Reitor da UEPB admite impossibilidade de pagamento de dívida na PBPrev

Publicado em quarta-feira, julho 11, 2018 ·

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Rangel Junior admitiu, nesta quarta-feira (11), durante entrevista à Rádio Arapuan FM, que não fez o repasse para o pagamento de dívidas com a PBprev. Júnior afirmou, todavia, que a instituição não cometeu nenhum ato irregular de caso pensado e citou que a autonomia da universidade “é de fachada”

A polêmica envolvendo a questão em torno da dívida que a UEPB tem com a PBPrev segue sem solução e segundo o anúncio do reitor, a tendência é que o caso continue sem solução, “a UEPB não terá como pagar a PBPrev”

Ele informou ainda que o atraso no pagamento se dá por cortes que o próprio governo realizou nas verbas destinadas a instituição. “A dívida existe. Não pagamos e não temos como pagar por falta de recursos”, explicou.

– Nós não temos condição de pagar um recurso, uma dívida, para a qual a UEPB não tem a disponibilidade do recurso do governo do Estado. O governo do Estado passou a mão em R$27 milhões da universidade. O governo do Estado cancelou em 2017, sem aviso prévio, o orçamento sem nenhuma justificativa – disse.

Segundo o assessor jurídico da PBPrev, a instituição está devendo R$ 4.747.00 mil referentes a cota patronal de dezembro 2017.

ENTENDA O IMPASSE

O governo do estado entrou com uma ação na Justiça contra o reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Rangel Júnior, por apropriação indevida de recursos da PBPrev.

A UEPB deve quase R$ 5 milhões a PBPrev, fazendo, inclusive, com que a Paraíba corra o risco de perder o certificado de regularidade previdenciária, ao ponto de não poder receber recursos da União. O dinheiro deveria ser recolhido na folha diretamente para a PBPrev, mas o reitor da UEPB não repassou o dinheiro.

Em entrevista à Rádio Arapuan, o reitor Rangel Júnior confirmou o débito, mas disse que a ação do governo se confronta com uma ação ingressada há quase dois meses pela instituição tentando garantir que o governo do estado faça os devidos repasses do duodécimo, que chega a R$ 27 milhões, à UEPB para que, dessa forma, ela pague a PBPrev.

“Essa situação irregular é provocada pelo descumprimento do repasse de recursos por parte do governo do estado. A UEPB não produz recursos. A UEPB é um ente do estado que só pode executar no orçamento aquilo que a Sefin (Secretaria de Finanças ) autoriza”, ressaltou Rangel Júnior.

PB Agora

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS









INFORMA BREJO


INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627