Ollanta Humala, recém eleito presidente do Perú, diz que prioridade será os mais probres

Publicado em terça-feira, junho 14, 2011 ·

Futuro presidente do Peru concede entrevista ao lado de Lula e afirma que buscará fortalecer relações com América do Sul

ollanta humala home ForumO primeiro país visitado por Ollanta Humala, recém-eleito presidente do Peru, foi o Brasil. Na semana passada, esteve em Brasília, com Dilma Roussef, e em seguida se reuniu com o ex-presidente Lula, com quem concedeu uma entrevista coletiva em São Paulo, na última sexta-feira, 10.

Após a visita em terras brasileiras, Humala seguiu viagem para o Paraguai, Uruguai e Argentina. Segundo ele, seu governo buscará fortalecer as relações com a América do Sul. Além disso, o novo presidente afirmou que a prioridade será os mais pobres e que dará ênfase à inclusão social. “A América Latina é a região mais desigual do planeta”, disse.

O cadastro de todos os pobres, para Lula, será o maior desafio para o governo peruano. O ex-presidente citou uma frase que a ex-primeira-dama Ruth Cardoso teria dito, que era mais fácil jogar comida de helicóptero para resolver o problema. “O cadastro dos pobres é essencial para a política social.” Hoje, todos os cadastrados nos programas federais possuem um cartão para receber os benefícios.

O ex-presidente Lula disse ainda que o continente vive um momento histórico, com a sucessiva eleição de presidentes ligados às bandeiras dos movimentos sociais. “Há 10 anos era só Chávez, há 8 anos era Chávez e Lula, depois Kirchner, Tabaré Vázquez, Evo Morales, Correa, Daniel Ortega, Mauricio Funes e, agora, o companheiro Ollanta”, disse, referindo-se aos presidentes da Venezuela, Brasil, Argentina, Uruguai, Bolívia, Equador, Nicarágua, El Salvador e Peru. “Setores progressistas, em cinco séculos de história da América Latina nunca tiveram tanto poder como agora”, afirmou.

No caso do Peru, foram 20 anos de governos neoliberais. A eleição de Humala foi marcada pela queda na bolsa de Lima, que registrou uma baixa de 6% na segunda-feira pós-eleição. Lula disse esperar que, ao final do governo de Humala, todos os pobres do Peru tenham água e energia elétrica e possam fazer três refeições diárias: café-da-manhã, almoço e jantar. “Quanto menos pobres, mais gente ganhará dinheiro”, disse o brasileiro.

Humala afirmou que cada país tem o seu caminho e que o objetivo não é copiar, mas aprender com as experiências que deram certo. “Temos quase 3 milhões de peruanos vivendo no estrangeiro, a maior parte como ilegais”, afirmou. “Muitos vivem aqui no Brasil, e por que eles vêm para cá? Vêm em busca de oportunidades, não deixam suas famílias porque querem. Por isso é importante a inclusão social, para que as pessoas que deixem o país não o façam por necessidade.”

Na entrevista coletiva, onde foram feitas três perguntas de veículos peruanos e três do Brasil, os jornalistas dos países vizinhos perguntaram sobre a desconfiança da população que não votou nele e a relação com Hugo Chávez, presidente da Venezuela. Para Lula, as questões giraram em torno de uma suposta promessa do ex-presidente de que ajudaria reduzir impostos sobre embalagens de leite, feita em uma palestra na TetraPak. Outras perguntas foram sobre a o ex-ministro das Relações Institucionais e agora da Pesca, Luiz Sérgio, e sobre a liberdade de Cesare Battisti.

Foto: Antonio Cruz/ABr
Com Adriana Delorenzo

Focando a Notícia

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627