Nice Almeida – E dizem por aí que a violência diminuiu

Publicado em domingo, novembro 25, 2012 ·

 

Ouvi dizer por aí que a violência diminuiu. As afirmações são, na maioria das vezes, baseadas em dados que medem o indicador de homicídios. E num país onde se mede a violência pelo número de assassinatos não se pode esperar muita coisa. É como se nós estivéssemos tomando como base apenas tabelas vazias que serão, mais tarde, preenchidas com muita dor e sofrimento.

É preciso entender que a violência não é apenas um índice. Ela é um substantivo que deixa consequências sérias e um rastro de sangue que mancha não apenas a carne, mas também a alma.

Pior! Nesse país violência é quase um sinônimo de pobreza material. Sim. Fala-se em violência e as pessoas já associam o ato a alguém que vem de família pobre, que não estudou ou que vive em comunidades carentes (as chamadas favelas).

Não minha gente! A violência no nosso país ultrapassou barreiras. Hoje ela está entre todos e nos lugares mais inesperados. Isso porque algumas pessoas mais abastadas, daquelas que acreditam que porque têm dinheiro podem tudo, usam seu ‘prestígio’ para fazerem o que querem.

Estamos vivendo tempos de guerra, onde pessoas que vão a uma igreja se deparam com bandidos e são assaltadas e assassinadas. Onde se coloca um filho numa escola particular achando que lá ele estará mais seguro e ele é agredido por colegas que, se valendo de um porte físico maior e mais forte, se acham no direito de agredi-lo só porque ele é menor. Onde pais de família são obrigados a fechar seu comércio mais cedo para não serem surpreendidos.

É preciso que nós cidadãos olhemos a violência de outro modo, com outros olhos. É necessário que nós passemos a observá-la de dentro para fora. Temos que saber, por exemplo, se não são os nossos próprios filhos os causadores de atos violentos. E, se forem, precisamos puni-los da forma mais adequada para que não sejamos nós as suas próximas vítimas.

Cobrar das autoridades o combate a violência é uma atitude correta. Mas será que não é de dentro de nossas casas que estão saindo futuros agressores, assassinos, estupradores. Está na hora de parar de achar que o combate a violência é uma obrigação apenas dos governantes porque essa atitude é nossa também.

Se formos nós os agressores temos que ser punidos, independente da classe social. E, se formos nós os agredidos, não podemos ter medo de denunciar, não podemos calar. Assim também se combate a violência.[bb]

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Comentários

Tags : , , ,

REDES SOCIAIS














INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627