Nos Aflitos, Kieza marca mais um e afunda o Palmeiras rumo à Série B

Publicado em domingo, outubro 14, 2012 ·

O drama do Palmeiras no Campeonato Brasileiro ganhou mais um capítulo neste domingo. Desta vez, com requintes de crueldade para aumentar ainda mais o sofrimento da torcida. Jogar bem já não basta para fugir do rebaixamento. Faltou sorte, talvez talento, sobrou castigo e desespero. Em uma tarde de boa atuação no primeiro tempo e muito nervosismo no segundo, o Verdão perdeu por 1 a 0 para o Náutico e viu se aproximar a queda para a Série B. Os pernambucanos estão praticamente garantidos na elite em 2013.

Foi uma apresentação voluntariosa de um Palmeiras desfalcado por oito jogadores diante de um adversário muito forte em casa. O Verdão pressionou, criou boas chances, teve até uma bola de Obina tirada em cima da linha por Alison, mas deixou o campo derrotado pela 18ª vez em 30 rodadas. O Náutico fez o básico. Suficiente para o artilheiro Kieza marcar o 11º gol dele no torneio. Thiago Heleno foi expulso no segundo tempo e acabou com a esperança de reação.

O resultado deixa o Palmeiras com 26 ponos e em péssima situação. A oito rodadas do fim, a diferença para  o Bahia (derrotado pelo Coritiba), último a se salvar neste momento, permanece em nove pontos. Mergulhado na crise, o clube do Palestra Itália precisará de uma grande arrancada para fugir da degola, a começar na quarta-feira, contra o próprio Tricolor baiano, quarta-feira, às 19h30m, em Pituaçu.

Já o Náutico se afasta cada vez mais do perigo de ser rebaixado ao acumular mais um triunfo em casa: dos 12 obtidos na competição, 11 foram nos Aflitos. O clube tem agora 40 pontos, em nono lugar, bem perto também de conquistar uma vaga na Copa Sul-Americana. Na quarta, pega o Coritiba, às 19h30m, no Couto Pereira.

Verdão cria, perde chances…Kieza marca
Não bastasse o momento turbulento, a sorte deixou de acompanhar o Palmeiras no Campeonato Brasileiro. O primeiro tempo contra o Náutico foi uma exata demonstração de que a fase é das piores. O Verdão teve nas mãos o controle da partida, ignorou a força dos pernambucanos em casa, criou chances claras, mas voltou para os vestiários em desvantagem no placar.

Apesar dos desfalques, principalmente de Marcos Assunção e Barcos, os paulistas começaram a partida pressionando. Foram mais de dez minutos de amplo domínio. Oportunidades não faltaram. Primeiro, Felipe salvou em chute forte de Luan. Depois, sem goleiro, Obina desviou na pequena área, mas Alison salvou sobre a linha.

O Verdão, porém, pagou caro por se abrir. Com a defesa rival exposta, o Náutico precisou de apenas uma chance para marcar e aumentar o desespero palmeirense. Aos 13, o artilheiro Kieza aplicou um belo drible em Thiago Heleno na área e, com estilo, colocou a bola no canto esquerdo de Bruno.

Ao contrário de outras partidas, o Palmeiras não entrou em desespero com o gol sofrido. O Timbu se retraiu à espera de um novo contra-ataque e permitiu que o adversário chegasse novamente. As chances diminuíram. Na melhor delas, Juninho recebeu de Tiago Real dentro da área, mas bateu torto pela linha de fundo.

Nervosismo e expulsão no segundo tempo
Os paulistas não tiveram o mesmo ímpeto ofensivo no segundo tempo. O Náutico voltou melhor posicioado defensivamente, parou de errar tanto e impediu uma nova pressão. De quebra, poderia ter decidido a partir antes dos dez minutos. Araújo parou em bela defesa de Bruno na área e Rhayner carimbou a trave.

O drama aumentou a partir dos 17 minutos. Nitidamente mais nervoso, o Palmeiras perdeu o zagueiro Thiago Heleno, expulso após uma falta em Araújo. O lance foi suficiente para descontrolar ainda mais a equipe. Sem a mesma troca de passes da etapa inicial, o time passou a viver de lances isolados, como um perigoso chute de Obina que passou próximo ao ângulo esquerdo de Felipe.

Gilson Kleina ainda tentou de tudo para fazer o Verdão reagir. Betinho, Patrick Vieira e Vinicius entraram, mas pouco fizeram para mudar o comportamento da equipe. A única chance de perigo surgiu aos 37. Após cruzamento da Tiago Real, Luan tentou pegar de primeira na área e jogou para longe a última chance.

Coube ao Náutico conter a tentativa de abafar dos paulistas e administrar a vantagem para praticamente se garantir na Série A no próximo ano. Meta que, a cada rodada, está mais distante de ser cumprida no Palmeiras.

Globoesporte.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627