Procurador não cogita tropas federais para CG e diz que internet não é terra sem lei

Publicado em sexta-feira, julho 29, 2016 ·

Foto: Paraibaonline
Foto: Paraibaonline

Mesmo as campanhas eleitorais em Campina Grande sendo acirradas, o procurador regional eleitoral, João Bernardo da Silva, revelou que não é cogitado o pedido de apoio às tropas federais.

Ele acredita que a minirreforma eleitoral manterá as campanhas nos parâmetros legais diminuindo conflitos.

O promotor explicou que é permitido que candidatos coloquem mesa em bens públicos, das 6h às 22h, e distribua material de campanha e bandeiras.

Se as regras não forem obedecidas, os candidatos estão sujeitos a uma representação por propaganda irregular, podem perder o material de campanha e pagar uma multa de R$ de 2 mil a R$ 8 mil.

Sobre a campanha em redes sociais, João afirmou que a internet não é uma “terra sem lei”.

– A própria lei nº 9.504 diz que é assegurada a liberdade do pensamento do eleitor, a livre manifestação das suas ideias. Então pode debater, colocar pontos de vistas, criticar adversários, falar de  propostas. O que na mídia social vai ser proibido é enviar ofensa pessoal, calúnia, injúria, difamação e divulgação de fatos que são falsos. Os candidatos podem fazer as propagandas nas mídias, nos sites, desde que nas mídias sociais seja em site do próprio candidato ou do partido político, desde que não seja propaganda paga – enfatizou.

*As informações foram veiculadas na Rádio Caturité AM. 

Paraíba Online

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Comentários

Tags : , , , , ,

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627