Ramalho Leite – Roberto Carrefour

Publicado em domingo, julho 17, 2011 ·

ramalho

Se fosse possível eu aconselharia o nosso estimado Roberto Santiago a mudar seu nome para Roberto Carrefour. Com a marca francesa, talvez seus empreendimentos fossem melhor acolhidos. Oriundo ali de Santa Rita, onde bota a cabeça, querem cortá-la. É o nosso complexo de vira-lata. Os de casa não podem crescer mas os de fóra sempre são bem recebidos.

Responsável por um dos maiores empreendimentos comerciais da Paraíba e um dos maiores contribuintes individuais do Imposto de Renda, o construtor do Manaira Shopping cresceu no trabalho. Seu centro comercial cobriu um curso de água fedorento que banha a “ bem comportada” comunidade São José e por isso, teve que enfrentar uma batalha. Para compensar o “crime ecológico” construiu uma creche e patrocinou  aquela iluminação feérica que transforma a nossa orla em um dia durante a noite.

O nosso visitante francês estendeu sua ação para o Conjunto dos Bancários. Invadiu as calçadas e as transformou em acesso ao seu edifício. Se alguém reclamou o eco foi pequeno e desapareceu logo das ondas de rádio ou das páginas da internet.

Um cliente passou mal e morreu na calçada do Manaira. A mídia chegou perto de acusar o dono da casa de homicídio culposo. Um cidadão morreu na fila do Banco do Brasil. Seria o caso de responsabilizar o gerente? Só não ouvi qualquer reclamação quando o empresário, por sua conta e risco, ampliou o Retão de Manaíra e construiu a praça lateral. A cidade gostou, mas ninguém agradeceu.Um bando de ingratos.

Lembro que nos anos 1970 o poder público desapropriou várias casas na Praça Castro Pinto para que ali fosse instalado o primeiro Supermercado  da Paraiba, o Bom Preço, oriundo das plagas pernambucanas.  Não houve protesto. A opinião pública só avistou os empregos e os benefícios advindos do investimento.

Uma missão permanente e prioritária de governantes é a de gerar emprego e renda. O ex-governador Cassio Cunha Lima ao conceder incentivos fiscais e facilidades legais para atrair investidores costumava dizer: a minha vida é comprar emprego! Pois é isso, qualquer esforço é bem vindo para que se promova o desenvolvimento.

A troca de um terreno proposta pelo Estado é válida e vantajosa. Financeira e socialmente. Financeiramente por que a diferença de preço será compensada satisfatoriamente, e socialmente, em função do numero de empregos que o novo Shopping que se quer fazer em Mangabeira haverá de gerar. Sem falar na construção dos novos equipamentos da Segurança Pública, o  que agregará centenas de trabalhadores durante sua edificação.Em qualquer lugar do mundo só seriam ouvidos aplausos.

O problema é que no meio está Roberto Santiago. E sendo um paraibano de sucesso, a inveja grassa e a maledicência permeia a cabeça dos inimigos do governo. As viúvas do passado tentam criminalizar todas as ações do governo, por mais corajosas e transparentes que sejam, só para  divergir e, com isso, poder captar dividendos eleitorais. Macaco nunca olha pro seu rabo…

RAMALHO LEITE

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627