Parceria entre UFPB, Prefeitura, Amar e Paróquia fortalece Museus de Areia

Publicado em terça-feira, Fevereiro 14, 2012 ·

Financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDS), o Projeto Areia e seus Museus está orçado em R$ 715 mil e vai promover ações para requalificação e implentação do Museu Casa de Pedro Américo, Museu do Brejo Paraibano  e Museu Regional de Areia

ufpb areiaAmpliar a divulgação cultural aproveitando o potencial do município de Areia enquanto patrimônio histórico e artístico nacional. Este é o objetivo primordial do Projeto Areia e seus Museus, que abrange uma série de ações para a requalificação e implementação do Museu Casa de Pedro Américo, do Museu do Brejo Paraibano e do Museu Regional de Areia, município localizado na região do Brejo paraibano. O projeto é resultado de parceria entre a Universidade Federal da Paraíba, Associação dos Amigos de Areia (Amar), Prefeitura Municipal de Areia e Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. As ações, orçadas em R$ 715 mil, são financiadas pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES).

Os serviços tiveram inicio com a reconstrução de um casarão pertencente à Paróquia, localizado ao lado da Igreja Matriz Nossa da Conceição, onde já está instalado o Museu Regional de Areia. Desde a sua inauguração, em 1972, o museu funcionava no primeiro andar do Centro Social Pio XII, onde também está instalada uma biblioteca. Com relação ao Museu Casa de Pedro Américo a intenção é recuperar as instalações elétricas, o forro, sanitários e a parte de traz do prédio.

A implantação da Oficina de Salvaguarda e Restauração é uma grande contribuição do Projeto Areia e seus Museus para a cidade e região. Por meio do projeto, jovens estão sendo capacitados nas ações de salvaguarda e restauração, possibilitando não apenas o cuidado com o acervo dos museus, mas principalmente a ampliação do sentimento de pertença e valorização dos bens patrimoniais pela comunidade. A consolidação da Oficina possibilitará um indispensável apoio nas ações de cuidado com o patrimônio de toda a região do brejo paraibano.

O Mura

O Museu Regional de Areia (Mura) tem como missão institucional resgatar, preservar e difundir a memória da região da cidade de Areia, promovendo atividades científicas e culturais com vistas ao desenvolvimento social. O Mura foi criado em 1972 pelo cônego Ruy Barreira Vieira, juntamente com alguns representantes da sociedade areiense, preocupados em registrar a história da cidade e dos seus ancestrais. O museu

foi reconhecido como de utilidade pública pela Lei nº 147 de 04/10/1973, da Câmara Municipal de Areia, e pela Lei nº3.870 de 28/12/1976, da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba.

Dentre os principais objetivos destacam-se: zelar pelo acervo histórico e cultural da região; despertar, principalmente na juventude, o respeito ao passado através do conhecimento dos hábitos, costumes, cultura e arte das gerações anteriores; apoiar o turismo cultural e a difusão do patrimônio cultural da cidade de Areia e entorno; e colaborar com o desenvolvimento de planos, projetos e programas que fomentem o progresso científico, artístico e cultural da região do brejo paraibano.

O acervo

O acervo do Museu Regional de Areia (Mura) é composto por peças de diversas categorias, como Arte Sacra, Artes Decorativas, Artes Visuais, Etnologia, Documentos Textuais e Iconográficos, além de uma pequena coleção de Mineralogia, Zoologia e Paleontologia. O acervo do Mura está organizado de acordo com as seguintes temáticas: “Areia e a história”, registro da evolução da cidade, da rota de tropeiros, dos movimentos políticos, dos cuidados com a educação, os ciclos econômicos até o tombamento pelo Iphan como patrimônio nacional; e “Areia e a Arte”, registro das manifestações culturais com destaque para a vida e obra dos pintores Pedro Américo e Aurélio de Figueiredo e do escritor José Américo, dentre outros.

Considerando a necessidade de ações de salvaguarda e restauração em grande parte do acervo do Museu Regional de Areia, foi aberta ao público a exposição “Areia e a Arte Sacra”, composta por Imaginária, Crucifixos, Oratórios, Objetos Litúrgicos, Paramentos Religiosos, Mobiliário e Iconografia.

Fonte:

Agência de Notícias da UFPB – Costa Filho

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627