vencendo a Polônia e entrando na última rodada com a Itália precisando de dois triunfos por 3 a 0 ou 3 a 1 para avançar. Passou na conta do chá. Mostrou que o Brasil estava de volta e com fome. Em Florença, despachou a Rússia, a Itália e chegou à final da Liga Mundial. Agora, na briga pelo seu 10º título na competição, terá de passar pelos Estados Unidos.

O confronto será neste domingo, às 15h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV e em Tempo Real no GloboEsporte.com. Mais cedo, às 12h30, os italianos enfrentam o Irã pela medalha de bronze.

– Nesta fase final, todo mundo está bem solto e bem fisicamente. Fizemos um jogo quase perfeito contra a Itália. Foi um esforço de equipe. Sinto que passamos pelo momento mais duro nessa competição e agora estamos confiantes. Falta mais um passo para o nosso primeiro objetivo (o segundo é o tetra no Mundial da Polônia) – disse Lucarelli.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A última vez que o time de Bernardinho ergueu o troféu foi em 2010. Nas edições de 2011 e 2013, não resistiu aos russos e teve que se contentar com o segundo degrau do pódio. Já os Estados Unidos esperam desde 2008 para colocar no currículo seu segundo título. Chegou perto em 2012, quando mediu forças com os poloneses.

vôlei Anderson e David Lee EUA e Irã Liga mundial (Foto: FIVB)Matt Anderson e David Lee comemoram a vaga na final (Foto: FIVB)

 

Na atual temporada, teve um caminho bem mais tranquilo do que o do Brasil. Em 12 jogos disputados na primeira fase, só perdeu três, avançando em primeiro lugar da chave que tinha Rússia, Sérvia e Bulgária. Em Florença, sofreu um tropeço logo na estreia contra a Itália (3 sets a 0), depois passou pela Austrália (3 a 1) e pelo Irã (3 a 0).

–  Estamos nos sentindo bem. Estávamos nos sentindo muito mal fisicamente quando chegamos aqui. Mas em 2008 perdemos nosso primeiro jogo e acabamos vencendo a competição. Se jogarmos um vôlei sólido novamente como fizemos contra o Irã, podemos ganhar o título – disse o americano David Lee.

A CAMPANHA DO BRASIL

Brasil 1 x 3 Itália
Brasil 1 x 3 Itália
Brasil 3 x 0 Polônia
Brasil 0 x 3 Polônia
Brasil 3 x 2 Irã
Brasil 0 x 3 Irã
Irã 3 x 2 Brasil
Irã 2 x 3 Brasil
Polônia 3 x 1 Brasil
Polônia 0 x 3 Brasil
Itália 1 x 3 Brasil
Itália 1 x 3 Brasil

Fase final
Rússia 1 x 3 Brasil
Irã 3 x 1 Brasil
Itália 0 x 3 Brasil

globoesporte

Mortos por tufão nas Filipinas passam de 10

Veículo atravessa estrada repleto de pedaços de árvores que caíram em Manila, nas Filipinas (Foto: Erik De Castro/Reuters)
Veículo atravessa estrada repleto de pedaços de árvores que caíram em Manila, nas Filipinas (Foto: Erik De Castro/Reuters)

Pelo menos 13 pessoas morreram durante a passagem do tufão Rammasun nas Filipinas, que atingiu a metade norte do país com rajadas de vento de até 250 km/h, informaram nesta quarta-feira (16) as autoridades locais. O número de mortos pode subir.

O Rammasun, que em tailandês quer dizer “Deus do Trono”, entrou na terça-feira (15) à noite pelo Oceano Pacífico con ventos de 250 quilômetros e devastou pequenos vilarejos pesqueiros no leste das Filipinas. Depois perdeu um pouco de força e cruzou a ilha principal do arquipélago, Luzon.

De acordo com as autoridades, uma mulher de 25 anos morreu na noite desta terça-feira (15) na província de Samar do Norte, no leste do país, após ser atingida por um poste da rede elétrica, enquanto um homem de 49 anos morreu em Bulacan, no norte, esmagado por uma árvore.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além disso, três pessoas morreram após serem atingidas por diferentes objetos em Cavite, no nordeste do país, entre eles um bebê de 11 meses e um idoso, enquanto outras três, membros da mesma família, morreram após a queda de um muro na província de Quezón, também no nordeste.

