Professores advertem: ‘Se não houver negociação até quarta haverá paralisação nos três segmentos’

Publicado em terça-feira, Maio 3, 2011 ·

O presidente da Associação dos Docentes da UEPB (ADUEPB), Cristóvão Andrade, afirmou na tarde desta segunda (02), que se não houver acordo entre a reitoria da UEPB e o setor financeiro do Estado os professores vão aderir à greve.

Segundo Andrade, estava prevista para ainda hoje uma reunião entre a reitoria da UEPB e a Controladoria Geral do Estado, com o objetivo de concluir os dados da mesa técnica que envolve UEPB e Estado e resolver essa polêmica entre a Universidade e os repasses do Governo.

A ADUEPB fará uma assembléia na próxima quarta (04), e se uma negociação não for feita, haverá uma paralisação nos três segmentos que prejudicará o funcionamento da UEPB. São 9 anos desde a última grande greve, que durou seis meses. “Estou confiante que uma alternativa virá e voltaremos a tranquilidade para a comunidade, porque a UEPB é muito importante nas atividades que desempenha dentro do Estado da Paraíba. Minha preocupação total é com os estudantes e esse clima de insegurança que vive o docente e o técnico”, explica.

Na última quarta feira (27), os representantes da ADUEPB tiveram uma reunião com Luzemar Martins, presidente da Controladoria Geral, que está à frente dessa negociação. “Foi repassada toda nossa preocupação e apelamos para que ele sentasse urgentemente com a reitora e celebrasse um termo de acordo sobre a lei de repasse do duodécimo”, diz.

“Luzemar Martins assegurou que iria imediatamente conversar e articular esse contato com a reitora Marlene Alves, e o fez. Na quinta ela informou que hoje eles estariam reunidos para concluir esse trabalho que já vem rolando há quase dois meses”, alegou.

O presidente da ADUEPB falou que os docentes ficaram preocupados porque não houve um acordo com a Universidade sobre a questão financeira de 2011, por parte dos setores financeiros do Estado e isso resultou em toda essa situação. “Por conta da falta desse acordo, de como ficariam os recursos para 2011, se gerou uma crise interna e levou a categoria dos técnicos administrativos e caso não resolva isso até a quarta os professores deverão aderir”, afirma.

Cristóvão Andrade afirma que “a ADUEPB entende que essa mesa técnica teria obrigação de evitar essa pizza de dados, todos dizem um número diferente, e isso não é bom nem para o Governo nem para a Universidade, talvez seja bom para os governos que tem interesse na continuação do palanque para 2012”, denuncia.

Quanto aos técnicos da UEPB que estão em greve, Cristóvão afirma que: “eles tiveram reunião na faculdade de administração hoje e que criaram grupos de trabalhos, estão se organizando em todos os campi, e estão em contato permanente com a ADUEPB, com o DCE e com a Administração Central, no objetivo de a gente ter uma decisão urgente da universidade com o setor financeiro do Governo, que eu até lamento porque essa coisa se arrastou tanto, são quase 60 dias com uma brincadeira de números que envolvem a Universidade”, lamenta.

O presidente da ADUEPB apela que a mesa técnica que foi formada pelo governo  apresente resultado. “Estou preocupado com o clima de instabilidade na Instituição. Os alunos estão prejudicados com o estado de greve que vive a UEPB hoje, os professores e funcionários ficam indignados com a protelação de uma decisão final do problema”, conclui.

Paraíba.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627