Padre Bosco – Festas Paroquiais

Publicado em segunda-feira, Janeiro 23, 2012 ·

bosco

De longas datas e em todos os lugares do mundo são celebradas as festas de padroeiraos (as). Trata-se de uma festa eclesial, isto é, do âmbito da fé e da vida da igreja como comunidade cristã.

O novenário, dependendo da cultura religiosa de cada lugar, contém a reza do terço, as ladainhas, as oferendas, as danças, quermesses, etc. A celebração da novena tem sempre o rosto e a expressão de uma comunidade especifica. Mesmo se tratando do mesmo padroeiro (a), o estilo da novena muda totalmente por causa de sua inculturação.

As festas se espalham por todos os meses do ano. Em nossa região paraibana, o mês de janeiro é marcado por muitas festas, sobretudo de São Sebastião em paroquias e comunidades, mesmo que ele não seja o titular daquele lugar.

Tem se tornado comum pela nossa cultura politica, que as paroquias organizam a festa religiosa e as prefeituras organizam a festa social, chamada popularmente de festa de rua. Tudo acontece em nome da religião, mas o seu conteudo tem sido pagão.

O que se percebe, e parece ser muito lógico e pertinente: quem está na gestão, sem nenhuma critica pessoal, realiza a festa, não pensando no santo padroeiro, mas em sua própria imagem. O povo vai julgar quem está na gestao a partir do resultado da festa.

Na verdade, a festa é da prefeitura ou do estado. Trata-se de uma festa que na minha impressao, deveria ter lugar não na data religiosa, mas na emancipação politica do municipio.

As tradicionais festas que tomam o nome do santo (a) nada mais são do que momentos de conjectura para a velha politica partidaria. Ali começam as articulações e até o lançamento de nomes para cargos eletivos. Não é por acaso que situação e oposição ficam disputando espaços.

Alem do mais, é em nome da paróquia que a prefeitura realiza a festa. Em nome da festa, muita bebida, brigas, mortes de transito, prisões, prostituição, etc. Os acidentes automobilisticos acontecem com muita frequencia após uma noite de festa. As causas:

O sono e a bebida.

O investimento é bastante alto. Muitas vezes, naquela cidade falta para a saude e a educação, mas nao falta uma boa verba, venha de onde vier, para as bandas contratadas, trazendo uma musica de má qualidade, sem melodia e a letra é de fazer vergonha a quem tem pelo linguajar de baixa qualidade, mas, grande parte da população acha o máximo. O que impressiona são os nossos gestos. Poderiam aproveitar a oportunidade para uma festa de qualidade mas, a falta de criatividade é imensa. Praticamente todos copiam o mesmo esquema das demais festas. É uma pobreza!

Se a festa está ligada a um contexto de fé, alguma apresentação mais religiosa deveria acontecer. Trazer um bom cantor catolico capaz de deixar uma mensagem nao só de alegria, mas tambem de esperança. A mensagem cristã será sempre de esperança. Assim as nossas festas paroquiais devem ser profundos momentos de evangelizaçao e de esperança.

Em tempos de profundas mudanças, não podemos viver com as mesmas festas e as mesmas práticas.

Padre Bosco

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627