O órgão não deu mais detalhes sobre o restante dos mortos pelo tufão, batizado pelas autoridades filipinas como Glenda, e que deixou o país às 12h locais.

Adultos e adolescentes tentam se proteger dos ventos do tufão segurando em uma árvore na capital Manila. (Foto: Romeo Ranoco / Reuters)Adultos e adolescentes tentam se proteger dos ventos do tufão segurando em uma árvore na capital Manila. (Foto: Romeo Ranoco / Reuters)

Cerca de 450 mil pessoas deixaram suas casas e buscaram abrigo em acampamentos e centros do governo, segundo o Ministério do Bem-Estar Social e Desenvolvimento.

Além disso, 5 milhões de lares estão sem fornecimento de energia elétrica por causa dos problemas causados pelo tufão nas instalações da companhia elétrica Meralco.

O Ministério de Obras Públicas e Estradas do país informou que, até o momento, não ocorreram inundações em Manila, onde as autoridades decidiram fechar, de forma preventiva, seus escritórios e a Bolsa de Valores, além de suspender as aulas em todos os centros educativos.

Tufão ergueu e jogou barco em área da Baía de Baseco. (Foto: Romeo Ranoco / Reuters)Tufão ergueu e jogou barco em área da Baía de Baseco. (Foto: Romeo Ranoco / Reuters)

Várias regiões do país ficaram sem fornecimento de energia, entre elas o distrito financeiro de Makati, onde a queda de árvores causou danos à rede elétrica.

O tufão tem cerca de 500 km de diâmetro e chegou ao litoral do país na tarde de terça. Está previsto que o sistema de baixa pressão deixe o arquipélago ao meio-dia, mas, ao longo do dia, as intensas chuvas devem continuar no sul da ilha de Luzon, onde se encontra Manila.

O Rammasun chegou às Filipinas enquanto o país ainda se recupera dos danos causados por outro tufão, o Haiyan, que em novembro do ano passado causou 6,3 mil mortes e deixou mais de mil desaparecidos, além de aproximadamente 28,7 mil feridos.

A temporada de tufões nas Filipinas, que começa geralmente em junho e termina em novembro, atrai todos os anos entre 15 e 20 ciclones ao país.

 

G1

Viúva de Amarildo está desaparecida há mais de 10 dias, diz família

amarildoQuase um ano após o desaparecimento de Amarildo de Souza, familiares agora estão a procura da viúva do ajudante de pedreiro. Segundo parentes, Elizabeth Gomes da Silva vinha apresentando sintomas de depressão nos últimos meses. “De um tempo para cá ela vinha falando muito do meu tio. Voltou a beber e a usar drogas”, afirmou a sobrinha Michele Lacerda, de 27 anos.

Amarildo sumiu após ser retirado de casa e levado à sede da UPP da Rocinha por PMs da unidade. De acordo com o inquérito policial, 25 são acusados pelos crimes de tortura, ocultação de cadáver, fraude processual e formação de quadrilha. Entre esses, 12 estão presos e 13 respondem processo em liberdade.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em função de tudo que a família passou no último ano, eles optaram por não registrar o desaparecimento de Beth na delegacia e pedir ajuda de outros órgãos. “A polícia poderia ajudar, ou não. Somos uma família marcada. Preferimos não arriscar”, destacou Michele.

Beth desapareceu no último dia 30 depois de sair de casa e não voltar mais. “Já fomos em casa de amigos que ela poderia estar, chegamos a pensar que ela pudesse ter ido para a casa da mãe em Natal. Ligamos com muito tato, pois ela já é idosa, mas a tia Beth não chegou lá. Depois de alguns dias começou a bater o desespero”, afirmou Michele, destacando que em outros momentos em que a tia teve problema com o vício ela chegou a desaparecer, mas nunca por mais de um dia e que sempre ficava na própria comunidade.

