Os patrões dos políticos

Publicado em segunda-feira, setembro 19, 2016 ·

carlos tota(Karlos Thotta/2016)

QUAIS MOTIVOS LEVAM O PRINCIPAL GESTOR MUNICIPAL A CRIAR E PREENCHER OS CARGOS PÚBLICOS, TÃO REGIAMENTE REMUNERADOS?

Nos últimos anos, as verbas municipais têm sofrido reduções em função das políticas adotadas pelos governos estaduais e federal, que deixam os municípios praticamente de pires na mão.

Por esta razão, é necessário que os municípios elaborem um plano de redução de despesas, fixas e correntes, que seja realista e produza um orçamento enxuto, condizente com os poucos recursos que arrecada e recebe do governo central.

Além disso, ficou patente a necessidade de reduzir fortemente a quantidade de cargos de confiança para ocupação das secretarias, diretorias, coordenações, supervisões e afins. Uma estrutura gerencial leve é fundamental para o bom desempenho desses órgãos.

Caso os cargos já existam, é imperativo implantar um sistema de fusão que os agrupe formando poucas e compostas denominações. Os municípios precisam ser mais atuantes pois são a gênesis geo-política duma república.

É ponto pacífico que a grande maioria dos órgãos públicos municipais trabalham poucas horas a cada dia, em poucos dias de cada semana, sem contar os diversos recessos e os feriados, forjados e enforcados.

Os cidadãos são os verdadeiros patrões e pagam todos os gastos do serviço público municipal. Por isso, o povo tem o direito de exigir expedientes normais de oito horas diárias.

Assim, tais órgãos devem, às comunidades, muitas horas e dias ociosos, a serem honestamente quitados por suas devidas e inadiáveis fusões.

QUAIS MOTIVOS LEVAM O PRINCIPAL GESTOR MUNICIPAL A CRIAR E PREENCHER OS CARGOS PÚBLICOS, TÃO REGIAMENTE REMUNERADOS?

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627