Padre Bosco – Persiste a Violência

Publicado em quarta-feira, Fevereiro 8, 2012 ·

bosco

A violência em todos os tempos tem sido uma ameaça para a paz e a vida em comunidade. O numero de mortes provocadas no Brasil tem sido incalculável. Em nosso Estado, conforme constatação de dados da imprensa e do próprio estado, tem crescido de forma assustadora os índices de violência seguidos de mortes barbaras.

Entre as vitimas estão as mulheres e os que cumprem pena em presídios. A droga tem sido apontada como a causa dos assassinatos. A leitura, no entanto, é totalmente superficial, apenas para explicar o crime de forma imediata.

O estado não tem trabalhado de forma efetiva para punir os que praticam os crimes. Na verdade, faltam os meios para tal praticidade. Sabe-se que nas delegacias os boletins e inquéritos ficam sem conclusão. Havia em torno de 1500 inquéritos sem solução. Alias, sem solução estão também os que superlotam os presídios como presos provisórios sem o que o judiciário cumpra o que deve cumprir.

O ano iniciou com uma media de 150 pessoas brutalmente assassinadas. Em Mari tem havido frequentes mortes de forma misteriosa, sem nenhuma preocupação das autoridades. Bem diz a população de Mari que aquela cidade não tem autoridade: a pratica tem levado a crer que é verdade. A impressão que fica é que o serviço de inteligência do estado não é mais inteligente. Sei que não existe solução magica e que a situação é bastante difícil. Conheço a realidade para além daquilo que descrevo aqui, mas a situação é gravíssima.

A violência tem se manifestado em todas as camadas da sociedade: nas escolas, na família, na rua, nas festas e, o que é mais grave, tornou-se também institucional. Ela existe ninguém pode negar, mas tem sido exposta demais. Os inúmeros serviços de internet através de blogs, em nome da informação estão expondo para todos, inclusive para adolescentes e crianças que acessam os sites, o que de mais grave tem acontecido nas praticas de violência. A informação como se sabe, pode ser também aprendizado para alguns. Deste modo a exposição da violência pode ser incentivo para alguns, por isso, também neste aspecto a violência gera mais violência.

A mais grave de todas as violências é aquela praticada em nome do estado. O estado de São Paulo, tido como desenvolvido tornou-se alvo das maiores criticas por sua pratica violenta institucional, com a desocupação da área Pinheirinho. O que se percebeu ali foi um grande jogo de interesses onde se agiu de forma muito rápida. A justiça e o estado expondo a sua desumanidade e incompetência. A desocupação poderia ter sido feito dentro de um planejamento normal. As famílias relutarem para saírem exatamente porque sabem que o estado é irresponsável e indiferente para lidar com os problemas humanos. Temos tido, assim, muitas ações violentas institucionais que a humanidade não pode mais conviver com elas.

Quando a policia vai aos morros para o combate ao trafico, que tem o apoio de policias, o estado vai para tratar todas as famílias como bandidas, tratando-as com indiferença e violência. Esta realidade ninguém consegue esconder. Uma coisa é a versão oficial do estado e outro é o que acontece nos bastidores.

Se quisermos rever as atitudes violentas, temos que rever o mais rápido possível o que tem acontecido em nosso meio. É necessário refletir nas escolas, nas igrejas, famílias e todas as agremiações o que tem causado e pode causar a violência.

Padre Bosco

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627