G1

Paraíba reduz em 10% número de assassinatos, mas ainda registra média de 119 homicídios por mês

HomicídiosA Paraíba reduziu em 10,2% o número de assassinatos durante os cinco primeiros meses deste ano. Porém, apesar disso, o estado ainda tem registrado uma média de 119,2 homicídios por mês, já que de janeiro até maio foram 596 crimes que resultaram em morte, segundo dados da Secretaria de Segurança. Nos mesmo período do ano passado aconteceram 664 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte.

Ao todo, 44 mulheres foram assassinadas durante esses cinco meses, o que representa uma média de 8,8 mulheres mortas violentamente. De janeiro a maio do ano passado esse número chegou a 64. Significa uma redução de 31%.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os dados do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds) foram apresentados durante reunião de monitoramento com gestores da pasta, presidida pelo governador Ricardo Coutinho.

Os dados da Seds ainda apontam que, entre os 17 estados que divulgam seus dados referentes ao registro de assassinatos, a Paraíba é um dos que mais reduziu esse tipo de ocorrência em seu território este ano.  Mato Grosso do Sul, por exemplo, registrou nos cinco primeiros meses de 2014 um aumento de 17,2% no número de CVLI. Já no Nordeste, Pernambuco apresentou em quatro meses um crescimento de 3,4% em quantidade de CVLI, e nos cinco meses os registros no Maranhão subiram 25,1%, por exemplo. No Ceará o aumento é de 15,4%.

O governador Ricardo Coutinho, que acompanhou a reunião de monitoramento realizada no Segundo Batalhão de Polícia Militar, na cidade de Campina Grande, destacou o trabalho realizado nas Áreas Integradas de Segurança Pública. “Todos os meses sentamos com todos os comandantes das Áreas Integradas de Segurança Pública. A nossa presença representa a responsabilidade com a qual o governo trata a política de segurança deste estado. E nós estamos aqui hoje para debater muitas coisas”, afirmou o governador, que ressaltou a redução dos homicídios na cidade de Campina Grande no mês de maio. “A cidade que mais reduziu o número de homicídios foi Campina Grande, que registrou uma queda de mais de 40% em relação ao mês de maio, o que representa que estamos no caminho correto, mas mostra que muito ainda precisa ser feito”, destacou.

O secretário da Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, ratificou que os dados apresentados apontam que o trabalho efetuado pelos órgãos operativos da pasta está no caminho certo. “Desde dezembro registramos redução em relação ao mesmo período do ano anterior e em Campina Grande, por exemplo, são sete meses da mesma forma. Em relação aos CVP vamos intensificar a presença de policiais nas ruas, com ações específicas previstas em nosso plano operacional. No mês de junho, foi feito um esquema especial por conta do São João em todo o Estado”, salientou.

Blog do Gordinho com Secom-PB

Governo do Estado antecipa para 10 de junho pagamento da metade do 13º salário dos servidores

13 salarioO Governo do Estado antecipou para o dia 10 de junho o pagamento da metade do 13º salário dos servidores da administração direta e indireta. No programa semanal “Fala Governador” desta segunda-feira (2), o governador Ricardo Coutinho comentou que a Paraíba tem uma tradição forte nos festejos juninos e que este ano também acontece a Copa do Mundo de Futebol.

“O Estado só paga outras contas quando odinheiro da folha de pessoal está garantido. Acho fundamental esse pagamento antecipado do 13º salário dos servidores porque de certa forma é um reinvestimento na própria economia. O pagamento será feito em função da Copa do Mundo, que começa dia 12 de junho, e dos festejos juninos”, explicou o governador.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nos anos anteriores, essa primeira parcela do 13º salário era paga no dia 20 de junho.

 

 

por Michele Marques

 

Nordeste lidera ranking da morte e vê assassinatos dobrarem em 10 anos

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Em uma década, o Nordeste viveu uma explosão no número de assassinatos, o que tornou a região líder em números absolutos e taxa de homicídios no país. Os dados são do Mapa da Violência 2014, divulgado na semana passada, que revelou casos entre os anos de 2002 e 2012.

