Mulher do estuprador relata detalhes de relacionamento e confessa: ‘Ele é um monstro’

Publicado em sexta-feira, julho 29, 2011 ·

A mulher do estuprador Abner Machado Pereira Neto, 39 anos, Rosemeire Mafra Martins, deu entrevista exclusiva a repórter Pollyana Sorrentino, da 98 FM, e confessou, com riquezas de detalhes, como era o dia-a-dia com o companheiro e qual o sentimento dela em relação a ele após saber de todos os crimes que Abner cometeu.

“Conheci esse monstro há quatro anos atrás, mas não convivi com ele durante todo esse tempo. Após três meses de relacionamento, ele cometeu um abuso sexual contra uma menina menor de idade. Me separei dele por quase um ano, mas ele errou e estava querendo uma nova chance. Por amor, eu tentei pensando que ele ia mudar.” disse ela.

Rosemeire também falou sobre como era o dia-a-dia no relacionamento deles.

“Voltei e fui morar com ele quando tivemos nossa primeira filha. Nosso relacionamento era voltado para as coisas espirituais. Ele sempre tocava violão e falava da palavra de Deus. Tanto que eu era Kardecista e ele me fez converter a religião evangélica.” disse ela.

“O grande problema dele era a droga. Ele era usuário de maconha e crack. E quando ele usava, ficava agressivo e eu colocava ele pra fora de casa. Mas ele sempre vinha atrás e eu cedia.”

“Após um tempo, não aguentei mais e tive que alugar uma casa para ele sair da minha. Não sabia que o local iria servir de cativeiro.”

Emocionada, Rosemeire detalhou como foi a primeira vez que ela ficou cara-a-cara com o estuprador. “Encontrei com ele na delegacia. Eu olhei na cara dele, chamei ele de monstro, de demônio. Ele só fazia me pedir perdão. Eu disse que a próxima vítima seria minha filha, não aguentei, peguei uma cadeira e joguei na cara dele. Ele veio ao mundo para roubar, matar e destruir.”

E concluiu: “A dor e o sofrimento dessas famílias, dói em mim duas vezes, como mãe e também pela minha filha, que poderia ter sido uma vítima desse monstro abominável.”

Entenda o caso

Abner estuprador

O publicitário carioca Abner Machado Pereira Neto, 39 anos, acusado pelo estupro de pelo menos seis meninas em João Pessoa, foi preso na tarde desta quinta-feira (28), na cidade de Lagoa Seca, região de Campina Grande.

Durante entrevista, justificando ser usuário de crack, o estuprador confessou que para imobilizar as crianças, utilizava bebidas alcoólicas misturadas a refrigerantes e antidepressivos. Após um processo de sonolência, as vítimas eram obrigadas a ingerir a mistura e, em seguida, eram abusadas violentamente.

Felipe Silveira/Portalcorreio

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627