Obesidade masculina: 10% das mortes causadas por diabetes está associada ao sobrepeso

Publicado em sábado, Janeiro 28, 2012 ·

07-Foto-do-solista-Rucker-BezerraNos últimos cinco anos, o percentual de homens com obesidade nas principais capitais brasileiras cresceu, passando de 11,4%, em 2006, para 14,4%, em 2010. Os dados são da pesquisa Vigitel (Vigilância de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), do Ministério da Saúde, que levantou ainda que 52% dos homens brasileiros apresentam sobrepeso.

O cenário preocupante também foi detectado pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), realizada pelo IBGE: entre 2002 e 2009, o percentual de obesos passou de 9% para 12,4%.

O brasileiro tem seguido uma tendência mundial: 10% da população adulta mundial – estimada em meio bilhão de pessoas – sofre desse mal, segundo a respeitada revista médica Lancet.
A obesidade está ligada a vários fatores: sociais, comportamentais, ambientais, culturais, psicológicos, metabólicos e genéticos.  Mas as principais causas são a adoção de um estilo de vida sedentário, e dietas ricas em açúcar e gorduras, e pobres em frutas, verduras, legumes e grãos. Ou seja, muito do problema está no que se coloca no prato: 45% da população consomem carnes com excesso de gordura, mas apenas 15,4% ingerem o recomendado de frutas e hortaliças (cinco ou mais porções semanais), segundo a pesquisa Vigitel.
Há vários métodos para detectar o excesso de peso como a medição de pregas cutâneas ou relação cintura-quadril. Mas a mais simples é o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Para calculá-lo, divide-se o peso pela altura ao quadrado. Pessoas que registrem marca acima de 30 kg/m2 são consideradas obesas. Entre 25 kg/m2 e 29,9 kg/m2, o indivíduo está com sobrepeso, ou seja, em risco de se tornar um obeso.
O indivíduo obeso fica vulnerável a uma de complicações, entre elas, o diabetes tipo 2, as doenças relacionadas com o aumento de gordura no sangue (como as cardiovasculares, que incluem o infarto do miocárdio), a hipertensão arterial, a gota, apneia do sono e a infertilidade.
Levantamento do Ministério da Saúde aponta crescimento de 10% nas mortes causadas por diabetes, que está relacionada com o aumento de peso, entre  1996 e 2007. O percentual de diabéticos entre os brasileiros é de 6,4% da população total. O diabetes já é a terceira causa de mortalidade do País, atrás apenas de doenças cerebrovasculares (derrame) ou do coração.
Para reverter esse quadro, o Sistema Único de Saúde (SUS), atua em cima de três plataformas: a promoção da alimentação saudável, a atenção integral à saúde da população e o estímulo à prática das atividades físicas. Para esta última existe o programa Academias de Saúde, espaços para a prática de atividades físicas e de lazer. Até 2014 serão implementados quatro mil locais.
De acordo com o último Vigitel, 16,4% dos brasileiros adultos são fisicamente inativos. A Organização Mundial de Saúde recomenda a prática de 30 minutos de atividade física, em cinco ou mais dias por semana.
“A obesidade é tratada com mudanças de hábitos de vida, com alimentação saudável e com a prática de atividades físicas. Quando o paciente não responde a essas medidas não medicamentosas é indicado o uso de medicamentos e, em casos mais graves, a cirurgia bariátrica”, explica Rosana Radominski, presidente do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).
Aqueles que já apresentam sobrepeso ou estão obesos podem procurar ajuda as equipes do Sistema Único de Saúde. Há profissionais aptos a prestar cuidados integrais e infraestrutura necessária para o tratamento.

Fontes: Ministério da Saúde
Focando a Notícia

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627