Ramalho Leite – Meus “colegas” mensaleiros

Publicado em quinta-feira, outubro 11, 2012 ·

 

Estava à procura de alguns documentos, quando encontrei, bem dobrada em um envelope, a Lista de Presença da Câmara do Deputados referente ao ano de 1993. Nesse período estive deputado, pela segunda vez, em substituição a Ivan Burity. Na primeira oportunidade, Ulisses Guimarães ainda pontuava entre seus pares, colhendo os louros da Constituição Cidadã. Nesta lista, ele não mais está relacionado ao lado de Miguel Arraes, Aloisio Alves, José Serra, Geraldo Alkmin, Delfim Neto , Roberto Campos, Roberto Freire, Aloísio Mercadante ou Aldo Rebelo, entre outros menos famosos. Posso escrever que fui colega dessas ilustres figuras da Republica que, diga-se de passagem, não me conhecem. A exceção seria Roberto Freire, Lider do Governo Itamar Franco e hoje presidente do meu partido.

Se me ufano da contemporaneidade congressual dos citados acima, por outro lado tenho a revelar que convivi com muitos dos famosos mensaleiros, à época,  não tão famosos, mas já destacados parlamentares, entre os quais a estrela maior José Genuíno. Este eu encontrava a cada metro cercado de repórteres e de microfones.Depois  Presidente do PT, o ex-guerrilheiro do Araguaia e mais recentemente assessor do Ministério da Defesa  era vizinho de José Dirceu na lista de presença e agora, ambos condenados por corrupção ativa. Quem tinha um vizinho indesejado na listagem era o economista Roberto Campos, uma linha cima de Roberto Jefferson, ambos deputados pelo Rio da Janeiro e o ultimo responsável pelo desencadear do maior escândalo político do Brasil, desde a carta de Caminha até a Carta de Ulisses.

O chamado Escândalo do Mensalão, ação ilícita que visava remunerar parlamentares aliados para engordar a bancada governista com votos suficientes para aprovação de matérias não consensuais, segundo o Supremo Tribunal Federal, envolve, ainda, alguns parlamentares com os quais tive assento na Câmara, a exemplo de Pedro Correia(PE) e Valdemar Costa Neto(SP). João Paulo, ex-presidente da Casa, chegaria na legislatura seguinte.

Quando cheguei à Camara, o presidente era o Ibsen Pinheiro(RS) que, juntamente com todo esse elenco que hoje ocupa a telinha da TV Justiça e eleva a pop star um Ministro do Supremo, ainda comemorava a derrubada do Governo Collor e festejava a descoberta das ações subterrâneas de PC Farias. Pouco tempo depois, o próprio Ibsen, que se diz vitima de equivoco, mais Genebaldo Correia, então Lider do PMDB, protagonizaram com João Alves(BA) e uma raia miúda, o chamado escândalo dos Anões do Orçamento.

Qual será o próximo? Essa gente não aprende…

RAMALHO LEITE

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627