Prefeito é denunciado por fraudar concurso para beneficiar parentes

Publicado em quarta-feira, agosto 10, 2011 ·

fraudeO prefeito da cidade de Ibiara, Pedro Feitoza (PT), é acusado de fraudar o concurso público do município realizado no ano passado. A denúncia feita pelos vereadores Maria do Socorro Ramalho e Francisco Francinir de Carvalho, dão conta que o gestor favoreceu parentes e aliados políticos.
A queixa foi protocolada na Procuradoria Geral de Justiça do Estado da Paraíba, no mês de junho e na segunda-feira (08), chegou ao Tribunal de Contas do Estado.

Irregularidades

Os vereadores afirmam que durante a realização do concurso foram constatadas várias irregularidades como: atraso no horário da aplicação das provas, falta de provas para candidatos, saídas de provas do local para serem copiadas e o mais grave, participação e aprovação de agentes políticos e parentes do prefeito.

Favorecidos

De acordo com os parlamentares, a irmã do prefeito, Verilene Feitosa Leite foi aprovada para o cargo de dentista; o primo do gestor, Acimário Bezerra de Oliveira passou para fiscal de tributos; Evandro pereira Leite, também primo do prefeito foi aprovado para auxiliar de contabilidade; o tio do chefe do executivo, Damião Gonsalo foi classificado para o cargo de técnico agrícola; o sobrinho Allan Kardec Feitosa de Oliveira conseguiu aprovação para agente administrativo; Maria Aparecida de Oliveira (prima), para agente comunitário de saúde; Maria Jaira Barros (secretária de Saúde), passou para enfermeira do PSF; Josival Simão de Lima (irmão secretária de Saúde e suplente de vereador), foi aprovado para o cargo de técnico agrícola; Edvan Galdino Moreira (secretário de Ação Social) conseguiu aprovado para o cargo de digitador, Anaíza Gonzaga de Sousa (esposa de um vereador), foi aprovada para o cargo de agente administrativo; Deniz José Galdino (motorista particular do prefeito), conseguiu aprovação como motorista e Maris Estelina Nunes (sobrinha de uma vereadora, que aderiu ao bloco de situação), passou para Assistente Social.
O concurso foi realizado em 2010 e ofereceu 93 vagas para a administração pública do município. A organizadora do concurso foi a Fundação Sertaneja Pró-Educar.

O outro lado

O prefeito prestou entrevista à imprensa local na terça-feira (09) e negou as denúncias. Ele disse que as acusações são intrigas da oposição.
“O concurso foi feito com lisura e dentro da normalidade”, disse o prefeito.
O gestor alegou que a oposição está com medo de enfrentá-lo nas eleições do próximo e por isso estão tentando “ferir” sua imagem de político honesto.
Ele disse que “se comparar os aprovados e reprovados da família nesse concurso público, aqueles que passaram não representa nem 20% do total de participantes da seleção”.

Fonte: Pb1

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627