Nesse mesmo período, os homicídios na região cresceram 10 mil, mesmo índice do Sudeste, onde, em vez de crescer, o número caiu. Em 2012, foram assassinadas na região 20.960 pessoas, quase o dobro de 2002, quando foram 10.947 mortes.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Migração Sudeste-Nordeste

Em 2002, o Sudeste concentrava 55% dos homicídios do país. Dez anos depois, esse percentual caiu para 30%. Já no Nordeste houve uma curva inversa. Em uma década, o percentual de crimes na região saltou de 22% do total nacional para 37%, se tornando a região com mais mortes.

Além disso, o Nordeste é atualmente a região com a maior taxa de homicídios: 38,9 para cada 100 mil habitantes. O índice é similar ao da Guatemala, quinto país mais violento do mundo, segundo estudo da ONU (Organização das Nações Unidas).

No Brasil, a taxa é 29 por 100 mil na média do país. No Sudeste, a taxa em 2012 era de 21 para cada 100 mil.

Nesses 10 anos, os maiores crescimentos de taxa de homicídios no país ocorreram justamente no Nordeste: no Rio Grande do Norte e na Bahia, que mais que triplicaram o crescimento –229% e 221,6% a mais, respectivamente.

Pernambuco –então líder de violência no início do século– foi o único dos nove Estados que reduziu a taxa de homicídios, com queda de 39%.

Com as altas taxas, hoje, quatro dos seis Estados mais violentos do país estão no Nordeste: Alagoas (taxa de 64,6 para cada 100 mil), Ceará (44,6), Bahia (41,9) e Sergipe (41,8). Completam a lista de mais violentos Espírito Santo (47,3) e Goiás (44,3), segundo e quarto colocados, respectivamente.

Estados com alta nas mortes
229,1%

Foi o aumento

no total de homicídios no Rio Grande do Norte

221,6%

Foi o aumento

no total de homicídios na Bahia

162,4%

Foi o aumento

no total de homicídios no Maranhão

Fonte: Mapa da Violência 2014

Dois fenômenos

Para o autor do estudo do Mapa da Violência, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, a violência no Nordeste aconteceu devido a dois fenômenos paralelos.

“Primeiro houve no país uma mudança no modelo econômico altamente concentrador em unidades como São Paulo e Rio. Isso foi esgotando, e novos polos de desenvolvimento foram surgindo, levando riquezas a esses Estados”, explicou.

O segundo ponto explicado por Waiselfisz é o modelo político de combate à violência, no início dos anos 2000, com enfoque nos Estados mais violentos.

“Em 2000, foi promulgado o primeiro plano nacional de segurança e criado fundo nacional de segurança. O governo federal começou a mandar recursos para os mais violentos, como São Paulo, Rio e Pernambuco. Chegou-se à conclusão de que deveriam se investir muitos recursos para esses Estados, que melhoraram o aparelho de segurança. Assim Rio, São Paulo e Pernambuco começaram a reduzir [os índices]”, disse.

Para o sociólogo, na mesma medida em que esses Estados fortaleceram suas polícias, os outros com menos recursos acabaram se tornando vítima de um fenômeno que chama de “interiorização da violência no país”, iniciada a partir de 2002.

“O que houve no Brasil foi uma migração do crime para o Nordeste, mas não só para lá. Estados como Goiás, Pará e Amazonas, por exemplo, eram tranquilos e tiveram crescimentos significativos”, disse.

Uol

TSE decide que PB terá 30 deputados estaduais e 10 federais em 2015

tseO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira (27) derrubar o Projeto de Decreto Legislativo 1.361/13, aprovado pela Câmara dos Deputados em novembro do ano passado, que anulou a resolução do tribunal sobre o número de deputados de cada estado para as eleições de outubro. Com a decisão, fica mantida a mudança na representação de 13 estados. assim, a Paraíba deverá ter 30 deputados estaduais e 10 federais em 2015.

