Ramalho Leite – A quem servem os pardais?

Publicado em domingo, novembro 25, 2012 ·


Pardal- nome genérico dado a pequenos pássaros da família Passeridae, gênero Petronia.Os pardais são aves cosmopolitas e adaptam-se bem a áreas urbanizadas e à convivência com seres humanos”

O pardal que conhecemos, é o doméstico, predador e invasor, empestam ruas e residências com seus ninhos. É a espécie com maior distribuição geográfica e aportou por estas plagas no início do século passado, segundo o Wikipédia. Deve ter sido em função das características da ave, que apelidaram de pardal os controladores de velocidade eletrônicos que a cada dia proliferam nas avenidas e rodovias. É sobre esse tipo de pardal e seus semelhantes redutores de velocidade que quero falar nesse espaço que A União me concede e alguns poucos leitores me honram com sua leitura.

Antes dos pardais, surgiram as lombadas, as valetas e os tachões, também chamados de quebra-molas, conhecidos de todos e que ainda convivem com seus similares modernos. A surpresa que podem causar ao motorista, indicam também a possibilidade de avarias materiais ao veículo e por vezes, têm causado acidentes fatais. A falta de manutenção da sua pintura incandescente é a principal causa de sinistros, além da sua construção fora das normais recomendadas.

Alguém pensou: recomendadas por quem? Isso mesmo. Também pensei que as lombadas eram produto do arbítrio local para atender a protestos de moradores das margens das estradas. Engano meu e de muitos. Há uma resolução do Conselho Nacional de Transito ( R567/80)disciplinando o assunto. Se surpreendam mais: esses redutores de velocidade não podem ser construídos em rodovias. Quem viaja sabe que as autoridades rodoviárias esqueceram esse detalhe. Aos poucos, porém, começam a substituir as lombadas mal construídas por modelos eletrônicos.

As lombadas eletrônicas são visíveis e como seus irmãos, os pardais, estes escondidinhos, podem ser  ajustados para uma velocidade menor do que a exibida. Assim, mesmo que o motorista passe abaixo da velocidade permitida,  será fotografado com se estivesse acima.Essa adulteração, fácil  de ser detectada, serve à prestadora de serviço que leva o lucro da minha e da sua distração ao volante.

Enquanto as lombadas, valetas e tachões nasceram para reduzir a velocidade de veículos em vias secundárias e próximas a escolas, proibidas em rodovias, repito, os pardais são escondidos e nasceram para surpreender o motorista e encher o bolso das empresas  proprietária das maquininhas. São verdadeiros caça-níqueis, mas valorizadas em Reais. Passando acima de 20% da velocidade permitida você recebe uma multa  de 120 Ufirs e “ganha” cinco pontos negativos na carteira de habilitação.Se a velocidade fotografada for superior, a multa corresponde a 540 Ufirs e  sete pontos na carteira.

A quem servem, pois, os pardais? Deveriam servir ao motorista e à segurança das rodovias, impedindo o excesso de velocidade. Todavia, como o guarda da esquina que se esconde atrás do poste para multar  e ganhar pontos na sua ficha funcional, o pardal fica escondido, quase sempre após um reta e pegando numa descida. Para se avaliar o risco desses controladores, basta notar a quantidade de marcas da frenagem de veículos, reflexos de condutores surpreendidos com a descoberta da armadilha. Não há aviso, nem há porque prevenir o motorista, na visão das autoridades. Avisado, o motorista reduz a velocidade e não paga multa. Mas evita o acidente. Ou a ação fiscalizadora não objetiva a segurança na estrada e o bem estar dos que por ela transitam?

Já vi em rodovias um boneco de madeira, imitando um guarda rodoviário. Quem se engana com a presença imaginária da autoridade,  contém a rapidez do seu veículo. O policiamento ostensivo, é também um bom redutor de velocidade. Termino com a historinha do guarda da esquina que ilustra muito bem o meu raciocínio em defesa da visibilidade da sinalização: O guarda aborda o motorista que ultrapassou um sinal fechado e indaga:

-Não viu o sinal não? E o infrator encabulado:

– O sinal eu vi, eu não vi foi o senhor….

RAMALHO LEITE

 

 

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Comentários

Tags : , , ,

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627