Saiba como prevenir seu cãozinho da otite canina

Publicado em quinta-feira, Fevereiro 13, 2014 ·

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Presenciar um cão coçando as orelhas não é algo incomum. No entanto, quando essa coceira é prolongada e acompanhada por sinais de muito desconforto do seu pet, é bom ficar atento: pode ser otite canina. Causada por uma série de fatores, que vão desde uma predisposição genética até a falta de higiene na região, a otite canina é uma doença bastante incômoda para os cachorros e deve ser prevenida, já que pode trazer algumas consequências graves.

 

Em uma descrição simples, a otite canina consiste em uma inflamação que, quando desenvolvida, pode causar coceira, dor e até a perda da audição do cãozinho se não tratada de maneira rápida e adequada. Embora haja muitos fatores que possam desencadear a otite, as causas mais comuns para esta doença são a presença de bactérias, fungos e parasitas na região auricular do cão – provocada, na maioria das vezes, pela falta de higiene adequada.

 

Entretanto, há alguns cães que contam com características genéticas que podem influenciar no aparecimento da doença, como orelhas longas, caídas e cheias de pelos, como as raças Cocker Spaniel, Dachshund, Golden Retriever, Basset Hound, Teckel, Setter Irlandês, Labrador e Pastor Alemão. Em alguns casos mais pontuais, os cães também podem contar com uma produção de cera fora dos padrões normais, e este é outro fator que contribui bastante para o aparecimento da otite.

 

Os sintomas da doença são bem característicos e fáceis de ser identificados, incluindo coceiras constantes nas orelhas e secreções de cor amarelada – com ou sem pus – nos ouvidos, acompanhadas de um odor bem forte ou mau cheiro. Vermelhidão, aparecimento de crostas, escurecimento, inchaço, ferimentos e dor forte na região também são grandes indicativos da doença, sendo que o cão também pode chegar a perder sua audição.

 

A melhor forma de prevenção da otite canina é a higienização constante da área dos ouvidos dos cachorros – que deve ser feita semanalmente e com o uso de algodão e loções especiais para limpeza, já disponíveis no mercado. É importante lembrar que, nessa hora, você jamais deve tentar limpar a parte interna com instrumentos como cotonetes, por exemplo, pois isso pode acabar machucando o animal.

 

Manter as orelhas do cachorro bem secas e longe da umidade é outra boa medida para prevenir a otite canina. Portanto, na hora do banho, use um algodão para tampar os ouvidos do cachorro e, quando for deixar água para que ele beba, escolha uma tigela mais estreita – pois o animal pode acabar molhando as orelhas na hora de matar a sede, e essa umidade torna a região perfeita para a proliferação de fungos.

 

No caso dos cães com orelhas peludas, a tosa higiênica também é altamente recomendada – retirando o excesso de pelos que acumulam sujeiras e umidade da região das orelhas e tornando o aparecimento da otite mais difícil.

 

Matéria validada pelo Dr. Ricardo Tubaldini (CRMV – SP 23.348), Médico Veterinário formado pela Universidade Paulista e Cirurgião Geral e Ortopedista em Hospital Veterinário de São Paulo. Dr. Tubaldini é Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato.

 

 

Terra

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627