Por unanimidade, os ministros entenderam que as mudanças deveriam ter sido aprovadas por meio de lei complementar e não por decreto legislativo. Conforme decisão original do TSE, definida em abril do ano passado, perderão uma cadeira: Alagoas, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Duas cadeiras: Paraíba e Piauí. Ganharão uma cadeira: Amazonas e Santa Catarina. Duas cadeiras: Ceará e Minas Gerais. O maior ganhador de cadeiras na Câmara é o Pará, que terá mais quatro deputados.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Durante o julgamento, o presidente do TSE, Dias Toffoli, afirmou que a Câmara não poderia suspender os efeitos da regra do TSE alegando invasão da competência legislativa. “Somente uma nova lei complementar ou decisão jurisdicional que declarasse inconstitucional esse dispositivo poderia subtrair do TSE a competência que o Congresso lhe deu”, afirmou.

A nova composição das bancadas foi definida de acordo com o Censo de 2010. Os cálculos levam em conta a população do estado e a quantidade mínima (8) e máxima (70) de parlamentares permitidos por lei para uma unidade da federação, além do quesito da proporcionalidade exigido pela Constituição.

A decisão do tribunal foi tomada com base no questionamento apresentado pela Assembleia Legislativa do Amazonas. A casa alegou que a representação populacional do estado na Câmara já não condizia com a realidade, pois tinha como referência um censo defasado. Sustentou, ainda, que estados com menor população, como Alagoas e Piauí, tinham mais representatividade na Câmara: com nove e dez deputados federais, contra oito do Amazonas.

A mudança na composição das bancadas, definida em processo administrativo, é contestada no Supremo Tribunal Federal (STF) por cinco ações de inconstitucionalidade impetradas pelos estados de Pernambuco, do Espírito Santo, Piauí e pela Assembleia Legislativa e o governo da Paraíba.

Agência Brasil

Câmara aprova extinção de dívidas de até R$ 10 mil de assentados da reforma agrária

reforma agrariaA Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (21) medida provisória que extingue dívidas de até R$ 10 mil de assentados da reforma agrária com a União. O perdão vale para créditos de instalação obtidos no âmbito do Programa de Crédito de Implantação, que prevê financiamento para compra de materiais de construção e insumos para a produção de alimentos nos assentamentos.

O restante da dívida, que exceder R$ 10 mil, poderá ser renegociada com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Pela MP, o valor excedente será atualizado à taxa de 0,5% ao ano a partir da data da concessão até a data da liquidação. Haverá ainda desconto de 80% sobre o saldo devedor total, observado o limite de R$ 12 mil.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A proposta permite ainda à União transferir recursos não reembolsáveis ao Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA) com o objetivo de permitir a instalação das famílias.

A MP também perdoa dívidas de até R$ 10 mil de operações de crédito rural do Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária (Procera), criado em 1985 para conceder financiamento a pequenos produtores assentados, visando estimular o aumento da produção agrícola. A votação do texto foi acompanhada no plenário por famílias de assentados, que ocuparam as galerias da Câmara.

Refis

O plenário aprovou ainda a Medida Provisória 638/2013 que amplia o chamado Refis da Crise- programa de parcelamento de débitos tributários- para dívidas que venceram até 30 de junho de 2013.

O texto, que agora segue para o Senado, prevê que o devedor, com dívida até R$ 1 milhão, pague 10% do valor total ao aderir ao Refis. Se a dívida for acima de R$ 1 milhão, a empresa deverá pagar 20%, em até cinco parcelas, na adesão ao programa.

Importação de álcool

O plenário da Câmara também aprovou a Medida Provisória 634/2013 que isenta os importadores de álcool anidro do pagamento de PIS/Pasep-importação e Cofins-importação até 2016. A medida, que vai ao Senado, vale para os casos de importação de álcool combustível e de limpeza, por exemplo.

Após 2016, os importadores deverão pagar os tributos de acordo com o volume do produto negociado. Atualmente, os importadores podem optar pela tributação de acordo com a receita ou com a unidade de volume do álcool.

G1

Suíços rejeitam salário mínimo de R$ 10 mil

suicaResultados iniciais sugerem que a Suíça rejeitou, em referendo, uma proposta  para criar o maior salário mínimo do mundo, uma ideia que o governo e lideranças dos negócios criticaram como uma proposta que poderia levar os altos custos do país a patamares ainda mais elevados.

