Sindicato alertou sobre risco de manobra fatal no Itaquerão

Publicado em quinta-feira, novembro 28, 2013 ·

TOPSHOTS-FBL-WC2014-STADIUM-ACCIDENTNesta quinta-feira (28), Antonio de Sousa Ramalho, presidente do Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Civil de São Paulo), revelou que a entidade alertou sobre o risco das obras no Itaquerão antes do acidente fatal que matou dois operários na quarta-feira (27).

— O técnico de segurança veio ontem dar o alerta de que algo errado estava acontecendo. A base de sustentação não era suficiente para aquela torre. Não sei que tipo de sinais eram esses. Pode ser terra cedendo, precipitação… Eu não sei. Esse alerta foi feita pelo técnico de segurança às 8h.

Funcionário diz que engenheiro de segurança vetou obra na Arena Corinthians

Apesar da morte de dois operários, o presidente do Sintracon lembrou que a tragédia poderia ter sido ainda maior caso não fosse horário de almoço.

— Tivemos duas sortes aqui, lamentavelmente as mortes. A primeira era horário de almoço e as pessoas estavam almoçando. A outra é que o operador percebeu o barulho, ele já deu o sinal de que algo errado estava acontecendo.

Ramalho revelou que era comum denúncia contra os abusos nas obras do Itaquerão. Porém, a paixão de muitos trabalhadores pelo Corinthians complicavam uma investigação.

— Sempre havia denúncias aqui, mas aqui também era uma grande festa. Como a maioria era corintiano, trabalhava 14 horas por dia. Mas o pessoal aqui trabalhava muito feliz, fazia churrasco, além de ganhar muito bem.

O presidente do Sintracon revelou que o sindicato vai pedir uma indenização de R$ 50 mil para as famílias das vítimas do acidente no Itaquerão.

— Indenização de R$ 50 mil, mas a família pode entrar com ação de dano devido à função e a idade da pessoa e pode chegar a R$ 800 mil. Só a família pode pedir isso. O sindicato não pode.

A Odebrecht se posicionou sobre o caso:

“A Odebrecht Infraestrutura reforça que atua rigorosamente seguido a legislação trabalhista e em total respeito às normas de segurança. A empresa informa que a jornada de trabalho é horário regulamentar mais duas horas extras firmadas em comum acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil Pesada, com quem mantém diálogo permanente”.

r7

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627