Mulheres se mobilizam para ‘Toplessaço’, protesto que marcará abertura do verão

Publicado em quinta-feira, dezembro 5, 2013 · Comentar 

No Facebook, Ana e Bruna já têm a adesão de 2 mil pessoas — homens inclusive — para o protesto

No Facebook, Ana e Bruna já têm a adesão de 2 mil pessoas — homens inclusive — para o protesto

Não é só pela parte de cima do biquíni. A causa é por um verão sem ‘marcas’ — de repressão, com o perdão do trocadilho — e uma praia mais livre. A abertura da estação mais quente do ano, dia 21, promete: um topless coletivo tomará as areias de Ipanema, num protesto acalorado com a bandeira da “naturalização dos corpos”. Já são mais de 2 mil pessoas confirmadas no ‘Toplessaço’ — até homens se incluíram na página do evento no Facebook.

Criadora do ato, a atriz e produtora Ana Rios, 23 anos, diz que teve a ideia enquanto participava da Marcha das Vadias, em julho. Porém, pontua o recente episódio em que a atriz Cristina Flores, 37, foi repreendida por PMs no Arpoador, enquanto fotografava sem a peça superior do biquíni para divulgação de sua peça, como a gota d’água.
“Estava na marcha de sutiã e a reação das pessoas era agressiva. O que aconteceu com a Cristina me fez criar o evento. No Rio, isso é visto como caso de polícia. Sempre estranhei essa moral do Brasil, onde, numa época do ano (o carnaval), as mulheres desfilam nuas. Vemos isso nas bancas de jornal. Aqui o feminino é sexualizado e só visto como consumo”, disse Ana, que também é voluntária da Anistia Internacional no Brasil. Ela ganhou o apoio da amiga e produtora Bruna Oliveira, 23, que também está na linha de frente do ato. “Espero que não fique só no Facebook”, lembra a jovem, que fará seu primeiro topless.
O ato está marcado para as 10h e vai até as 19h, na orla de Ipanema. Mas elas pedem ‘solidariedade’ de outras praias do Rio e outras partes do país e já ganharam adesão de frequentadores do litoral capixaba. Com presença confirmada, a arquiteta Maíra Rocha, 28, critica a proibição do topless. “É importante deserotizar uma coisa que é natural. E dois triângulos de pano não podem dividir as mulheres em respeitáveis e vadias”.
Dizendo-se contra o machismo, o estudante de História Guilherme Alves, 25, propõe o apoio masculino. “Acho atrasada essa ideia de criminalizar os seios femininos”. Ana alerta: “Não é pra levar pro lado sexual. Já sofremos violências diárias ouvindo agressões nas ruas”.
“Tirei um véu de hipocrisia”
Desde 1970, o topless é polêmica nas praias do Rio. Em 1979, Patrícia Casé foi flagrada só com a parte de baixo do biquini, em Ipanema, levantando a discussão. Hoje, ainda estranha a repressão: “É sacralizar demais o corpo”. Cristina Flores, abordada dia 14 de outubro, questiona o poder da PM em definir o suposto atentado ao pudor: “Quando fui vista como ‘criminosa’, tirei um véu de hipocrisia que vestia sem saber. Por que o homem pode e eu não?”.
Da Redação
com O Dia

 

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do FOCANDO A NOTÍCIA. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O FOCANDO A NOTÍCIA poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada. Por segurança, todos os IP's serão gravados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46

É proibida a reprodução total ou parcial deste site, sem autorização prévia.