A TV suíça informou neste domingo (18), com base em contagem de votos não oficial,  que a ideia de criar um salário mínimo de 22 francos suíços – US$ 24,70 ou R$ 54,60 – por hora foi rejeitada em todos os 26 cantões (equivalentes a Estados) do país, por 76,3% dos votos ante 23,7% a favor.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O pedido do exército para gastar de gastar 3,1 bilhões de francos suíços (US$ 3,5 bilhões ou R$ 7,7 bilhões) para comprar novos caças Gripen, da Saab, foi derrotada por uma margem apertada, com 53,4% contra e 46,6% a favor da aquisição.

Numa conferência na capital da Suíça, Berna, membros do Conselho Federal – composto de sete ministros, o que inclui o presidente – confirmaram os resultados. Eles comemoraram a rejeição do salário mínimo.

“Um salário fixo nunca foi uma forma de combter o problema [da pobreza]”, disse o ministro da Economia, Johann Schneider-Ammann. “Se a iniciativa tivesse sido aceita, teria levado à perda de postos de trabalho, especialmente em áreas rurais onde gente menos qualificada têm dificuldade de encontrar emprego. O melhor remédio contra a pobreza é trabalho.”

Mulher entra em local de votação em Berna, capital da Suíça (18.5.14). Foto:

A proposta teria eclipsado os maiores salários mínimos do mundo, que vigoram em outros locais da Europa. Organizações sindicais apoiaram-na como uma maneira de combater a pobreza num país em que tem alguns dos preços mais altos e das cidades mais caras do mundo.

Pesquisas de opinião, entretanto, indicaram que muitos votantes estavam ao lado do governo e dos líderes de negócios, que argumentavam que a medida causaria perda de empregos e de competitividade da economia.

Atualmente, a Suíça não tem salário mínimo, mas o salário médio por hora fica em 33 francos – US$ 37, ou R$ 81.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que organiza dados dos salários mínimos de acordo com o poder de compra (PPP, na sigla em inglê), coloca como maiores salários mínimos do mundo os de Luxemburgo, de US$ 10,66 (R$ 23,55); França, de US$ 10,60 (R$ 23,43); Austrália, de US$ 10,21 (R$ 22,56); Bélgica, de US$ 9,97 (R$ 22,04); e Holanda, de US$ 9,48 (R$ 20,95). O salário mínimo dos Estados Unidos, de US$ 7,11 (R$ 15,71), é o décimo da lista.

Ajustado pelos preços do país, a OCDE diz que a proposta de salário mínimo da  Suíça teria representado cerca de US$ 14 (R$ 30,95) por hora baseado numa semana de 42 horas de trabalho.

País impedirá pedófilos de trabalhar com crianças

O ministro da Defesa da Suíça, Ueli Maurer, que havia feito pressão a favor do Gripen, reconheceu que o voto expõs  as “diferenças” no nível de apoio pelo mundo que teria de ser administrado em razão do “vazio que será criado em nosso país em termos de segurança aérea.”

Os votantes ainda tiveram de decidir sobre outras duas propostas neste domingo (18), resultado do sistema de comando popular único da Suíça que se exprime em um sem-fim de referendos propostos pelos cidadãos, um governo federal fraco e governos estaduais fortes.

Uma iniciativa para emendar a constituição do país e impor um impedimento para o resto da vida de que pedófilos condenados possam trabalhar com crianças ganhou apoio de 63,5% dos votantes, ante 36,5% contrários.

A ministra da Justiça Simonetta Sommaruga disse que o voto enviou uma mensagem clara de preocupação com a proteção das crianças contra abuso sexual. Ela expressou preocupação, entretanto, com o fato de que a mudança obrigará um banimento “automático e sem distinção” entre molestadores de crianças e jovens que dormem com namoradas menores de idade.

Uma reforma médica para promover apoio constitucional para médicos de família em áreas rurais ganhou o apoio de 88% dos votantes.

AP