Servidores das universidades aguardam proposta e greve pode terminar na semana que vem

Publicado em quinta-feira, junho 30, 2011 ·

ufpbA Fasubra (Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras) está aguardando, desde a última reunião no dia 16 de junho com o ministro da Educação Fernando Haddad, um documento com uma possível proposta atendendo as reivindicações da categoria. Na próxima terça-feira (5) está marcada uma reunião entre o comando de greve nacional e a ministra do Planejamento, Desenvolvimento e Orçamento, Miriam Belchior.

Segundo o coordenador da Fasubra na Paraíba, Marcelino Rodrigues, eles esperam receber o documento até o dia da reunião e, caso exista uma proposta, o final da greve pode ser sinalizado na semana que vem.  “Mas nós queremos uma proposta concreta e clara, se vai aumentar orçamento, quanto? Vai aumentar o piso, quanto? Se for só enrolação, continuamos com a greve”, declara.

Rodrigues lembra que as reivindicações dos servidores estão em pauta desde novembro do ano passado e que eles já passaram por um longo período de negociações, mas sem resultado. “Agora eles querem que a gente volte ao trabalho para negociar, mas isso não vai acontecer”, diz.

O coordenador informou que no mesmo dia da reunião com a ministra do Planejamento, haverá um ato de protesto em conjunto com todos os servidores das universidades federais de todo o país. O comando da greve na Paraíba ainda está se decidindo se o ato será na própria UFPB ou no Cetro da Cidade de João Pessoa. Segundo Rodrigues, o protesto será realizado com carros de som e panfletagem.

Em 14 dias de greve (o movimento começou no dia 6) as 46 Universidades Federais brasileiras paralisaram. “Esse número foi confirmado no dia 20. Com 100% dos campi em greve mostra que é grande a irritabilidade do setor com a intransigência do Governo de Dilma Rousseff (PT)”, opinou Rodrigues. Na Paraíba, quase 70% dos servidores da UFPB e UFCG estão paralisados, inclusive nos Hospitais Universitários.

A pauta – As reivindicações conforme foi divulgado no site da FASUBRA: “Nesta Campanha Salarial Emergencial 2011 os trabalhadores (as) reivindicam reajuste salarial, piso de três salários mínimos e step 5%, racionalização de cargos, reposicionamento de aposentados, mudança no Anexo IV (incentivos de qualificação), devolução do vencimento básico complementar absorvido, isonomia salarial e de benefícios, contra a terceirização, revogação da Lei nº 9.632/98, abertura imediata de concursos públicos para substituição da mão de obra terceirizada e precarizada em todos os níveis da carreira para as áreas administrativas e dos HUs e extensão das ações jurídicas transitadas e julgadas.”

Pedro Callado

Paraíba.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627